sábado, junho 19, 2021

Gripen para o Brasil

Northrop Grumman recebe contrato de US$ 3,2 bilhões para 24 aeronaves E-2D

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

E-2D Hawkeye e um C-2 Greyhound sobrevoam o destróier stealth USS Zumwalt
E-2D Hawkeye e um C-2 Greyhound sobrevoam o destróier stealth USS Zumwalt DDG 1000

MELBOURNE, Flórida – A Northrop Grumman Corporation recebeu uma modificação de contrato de vários anos para entregar 24 aeronaves E-2D Advanced Hawkeye à Marinha dos EUA.

O contrato de incentivo a preço fixo está avaliado em US$ 3,2 bilhões; o contrato também inclui uma opção para mais nove aeronaves de vendas militares estrangeiras (FMS). A produção das 24 aeronaves da Marinha dos EUA financiadas pelo contrato de cinco anos deverá ser concluída em 2026.

O E-2D é o sistema de alerta aéreo antecipado e de comando e controle da Marinha dos EUA. A aeronave baseada em porta-aviões fornece reconhecimento de espaço de batalha expandido para grupos de ataque de porta-aviões. Seu salto de duas gerações na tecnologia de radar permite que o E-2D trabalhe com sistemas de combate baseados em navio, ar e terra para rastrear e derrotar mísseis no ar, de navios e de cruzeiro em alcance estendido. A aeronave também pode ser usada em assistência humanitária e capacidade de socorro a desastres para coordenação civil de emergência.

“Esta aeronave continua a demonstrar seu valor estratégico aos nossos combatentes com alerta, comando e controle antecipados”, disse Jane Bishop, vice-presidente e líder da equipe de produtos integrados, que mantém programas de vigilância aerotransportada, da Northrop Grumman. “Com este contrato, continuaremos a produção dessas aeronaves altamente especializadas, ao mesmo tempo em que forneceremos soluções inovadoras que superarão as ameaças avançadas durante a vida útil da frota.”

Sob o atual programa de registro, a Northrop Grumman entregou 37 aviões E-2D para a Marinha dos EUA até o momento, completando todos os principais marcos de produção a tempo. Além da produção e manutenção do E-2D, a Northrop Grumman oferecerá uma série de atualizações de capacidade. A terceira atualização está prevista para lançamento no outono de 2019 e inclui uma capacidade de reabastecimento aéreo para estender significativamente a autonomia da aeronave.

A Northrop Grumman é uma empresa líder global em segurança que fornece sistemas, produtos e soluções inovadores em sistemas autônomos, cyber, C4ISR, espaço, ataque e logística e modernização para clientes em todo o mundo.

FONTE: Northrop Grumman

- Advertisement -

55 Comments

Subscribe
Notify of
guest
55 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Renan

” o contrato também inclui uma opção para mais nove aeronaves de vendas militares estrangeiras (FMS)”
Música para os ouvidos
Pena que não temos um porta aviões.

Neves João

Não precisa, esse avião é um excelente alerta antecipada em terra também, Israel usa muito, mesmo se ter PA.

Walfrido Strobel

Israel usou, mas já vendeu, quem comprou agora foi o Japão, mas é melhor comprar uma versão de terra como um SAAB ou IAI do que este avião de manutenção cara se vc não tem PA.

Flanker

Que eu saiba, Israel usou 4 E-2C….mas vendeu 3 deles para o México e preservou o outro em um museu. A aeronave AEW atual de Israel foi objeto de um tópico há poucos dias, aqui no PA.

Marlon Coutinho Moreno

O Japão também faz uso, se não estou enganado.

JOSE DE PADUA VIEIRA

E a logística? Já existe o E-99 para essa função, adquirir outro modelo para a mesma, acredito eu, seria gerar um problema de logística. Acho mais interessante adquirir mais E-99s.

Hermes

José de Pádua Vieira, não adianta, tudo que se lança lá fora o povo quer ter aqui, não importando se temos plataforma bem melhor que precisa apenas ser atualizada como já está sendo ou substituída por alguma solução doméstica muito melhor. Síndrome da grama do vizinho.

Renan

Amigo
A MB tem qual aeronave similar a está?
Até onde sei apenas a Aeronáutica opera aeronave com esta característica.

Neves João

Não adianta, Renan, o pessoal tem síndrome do ufanismo besta, tudo que tem aqui é o melhor do mundo e superior ao restante do planeta, não precisamos de nada fora, até o Japão compra de prateleira, mas esse pessoal acha que não serve para nós, estamos melhor que Israel e Japão, na cabeça desses ufanistas dentro do quarto.

