Home Aviação de Ataque Com que rapidez uma ala de bombardeiros nucleares decola para o Dia...

Com que rapidez uma ala de bombardeiros nucleares decola para o Dia do Juízo Final?

38918
106

A Força Aérea dos EUA treina para decolar com seus bombardeiros o mais rapidamente possível – antes que um míssil balístico intercontinental (ICBM) atinja sua bases.

Dado que um ICBM leva cerca de 30 minutos para chegar ao seu alvo – isso não é muito tempo. Na verdade, vai chegar lá mais rápido do que a entrega de uma pizza que você pediu. Então, pode parecer que uma base estaria condenada antes de conseguir fazer decolar todos os seus bombardeiros.

Mas durante a Guerra Fria, o Comando Aéreo Estratégico da USAF criou com o que eles chamavam de “Minimum Interval Take-Off” – ou MITO.

Em essência, o MITO é uma corrida bem ensaiada para decolar os aviões. Eles decolam a uma taxa de quatro por minuto – um a cada quinze segundos.

O vídeo abaixo é do Global Thunder 17, um exercício que aconteceu em outubro de 2016. Começa com um monte de SUVs e caminhonetes levando as tripulações para os BUFFs.

Então, um por um, os bombardeiros B-52H Stratofortress decolam. O objetivo é que um ICBM recebido atinja uma base vazia. Até agora, isso só foi feito em treinamentos, mas se esse momento do Juízo Final vier, parece que a Força Aérea dos EUA estará pronta para o desafio.

Subscribe
Notify of
guest
106 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Elton
Elton
1 ano atrás

Ser vizinho de uma bases dessas e de repente ouvir uma movimentação dessas depois de ligar o radio com mensagem de emergência nacional deve ser o maior temor de quem mora perto de uma instalação dessas.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Elton
1 ano atrás

As bases alertavam que era treinamento uma vez que as aeronaves decolavam.

Jorge F
Jorge F
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Na dúvida eu pegava minha família e dirigia 60km em qualquer direção, mas para longe dali…

nonato
nonato
Reply to  Elton
1 ano atrás

Deve ser muita emoção também.
Fazer uma live no Facebook…

Saulo
Saulo
Reply to  Elton
1 ano atrás

Veja um filme antigo chamado The day after -O dia seguinte,mostra uma cena parecida de uma casa do lado de uma base de lançamento de misseis e o desespero da família pra fugir antes que as bombas cheguem depois de verem os misseis sendo lançados. Algumas imagens foram baseadas em testes reias de armas nucleares nas décadas de 50 e 60.
https://youtu.be/7VG2aJyIFrA

Alcantara
Alcantara
Reply to  Saulo
1 ano atrás

Eu ia comentar exatamente isso: veja o filme “The Day After”!

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Saulo
1 ano atrás

Saulo.
Este filme é fantástico. Nos deixa com um vazio existencial muito grande depois de vê-lo.

Wagner
Wagner
Reply to  Antonio Palhares
1 ano atrás

É verdade! Fica aquele amargo na boca quando acaba o filme.

Alexandre Terra
Alexandre Terra
Reply to  Antonio Palhares
1 ano atrás

Verdade Antônio, e no finalzinho do filme tem uma mensagem narrada, dirigida a líderes mundiais sobre uma reflexão séria ao possível uso deste tipo de arma e suas consequências letais e devastadoras a existência da humanidade! Ótimo filme!

Alex Nogueira
Alex Nogueira
1 ano atrás

Se é loco ser vizinho de uma base dessas hahaha.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

hahaha eu sei bem como é isso, e não reclamo. hahah

Mercenário
Mercenário
Reply to  Gustavo
1 ano atrás

Base brasileira ou americana?

Se for no Brasil, sabemos que o risco é mínimo…

Chevalier
Chevalier
1 ano atrás

O pressuposto é de que o ataque nuclear terá como alvo a própria base? Se sim, os motoristas das caminhonetes ficam no solo para morrer? Eu me agarrava no trem de pouso e ia junto.

Arsénio Sapatinha
Arsénio Sapatinha
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Boa observação câmara!

Laerte
Laerte
Reply to  Arsénio Sapatinha
1 ano atrás

Bom, eles devem ter aonde se esconder, mas os aviões não, eles iam ficar expostos ao ataque inimigo, já a equipe de solo, tem outros procedimentos pra evitar sofrer baixas desnecessárias, também, os aviões é quem vão revidar os ataques logo em seguida em algum outro lugar.

