Home Aviação de Ataque VÍDEO: Gripen – Sempre pronto para o combate

VÍDEO: Gripen – Sempre pronto para o combate

21924
70

A Saab divulgou o vídeo abaixo, com o caça Gripen operando a partir de estradas, para garantir que a disponibilidade seja maximizada o tempo todo. O Gripen pode operar a partir de uma pista de apenas 16 x 800 metros.

Durante a Guerra Fria, sabendo que no primeiro dia de guerra com a União Soviética suas bases aéreas provavelmente seriam neutralizadas, a Força Aérea Sueca desenvolveu sua estratégia de dispersão.

Desdobrando suas unidades aéreas pelo país, os caças empregam rodovias como pistas de pouso e decolagem e usam as grandes florestas de coníferas como camuflagem, que servem para ocultar edifícios de comando e comunicações e depósitos de combustível e munições.

A tática demonsta que é possível realizar operações aéreas com aeronaves Gripen a partir de um grande número de estradas e os suecos continuam a desenvolver esta forma de treinamento.

70
Deixe um comentário

avatar
38 Comment threads
32 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
51 Comment authors
Fernando "Nunão" De MartiniRoberto FeuroDekkoAndré Luis Gusmãoluiz Silva Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Phacsantos
Visitante
Phacsantos

No Brasil o único problema seriam os buracos na pista…

jack
Visitante
jack

Rapaz, essa foi a primeira coisa que eu pensei !!

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Visitante
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

Nesse caso, especialmente aqui no Ceará, nem seria preciso o inimigo bombardear as pistas, pois o governador petista chegou primeiro com a eficácia de 20 termobáricas ou 1 Moab.

Cássio
Visitante
Cássio

Como morador do estado, atesto e dou fé. Vi no jornal local, que segundo um estudo do DNIT divulgado ano passado, o Ceará tem as piores estradas da região Nordeste. Tsar Bomba é fichinha perto da má administração do governo vermelho.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Nem toda rodovia no Brasil é o caos. E nem são tão raras quanto muitos pensam.

Porém, países que cultivam o conceito de rodopista possuem trechos especiais, com largura e retas acima da média, construção reforçada e pontos de apoio ao lado da estrada.

Heli
Visitante
Heli

E os pedágios

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Usa o sem parar.

Dekko
Visitante
Dekko

Kkkk vcs são muito figura

Leonardo de Araújo
Visitante
Leonardo de Araújo

Não se preocupem os nossos serão com tração 3×3

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Exceto as melhores rodovias do estado de SP e há Muitas.

Ponte Rio-Niteroi é outra opção.

Depois não sei….

Denis
Visitante
Denis

Pode mandar aqui pra Paraíba. Pistas quase perfeitas. A última gestão investiu intensamente em restauração e pavimentação de novas estradas.

luiz Silva
Visitante

kkkkkkk aqui ns USA pagamos 10% de imposto na compra dos carros e as estradas sao excelentes. No Brasil paga se de 35% a 45% de imposto na compra do carrro (valor embutido) e as estradas sao horriveis. Usam material ruim pra lucrar mais com a obra, tudo uma sacanagem.

André Luis Gusmão
Visitante
André Luis Gusmão

Ta aí uma boa razão para iniciar o desenvolvimento da versão naval, com trem de pouco reforçado!

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Sera que consegue operar numa pista com lombadas eletronicas, esburacada e com radares de velocidade??? E sem levar multa???

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Boa, na verdade, ótima !!!hauhauhauhauhau

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Já ia comentar isso Phacsantos. No Brasil aonde a norma técnica de construção de estradas é feita para ter buracos para se ganhar dinheiro, dá nisso. Na Suécia as estradas são feitas para suportar grande esforços. No Brasil é essa vergonha.

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

No Brasil é a sociedade que feita para suportar grandes esforços…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

De olho na Finlândia…

nonato
Visitante
nonato

Problema: só faz sentido a dispersão se a ameaça de guerra for prévia.
Se não, não dá tempo haver a reação/dispersão.
Outro aspecto, de que serviriam 50 caças desdobrados?
A cada surtida, 10, 20 poderiam ser derrubados.
Quero dizer, não é igual guerrilha que você pode passar anos se escondendo.
Aí, havendo a destruição das bases aéreas, no máximo em uma semana poderia estar ocupado e consequentemente, muitos mísseis antiaéreos ou até a apreensão dos aviões em solo.
É uma tática não tão efetiva.
O que vocês acham?

