Home Espaço Acordo de Salvaguardas Tecnológicas possibilita destravar uso comercial do Centro de Lançamento...

Acordo de Salvaguardas Tecnológicas possibilita destravar uso comercial do Centro de Lançamento de Alcântara

4958
117

Brasília, 19/03/2019 – Os acordos de salvaguardas tecnológicas são firmados entre países com o propósito de estabelecer compromisso mútuo de proteger tecnologias e patentes das partes contra o uso ou a cópia não autorizados nos lançamentos comerciais.

O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) assinado por representantes do Brasil e dos Estados Unidos da América (EUA), no fim da tarde da segunda-feira (18), segue essa prática internacional. O objetivo é permitir que veículos lançadores e cargas úteis comerciais de qualquer nacionalidade, que contenham equipamentos ou tecnologias norte-americanas, sejam lançadas a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.

Um aspecto importante, que torna esse acordo único, é que muitos equipamentos utilizados nas operações espaciais em todo o mundo, seja nos veículos lançadores ou mesmo nos veículos ou cargas úteis neles embarcados, contém tecnologias norte-americanas controladas, sendo esses componentes sujeitos a autorizações específicas para exportação pelo governo dos EUA.

Nesse sentido, o AST é condição imprescindível para que seja possível realizar lançamentos espaciais envolvendo tecnologia espacial desenvolvida pelos Estados Unidos, em qualquer centro de lançamento.

A assinatura do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas representa oportunidade de viabilizar, em curto e médio prazos, a entrada do CLA no bilionário e crescente mercado espacial internacional. Essa nova atividade econômica trará benefícios significativos para o Centro de Lançamento. Ao atender o mercado internacional de lançamentos privados, o CLA será importante indutor de desenvolvimento para o município de Alcântara (MA) e para o País.

O documento possibilita destravar o uso comercial do CLA e, com isso, atrair investimentos, desenvolver uma cadeia produtiva de alto valor agregado com inúmeros postos de trabalho no Brasil, desenvolver o Programa Espacial Brasileiro e incrementar a arrecadação de impostos na região a ser beneficiada.

O AST também será assinado pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo, na próxima semana, por ocasião de visita oficial que fará ao secretário de Defesa dos EUA, Patrick Shanahan.

FONTE: Ministério da Defesa

117 COMMENTS

  1. 1. Teremos acesso para lançarmos os nossos ou de outros países?

    2. A utilização é por tempo? Eles podem utilizar x dias no ano?

    3. Qual valor será pago? Como poderemos usar essa verba?

    • Resposta:
      1. Haverá tantos lançamentos que não teremos mais a primazia da base.
      2. Não sei.
      3. Poderemos utilizar no Programa Espacial, mas, não no VLS.

    • Antes de falar de valores e condições é preciso que tenha alguma empresa interessada, o que no momento não existe. SpaceX e Blue Origem com seus lançadores reutilizáveis já manifestaram não ter interesse. Talvez a única que possa ter interesse seja a Northrop Grumman que está desenvolvendo o veículo descartável OmegA que não é ecompetitivo frente aos reutilizáveis e teria algum ganho de performace lançado a partir de Alcântara.

    • Sobre a questão 3, disseram 140 milhões de Dólares por ano, o que é muito pouco. Cada lançamento da SpaceX por exemplo, custa entra 90 a 150 milhões de Dólares ao ano, já os lançamentos da ULA, por exemplo, na base dos 250 a 350 milhões de dólares. Então, 140 milhões por ano pelo “aluguel” da base é preço de banana quando se fala no setor espacial. E o pior, alem de pouco, não poderemos usa-lo em foguetes ou tecnologia de foguetes e etc. Nem no custeio de cientistas. Aqui é Brasil, essa grana vai pro bolso dos políticos cedo ou tarde.

      Outro ponto é que a base não tem infra por perto, teria que ser investido em estradas, aeroporto (os esquipamentos costumam chegar em Antonovs locados ou em 747 de carga e adaptados), comunicação e até em hospedagem. ESPERO que o Brasil não financie essa infra, senão só resta rir do tamanho da subordinação de um presidente pelo outro.

