Home Aviação Executiva Embraer entrega o 500º Phenom 300, o jato executivo mais bem-sucedido da...

Embraer entrega o 500º Phenom 300, o jato executivo mais bem-sucedido da década

2815
44

Melbourne, EUA, 25 de março de 2019 – A Embraer Aviação Executiva entregou o 500º jato da série Phenom 300. De acordo com relatórios da GAMA (General Aviation Manufacturers Association), entidade americana que representa o setor, o Phenom 300 é o único modelo de jato executivo a alcançar esta marca na última década. O Phenom 300 tem o melhor desempenho na classe light com sua velocidade, alcance, conforto e tecnologia. Sendo o jato leve mais veloz e com maior alcance, o Phenom 300 estabeleceu vários recordes de velocidade, aferidos pela NAA (do inglês, National Aeronautic Association) e pela FAI (do francês, Federation Aeronautique Internationale).

“O Phenom 300 tem gerado fascínio desde sua chegada no mercado e sua grande popularidade nos desafia ainda mais a continuar a elevar a experiência do cliente”, disse Michael Amalfitano, Presidente & CEO da Embraer Aviação Executiva. “Essa entrega de marco histórico para um cliente do Phenom 100 com experiência em propriedade compartilhada de aeronaves reitera a verdadeira inovação que o Phenom 300 traz para clientes individuais, empresas, além de operadores de aviação na Economia do Acesso”.

A versão entregue hoje e que alcança o marco histórico é o Phenom 300E, a mais nova edição do jato leve mais popular. O Sr. Freeman Pickett III recebeu sua aeronave na Embraer em Melbourne, na Flórida, EUA, e disse: “O Phenom 100 nos serviu muito bem para nossas viagens pelo centro-oeste dos EUA, mas quando começamos a voar mais, com mais passageiros e para destinos mais distantes, começamos a utilizar um Phenom 300 ao qual tínhamos acesso. O Phenom 300E tem a velocidade, o alcance e a capacidade de que agora precisamos, inclusive a operação por piloto único — algo muito importante para nós —, com o espaço e o conforto de cabine para todos a bordo, incluindo o espaçoso bagageiro. A tecnologia de cabine de passageiros é sem igual e elegante, e a conectividade é muito conveniente”.

O Phenom 300E tem designação “E” anexa à marca em referência à herança do Design de DNA da Embraer, que primeiro foi implementado nos jatos médios Legacy 450 e Legacy 500.

O novo design do interior criou uma cabine ainda mais espaçosa e conforto sem igual, com mais opções de personalização na classe de jatos médios e ainda maior facilidade de manutenção.

O Design de DNA da Embraer introduziu o exclusivo Upper Tech Panel, painel tecnológico no teto da cabine de passageiros, com sistema de gerenciamento da cabine no estado da arte, nice® HD CMS/IFE, da Lufthansa Technik.

Originalmente lançado em 2005, o Phenom 300 entrou no mercado em dezembro de 2009 e tem sustentado mais de 50% de participação no segmento de jatos leves desde 2012. A aeronave está em operação em mais de 30 países e sua frota já acumula mais de 800 mil horas de voo em mais de 600 mil voos ao longo da última década, transportando quase 2,5 milhões de passageiros em uma distância de 13 vezes a circunferência da terra, o equivalente a uma viagem de ida e volta à Marte. Na média, um Phenom 300 decola a cada 3,5 minutos em algum lugar no do planeta, somando mais de 400 voos diários. Só em 2018, o Phenom 300 completou quase 150.000 voos.

Ao longo dos últimos cinco anos, a frota do Phenom 300 dobrou de tamanho, crescendo a uma taxa média acima de 18% e com um aumento de utilização 30% superior ao crescimento da frota. Entre programas de propriedade compartilhada, o Phenom 300 representa a maior frota e a maior base de clientes.

