Home Asas Rotativas Primeiro voo do Sikorsky-Boeing SB>1 Defiant

Primeiro voo do Sikorsky-Boeing SB>1 Defiant

4344
61
Sikorsky-Boeing SB>1 DEFIANT™

WEST PALM BEACH, Flórida, 21 de março de 2019 – O helicóptero Sikorsky-Boeing SB> 1 DEFIANT™ obteve seu primeiro voo hoje no site da Sikorsky em West Palm Beach, Flórida. Esta aeronave revolucionária, desenvolvida pela Sikorsky, uma empresa Lockheed Martin Company (NYSE: LMT) e Boeing (NYSE: BA), ajudará a informar a próxima geração de helicópteros militares como parte do programa Future Vertical Lift do Exército dos EUA.

“O DEFIANT foi projetado para voar quase duas vezes mais rápido e tem o dobro do alcance de helicópteros convencionais, mantendo o melhor desempenho de baixa velocidade e voo pairado de helicópteros convencionais”, disse Dan Spoor, vice-presidente da Sikorsky Future Vertical Lift. “Este design proporciona um desempenho excepcional na área objetiva, onde a atividade potencial do inimigo dá prioridade à capacidade de manobra, capacidade de sobrevivência e flexibilidade. Estamos entusiasmados com os resultados do voo de hoje e esperamos ansiosos por um programa de testes de voo empolgante.”

Com seus dois rotores principais coaxiais e propulsor “pusher” montado na traseira, o DEFIANT é diferente da produção de helicópteros atualmente disponível. Ele representa um salto na tecnologia para atingir o desejo do governo dos EUA de aumentar a velocidade e o alcance, ao mesmo tempo em que melhora a manobrabilidade e a capacidade de sobrevivência de maneira econômica.

O uso da tecnologia X2™ pelo DEFIANT permitirá ao Exército dos EUA penetrar a partir do impasse estratégico e explorar lacunas criadas em sistemas complexos de Negação de Área Antiacesso contra adversários próximos.”O projeto e desenvolvimento do DEFIANT revelou o avanço de capacidade que é verdadeiramente possível para o Future Vertical Lift”, disse David Koopersmith, vice-presidente e gerente geral da Boeing Vertical Lift. “Claramente, o desempenho, a velocidade e a agilidade do DEFIANT serão um divisor de águas no campo de batalha e estamos ansiosos para demonstrar para o Exército dos EUA as tremendas capacidades dessa aeronave.”

O helicóptero está participando do programa Joint Multi-Role-Medium Technology Demonstrator do Exército dos EUA. Os dados do DEFIANT ajudarão o Exército a desenvolver requisitos para novos helicópteros que devem entrar em serviço no início dos anos 2030. Este voo atingeum marco importante para a equipe da Sikorsky-Boeing e é a culminação de atividades significativas de projeto, simulação e teste para demonstrar ainda mais a capacidade da Tecnologia X2.

A tecnologia X2 é escalável para uma variedade de missões militares, como ataque e assalto, transporte de longo alcance, infiltração e reabastecimento. O DEFIANT é a terceira aeronave X2® em menos de 10 anos.

Sikorsky-Boeing SB>1 DEFIANT™

Sobre a Lockheed Martin
Sediada em Bethesda, Maryland, a Lockheed Martin é uma empresa global de segurança e aeroespacial que emprega aproximadamente 105.000 pessoas em todo o mundo e dedica-se principalmente à pesquisa, projeto, desenvolvimento, fabricação, integração e manutenção de sistemas, produtos e serviços de tecnologia avançada.

61
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
40 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
31 Comment authors
PauloTutorScudBCarlos Alberto SoaresCarlos Gallani Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
EdcarlosPrudente
Visitante
EdcarlosPrudente

Os rotores tem menor dimensões que os helicópteros convencionais necessitando de menos espaço para operações de pouso e decolagem na vertical, ainda possuindo maior velocidade e alcance. Não é um projeto ruim, na verdade aparenta ser uma aeronave bem pratica e ágil para as operações a que se destina.

Saudações!

