Home Asas Rotativas Rússia abre serviço de manutenção técnica de helicópteros Mi-35M no Brasil

Rússia abre serviço de manutenção técnica de helicópteros Mi-35M no Brasil

8824
144
AH-2-Sabre
AH-2 Sabre (Mi-35M) da FAB

A empresa Vertolyoty Rossii (Helicópteros da Rússia), que faz parte da corporação estatal Rostec, abriu um centro de serviços de reparação e manutenção técnica de helicópteros Mi-35M na cidade brasileira de Belo Horizonte. Segundo está previsto, o primeiro veículo será reparado já neste ano.

O anúncio foi feito à Sputnik na quarta-feira (27) pelo vice-diretor da empresa, Igor Chechikov, durante uma feira em Langkawi, Malásia.

Em 2014, a Rússia entregou 12 helicópteros Mi-35M para o Brasil.

“O serviço de manutenção técnica no Brasil, na cidade de Belo Horizonte, está aberto. É certificado pelas autoridades de aviação brasileiras, o órgão certificador”, declarou Chechikov.

De acordo com ele, o centro foi criado como parte de um projeto de compensação do contrato de fornecimento dos Mi-35M.

“Este ano está previsto realizar a primeira reparação completa de um helicóptero Mi-35M. No futuro próximo, todos os veículos serão sujeitos à primeira reparação, e estamos focados na cooperação nesta questão”, sublinhou.

O helicóptero Mi-35M é capaz de voar a 300 km/h graças aos seus dois motores de 2.200 cavalos. Além disso, o helicóptero possui uma autonomia de 460 km. Esta distância pode ser duplicada se o helicóptero estiver equipado com quatro tanques de combustível.

O aparelho é equipado com dispositivos de visão noturna, um sistema de observação térmica, que permite detectar e reconhecer objetos a mais de 4 km. Ademais, o Mi-35M pode ser usado para transportar até oito paraquedistas, armas ou munições com um peso até 1.500 kg na cabine de transporte e até 2.700 kg de carga externa.

FONTE: Sputnik

144 COMMENTS

    • Mas até onde eu sei, a culpa disso tudo não foi dos Russos, mas sim do Brasil por não pagar suas manutenções ao mesmo (algo assim).

        • Pode explicar porque foi péssimo negócio?!? Foi péssimo negócio porque foi com a Rússia ou foi péssimo negócio porque o helicóptero não presta?
          Ou ainda foi péssimo negócio porque você é russofílo ou daqueles que tudo que não vem dos EUA não presta?

          • A cumpanheirada do Governo teve de comprar algo da Rússia, para equilibrar balança, liberar carne e etc. Isso aí foi o que foi empurrado goela abaixo da FAB. Não era algo planejado, não existia necessidade, não existiam planos e planejamentos para a Força Aérea operar um Heli de Ataque. Tiveram de inventar funções, colocar um tanque voador para enxugar gelo em “operações de combate ao narcotráfico”, tiveram de perder tempo e dinheiro para desenvolver o planejamento do ciclo de vida de algo que não queriam e etc.
            .
            Torraram centenas de milhões de dólares em algo que não era necessário. Pensar que o pessoal reclama pq é russo e de uma idiotice sem tamanho. O problema é a montanha de dinheiro rasgada em algo desnecessário, sempre foi isso, mas tem um pessoal que adora ser enrolado…
            .
            E os russos tem diversos equipamentos mais interessantes e que de fato agregariam e muito, mas não foi o que empurraram.
            .
            Ex: Kornet, algo extremamente útil e que não temos nada de equivalente.

          • Respondendo como um leigo. Se “torraram centenas de milhões de dólares” para algo que a FAB não queria, não quer dizer que o equipamento não presta (penso que em C-SAR, por ter também
            a capacidade de transporte, caberia muito bem; como disse resposta de leigo), então como os “milhões” são públicos, porque a FAB, simplesmente não os transfere para o Exército (Brasileiro), que para mim que paga impostos, é também uma força que ajudo a sustentar.

          • Vamos aos poucos.
            1) russofilo significa:
            Que admira os russos.
            Logo, a sentença não tem coerência.
            2) a maioria do material militar dos EUA, se não todos, presta, pq eles são, provavelmente, os únicos q fazem MEM tendo certeza q irão eles mesmos utilizarem.
            Por vezes, deixa de prestar, pq não cabe no bolso.
            3) Este He russo presta, mas pra outra doutrina e emprego, diferente do nosso.
            Pilotos do EB e FAB já explicaram nesses espaços. Basta pesquisar.
            Sds

          • Ele disse péssimo serviço. A aeronave é fantástica pela reportagem que nos foi apresentada. Eu vi umas aqui na base em PVH e não imaginava esse potencial todo. Acho que o Brasil deveria comprar mais, e lógico que precisamos de um bom pós venda e serviços de assistência mecânica no Brasil.

