Home Aviação de Ataque Caça F-35 domina mais uma vez o exercício Red Flag com taxa...

Caça F-35 domina mais uma vez o exercício Red Flag com taxa de kills de 20:1

21816
205
Pilotos do 4th Fighter Squadron da 388th Fighter Wing se preparam para a decolagem no Red Flag 19-1, na Base Aérea de Nellis

O F-35 dominou os primeiros exercícios Red Flag deste ano com uma taxa de kills de 20:1.

O Red Flag 19-1 acaba de chegar ao fim e, com base em relatórios oficiais, mais uma vez o F-35 superou os Aggressors.

Os recentes treinos do Red Flag foram realizados ao longo das últimas três semanas e contou com a participação de uma dúzia de caças F-35A da Força Aérea do 4º Esquadrão de Caça da 388th Fighter Wing, juntamente com muitos outros tipos de aeronaves de combate.

De fato, embora os primeiros relatos sugerissem uma “kill ratio” de 15 para 1, o recente depoimento da Força Aérea pelo tenente-general Jerry D. Harris, vice-comandante do Comando de Combate Aéreo caracterizou a taxa de mortalidade como “20:1” significando que, para um F-35A “perdido” em combate simulado em um ambiente de alta ameaça, a aeronave destruiu 20 aeronaves inimigas simuladas pertencentes à “Força Vermelha”.

Dois anos mais tarde, com a subsequente atualização do software Block 3F disponível, que fornece 100 por cento do software necessário para a capacidade de combate total, os F-35 mais uma vez testaram suas habilidades como parte da “Força Azul” na Força Aérea no primeiro combate aéreo realizado na Base Aérea Nellis: um Red Flag “exponencialmente mais desafiador”, de acordo com os aviadores do 4º Esquadrão de Caça da Asa de Combate da 388ª.

De acordo com os aviadores da 388th FW, durante a primeira semana do Red Flag 19-1, os pilotos do F-35 voaram em uma força maior de Blue Air em uma missão contra-aérea. Mais de 60 aeronaves agressoras estavam voando contra elas, cegando muitas das aeronaves de quarta geração com capacidades de ataque eletrônico “robustas”.

F-16 Aggressor da USAF no Red Flag
F-16 Aggressor da USAF no Red Flag

Veja como o Cel Joshua Wood relembrou a missão, fornecendo alguns detalhes sobre o desempenho da aeronave furtiva no último exercício (que contou com a participação de treze pilotos no esquadrão que nunca haviam pilotado o F-35 no Red Flag, incluindo quatro que acabaram de se formar em treinamento de pilotos):

“Eu nunca vi nada assim antes. Esta não é uma missão para a qual você quer que um jovem piloto voe. Meu ala era um novíssimo piloto do F-35A, com sete ou oito voos sem treinamento. Ele entra no rádio e conta para um experiente piloto de 3.000 horas em uma aeronave de quarta geração muito capaz. ‘Hey, você precisa se virar. Você está prestes a morrer. Há uma ameaça no seu nariz.’”

O jovem piloto então “matou” o avião inimigo e teve mais três mortes na missão de uma hora.

“Mesmo nesse ambiente extremamente desafiador, o F-35 não tinha muitas dificuldades para fazer seu trabalho, isso é uma prova do treinamento do piloto e das capacidades do jato.”

Portanto, Wood não forneceu detalhes específicos sobre a taxa de abate geral do tipo contra o Red Air, mas pelo menos sabemos que um jovem piloto, com apenas algumas missões no Lightning II, conseguiu quatro kills (simulados) em uma missão Red Flag: as ROE (Rules Of Engagement) e o papel de outras aeronaves se unindo aos F-35s, é um resultado interessante, sugerindo que a aeronave pode ser letal mesmo nas mãos de pilotos recém-formados.

“Com furtividade, o F-35 pode se aproximar mais de ameaças do que muitas outras aeronaves. Combinado com o desempenho da fusão de sensores no F-35, podemos contribuir significativamente para a maioria das missões. À medida que este avião amadurece, continuamos a ver que ele é um multiplicador de força significativo em um ambiente de alta densidade de ameaças. O Red Flag foi um sucesso para nós e tornou nossos pilotos mais jovens mais letais e mais confiantes ”, disse o 1º tenente Landon Morris, um novo piloto do F-35A.

Um F-35A Lightning II decola da Base Aérea dde Nellis durante o Red Flag 19-1

FONTE: Fighter Jets World

205
Deixe um comentário

avatar
58 Comment threads
147 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
97 Comment authors
GPBrunoMatheusDuduTadeu Mendes Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
jack
Visitante
jack

Bom, contra fatos não há argumentos! Mesmo sem saber como foi esse teatro de operações e quais os padrões envolvidos.E que comecem as justificativas e choradeira.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Teatro d operação ace combat 7 só se for…

francisco
Visitante
francisco

Combateram quais aviões? havia algum Su-35 nesse desafio? ou eram todos aviões da década de 70 ( F-5 ). Tá parecendo que esse exercício é para fazer propaganda do F-35.

Gustavo
Visitante
Gustavo

Pois é… bater em F-16 block 30/40, F-5E e F-15C até o F-5EM bateu em 2008.
Realmente, contra fatos não há argumentos… Precisamos listar todos os relatórios negativos da USAF ou do Pentágono sobre o mesmo F-35.
Quem é passional não enxerga as coisas.

PauloSollo
Visitante

Realmente quem é passional não enxerga as coisas, e esta é uma das características mais evidentes dos americanofóbicos. A matéria diz que os agressores cegaram caças 4G com pesadas contra medidas eletrônicas. Certamente que o F-35 está sendo confrontado com o que há de mais eficiente nisto para aprimorar suas capacidades, não só em exercícios mais em missões reais com Israel. E este velho mimimi de relatórios negativos, os problemas estão todos sendo ininterruptamente resolvidos. É melhor se acostumarem porque virão muito mais demonstrações de sua superioridade sobre tudo o que há atualmente por aí. Aos birrentos restará o eterno… Read more »

Fabio
Visitante
Fabio

Vc disse tudo. De fato é bem dificil debater com “fã boy” da Sukhoi e do site Sputnik.

Dudu
Visitante
Dudu

Eu ia dizer isso mas tambem eles precisam testar varios niveis de agressores…E estes tem acesso a qual nivel de apoio…Gostaria de saber.

GILBERTO
Visitante
GILBERTO

Exatamente.

GP
Visitante
GP

Provavelmente não havia nenhum su-35 em operação porque o readyness do sukhoi é baixíssimo rs.

Espanta até mais que esse 20:1, o numero divulgado de 95% de prontidão operacional.

É comico quando o f-35 faz 20:1 num exercicio contra aeronaves de uma geração anterior é mentira. Mas quando o f-15 faz um 32:0 na guerra do golfo ou um 38:0 enfrentando os libaneses ninguém se espanta.

ps: ou mesmo os f-14 iranianos dominando os migs iraquianos mais antigos com um kill ratio na mesma faixa.

André
Visitante
André

E ainda tem gente falando que só está vendendo para algumas das mais ativas forças aéreas do mundo por pressão dos EUA….

Se Israel ignora as AAs sírias com os f16, de f35 vai ser passeio no parque.