Fila
Visitante
Fila

Bom dia,

Já que existe um rotor na cauda, não seria possível eliminar um dos dois rotores principais? O da cauda poderia levemente inclinado para fora, garantindo a estabilidade da aeronave. Ou não?

Marcelo Martins
Visitante
Marcelo Martins

Esse rotor da cauda não tem a função de evitar a rotação da fuselagem, como num helicóptero convencional. Esse rotor é para impulsionar o helicóptero à altas velocidades.
Por isso a necessidade de ter 2 rotores principais contra rotativos.

Dumont
Visitante
Dumont

Problema antigo… existem várias soluções, com vantagens e desvantagens. Alguns exemplos do que já tentaram…
https://en.wikipedia.org/wiki/Lockheed_AH-56_Cheyenne
https://en.wikipedia.org/wiki/Piasecki_X-49

Bosco
Visitante
Bosco

Fila,
Já houve um projeto de um helicóptero que tinha um rotor de cauda basculante. Ele ficava na posição convencional quando na decolagem e pouso e pairado e no voo de cruzeiro o “rotor” se posicionava transversal ao longo eixo do helicóptero de forma a prover propulsão já que o rotor principal estava em auto rotação.
Era o S-66. :comment image

Dumont
Visitante
Dumont

Bosco, postei alguns outros exemplos de abordagem da questão mas o post está retido… são interessantes.
Piasecki X-49
Lockheed AH-56 Cheyenne

Bosco
Visitante
Bosco

Dumont,
No aguardo.
*A vantagem dessa configuração da Boeing/Sikorky, baseado na tecnologia ABC, é que não precisa de asas.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Acho esse competidor muito melhor que o Bell’s V-280 Valor, que tem as hélices basculantes igual ao V-22 Osprey, e que parecem ocupar um espaço muito maior que o SB-1

Bosco
Visitante
Bosco

Eu também!

Tutor
Visitante
Tutor

Se não precisasse não teria o segundo rotor uai. Os caras iriam botar só para causar, para fazer mais barulho?

Cristiano GR
Visitante
Cristiano GR

China fazendo algo parecido em 2 anos no máximo.
Com tantas vantagens em relação aos helicopteros comuns, é natural que a China comece desde já o desenvolvimento de um projeto parecido, se já não tem um bem avançado.

Maus
Visitante
Maus

Pode ser verdade, mas quem garante que terá a mesma qualidade?

Maus
Visitante
Maus

Ele irá substituir o Black Hawk e os substitutos do Apache e Chinook terão os mesmos componentes dele, facilitando muito a manutenção.

MBP77
Visitante
MBP77

Algumas perguntas ao pessoal mais experiente do espaço:
Já existiu algum outro helicóptero norte americano com dois rotores principais coaxiais?
Porque, puxando na minha memória aqui, não me veio nenhum.
Pelo menos que tenha sido adotado pelas FAs dos USA.
E dos atualmente operacionais, só me vem à cabeça o Kamov Ka-52 russo.
Tem mais algum?
Sds

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Tem o Kaman K-MAX e o Sikorsky X-2

Bosco
Visitante
Bosco

Smoking,
O K-MAX é um rotor duplo interengrenado. É diferente do coaxial.

Bosco
Visitante
Bosco

O mais usado nos EUA foi o helicóptero não tripulado QH-50 DASH (peso máximo de decolagem de 1 t, maior que de muitos helicópteros tripulados). Quanto a helicópteros tripulados de rotor coaxial os EUA desenvolveram alguns nas décadas de 40 e 50 mas que nunca foram colocados em produção em larga escala. Os soviéticos foram por esse caminho para seus helicópteros navais por conta dos rotores serem menores e de não haver perigo para a tripulação pela falta do rotor de cauda. No caso do helicóptero de ataque como o Kamov Ka-50 que prevê pairar próximo ao solo por entre… Read more »

Sidney
Visitante
Sidney

Bosco aquele suposto helicóptero secreto usado na captura do Bin Laden, um que acabou caindo na casa e depois foi destruído, era mesmo secreto, algo novo, ou era apenas um Black Hawk com alguns dispositivos para redução de ruído?