      • É pouco? Talvez, mas ainda é bem melhor que nada. Se no futuro o lugar fizer sucesso sobe o preço para outros interessados. O contrato não deve ser eterno então pode ser renegociado no futuro.

    • Sim, a base é enorme e podemos lançar o que quisermos quando quisermos. Não se trata de um aluguel da base inteira e sim somente de uma área. A ideia é desenvolver um condomínio espacial o que passa por atrair empresas do mundo inteiro.

      Haverão áreas dedicadas a empresa/agência com infraestruturas que elas necessitem, essas obviamente ficam sob administração da entidade em questão o tempo inteiro. Já as áreas de lançamento são comuns, pagando eles podem usar quando e quanto quiserem.

      Ouvi alguns valores diferentes sendo jogados então não vou arriscar isso, acho que só com o acordo em mãos para saber. Pelo que foi divulgado a empresa estatal a ser criada que irá controlar a base é quem receberá os valores e os utilizará na própria base.

      O Marcelo (hoje no mundo militar) fez uma live com um pessoal da área científica incluindo um militar sobre o assunto a alguns dias, a live foi no canal da Ned Oliveira se não me engano mas no canal do Marcelo tem um vídeo chamada com o link pra live. O Caiafa também fez uma live sobre. Recomendo verem os dois conteúdos, são extensos mas respondem a maioria das dúvidas.

    • Vou responder de memória do outro tópico.
      1-100% de acesso em nossos lançamentos e acesso restrito a pessoal credenciado em comum acordo para lançamentos de outros países

  2. Teremos acesso para lançarmos os nossos ou de outros países?

    2. A utilização é por tempo? Eles podem utilizar x dias no ano?

    3. Qual valor será pago? Como poderemos usar essa verba?

    4. Nossos técnicos poderão participar, quando um lançamento for de um país estrangeiro?

  3. Tem gente reclamando de soberania e os EUA roubarem nossos segredos e nos impedirem de operar a base…

    Quanto ao roubo de tecnologia: OS EUA estão literalmente 120 anos na nossa frente em corrida espacial. o que fizemos nos últimos 40 anos eles fizeram em uns 10. E isto mais de 60 anos atrás.

    Quanto ao uso da base: mais que natural que eles vão pedir algum tipo de sigilo e tal no tráfego de algumas cargas. Mas se a gente pelo menos conseguir sentar e olhar já vai aprender demais. E estamos parecendo aquele pessoal que tem um lotezinho de terra em bairro nobre mas num tem grana nem para levantar um barraco. e tá a 30 anos sem arrendar o terreno achando que um dia vai fazer uma mansão em cima.

    Parcerias: Tem mais de 10 anos que americanos embarcam seus astronautas em naves RUSSAS!!! E só nós aqui vemos inimigo em todo canto o tempo todo.

    • Oras, então você defenderia um acordo de exclusividade com o russos nos moldes do que foi feito com os americanos? Pura lorota, ninguém nunca falou em tecnologia, e mesmo que tivesse falando, de onde você tirou que os EUA estão 120 anos a nossa frente? 120 anos atrás não existia nem avião. Você sabe a historia do nosso programa espacial? Ele era um dos mais avançados do mundo até o governo FHC, que por pressão, castrou nossas capacidades e o Lula acabou de enterrar.
      O acordo é ruim porque ele visa unicamente tolher nosso desenvolvimento tecnológico, esse mesmo acordo, antes, proibia qualquer investimento no programa espacial com a renda da base, hoje continua restringindo nosso investimento em foguetes, sem falar que nenhuma empresa americana manifestou interesse em lançar nada em Alcântara, diferente de empresas de outros países, que, por causa da cláusula de exclusivamente, não poderemos atender. Realmente, um acordo maravilhoso.

      • Cara, nós não desenvolvemos absolutamente nada, tudo que a gente tentou fazer foi um fracasso a base esta atirada as moscas! Não conseguimos nem jogar uma maldita ervilha a 50Km do chão! Não sei de onde as pessoas tiram estas ideias de que vamos deixar de soberanos! Temos, literalmente, um satélite geoestacionário e não temos software e nem antenas para operar o bicho. Vamos cair na real. Gastamos alguns bilhões com um acordo xexelento com a Ucrânia e tomamos um baita calote! Talvez, talvez com o Marcos Pontes e cia, possamos ver a ciência no nosso pais de forma mais seria.