Nilton Reis
Visitante
Nilton Reis

Perdão pela obviedade, mas vivemos uma era em que o óbvio é ignorado por muitos, então vamos lá: 1. Há um importante aspecto geográfico no teatro sírio que as pessoas costumam se esquecer (terreno montanhoso que prejudica e muito a efetividade dos radares e facilita os ataques terroristas sionistas) ; os amados f16 nunca entram no território sírio, o ataque é feito em espaço aéreo libanês (a se confiar nas fontes de praxe). Os leitores conhecem algum exemplo de agressao aérea sionista com invasão do espaço aéreo sírio?

Elifas ribeiro
Visitante
Elifas ribeiro

Vc diz ataque terrorista Israel e um estado que se defende desde a sua fundação em 1967 lutou com os países Árabes incluindo a Síria Egito Jordânia Iraque e derrotou todos com aviões mirage 3 em 1973 foi atacado covardemente no dia do Yon Kipur sofreu mas ganhou a guerra de lá pra cá as vezes ele se defende atacando pra o Irã não ficar na sua fronteira a Síria sempre atacou Israel hoje eles estão sofrendo as consequências e a guerra da Síria veio do seu próprio povo contra uma ditadura cruel apoiada pela Rússia amigo se vc não… Read more »

Diego
Visitante
Diego

Somente uma correção o estado de Israel foi fundado em 1948 e não em 1967!

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Não conheço nenhum “exemplo de agressão aérea sionista” com invasão do espaço aéreo sírio, mas conheço ataques israelenses que penetraram profundamente em território sírio.
O ataque ao reator nuclear de Kibar conta?

Andre
Visitante
Andre

Nilton,

Qual cogumelo você esta utilizando? Parece que o seu está melhor que o meu.

Eu disse que qualquer coisa em relação ao terreno? Ao fato dos aviões utilizados terem ou não entrando em território sírio? De onde foram feitos os ataques? De qualquer invasão israelense ao território sírio?

Será que você não se confundiu e está respondendo à pessoa errada?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

“Os leitores conhecem algum exemplo de agressao aérea sionista com invasão do espaço aéreo sírio?“

Conheço vários! Inclusive no ano passado os israelenses penetraram fundo no espaço aéreo sírio para destruir alvos iranianos na fronteira com o Iraque. E segundo dizem as más línguas o autor da proeza teria sido o F-35.

Outrossim vamos nos ater a realidade dos fatos! Não se trata “agressão aérea sionista” mas sim o direito de Israel se defender. Assad quer que as IDFs parem de atacá-lo? Muito simples, basta expulsar os iranianos e o Hezbolah do país…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Vc vai morrer velho tentando convencer a todos que o F-35 funciona.
Esqueça. Aqui não tem crianças.

André
Visitante
André

Eu não preciso convencer ninguém.

O problema é você achar que entende mais de aeronaves de combate que as forças aéreas dos EUA, de Israel, do Japão, da Coreia do sul, da Turquia….

Enquanto você sonha com o passado de glória da URSS e delira com os equipamentos soviéticos recauchutados pela Rússia, os novos projetos deles não convencem nem a força aérea russa.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Avisa quando o Deus Vivo for a Síria!

André
Visitante
André

Sérgio, quer apostar que ele será utilizado em combate antes da sukoi terminar o motor
ou entregarr uma dúzia de su57?

Salim
Visitante
Salim

O que conta na guerra e a destruição do inimigo e te manter vivo com as menores perdas, portanto seus argumentos são pifios, visto o sucesso das incursões israelenses.

Skywalker
Visitante
Skywalker

“exemplo de agressão aérea sionista” … mais um com viés ideológico tentando falar de aviões…

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

A IAF destruiu quase destruiu tôda a fôrça aérea da Síria em dois dias de dogfigts em 1982.
A fôrça aéria da Síria não se atreve a enfrentar a IAF desde Essa época.

A IAF continua entrando naSíria, só que você não save dissolve.

Viva o Sionismo.

Nei
Visitante
Nei

AntonioKings… E agora? Qual sua opinião quanto ao F-35?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Isso é a mesma coisa de treino do Bonsucesso com o Flamengo.
E o pior. Com o Bonsucesso reserva, porque com F-16 não dá, né?

Doug385
Visitante
Doug385

Lembrando que as aeronaves agressoras da USAF geralmente são F-15 e F-16. Vamos ver se eles dão um jeito de arrumar alguns Su-35 para serem usados como Agressors, mas temo que o resultado não seja muito diferente desse kill ratio.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

F-16 está caindo para S-200 na Síria.
Há tempos que nenhuma Força Aérea de primeira linha encomenda desses modelos.
Quero ver enfrentar o Su35.
Na Síria já tiveram mais de uma amostra, digo, foto para comprovar o problema.

Rafael Coimbra
Visitante
Rafael Coimbra

Perderam 1 F16…E após este mesmo ja ter efetuado o bombardeio….. quantas vezes caíram bombas na Síria??? Bom para vc deve ser o mig23 kkkk

César Augusto Jimenez
Visitante
César Augusto Jimenez

Vai ser testado na Venezuela

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Israel está acabando com os prepostos da teocracia iraniana sem ser incomodado. E está entrando à vontade no espaço aéreo da Síria com seus F-35 para atacar alvos na fronteira com o Iraque

Esses são os fatos, o resto é ressentimento de quem está ficando tecnologicamente para trás…

Rustam
Visitante
Rustam

HMS TIRELESS,

He does not enter the airspace of Syria, do not lie Leo! All strikes they inflict from the territory of Lebanon

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Sorry Rusty but this is not true! The israeli’s F-35 entered deeply in syrian airspace to attack iranian targets near Syria-Iraqi border.

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Um único F-16 derrubado desde 1982, após milhares de ataques.
Pois é, Israel está sob grave perigo.

Rafael Coimbra
Visitante
Rafael Coimbra

Até pq o f-16 em combate tem números terríveis… na falta de argumento vc fala qualquer asneira kkkk mas vc é engraçado, da humor no grupo!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Qualquer maneta conta nos dedos quantos pilotos russos foram derrubados por F-16s.
Menos, né?!?!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Só na fronteira do Paquistão com o Afeganistão nos anos 80 foram mais de dez pilotos russos derrubados pelos F-16 paquistaneses. E se você somar aquele Su-24 derrubado pelo F-16 turco fica pior…

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Muito bem recordado, Tireless. Como a gente chama isso no futebol? Ah, lembrei, é “freguês”.

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Quantos pilotos de F-16 foram abatidos por aeronaves russas?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Pergunta em Hollywood.
Eles é que fazem essas contagens.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Nenhum piloto de F-16 ousaria tanto.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Pilotos russos não são derrubados por um motivo muito simples: eles não tem uma experiência de combate ar-ar sustentado há décadas.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

F-16 A ???

Coutinho
Visitante
Coutinho

Não. são F-16C. Provavelmente Block 50.

Coutinho
Visitante
Coutinho

Corrigindo: F-16C Block 32

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Pouco por demais para fazer frente ao Deus Vivo!