Bosco
Visitante
Bosco

Sidney,
Cara, aquilo ali é, como se diz um “bagulho sinistro” rsrss
Parece até que só tinha aquele exemplar. Fato é que ou existe um programa secreto de helicópteros stealths ou eles tinham só aquele.
Já se passou muito tempo e até hoje o USA não mostrou nenhum outro pra gente ter uma ideia.
Ao que parece é algum helicóptero stealth baseado no Black Hawk, que devia contar com redução da assinatura radar, térmica e sonora, mas eu não tenho certeza. Acho que ninguém tem. rsrsss

Andrigo
Visitante
Andrigo

Os EUA com seu orçamento astronômico e expertise, deve ter muitos “brinquedos” que não são de conhecimento público. Penso que só conheceremos quando e se “a cobra fumar”….

MBP77
Visitante
MBP77

Obrigado pelas respostas, Bosco e Smoking Snake!
Sds.

ScudB
Visitante
ScudB

“De modo geral o desempenho do modelo tradicional (com rotor de cauda) é melhor.”
Definitivamente não.
De modo geral o desempenho (tanto de ponto de vista da energia como dos outros parâmetros importantes tb) coaxial é (no mínimo!!) 15-20% melhor.
Um grande abraço!

Bosco
Visitante
Bosco

Scud
Já li isso mas não posso aceitar como verdade. Fosse assim seria um sistema amplamente aceito e não o é nem mesmo pelos russos.
E também ninguém irá me convencer que aquele sistema complexo e pesado do eixo duplo coaxial é leve e simples e mais eficiente em termos energéticos que um simples rotor principal e um rotor de cauda.
E nem vamos entrar no arrasto dos dois rotores.

João Gabriel
Visitante
João Gabriel

Teve o Sikorsky XH-59 A
comment image

Bosco
Visitante
Bosco

João,
Mas esse era para avaliação de conceito. O MBP77 perguntou sobre os que entraram de fato em operação.

DENYS
Visitante
DENYS

China vai copia.

DENYS
Visitante
DENYS

Na minha opinião o exército americano vai escolher SB1 Defiant. Bell Helicopter – V-280 Valor já perdeu essa disputa.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

São propostas muito diferentes, como dito, dependendo do que vc espera de um helicóptero a escolha muda!
Eu acredito que o helicóptero como poder de fogo vai ter sua importância reduzida (uso pontual) devido à evolução dos esquipamentos terra-ar de uso pessoal e a característica de transporte seja mais valorizada nessa balança, o jogo está aberto e na minha opinião a escolha será pelo custo por unidade/hora voo, o V-280 tem muitas vantagem mas seu preço pode assustar o exército.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Uma bela máquina.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Sensacional !

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

É… Quem diria os EUA dando o braço a torcer em construir helicópteros com duplo rotor de contra rotação que foi amplamente construído na ex-URSS e atual Rússia.
Que seja um helicóptero de excelência.
Curiosidade: Lembro de ter tido um brinquedo que era um helicóptero pendurado na parede com o contra-rotor instalado ao qual impulsionava o mesmo. Então a idéia já é meio antiga né?!?

Maus
Visitante
Maus

Há uma infinidade de ideias antigas que continuam atuais, desde a década de 50 o USA planejava um canhão de 120mm de carregamento automático, coisa que só vai se tornar realidade nos próximos MBTs deles. Está nova guerra fria vai ressuscitar vários projetos antigos, até o Star Wars ressurgiu.

Hawk
Visitante
Hawk

Bosco, os anos 80 voltaram! Ou será os 70? Kkkk….
Espero que transforme um Bell 525 num novo Airwolf!!!
Agora falando sério, sempre achei que no futuro as empresas iriam mais investir em aviões do tipo V/STOL ou em helicópteros Tiltrotor.

