Home Aviação de Ataque VÍDEO: Saab Gripen E 39-10 realiza teste de motor

VÍDEO: Saab Gripen E 39-10 realiza teste de motor

17164
89

A Saab divulgou vídeo do terceiro Saab Gripen E, o 39-10, realizando teste de motor.

No Programa de Testes do Gripen E, os protótipos 39-8 e 39-9 estão servindo como plataforma para a Flight Test Instrumentation (FTI) e para testes de sistemas.

O 39-10 aferirá o peso correto da aeronave, e também testará a plataforma e sistemas.

Os Gripens E 39-9 e 39-10 se beneficiaram com computadores novos e atualizados, melhorando ainda mais a capacidade da aeronave, em relação à primeira 39-8. A 39-7 era o demonstrador do Gripen NG, um Gripen D modificado.

O Gripen 39-10 deverá ser seguido pelo primeiro avião da Força Aérea Brasileira, que está em fase final de montagem na Suécia.

Programa de Testes do Gripen E
Subscribe
Notify of
guest
89 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

O fechamento e abertura do canopi são motorizados? Pensei que o motivo da abertura lateral seria justamente simplificar a aeronave e reduzir peso.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Caro Colega. Em uma discussão muitos anos atrás, surgiu essa pergunta sobre a abertura lateral do canopi do F39 que é contrária a maioria dos caças ocidentais. Creio que a resposta foi dada por um oficial piloto da força aérea sueca. Toda a doutrina, treinamento e equipamentos auxiliares de solo haviam sido desenvolvidos na Suécia há muitos anos atrás. Trocar o lado de abertura do F39 obrigaria a rever tudo. Foi mais simples e barato manter o padrão dos caças suecos antigos. Nada especial.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Caro Colega, caso seja do seu interesse, poderá resgatar esta entrevista sobre o F39 aqui no PA. O problema é que isso já faz algum tempo e são centenas de post´s sobre o F39. Consegui ao menos puxar de memória a explicação para a posição de abertura do canopi. Por ouro lado, se preferir a sua versão, tudo bem também. Imagino que não teria sido difícil para os engenheiros da SAAB projetar uma cabine nova que pudesse ser aberta pela direita ou pela esquerda. Eu tenho a impressão que a posição das travas é uma consequência da escolha do lado… Read more »

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Sabemos que o protótipo 39-10 já é representativo da versão de produção em série. Por isso, fiquei muito curioso quanto ao “corrected weight”, pois essa aeronave foi construída após o congelamento do desenho, após a critical design review…

Rafael
Rafael
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Por mais que os sistemas computacionais estejam modernos, é sempre bom adicionar uma etapa pra verificar se o equipamento físico possui as mesmas características e capacidades do que foi previsto durante o desenvolvimento.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Talvez os protótipos 39-08 e 39-09 não tenham ainda todos os sistemas das aeronaves de produção já instalados, o que não permitiu ainda avaliar com acurácia a distribuição de pesos. Imagino que são imputs importantes no gerenciamento dos sistemas de vôo.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Adriano RA
1 ano atrás

Isso (o peso vazio) eles já sabiam, Adriano. O que eu quero saber é até que ponto foi eficiente o “regime” para a redução do peso vazio obtido no protótipo 39-10, em relação aos anteriores. No JAS 39C, por exemplo, a Saab economizou 300kg apenas mudando o tipo de tanques de combustível internos, para um modelo mais leve, o que permitiu ganhar espaço para transformar o peso economizando em mais combustível interno.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Parte da massa embarcada nos 39-8/9 refere-se a sistemas para monitoramento especificos de testes, o que tambem implica em distribuiçoes diferentes daquela do arranjo final. Parece pouco, mas é significativo, uma vez que pretende-se ser o mais rigorosamente possivel representativo da soluçao final. É interessante notar que a variaçao de parametros ao longo do voo é muito significativa tambem, ou seja, quando, por exemplo, vc alija um missel ou tanque de combustivel ha uma resposta dinamica do conjunto diferente do prototipo que efetue uma operaçao similar porem dotado com unidades/sistemas de testes, que podem ter massa de dezenas de quilos.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

Lembrando que, em uma manobra de 9g, cada Kg é multiplicado por 9. Imaginem o impacto em todos os sistemas que gerenciam o vôo. Não dá pra acertar tudo isso somente com desenvolvimento in silico.