Phenom 300E

Sobre o Phenom 300E

O Phenom 300E tem desempenho entre os melhores jatos da categoria leve, com velocidade máxima de cruzeiro de 453 nós (839 km/h) e um alcance de 3.650 quilômetros (1,971 milhas náuticas) com seis ocupantes nas condições NBAA IFR. Com a melhor razão de subida e desempenho de pista da sua classe, o Phenom 300E tem custos de operação e de manutenção menor do que seus concorrentes. A aeronave voa a uma altitude de 45 mil pés (13.716 metros), propulsionada por dois motores Pratt & Whitney Canada PW535E, com 3.360 libras de empuxo cada.

O Phenom 300E oferece uma cabine espaçosa com o DNA de design da Embraer e um dos maiores bagageiros de sua categoria. As maiores janelas de sua classe proporcionam luz natural abundante na cabine e no toalete. O conforto dos assentos, com capacidade de reclínio e amplo movimento é acentuado pela melhor pressurização de cabine entre os jatos leves (altitude máxima de 6.600 pés). O Phenom 300E oferece zonas de temperatura distintas para pilotos e passageiros, uma ampla galley, opções de comunicação de voz e de dados e um sistema de entretenimento.

A cabine de comando permite operação por um só piloto e oferece a opção avançada Prodigy Touch Flight Deck. Os recursos tipicamente encontrados em categorias superiores são ponto único de reabastecimento, manutenção externa do toalete e uma elegante escada.

Sobre a Embraer Aviação Executiva

A Embraer é uma das maiores fabricantes de jatos executivos do mundo, tendo entrado neste segmento de mercado a partir de 2000, com o lançamento do jato Legacy. A Embraer Aviação Executiva foi constituída em 2005. Seu portfólio, um dos mais amplos da indústria, é formado pelos jatos Phenom 100EV, Phenom 300E, Legacy 450, Legacy 500, Praetor 500, Praetor 600, Legacy 650E e Lineage 1000E. A frota da Embraer Aviação Executiva excede a marca de 1.300 jatos, que estão em operação em mais de 70 países. Os clientes são apoiados por uma rede global de 70 centros de serviços entre próprios e autorizados, complementados por um Contact Center 24/7. Para maiores informações visite executive.embraer.com

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

44
Deixe um comentário

avatar
8 Comment threads
32 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
14 Comment authors
FulcrumArthurRafael OliveiraChrisFred Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Parabéns à Boeing.

sagaz
Visitante
sagaz

Parabéns aos brasileiros que projetaram e construíram, ao contrário de quem fica sentado na frente de um computador digitando bobagens… Já leu o que foi vendido à Boeing inclusive ou o complexo de vira-latas não deixa? Pesquise que achará: “A Embraer manterá seu setores de jatos executivos e de defesa, mas uma joint venture para o cargueiro KC-390 também será explorada….”

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Projetaram sim mas não construíram. Ele foi construído na fábrica da Flórida, com mão de obra americana.
Como não sou americano nem acionista da Embraer posso dizer que, para o Brasil, isso não significou nadinha.

Carlito
Visitante
Carlito

01) A Embraer é a empresa sediada no Brasil, registrada no Brasil, e atuando sob as leis brasileiras. 02) Como toda e qualquer empresa globalizada, e Embraer mantém fábricas em outros países. 03) A parceria, venda, doação ou seja lá o que for entre Boeing e Embraer envolve apenas a divisão de aviação comercial. A divisão de aviação executiva, até segunda ordem, permanece como está. 04) A aeronave em questão nesta matéria foi projetada e desenvolvida pela Embraer. Ela foi montada nos EUA, mas toda a fuselagem foi fabricada em Botucatu. 05) Chega de choradeira. Esse papo de “huuummm, a… Read more »

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

E quem está chorando?
Vocês é que ficam nervosinhos quando alguém critica.
Negócios são negócios, no Brasil ou em qualquer país do mundo.
Só acho, e vou continuar achando, besteira enaltecer conquistas que não são nossas (do país).

Groselha Vitaminada Milani
Visitante
Groselha Vitaminada Milani

Qual é a vantagem de distorcer os fatos?

Você faz parte da velha imprensa que defende a velha política.

Se não tem nada pra fazer, fique na sua.

Se tem então crie seu site de fake news e factoides!

Está no site errado, e na resenha errada!