      • no ritmo que estamos, levaríamos 120 anos para talvez chegar onde os gringos estão hoje. e olhe que estou otimista. em uns 100 alcançamos onde os russos já estão.

        Nosso programa espacial pode ser um dos 20 mais avançados do mundo, mas não faz nem cócegas perto dos top 10.

        Claro que quero investimentos. Mas precisamos sim de parcerias e de grana. e volto ao exemplo do lote vazio: é o que Alcântara é a décadas.

        Vejo pouca política estratégica nacional e muito ufanismo e patriotada.

      • Hélio.
        Falou e disse. Interessante ver quantos de complexo de vira-latas apoiam esta operação lesiva ao país. Até dizer como usar o dinheiro eles dizem. Todo negócio tem uma reflação custo beneficio. Se é muito importante para mim eu pago o que razoavelmente bom para o outro lado. O que não esta acontecimento nesta desavergonhada submissão. E eu pensava que este governo defenderia bem os interesses do Brasil.

      • pessoal fala em síndrome de vira-lata. e tem mesmo!

        mas brasileiro é meio bipolar.

        aqui também temos a síndrome de Pinsher. O bicho parace uma ratazana estressada mas se vê como um lobo.

        late, late e late mas num tem nem força nem tamanho nem coordenação.

        em pesquisa de ponta, ou vc bota muito dinheiro e parceria ou nada faz.

        os programas espaciais americanos e russos não tiveram pudor nenhum em sair recrutando gente de tudo que é canto. caças como o F35 são montados e desenvolvidos com mais uma dúzia de parceiros.

        mas num país que acha luxo universidade pública, fazer o quê?

    • Sabias palavras a gente esta lá com “lotezinho” parado , sem alugar mesmo rsrsr , nosso programa espacial já era para estar muito mais avançando meu nobre , mas historicamente nosso pais não gosta de investir adequadamente em ciência e pesquisa , temos vários brasileiros trabalhando na Nasa , certamente se o governo desse condições de trabalho aqui para eles , eles voltariam .

      • A cada dia que passa a presença militar dos eua na Amazônia colombiana vai se ampliando…e assim discretamente vão pondo em ação uma maciça intervenção armada dos eua na Amazônia Sul-Americana…os eua já possuem numerosas bases militares operando no território da América do Sul e em ilhas próximas num verdadeiro “cordão sanitário” composto por 20 guarnições em torno da Amazônia brasileira…esta gente já tem estabelecido na América do Sul uma rede de 17 bases terrestres de radar…3 no Peru, 4 na Colômbia e o restante é “móvel e em local secreto”….O braziu é um dos poucos países da região onde ainda não existem bases, guarnições ou pistas de pouso estadunidenses…Alcântara será a primeira…!!!..

  4. Destrava ou trava? Com esse acordo ficamos presos a um só cliente, diferente do que foi proposto antes, e pior, ficamos presos a um cliente ruim. O acordo oferecido por Israel era muito melhor, mas não, temos que fazer “parceria” com os EUA onde eles se acham no direito até de ditar onde devemos aplicar nosso dinheiro. Sem falar que, destrava? Oras, quem estava travando o uso comercial da base? O WikiLeaks provou isso para todo mundo.

    • Eu acho que muita gente não entendeu direito: O uso da base não ficara restrita somente ao cliente EUA, quem quiser investir na construção de suas próprias instalações como os americanos irão fazer é só seguir as regras de utilização impostas pelo governo brasileiro, seja Israel ou qualquer outro interessado. Quanto a não utilização do $$$ em projeto de construção de nossos próprios veículos lançadores é só retorica diplomática para inglês ver como já deixou bem claro o Ministro da Ciência e o das Relações Exteriores do Brasil e os americanos logicamente sabem disso.