Leonardo de Araújo
Visitante
Leonardo de Araújo

O que tem de uma ufanista pelos SU e Miig aqui e de chorar. Parece que são astronaves extraterrestres. Vamos dar um menos, são boas aeronaves só que peçam pelo refino, qualidade de acabamento e alto custo de manutenção além de elevada taxa de revisão. A disponibilidade não é regra nos Sukhoi e Mikoyan-Gurevich.
Combate real não é show aéreo.

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Legal, podem separar 24 e embrulhar para presente para a FAB? Vão ficar bonitos juntos com os Gripens.

Artur Castro
Visitante
Artur Castro

Tava demorando aparecer um comentário assim! kkkkkk

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Eu pessoalmente sempre gostei desta aeronave. Ah quem diga que ele é feio, não consigo ver como, acho que é incrivelmente bem desenhado, não lhe faltando ar de matador como alguns sugerem.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

mano esse monstrengo é gordo e feio, bonito é F22, Rafale, SU27, J20, F14

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Sim… Esses também, a família flanker gosto mais das versões mais recentes que a 27 original. Mas não sei, para mim o lightning não é nada feio, no chão não se pode ver, de facto aquela traseira é estranha, mas no ar até que tem a sua própria beleza.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Nada contra o F-35 (sou brasileiro e, pra mim, o melhor avião do mundo, agora, é o F-39) mas, essa fonte é confiável ou chapa branca? Pode ter grana do fabricante por trás da matéria?

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Vc já pensou no escândalo se alguém descobre que estão adulterando os dados em cima do dinheiro do contribuinte? Essa é a diferença de unânime ditadura é uma democracia de verdade, não vale o risco pelo marketing!

Hélio
Visitante
Hélio

Como é que é? Você realmente não sabe como funciona nas “democracias”.

Bosco
Visitante
Bosco

Rinaldo,
O que mais tem é fonte chapa branca denegrindo o caça.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Seria interessante um agressor que não tivesse uma aviônica com 30 anos. RWR último tipo, radar AESA, suíte EW de primeira.

Esses Falcon e Eagle usados como agressores não possuem a aviônica da linha de frente da USAF.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Eles ultimamente têm atribuído aos esquadrões agressores aeronaves F-15E com radares AESA de unidades da USAF para simular essas ameaças

LBacelar
Visitante
LBacelar

Mas possuem aviônica semelhante à maior parte das atuais ameaças para a USAF. Vejamos a Russia por exemplo, que depende ainda de muitos SU-27 e SU-30, grande parte não modernizados para fazer a linha de frente de sua defesa.

Marco
Visitante
Marco

Coronel Nery concordo com vc. Acredito que todos os esforços da FAB agora deverão ser sobre o F-39.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Certíssimo Nery!!

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Exatamente Cel Rinaldo, para mim o F-39 também é o melhor e sinceramente, vai ser muito interessante quando a FAB for convidada a testar nossos Gripen na Red Flag, igual quando os F-5M sairam da modernização.

Leonardo de Araújo
Visitante
Leonardo de Araújo

Com certeza a FAB será convidada. Há um grande interesse da USAF conhecer novos vetores, por vários fatores.
Vamos ver se a FAB vai aceitar o convite, e se sim, qual será o desempenho.

teropode
Visitante

Sim , sim ,Sim, confiável somente as notícias negativas sobre ele 😅😅😅😅😅😅😅😅, e mais 😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅😅

Fabio Jeffer
Visitante
Fabio Jeffer

Apesar da inegável capacidade do caça pensei a mesma coisa. Em tempos de Trump…

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Caro Nery, claro que todas as noticias são sempre questionáveis para o “bem ou para o mal”.

Fica mais engraçado quando aparece uma coisa boa sobre o caça F-35, a torcida contra fica muito ruidosa.

A alguns anos atras a FAB participou de edições da Red Flag, o que saiu na imprensa estava mais para a verdade do que para a mentira?

Lembro de ter lido maravilhas (que me deixou muito orgulhoso mesmo) em relação ao desempenho de nossos Mike´s. Tudo aquilo era verdade? Se voce puder dar um feedback agradeço. Abraço

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Ricardo, quero refirmar que não sou pró nem contra o F-35. Sabe-se que é um avião excepcional mas, com vários problemas a serem solucionados. Quanto ao desempenho dos nossos F-5 na RED FLAG, asseguro que a FAB é muito pé no chão quanto às capacidades do avião. Principalmente no quesito desempenho (os motores são fracos). Pra se ter idéia, quando o nosso F-5 estava a caminho da regenerate area, o F-15 agressor já tinha ido e voltado. Mas, o PAMPA se preparou bem, o library dos RWR foi atualizado para o cenário, os pilotos estavam treinados. E, o objetivo maior… Read more »

Bruno
Visitante
Bruno

Cel. aeronaves de caça como o F-5M também podem colher os dados para atualização das library? Achei que fossem somente aeronaves equipadas para tal fim.
Abraço.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não tenho certeza. Acho que os dados podem ser analisados depois.

Dudu
Visitante
Dudu

O cara que falou do”Matador de Sukhois” nao ia ficar impune no diz que diz do mercado.E da-lhe Gripen.

Matheus
Visitante
Matheus

Os gripeiros vão a loucura!!! Imagina o Chile de F-35 e a gente de Grispen, meu Deus, o que virou a FAB?!

Pedro
Visitante
Pedro

Treino é treino, jogo é jogo! Estranho seria se em um press relance o tom fosse contrario e sinistro! Um jato que foi pensado pela USAF para fazer a guerra como ela gosta (0 de risco, total superioridade) logico que em um treinamento visando a mentalidade da USAF ele vai se sair bem. O F-105 nos treinamentos e simulações de inicio dos anos 60, assim como o F-101, F-104 e F-4 sempre eram “matadores” mas a partir de 1964 qdo encontraram um inimigo que soube fazer a guerra a sua maneira – e não dos EUA – ficaram até o… Read more »

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Matou Pedro!

Hélio
Visitante
Hélio

E também, para abater tem que voar, o problema do F35 nunca foi sua capacidade de combate contra aviões em desvantagem, mas sim a sua operação. Se em caso de guerra eles estiverem sendo pintados, de nada eles vão servir.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

“O F-105 nos treinamentos e simulações de inicio dos anos 60, assim como o F-101, F-104 e F-4 sempre eram “matadores” mas a partir de 1964 qdo encontraram um inimigo que soube fazer a guerra a sua maneira – e não dos EUA – ficaram até o fim do conflito levando surra do Mig-21 e até mesmo do totalmente obsoleto Mig-17!“ Nada mais distante da realidade…..Os Norte-americanos perderam em combates aéreos 79 aeronaves. Enquanto isso os Phantom derrubaram 105 Migs, seguidos pelos F-105 (25) e os F-8 Crusaders (19). O grosso das aeronaves norte-americanas foi perdida para a AAA. E… Read more »

Pedro
Visitante
Pedro

Os números mais próximos de resultados de combates foram de aproximadamente 90 avioes dos EUA abatidos (sendo o grosso composto por F-4 e F-105) por MIGs contra 54 MIGs abatidos dos Norte Vietnamitas. Agora tem um detalhe pouco lembrado de que os EUA tinham superioridade total em meios, tecnologia (o Vietna nunca recebeu material de primeira linha da China ou da URSS, diferente dos EUA que sempre disponibilizaram para o conflito o que tinham de melhor) e numero, e o Vietna lutava em casa e uma guerra de guerrilha, onde levou esse conceito para os céus e a USAF, USMC… Read more »