Camargoer
Visitante
Camargoer

Parabéns á Boeing (2)

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

Overdose de Grozelha faz mal.

Não abuse … kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tem cada xarope socialista que me aparece nesse site!

O xororo e mimimi é livre!

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fabio. A questão sempre terá sido perder a única grife brasileira de alta tecnologia reconhecida no exterior. Já mostrei em outros comentários que a Embraer(a) era responsável por cerca de 10% do superávit da balança comercial brasileira, respondendo por 1% das exportações. Não há como adquirir iPhone vendendo sandálias havaianas. Parabéns à Boeing pela aquisição.

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

Prezado Camargoer, A Embraer desde de 1994 é do mundo, e até a Dassault já foram um dos donos da Embraer. A Embraer como empresa privada tem seus acionistas como dono e os donos tem direito de abrir, fechar, vender, comprar … enfim fazer o que bem entenderem com a empresa. Empresa Capitalista visa o lucro e o lucro gera emprego e re-investimentos. Quando não há lucro, prejuízo, produtos são descontinuados, linhas de produção fechadas e desemprego. Somente no Comunismo Socialismo é que se produz e não se está preocupado se da ou não lucro. Da-se empregos e governos mal… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fabio. Você poderá confirmar que a Embraer(a) ter respondido à quase 10% do superavit brasileiro e a 1% das exportações. Também á fácil confirmar que a balança comercial brasileira é deficitária em dispositivos eletrônicos (e medicamentos). Ainda mais fácil é verificar que o valor agregado em aviões, smartphones (e medicamentos de última geração) é maior que o valor de commodities como minério de ferro, soja, proteína animal… até o óxido de nióbio grau óptico é mais barato que quimioterápicos. Também é fácil verificar a ausência de grifes “made in Brazil” no comércio mundial. A sua pergunta é muito boa.… Read more »

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

O Brasil não pode ser balizado por uma empresa ou um ramo de atividade como sendo um motor para Economia e o PIB. Embraer e seus acionistas não tem que responder e nem a responsabilidade sobre quase 10% do superavit brasileiro e a 1% das exportações. E muita gente confunde MADE IN com BUILD IN. Agora faça uma pesquisa de qtos % de cada avião da Embraer é produzido no Brasil e qtos % são de produtos e peças importadas???? Kodak era líder de mercado, lançou a tecnologia digital de imagem e faliu. A Embraer qdo estatal vivia no prejuízo… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fábio. Já coloquei aqui no blog a Embraer(a) importava cerca de US$ 2,5 bilhões e exportava cerca de US$ 4,2 bilhões, para um superávit da balança comercial da ordem de US$ 19 bilhões. Ano passado, o setor industrial foi responsável por cerca de 12% do PIB, similar ao período anterior à JK, O setor industrial já contribuiu com mais de 20% do PIB.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