Diogo de Araujo
1 ano atrás

lembrando que a unidade de Newton é Kg.a/A, ou algo assim sei lá, e ali em cima são 98 fucking kilo Newtons ou seja 98 x 10^3 N

Dodo
Dodo
Reply to  Diogo de Araujo
1 ano atrás

Sim

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Está quase pronto o matador de Sukhois.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Difícil dizer que será um matador de Sukhois, mas se o Gripen C padrão MS20 já ficou bom, imagino que a versão E será um caça de respeito.

Jorge alberto
Jorge alberto
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

A Venefavela esta ali do lado p testarmos…. Hehe

filipe
filipe
1 ano atrás

Pena o Gripen não ser Stealth como o F-35 , senão seria o melhor caça da actualidade… O melhor nesse momento é o F-35 que é 100% Stealth…

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  filipe
1 ano atrás

Mas dos caças de geração 4++ pra baixo, será o com menor RCS se não estou enganado. O que já é muito, muito significativo!

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás

Exatamente.

SAULO MARTINS
SAULO MARTINS
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás

Uai eu vi uma noticia em jornal que fabe tinha desenvolvido uma tinta que reduziria a assinatura rcs das aeronaves , e que tinta tinha um resultado tão bom quanto aquelas desenvolvida pelos Estodos Unidos e da frança , mais usava outra formula, será que a fab vai utilizar ela na pintura dos gripes.

Denis
Denis
Reply to  SAULO MARTINS
1 ano atrás

Verdade. Algum dos senhores editores teria novas informações sobre este assunto?

Heli
Heli
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás

Os suecos usaram varias técnicas para deixá-lo menos visível ao radar: 1-Tamanho reduzido. Durante o inicio dos anos 90, F16 detectavam F15 antes de serem detectados por eles, devido ao seu menor tamanho (e também pela turbina ser escondida por um ducto, as pás das turbinas refletem como arvore de natal num radar) 2-Tanques externos de combustível não são circulares, como nos Rafale, Eurofighter, F16, F15 e F18, são meio que quadrados. Veja, por exemplo o POD externo de armas do Super Hornet III… segue a mesma tendencia geométrica. 3-O enflexamento das asas e canards tem o mesmo angulo. Por… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  filipe
1 ano atrás

Melhor em qual termos? Preço? Tres Gripens E sao piores do que tres F35? Tempo de recolocaçao em batalha na estrada de terra improvisada como base ?

filipe
filipe
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

Rommelqe os dois (f-35 e Gripen NG) são os vetores mais recentes do mundo da aviação de caças ocidentais, o preço final exacto ninguém sabe ao certo, é tudo dedução e especulação , pode ser que fica mais caro , ou mais barato (supostamente o Gripen tem a melhor relação custo-beneficio, com 7500 USD por hora de Voo, e o F-35 tem quase 30 000, mas pode ser especulação industrial dos fabricantes, ninguém sabe, ainda são poucas unidades em operação ), Israel já usou o F-35 na Siria, e num recente exercício militar nos EUA, o F-35 deu porrada em… Read more »

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

Acrescento o fato que aviões Stealth são para as primeiras horas de uma guerra. Depois, conquistada a superioridade aérea, o “piano” será carregado pelos caças de 4ª e de 4++ geração. Mesmo o F-35 foi planejado para levar pilones para cargas externas sob as asas, abandonando o perfil stealth e participando de outras missões, onde o fator stealth não é necessário.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  filipe
1 ano atrás

Caro Filipe, vou tentar contextualizar: se fosse uma missao de ataque a Tripoli com um elemento de F35 A decolando de Lisboa eu concordo contigo. Agora se for um dogfight de um elemento contra quatro SU27 decolando de Boa Vista, às 4 da manhã, em dia chuvoso e a 45graus C, eu sou mais Gripen.