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Exatamente Pedro.
É a acepção da expressão: Treino é treino, jogo é jogo.
Quem poderia imaginar que os EUA com milhares de aviões, tanques, canhões, navios, satélites e etc. fosse amargamente derrotado pelo pobre Vietnã?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

“Os números mais próximos de resultados de combates foram de aproximadamente 90 avioes dos EUA abatidos (sendo o grosso composto por F-4 e F-105) por MIGs contra 54 MIGs abatidos dos Norte Vietnamitas.” Com todo o respeito mas essas estatísticas passam bem longe da realidade, imagino que devem partir das nada confiáveis fontes russas, as mesmas que reivindicam 650 F-86 Sabres abatidos na Guerra da Coréia quando durante todo o conflito foram deslocados para o TO apenas 450 Sabres. E voltando ao Vietnã, apenas o número de Migs-17 abatidos está em um número próximo de 70 o que derruba por… Read more »

Renato B.
Visitante
Renato B.

Bem, a vantagem dos Mirages israelenses é incontestável, a vantagem foi em torno de 5:1, no mínimo. No caso de Angola já vi relatos sobre a superioridade do MIG-23, mas não do MIG-21.

Apesar das diferenças me parece ser um conflito equilibrado. O Mig era mais manobrável, mas o Mirage era mais resistente, o Mig podia levar mais mísseis, mas o Mirage tinha canhões melhores (mísseis ainda estavam longe de serem confiáveis). E ambos tinham radares ruins.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Concordo ! Mas Israel está mostrando que um excelente treino da muito resultado quando o jogo é pra valer!
Acredito que a lógica deveria ser a seguinte. Quem não tem o tal F-35 é que deveria estar preocupado em virar o jogo que já começou perdendo !
Parabéns aos Estados Unidos e aliados. Quero ver os canhotinhos de plantão dormirem com este barulho !

Pedro
Visitante
Pedro

Sera? O F-35 eh uma fonte inesgotável de problemas, desde pequenos problemas a GRANDES problemas! Vc ter um avião que tecnicamente eh muito bom mas com problemas, de nada adianta. A Alemanha tinha o Me-262 desde fins de 43 pronto, mas o mesmo tinha diversos problemas e mesmo apos ser apressadamente levado ao combate, nao mudou a sorte do conflito. Logo sua tese de ter um trunfo de nada adianta se o grosso do combate ser com meios ja antigos e defasados. Sera que a frota de f-15, F-16 e F-18 esta a altura dos mais modernos meios do outro… Read more »

Leonel matos
Visitante
Leonel matos

Levando surra? As estatísticas dizem que os caças americanos derrubaram muitos mais caças russos que os migs caças americanos e o f4 mesmo sem canhão teve um empenho exemplar contra os migs

cwb
Visitante
cwb

Não esqueça que no vietnã os americanos tinham que fazer contato visual com o inimigo.(eram as regras de engajamento da época)
De que adianta um F4 armado de mísseis guiados por radar se o combate tinha que iniciar no visual e não ter canhão orgânico?

Pedro
Visitante
Pedro

Azar dos EUA! Se não consegue mudar esse quadro, que junte o boné, coloque o rabo entre as pernas e vá para casa chorar as pitangas! Isso de regra em guerra não existe. O que de fato houve eh que o Vietnã fez um tipo de guerra aérea que os EUA eram incapazes de vencer, mesmo com toda sua superioridade.

cwb
Visitante
cwb

vá brigar com um mais fraco que vc estando vc com as mãos e pés amarrados….
eram as ordens da época para os pilotos americanos…
imagina vc ter o inimigo no radar e ter que esperar visual para combater
por isso o kill ratio caiu…
Israel lutando com o mesmo avião mas usando os recursos a pleno acho que não fez feio…

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Pedro, você faltou nas Aulas sobre o Vietnã.

Pedro
Visitante
Pedro

So na estatística que a USAF e a USN tinham que apresentar perante o congresso americano e a mídia que eles eram isso! Os fatos da guerra mostrava o oposto. Nao a toa que tiveram que se retirar do Vietna do Sul e deixando este a própria sorte, pois apos a ultima grande ofensiva aérea, notou-se que os meios aéreos norte-americanos não eram suficientemente eficazes para fazer o Vietna do Norte da Guerra. Isso eh fato e não adianta vir com meias verdades. Sobre sua afirmação, estranho, na Coreia um jato Sovietico reinou, assim como no Vietna, na India e… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Tudo que você diz é a SUA visão dos fatos! Leia sobre as regras de engajamento em todos os TO da guerra do Vietnam e sobre como os militares da USAF lutavam com uma das mãos “amarrada as costas”. Se era determinação do governo ou do Congresso americano ou do governo marciano, não interessa! Eram determinações com interesse e viés político que impedia e lmitava muito as ações dos pilotos norte-americanos sobre o Vietnam.
Usando suas palavras, “isso é fato e não adianta vir com meias verdades”!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Novamente você se equivoca! Na fase final da guerra do Vietnã os EUA obtiveram a total superioridade no conflito tanto que os pilotos da USN obtiveram uma Kill ratio de 12:1 mesmo empregando Phantoms sem canhão. E no O.M as vitórias tanto não se deram única e exclusivamente pelo treinamento superior dos Israelenses que pilotos soviéticos foram abatidos ( operação Rimon 20) e na guerra Irã- Iraque a despeito dos expurgos e do embargo de armas os F-4 iranianos foram superiores aos Mig-23 iraquianos.

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Treino é treino jogo é jogo – não tem discussão. Acontece que o Red Flag, que não existia antes da Guerra do Vietnã, é concebido de forma a ser altamente realista, ao contrário do que se fazia antigamente – a ‘surra’ no Vietnã forçou os EUA a repensar o treinamento dos pilotos e desenho de aeronaves. Para se ter uma ideia, os A-4 usados como ‘agressores’ nos Topgun da US Navy (que são tão realistas quanto os Flag) e em exercícios conjuntos, eram capazes de ‘abater’ até mesmo os F-15 e F-16 caso estes lutassem nos termos do Skyhawk ao… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Certíssimo, Renato. Inclusive a USAF foi mais lenta em adotar novos treinamentos. O corporativismo e a falta de percepção da necessidade até da existência do TAC no anos posteriores à Segunda Guerra Mundial fizeram com que isso ocorresse. A Red Flag foi criada justamente para isso, para fornecer treinamento dissimilar realista para os pilotos da USAF, e posteriormente para convidados da USN/USMC e países aliados. Até o momento eles tem funcionado numa boa e os resultados falam por si mesmos, mas se o press release em relação ao F-35 ‘bate’ com o que realmente aconteceu, aí é outro papo. Acho… Read more »

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Leandro Costa,

Perfeito seu comentário. Concordo 110% com cada linha.