Marcos
Visitante
Marcos

O Brasil possui mais de 4 mil aeroportos. Prefere pousar em uma pista ou em um aeroclube de uma cidade que só aparece no mapa por causa do GPS?

Gustavo
Visitante
Gustavo

O problema que muito “aeroporto” no Brasil não passa de Aeroclube, e muitos nem pista pavimenta tem… Assim, prefiro pousar em uma estrada. rs

rodrigo
Visitante
rodrigo

as linhas de trasmissao nao teriam que ser subterrâneas para nao se tornarem obstaculos?

Gustavo
Visitante
Gustavo

esses exercícios só são feitos em rodovias após inspeção para ver todos os aspectos, inclusive fiação, pontes, passarelas e etc.

Phacsantos
Visitante
Phacsantos

Num país imenso como o Brasil, caso as estradas fossem dignas, não poderia ser uma estratégia para otimizar o tempo de combate?
Por exemplo, numa situação onde a distância da Base até o TO é de 500km, não seria uma vantagem proporcionar um local de pouso a 100km do TO para que os caças reabasteçam, remuniciem e decolem brevemente de volta ao combate? Nessa situação hipotética economizaria-se 800km de combustível e tempo…

camilo
Visitante
camilo

Roberto numa guerra os 1º alvos são bases e puntos estratêgicos.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

KC tanker

MRTT

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

C 130 tanker também

Resolve a gasosa, mas remuniciamento zero.

Gustavo
Visitante
Gustavo

https://www.youtube.com/watch?v=CIfXyT4dGO4

4 dias atrás saiu esse vídeo da série “Colaboração real” também! Abraços!

Gustavo
Visitante
Gustavo

todas as capacidades devem ser mantidas para o “E”. Isso serve muito bem ao Brasil, para desdobramentos temporários… Só vão ter que pagar R$ 7,60 pra pousar e R$ 7,60 pra decolar. Brincadeiras a parte, é ótimo ver que uma equipe de 6 pessoas é capaz de deixar o caça pronto em pouco menos de 10 min para o combate novamente.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Aqui na Paraíba já teve treinamentos com caças AMX ou era F-5 pousando na BR-230 a uns anos atrás. Não me lembro a aeronave, mas fazem alguns anos, tipo, uns 7 a 10 anos.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Eram Bandeirantes e Tucanos. E tem coisa de 25 anos isso.

https://www.youtube.com/watch?v=SrrH54kRxPI

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Não amigo, foi mais recente, pois eu tenho 25 anos e quando eu vi, eu tinha uns 15 eu acho… E eram tucanos e AMX.

Marcilio lemos de Araujo
Visitante
Marcilio lemos de Araujo

O que é a história, em 1984 um grupo de aviões F5 e Xavante da FAB, se encontravam no aeroporto internacional de confins e o treinamento consistia em aterrisar na Belém/Brasilia para uma possível retirada do futuro presidente Trancredo Neves, uma vez que o general, Linha Dura, Newtom Cruz dizia que ele não tomaria posse, dai então viria para Minas Gerais, para posteriores desdobramentos, Com a palavra Coronel Nery.

Luiz Argenta
Visitante
Luiz Argenta

Os Gripen,s pagarão pedágio se utilizarem as estradas no Brasil…kkkkk

Joao Argolo
Visitante
Joao Argolo

Apesar de não ser especialista penso que essa estratégia de estrada é para combate eminente como está descrito na reportagem, o que não é nosso caso. É o caso de um país que já vive em alerta máximo.

Minuteman
Visitante
Minuteman

Os matadores de solta-pecinha russos.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

No caso do Brasil eu não acho necessário a utilização de estradas como pistas de pouso e campos improvisados devido ao nosso tamanho. Mas acho bastante interessante em teatros menores como o Europeu, em que um primeiro ataque poderia inutilizar todas ou boa parte das bases aéreas. E, convenhamos, capacidades nunca são demais. Pelo menos, mal não faz, e promove a flexibilidade.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Prefiro quando o titulo for ” Gripen – pronto para ser entregue ao Brasil “

mattos
Visitante
mattos

Buracos na pista, boi, vaca, malucos, bebados, caminhões, drogados, radar, lombada, carros mal conservados, motoristas folgados e ignorantes, inindações, pedras rolando ribanceira, cruzamentos curvas mal feitas, roubalheira, tráfico, subornos, etc. As operações em estradas no Brasil jamais darão certo.

Régis Athayde
Visitante
Régis Athayde

Quanto à vaca na pista, isto parece ser um problema sério lá na Índia, ao que parece

mattos
Visitante
mattos

Esqueci. UM tal tribunal também

mattos
Visitante
mattos

Olhem outra, pedágio cobrados pelos índios.

elcimar marujo
Visitante
elcimar marujo

se não me engano já foi feito testes desse tipo por aqui,lembro de um xavante pousando numa rodovia….?