Paulo costa

Mas um dia teremos através do Pronae, e esse é um programa que a Marinha dnaoo Brasil vai deixar morrer, aliás, a seu tempo e do seu jeito, a MB esta teentando realizar seus programas estrategicos um a um e esse e mais um deles.
Um exemplo disso e As fragatas Meko 200 que teremos não é uma Fremm mas serão fragatas de qualquer jeito e aposto que com as novas OPV a Marinha vai repetir a jogada de Mestre.

Alexandre Fontoura

Navio Aeródromo na MB só depois de 2040. Tem muita coisa para ser resolvida antes.

Jorge Knoll

estas muito otimista.
antes de 2050 nem pensar

Julio

O Japão pagou em 2015 1,7 bilhão de dólares por 4 unidades, essa aeronave é cara demais pra nossa realidade.

JOSE DE PADUA VIEIRA

Wiki diz que a unidade do E-99 é de US$ 80 milhões, se for vale muito mais a pena que os quase meio bilhão pelo E-2.

Rui chapéu

Perguntas:
Esse disco de radar de cima tem rotação mecânica ainda? Ele gira pra procurar alvos?
Aquele sistema de radar fixo do e-7 wedgetail não é mais avançado já que não precisa girar?
Estaria na hora da usnavy desenvolver outro tipo de plataforma pra esses radares “fixos” ou esse modelo de disco em cima ainda é melhor?

Bosco

Rui,
O radar é AESA mas gira para cobrir 360º. Nas aeronaves com radares fixos não há cobertura em 360º. No caso do E-2D ele pode fixar a antena para uma dada área de cobertura, por exemplo, para o eixo de ameaças mais provável, o que aumenta o desempenho.

Overandout

Essa aeronave é fantástica, não é a toa que os chineses estão copiando ela. Junto com o aposentado S-3 Viking é uma das aeronaves embarcadas que mais gosto

Foxtrot

Estão aí uma aeronave (S3 Viking ) que perdemos uma ótima oportunidade de adquirir.
Há época ainda tínhamos o A-12 em operação.

Overandout

Gosto muito a proposta que a Lockheed apresentou há tempos atrás para modificação e modernização dos S-3, tornando eles em C-3 Viking, um avião de transporte inclusive com rampa traseira. Com os Osprey’s em plena operação hoje em dia não faz sentido alguma força querer comprar o C-3, mas a aeronave em si é muito interessante.

https://news.usni.org/2014/04/08/lockheed-pitching-revamped-viking-fill-carrier-cargo-tanking-roles

carvalho2008

O S-3 não cabia nos parametros de operação do Nae São Paulo

Foi por isto que o C2/S2 foi escolhido a época.

Mauro

O que é que o KC-390 da FAB faz sobrevoando os EUA neste momento?? faz é tempo.

TEREU

que eu saiba fazendo testes..principalmente em temperaturas abaixas de 0°..

Mauro

Cruzou o pais de costa a costa, está baixando agora, vamos ver onde vai pousar, saiu de Jacksonville… está do outro lado agora, entre o México e o litoral dos EUA… já no Pacífico.. cruzou todo o país… tem um local lá chamado Yuma Airport… se for base militar não aparece.

Carlos Andrade

Tem uma base aérea da US NAVY lá, salvo engano.

Mauro

As temperaturas lá são elevadas, semelhantes as nossas.. 30/16 para toda a semana, chegando até 36 graus..faz calor, são 15 horas lá agora.. céu claro e sem chuvas… pousou em Yuma…

Oiseau de Proie

“Mauro

O que é que o KC-390 da FAB faz sobrevoando os EUA neste momento??”

Porque agora é propriedade deles…

Rafael Oliveira

Pousou em Yuma, onde a Boeing tem instalações.

Foxtrot

Sofrendo engenharia reversa da Boeing, atual proprietária da Montaer e seus projetos.
Testes em temperaturas abaixo de 0 são feitas em países como Suécia, mesmo nos aviões norte americanos.

Cristiano de Aquino Campos

Não precisa de engenharia reversa já que eles já tem o projeto que e básicamente um monte de peças americanas junto, então…..

Chris

Cara… Vc acha mesmo que a Boeing precisa fazer “engenharia reversa” de um simples avião barrigudo?

Acho mais facil eles fazerem melhoramentos no projeto.

Mauro

Melhor seria mandar para a Ucrânia, aproveitando o gigantesco sucesso do programa do foguete lançador Ciclone, que deu ao Brasil enormes capacidades aeroespaciais a custo nenhum.

Foxtrot

Melhor seria ter ficado em mãos nacionais, já que foi um projeto nacional, bancado com dinheiro nacional e que até então diziam, não estaria no “acordo” de venda da empresa.
Quanto a ACS só não foi a frente porque estavam preparando terreno para esse “assassinato” da soberania nacional firmado com os americanos, denominado TST.

Munhoz

No cenário atual qual seria a eficiência de um míssil anti radar contra uma aeronave deste tipo?