        • Pergunte aos peruanos se a manutenção prestada a eles lá é uma porcaria. Porque seria esse problema aqui? No Peru existe uma quantidade enorme de helicópteros russos, dai a manutenção sai bem mais barata e o interese do fabricante é grande em manter suas vendas, mas para manter apenas 12 helicópteros a manutenção pode sair cara! Se mal recordo, a compra dos MI-35 foi contrapartida para exportação de carne, pelo que eu sei, não existem perspectivas de compras adicionais.

          • Bardini 30 de março de 2019 at 10:10
            ———

            Not necessary? MI-35M is a continuation of the legend, ask Peru and Nicarakuga, ask the Mujahideen who fought in Afghanistan with him (mi-24)

            Yes, if you are going to fight with Venezuela, who will support ground forces and tank columns of the Brazilian army from the air? Who will destroy enemy tanks?

            Only mi-35m is capable of it, it is a pity that there are only 12 of them.

            Não precisa? MI-35M é uma continuação da lenda, pergunte ao Peru e Nicarakuga, pergunte aos Mujahideen que lutaram no Afeganistão com ele (mi-24)

            Sim, se você vai lutar com a Venezuela, quem vai apoiar as forças terrestres e as colunas de tanques do exército brasileiro do ar? Quem vai destruir tanques inimigos?

            Apenas mi-35m é capaz disso, é uma pena que existam apenas 12 deles.

            https://www.youtube.com/watch?v=SrVaC7gsV24

        • Que mentira deslavada… Tem acesso ao SILOMS? Não confunda um dia de disponibilidade 100% com disponibilidade média (que é até razoável. …). O sistema OFICIAL da FAB que mostra disponibilidade de frota chama-se SILOMS. E ninguém aqui tem acesso.

      • Estes percentuais são relativos…

        Maior percentual de disponibilidade, não significa que são 100% das células prontas para vôos..

        Eu não sei quantas são necessárias para manter o alerta de interceptação do narcotráfico se ficam 1-2-3-4, certamente não são todas que ficam 24/7 prontas para vôo..

        Entendeu ?

    • DOUGLAS TARGINO

      Concordo com voce, mais 12 desses na FAB seria de fato excelente ..

      E para o EB tambem penso igual que sera uns 24 Supercobras modernizados e comprados via fms a perder de vista.

      Tomara que isso aconteça e ajude o EB a criar doutrina e dar tempo para desenvolver aqui e o próximo helicóptero que vinher seja nacional

  1. Depois de ninguém querer fazer essa manutenção neles, a Rússia tomou vergonha na cara (até pra fazer uma propaganda) e vai dar um atendimento melhor…
    Infelizmente, vamos continuar com essa Anv q não atende os requisitos do EB e MB, e nossa FAB vai continuar arrumando um deserto pra esse camelo.

    • Nunca vi nenhuma reclamação quanto essa aeronave por parte de qualquer membro da FAB (falando da aeronave em si). Só é subutilizada…mas também…a FAB queria o quê? Fazer interceptações com ele? Não é essa a missão dessa máquina.

      • Pois é, João.
        Reclamação, só mesmo de quem posta aqui pra criar ‘ondinha’.
        O problema é que a mente colonizada não deixa enxergar além disso.

        • O exército não querer nem de graça não é crítica suficiente?

          Tem parar com essa mitologia de que tudo o que é russo é o “”melhor do mundo”” e aceitar os fatos.

      • E queria que a FAB fizesse o quê com os helicópteros, temos algum tanque inimigo para destruir?

        Fazer transporte quando é muito mais barato usar outro modelo que carrega mais?

        Usam para interceptação provavelmente porque não tem outra coisa para fazer com ele.

