Home Aviação Comercial Air Peace seleciona o jato E195-E2 e se torna primeiro operador dos...

Air Peace seleciona o jato E195-E2 e se torna primeiro operador dos E2 na África

3438
29

Port Louis, Ilhas Maurício, 3 de abril de 2019 – A Embraer assinou um pedido firme de 10 jatos E195-E2 com a Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria. O pedido foi divulgado hoje, durante o Airline Business Seminar da Embraer na África, realizado nas Ilhas Maurício. Com este pedido, a Air Peace se tornará o primeiro operador dos E-Jets E2 na África. O contrato inclui direitos de compra para mais 20 jatos E195-E2. Com todos os direitos de compra sendo exercidos, o contrato tem valor de USD 2,12 bilhões, com base nos atuais preços de lista. O pedido será incluído na carteira de pedidos firmes (backlog) da Embraer do segundo trimestre de 2019.

A Air Peace iniciou operações em 2014 e, desde então, tem crescido rapidamente. A companhia aérea é atualmente a maior da África Ocidental. Com a aquisição do E195-E2, a aeronave mais nova, eficiente e confortável do segmento, a companhia aérea pretende atender à significativa demanda inexplorada no mercado africano.

O Presidente e CEO da Air Peace, Allen Onyema, afirmou que “o novo E195-E2 da Embraer apresenta um desempenho operacional maravilhoso. Também é incrível nos tornarmos a primeira companhia a operar o E2 no continente africano. Já contamos com os jatos ERJ145 em nossa frota e conhecemos o alto padrão dos produtos da Embraer.”

“A Air Peace possui o tipo de espírito pioneiro que a Embraer adora. A companhia foi criada para oferecer oportunidades de trabalho altamente qualificadas ao povo da Nigéria e impulsionar a conectividade, o que significa contribuir para a economia da região. A Air Peace tem sido bem-sucedida em seus dois objetivos, se tornando uma companhia aérea de sucesso e rápido crescimento. É ótimo tê-la embarcando no programa E2”, disse Arjan Meijer, Chief Commercial Officer da Embraer Aviação Comercial.

Meijer continuou: “O mercado africano apresenta oportunidades significativas para as companhias aéreas fornecerem a conectividade de que o Continente precisa. Aeronaves, no entanto, devem ser dimensionadas corretamente para desenvolver essas rotas de maneira lucrativa: mais de 90% dos voos intra-africanos partem com menos de 150 passageiros a bordo. E mais de 70% dos mercados são servidos com menos de um voo por dia.”

Subsidiária da Air Peace, a Air Peace Hopper começou a operar seis ERJ145 no ano passado, em rotas curtas. Essa experiência com os produtos da Embraer, aliado aos inegáveis ​​benefícios econômicos do dimensionamento correto de aeronaves foram fatores-chave na escolha do E2.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais com até 150 assentos. A companhia conta com 100 clientes em todo o mundo operando os jatos das famílias ERJ e E-Jets. Apenas para o programa de E-Jets, a Embraer registrou mais de 1.800 pedidos firmes e 1.500 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

29
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
20 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
20 Comment authors
Marcello MagnelliCamargoerdoni morenoHMS TIRELESSChris Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Escolheu oque tem de melhor no mercado em todos os aspectos.
Contra o E195-E2 não tem para Airbus A220 ou Sukhoi Superjet 100

Diogo de Araujo
Visitante

o Airbus A220 é pelo menos um concorrente respeitável, agora o sukhoi supersempeça é sacanagem

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

“Supersempeça” KKKKKKKKKKKKK Gargalhei alto aqui

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Li num daqueles clippings do google no celular, acho que ontem, que houve um grande cancelamento de pedidos do Sukhoi Superjet. Preciso confirmar isso.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Também li sobre isto Leandro e agora não consigo lembrar nem encontra onde foi.rs

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

Não foi o cancelamento do pedido da Adria Airways não?

Conan
Visitante
Conan

Foi a Adria Airwais da Eslovênia que no dia 2 de abril cancelou um pedido de 15 Sukhoi Superjet 100.

Chris
Visitante
Chris

Li em algum lugar onde a Airbus afirmava que o A220 é muito melhor que o Embraer… heheh

Principalmente em autonomia e economia. Mas o Embraer é 25% mais barato !

Chato foi a Jetblue anunciar que vai trocar todos os seus embraer por A220 !

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Uma versão desta máquina nos moldes do P-8 Poseidon e habilitada a lançar o ManSup entre outros armamentos desta classe e tbm uma versão Awacs !!! Sonhar não custa nada, ainda!!!rs
Nada contra a compra do Poseidon de prateleira e idem pro Wedgetail.

Leandro
Visitante
Leandro

Pensei o mesmo que vc!!!!