Allan Canuto Martins
Allan Canuto Martins
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Devem retornar pra algum tipo de bunker ou vao pra dentro dos aviões

Elton
Elton
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Provavelmente eles devem ter abrigos com proteção nuclear para o pessoal de apoio no solo que esteja de alerta na base agora a questão é que se chegariam a tempo antes do ataque atingir a base.

MARCOV
MARCOV
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Pior ainda é o caso das mulheres e filhos de cada tripulante. Eles moram na base. Em uma situação real as aeronaves estão em voo para atacar o inimigo e suas famílias já foram condenadas.
Em um cenário desses o estado emocional da tripulação é colocado à prova.

MICHAEL DIAS
MICHAEL DIAS
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Cada um tem uma função.

Mario SEAE
Mario SEAE
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Morri… de rir, é claro.
Muito bom o comentário

Arsénio Sapatinha
Arsénio Sapatinha
1 ano atrás

Ninguem jamais estará pronto para um ICBM, nunca!

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

se eu morasse do lado desse base, eu ia me esconder toda vez que visse essa movimentação, mesmo que dissessem que era treinamento.

diego oliveira
diego oliveira
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

oras já treinava uma evasão também.kkk

Sergio
Sergio
1 ano atrás

Isso me lembrou aquele filme do final da década de 70 que simulava como seria um ataque nuclear nos EUA, todo mundo se virando pra se proteger e os soldados da base se perguntando ” e nos vamos ficar aqui pra morrer nesse buraco ? “

Carcará 01
Carcará 01
Reply to  Sergio
1 ano atrás

The Day After, O Dia Seguinte, 1984

PauloSollo
1 ano atrás

Esta foto dos B-52 com os rastros de fumaça é a própria imagem do juízo final. Só perde para a chaminé do Kuznetsov.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

O B-52 é movido a óleo combustível e o Kuznetsov a carvão!

Humberto
Humberto
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

O rastro de fumaça é por causa da injeção de água nos motores para aumentar a potencia dos mesmos.
O motor é velho, mas não estão esfumaçando hehehehe

Daniel
Daniel
1 ano atrás

Faria sentido lançar um ICBM numa base aérea?
Já que é pra f….. que lance numa usina nuclear, se bem que um ataque num reator poderia pôr em risco a humanidade e claro, o próprio país lançador do míssil.

Aurelio
Aurelio
Reply to  Daniel
1 ano atrás

A ideia de atacar a base seria justamente neutralizar a chance de resposta do inimigo.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Acho que o índice de sobrevivência (no ar) dessas marias-fumaça (literalmente) seria baixíssimo.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O que dizer do Kuznetsov então? Os B-52 pelo menos estão a uns 900Km/h..

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

As primeiras aeronaves a operar com mísseis de cruzeiro foram os bombardeiros convencionais soviéticos e americanos, justamente para evitar que os bombardeiros tivessem que enfrentar as defesas inimigas.

Paddy Mayne
Paddy Mayne
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

A estrutura de defesa americana proporciona algum grau de sobrevivência a esses aviões, que naturalmente não farão penetração no território inimigo. A chance deles é muito maior que a de um Tu-160. E não vamos sequer entrar no fato da existencia do B-2…

Rubens
Rubens
Reply to  Paddy Mayne
1 ano atrás

Como assim? As B52 não seriam um alvo fácil para a caça inimiga? Os caças poderiam interceptá-las já na metade do caminho? Ou os eles estariam voando com escolta? Ao melhor estilo WWII.

EduardoSP
EduardoSP
1 ano atrás

Em uma decolagem como essa, com intervalos de 15 segundos, como os aviões fazem para evitar o vortex dos que já decolaram?
São aviões de grande porte, com oito motores e o vortex deve ser significativo. Existe alguma manobra específica para isso como, por exemplo, cada aeronave seguir em uma altura ou rota diferente logo após a decolagem?

Fábio Campos
Fábio Campos
Reply to  EduardoSP
1 ano atrás

Sim…

cwb
cwb
1 ano atrás

Então eles estão de prontidão e armados para seguir para os alvos designados?
Achei que isso era na época da guerra fria…

Washington Luiz
Washington Luiz
Reply to  cwb
1 ano atrás

Bombardeiros estratégicos sempre estão prontos pra a ação assim como toda a base que os abriga.