      • Bom dia.
        Os Miragem 2000 eram intoleráveis em função dos custos dos Soares parts. Você viu alguém da FAB falar algo na fonia aberta?
        Não não e mesmo?
        Pois é, eles deveriam estar operando ainda para tapar o buraco até o NG ser entregue.
        Aonde estão mesmo os nossos Melhores 2000?
        Esperando para virar panela.
        Estes Hélia tem três lotes construtivos diferentes, montados com fornecimento de diversos fabricantes russos que começaram a fabricar itens antes produzidos na Ucrânia.
        Duvido que está empresa faça um IRAM nestas anvs aqui no Brasil.
        Duvido mais ainda que se tenha recursos e vontade para torrar dinheiro nisto com outras prioridades urgentes batendo na porta.

        • Juarez 30 de março de 2019 at 9:42
          ——

          Aprenda as coisas! Antes de dizer alguma coisa!

          Mi-35M produzido na fábrica Rostvertol-Rússia

          ligue-o já por 6 anos à frente! basta perguntar ao exército iraquiano que comprou 30 desses helicópteros e como eles lutaram contra os terroristas

          exploradores MI-35M

          Russia
          Brasil
          Venezuela
          Cazaquistão
          Mali
          Nigéria
          Paquistão
          Azerbaijão
          Iraque

          MI-24 exploradores são mais de 100 países do mundo.
          ——

          Learn the stuff! Before you say something!

          Mi-35M produced at the plant Rostvertol-Russia

          turn on him already for 6 years ahead! just ask the Iraqi army that bought 30 such helicopters and how they fought against the terrorists

          exploiters MI-35M

          Russia
          Brazil
          Venezuela
          Kazakhstan
          Mali
          Nigeria
          Pakistan
          Azerbadzhan
          Iraq

          MI-24 exploiters are more than 100 countries of the world.

    • Eu discordo um pouco de vocês…

      Para quem usava Esquilo como heli de combate é um baita salto…

      Idem para quem usava o UH1 e foi para a Kombi

      Foi a melhor plataforma que poderíamos ter pego ? Certamente não..

      Mas se o limão esta aí vamos fazer a limonada..

  2. Então deixa eu ver se eu entendi. todo o pessoal envolvido achou que seria uma ideia grandiosa montar um centro de manutenção para 12 unidades em Belo Horizonte quando todos os 12 Helicópteros estão sediados em Porto Velho… (distancia total de 3 mil quilômetros)

    Alguém tem algum motivo para isso?

    Me pergunto até se eles não queriam colocar mais longe…

    • Qual o problema de se fazer as grandes revisões em Belo Horizonte?
      A manutenção nível base é feita em Porto Velho e não tem nenhum problema fazer as grandes revisões programadas em Belo Horizonte ou até colocar dois em um An-124 e mandar para a Rússia.

      • tempo e dinheiro perdido com o deslocamento das aeronaves a uma distancia tão grande. não acho que alugar um An-124 seja tão simples e barato, manter a base para grandes revisões mais perto iria economizar. não digo para deixar em Porto velho mas poderia estar mais perto.

        • Uma revisão praticamente a cada dez anos para apenas 12 aeronaves.
          Se bobear saía mais barato alugar o avião e mandar para Rússia do que montarem e manterem um centro em BH ou em Porto Velho.

        • Pode ser mais uma escolha estratégica, outros paises que operem helicopteros Mi na AL talvez possam fazer a manutenção aqui do que mandar pra Russia.

    • E daí? Não deslocam aviões da Amazônia para fazer manutenção no PAMA-SP? Queria que abrissem outro PAMA em Rondônia só para atender os MI-35? Qual a lógica?

    • Seria melhor para a Rússia e para Brasil abrir essa oficina no Peru, la eles operam helis russo e é nem mais perto de porto velho.

  3. Estou curioso pra saber onde fica, ou ficará, este centro de manutenção ou se fez junção a algum dos centros de manutenção aqui em BH ,possivelmente no aeroporto Carlos Prates. Tem uma obre(embargada por motivos políticos $$) de um aeroporto em Betim(onde moro) ,Aeródromo Inhotim, onde a Embraer já teria garantido um hangar e outras empresas do setor tbm ,até uma de fabricação de helicópteros, vai ficar a menos de 10 km de minha casa e pela posição da pista vai dar pra ver os grandões subindo e descendo, fora o som, só falta desembargar e retomar as obras.

  4. Eu pergunto:

    1º Se alem dos MI-35M da FAB, esse centro poderia ser usado na manutenção de outros helicópteros de países da America do Sul ?

    2º Sera que ha interesse da FAB em comprar um 2º lote desse modelo ?

    3º A utilização de helicóptero na função de interceptação traz algum desgaste extra ou prejuízo estrutural para a aeronave ? é o melhor jeito da FAB usa-la ?