      • O acordo prevê exclusividade no uso da base sim, e sobre a “retórica”, isso não existe, os EUA é país sério, esse tipo de padalada dá certo aqui porque ninguém respeita os contratos, com eles é outra história.

        • Helio, ja que sabes tanto a respeito do acordo, penso que voce teve acesso ao mesmo. Explica ai ou replique exatamente os termos desse acordo, senao corres o risco de ficar conhecido por teorias e divulgador de fontes ridiculas que conhece…….Escreva ai por favor os termos do acordo, assim, todos aqui poderao ler, entender e compreender, coisa que acredito que voce nao fez, ate porque nao teve acesso….ou sera que voce tambem e alta patente ou otoridade no Brasil que desconhecemos ?? Cada coisa…..arghhhhhhhhh

    • Sabe ler? Já foi falado em tudo que é canto que qualquer um que tenha o dinheiro e invista vai poder lançar foguetes de Alcantara.

      O próprio Bolsonaro disse que o proximo passo é ver acordos com Israel, India e etc.

      • Eu sei ler muito bem, já você é outra história, onde você leu isso? Ou será que está inventando para passar pano para essa parceria caracu? Como isso poderá ser feito se esse próprio acordo veda essa possiblidade?

        • Helio, onde voce leu esse acordo ?? sera que voce esta acima do governo e agencias do Brasil e dos USA ?? se voce leu, com certeza nao entendeu e portanto nao compreendeu. Ta comprando opinia caracu sem duvida. Pare de tentar ser o cara da vez, voce sabe tanto quanto a maioria que aqui escreve. arghhh

  5. Muito triste toda essa subserviência.
    Enquanto países como Nova Zelândia, Ucrânia, Irã, Coréia do Norte desenvolvem e lançam seus próprios VLS e satélites (os dois últimos sem nenhum apoio internacional e “transferência de tecnologia” o Brasil que tem uma base de primeiro mundo e com localização geográfica privilegiada e muitos profissionais e instituições de ensino e pesquisa qualificadas como o ITA é impedido de desenvolver seu próprio programa espacial pela grande “nação amiga” que sempre nos atrapalhou.

    Espero que os “excelentíssimos” parlamentares vejam o perigo do uso do CLA pelo estrangeiro e vetem essa proposta lesiva a nossa soberania.

    Quero ver o lançamento de um foguete brasileiro, com um satélite brasileiro, desenvolvido para beneficiar os brasileiros e não americanos!

    • É só vc financiar os projetos e… pronto! Assunto resolvido. Vamos levar o seu projeto de financiamento ara as autoridades competentes e cancelar o atual, que provavelmente ainda está na carência. 🙂
      Vejo as pessoas falando de investir assim, investir assado, tínhamos que ter isso, por que não é tudo brasileiro e tal. E esquecem que no Brasil tem estados com pagamentos atrasados de servidores públicos, o país tem tantos impostos que vários parceiros em várias áreas fecham sua sede primeiramente aqui, quando estão em crise pelo mundo. E vem falar de investimento e vanguarda em tecnologia. Fala sério.

      Ter a humildade de dar um passo de cada vez, nos fez aprender a correr. (Vítor Moraes)

  6. Boa tarde Senhores!

    O mais importante no momento é que o dito acordo saiu. Até o momento CLA estava servindo para lançar “Caramurus”. A assinatura do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas representa oportunidade de viabilizar, em curto e médio prazos, a entrada do CLA no bilionário e crescente mercado espacial internacional.

    Pode não ser o melhor acordo. Mas qual anterior a esse existia? Em que pé estava o acordo com Israel e quais seriam as limitações imposta pelos EUA ao israelenses, já que muito da tecnologia do Jacob tem o dedo americano?

    Vamos parar de chorar e aproveitar o que tem para hoje! A final de contas, lamentavelmente o BRASIL não tem tecnologia para aproveitar aquele espaço. Vamos ganhar algum com quem tem tanto a tecnologia, como o dinheiro e mais ainda o poder de impedir que entremos no mercado bilionário.

    O resto acima do que disse e que o artigo explicou é choro de criança que não sabe aproveitar da lancheira dos amigos ricos.