Flanker
Flanker
Reply to  cwb
1 ano atrás

Cwb, onde na matéria está escrito isso? No texto, podemos ler que as tripulações são levadas em SUV’s e camionetes até os aviões, assim que o alarme é disparado. As tripulações não ficam de prontidão nos aviões. O que ocorre é o mesmo que acontecr5nas unidades de Defesa Aérea. ..onde sempre há tripulações de prontidão afuradando o acionamento. ..daí então guarnecem as aeronaves e decolam.

Jean Jardino
Jean Jardino
Reply to  cwb
1 ano atrás

Tudo depende de qual grau esta o DEFCON ( Prontidao para defesa dos EUA, DEFECON 5, 4, 3, 2 E 1) SEGUE ABAIXO SUAS NOMENCLATURAS EM INGLES.

Readiness condition Exercise term Description Readiness
DEFCON 1 COCKED PISTOL Nuclear war is imminent Maximum readiness
DEFCON 2 FAST PACE Next step to nuclear war Armed Forces ready to deploy and engage in less than 6 hours
DEFCON 3 ROAD HOUSE Increase in force readiness above that required for normal readiness Air Force ready to mobilize in 15 minutes
DEFCON 4 DOUBLE TAKE Increased intelligence watch and strengthened security measures Above normal readiness
DEFCON 5 FADE OUT Lowest state of readiness Normal readiness

Tiago
Tiago
Reply to  cwb
1 ano atrás

Os alvos são designados no ar, é igual quando caças são enviados para uma interceptação, o objetivo do piloto é estar no céu o mais rápido possível, só depois que ele já decolou que o objetivo é informado.

GripenBR
GripenBR
1 ano atrás

Esses aviões usam os mesmo motores do porta aviões russo? Hahaha

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  GripenBR
1 ano atrás

Sim mas o gripen ja possui um derivado deles então nao se preocupe

Maurício.
Maurício.
1 ano atrás

Junte alguns B-52 e alguns Mig-29 e você terá a esquadrilha da fumaça perfeita rsrsrs.
Esses dias o “teropode” me chamou de senhor apocalíptico, legal ver que eu não sou o único senhor apocalíptico na terra…
Entre os grandes a conversa é e sempre será na base nuclear e isso é um fato.

Aéreo
Aéreo
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Não esqueça do AMX acompanhando.

Flanker
Flanker
Reply to  Aéreo
1 ano atrás

O A-1 faz fumaça, sim. Assisto – os decolar diariamente, aqui rm SM. Mas, não daz nem perto ds fumaça de um Mig-29, por exemplo. Um B-52, até mesmo por contar com 8 motores, é o mais fumacento de todos.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Aéreo
1 ano atrás

E dos F-4 Phanton rsrsrs.

Rui chapéu
Rui chapéu
1 ano atrás

E eu achando que o MITO morasse em Brasília

RODRIGO
RODRIGO
1 ano atrás

Lembrando que nos anos 60 haviam pelo menos 12 B52’s em alerta permanente em voo ( operação chrome dome). Fico a imaginar o custo e o desgaste absurdo das celulas e por que não das respectivas tripulações…

Valdez Oliveira de Araujo
Valdez Oliveira de Araujo
1 ano atrás

E os operadores da torre de comando?

Flanker
Flanker
1 ano atrás

E as aeronaves permanecem armadas e abastecidas 24/7….de novo, o mesmo esquema de alerta de Defesa Aérea. …se for esperar armar e abastecer, já deu tempo da base ser aringida e pulverizada. ..no caso de Defesa Área, o alvo iria embora na maior tranquilidade.