    • 1) Possivelmente.
      2) Não. A aquisição dos Mi35M não era uma intenção da FAB. Atendeu a uma questão muito específica.
      3) Acredito que não. Ele é usado na interceptação de pequenos mono e bimotores, com velocidade inferior a 300km/h. O seu uso como aeronave de interceptação tem relação ao item 2. A FAB não planejou essa aquisição e vem procurando desenvolver uma doutrina operacional para a mesma, além de missões de apoio aéreo e ataque. A interceptação de tráfego aéreo ilícito e uso em operações C-SAR são duas dessas missões para as quais a aeronave não foi originalmente desenvolvida.
      O fato é que espero que o centro de manutenção no Brasil ajude a aumentar a disponibilidade da aeronave na rampa.

      • Alexandre Fontoura,

        Obrigado pelos esclarecimentos e como voce disse a FAB usa-lo em operações C-SAR parece bem adequado ja que esse helicóptero pode carregar tropas ou marcas de feridos.

        Por mim, so isso de ser usado em operações C-SAR ja justifica sua compra mesmo que em poucas quantidades.

        • Ele é limitado para salvamento por não ter guincho, mas não deixa de ser uma boa opção de helicóptero de ataque com capacidade de transporte.

    • O aparelho é bom, se não fosse não haveria vendas do mesmo !

      Acho que seria interessante termos um segundo lote sim.

      Esse negocio de manutenção etc eu acho que em alguns casos deve ser culpa do cliente e em outros pode até ser do fornecedor, mas ao analisar as operações na Colômbia, Iraque e Afeganistão podemos ver clientes que dão preferencia para os aparelhos russos !

  5. Curiosidade.
    Os MI-35M (AH 2 -Sabre) operam qual armamento além, claro, dos canhões de 23 mm?
    Recebemos casulos de foguetes de 80 mm? Mísseis ar-terra?
    Grato se alguém puder informar e indicar a fonte.

  6. Uma notícia de umas semanas, aqui mesmo na trilogia, dava conta de que os russos queriam aumentar as vendas de seus helicópteros civis aqui no Brasil. A empresa é a mesma nas duas notícias (Helicópteros da Rússia). Este centro de serviço poderia ser utilizado também para a manutenção de helicópteros civis, ou ele só serve aos militares?

  7. Boa Tarde!
    Uma vez vi duas aeronaves (AH2-SABRE) aqui em Curitiba (CINDACTA II), pensa em uma ANV bonita e imponente o som que ela faz só perde para o H1H (que é espectacular), me lembro de ter comentado com colegas sobre o ventilador, mais tirando isso foi a aeronave mais bonita que vi na FAB.

  8. Sinceramente, não entendo essa mania que se tem aqui no blog sobre esse vetor. Somente o fato de ser russo nao desmerece em nada.

    Tecnicamente, não vi nem soube de nenhum relatório ou informação de dentro da propria FAB que desabone o mesmo, muito pelo contrario.

    Eu considero esse vetor um dos melhores para operar no ambiente amazonico, tanto devido a sua capacidade de carga/pessoal como sua capacidade de prover fogo pesado de cobertura. Na minha opinião deveriamos sim adquirir mais unidades para operar naquele teatro, e distribuir em duas ou 3 bases para prestar apoio e ressuprimento de nossos batalhoes de fronteira na regiao.

  9. Algumas ponderações….

    1 – BH não foi escolhida por acaso. É em Minas Gerais o principal centro industrial de asas rotativas;

    2 – Com este centro de manutenção, espera-se que alguns dos problemas na demora dos serviços e logística para apoio à helicópteros de fabricação russa sejam sanados/diminuídos. Isto ajudaria na expansão da frota de helicópteros civis e militares. Será benéfico à FAB, como ao EB, caso resolva optar por algum modelo russo nas suas futuras aquisições, como no caso dos helicópteros de ataque (vale lembrar que o Mi-35 e Mi-28 têm muitas partes em comum – motores, rotores, pás e muitos sistemas embarcados, além de armamentos, são os mesmos);

    3 – O centro poderá ofertar serviços a diversos operadores latino-americanos destes aparelhos.

  10. Provavelmente os russos estão se mexendo por causa da concorrência de novos helis de ataque para a FAB e o EB.
    Não se pode negar que um centro de manutenção local é um trunfo, além do fato de já ser um tipo operado aqui.
    .
    Estranho os russos não terem feito tal centro durante o governo da PresidAnta.
    .
    Pode até exceder as necessidades, mas errar pelo excesso é melhor que errar pela falta. É um monstro cascudo, temido e provado em combate.