    CM

    • Acrescento uma redundancia: quantos lançamentos fizemos na CLA? O acordo com a Ucrania: ha algum desenho remanescente e de posse de brasileiros ? Há um mísero memorial descritivo que tenha sido elaborado e que esteja disponível? So para comparar: um manual de manutençao de uma caixa de transferencia de uma embarcaçao civil tem mais de 500 folhas (muito simplificadas….). Um Programa de VLS realizado em conjunto com brasileiros teria que ter desenvolvido uma equipe somando varios milhares de colaboradores diretos e indiretos e não somente -infelizmente e com todo o respeito- apenas duas dezenas de tecnicos especializados sem os quais o programa espacial brasileiro teria naufragado. O problema somos nos que nao tivemos competencia e vontade politica para sobrepujar todas as dificuldades que se apresentam. Ou sera que a India, Turquia , Israel, etc… tiveram moleza?

  7. Só uma coisa interessa nesse acordo: ver a grana entrando.
    O resto é choro de quem nunca reclamou quando o nosso dinheiro ia para fora a toque de caixa.

    • E preciso abrir este pais, estamos uns 200 anos atrasados. Aqui nos estados Unidos tem gente do mundo inteiro trabalhando na nasa e varios orgas do governo americano. Temos de mudar nossos pensamentos, correr riscos e sair deste marasmo…como um pais com tantos recurso naturais que temos ainda continua a viver no atraso?
      Pra frente..com Alcantara, abertura do comercio, menos impostos, menos governose mais tecnologia…seguir exemplo de Israel

    • Essa e uma previsão, vai depender se as empresas americanas vão querer investir em trazer toda a sua infraestrutura de foguetes reutilizaveis para cá. Quanto de custo. Isso vai gerar e ser reduzido dos 30% de ganho em combustivel?
      E sé nas próximas eleições entra um partido que queira alugar para os Russos ou os Chineses?

      • Russos, Chineses, Indianos já tem seus centros de lançamentos e em nehum momento mostraram interesse por Alcântra, imagina o custo para eles sairem da sua região para o continente americano, já os estadunienses estão mais próximos, o que de certa maneira compensa o “aluguel”.

        • Muito pelo contrário, para eles é mais fácil lançar aqui do que nas bases mal localizadas, e os EUA? Vão deixar de usar a imensa estrutura que já tem para lançar aqui por quê? Várias empresas americanas já disseram que não tem interesse em Alcântara, a única que ventilou a possibilidade foi a Boeing, que está fazendo isso só por causa da “”””parceria””””” com a Embraer.

      • Nós já temos um acordo de salvaguardas com os Russos que permite o lançamento de satélites e foguetes por Alcântara. Nunca usaram porque não quiseram.

  8. Aquela bandeira brasileira ainda existe por lá??? Vai continuar? Esse dinheiro vai pra onde mesmo???? Muita gente vai ficar milionária isso é fato. Ou mais rica de que é.

    • Já estão considerando o abandono do StratoLauncher. É inviável com os novos foguetes reutilizáveis da SpaceX e Blue Origin.

      O preço é quase o mesmo por muito menas carga.

  9. Sugestão ao BLOG, entrevistem o Ministro Marcos Pontes (não tenho duvida que Ele se sentirá honrado de esclarecer em detalhes o que foi assinado), ouvi ontem na Radio Bandeirantes no programa do Megale uma entrevista do Ministro muito esclarecedora. O acordo é muito interessante e Ele conhece muito bem o que foi tratado. O Blog faria um bem danado as torcidas que frequentam a área, acho que todos ficariam felizes com o que foi fechado.

    Segue o jogo

      • Meu, na boa… pra que desmerecer o Marcos Pontes e tudo o que envolveu sua ida ao espaço? Não dá pra entender gente com essa mentalidade. É da mesma linha dos doentes que dizem que os pracinhas da FEB foram pra Itália passear durante a guerra.
        Gente doente da cabeça.

        • O que tem de merecimento em ir plantar feijão no espaço? Você acha que ir ao espaço é grande coisa que só gente ultracapacitada pode fazer? Oras, a NASA sempre negou isso, inclusive, já até mandou uma professora do primário sem instrução alguma. O Marcos Pontes nem doutorado tem.