Kemen
Kemen
Reply to  filipe
1 ano atrás

F-35 como melhor furtivo, acredito que seja.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  filipe
1 ano atrás

Não existe tal coisa como 100 por cento furtivo, a menos que seja invisível… Literalmente invisível…. O correcto seria:o f35 é mais furtivo que o Gripen.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Caro DSC, embora respeite muito seu ponto de vista, gostaria que vc definisse melhor de qual dos tres muitos distintos entre si F35 que voce (e o Nine e o Filipe) esta falando. Claro que a propria LM (e cia limitada) achou que qualquer uma das tres versoes do F35 nao era a mais perfeita em qualquer cenario e qualquer missão, certo? A propria USAF nao pretende descontinuar os F22 e F15 em favor do F35A nem a USN acabar com o SHF 18 e os mariner entao? Pergunta para os israelenses ! Nao estou desmerecendo o (s) F35 embora… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

Vejam o post do aereo a respeito das encomendas dos novos E-15 para a USAF….

José Marco Fernandez
Reply to  filipe
1 ano atrás

Muito boa colocação mas é bom lwmbrar que nosso institudo de pesquisa aero espacial desenvolveu uma tinta para Avões de caça que tem a função stealth. Com a baixa assinatura que o GRIPEN já tem em sua forma normal ele terá. mesnos assinatura radarse tornando o mais stealth dos caças de 4ª ++GERAÇÃO. Ai Meu amigo quero ver um Su35 pegar em seus radares um Gripen.
É ou não é um matador de Sukhoe?!!

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  José Marco Fernandez
1 ano atrás

José, vai lá fazer guerra com um avião stealth a base, puramente, de tinta “especial”, high tec, made in brasil. Boa sorte. Nenhum avião vai ficar stealth, só e apenas, pela tinta. A tinta ajuda, os russos dizem que a sua também “é das boas” e concerteza será, mas…. Daí para dar grande realce a isso…. “vale a pena relembrar”? O que? Que o Brasil, a semelhança de outras nações pinta os seus aviões com algo que lhes dê menor RCS? Isso não é inedito. Diria que nesse tópico em particular a única coisa de real interesse é que o… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

De resto, sim, concordo que o Gripen deverá apresentar baixa assinatura e boa furtividade dentro da sua geração, o seu design contribui assim como o seu aspecto “franzino” e aligeirado, ele não é um avião grande e somando isso as técnicas e design aplicados, torna o gripen uma boa plataforma nesse quesito. O Rafale, apesar de não ser muito amado por aqui, é também considerado uma plataforma incrivelmente bem posicionada nesse quesito e muito elogiada (pondo patriotismos de lado) inclusive nos Estados Unidos. Com diversos parâmetros ainda classificados e secretos, o avião francês a simples “olho nu”, facilmente se identifica… Read more »

Alex Nogueira
Alex Nogueira
1 ano atrás

São praticamente 10 ton. de puro poder, em um “shape” totalmente aerodinâmico, mal posso esperar pelas informações sobre o supercruise 😀 .

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

O motor em si não terá problemas, o excelente GE 414.

A integração dele na anv como um todo é o x dos testes.

Mauricio R.
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Se fosse a EJ-200, seria bem mais nervoso.
Esse -414 é devagar e sempre, não é assim uma motorização arisca.
Agora se fosse a F-119, sem dúvida nenhuma seria uma nave estelar.
Da F-135 nem falo, o F-35 nem sabe direito o que é que ele próprio é.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Mauricio R.
1 ano atrás

Discordo, Mauricio. O F414 é um dos melhores motores de caças da atualidade. Não sei o que você quer dizer com esse “devagar e sempre”.