Pedro
Visitante
Pedro

Se os EUA precisaram fazer uma reformulação na sua doutrina durante a guerra do Vietnã, o que esses sujeitos estão dizendo e alegando que tal guerra foi um passeio? Nao eh totalmente contraditório o fato dos EUA ter que rever toda sua estrategia, concepção e treinamento de meios aéreos por uma guerra a qual aqui dizem que foi um passeio fácil de fim de semana??? Vc tocou no tema central sempre vai ser em ter a iniciativa. Quem a tiver, e for mais aguerrido e souber usar os fatores, clima, terreno, logistica e moral, vai ganhar o conflito. Sobre os… Read more »

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

F-4 levando surra de MiG-21? acho que voce nunca ouviu falar da operação Bolo e de Robin Olds…
E apenas para lembrar, o score do F-15 continua 104×0, com muitas vítimas russas incluindo 04 MiG-29, de projeto posterior à “aguia”. Realmente, meu querido, treino é treino e jogo é jogo…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Paddy, bem lembrado sobre a Bolo. Mas essa operação e o pessoal que estava voando os F-4C na era de Olds foram a excessão à regra. Eram pilotos já experientes que exploravam as vantagens dos F-4. Após a saída desse pessoal, e o influxo de gente mais jovem, a qualidade do treinamento básico da USAF era sofrível e isso se refletiu em combate. A ênfase da USAF era ar-solo e com paranóia de segurança de vôo. Pouquíssimas missões de treinamento ar-ar. Eventualmente isso foi corrigido (1975 com a Red Flag) e um eventual intercâmbio entre USAF e USN na Tailândia,… Read more »

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Acho que a maior limitação real eram as regras que proibiam combate BVR.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Existiam excessões à essa regra. Muitas vezes ‘Red Crown’ (controlador radar, geralmente à bordo de um navio no Golfo de Tonkin) liberava. Haviam também alguns F-4D equipados com o ‘Combat Tree’ que tinham disparo liberado na maioria das situações. Acontece que esse ‘Combat Tree’ era um interrogador de IFF. Ou seja, ele conseguia ler o transponder dos MiG e confirmava o contato radar como sendo hostil. O navio em que estava ‘Red Crown’ (USS Chicago durante o período mais intenso em 1972) também estava equipado com ele. Com o tempo, os norte-vietnamitas começaram à suspeitar disso e algumas vezes chegaram… Read more »

Renato B.
Visitante
Renato B.

O Combat Tree realmente foi uma idéia genial, ele fazia o IFF do MIG “gritar” devido à interrogações seguidas, o que denunciava todos os dados de posição deles. E não usar transponder no meio de uma rede de AAA amiga daquelas era um risco.

Pedro
Visitante
Pedro

Nossa, e o que mais? O Cel. Braddock para morrer precisa levar 200 tiros e matou 200 bilhoes de soldados do Vietnã na sua ultima missão? Pois o nível de seu comentário eh bem desse tipo. Sobre a tal operação bolo, foi a unica vez em que as forcas dos EUA tentaram mudar a forma de combate aéreo do Vietnã! Outra, o sucesso dela se deu mais por seguir os Mandamentos do Combate aéreo, que existem desde a IGM do que qualquer outra coisa, pois era critico da missão os jatos americanos estarem mais altos, mais rápidos e em posição… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Por essa métrica, os abates mais significativos de 1945 para cá se deram quando um Sea Fury da FAA e um F-4U Corsair do USMC derrubaram cada um um Mig-15. Ou então quando um A-1 Skyrider derrubou um Mig-17 na guerra do Vietnã. Ademais você está equivocado quanto à operação Bolo. Nela os F-4 sob o comando de Robin Olds não estavam mais altos que os Migs mas sim adotaram os mesmos padrões de vôo e até os mesmos códigos de chamada dos F-105. Quando os norte-vietnamitas chegaram e se depararam com os F-4 eles estavam na defensiva e perderam… Read more »

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Aí tu acordou e lembrou do números vergonhosos dos soviéticos e aliados nas mãos dos EUA e aliados.

Gorgoroth
Visitante
Gorgoroth

Comuna tem mania em mandar textão. Pq?

Ps.: Engole o choro.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Em uma taxa de 20:1, o custo por unidade e hora voo valem cada centavo, o F-35 é o futuro!

Ricardo N. Barbosa
Visitante
Ricardo N. Barbosa

A taxa de 20/1 é da Red 17-1, não foi divulgado qualquer kill Ratio da Red Flag 19-1. A fonte fez uma salada de frutas.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Reitero: antes de fechar um 2o lote de Gripen, a FAB deve solicitar informações de desempenho e Custos do F-35A, para ver se compensa compor um mix.

Talvez dos 6 esquadrões podemos operar 2 com F-35A e os demais com Gripen.
Analisar custos, talvez substituir 18 Gripen por 12 F-35A.

A FAB tem que analisar se essa capacidade é realmente um game changer , como é divulgado. E o impacto no custo operacional e tentar compor um mix.

Kemen
Visitante
Kemen

Montar F-35 na Embraer ? Acho dificil que deixem!

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

acho que no futuro é algo a se pensar, colocamos muito dinheiro e tempo no Gripen NG, primeiro cliente internacional de um caça que nem tava pronto, e com direito a fabricar aqui no país algumas unidades, o único lado positivo de se ter o F35 é que ele tem um sistema de guerra eletrônica superior ao F35, e a furtividade, a Boeing na época nos propôs de forma não oficial o F/A XX, o que seria legal, o que seria muito, acredito que devemos partir para ser parceiros em um caça de 5°G ou de 6°G seria o ideal.

Sidney
Visitante
Sidney

P-51D….F-86F…..F-4E….F-14B…F-18C/F-16C…F-15C….F-22….F-35 Apenas para citar alguns dos principais caças na história dos EUA. Eu pergunto, quando a aviação militar dos EUA desde a WWII andou para trás? E considerando que serão uns 3000 F-35 voando no mundo e na linha de frente, considerando o preço que já não está mais tão distante de outros caças de quarta geração, considerando tudo que se sabe sobre fusão de sensores no F-35, tendo apenas um acidente em 12 anos de operação, precisando de placas refletivas de radar para ser acompanhado pelos radares em Israel, já existindo muitos relatos de Pilotos de F-16 que agora… Read more »

Tiago
Visitante
Tiago

O F-35 está longe de ser o que foi sonhado pra ser – um caça de 5ª geração que barateasse e simplificasse a logística das forças armadas dos EUA. Nesse sentido, ele é sim passível de críticas. Acabou sendo um caça de desenvolvimento caríssimo e com comunalidade abaixo do esperado entre as três versões. Agora dizer que ele não é um bom avião é besteira. O desenvolvimento do F-35 “mirou no que queria e acertou o que nem via”, como diz o ditado popular. Apesar de não ter algumas das características visadas quando foi proposto, acabou por ter outras características… Read more »

Nilton Reis
Visitante
Nilton Reis

1. Bem, mesmo com uma fonte “biased”, não há razões para desacreditar a alegação. Como sempre digo, é tanto dinheiro no projeto que é impossível o tijolo voador não dar certo ; 2. Apesar do Antônio kings ou sei lá o que ser o torcedor mais razoável entre os comentaristas, discordo quanto ao uso stealth: o mínimo “delay” na detecção inimiga já vende a tecnologia ; 3. Seria interessante analisar o ROE desses exercícios, e mais interessante ainda os protocolos da simulação: qual a letalidade usada no mísseis, por exemplo? Na simulação os aam estadunidenses ignoram as contramedidas inimigas (contrariamente… Read more »

F16 nutela
Visitante
F16 nutela

Eu gostaria de entender como pode um caça, que se não me falha a memória, na sua versão de máxima invisibilidade leva apenas 4 mísseis no seu compartimento interno, fazer 20 kills! Abateu os outros 16 caças inimigos com metralhadora? kkkkkkkkkkkkkkkk

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Pensa no que vc escreveu, mas pensa com calma, leia e releia e pense, será que o tal Carlos Gallani está duvidando da minha inteligência?