Bosco
Visitante
Bosco

Hawk, Eu acho que tem lugar pra tudo. Onde houver necessidade de pairar (ex: salvamento) o helicóptero puro será soberano. Já quando for requerido a capacidade VTOL aí deverá ter várias tecnologias que irão competir ou se complementar, como por exemplo o helicóptero composto para velocidades de até 500 km/h e para maiores velocidades o convertiplano (incluído o tiltrotor) e o VTOL a jato e/ou fan embutido. Para transporte de maior distância (entre cidades) veremos crescer o uso de helicópteros compostos e convertiplanos e mais pra frente no tempo deverá haver o desenvolvimento de aeronaves VTOL não baseadas em rotores… Read more »

Maus
Visitante
Maus

Antes da URSS cair a Alemanha estava planejando o leopard 3 porque tinha medo da URSS estar construindo um MBT armado com canhão de 135mm, agora o projeto voltou a ser desenvolvido.

Pedro Rocha
Visitante
Pedro Rocha

Esse é o meu predileto! Esse helicóptero, se não estou enganado é dito elétrico! Explico: Existe um controle ativo (computador) do perfil das hélices para um ganho da velocidade, em outras palavras não é possível pilota-lo com pane no computador. Um verdadeiro fly-by-wire. Acho tanto o Sikosky como o Bell muito altos, tornando-os menos práticos para serem “hangarados” em navios e principalmente serem aerotransportados! Uma curiosidade: O UH-60 fora projetado para ser facilmente transportado no C-130, fiquei decepcionado quando souber que as últimas versões (UH-60L) perderam essa capacidade! Inclusive “ventilaram” que era um demérito do KC-390 não poder transportar os… Read more »

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Ao meu ver, o problema dessa proposta é o mau aproveitamento de espaço na fuselagem. Enquanto o Bell V-280 se mostra até um pouco melhor que um heli convencional, esse daí aparentemente só abre espaço à frente do eixo dos rotores principais, deixando a aeronave bastante longa.

Tempo dirá quem for mais eficiente. Mas minhas fichas estão no Bell.

Delfim
Visitante
Delfim

Não podiam colocar um trem de pouso retrátil, que aumentaria mais a velocidade e o alcance ?

Bosco
Visitante
Bosco

Delfim,
É retrátil.

Delfim
Visitante
Delfim

OK, mas nas fotos aqui não aparece retraído.

Bosco
Visitante
Bosco

Delfim,
Nessa fase do teste ele voa com os trens abaixados. Ele nem acionou a hélice propulsora.

Delfim
Visitante
Delfim

Ok.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Eu sou fã de soluções Tiltrotor…

Em minhas pesquisas e andanças pela WEB, descobri um jovem modelista que encontrou um design bem interessante e diverso dos demais adotados.

Parece coerente na qual ele defende que em velocidade, o rotor principal seja desligado e o voo siga planado pelos dois motores laterais. O planeio é obtido por meio da asa alta e de fato ao menos ate o teste de planeio ele funcionou. Isto faz com que o rotor seja dispensado de ser ligado e não mais responsável por qualquer sustentação ( sua laminas poderiam assumir angulo neutro).

https://www.youtube.com/watch?v=LdGdiZHqpK8&feature=youtu.be

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Acho que se ele aplicar rotações reversas nos motores horizontais de empuxo, conseguiria assim controlar a rotação do motor principal…

Bosco
Visitante
Bosco

“Acho que se ele aplicar rotações reversas nos motores horizontais de empuxo, conseguiria assim controlar a rotação do motor principal…”
Esse é o princípio do X3 Eurocopter.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Hum….interessante….

Mas o que gostei deste desenho é que ele prove asas de sustentação que não interferem no rotor principal.

parece realmente unir o melhor de dois mundos sem tanta complicação.

Acho que se a asa discoide tiver uma borda grossa (espessura), é capaz que ate afaste o fluxo de ar das laminas.

