Home Aviação de Ataque Marinha dos EUA se despede dos caças F/A-18C Hornet

Marinha dos EUA se despede dos caças F/A-18C Hornet

15468
97

O Strike Fighter Squadron (VFA) 34, organizou a cerimônia de despedida e sobrevoo do antigo F/A-18C Hornet na Naval Air Station Oceana em Virginia Beach, Virgínia, em 1 de fevereiro.

Membros do serviço ativo, liderança em aviação, mídia local e visitantes compareceram para comemorar os 35 anos de serviço ativo da aeronave na frota.

“Hoje a nossa família VFA-34 faz as despedidas operacionais a um velho amigo”, disse o comandante do VFA-34, William Mathis. Nascido há mais de 40 anos, o Hornet entrou em serviço operacional para a Marinha dos EUA em 1984 e, nos 35 anos seguintes, serviu orgulhosamente ao país a partir do convés de voo de porta-aviões em todos os mares do mundo.”

O F/A-18 Hornet entrou em serviço operacional para a frota em 1984. A primeira missão de combate da aeronave foi em 1986 durante a Operação El Dorado Canyon e o Hornet continuou a servir em todas as principais operações militares dos EUA, incluindo a Guerra do Golfo, Guerra do Iraque, Enduring Freedom, Iraqi Freedom, Inherent Resolve e mais recentemente serviu em 2018 a partir do convés de voo do USS Carl Vinson (CVN 70) com o Strike Fighter Squadron (VFA) 34.

Os Blue Blasters do VFA-34 foram o último esquadrão da Marinha dos EUA a voar no Hornet, mais recentemente juntando-se ao USS Carl Vinson (CVN 70) para realizar patrulhas da Liberdade de Navegação no Mar do Sul da China em 2018.

O F/A-18C Hornet está sendo substituído pelo F/A-18E Super Hornet, que é capaz de executar as mesmas missões que o Hornet, mas com avanços significativos em sistemas de missão que aumenta drasticamente sua eficácia.

“O Hornet é conhecido por muitas coisas”, disse o comandante Mathis: “legado, aeronave de ataque altamente confiável, multi-função… mas para nós, ele sempre será um velho amigo. O Hornet continuará a servir com o Corpo de Fuzileiros Navais (USMC) e unidades de apoio da Marinha, mas para a Marinha operacional, é hora de dizer adeus. Assim, dos homens e mulheres que voaram e mantiveram o lendário F-18 Hornet, agradecemos pelo seu serviço e trabalho bem feito.”

FONTE: Marinha dos EUA

97
Deixe um comentário

avatar
24 Comment threads
73 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
60 Comment authors
StanakaMiguel Lourenço FelicioAlmeidaMFBFlanker Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Vou disparar o cronômetro até ler o primeiro comentário:¨a FAB e a MB podiam adquirir alguns…¨.
hahahahahahaha

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

O Sr. foi o primeiro, Coronel.
Porém, bem que poderia a MB, com bases táticas litorâneas, sim.

marcelo kiyo
Visitante
marcelo kiyo

O Comandante da Marinha já deu entrevista em um site concorrente, que não haverá nenhuma compra de oportunidade por enquanto; a prioridade são as corvetas, capacitação de marinheiros e nova base naval.

marcelo kiyo
Visitante
marcelo kiyo

É só procurar a entrevista pelo google que acha-se o site.Postei o endereço do site no poder naval, mas fui CENSURADO lá.

Adelino
Visitante
Adelino

não tinha para o NDM, do nada confirmaram a compra, não tinha pra o PHM, e de repente foi……. esse e o segredo, não temos dinheiro, não temos disponibilidade e a bola da vez e não haverá compra de oportunidade…..

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Tem uma grande diferença entre o mundo ideal e o mundo real, Marcelo kiyo. As Malvinas que o diga, e foi logo ali.

teropode
Visitante

Melhor não, se for pra comprar velhinhos e reviraliza-los é preferível comprar mais alguns gaviões A-4 e mandar arrumar em Israel , são baratos para manter e suficientes para o Sul. O Kuwait deve ter alguns semi-novos .