F16 nutela
Visitante
F16 nutela

Carlos Gallani, é que eu estou com preguiça para pensar, então me explique, se possível desenhando, como pode um caça que só leva 4 mísseis em versão furtiva, abater 20 caças inimigos! Veja o que diz a matéria: “De fato, embora os primeiros relatos sugerissem uma “kill ratio” de 15 para 1, o recente depoimento da Força Aérea pelo tenente-general Jerry D. Harris, vice-comandante do Comando de Combate Aéreo caracterizou a taxa de mortalidade como “20:1” significando que, para um F-35A “perdido” em combate simulado em um ambiente de alta ameaça, a aeronave destruiu 20 aeronaves inimigas simuladas pertencentes à… Read more »

Emerson
Visitante
Emerson

Leia a matéria novamente, com calma… se você, depois de ler, ainda achar que o texto está dizendo que um caça derrubou 20 procure um professor de Portugues de 1º grau.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Nutella, o kill ratio não é baseado nos abates de um só voo mas na média total de abates versus as vezes que foi abatido. Ou seja, considerando os resultados dos combates simulados do redflag, o f35 obteu uma pontuação de kill ratio de 20 a 1 o que significa que a cada 20 abates do F35 uma delas era abatida, mas isto ao longo do total do exercício. Imaginemos que dezanove f35’s abatiam um inimigo num voo e retornavam a base em segurança mas o vigésimo era abatido mas também “destruindo” um adversario, temos portanto uma média de 20… Read more »

Maurício.
Visitante
Maurício.

F-16 nutela, com a “metralhadora” é que ele não vai acertar nada mesmo, por enquanto o desempenho da “metralhadora” está como “inaceitável” para ataques ar-solo, imagina acertar alguma coisa voando.
Na minha opinião o F-35 será um bom caça, mas ainda vai levar uns bons anos até estar full operacional.

Kemen
Visitante
Kemen

É tudo teórico na Red Flag, abatimentos por software, no máximo diria 4 x 1, mas como na teoria não existe limite de armas, e armas externas fisicamente também não levaram, o RCS dos F-35 era o o máximo que se poderia obter, e se mal manobraram melhor RCS ainda. Se a R. Flag usou F-16, poderia ser versão sem AESA, melhor para os F-35. É tudo muito relativo em treinamentos, que furtividade é vantagem não duvido, mas avião invisivel ainda não existe

Marco
Visitante
Marco

F16 Nutela por favor releia o texto com mais atenção.

F16 nutela
Visitante
F16 nutela

Repostando a afirmação do tenente general…

“De fato, embora os primeiros relatos sugerissem uma “kill ratio” de 15 para 1, o recente depoimento da Força Aérea pelo tenente-general Jerry D. Harris, vice-comandante do Comando de Combate Aéreo caracterizou a taxa de mortalidade como “20:1” significando que, para um F-35A “perdido” em combate simulado em um ambiente de alta ameaça, a aeronave destruiu 20 aeronaves inimigas simuladas pertencentes à “Força Vermelha”.”

Kemen
Visitante
Kemen

Aposto que na teoria usaram BVR com acerto de 100% o que
não é real, porque o lançamento de misseis (teóricos) pelo F-35 seria detectada e os atacados utilizariam as medidas usuais de proteção que em varios casos poderia funcionar, principalmente contra BVR.

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Em nenhum lugar disse que foi em uma única surtida. Esses 20:1 são o balanço final do exercício.

F16 nutela
Visitante
F16 nutela

Em nenhum lugar mesmo?

“De fato, embora os primeiros relatos sugerissem uma “kill ratio” de 15 para 1, o recente depoimento da Força Aérea pelo tenente-general Jerry D. Harris, vice-comandante do Comando de Combate Aéreo caracterizou a taxa de mortalidade como “20:1” significando que, para um F-35A “perdido” em combate simulado em um ambiente de alta ameaça, a aeronave destruiu 20 aeronaves inimigas simuladas pertencentes à “Força Vermelha”.”

Renato H M Oliveira
Visitante
Renato H M Oliveira

Cadê a fala “na mesma surtida”?

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Esse seu post demonstrou que você não tem a menor ideia do assunto sobre o qual está escrevendo. O kill rate não é individual, Einstein.

F16 nutela
Visitante
F16 nutela

É mesmo ? “De fato, embora os primeiros relatos sugerissem uma “kill ratio” de 15 para 1, o recente depoimento da Força Aérea pelo tenente-general Jerry D. Harris, vice-comandante do Comando de Combate Aéreo caracterizou a taxa de mortalidade como “20:1” significando que, para um F-35A “perdido” em combate simulado em um ambiente de alta ameaça, a aeronave destruiu 20 aeronaves inimigas simuladas pertencentes à “Força Vermelha”.” A mesma matéria em outro site falando que foram 12 caças F 35 que vieram para esse exercício, contra 60 agressores F 16, então vamos fazer uma conta de padaria, 12 x 4… Read more »

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Você é mais burro que uma porta, volta pra escola e vai aprender a interpretar um texto. Essa kill rate é proporção gênio. 20 aeronaves seriam perdidas para cada F-35 derrubado. Isso não é uma kill rate individual. E sim o total.

Mauro Viana
Visitante
Mauro Viana

Cara, está difícil você entender, heim? Alguém pode desenhar?

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

como eu seu interpretar texto eu te digo, no combate para cada 1 F35 perdido se perde 20 F16, não se está dizendo que 1 F35 sozinho vá derrubar 20 F16 numa surtida, ou seja um F35 iria ir e voltar da base várias vezes num cenário de guerra, derrubaria 20 F16 pelo menos antes de ser abatido.

Madmax
Visitante
Madmax

Se numa missão 10 voam 1 é abatido contra 20 abates já da a taxa.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Pessoal da Eurásia e extremo oriente que abram o olho.

julio
Visitante
julio

Não duvido da capacidade do F35, MAS qual seria a possibilidade dos exercícios serem modelados pra favorecer os pontos fortes dele?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A propaganda é a alma do negócio.
Só que não está convencendo mais (quase) ninguém.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

As crescentes vendas do F-35 dizem exatamente o oposto! Enquanto isso o Su-35 não vende, talvez porque tenha pegado muito mal sua incapacidade de detectar a aproximação do F-22

Chris
Visitante
Chris

Antonio… A julgar pelos “deslikes” que vc recebe..