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz
Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

No nosso caso não seriam pistas de rodovias más algumas das 1500 pistas de pequenos aeroportos Brasil a fora

Robsonmkt
Visitante

De fato, impressionante. Apesar da reclamação geral (e merecida) contra boa parte de nossas estradas, também temos esteadas privatizadas em bom estado, e diversas pistas curtas de aeroportos e aeródromos de cidades menores.
Sem dúvida, é uma vantagem tática enorme que o Gripen apresenta.

Antunes Neto
Visitante
Antunes Neto

Moro na Paraíba a 2 anos e as estradas aqui são excelentes, com uma ou outra exceção. Resultado de anos de pessoal técnico e capacitado a frente dos órgãos responsáveis. O problema das estradas no Brasil é gestão. Há exemplos onde a gestão pública funciona, basta real vontade política. Sou de PE e o planejamento de manutenção de estradas do meu estado não funciona. Na era do Eduardo até se teve algum cuidado, hoje o estado tá entregue. … Voltando ao tema, acredito que a lógica de pulverização em estradas funciona em países com um número restrito de aeroportos, onde… Read more »

PMiguel
Visitante
PMiguel

Esperava uma discussão mais madura 😬. No mais, acho muito interessante a capacidade de alguns poucos caminhões (no vídeo eles usam umas Spriters da Mercedes) poderem darem suporte as aeronaves devolvendo a capacidade operativa das mesmas, sendo em rodovias ou pequenos aeródromos sem a necessidade de uma estrutura física, isso pode não ser o ideal, mas abre um leque de possibilidades logísticas e de operaçoes, afinal, é melhor ter e não precisar do que precisar e não ter. Outro ponto que achei interessante é que os suecos não parecem ter tanto “medo” de FOB operando nessas situações. Como se sairiam… Read more »

Anderson
Visitante
Anderson

Aki no Brasil decolando nas estradas só se os Gripen forem 4×4 kkkkkkk

José Maurício Caixeta de Aquino
Visitante
José Maurício Caixeta de Aquino

Cada vez mais percebo que o Brasil escolheu a melhor aeronave naquele concurso.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Na verdade o termo concurso serve mais para miss ou servidor publico,

Talvez licitação ou concorrência internacional seja mais adequado.
Sds

Theo Gatos
Visitante
Theo Gatos

Mas talvez com uma derrota vendida um pouco mais caro do que logo no primeiro dia… O que por si só pode ajudar a dissuadir um pouco o inimigo que neste caso teria, provavelmente, vários flancos simultâneos pela europa…
.
Sds

willhorv
Visitante
willhorv

Esta tática vem sendo adotada desdes os Saab Draken e Vigen se não me falha a memória….e está bem treinada e difundida.
O objetivo é minimizar perdas e tornar o mais difícil possível uma supremacia aérea inimiga. Com isso se torna um país difícil de invadir ou dominar.
No caso, a pergunta que se deve fazer é: o inimigo deseja invadir ou arrasar as terras…na segunda opção, em se tratando de uma potência nuclear, estas táticas de nada valem. Já no primeiro caso, é viável sim!

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Acho que a FAB deveria ter a sua disposição, locais em rodovias federais onde o pavimento fosse de qualidade e que sempre houvesse uma manutenção para sua conservação.

Apesar de não termos inimigos como os suecos e demais países baixos, treinar para situações como essa deveria ser algo visto como algo positivo.
Adquirir métodos operacionais de outros países ainda mais de países que têm tradição nesse tipo de operação é algo que só vem à somar.

LUIS FERNANDO BAPTISTA
Visitante
LUIS FERNANDO BAPTISTA

Creio ser possível. no Brasil desde que: as empresas que possuem a concessão das rodovias serem forçadas a deixarem trechos aptos para essa operação ( claro que o ideal seria TODA a estrada porém…) E que os aeroclubes sejam incentivados a ter pistas adequadas para a operação. Não ficara caro para o Estado e seria ótimo para a aviação como um todo.

teropode
Visitante

A história já demonstrou que resistir até o último minuto pode significar uma virada de mesa , certamente não contariamos com uma incompetência italiana ou com o General inverno mas ; é bom estar preparado pra usar todas as cartas , inclusive carros bombas rsrsrsrsrs.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Ou que você não está disposto a acreditar que hangaretes reforçados, em locais previamente conhecidos e bem estudados pelos seus inimigos, seja um local seguro em tempo de guerra.