A desindustrialização é um fenômeno ocidental, com migração das empresas e empregos para o terceiro setor.
Esse superávit usado por você é de 2015, durante um tenebroso mandato presidencial. De 2016 para cá os números foram bem maiores e em 2018 o superávit foi de US$ 58,3 bi.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Rafael, como comentei abaixo, usei os dados de 2016 que estão consolidados e disponíveis. Nem o ministério do comércio exterior nem a Embraer(a) divulgaram resultados de 2017. Se você os encontrar, eu agradeceria bastante. A desindustrialização está ocorrendo em países industrializados, mas no caso brasileiro esta ocorrendo de modo prematuro e acentuado (recomendo as análises do IEDI e FIESP). Além disso, o terceiro setor está crescendo a uma taxa inferior ao da desindustrialização (que resultou em aumento da taxa de desocupação para mais de 11% (IBGE). Em relação ao ponto que mencionei sobre grifes e marcas, é fácil lembrar… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Colega. As exportações de aviões e turbinas dos EUA em 2017 foram cerca de US$ 130 bilhões (Boeing e Lockheed juntas, algo em torno de 5% das exportações dos EUA. O superavit neste setor foi de cerca de US$ 80 bilhões, lembrando que a balança comercial dos EUA é deficitária). Isso representava 40% do mercado mundial (A Embraer representava 1,2%). Para comparação, a Apple é a maior exportadora dos EUA (US$ 300 bilhões). A Boeing responde por cerca de 1,8% das exportações dos EUA. Quando os dados são comparados, uma conclusão é que a Boeing é nos EUA mais… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Caro Camargoer, dizer que a Embraer responde por quase 10% do superavit brasileiro é uma afirmação equivocada. Ela e outras empresas exportam, assim como outras importam e há um resultado (que pode ser um superavit ou um déficit). Pegar esse valor, no caso do superavit e dizer que a Embraer é responsável por 10% dele significa dizer que outras empresas não contribuíram para o resultado. Ou eu poderia usar outros setores e dizer que petróleo, soja e ferro foram responsáveis por 134% do superávit comercial, o que ficaria sem sentido. Em 2019 o Brasil exportou US$ 239,5 bi e teve… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Rafael. Usei os dados de 2016 que são aqueles em que encontrei dados da balança comercial total, por setor e dados da publicados pela Embraer(a). Não seria correto usar dados de anos diferentes, assim como não faz sentido usar dados parciais (estamos em março de 2019). Em 2016, cujo dados comerciais estão consolidados e disponíveis, o superavit da balança foi de US$ 19 bilhões (exportação menos exportação). A Embraer(a) exportou nesse ano US$ 4,3 bilhões e importou US$ 2,5 bilhões, o que dá uma diferença de de US$ 1,8 bilhões a favor das exportações,anos que é cerca de 10%… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Dados da balança comercial brasileira de 2018 são relativamente simples de achar, tanto notícias quanto no site do MDIC. Da Embraer eu não achei. Porém, como a Embraer não vem crescendo (a Embraer é um mau investimento, com dividendos baixos e pouca valorização das ações), dá para se presumir que os números dela pouco mudaram, de forma que a contribuição dela é bem menor do que outrora. O meu ponto é que exportadores de soja, minério de ferro e petróleo contribuem muito mais com a balança comercial do que a Embraer e por isso apontei como errado dizer que ela… Read more »

Chris
Visitante
Chris

Parece que finalmente avisaram ele que groselha ê com “S” !

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

E o que a Boeing tem a ver com a notícia heim…?????? Comentário sem noção com o único intuito de provocar a discórdia. Ridículo.

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

Phenom 300 MAX 8 e MAX 10!!!!

KKKKKKKKKKKKKKKK.

Precisam se tratar de Boeing fobia.

Groselha Vitaminada Milani
Visitante
Groselha Vitaminada Milani

Overdose de Grozelha faz mal.

Não abuse … kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tem cada xarope socialista que me aparece nesse site!

O xororo e mimimi é livre!

Arthur
Visitante
Arthur

Ainda bem que não decidiram incluir como “surpresinha” o sistema MCAS.

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Só mais uma informação de um vira-latas que se preocupa em não escrever bobagens na frente do computador, mas pesquisa antes. Em 2011 a Embraer inaugurou sua fábrica, ou linha de montagem, em Melbourne – Flórida, transferindo a montagem dos Phenom-100 e, em 2012, a dos Phenom-300. Em 2012 também começaram as obras de construção do Centro de Engenharia e Tecnologia neste mesmo local. Em 2016 transferiu a linha de montagem do Legacy para esta mesma fábrica. Então amiguinhos, antes de encherem a boca e cantarem louvores à brasileira Embraer saibam que, pelo menos nesta linha de Jatos Executivos, o… Read more »

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Marcello…. quanta desinformação, meus Deus!!! Meu amiguinho… deve-se sim encher a boca e enaltecer esta conquista sim, e muito. Só para corrigir alguns pontos! 1) A propriedade intelectual do Phenom é da Embraer. Foi criada, desenvolvida e aperfeiçoada em sua maioria por brasileiros, no Brasil. 2) A maior parte dos empregos gerados na produção dos jatos Phenom está no Brasil e não nos EUA. Toda a Estrutura (Asa, fuselagen, estabilizadores, nacele dos motores) são fabricadas aqui, assim como trens de pouso, reservatório hidráulico, válvulas e etc. Nos EUA fazem apenas a montagem final. Seguindo seu raciocínio não há que se… Read more »

Groselha Vitaminada Milani
Visitante
Groselha Vitaminada Milani

Capitalismo é livre, livre comércio e livre produção e livre venda!