Acho que é vc que não convence ninguém…

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Deixando claro que sou pró Brasil, antes de tudo e o resto das nações são apenas parceiras. Portanto, sem torcidas cegas. Esses resultados de treinos de combates aéreos que falam apenas nos abates, deixam muitos furos… Infelizmente esse anúncio 20:1 serve apenas para fantástica propaganda em cima de possíveis compradores p/ o F35, totalmente desinformados sobre caças e combates aéreos. Pois como essa Red Flag durou três semanas, seria aconselhável a divulgação de inúmeros outros detalhes… Condições meteorológicas durante os combates. Qual foi o custo-hora de cada tipo de caça participante. ” ” ” nº de homens p/ operação dos… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

E acredito que foram modelados, e muito, com todas as condiçoes nos F-35 e nos agressores para dar o propagandistico resultado, calculos de 20:1 onde não existe essa capacidade de misseis nos F-35 é uma embrulhada completa veja, num combate real os F-35 não aterrisam e não são rearmados para retornarem a combater os agressores que ficaram esperando no céu, ridiculo. Além do mais na R. F. 19-1 no video do youtube aparecem até F-5 voando, porque não divulgaram os caças ou aviões que foram abatidos em detalhe?

Hélio
Visitante
Hélio

Que um caça furtivo abate mais, não é novidade, afinal, ele não pode ser detectável. O que interessa aí é como o F35 foi “abatido”, porque essa é a grande questão, como abater um caça furtivo? Inevitavelmente os combates futuros se darão entre caças furtivos e a quantidade de caças convencionais que o F35 vence acaba sendo irrelevante, porque seus adversários vão ser o J-20, SU-50, os novos caças europeus etc…

Leonel matos
Visitante
Leonel matos

Su 50 o caça mudou de nome para su 57 há 1 ano ou mais é ainda há quem não saiba

Hélio
Visitante
Hélio

É costume, me refiro ao su57 como su50 desde 2009.

Edimur
Visitante
Edimur

Acho engraçado você conversa com um americano nativo ele mete o pau neste avião e em seu fabricante, que segundo ele compra todo mundo, aí vem os fanboy Tupiniquim babar essa jaca que segundo os gringos vem quebrando o Pentágono e tirando grana de forças importantes com a Blindada. Na minha opinião F22 manda um abraço !!!

Chris
Visitante
Chris

Haters… Apenas gostam de ser notados…

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Acho que a maioria aqui não “baba”, apenas tenta analisar os dados que chegam. Ainda assim, independente de qualquer kill rate, continuo acreditando que países como o Brasil não precisam (e nem tem grana mesmo) de aviões como o F-35.
Quanto à força blindada, são mudanças de conceito. Os americanos precisam de força blindada para lutar no exterior. Você consegue imaginar um enxame de CC entrando nos EUA pelo México ou Canadá? Blindado para defesa de casa só no Alaska e olhe lá.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Turminha canhota duvidando dos fatos e dados do Red Flag em 1…2…3.
O simpatizantes da foice e o martelo deveriam estar muito preocupados com os F-35 sendo adquiridos aos montes. De norte a sul, de leste a oeste do globo.
God Bless America !

Hélio
Visitante
Hélio

O que o F35 tem a ver com “foice e martelo”? Cada coisa que chega a doer, ainda mais não sabendo que os EUA é que representam a canhota hoje em dia.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Resumindo sua lógica em uma frase:
“Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é”. Lênin

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

F-16 A ?????
Covardia!!!

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Não foi citado o F-15 nos combates!

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Más notícias sobre o F-35: “esse avião não presta, etc…”
Boas notícias sobre o F-35: “era só um treino, tem que ver se é verdade, etc…”
Toda simulação é limitada, mas essa é uma inegável boa noticia para os operadores do F-35.

Munhoz
Visitante
Munhoz

É lógico que o F 35 leva vantagem! Pois é o mesmo que vc num campo de batalha terrestre lutar sem conseguir ver seu inimigo! Como no filme Predador, só que tem um detalhe no filme acabaram dando um jeito no predador ! O que ocorre é que o F 35 é altamente integrado ao AIM 120, ou seja de um jeito neste e a vantagem do F 35 vai ser reduzida drasticamente, no entanto ainda sobra o DAS a curto alcance, mas também este pode ser instalado num 4 geração! Sem querer ser pessimista mas já sendo, eu acho… Read more »

Munhoz
Visitante
Munhoz

Mas até que a última foto é bonita!

Welder
Visitante
Welder

“Pod de interferência que desvie ou absorver as emissões inimigas, tornado tudo stealth sem grande gasto, vai acabar sumindo do mapa ”

Inventou alguma coisa ai né? Fala ai pra nóis! kkk

Munhoz
Visitante
Munhoz

Não é invenção, mas sim uma previsão, pode ser que ocorra ou não 👀

Marcos10
Visitante
Marcos10

(20:1) vs (custo operacional x disponibilidade)

cwb
Visitante
cwb

tem uma matéria aqui do PA que fala de uma disponibilidade de 60 a 70% do F-35

Andre
Visitante
Andre

Sérgio, quer apostar que será antes do su57 ter seu motor definitivo ou a sukoi ter entregue uma dúzias de su57?

Junior
Visitante
Junior

Como eles simulam radares e sensores passivos russos e chineses nesses agressores ?

ODST
Visitante
ODST

Está parecendo até conversa de russo. Mas faz parte, todos tem que fazer seu marketing.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Isso mesmo, muitos fazem o MKT negativo e o mesmo acontece com o MKT positivo… segue o jogo. A azia sempre estará presente, num momento pega o estomago do lado azul em outro arde no estomago do vermelho.

Obs.: para quem se ofende (ou sente azia) podem mudar a cor de “azul” para “verde abacate” e de “vermelho” para “verde oliva”.

nonato
Visitante
nonato

O problema é:
Os agressors contam com toda tecnologia disponível, inclusive AWACS, AESA e sistemas de guerra eletrônica?
É muito complicado quando o oponente tem a mesma tecnologia que você, inclusive as informações.
Outro detalhe foi que num abate na Síria (avião russo se não me engano), um míssil IR americano teria falhado porque não reconhecia o calor das turbinas russas.
Se não conhecer a tecnologia que vai enfrentar pode haver falhas.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Treino é treino, jogo é jogo.

Se for um parecer totalmente verdadeiro, o F-35 não está fazendo mais do que a obrigação, afinal, é o programa militar mais caro de que se tem notícias, agora, se for um parecer advindo do lobby do fabricante, vão precisar de um bom relações públicas quando as missões reais começarem.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Já estão acontecendo na Síria com Israel, e o pessoal não conseguiu ver nada até agora… se é que Você me entende.

Roberto da Silva Rocha
Visitante

Como professor de técnicas de pesquisa científica e metodologia de pesquisa não me sinto a vontade para fazer qualquer comentário sem conhecer os parâmetros, as variáveis dependentes, independentes e intervenientes.
O texto é mudo e cego, nem sequer fala do número de aeronaves de cada lado, fundamental para a comparação.