Aliado a um caça stealth este tipo de míssil poderia ter uma aproximação perigosa sobre uma aeronave de alerta!

JPC3

Poder pode.

Se não engano essa aeronave tem um radar UHF anti stealth. Podem me corrigir se estiver errado.

Washington Menezes

Ué se existe radar anti stealth, por que tem avião stealth.

Paulo costa

Quantos países teriam um radar assim ? Então aviões furtivos são necessários em muitos cenários

Aliás existe armas anti-tanques mas mesmo assim usam tanques em combates, existem mísseis anti-navios mas temos navios de guerra e por ai vai…

JPC3

Um radar que funciona melhor contra aeronaves stealth, não resolve totalmente o problema apenas é mais eficiente que os outros de ondas mais curtas.

nonato

Sou leigo. Não tenho a menor ideia. Até porque, independente do modo de guiagem do míssil (calor, RF ou fonte de emissão de RF), um míssil de médio e longo alcance é um risco real. Mas melhor ter esse AWACS do que não ter. Se a aeronave lançadora do míssil, navio ou artilharia for detectada e o míssil não for stealth, menos mal. O problema é se o míssil for stealth e identificado muito próximo. Mas imagino que um irst pode detectar o míssil também. Aí entrarão as contra medidas sejam emissoras de calor, de reflexo radar ou emissão de… Read more »

Flanker

Munhoz, se for para atacar uma aeronave AEW o correto é usar um míssil ar-ar…abater a aeronave. Míssil antiradar deixa para atacar radares em solo.

JPC3

Verdade, mas uma das versões do KH-31 poderia ser utilizada contra aeronaves AWACs menos manobráveis segundo alegavam fontes russas

Fligth_Falcon

Em outro post alguns perguntaram, pq a MB não compra essa aeronave.
Considerando o valor da matéria sai por “módicos” R$ 517 milhões a unidade, o que é impensável para nós nesse cenário econômico, até mesmo em épocas mais prósperas.
Infelizmente.

Paulo costa

FMS seria a palavra mágica. .. mas acho que a MB tem outros planos

MÁRIO BESSA FILHO

3,2 bilhões de dólares sr. Bruno .

Rafael Oliveira

Ele converteu de dólares para reais.

Fligth_Falcon

Bruno, como o Rafael disse abaixo foram convertidos os valores.

Cristiano de Aquino Campos

O problema e para que comprar fora algo que já faço aqui dentro?

Julio

O Japão pagou em 2015 1,7 bilhão de dólares por 4 unidades, essa aeronave é cara demais pra nossa realidade.

Carlos Campos

bem caro em 133 milhões por aeronave

Carlos Campos

eu continuo achando caro, mas é uma boa aeronave

Antonio Lopes

Ainda bem que as empresas norte-americanas são privadas e não dependem do governo como é dito no melhor canal de TV a globo news. Viva a iniciativa privada!

CESAR ANTONIO FERREIRA

12 de Abril é uma importante data comemorativa, é o dia do Cosmonauta.

O Poder Aéreo irá deixar a data passar em branco?

Lembrando que o Ministro da Ciência e Tenologia, Sr. Marcos César Pontes é um… Cosmonauta.
Voou numa nave Soyuz, lançada por um lançador R-7, portanto um traje pressurizado Sokol VK-2…

Hoje, também, é um dia para que ele seja celebrado.

groosp

O valor de 133M é uma pechincha por esse avião considerando a capacidade de combate que ele agrega. Acho que é o radar de menor frequência operado por uma aeronave AEW&C e é preciso o suficiente para fornecer orientação de meio curso para AMRAAMs e Standards no chamado engajamento cooperativo, isso o torna a melhor opção contra ameaças furtivas que irão proliferar no futuro. Seria interessante esse radar em uma plataforma maior, sem as limitações de uma plataforma desenhada para operar em um porta aviões, para FFAA que iriam operá-los em terra. Esse avião é tão bom que considero a… Read more »

Julio

O Japão pagou em 2015 1,7 bilhão de dólares por 4 unidades, essa aeronave é cara demais pra nossa realidade.

groosp

Então esse valor pago pela USN deve ser uma modernização. Ainda assim é um bom valor para proteger a esquadra.
Os R99 ainda são modernos e capazes. Não estava pensando em Hawkeyes na FAB tão cedo.

ednardo curisco

Quando o projeto é bom, não precisa ficar mudando de nome para parecer novo.

É um avião que está voando a mais de 40 anos e vai voar pelo menos mais 20.

Reportagens especiais

Infográfico: Caças a jato dos Estados Unidos da América – 1945 a 2015

Os aviões de combate dos Estados Unidos da América continuam na liderança tecnológica No infográfico de autoria de u/numante, podemos relembrar...
- Advertisement -
- Advertisement -