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Não vai atrás, teropode, tem muita coisa boa guardada lá.

teropode
Visitante

Ehhh, aqueles caras colecionam brinquedinhos caros , só voam pra fazer graça para o patrão cheio de petrodollares 😭😭😭😭😭, aqui voam até dar no osso .

Mauricio R.
Visitante

“…é preferível comprar mais alguns gaviões A-4 e mandar arrumar em Israel , são…”

Parabéns Galante, você realmente conseguiu!!!!

Desenvolver uma Mentalidade de Defesa no Brasil

By the way, não há mais A-4 em Israel em condições para nada, a não ser pra acervo de museu, o que não deixa de ser uma benção!!!!
Eu realmente gostaria de saber o que vem a ser “baratos de manter”, qndo se sabe que não há peças de reposição novas desde 1979, qndo esta aeronave deixou de ser produzida em série????
Deve ser papo de plastimodelista, só pode.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Eu também não entendi porque depois da Embraer ter gasto muito para adquirir tecnologia para modernizar os A-4 o Brasil mandaria modernizar em Israel, coisas de dinossauro.

luiz Henrique
Visitante
luiz Henrique

Melhor do que os A-4 BengalaHawk

PauloSollo
Visitante

Pois vou lhe dizer caro Cel, sei que a Marinha não tem verba para isto mas se tivesse, se estão investindo para desenvolver uma doutrina de operação com caças usando o Vietnâmico A-4, porque não dar um considerável salto com alguns Hornet Legacy? No futuro, se houver grana para caças novos, já terão boa experiência adquirida.

Gustavo
Visitante
Gustavo

O A-4 Modernizado é capaz disso, o A-4 modernizado tem radar melhor que o F-5EM, e mesmo que em apenas 6 unidades operacionais, é o suficiente para este momento ruim da MB, manter seus pilotos atualizados e prontos para, um dia, poder receber novos caças.

Luiz Antonio
Visitante
Luiz Antonio

Sr. Rinaldo. Vai faltar cronômetro.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

É Coronel… pelo visto tem que ser um cronômetro atômico e um saco de paciência que parece estar perdido num horizonte de eventos de um buraco negro hehehehe

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Incrível Coronel, mas é sempre assim, haja paciência.
Tem um pessoal que não adianta falar e rerrerrefalar:
O Brasil está + que comprometido… Ele já está casado com o caça multifunção no estado da arte Gripen-NG-BR.
Caramba esqueçam-desistam de F-18 ou F15, F35.

Obs: Parem de gastar tempo, dinheiro, homens (†) com esses artefatos arqueológicos A4. A doutrina tem quer ser toda focada nos Gripens E/F/N(navais).

Paulo
Visitante
Paulo

É verdade, haja paciência, Farroupilha. Qual é o caça que a MB do teu país opera mesmo? Esperar pelo Gripen Naval, é dormir em berço esplêndido. Até 2100 só contando o soldo e treinando marinheiro em corveta, assim é fácil. Até quando a água bater nos fundilhos, quando alguém de fora quiser restabelecer a democracia no Brasil. Aí já era.

Aldo Ghisolfi
Visitante

E qto ao F 16? Ao menos para adiantarmos tecnologia?

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Ia esquecendo dos diversos afilhados do F-16, além do bando das Viúvasfdezoitão.

Pessoal…
O Brasil (FAB) comprou GripenNG, já agora em 2019 chegará o nosso primeiro caça multifuncional e no estado da arte, tanto de motorização quanto de matriz eletrônica. Além de várias outras qualidades top.
Esqueçam aquisição de outros caças, simplesmente não tem porquê.

Felipe
Visitante
Felipe

O problema é o Gripen N(ão) existir. A SAAB desenvolveu sozinha até onde deu e disse que só continua o desenvolvimento que falta se tiver um comprador. Eu não vejo por um bom tempo o Brasil adquirindo Gripens N, se tiver uma nova compra será de outro lote E/F. Aposentar os 6 A4 não vai gerar dinheiro pra custear o desenvolvimento do Gripen N infelizmente, só vai garantir que a MB fique sem asas.