Roberto da Silva Rocha
Visitante

Rocha, professor universitário e cientista político Falsa pesquisa, ou, pesquisa falsa? Uma informação com diagnóstico falso é um perigo para o próprio beneficiado. É como um falso diagnóstico de defeito ou falha mecânica no carro, ou como um diagnóstico errado médico. Conduz ao tratamento equivocado. Em estatística existe o teste de hipóteses, onde se verifica a hipótese zero se pode ser rejeitada para erros tipo 2 ou 1. Falso-verdadeiro quando o teste é falso mas se passa por certo; e falso-erro, quando é verdade mas é tido como errado. Serve para nada. Inútil. Em meu TCC de Ciência Política no… Read more »

Tico
Visitante

Como seria esse combate simulado contra Rafales e Typhoon, e o próprio F-16, mas em uma versão com radar AESA, como a versão bloco 60 por exemplo, pois acredito que o F-35 terá esse tipo de desafios em combates simulados, some-se a isso o o próprio gripen E, que a USAF poderá ter como adversário para exercícios, pois tanto o Brasil quanto a Suécia, estarão operando e esses encontros vão ocorrer, e aí iremos confirmar ou não toda essa superioridade do F-35. Acredito que o F-35 será superior tanto ao gripen NG, quanto ao Rafale, Typhoon, SU-35, ou qualquer outro… Read more »

Heu
Visitante
Heu

Tem que ser rebatizado para F-35 Obliterator.

Chris
Visitante
Chris

Fato é que ninguém gastaria milhões…. Bilhões… Se o avião não prestasse !

Rafales, F-18 SH ou F-16s atualizados ? Talvez a taxa de kill’s fosse “só” de 10 pra 1 !

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Continue se enganando até vc mesmo acreditar nisso.
O fato é que alguns países desistiram de novas encomendas (Israel e Itália) e Taiwan considerou o avião deficiente.
Assim restaram os de sempre: Inglaterra, Japão e Coreia.
Ista esclarecer que esses países, por via das dúvidas, estão apressando o desenvolvimento de seus próprios aviões.

GripenBR
Visitante
GripenBR

Se é essa Coca Cola toda ai! E vai permanecer assim invuneravel, e aqui o amor por este avião e sem fim! (Irônico) Ótimo, cancelem o 1° primeiro e o provável 2° segundo lote de Gripens. Substitua por dois F-35, porque isso é tudo que poderemos operar de maneira viável dessa aeronave. Talvez manteremos uma taxa operacional de 50%. Teremos 1 aeronave sempre disponivel uma centena de pilotos na escala. Com essa taxa de Kills e melhor nossos vizinhos se c… só de pensar em se aproximar de nossas fronteiras com seus aviões inúteis. Se por um motivo qualquer por… Read more »

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Segue o enterro, o F-35, segue a linhagem dos Mustang que dizimaram a A luftwafe, e os F-16 que destroçaram os caças soviéticos no Oriente Médio. Ou seja não há nenhuma novidade.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Interessante, fico apenas a imaginar o dia em que esse avião for bom…

Ironic mode on!!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Aí ele consegue derrubar os F-18s.

Paulo
Visitante
Paulo

Sem dúvida.

Para coloca-los em museus, antes que sejam vendidos para um ‘ferro velho’.

bjj
Visitante
bjj

Os indianos alegaram que, em um exercício com a RAF, seus Su-30 “surraram” os Typhoons britânicos conseguindo uma taxa de kills de 12:0, mesmo sendo aeronaves de desempenho similar. Também alegaram, com a confirmação da USAF, que conseguiram uma taxa de kills de 9:1 com seus Su-30 vs F-15C, com detalhes poucos glamourosos: os cenários envolviam 18 Su-30 contra 6 F-15 apenas no combate de curto alcance. Quero dizer com esses exemplos que observar a taxa de kills de forma individual não quer dizer muita coisa. A situação é muito mais complexa e envolve muitas variáveis que não conhecemos, deixando… Read more »

Delfim
Visitante
Delfim

Aguardemos um exercício com caças delta canard, AWACS e mísseis Meteor europeus. Aí sim teremos números definitivos.

Rustam
Visitante
Rustam

20 – 0))) And who is the opponent? F-5 or F-16 block 20? )) This is boasting from the same fairy tale from SWEDISH GENERAL

Something in Syria the coalition is not doing so well against the Su-35 -Su-30-Mig-29 Russian Air Force

Andre
Visitante
Andre

Israel attacks syria with or without the russian Air force as it has been doing for 70 years. Soviet planes have been easy targets for Israel as they were for Iran in the 80s.

About russian planes, How is the development of su57’s engine? Has the second contract been signed yet or there will be only 13 su57?

Rustam
Visitante
Rustam

Israel does not enter the airspace of Syria! All strikes come from the territory of Lebanon and from the sea

Melky Cavalcante
Visitante
Melky Cavalcante

Sabendo que eles (F-35)estavam na Blue Force, que é bem mais equipada que os agrressors (que sempre estão em desvantagem inicial), Qual teria sido o Kill Ratio de outras aeronaves de 1° linha anteriores, F-15/F-18, etc. Alguém sabe ?

Caleb
Visitante
Caleb

Então o F35 que os EUA estão desesperados para venderem, entra num combate simulado com caças f16 que eles estão desfazendo, sei muito bem o que é isso.!!!

Sidney
Visitante
Sidney

Me explica os desesperados para vender?

Se 10 países, além dos EUA, já compraram o avião e muitos já o receberam.

O desespero não deveria estar em quem vai ter que enfrentá-lo?

edcarlosprudente
Visitante
edcarlosprudente

Jovens e inexperientes pilotos em combates simulados, será que é igual ao videogame. Não que eu duvide do treinamento em ambiente simulado, no entanto, como seria esse cenário enfrentando aeronaves furtivas chinesas, seria um jogo de igual para igual?!

Saudações!

Bosco
Visitante
Bosco

Engraçado que quando é malhando ninguém desconfia da qualidade da fonte.

Augusto L
Visitante
Augusto L

É uma simulação pessoal.
Os agressors são equipados com pods de RWS/ECM alem de operarem linkados ao GCI como se fosse seu radar embarcado, os esses GCI não podem ser atacados pois simulam esses radares embarcados, alem de que os misseis que os F-16 carregam são simulados, praticamente eles podem simular qualquer missil ar-ar moderno.
Sem contar que a Red Force opera uma pesada rede de radares terrestres móveis.
Esse Red Flag foi uma operação contra uma pesada IADS.
Há relatos que a red force cegou toda a frota blue force exceto os F-35 que deram apoio e protegeram a frota de 4 geração.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Inclusive os F-15 não são mais agressor

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Pelo lado Hindu….eles não precisam de inimigos, se matam entre eles, duas vezes nos últimos 30 dias.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Levando se em conta que na Red Flag se usa de tudo que é sistema de armas em combate aéreo e que mesmo sendo inferiores em sistema os caças derrotados pelo F-35 com certeza tiveram apoio de aeronaves de alerta e tal acompanhando tudo. Temos,nós apedrejadores do vetor, que dar a mão a palmatória. O F-35 é f… e está mostrando(Israel que o diga) o seu valor e diferencial.

Kemen
Visitante
Kemen

Vem ai o filme Top Gun III onde 2 F-35B derrubam 19 caças inimigos armados com R-73 e R-77, para delirio da platéia!