Peter nine-nine
Peter nine-nine
1 ano atrás

off topic: https://www.aviationpros.com/engines-components/aircraft-airframe-accessories/avionics/press-release/21070096/collins-aerospace-portuguese-air-force-picks-collins-aerospace-for-c130h-hercules-aircraft-modernization-effort?fbclid=IwAR1xI2UdUffvbPKHSYCadQ8rbdGY4ypiU3YN_jbVd5xX0pwmf3xQtMLBwV4 Não anula necessariamente a compra do KC, mas pode significar a operação conjunta dos dois meios no futuro, nem que sejam só uns anos. Quanto a matéria -“Então, um por um, os bombardeiros B-52H Stratofortress decolam. O objetivo é que um ICBM recebido atinja uma base vazia. Até agora, isso só foi feito em treinamentos, mas se esse momento do Juízo Final vier, parece que a Força Aérea dos EUA estará pronta para o desafio.” Não será bem uma base vazia, mas sim vazia de aeronaves. Deve ser triste para o restante pessoal da base, se bem… Read more »

Tio Velho Comuna
Tio Velho Comuna
1 ano atrás

Com o advento do ICBM, qual seria a lógica de ainda possuir bombardeiros desses? O ICBM não poderia fazer tudo o que eles fazem de forma melhor?

Daglian
Daglian
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

Sendo que a USAF já possuía os B-52, é mais barato mantê-los do que simplesmente jogar todos “no lixo” para comprar outros ICBMs, o que não faria sentido econômico. Além disso, é simplesmente uma forma de diversificar a força nuclear. Há ICBMs em silos na terra, nos SSBNs, e há armas nucleares nos B-52, o que aumenta a versatilidade dos americanos numa eventual guerra nuclear. Ainda nesse contexto, sabendo que a USAF possui B-2 e possuirá o futuro B-21 (os quais são/serão stealth), ambos os quais podem e carregam bombas nucleares, certamente ainda veremos bombardeiros atuando nessa função por muito… Read more »

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

O bombardeiro tem uma capacidade maior, o B-1 quando ainda era armado com bombas nucleares podia carregar quase 30 megatons em bombas.

Fritz Paul Ferigollo Reinacher
Fritz Paul Ferigollo Reinacher
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

Os Bombardeiros podem ser chamados de volta em caso de alarme falso. O Míssil , uma vez disparado não tem como ser parado.
E o bombardeiro pode levar armas convencionais, sendo assim mais flexível

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

Apenas complementando o que já disseram os colegas. O bombardeiro estratégico dotado de armas nucleares pode ser usado como dissuasão, sinalizando uma escalada no conflito sem, no entanto, provocar uma guerra nuclear. Por exemplo, durante a Crise dos Mísseis de Cuba os americanos colocaram mais patrulhas de B-52 no ar do que o normal, para dissuadir os soviéticos e cubanos. Além disso, até onde sei, há uma maior flexibilidade em designar alvos para os mísseis de cruzeiro (e, com certeza para as bombas nucleares de queda livre) do que para um ICBM que, li certa vez, precisariam de pelo menos… Read more »

Humberto
Humberto
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

Complementando as respostas. Existe a Triade nuclear, que é composta por ICBM, Bombardeiros Estratégicos e os SLBM (mísseis que são transportados por submarinos). No geral, os ICBM são os maiores, que conseguem transportar mais ogivas e a uma distancia maior e são mais facilmente mantidos, tem como grande desvantagem, ter a sua localização conhecida e com isto, em tese ser mais fácil de ser destruído (mesmo estando em silos “enterrados”). Em tese, seriam os primeiros a serem lançados em um ataque surpresa. Já o submarino, como fica navegando e submerso, são alvos mais difíceis de serem localizados, existe um jogo… Read more »

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

E complementando o que já disseram os colegas, ter um bombardeiro estratégico desse dotado de armas nucleares pode dar a vantagem ao Trump de dizer ao gordinho maluco : Perdeu otário kkkk

Bosco
Bosco
Reply to  Tio Velho Comuna
1 ano atrás

Tio Velho Comuna,
Países como os EUA, China e Rússia sentem necessidade de terem bombardeiros. Em os tendo, não há porque não os armá-los com armas nucleares.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Resumo da ópera, não dá tempo de reagir!
Lá se vai uma cidade ou país inteiro consumido por uma nuke!

Alfredo RCS
Alfredo RCS
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Acho que os b-52 decolam beeeeem antes do conflito realmente comecar, baseados em dados da inteligencia. La pelo DEFCON 3 os b-52 ja estarao voando.

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
1 ano atrás

O bichão decola todo apagado, em uma crise de meses manter o máximo possível de caças e bombardeiros em alerta total fica caro mas muuito caro , pra quem mora em Guam ou Diego Garcia no caso de vias de fato e sentença de morte .

Billy
Billy
1 ano atrás

Verdadeiros heróis. ..os motoras das vans!