  11. Mania de reclamar de tudo. Não é a minha Força, mas nunca, vejam bem, nunca, vi qualquer comentário negativo sobre a máquina, vindo de elementos da FAB. Ao contrário. Tem até uma capitão, não sei se ainda está lá, bastante elogiada pela pilotagem deles.
    Foi um negócio da era Lula, sinônimo de obscuridade, mistérios e mutretas, mas quem bateu o martelo foi a FAB mesmo.
    E o tal centro em BH vai gerar empregos e expertise, talvez atraia mais negócios. Mais uns 12 não fariam mal algum no “litoral oeste”

    • entenda:militares não reclamam para civis. Eles fazem o trabalho com as ferramentas que lhes são disponibilizadas. Isto chama-se disciplina!

  12. Caros, em meu ver, e a parte as questões de ordem política que embasaram a aquisição destas aeronaves, a FAB poderia ter batido o pé e focado em dois outros vetores russos que seriam muito mais úteis nas tarefas da FAB. São eles: Ka-50 E Mi-26. O primeiro uma aeronave de ataque digna desse nome e o segundo um helicóptero de carga de respeito, que ia, a meu ver, ampliar a capacidade de mobilidade tática/estratégica da FAB.
    Abraço

      • Sim, existe, é só Você pesquisar antes de afirmar sem ter o devido conhecimento sobre o tema. Versão original de Ataque da Kamov, que desenvolveu depois o Ka-52, que é Biplace Lado a Lado, enquanto o Ka-50 é monoposto.

        • Modelo Ka-50 parou de ser fabricado em 2009.Acabou! Não existe mais…
          Foram fabricados 19 unidades (entre Ka-50 , Ka-50Sh , Ka-50N, Ka-50NE) e hoje não tem uma peca sequer em serviço do exercito ou VKS:
          – um caiu depois de 190 horas de voo;
          – outro – virou um monumento depois de 90 horas de voo;
          – o resto – esta em conservação ou servindo como laboratórios (bureau de Kamov e fabrica em Arseniev).So…
          Então explique com seu “devido conhecimento” como “a FAB poderia ter batido o pé e focado em Ka-50” se ele não existe(!!) mais ??

  13. Pelo que li em sites especializados, este centro de manutenção será usado como um trunfo para a aquisição de novos vetores Mi-35 ou mesmo os Mi-28NM.
    Sinceramente acho os helicópteros russos excelentes.
    O governo brasileiro deve ir à Rússia em novembro deste ano, e se o presidente do Brasil realmente for inteligente, ele aceita uma parceria para os helis russos.
    Sem mimi ideologico. Sempre optando pelo que for melhor pro Brasil ! Seja russo, chinês ou turco.

  14. Vamos ser curtos e grossos. Esses helicópteros (que são muito bons para o que foram projetados) foram comprados por motivo pura e simplesmente POLÍTICOS. Quem estava no pode à época da compra? Será que ele compraria os Cobras? Nunca.

  15. Carlos Alberto Soares se arrancou os cabelos; Flanker, foi chorar na cama; Agnelo, não se conforma e, por isso, bateu na esposa; Rinaldo Nery chutou o cachorro; HMS Tireless, teve que ser hospitalizado.

    Chorem na cama quentinha: a Rússia vai ganhar dinheiro aqui.

    Mas vamos ser realistas: dinheiro honesto, suado, ofertando um produto de qualidade e a um melhor custo/benefício.

      • Você é outro chorão. Quem chamou os russos para Síria, senão as políticas estúpidas dos EUA e seus asseclas, que englobam os companheiros de ideologia de direita como você, além dos bolsonaristas, olavistas, etc. E eu nem sei em qual tipo de direita pró-EUA você se enquadra, e nem quero saber, mas sei que é inteligente para perceber que “estão chamando” a Rússia para dentro da Venezuela e que eles, os russos, já estão lá. A guerra da Síria começou em 2011 e os russos só entraram lá em setembro de 2015; a guerra na Venezuela nem começou e os russos já vieram.

        Quando digo que a guerra na Venezuela ainda não começou, me refiro somente à guerra bélica, a parte militar. Porque, obviamente, a guerra midiática, política e econômica já começou há muito tempo, desde os tempos do Chavez. São as tais “guerras híbridas”.