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

????

Felipe
Visitante
Felipe

“Temos um design totalmente certificado que foi assinado pela administração da Saab para a versão marítima do Gripen”, disse Tony Ogilvy, diretor de marketing do Gripen N. “Está em nosso portifólio, mas é apenas um projeto. Nós não temos como passar para o próximo passo crítico, exigindo um cliente para isso.” Esta fala é de apenas um ano atrás, como eu disse, diferentemente do Gripen versão E/F, que já tem protótipo voando, o Gripen Naval ainda não existe, seria necessário um primeiro cliente para terminar o projeto, que poderia ser a MB, mas não vejo no curto prazo isto acontecendo,… Read more »

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

As asas que a MB pode e deve ter são as rotativas e aviação de patrulha/ASW/ASuW baseada em terra.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Complementando meu comentário, aviação de caça na MB só se e quando tivermos novamente um porta-aviões, em uma conjuntura geopolítica e financeira do país que justifique uma força de projeção de poder. Até lá, meia duzia de caças para manter doutrina são inócuos, é jogar dinheiro no lixo.

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

a Alemanha nunca teve Porta-aviões mas operava Starfighters e Tornados à partir de bases terrestres.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Sim, mas não eram da Marinha, e sim da Luftwaffe. Missão que os Gripen da FAB também cumprirão.

Stanaka
Visitante
Stanaka

Eram da marinha alemã, sim. A marinha italiana também utilizou o Panavia Tornado baseado em terra.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Veja as aeronaves que a marinha alemã opera hoje: Dornier Do 228 (transporte), P-3C Orion (patrulha/ASW/ASuW), Sea King (ASW/SAR) e Sea Lynx (orgânico das fragatas)…

Stanaka
Visitante
Stanaka

A marinha alemã utilizou o Panavia Tornado até 2005, quando a unidade foi desativada e os aviões repassados para a Luftwaffe. Segue foto de um Tornado da Marinha alemã (note a inscrição na deriva)
comment image

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

vejamos: Kriegsmarine.Marinha alemã. Acho que eram da força naval….

Minuteman
Visitante
Minuteman

Coronel, leve em consideração que muitos dos que acessam os sites dessa trilogia não são especialistas como o senhor. Acessam porque se interessam sobre os assuntos de Defesa, mas não entendem de tudo.

Não é a primeira vez que vejo esse tipo de arrogância neste site, isso afugenta as pessoas, e eles ficam se perguntando do porque são tratados assim.

Portanto, em vez de ser arrogante, faça um comentário explicando o porque não é valida sua compra, explique com seu conhecimento, não seja mesquinho, e assim o seu “cronômetro” não será mais necessário.

Por fim, o primeiro a falar disso foi o senhor.

Paulo
Visitante
Paulo

Depois reclamam que os brasileiros não se interessam pelo assunto de defesa muitos achando até bobagem gastar dinheiro com FFAAs. Aliás, a proposta desse Blog esta escrita aqui ao lado: ¨Desenvolver uma mentalidade (que não existe hoje!) de Defesa no Brasil¨.

Paulo1
Visitante
Paulo1

Esse não sou eu, vou colocar 1.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não chore. Leia alguns comentários que explicam. Tudo se resume a custos de operação / manutenção. Na rede se encontra o custo da hora de vôo do F-18. Pra pobres, como nós, o ideal é a PADRONIZAÇÃO. O que teremos com o Gripen. Essa história de high/low é bobagem. Há, ainda, as necessidades de infraestrutura. Qual é a vida útil disponível desses F-18? Quem faz e quanto custa a revisão dos motores (são 2 por avião)? E o armamento? E, finalmente, o dia em que a MB voltar a operar um PA, o avião tem que caber nele. Servi em… Read more »

Paulo
Visitante
Paulo

Huuum … Veja o lado bom da coisa. Bem pouco tempo atrás qualquer notícia de gasto com FFAAs era considerada besteira ou gasto inútil por grande parte da população que achavam mais interessante até gastar com estádios de futebol. Hoje o brasileiro se interessa mais pelo assunto dando pitacos e querendo ver seu Exército equipado. Quer que volte o total desinteresse que era antes??