Mauricio R.
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Se você realmente conhecesse do riscado, eu diria pra você pesquisar os testes em altitude na Índia, durante a concorrência MRCA, aquela que “Le Jaca” venceu e depois de 3 anos não levou. Ou a lista das melhores aeronaves de superioridade aérea do site Hush Kit, o SH não é lá muito bem quisto justamente devido a motorização. O -414 motoriza uma plataforma otimizada para interdição e não superioridade aérea, se é que você entende a diferença, é confiável, seguro, relativamente econômico, de manutenção bastente facilitada e tem o aval da US Navy. Não é motorização de aeronave de superioridade… Read more »

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Mauricio R.
1 ano atrás

Existe disponibilidade de uma versão do F-414 com aproximadamente 20% mais empuxo, mais teriam que rever o projeto do Gripen novamente para a integração dessa turbina, o que gera custos adicionais que pelo visto a Suécia e nem o Brasil tem pretensão de bancar atualmente.

nonato
nonato
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Entendi que ele fez um elogio.
Acho que se referiu ao modo de trabalho.
Produz uma “chama” mais constante, em vez de uma “explosão” inicial.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

A FAB matou a pau na escolha do Gripen. Letalidade, baixo RCS, eletrônica embarcada no estado da arte, capaz de usar os melhores e mais modernos armamentos ar-ar, ar-terra e ant-navio . Será um salto ornamental na nossa aviação militar no geral por ser um vetor multipropósito/função .
No nosso caso não será apenas um matador de Sukhois e sim um destruidor de tudo que esteja em mãos daqueles que tentarem agredir belicamente ao Brasil.

kevinbuenuu
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Concordo plenamente, mas se dependesse de algumas pessoas aqui, a FAB teria adquirido aeronaves dos anos 80 para seu futuro.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  kevinbuenuu
1 ano atrás

O gripen é uma aeronave anos 80 tambem, so que essa versão e atual

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  kevinbuenuu
1 ano atrás

Não vi nenhuma aeronave dos Anos 80 como finalista.

Farroupilha
Farroupilha
1 ano atrás

Falando no teste do motor em si, perfeito. Daqui da tela do meu computador, sem nem um sensor químico e físico lá da bancada dos suíços… Mas pela linda cor azul, sem nenhum veio nem mesmo levemente amarelo claro… Queima completa do combustível, mistura perfeita do carburante com o comburente, e sem nenhum pipoco (visual ou audível). Economia de combustível e vida útil maior do motor, além de maior potência. Nota 10 para o funcionamento do motor do nosso Gripen-E. O que também significa que o comando de potência está funcionando perfeitamente. Pelo menos no curto tempo mostrado no vídeo.… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

Farroupilha, por se tratar de um motor novo, com injetores de alta de PC “estalando” e combustível de ótima qualidade, o resultado é este aí. E aquele motor é pra lé de maduro e testado.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Sim, se trata de um motor com sua qualidade e confiabilidade já provada. Acredito ter sido ótima escolha.
O teste foi para assegurar sua integração perfeita no Gripen, por isso sitei o comando de potência, que não faz parte dele mas do Gripen. Também teríamos que mencionar a transferência de combustível dos tanques para ele, que fazem parte do Gripen e não dele. O teste é bem abrangente.
Abç!

Nem
Nem
1 ano atrás

Sempre vejo essa conversa de RCS pra cá, RCS para lá. Se não for stealth, ou não for uma assinatura realmente muito baixa, faz pouca diferença. O combate moderno é BVR, e para isso 2 aspectos são importantes: radar e a sua lança (missil). Vamos imaginar: um caça com uma RCS frontal média armado de 3 m2 contra outro com RCS de 15 m2, um contra o outro, frente a frente, sem awacs ou gci, sabe quem vence (colocando um exemplo bem simples p ficar didático, tática e treinamento a parte) ? O que tiver maior alcance radar e/ou melhor… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Nem
1 ano atrás

Resumiu tudo. Daí a importância da aquisição do METEOR.

bjj
bjj
Reply to  Nem
1 ano atrás

Nem Mas neste caso o RCS seria igualmente importante, não? Vejamos: suponha o caça “X” com um RCS de 1m2 e um radar com alcance de 150 km contra um alvo de 10m2, lutando contra o caça “Y”, com RCS de 10m2 que possui um radar com alcance de 250 km contra um alvo também de 10m2. Neste cenário, se meus cálculos estiverem corretos, o caça “X” detectaria o adversário a 150 km de distância, enquanto o caça “Y” detectaria o caça “X” a aproximadamente 137 km de distância, ou seja, o menor RCS permitiria ao caça com radar de… Read more »