          • Bom, aí você já tem que reclamar com o presidente que bancou a viagem dele ao espaço. E olha que foi bem carinha. Certamente o ex-presidente acompanhou o lançamento entupido de cachaça.

          • Cara tu é louco.
            Foi no FHC e toda direita ilariante nacional.
            A mesma que só faz burradas e vocês figem não ver.
            Mesmo se fosse no governo Lula ainda sim o mesmo seria um turista super privilegiado.

          • Marcos pontes foi para NASA sob o governo FHC. Formou-se astronauta e não voou por conta da falta de compromisso do governo com suas obrigações junto ao programa da ISS. O voo de Pontes foi no mandato de Lula, em 2006, Missão Centenário por conta dos cem anos do voo do 14- bis.

          • Pois é, mas ninguém nunca deixou de dizer que foi um desperdício de dinheiro, mas, como se já não bastasse isso, ainda colocaram esse cara no ministério, e vocês ainda falam como se ele tivesse autoridade o suficiente para não ser criticado.

          • Na próxima a gente vota no Haddad e ele bota o sobrinho de algum deputado do PSDB no lugar do Pontes em troca de apoio político.

            Fica bom assim?

          • Não mandou nenhuma professora do primário. A astronauta Christa Mcauliffe [Teacher in Space Program] faleceu na missão 51L, na qual o Challenger foi destruído na fase de subida.

          • Prezado Hélio, sugiro ler o livro “Missão Cumprida” e você verá que além dos feijões, que eram projeto de uma escola municipal de terra dele, Bauru, onde os alunos foram agraciados em participar desta esperiência maravilhosa como crescimento vegetal em gravidade zero. Inclusive a NASA enviou os kits para as professoras. Haviam outros 36 projetos de pesquisas de várias universidades brasileiras. Dê uma lidinha, não faça como a maioria dos brasileiros não, onde o exemplo de sucesso é: Wesley Safadão, Ludimilla, Anitta ou BBB!!!!

          • Caramba hein, então foi gasto uma fortuna para render um projeto social numa escola? Agora, progresso científico foi 0 mesmo. Não querendo defender esse pessoal, mas garanto que o Wesley Safadão, Anitta e outros fazem muito mais pelas escolas por ai, claro, sempre para posarem de bons moços.

          • Livro escrito pelo turista privilegiado ou por quem o colocou lá !
            Realmente muito indentificar de interesses kkkk.

        • Cara o serviço dos pracinhas ao país é inquestionável, e quem o fizer realmente tem problemas mentais.
          Já não posso dizer o mesmo desse ministro.
          O que ele fez no vôo qualquer militar ou civil poderia ter feito.
          Não enfeite o pavão.

  10. Analisando a parte que foi discutida no texto e visível que:

    A Base de Alcântara será um centro de lançamento internacional. esse AST permite que capsulas Russas Soyuz sejam lançadas aqui do Brasil carregando tecnologia americana para a ISS (estação espacial internacional) por exemplo ou qualquer outro pais com uma empresa privada ou com órgão estatal lance para o espaço módulos com carga ou componentes americanos.

    Dito isso. O AST que foi firmado em uma visão mundial não é apenas um bom acordo para os EUA ou Brasil, mas sim para o mundo já que possibilita aos países uma base de lançamento mais barata para por cargas no espaço

    Prevejo futuros lançamentos Russos, Europeus da SpaceX e do Governo americano por aqui.

    Me corrijam se estiver errado.

    • R$ 37 bilhões por ano?? Vai alugar uma base sucateada ou permitir a construção de um elevador espacial? Cada hora vejo uma valor diferente, em outra matéria vi que pode render investimentos de até U$1.5 bilhões.

      Por sinal o Brasil tem uma posição perfeita para um elevador espacial (que tem que ser construído no equador), aí sim que ganharia muito $$

  11. Com o lance da OTAN no Forte e essa post aqui, acho que os editores querem infartar o antoniokings, rsrsrsrsrs!!! Fica bravo, não, Antonio… só um chistezinho…

    • E aquela sobre o analfabetismo geopolítico e submissão brasileira diante dos EUA? Infanta quem? Olha, pelo que ando vendo nesses comentários, quem está arrancando os cabelos são os americanistas, muito por não terem capacidade de defender os EUA.