Paulo
Visitante
Paulo

Nada contra, mas esse Paulo não sou eu. Eu coloquei Paulo1 no meu nick, mas não apareceu ainda. Valeu.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Os arautos da velharia certamente acham, que tudo que é descartado fora teria utilidade aqui.

Douglas Rodrigues
Visitante
Douglas Rodrigues

Muito melhor será desenvolver a versão naval do Gripen, se assim puder ser feito lá pela década que vem, quem sabe até pela década de 2030.
A prioridade deve ser equipar o A-140 com helis de ataque.

Gustavo
Visitante
Gustavo

com certeza eu esperaria ver algo do tipo, “mas a MB poderia ir lá comprar alguns…” hahahaha e em seguida “pra fazer um hi-low com o A-4”. hahahahahahahaha

Wellington Rossi Kramer
Visitante
Wellington Rossi Kramer

A exemplo dos A-4 adquiridos, seria melhor comprar os F-18C do Kuwait, que devem ter menos uso que os americanos.

Miguel Lourenço Felicio
Visitante
Miguel Lourenço Felicio

Inclusive…..

Leonardo
Visitante
Leonardo

Sucata voadoras aposenta logo Jogar dinheiro fora

MFB
Visitante
MFB

Feliz do país que pode se dar ao luxo de aposentar sucatas como o F/A-18C.

Alex Rocha
Visitante
Alex Rocha

Um belo avião. Deixou um bom legado e cumpriu o que prometeu. Agora a jaca F35 não sei se irá chegar lá.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Hornet e Super Hornet são excelentes aviões com DNA da Northrop, por descender do lendário F-5. Estes aviões poderiam, sim formar uma esquadrilha de formação de pilotos navais. É muito superior ao A-4 Skyhawk. Pode integrar quase todos os armamentos americanos como o Harpoon e outros vetores. Um ótimo projeto, ainda bem que será operado pelos Marines ainda por mais alguns anos.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

O F-35 é o futuro, só não vê quem não quer!

ALEX ROCHA
Visitante
ALEX ROCHA

Que é o futuro não se discute Carlos, mas o que eu quiz dizer é:será que ele vai entregar e cumprir a missão bem feito assim como o hornet cumpriu?

Fabio
Visitante
Fabio

MacDonald Douglass criou e produzio os maires icones da aviaçao de caça, sou fã do F4 e F14 etc…

Leandro Francisco de Oliveira
Visitante
Leandro Francisco de Oliveira

F-14 foi a Grumman quem produziu.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Na boa, Fabio, o F-14 era da Grumman, assim como muitos aviões navais mais antigos. A grafia correta é McDonnell Douglas, que foi adquirida pela Boeing. Mas realmente os aviões fabricados por eles eram o terror dos MiGs.

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

o F-18 é descendente direto do YF-17,que era um descendente do F-5. Portanto,eram aeronaves da Northrop. A McDonnell Douglas se associou a Northrop duante o VFA/X,da USN na proposta do Cobra Naval(YF-17),o que deu origem ao F/A-18

Jota Ká
Visitante
Jota Ká

Sou fã do Big Mac! 😂

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Ele fez e ainda faz a história da aviação !

Mario
Visitante
Mario

É lamentável ver os Eua tirando uma aeronave como esta e o Brasil, operando sucatas dos 60 como f5 e o a4 isso é triste mesmo ,nossas forças armadas ,mais parecem milicias de guerrilha ,com nivel de Zimbábue ,Congo,Paraguai ,Birmânia etc..
E não venham falar bem do nossas forças armadas não ,porque nunca entraram numa guerra moderna ,e a maioria só sabe ouvir funk e depois servir ao crime organisado só para isso prestam

rdx
Visitante
rdx

Caça ideal para a FAB em 1989

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Será mesmo?
Quanto teria sugado do orçamento da FAB, com o custo de sua hora de voo?
E seus contratos de manutenção, quanto eram?
Os dos franceses (Mirage) eram caros pra dedéu.