Não vejo nenhum americano questionando a Boeing na Europa, ou mesmo na Asia.

Não vejo nenhum europeu questionando a Airbus nos EUA, Canada e nem mesmo na Asia.

Precisa se tratar velho … ou procurar outro site. Aqui não é lugar de fake news, mimimi ou xororo.

está muito chato. Se toca … já deu!

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Groselha. Coloquei alguns dados do comércio exterior dos EUA relacionados com a Boeing, uma empresa que contribui com cerca de US$ 80 bilhões em superávit para uma balança deficitária como a dos EUA. O capitalismo livre que você menciona é característico do pré-guerra e era baseado na produção industrial. Galbraith escreveu um excelente livro que foi transformado em documentários disponíveis no YouTube “A era da incerteza”. Talvez seja um bom ponto de partida.

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Capitalismo no mundo real é um jogo do acumulo e não do troca troca. Quem troca capital por consumo e serviço vira cliente e pior ainda é ser cliente de banco estrangeiro. E sim vejo vários países se autocriticando por venda de empresas e questionando a entrada de empresas estrangeiras nos seus países. Liberal radical tem até apelido e se chama cucks.

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

E, a bem da verdade, cabe informar que a fuselagem e outros componentes do Legacy ainda são produzidos no Brasil e enviados para a montagem final na fábrica de Melbourne.
Então algum ganho ainda resta neste tipo de aeronave.
Pelo menos por enquanto!

Groselha Vitaminada Milani
Visitante
Groselha Vitaminada Milani

Tem grana????

Compra a Embraer e faz do jeito que tu sabes mais que os outros!

Isso é doença!

marcelo lima
Visitante
marcelo lima

Boa tarde. O texto esta errado quando diz que 13 vezes a circunferência da terra equivale a distancia entre a mesma e Marte. A diferença é muito maior.

Mathrus
Visitante
Mathrus

Hmm então agora odeiam a Embraer é isso mesmo?

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Mathrus….

É isso. A Embraer que não fará parte do acordo com a Boeing sofrerá o ódio descabido de alguns que a adoravam antes. Mesmo não tendo nada a ver com a Boeing, a parte que ficar separada vai ser mau falada neste espaço pode contar. Cada novo avião desenvolvido, cada nova venda, cada nova conquista histórica será alvo dos “Marcellos” da vida. Engraçado que são os mesmos que criticam o tal “complexo de vira-latas” que fazem os comentários cheios de “vira-latice”…

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Fica nervosinho não. Discordâncias fazem parte…

Groselha Vitaminada Milani
Visitante
Groselha Vitaminada Milani

Pior que um analfabeto é um analfabeto funcional!

Analfabeto funcional é aquele que sabe ler e não entende o que leu?

Acho que você leu e não entendeu! Correto?

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Mais um nervosinho. Parece que os donos da Embraer estão chegando. Divirtam-se…

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Sim, só vão produzir mini bufalos, balões metereologicos e aviões agrícolas, grande orgulho.

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Embraer delivered its 500th Phenom 300 aircraft this week, becoming only the fourth business jet model to reach 500 deliveries. The Phenom 300 joins the Gulfstream G550, Bombardier Challenger 300/350, and Cessna Citation II.

Mas isso não vale nada não é mesmo?!?!

Fred
Visitante
Fred

Com a metade de tempo em produção, 10 anos, já bateu o Bandeirante, que levou 22 anos para multiplicar 498 unidades.

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Parabéns à boeing.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Fulcrum… Mais um vira latas.

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

E você continua nervosinho. Aceite que a devoção à Embraer não é unanimidade que dói menos.

Chevalier
Visitante
Chevalier

A venda da Embraer (ou de boa parte dela) será sempre uma mancha na reputação dos generais, que deixaram isso acontecer.