        • Calma troll, calma…Só queria que você fizesse uma piada com papagaio também!
          Escrevendo tudo isso aí, você me mata… De tanto rir, hahahahah!

    • Kkkkk….não fui chorar na cama, não….li esse tópico há pouco. Então, vamos lá:
      Já escrevi muito a minha opinião sobre esse helicóptero na FAB….Nunca disse que o aparelho em si é ruim…pelo contrário, acho uma aeronave forte, resistente e bem equipada. O que eu critico é a sua compra, que não foi pedida, e sua alocação na FAB.
      Já citei isso em outro tópico esses tempos, mas cabe repetir aqui:
      “A FAB precisa reavaliar sua frota de helicópteros. O que precisamos é operar as missões SAR e C-SAR , além de um pequeno esquadrão para trans5as autoridades da nação. Todo o restante poderia até mesmo ser operado pelo Exército, que emprega o helicóptero em massa. Inclusive a frota de Mi-35, localizada em Porto Velho, seria mais bem aproveitada pelo Exército.” – Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, Comandante da Aeronáutica de 30/01/15 até o início de janeiro de 2019, em entrevista publicada na Revista Força Aérea número 115, página 54.
      Viram a sutileza da colocação dele, ao dizer “seria mais bem aproveitada pelo Exército”? Ele é um oficial general que ocupou o mais alto cargo possível na carreira. Ele nunca diria que a FAB não pediu esse equipamento. Ele, pela formação e característica militar, não questiona ordens superiores…e a aquisição desse vetor foi ordem superior, e o Comandante da Aeronáutica na época da aquisição desse vetor, agiu e pensou da mesma maneira: ordens superiores são para serem cumpridas. Pelo mesmo motivo, eu uso dessa colocação para rebater o comentário de alguns colegas aqui, de que ninguém da FAB falou mal do helicóptero. Isso vocês nunca vão ver! Militar não fala mal de equipamento. Até porque o aparelho em si não é ruim. Mas, problemas com suporte e suprimentos e de não ser um helicóptero de Força Aérea, vocês nunca vão ver um militar falando disso…pelo motivo que falei antes. Isso quer dizer que não houveram, ou há, problemas? Óbvio que não!
      Quanto à Rússia ganhar dinheiro aqui, por mim, não há problema algum…mas, vai ter que atrair outros operadores de outros países, pois 12 Mi-35, mais meia-dúzia de Mi-17 civis, acho que não vão tornar a empresa muito rentável por aqui. Se contam com novas compras do Mi-35 Para a FAB, podem esquecer…só se entubarem a FAB, de novo. Ou se o EB optar pelo Mi-28, o que não acho muito provável, apesar de não ser impossível.
      Para aqueles que defendem o uso desse helicóptero para C-SAR, volto ao que o Comandante Rossato falou, quando citou a função de C-SAR ser da FAB, mas afirmar que o Mi-35 deve ir para o EB. Por que isso? Porque esse aparelho não serve para essa função. Já viram o tamainho da porta que dá acesso ao compartimento de carga dessa aeronave? Viram como ela abre? Imagina desembarcar e reembarcar numa aeronave dessas, em uma missão C-SAR com possível, ou efetivo, fogo inimigo? C-SAR na FAB é com Blackhawk e com o Caracal (outra entubada, mas isso é outra história….e o heli francês se presta muito mais à função do que o russo).
      O Juarez falou uma coisa importante, também. Esses helicópteros foram entregues em 3 lotes…e cada lote tinha diferenças de equipamentos entre eles.
      Na minha opinião, já que o limão está aí, que se faça a limonada. A FAB opere da melhor maneira possível ou repasse para o EB….o canhão e os mísseis que ele porta são para atacar colunas de blindados….que é uma missão de Exército, não de Força Aérea!
      Enfim, essa é apenas minha opinião.
      Ah, ia me esquecendo: senhor, ou senhora, 100nick (é sem noção), eu gosto de equipamento bom…na função correta! Se é dos EUA e atende esses pré- requisitos, me satisfaz, pois sei que são bons equipamentos e possui muito bom pós-venda. Mas, já me viu ficar exaltante e escrever gracinhas porque os EUA podem ganhar dinheiro no Brasil? Não, né? Ao contrário de ti, que fica em êxtase pq o Brasil tem equipamento russo ou porque os russos podem ganhar dinheiro aqui. Não tenho essa psicopatia ….. sinto muito…. vc, muitas vezes, parece ter uns 12 ou 13 anos de idade…

  16. Em tempos de guerra ideológica de um governo que até agora esta se mostrando inapto para fazer as reformas ora prometidas, isso é uma vitória. Esperemos que eles não venham futuramente forçar a empresa fechar de modo que teremos que canibalizar outros Mil Mi 35 para manter uns poucos voando.