As ViúvasF18 parece que nunca acabam. A xonite foi forte.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Descanse em Paz Brava Vespa

Charles Dickens
Visitante
Charles Dickens

Eu quero mesmo é que a FAB compre TODOS os F5 ainda em operação no mundo, modernize TODOS e monte uma força aérea com uns 350 caças, 250 deles da versão F5M.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Até os movidos a corda!

Viegad
Visitante
Viegad

🤣🤣🤣🤣🤣

Almeida
Visitante
Almeida

350 alvos vc quis dizer

Rodrigo
Visitante

bom dia

Acho um caça muito capaz e principalmente confiável , isso é e sempre foi muito importante para operar na US NAVY, (coisa que o F-35 no momento não é)
Certo é que vai deixar saudade, embora ainda vai voar muito por ai,

Para a Marinha brasileira seria bom uns Super Hornet,s baseados em terra, 6 aqui no sul e 6 no nordeste, seria nossa realidade, Mais quem sabe Sea Gripen no futuro.

Alexandre callix
Visitante
Alexandre callix

Os Hornets,sem comentários,participaram e provaram sua capacidade em várias guerras!
O Grippen,ainda é o ovo no cu da galinha!
Justificar que nunca têm verbas é muito cômodo.
Só o dinheiro que roubaram do Brasil, éramos para ter uma das maiores esquadrilhas de caças de combate do mundo.
Ponto!!!

Bosco
Visitante
Bosco

Devo concordar.
Para um país que precisava de uma força de caças com urgência o Gripen NG foi a pior opção, principalmente tendo em vista haver vários caças prontos e acabados (Rafale, SH, Su-35,etc).
Quanto à tal da transferência de tecnologia eu acho válido mas deveria ter sido para um caça futuro num sistema de desenvolvimento conjunto.
Mas fato é que agora é tarde e seja o que Deus quiser. rsrsss

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Demorou tanto que acho que o Brasil deveria ter aberto mão da transferência de tecnologia em prol da operacionalidade do F-18. Mas bem como você disse: Agora já era. Seja o que Deus quiser.

JSilva
Visitante
JSilva

O problema é que nenhum dos citados no exemplo tem condições, infelizmente, de serem operados pela FAB. Todos caças médios ou pesados e bimotores. Pra o que a FAB queria, que é substituir Mirage 2000, F-5 e A-1 e padronizar em um só, o Gripen E/F era a melhor opção em termos de custo/benefício. O erro foi não terem escolhido (FHC) no FX-1 a sua versão anterior C/D, hoje daria pra esperar o segundo lote sem urgência.

Alexandre callix
Visitante
Alexandre callix

F 15 E modernizados,seria uma ótima opção,veja Israel,usam ainda F 16 e F 15.
Só nós estamos certos e eles errados???

Viegas
Visitante
Viegas

Para o Brasil seria bom o super hornet, o F35, F22 Raptor e por ai vai, mas qual a real necessidade da Força Aérea Brasileira? Quais as características de nosso território? Quando digo real necessidade não confundas com a situação de não possuir nenhum caça modeno e sim, o que é útil para nosso país. Assim como um porta aviões, muito legal e blá blá blá, mas temos a real necessidade de um no momento sendo que sua aplicação é para operação de projeção ofensiva? Esta é a principal pergunta a ser feita. Ficar adquirindo equipamentos por necessidade momentânea sem… Read more »

Rodrigo
Visitante

A esta última foto é do “caramba” alta resolução muito bonita e detalhada, vlw

Charles Dickens
Visitante
Charles Dickens

Não sei não … sou apenas um leigo curioso e interessado em temas de defesa. Porém, quem acompanha os assuntos militares vê a toda hora notícias dando conta de que países que destinam muito mais recursos à área de defesa, e que estão localizados em regiões “quentes” do mundo, compram material de segunda mão aos rodos. Fico pensando: será que esses equipamentos só não servem para o Brasil? Servem para Taiwan vizinha da expansionista China, para os países do leste europeu vizinhos da expansionista Rússia, para fulano, para beltrano, para sicrano, mas só não servem para nós? O argumento contrário… Read more »