Alexandro sousa sles
Alexandro sousa sles
1 ano atrás

Um nov derrubou um f16…ai todo mundo falando…como ele conseguiu isso???
Simples….perícia do piloto…de um tucano na mão de um russo para ele lutar contra toda a forma aérea brasileira…ele não levaria mais que 30 m8juros para acabar com todos…

teropode
Reply to  Alexandro sousa sles
1 ano atrás

A Colômbia manda lembranças????? 😅😅😅😅

ivo
ivo
1 ano atrás

Será que os pilotos fazem chek list? Ou nessas horas se dispensa a “formalidade”?

Lucas Senna
Lucas Senna
Reply to  ivo
1 ano atrás

Sem check list. É taxiar, “balls to the wall” e rumar pro alvo.

SPQR
SPQR
1 ano atrás

Provável que os vizinhos sejam militares lotados na base.

Washington Menezes
Washington Menezes
1 ano atrás

Nem que todos os pilotos estivessem sentados nas aeronaves esperando um ataque eles conseguiriam por no ar em 30 minutos todas as aeronaves mostradas no vídeo.

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Washington Menezes
1 ano atrás

As aeronaves tem um sistema para ligar os motores rapidamente nessas situações (no Avro Vulcan, por exemplo, o bombardeiro estava pronto para taxiar e, posteriormente decolar, em apenas 02 minutos). Assim sendo, o tempo que se leva é o de transportar a tripulação, cerca de dois minutos para iniciar os motores (talvez um pouco mais, pois não sei dizer quanto tempo essa “partida de emergência” leva no B-52) e mais o tempo de taxiar e decolar (como decolam de 15 em 15 segundos, em 03 minutos todas as 12 estão no ar). A grande questão é que os comandantes precisam… Read more »

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Washington Menezes
1 ano atrás

Vamos supor que demore 5 min pra confirmar a ameaça, mais 10 minutos pra colocar todo mundo no jeito, que não base hajam 20 aviões que a 15 segundos levam mais 5 minutos, e que haja mais 5 minutos pra margem de erro, sobram 5 minutos para o último avião picar a mula em velocidade máxima que de acordo com o Google são incríveis 1000km/h, o avião estaria a mais de 80 km de distância do ponto zero da explosão… de acordo com o Nukemap nem uma Tsar bomb afetaria esta distância, com potência total (100 fucking MT que é… Read more »

3n aero
3n aero
Reply to  Washington Menezes
1 ano atrás

Puro filme americano
Kklkkkklkl

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Acho que a segunda foto de baixo para cima é ilustrativa e não representa uma operação de decolagem atual. Antes os motores do B-52 utilizavam injetar água para aumentar a potência na decolagem e por isso a fumaça preta. Hoje, não mais e a fumaça é clara.

Rodrigo M
Rodrigo M
1 ano atrás

Decolagem ok. Mas e o pouso se a base (ou as bases) viraram pó?
É na verdade uma missão só de ida.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Se chegar ao ponto deles partirem em missão real, de qualquer forma não restará para onde voltar para todo mundo.

Bosco
Bosco
Reply to  Marcos R.
1 ano atrás

Nos EUA há milhares de pistas de pouso alternativas e em não chegando a nenhuma ele ejetariam.

Matheus Taveira
Matheus Taveira
1 ano atrás

E de pensar que o B52 vai operar cem anos… Meu vô viu o B52 entrar em operação e talvez meus netos o verão sair…

Paulo
Paulo
1 ano atrás

Os americanos tem defesas antimísseis formidáveis como o sistema Thaad, etc…
Bases como essas, e muitos outros alvos de interesse, dispõem defesas dedicadas : Apo’s o lançamento do míssil ( ICBM ) inimigo, já se sabe a trajetória do mesmo e as medidas de contenção são tomadas…
Os B52 decolam para retaliar e o pessoal em terra bem como os familiares dispõem de abrigos adequados ( Just in case… )
Na minha opinião, os amigos tem o total direito de discordar, os Russos levariam a pior…

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
Reply to  Paulo
1 ano atrás

Duvido que os americanos pagariam pra ver isso , no caso de forçarem a barra pra cima dos russos.

Bispo
Bispo
1 ano atrás

Legal a logística para alçar voo. A dúvida é face as armas atômicas.
Creio ser impossível manter as mesmas 24hs, 7dias por semana, todos os anos a bordo dos bombardeiros, esperando a “caixa de Pandora” ser aberta.
Qual o tempo para deslocar as armas para os aviões e as mesmas serem operacionais ?