  17. Assim que o Exercito comprar os Super Cobra ou outro helicoptero de ataque de manutencao mais confiavel e com firnecimento de peças mais constante, pideremos vender os Mi para algum pais que o opere e que esteja contente com os servicos dos russos. Simples assim.

  18. O MI 35 são excelente aeronave, e outra para nossa realidade geopolítica e desnecessário a aquisição de um helicóptero puro de ataque como Apache ou Super cobra. Deveríamos adquirir mais MI 35 ou Black Hawk com kit de armamento que são helicóptero polivalentes.

  19. Os Russos mantém uma ampla oficina de Helis no Peru, vão montar outra aqui ?

    Dúvido.

    Talvez fazer essas manutenções no PERU saiam mais em conta.

    Sou a favor de encerrar com essas anvs no fim da vida útil.

    E que venham rápido os Cobras no 0800.

    Israel vai oferecer os Contas estocados ao Brasil no 0800,

    deram para Jordânia, porquê nao dariao ao Brazil.

    Cel Rinaldo Nery, Colombelli, Juarez e demais Colegas foristas:

    Os Mi 35 seriam mais úteis na BABV ?

  20. Melhor custo/beneficio para operar na Amazonia. Um unico vetor que permite unir poder de fogo e capacidade de carga numa unica plataforma. Para o ambiente amazonico, é perfeito.

    Para ter as mesmas capacidades que apenas um um vetor tem, a FAB precisaria de três unidades dedicadas (duas so para tropas e/ou suprimentos e outra de ataque).

    Se eu fosse sim comandante do Exercito, recebia essas 12 unidades e ainda comprava mais 12, dividindo os meios em duas bases, dr forma dar apoio a toda fronteira amazonica, e de quebra, faria uma parceria com a FAB para implememtar nas mesmas bases esquadrões de SUPER TUCANOS, dividindo assim os custos operacionais e garantindo uma rapida e forte força de combate conjunta e com excepcional fogo de cobertura.

    • “Para ter as mesmas capacidades que apenas um um vetor tem, a FAB precisaria de três unidades dedicadas (duas so para tropas e/ou suprimentos e outra de ataque).”
      .
      kkkkk… Tá bom.
      .
      “Se eu fosse sim comandante do Exercito, recebia essas 12 unidades e ainda comprava mais 12”
      .
      Sim… Claro, pq é assim que funciona.
      .
      “dividindo os meios em duas bases, dr forma dar apoio a toda fronteira amazonica”
      .
      Enxugando gelo “combatendo o narcotráfico”, seria essa a sua desculpa, que é a mesma desculpa FURADA da FAB?
      Torrar milhões pra caçar meliante com helicóptero de guerra, só pq tem canhão e FLIR????? Um H145M da vida, com metralhadora na porta e FLIR bancaria a missão com folga e teria ciclo de vida sustentando pela indústria nacional. Tudo muito mais racional e barato, sendo que poderia bancar outras trocentas missões.
      .
      https://sldinfo.com/wp-content/uploads/2017/12/DSC00027.jpg
      .
      “Aihm… mais num tem míssil AC”
      Dane-se!
      .
      ” e de quebra, faria uma parceria com a FAB para implememtar nas mesmas bases esquadrões de SUPER TUCANOS”
      .
      Perguntinha: Quanto é a grana gasta com essas aeronaves e sua estrutura??? Essa grana não poderia estar bancando horas e mais horas de voo de Super Tucano, mas está sendo rasgada TODO ano, com a operação e manutenção desses Mi-35???
      .
      Esse grana não é a grana que FALTA a FAB para operar mais UAVs, que são trocentas milhares de vezes mais importantes, por exemplo???
      .
      “dividindo assim os custos operacionais e garantindo uma rapida e forte força de combate conjunta e com excepcional fogo de cobertura.”
      .
      Bláh…
      Força de combate “excepcional” pra???? Nada… que é basicamente o que são as operações enxuga gelo.
      .
      Força Aérea está utilizando Mi-35M para C-SAR. ÚNICA desculpa rezoável para essas aeronaves existirem aqui. Mas aí tem as porcarias das Kombis, caríssimas e destinadas também a C-SAR…
      .
      H225M. Esse sim, um lixo… Poderíamos estar voando Chinook top de linha com o custo desse trambolho.