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Meu caro Charles.
Tem que jogar tudo no Gripen. Um avião no estado da arte. Do qual o Brasil terá os códigos fonte. Participa do desenvolvimento. Pode colocar as armas que achar conveniente. Enfim. Comprar aviões de países que só poderão ser usados contra inimigos destes países.A defesa de um país é coisa mais séria.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Antonio Palhares, tem uma lista de componentes do NG feito pelos EUA. Canopy, Avionics, transducers, eletro óptical system, Fuel Tank, Lighting Systems Míssil, Valves component, Fuel Nozzles, Motor Engine, Hud Systems Cabin, Eletronic conectores, passiv componet eletronics, corrosion inhibitors, wheel breakes and control Systems…
A lista é enorme, como se vê o NG não será propriedade independente no Brasil.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Ivanmc.
Eu concordo com voce. Realmente a lista dos componentes dos Estados Unidos no avião são grandes. No caso do Brasil eles não poderão nos impedir de usar o avião, não importa qual seja o inimigo. Igual tomaram partido da França no entrevero da lagosta, sugerindo que os contra torpedeiros não subissem até o nordeste para fazer frente ao navio de guerra francês que lá se encontrava.
Um fraterno abraço.

Flanker
Visitante
Flanker

Por que não? Só porque não são eles que fabricam o avião? Se o medo é que os EUA, em um hipotético conflito, possa impedir que o Brasil opere o Gripen, com todos os componentes do avião que vem de lá, basta eles cortarem os suprimentos. Pronto!

Charles Dickens
Visitante
Charles Dickens

Agradeço os comentários, todos muito pertinentes. Sei que a equação é complicada. Aliás, não se trata de uma equação apenas, mas sim de um sistema de várias equações com inúmeras variáveis. Admito que sou um pessimista em relação ao desenvolvimento de uma indústria de defesa nativa, sobretudo no tocante a embarcações, carros e aviões de combate (não me refiro a alguns outros tipos de armamentos). É muito dinheiro necessário para pesquisa, desenvolvimento, certificação e produção para um mercado interno no qual não há escala que justifique tanto investimento. Por que gastar milhões, e até talvez bilhões, na produção de um… Read more »

Viegas
Visitante
Viegas

Charles Dickens isto que acontece hoje, compramos material usado e muitas vezes, com pacote de peças de reposição que são filhos únicos, veja por exemplo os mirage 2000, que no final haviam apenas a metade de aeronaves pois as outras haviam sido canibalizadas para retirada de peças. A compra destes equipamentos usados muitas vezes não são vantajosos pois há várias variantes como tempo de vida útil, pecas de reposição, possibilidade de modernização, etc. Há oportunidades que são proveitosas como por exemplo as últimas aquisições de peças de artilharia AP, porem outras nem tanto como no caso recente em que foram… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Exatamente como declarou, o F-18 tem mostrado muita confiabilidade e resistencia principalmente na versão naval onde é mais exigido, também é claro, resultado de uma boa manutenção e intruções corretas de manutenção, espero que o Super Hornet continue a defender esse desafio. “Good Bye Champion”.

Alex Faulhaber
Visitante
Alex Faulhaber

Esses F-18 têm a aviônica melhor que nossos F-5?

Almeida
Visitante
Almeida

Semelhante

Eduardo Jardim
Visitante
Eduardo Jardim

Bom dia foristas.

Teria sido uma excelente opção na década de 90 por um único motivo.

Permitiria a padronização da aviação de caça entre a Marinha e a Força Aérea.

Ao invés de Mirage 2000, F-5 e A4 teríamos um único vetor.

Isso, é claro, se houvesse dinheiro.

Luis Fernando
Visitante
Luis Fernando

Na época não havia dinheiro para isto, estávamos numa pindaiba violenta , acho até que pior do que Argentina hoje , lembra do louco do Collor pegando as nossas economias ? E do choque que teve de ser o plano Real para conseguir estabilizar a nossa inflação de dois dígitos e além , para uma de um digito apenas ? Na época não tínhamos condições, mas quando entramos nos anos 2000 , quando já tínhamos amansa do o dragão da inflação, que as coisas poderiam ser diferentes , veio quem veio e aí foi “quase” década perdida ….