Até porque, no caso dos soviéticos, a força aérea acompanha o avanço das forças terrestres. Isso não é atitude de quem está pensando em perder uma guerra, ao meu ver.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Exceto prontidão,
em Israel decolou é para executar a missão.

Recce
Visitante
Recce

Uma divisão? Acho que não…

LUCIO NOGUEIRA ANDRADE
Visitante
LUCIO NOGUEIRA ANDRADE

Rapaz, acho que o problema maior de ser operar nas nossas estradas seria o preço dos pedágios…

Guilherme
Visitante
Guilherme

O que me chocou hoje foi um comentarista da Jovem Pan no jornal da manhã, o prof Villa, falar que o Gripen foi comprado devido a corrupção com recebimento de propina (pode ate ser) e que o contrato tinha que ser cancelado (loucura) e que o Gripen é um péssimo caça, alguem que conheça alguem da Jovem Pan pode pedir para internar esse cara?
Nunca ouvi tanta besteira.

Kemen
Visitante
Kemen

É isso Guilherme, tem jornalista e professor que não sabe o que fala para o público, é uma vergonha a ignorancia e a decadência da nossa imprensa e alguns pretensos intelectuais, FEstival de BEsteiras que Asolão o PAis – FEBEAPA

Flanker
Visitante
Flanker

No Brasil, foram realizadas as chamadas operações rodo-pista….as primeiras foram realizadas pelos AT-26 do Poker e do Centauro, no início dos anos 1990, em um techo de uma reta de mais de 10 km da BR-392, entre as cidades de Santa Maria e São Sepé. Anos depois, foi realizado o mesmo tipo de operação no nordeste, utilizando os AT-27 Tucano. Não lembro se houveram outras operações do tipo, no Brasil.

Kemen
Visitante
Kemen

Tendo em vista o que foi aqui redigido pelos colegas, com relação a buracos nas estradas e devido a que as maiores e bem mantidas rodovias, notadamente em São Paulo e Rio de Janeiro, seriam facilmente mapeadas e detectadas pelo inimigo, sugiro para os Gripen descobrir e utilizar as pistas feitas pelos narco traficantes para pouso das suas aeronaves.

Charly
Visitante
Charly

O Brasil fazia algo assim com os bandeirantes, me lembro de ler em revistas, talvez possa realizar o mesmo com os Gripen. Off Topic, acho que tá acontecendo algum treinamento em Anápolis, ouvi jatos várias vezes nos últimos 4 dias e não é comum, porém não consegui ver as aeronaves.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Caro Bob Santana

Concordo com suas afirmações, mas faço ressalvas:

O objetivo da Força Aérea Sueca (não consigo escrever o nome original kkkkk) na verdade são:

Parte para bombardeio das linhas de suprimentos do atacante, parte dos atacantes e parte para combate aéreo.

Certamente os Suecos e Filandeses tem estratégias não reveladas.

Atacou a Suécia ?

Finlândia e Noruega se engajam naturalmente.

Depois NATO.

É o que penso Colega Forista.

Mig35
Visitante
Mig35

Legal pena que não vendi. Ninguém quer essa boqueta.

Felipe S
Visitante
Felipe S

Torcendo para que vingue a negociação do segundo lote do Gripen NG para o Brasil até 2022, cuja produção se iniciaria em 2025, e com uma maior nacionalização dos mesmos, mais 36 ou quem sabe 48 para substituir todos os F-5M.

Roberto Feuro
Visitante
Roberto Feuro

Ótimo que opere em pistas curtas. Para isso a quantidade de combustível foi sacrificada. Para defender a Suécia é suficiente. Baseados em Anápolis não terão autonomia para atuar em todo o território nacional. Terão que usar as bases no Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Outro ponto importante: qual a experiência em combate real que o modelo brasileiro tem? Quando, onde e quanto tempo no ar em combate?

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

“Ótimo que opere em pistas curtas. Para isso a quantidade de combustível foi sacrificada.“ Roberto, você misturou alhos com bugalhos. No Gripen E, a quantidade de combustível interna foi ampliada. E a quantidade de combustível interno do anterior, Gripen C, já era equivalente à de outros caças de tamanho e peso semelhantes. “Baseados em Anápolis não terão autonomia para atuar em todo o território nacional.” Isso vale pra qualquer caça. Concentrar numa base não significa que vá fazer defesa aérea de todo o Brasil a partir dela, e sim que pode ser desdobrado a partir dessa baae, se necessário. Para… Read more »