Leandro
Visitante
Leandro

Tomcat4.0, eu não sou perito como vocês, mas me veio a cabeça a seguinte pergunta.

Porquê a Embraer não projeta um bombardeiro?
Encima de uma dessas plataformas de 195- E2!
Maior e até mais robusta para longo alcance.

Sei que somos um país pacífico, porém nunca é demais não é?
Enfim, é só questinamento.
Desde já obrigado!

Bardini
Visitante
Bardini

“Porquê a Embraer não projeta um bombardeiro?”
.
Pq ninguém pediu…

Conan
Visitante
Conan

Tenho um desenho desta versão patrulha naval do 190 que vocês iam adorar mas infelizmente não sei como postar aqui, nem sei se posso.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

P-8 com MANSUP?! E-190/195 E2 em versões AEW&C e MP, com a Boeing sendo a dona dos projetos?! Tu não és daqueles que apoiam a “Joint Venture”?! Tu não tens muita noção de como as coisas funcionam no mundo real, não é mesmo?!

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

A Boeing fez um ótimo, fantástico negócio e único da história!
Mão beijada
De graça
Mamão com açúcar
Um velho casando com uma novinha!
Não falta definições!
O que mais?!?!

Marcos10
Visitante
Marcos10

E você chegou atrasado e não conseguiu comprar essa verdadeira mamata. Uma pena.

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Parabéns a todos os colegas de Embraer por mais este contrato. Mas ainda precisamos de muitos mais para ter um carteira de pedidos dos E2 sólida. Então vamos todos a luta… O caminho é longo. E espero que ganhemos impulso nas vendas agora com a Boeing na jogada.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Essa carteira de pedidos (que não se limita aos E2), só pelo fato de não ser balizada em generosos descontos, já se demonstra sólida.

O resto é justificativa fajuta, para querer endossar essa parceria caracu.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Falou o cara que sabe tudo…
O dia que aprender a viver no mundo real… Conversamos.

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

Eu não havia me informado sobre os recentes problemas no Boeing 737 MAX, vendo o link nessa matéria, pude, impressionado, saber do acontecido. A indústria aeronáutica parece se enrolar em um campo que já tem pleno domínio há mais de setenta anos; o voo subsônico ou mais precisamente, o comportamento das aeronaves de asas enflechadas na gama de velocidades abaixo da velocidade do som. Já na década de sessenta a aviação atingia seu zênite supersônico com o North American XB-70, aeronave espetacular seguida pelo não menos incrível Concorde. Cito esses aviões porque eram máquinas que conservavam e confiavam na própria… Read more »

Conan
Visitante
Conan

Com tudo isso minha conclusão é que as latas de sardinha que os aviões se tornaram não é culpa da Boeing e sim de seus clientes as companhias aéreas. A Boeing como qualquer empresa que vise o lucro produz o que seus clientes querem e não vice versa, por ela ate a classe turística teria o espaço de uma primeira classe. Sou de uma geração que teve o privilegio de voar 707,DC-8, Convair 990 mas com a primeira crise do petróleo de 1973 as coisas mudaram e nunca mais fora as mesmas, o nome do jogo agora é eficiência. Segundo… Read more »

Roberto F. Santana
Visitante
Roberto F. Santana

É a livre competição do mercado o principal fator na criação de atrativos para o passageiro. Essa condição existe entre a maior economia possível, que é onde a livre competição se corrompe com baixo nível de conforto e pobreza de serviços; e a atração que se deve exercer sobre o passageiro, oferecendo certos atrativos no voo, como revistas, refeições especiais, vídeo, internet, etc. Portanto, a melhora das condições não é, em primeiro momento, uma demanda do passageiro, mas consequência da competição pelo mercado. O simples rompimento da barreira do som não é algo que deva envolver tecnologia diferente, existem vários… Read more »

Fernando Lemos
Visitante
Fernando Lemos

A Embraer vender ou deixar de vender jatos para o Brasil deixara de ter qualquer significado, uma vez que a linha de produção sera desativada por aqui.
Lembrando que a Embraer como fabricante deverá desaparecer em relação a estes aviões, logo, não vejo mais qualquer relevância nessa empresa para ser comemorada.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Ah é? Você deve estar bem por dentro dos termos do acordo e dos planos para saber isso né… ?!?
Mais uma mãe Dinah por aqui…

Fabio
Visitante
Fabio

Parabens A Boeing !!!

Camargoer
Visitante
Camargoer

#parabensaboeing

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Parabéns a Boeing.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Uma venda a menos para o A220! paradoxalmente isso é bom para o consórcio europeu pois a cada avião vendido a Airbus perde US$ 14 milhões, fato esse que desagrada pretensos “descendentes de canadenses”….rs!

doni moreno
Visitante
doni moreno

embraer com a boing juntas, vai dar uma surra nesse airbus ai 220, o embraer e muito melhor e mais barato,