Bosco
Visitante
Bosco

Quando em voo a aeronave não é mais sustentada por rotores em rotação o conceito é denominado de “convertiplano”.
Os conceitos mais viáveis de convertiplanos são:
Sem propulsores independentes:
1- Tilt rotor

Com propulsores independentes:
2- Disc rotor
3- stop rotor

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Mestre Bosco, você ja viu o desenho que chegaram a cogitar do F-104 com uma delta triangular dorsal que faria as vezes de helice pra decolagem VTOL?

https://sites.google.com/site/stingrayslistofrotorcraft/ryan-f-104

Bosco
Visitante
Bosco

Carvalho,
Eu conhecia. rrsss
Aqueles tempos eram fenomenais. O pessoal acreditava que no ano 2000 já teríamos bases em Marte, a Lua estaria sendo colonizada, haveria robôs domésticos, armas laser manuais, carros automáticos, etc.
Eles colocavam a cabeça pra funcionar.
Bons tempos.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

site com o material de explicação do modelista que mencionei.

https://whirlwingstoprotarcraft.wordpress.com/

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Se ele foi projetado para voar com o dobro da velocidade e alcance dos helicópteros convencionais atuais e com agilidade e manobrabilidade avançadas, não seria ideal ter uma versão desta tecnologia em um helicóptero de ataque como o Apache ou Cobra?
A Rússia já não tem o Ka-52, que opera com dois rotores?

Lucas Senna
Visitante
Lucas Senna

Sim, aliás isso não é nem novidade pois originalmente no lugar do Cobra teríamos o já mencionado acima AH-56 Cheyenne que também era um helicóptero composto (porém ao invés dos rotores coaxiais ele tinha rotor de cauda). Dessa vez parece que tão decididos a ir a frente com o projeto, se o Defiant for o selecionado certamente vão utiliza-lo como base pra uma nova família de helicópteros incluindo helicópteros de ataque.

Bosco
Visitante
Bosco

Lucas,
Só complementado seu comentário, AH-56 não foi pra frente porque viu-se que o potencial de ataque do helicóptero estava em atacar pairado , protegido pelo relevo. O Cheyenne foi programado para atacar em alta velocidade, como eram os assaltos aéreos no Vietnã.
Os estrategistas logo viram que essa tática não iria funcionar na Europa e ele foi cancelado e no seu lugar surgiu o Apache.

Bosco
Visitante
Bosco

Antunes,
Os helicópteros russos Kamov operam com rotores coaxias mas não são “helicópteros compostos”, são helicópteros convencionais. Eles não têm um sistema propulsor independente dos rotores que possibilita o rotor principal a trabalhar em autorrotação quando no voo horizontal.
Em relação a ter uma versão de ataque, tudo indica que no futuro haverá. Mas vale salientar que velocidade não é relevante para um helicóptero de ataque moderno por conta dele não atacar como um avião a hélice. Ele ataca pairado.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Bosco, obrigado pela resposta.
Atacar pairado é totalmente diferente da doutrina russa de helicópteros de ataque, nos vídeos deles em ação na Síria, os ka-52 e até mesmo os Mi-28 desciam em grande velocidade descarregando tudo que tinham no inimigo.
Achei muito arriscado. Talvez por isso eles tenham perdido por lá umas 4 aeronaves.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

É sempre bom lembrar um pouco a História:
Um protótipo americano de 1946:
http://www.aviastar.org/helicopters_eng/brantly_b-1.php
Um modelo da Sikorsky do início dos anos 1970:
https://en.wikipedia.org/wiki/Sikorsky_S-69

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Cadê o Lynx Forista ?

Paulo
Visitante
Paulo

Muito bom!
Múltiplos rotores, blá, blá blá e coisa e tal, mas quando chegaremos nisso?

https://www.youtube.com/watch?v=7EhD_3uV0m4

Kd as turbinas? Kd ascensão a mais de mach 2 até 100.000 feet (30 km) ? Kd seleção entre mais de 9 tipos de misseis? Canh~´oes de 30 mm? Kd o Santini e o Stringfellow Hawke????

Um grande abraço a todos deste excelente Fórum!

Bosco
Visitante
Bosco

Paulo,
Um helicóptero composto (como o AirWolf) jamais chegará a Mach 2, mas um convertiplano como esse “X Wing” (stop rotor) talvez o faça um dia: http://3.bp.blogspot.com/-pTQ_0FkdhjI/TzGjyfMLOWI/AAAAAAAAALU/zHyCH5aheXc/s1600/Sikorsky.jpg

carvalho2008
Membro
Famed Member

Esta ideia aqui parecia uma boa possibilidade
http://www.pandora.tv/view/naljava69/41174239/#34099519_new