Francisco
Visitante
Francisco

A ideia dessa possibilidade de compra surgiu antes de vc ligar o cronômetro … vinda de vc mesmo. ah ah ah ah ah ah ah

Gustavo
Visitante
Gustavo

Esse deixará saudades. Pelo menos para mim que sou Fã de toda família F-18. Pelo menos continuaremos a voa-lo no DCS. hahaha

Volnei Quintino dos Santos
Visitante
Volnei Quintino dos Santos

Ainda vai dar pra matar a saudade dele no DCS World

Paulo
Visitante
Paulo

Isso, o DCS é o conhecimento que lidera, entre os debatedores, gamers, é o que impera aqui no blog e em outros, também. Bem longe da realidade.

Fabio
Visitante
Fabio

Que mané F18 ou Gripen Naval? Pra que qualquer um dos dois se não temos nem teremos NAe tão cedo?

NAe é para projetar poder e precisa de um monte de escoltas pra sobreviver e é bom ter pelo menos um se quiser ter algum. Querem começar a construir a casa pelo telhado!

Se for pra marinha ter caças, que seja o Gripen normal. Se antes do fim da vida do Gripen conseguir verba pra NAe, repassa pra FAB e pronto!

Nilson
Visitante
Nilson

Concordo, se a Marinha puder daqui alguns anos trocar os A4, que seja por uma meia dúzia de Gripen NG com capacidade anti-navio, para operar de bases terrestres. Assim manteria a linha de produção do Gripen além de ter manutenção compartilhada com a FAB. Somente se, e somente se, a FAB comprometesse pelo menos um esquadrão especializado com capacidade anti-navio, a Marinha poderia desativar suas asas fixas. Mas creio que a FAB não o fará, pois sua prioridade é sempre a superioridade aérea.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Um legado de sucesso desse caça que tão bem substituiu os F-14 Tomcat. Muitos duvidaram se ele conseguiria. Não só conseguiu como superou o F-14 Tomcat. Que o Super Hornet demore um pouco mais até o F-35 ser mais confiável (Tão longe de isso acontecer).

Tiago
Visitante
Tiago

O Super Hornet não será aposentado tão cedo. Ele vai ocupar a função que os Hornet desempenhavam, de integrar a defesa do strike group, e aos poucos vai ser limitado a essa função, deixando o papel ofensivo para os F-35.

Flanker
Visitante
Flanker

Luiz, o F-18 A, B, C e D substituiu inicialmente os A-7 Corsair II e posteriormente os A-6 Intruder. Ele não substituiu o F-14. O F-18 E/F foi quem substituiu o F-14. E o Super Hornet vai operar nos EUA até 2040, no mínimo.

samuel celegatti
Visitante
samuel celegatti

e os blue angels???

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

vão de Super Hornet! Já está no cronograma de implantação.

brunoFUZNAVDIVER
Visitante
brunoFUZNAVDIVER

Rinaldo Nery, seu cronômetro é ótimo… la vai…Sejam bem vinda F_18 para a MB, melhor que o velhos trader trackers. rsrsr

Flanker
Visitante
Flanker

Eu não vejo lógica alguma na MB operar F-18 ou Gripen NG. Não temos e não teremos NAe tão cedo. Se um dia voltarmos a ter esse tipo de navio, vai demorar muito! A-4 serve para que? Manter doutrina! Ponto! Nada mais! A MB quer manter um núcleo mínimo de pilotos de caça para quando, e se, um dia voltar a ter NAe, não precisar reiniciar tudo do zero. Os AF-1M serão apenas 6….3 mono e 3 biplaces. Valor militar com apenas 6 vetores, dos quais nunca, por força de diagonal de manutenção, todos estarão operacionais ao mesmo tempo? A… Read more »

Almeida
Visitante
Almeida

Acabou que o F-35C atrasou tanto que, ao invés de substituir os Hornet, vai mesmo substituir parte dos Super Hornet mais cansados.