Nem
Nem
Reply to  bjj
1 ano atrás

Primeiro que radar de caça nao tem 250 km de alcance. Alcances grandes sao para SAR ou situacoes para lá de especificas. Qto a sua pergunta, nope. No way. Como dito acima, tem a ver com os modos de operação do radar. Aprenda sobre os conceitos de detecção (plot), track e lock. Aproveite e veja sobre os modos de operação: RWS, TWS, STT, dentre outros. E isso que não coloquei outros cenários, onde a vantagem do caça de RCS gigante mas radar melhor, é ainda mais clara. Por exemplo, quando recebe as coordenadas de fora (awacs e/ou gci): quem tem… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Nem
1 ano atrás

Concordo!

PauloSollo
Reply to  Nem
1 ano atrás

Sem dúvidas que uma boa capacidade BVR é imprescindível e obrigatória, porém como vimos no recente confronto entre Índia e Paquistão, o primeiro conseguiu anular os mísseis BVR do segundo com contra medidas. Portanto um bom pacote de contra medidas eletrônicas também se faz obrigatório, principalmente contra adversários que possuem bons equipamentos. E isto levará fatalmente o confronto a um dogfight.
E neste conjunto o Gripen se destaca pois é o mais ágil da atualidade e tem capacidade eletrônica geral formidável.

Delfim
Delfim
Reply to  Nem
1 ano atrás

Desde a invenção do arco e flecha que atingir seu inimigo a distâncias cada vez maiores é o maior objetivo de toda a tecnologia bélica.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 ano atrás

Quando será mesmo finalizada a primeira unidade da FAB? Acredito que tenha sido aqui no PA que li mas não me recordo. Alguém com a memória mais fresca?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

100% operacional em 2022.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Olá, Carlos! Me expressei mal. Queria dizer quando será finalizada a fabricação da primeira unidade para a FAB. Se eu não me engano é ainda neste primeiro semestre.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

É isso mesmo. O primeiro avião de série da FAB está em fase final de montagem na Saab. Mas será equipado com FTI e fica na Suécia sendo testado e avaliado até 2021, quando será enviado para o Brasil junto com outros 5 produzidos em 2020 e 6 produzidos em 2021. Esses 12 aviões equiparão o 1º GDA, na ALA 2 (Anápolis-GO), que deverá obter sua IOC também em 2021. Em 2022 serão entregues 9 unidades (incluindo os primeiros montados no Brasil pela Embraer), 8 em 2023 e os últimos 7 em 2024, quando também deverá ser atingida a FOC.… Read more »

Leonardo
Leonardo
1 ano atrás

Gripem seja bem vindo … Minha humilde opinião temos que diversifica outro caça Su34 ou F15x !

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Leonardo
1 ano atrás

De modo algum. É criar sarna para se coçar, ampliar os custos operacionais e criar um outro caudal logístico, em vez de substituir todos os tipos de caças atuais por apenas um, multifuncional. Eu não sei porque tanta gente fica com essa fixação em Hi-Lo-Mix, quando o objetivo do F-X2 era fugir disso escolhendo um caça multifuncional. Para que dois tipos de aviões para fazer a mesma coisa? Isso era compreensível há 20 anos, quando a eletrônica embarcada era limitada e não permitia que um caça fosse, de fato, multifuncional. Para uma Força Aérea com orçamento limitado, como a FAB,… Read more »

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 ano atrás

Definições técnicas a parte….. Este caça é um dos mais bonitos desta nova era. Juntos estão o vespão, su35 e rafale. Quero ver este 14 bis (ELOGIO E VENERAÇÃO) cortando os céus de Curitiba. A dilminha guardadora de vento fez (e principalmente falou) um monte de asneiras, mas agiu certo (única vez) e optou pelo melhor caça para o BRASIL.