MGNVS
MGNVS
1 ano atrás

Independente da rapidez do QRA… dependendo da distancia da explosao entao o pulso eletromagnetico e a onda de choque inevitavelmente derrubariam o aviao mesmo que ele fosse preparado para resistir a isso.

Quanto a morar perto da base, no caso de uma guerra nuclear esse seria o melhor lugar para estar pois a morte viria rapida por desintegracao em questao de segundos. Pior seriam os “sobreviventes”, que viveriam como “zumbis” apodrecendo aos poucos durante o inverno nuclear, sem comida, bebendo agua envenenada por radiacao.

_RR_
_RR_
Reply to  MGNVS
1 ano atrás

MGNVS, Depende da potencia do artefato e de onde estarão os aviões… Imaginando um atraso de uns 15 minutos entre o lançamento do ICBM e a decolagem do primeiro BUFF, isso significa que todos já estarão no ar a uns 12 minutos antes de chegar o petardo – ou a uns 140 km da base ( imaginando uma velocidade média de 700 km/h ). Imagino que uma arma de até uns 30kt não produziria nada tão substancialmente forte a ponto de destruir uma aeronave a essa distância. Hiroshima, por exemplo, foi atacada por um arma de 13kt e o ‘Enola… Read more »

Alex
Alex
1 ano atrás

Quem tava perto dessa base com esse tanto de bombardeiro decolando deve ter pensado:
Chegou meu dia

Jose
Jose
1 ano atrás

Morrer por ação de um .míssil não deve ser tão ruim assim ,deve ser muito melhor do que ter dengue

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
Reply to  Jose
1 ano atrás

aha ha ha ha

Rafael_PP
Rafael_PP
1 ano atrás

O que sempre me impressionou foi o gigantismo das instalações da USAF.

A do vídeo, por exemplo, Minot AFB, na ‘aprazível’ Dakota do Norte, possui área superior a 18 km2, maior que o Aeroporto de Guarulhos! Imagina o custo para proteger uma localidade isolada, ‘aberta’, que abriga armamentos nucleares e hospeda quase oito mil pessoas?

Uma pequena amostra do que as principais potências nucleares abdicam em seus orçamentos e quadro de pessoal para manterem uma deterrência que esperam nunca usar.

teropode
1 ano atrás

E pensar que estes poderiam ter resolvido a guerra do Vietnam, mas se depararam com o politicamente correto dos Democratas, acabaram sendo autores do maior desperdício de bombas da história, foram feitos de palhaços pelos populiticos.

Farroupilha
Farroupilha
1 ano atrás

Vou falar palavras duras, mas sou obrigado a isto. – Incrível a inocência do brasileiro em geral, em questões mais sofisticadas de relações internacionais, principalmente as relativas a situações de guerra. – Nos comentários acima há grande número deles que mostram “total” desconhecimento do que seja um conflito armado entre grandes potências (e isso vale mesmo para os passados conflitos do mundo antigo envolvendo grandes reinos)… Todo ataque maciço (Massive Raid) de um adversário contra o outro é precedido de inúmeros avisos, durante os quais ambos tem tempo para se prepararem, inclusive os civis (fugindo, engajando-se, armando-se, escondendo-se, juntando mantimentos).… Read more »

Alexandre
Alexandre
1 ano atrás

Imagine a pressão Psicológica dos pilotos , se realmente chegar um dia a executar essa missão num cenário real , ele vai conseguir decolar , vai ver toda sua cidade sendo destruída , amigos ,família , então vai ficar com um ódio mortal e pessoal do seu inimigo , vai voar até o dele , jogar umas bombas nucleares por lá , acabar de destruir lá também , e depois vai ficar voando sem rumo por um tempo ( pois não vai ter para onde voltar) ,esperando seu fim . Nós que somos militares sempre nos preparamos e nos dedicamos… Read more »

Alfredo RCS
Alfredo RCS
1 ano atrás

Eu gosto do MITO…

Sery
Sery
1 ano atrás

Esses aviões devem
Estar abastecidos e carregados com as bombas ,é isso mesmo? Como fazem
Para ficar com combustível os tanques ?