      • Que lado bom? Que lado ruim? Eu nem entrei no mérito, meu caro! Foi só uma brincadeira com o antoniokings, nosso grande devoto da santa rússia, sobre essa proximidade toda estampada nos posts com os malvados americanos. Precisa saber ler sem ver fantasmas em cada letra. Ah, eu não acho, de verdade, que os editores da Trilogia querem provocar um acesso de cardiopatia no antoniokings… talvez só uma crise de pressão alta, hehehe! Fique em paz!

  12. Li noutro comentário a referência a um valor de ~140 milhões de dólares por ano. Eu particularmente não faço ideia do quanto vale o aluguel pensando na economia gerada e na competitividade, contudo, me incomoda profundamente a não divulgação de valores oficialmente.
    Talvez um bem bolado com trocas militares seria uma boa? Daria para, com o valor de alguns anos formar um esquadrão de caças inteiro para Anápolis(pensando que o F-15SE está abaixo dos 100m, em 8 anos e meio o valor ali citado já bastaria para uma dúzia.
    edit: já estão falando na possibilidade da renda disso chegar a 10b de dólares ao ano

    • A vivandeira foi é fez o que é próprio de sua índole! Tudo tem seu preço e nada tem Valor! Defender os Valores de sua nação é totalmente diferente de defender o ganho precificado !!!!! Ganhar rendas e ter o ganho regulado ou tutelado pelo pagador é uma agressão direta ao Valor fundante de qualquer nação: A Soberania nacional!!!!! Nenhuma vivandeira pode ou deve precificar e vender algo que é um Valor da nação!

      • Chegou a loucura. Pra ser sincero, estava demorando até.
        Se tu se preocupasse com soberania nacional, defenderia a exploração comercial do nosso território atrelada a aquisições das forças armadas, mas não, você quer mesmo é isolacionismo à lá turma do chapéu de papel alumínio.

        • American First é patriotismo, soberania do Brasil sem z é isolacionismo!!!!! Nossas forças armadas tem por finalidade primeira defender a Soberania nacional! O orçamento da Área da defesa deve ser objeto do legislativo! Qual foi o projeto da vivandeira em seus quase trinta anos de mandatos consecutivos como deputado da república que defendia ou exigia uma adequação do orçamento da Área de defesa?
          Me diga ,ou melhor, me mostre efetivamente quando o capitão Pateta que outrora conhecido como vivandeira apresentou e lutou pela aprovação de algum projeto que aumentasse o orçamento da Área de defesa!

          • Acho que o uso recorrente de fórmulas químicas para fins recreativos lhe fez ter alguma alucinação, uma vez que em absolutamente NENHUM momento citei o nome do presidente da república. Presidente esse no qual eu não votei nenhuma vez em toda a minha vida e certamente morrerei sem votar. Dê uma reduzida no consumo dessas substâncias, colega.

          • Desculpe, mas o ato tem um ator! O ator agiu e eu critiqueill! minha crítica foi contestada por você! Portanto ou você é tal qual o agente que diz algo que sempre precisa ser justificado pelo fato de não ter dito o que realmente pensou em dizer, ou de fato sua crítica é tão substancial quanto sua coerência! Melhor você utilizar qualquer substância química que lhe conceda alguma capacidade de dizer algo que realmente represente objetivamente o que foi dito!

  13. O valor que gerará esse acordo é muito difícil e subjetivo de ser calculado, por isso uns falam em dezenas de bilhões de dólares e outros em no máximo algumas dezenas de milhões de reais, tudo depende do otimismo ou pessimismo de cada um, vai depender do interesse das empresas, da perspectiva futura desse mercado, dos custos de transporte e dos investimentos necessários por elas para viabilizar lançamentos em Alcântara.