MBP77
MBP77
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Saldanha, só uma correção: ela não escolheu nada.
Quem fez a escolha foi a FAB.
A única coisa que ela fez foi aceitar o relatório final do FX-2 e declarar o Gripen como vencedor daquela concorrência
E isso só aconteceu após muita pressão e insistência do então Cmdt. da Força Brig. Juniti Saito, a quem realmente devemos uma menção (para lá de) honrosa, por ter salvo a aviação de caça da FAB dum vergonhoso fim.
Sds.

nonato
nonato
Reply to  MBP77
1 ano atrás

Sou contra o comunismo e contra a anta.
Mas não podemos negar que ela bateu o martelo.
Coisa que FHC e Lula não fizeram.
Imagino que antes já havia decisão técnica.
O que sempre faltou foi dinheiro ou interesse.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  MBP77
1 ano atrás

Alem de nao ter a menor competencia para definir um aviao de combate devemos lembrar que, naquilo que ela se propunha, logrou um enorme exito: levar o Brasil a uma profunda recessao e enfraquecer ao extremo as nossas forças armadas.

Robsonmkt
Reply to  MBP77
1 ano atrás

Mais ou menos. Tudo levava a crer que o governo brasileiro iria escolher o F-18E/F mais aí veio o escândalo da espionagem americana que fulminou as chances do caça norte-americano. Portanto, o escolhido não seria o Gripen, mas sim o F-18. Quem escolheu então o Gripen? A FAB ou a Dilma? A escolha sempre é do presidente pois além do relatório da FAB, também analisa outras opiniões como as de ministérios ligados à fazenda e a Indústria e Comércio. É o que está acontecendo agora na Alemanha, onde o relatório da força aérea indica que a melhor opção para substituir… Read more »

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Robsonmkt
1 ano atrás

Na verdade, Dilma não interferiu na escolha da FAB. O que ela fez foi, ao se planejar a visita aos EUA, perguntar ao Brigadeiro Saito se, caso o escolhido fosse o Super Hornet, ele atenderia à FAB. A resposta de Saito foi que sim. Então, a intenção era anunciar a opção pelo Super Hornet na visita aos EUA. Quanto à questão da espionagem, revelada por Snowden, ela não foi o fator da desistência da opção pelo caça da Boeing, pois a Angela Merkel, da Alemanha, também havia sido espionada. O que prejudicou mesmo foi o fato de Obama não ter… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Exato. Tecnicamente, os três atendiam.

cerberosph
cerberosph
Reply to  MBP77
1 ano atrás

Mas quem não atrapalhar já ajuda e muito

Andrigo
Andrigo
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Lembre-se que a preferência pessoal da ex presidente era o F-18, se não tivesse estourado o escândalo da espionagem exposto por Eduard Snowden, estariam agora os vespões no nosso céu (não que isto fosse ruim, mas pensando no contexto de que o Gripen era a opção mais racional..).

PauloOsk
PauloOsk
1 ano atrás

Pessoal, com certeza os senhores ja devem ter ouvido essa pergunta mais de mil vezes.. mas vou repeteir..
No final das contas o Meteor vira ou nao ?

Daniel
Daniel
Reply to  PauloOsk
1 ano atrás

Pelo que falaram em outras matérias aqui, a chance é de 99,9999999% que sim.

Alessandro
Alessandro
1 ano atrás

eu entendi direito na msg do twitter da Saab onde diz que o motor chegou nos 98KN de potência sem supercruise?

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

98Kn é a potência do motor, verificada no teste no solo. Não existe supercruise com o avião no solo. 🙂

Alessandro
Alessandro
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

ok, obg pela explicação

nonato
nonato
Reply to  Alexandre Fontoura
1 ano atrás

Levantou uma questão interessante.
Supercruise é a capacidade de voar acima de Mac 1 sem usar pós combustor.
Mas de qualquer maneira não seria uma característica do motor? Conseguir gerar muita potência sem jogar mais combustível no final da exaustão?
Esses 98 kn seria com pós combustor?