Jose
Jose
1 ano atrás

“Bonito” mas ao colocarmos os “2 pés no chão” concluimos que seria um momento de terror e de possível fim do estilo, da beleza e da facilidade da vida que conhcemos…um belo planeta.. que o criador nos presenteou e que de forma louca , mal agradecida e criminosa estaríamos destruido tudo. Se essa c@gad@ um dia se concretizasse ((tomara que nunca aconteça), onde essas aeronaves pousariam de volta, depois de “cumprida sua missão, já que obviamente suas bases e grandes cidades (e seus aeroportos) nos eua seriam “obliteradas?. Se os “tempos” de decolagem e a chegada de um “satan” em… Read more »

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
Reply to  Jose
1 ano atrás

Vou dar uma viajada , seila penso que a natureza sempre da um jeito , tipo quando uma especie se multiplica em excesso alterando o equilíbrio ela da uma corrigida , talvez inconscientemente podemos estar nesse caminho.

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
1 ano atrás

Vendo o vídeo bateu uma saudade do rise of nations.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Rene Dos Reis
1 ano atrás

Rise of nations era bom mas hoje tem o Civilization VI que acho bem melhor, tem até o Dom Pedro II

comment image

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

Nem vou correr atrás e o medo do vicio..

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

O VI é bom mas o III é insuperável!

Control
1 ano atrás

Srs
Srs
Para os fãs, há um filme de 1963 (A Gathering of Eagles ou Águias em Alerta em português) que trata do alerta dos B52 do SAC e um mais antigo, de 1955 (Strategic Air Command ou Comandos do Ar na versão em português), com o ator James Stewart (que chegou a general da USAF), que trata dos tempos áureos da formação do SAC, mostrando os B36 e B47.
Sds

Rubens
Rubens
1 ano atrás

Fiquei surpreso em saber que os EUA ainda usariam as B52 para ataques nucleares. Achei que essa idéia só faria sentido em uma época anterior aos mísseis intercontinentais.
Enormes, lentas e desengonçadas, as B52 seriam um alvo fácil para mísseis antiaéreos modernos.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Rubens
1 ano atrás

Colega teu comentário é totalmente errôneo.
Há acima bons comentários explicando o valor dos B-52 e de todos os demais bombardeiros, para uso nas atuais e modernas Forças Aéreas.
Se os ler já vai aprender muito sobre equipamento adequado para várias funções, estratégia e diplomacia das grandes potências.

Rubens
Rubens
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

Interessante, vivendo e aprendendo.
Mas a dùvida continua:
Se as B52 não são um alvo fácil para os mísseis anti aéreos então o que as protegeria da caça inimiga? O quão perto elas tem que chegar do alvo para poder liberar a carga?

Bosco
Bosco
Reply to  Rubens
1 ano atrás

Rubens, Os B-52 só atacam nuclearmente usando os mísseis de cruzeiro AGM-86 B com mais de 2500 km de alcance. Só pra se ter uma ideia, Moscou pode ser tingida com um B-52 sobrevoando Paris. Em tese cada B-52 um pode levar até 20 AGM-86B com ogiva de 200 Kt. E apesar do tamanho os B-52 são tidos como muito suaves no voo em muito baixa altitude e são equipados para isso, contando com radar de seguimento do terreno, etc. Apesar da Rússia e China contar com aviões AEW, fato é que o voo a baixa altitude degrada muito o… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Rubens
1 ano atrás

Rubens,
Os 20 bombardeiros B-2 disponíveis lançam bombas nucleares B-61/7 e B-61/11.
Os bombardeiros B-1B não são mais vetores de armas nucleares.
O futuro B-21 deverá lançar o futuro míssil cruise LRSO, que irá substituir o AGM-86B mas que ninguém sabe ainda como será.

Conan
Conan
1 ano atrás

Nos idos de 1984 fui visitar um amigo que tinha sido transferido de uma base no Texas para K.I. Sawyer Air Force Base próxima a cidade de Marquette na península superior do Michigan, essa base na época pertencia ao extinto SAC e meu amigo fazia manutenção nos F-106 Delta Dart que davam proteção a base. No mesmo dia em que cheguei la houve um exercício de decolagem de combate e tive o privilegio de ver próximo a cabeceira da pista os gigantescos B-52 partirem em direção ao Polo Norte seguidos dos aviões de reabastecimento KC-135, inesquecível!! Outra coisa que me… Read more »