  21. Muitos citam o transporte em um An-124 como algo caríssimo, mas se colocar na ponta do lápis pode compensar levar ao fabricante ao invés de desenvolver uma cara linha de grandes revisões.
    Vejam por exemplo a Argentina e Venezuela, mandam seus Super Puma fazer a manutenção nível Parque no fabricante na França de An-124, é mais barato.
    . https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTZmE-QBPSVp68898ZgfBNj-jJX96H28xCgtVQLv6iaWtse8gPNUg

  22. Prezados,

    Criar doutrina de emprego conjunto com o Exército: 1-) apoiar a 4ª Bda Cav Mec (e os M-60), 2-) com a Brigadas do Sul, 3-) ou na caatinga, 4-) Em conjunto com a Brigada Paraquedista e as Forças de Ação Rápida – num hipotético cenário fronteiriço com a Venezuela 5-) etc. 12 naves cuspindo fogo e enxofre é uma força a ser considerada. Quem não tem cão caça com gato. Eu pensava… pensava… que o EMFA… hum…. acho que Estado-Maior Conjunto, organogramas… nem na teoria… imaginem na prática….

  23. VEJO COM BONS OLHOS, essa inauguração em BH.excelente helicóptero, que deu a fab uma capacidade de intervenção real em qualquer T. O . , A encomenda original era de 50 helicópteros Mi17 e 12 Mi35, . seriam distribuidos as 3 forças, mas a politicagem venceu a
    o conhecimento tecnico.
    , e trocaram por 50 puma francês,que as três forças tiveram ai sim que engolir e se virar pois esse helicoptero não era o que se precisava nas forças. O Mi 17 é pau pra toda obre e facil de operar. ótimo para a antartida e até os EUA compram deles para o afeganistão.
    Como o exercito e a marinha(burrice era ótimo para apoio aos fuzileiros) não quiseram , coube a FAB ficar e não se arrependeram,melhor seria para o exercito e marinha padornizar tudo nesse bom helicoptero, e não ficar atras do cobra americano(que é muito bom) porque vem junto uma presilha com a escrição” SLAVE”. Não tomo partido,só vejo o lado tecnico de se ter uma maquina dessas.

  24. Sugiro ao editor fazer matéria sobre a manutenção destas aeronaves russas no Brasil até a data presente para colocar as coisas no lugar e dirimir a controvérsia sobre o assunto.

  25. Tem certas coisas que não entendo.
    O único Héli que dispomos capaz de acompanhar e prover apoio de fogo (inclusive com míssil Atgm) a uma FT blindada é o MI-35.
    E ficam aqui desdenhando de que ele não está adequado a nossa “doutrina” ou que o “padrão” de manutenção não atende aos requerimentos.

    A possibilidade de virmos a precisar de um MI35 é mil vezes superior ao que teríamos para usar o M109, mas que foi recebido por ser uma oferta “irrecusável”.

    A assim vamos nós….

    O mesmo sujeito que bate no MI35 baba para os Marruá!!!

    • Amigo, não ficam aqui “desdenhando”. Os colegas estão repetindo as opiniões dos nossos militares.

      O helicóptero pode ser muito bom, mas é adequado para missões que o nosso pessoal não faz. Não temos ameaças de tanques e para transporte existem outros modelos que transportam mais por um custo menor.

      • Amigo
        Apenas para esclarecer
        Atgm tem um emprego muito mais vasto do que eliminar ameaças de tanques.
        Qualquer golpe de mão seria adequado tem uma plataforma armada e blindada.
        Qual heli temos para isso?????
        Quais as missões “que nosso pessoal faz”??

  26. Acho as vezes patética as análises aqui o Brasil e um país que ainda não se resolveu quanto a conceito doutrina entre as forças,no mundo afora asas rotativas armadas estão sempre a cargo da força terrestre e marinhas, asas fixas armadas ou não na força aérea e marinha .. aqui no Brasil ainda existe a ladainha onde a pouco tempo foi liberado uso de asa rotativa desarmada para o exército . A marinha também a pouco ganhou direito de operar asa fixa armada ..me parece q a FAB não larga o osso .nisso estamos c9m 50 anos de atraso

  27. Se não houvessem planos para helicópteros de ataque o Brasil não estaria testando no mundo todo… Se o Mi-35 não é bom o suficiente (o que duvido), logo a FAB estará continuando a doutrina que ele abriu…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here