    Inicialmente, imagino que investirão o mínimo possível, no máximo infraestrutura para abastecer os foguetes e o lançador se trouxerem tudo dos EUA nas melhores condições de transporte possíveis mas há sempre a possibilidade de empresas investirem inclusive em suas próprias fábricas além de estrutura logística própria.

    Vejamos o exemplo da SpaceX, o projeto BFR, que terá o tamanho do Saturn V, digamos que a empresa decida lançá-lo de Alcântara, aparentemente ele seguiria a mesma técnica de montagem dos Falcon 9, montado horizontalmente e erguido por elevadores para vertical, então precisaria de uma infraestrutura elevatória considerável e caríssima e com isso investimento considerável que se traduziria em entrada de recursos no país só com essa estrutura.

    Mas há também o oposto, o custo de mandar equipamentos pro Maranhão, lugar precário em infraestrutura portuária, rodoviária e férrea mínima, não é coisa pouca, e os americanos não são conhecidos por aceitar de improvisações, diferente dos indianos.

    https://cdn-images-1.medium.com/max/1600/1*jVWpxeVKCk2qMyS4C8JneQ.jpeg

  14. Em 10 anos será a melhor base de lançamentos da américa latina, a região vai se desenvolver, e os quilombolas e moradores na região vão prosperar de verdade, e nossos cientistas vão aprender muito com os americanos, sem contar o $$$ que iremos lucrar.

    • Quem não deve estar feliz com isso além é claro dos nossos canhotos de estimação, são os franceses na base de Kourou na Guiana Fr. vai ser briga de cachorro grande com os americanos nos ajudando.

    • Óbvio! Vão precisar de gases, vão precisar de alimentação, vão precisar de segurança, vão precisar de base militar, vão precisar de diversos insumos que não vale a pena trazerem dos EUA e assim, vão produzir localmente. ÓBVIO! Fora o turismo. o Valor agregado e de díficil mensuração é ENORME

  15. Fui da uma googlada para ver as estruturas de Alcântara e depois Cabo Canaveral , inevitavelmente me lembrei de um amigo que apos voltar dos EUA me disse assustado :cara nos somos índios ainda!

    • Na época do descobrimento os europeus quando vinham aqui negociavam com os índios a extração do pau-brasil oferecendo em troca espelhos e quinquilharias…os colonizadores davam bugigangas(apitos, espelhos, chocalhos) para os indígenas e em troca de trabalho os nativos deveriam cortar as árvores de pau-brasil e carregar os troncos até as suas caravelas…se passa os séculos mas é impressionante como continua tudo ainda exatamente do mesmo jeito…

      • Isso é um mito criado pela turma que adora coitadismo, mas se fosse verdade e os índios topassem cortar árvore em troca de apito, qual o problema?

        Bem, na verdade eu sei qual o problema: é que a turma do coitadismo não admite que alguém saiba o que é melhor para si mesmo.

  16. Esse fórum está parecendo o governo Eysenhawer (se lá como se escreve).
    Uma esquerdofobia sem igual.
    Daqui a pouco haverá cassação de pessoas baseado em denúncias falsas de que as mesmas são comunistas.
    Bastará não gostar de seu vizinho para denunciar e prender o mesmo.
    Ou seja a nova versão do famigerado livro Martelo das bruxas.
    Imbecilidade sem igual em um país pobre, desigual, injusto e corrupto.

  17. Que tal o Brasil desenvolver seus próprios lançadores e vender o serviço a empresas interessadas em colocar seus satélites em orbita?
    “Oh.. wait…” era isso o que estávamos tentando fazer antes de sofrermos sabotagens pesadas justamente de quem não que ter mais concorrentes nesse setor.

    Vamos continuar dependentes de potencias estrangeiras para colocar qualquer satélite em orbita.

    • Susk, eu moro em uma cidade que muita gente acha que é um exemplo para o mundo, e o bairro do lado do meu não tem rede de esgoto.
      O motivo de não termos lançadores de satélites é o mesmo de tantas cidades não terem rede de esgoto: somos incompetentes, elegemos políticos corruptos e jamais admitimos a culpa pelos nossos erros. A culpa é sempre dos outros, em geral dos “imperialistas malvados”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here