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  nonato
1 ano atrás

Sim. O motor precisa ter certas características para que a aeronave atinja o supercruzeiro. Veja que o motor F135 do F-35 é extremamente mais poderoso, mas não é preparado para supercruzeiro. Nem ele e nem a aeronave. O F414-GE-39E é a versão do motor F414-GE-400 para uso no Gripen E/F, com o software do FADEC e outras modificações para otimização do seu uso em caças monomotores. Ele é capaz de produzir 13,000 lbf (57.8 kN) em potência militar e 22,000 lbf (97.9 kN) em full PC.

Andre
Andre
1 ano atrás

Que bela imagem.

E o nosso Gripen já está mais pronto que o Su57…

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Andre
1 ano atrás

Nosso Gripen está ficando redondinho em todos os seus itens.

https://www.youtube.com/watch?v=RoXqG45ThYA
SU-57 com falhas no compressor.

Andre
Andre
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

já conseguiram terminar o motor dele?

Daniel
Daniel
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

No vídeo, o Su-57 iria mesmo decolar com a mesma abortada ou foi apenas um teste de corrida para decolagem?

Leonardo de Araújo
Leonardo de Araújo
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

Fadec falhou.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Leonardo de Araújo
1 ano atrás

“durante o Moscow Air Show 2011, um T-50 sofreu uma parada de compressor que forçou a aeronave a abortar a decolagem.”
Wikipedia

ALEXANDRE
ALEXANDRE
1 ano atrás

Agora poderiamos investir mais em tecnologia de misseis nacionais para total independencia

Mauricio R.
Reply to  ALEXANDRE
1 ano atrás

Sem base industrial não há nem “tecnologia de mísseis nacionais” e menos ainda “total independência”.
Então antes de mais nada, necessitamos de uma base industrial realmente capaz de fazer e acontecer.
Essa que está ai, só sabe reclamar de falta de investimento e da concorrência estrangeira.

Mauro
Mauro
1 ano atrás

Já tem caboco falando em F-35. Não acho que seja delírio.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 ano atrás

A nivel evolução do modelo “C” para o “E” não há paralelo na aviação militar do passado!
É só uma opinião!

nonato
nonato
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Sim e não.
Não para demorar dez anos desenvolvendo.
Sem dúvida, radar e mísseis são ótimos.
Mas o meteor não é gripen.
Não foi a Saab que desenvolveu.
O mesmo se aplica ao motor.
Melhor mas já existe faz tempo, tanto que é usado no F 18.
E esse teste da matéria?.
Qual o objetivo?
O motor já é amplamente testado.
Testar no avião não é nada do outro mundo.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  nonato
1 ano atrás

Nonato, você parece ter ignorado algumas coisas. O JAS 39C/D Gripen, com o MS20, foi o primeiro caça do mundo qualificado para utilizar o míssil MBDA Meteor. O Radar Leonardo (Ex-Selex ES) ES05 Raven, tem participação da Saab em seu desenvolvimento. O motor F414-GE-39E é uma versão do F414-GE-400 usado no F/A-18E/F Super Hornet e no EA-18G Growler, com modificações e novo software do FADEC para uso otimizado em aeronaves monomotores. A energização da aeronave e os testes com motores, bem como os testes com todos os sistemas são etapas que antecedem o voo de um protótipo de todas as… Read more »

Leonardo de Araújo
Leonardo de Araújo
1 ano atrás

Mais um passo dado.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Leonardo de Araújo
1 ano atrás

Vou gostar mais do teste de embarcar para o Brasil. A GE já deve ter testado este motor. Mandem já para o Brasil. Aqui tem bancadas de teste tb.

Nem
Nem
1 ano atrás

Para o Gripen ficar perfeito:

-Meteor
-aquela turbina nova do SH block III, com até 20% de incremento na potência. Em giro instantâneo está bem, mas há rumores de que teria tomado cambão do F-16 em giro sustentado. Não sei se o teste foi com a versão C ou E
-radar a base de Nitreto de Galio. A Saab estava a frente nessa tecnologia.