Home Aviação de Ataque Suíça: Cinco candidatos apresentam ofertas para os próximos aviões de combate

Suíça: Cinco candidatos apresentam ofertas para os próximos aviões de combate

6553
92
Northrop F-5E da Força Aérea Suíça
Northrop F-5E da Força Aérea Suíça

BERN – Em 25 de janeiro de 2019, cinco candidatos submeteram ao armasuisse suas ofertas para os próximos caças, conforme exigido pelo procedimento publicado em 23 de março de 2018 pelo Departamento Federal de Defesa, Proteção Civil e Esporte. As ofertas são para as seguintes aeronaves: Eurofighter (Airbus, Alemanha), F/A-18 Super Hornet (Boeing, EUA), Rafale (Dassault, França), F-35A (Lockheed Martin, EUA) e Gripen E (Saab, Suécia).

Lançamento da fase de análise e teste

A apresentação dessas ofertas iniciais marca o início da fase de análise e teste. De fevereiro a março de 2019, especialistas da armasuisse e da Força Aérea Suíça testarão a aeronave nos simuladores correspondentes. Essas atividades ocorrerão nas instalações dos candidatos e serão realizadas paralelamente às auditorias de suporte ao produto.

Durante essas auditorias, as forças aéreas dos países produtores apresentarão os procedimentos de operação e manutenção de cada aeronave e seu curso de treinamento.

As auditorias serão seguidas pela análise das respostas ao questionário que os fabricantes tiveram que preencher em suas ofertas iniciais. Ao mesmo tempo, entre abril e julho de 2019, as aeronaves de combate serão submetidas a testes de voo e solo em Payerne.

Os interessados ​​podem visitar os aviões em Payerne: os dias de visita para a mídia e os observadores de aeronaves serão fornecidos no momento do registro para cada modelo de aeronave. Todas as informações relativas aos dias de visita estarão disponíveis no início de abril de 2019 no site da DDPS.

F/A-18 Hornet da Força Aérea Suíça

Próximos passos do projeto Próximo avião de combate

A Armasuisse, em cooperação com o Estado-Maior da Defesa, a Força Aérea, a Base Logística de Defesa e a Base de Apoio a Comandos, produzirá relatórios especializados sobre as informações coletadas durante a análise e teste de cada aeronave candidata. Esses relatórios formarão a base da comparação sistemática e abrangente entre os candidatos, que será realizada durante o segundo semestre de 2020. Eles também servirão para determinar o tamanho da frota necessária para cada modelo de aeronave.

Nesta base, o calendário atual pede que o armasuisse prepare uma segunda solicitação de propostas que serão enviadas aos cinco candidatos. Com base no conhecimento adquirido na segunda oferta, a armasuisse comparará os candidatos entre si com base nos relatórios dos especialistas e determinará a utilidade geral de cada candidato.

O relatório de avaliação que compara a utilidade global com os custos de aquisição e os custos operacionais durante um período de 30 anos será então desenvolvido.

O Conselho Federal então selecionará o modelo preferido.

FONTE: Escritório Federal de Armamentos da Suíça, armasuisse

92
Deixe um comentário

avatar
33 Comment threads
59 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
54 Comment authors
Luiz Floriano AlvesDenisDanielteropodeRodrigo M Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Vamos torcer para que o Gripen E saia vitorioso novamente, pois foi uma pena ter ganho e não ter levado na última vez.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

E cumpre lembrar que uma vitória do Gripen E pode ser muito boa para a EMBRAER, que estará inserida na cadeia produtiva do avião. Contudo não dá para descartar o F/A-18E/F Super Hornet, que teria custos de integração mais baixos em virtude dos suíços já operarem o F/A-18C/D, e o teimoso lobby francês pelo Le Jaquê

100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Dessas 5 opções, o melhor é o Rafale. Falo sem medo de errar.

Gustavo
Visitante
Gustavo

A lógica e a necessidade demonstradas dos últimos relatórios publicados lá, no passado, eram todos bons para a SAAB. Se a parte da pressão politica for superada, não vejo com nenhuma surpresa o Gripen levar essa.

Chris
Visitante
Chris

Unica chance dele frente essa concorrência, é a se Suiça quiser economizar com custos operacionais.

marcelo mariano
Visitante
marcelo mariano

Imagino o Gripen E como o caça mais adequado para os suíços.
Pequeno, mais barato, aviônica e armamento modernos, mais simples e barato de operar, além da fácil dispersão de elementos usando pistas curtas e/ou estradas.

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

Se bem me lembro, o povo suíço não queria nem que houvesse gasto de dinheiro neste momento para troca dos caças, então penso que, se os técnicos que forem julgar os concorrentes estiverem alinhados com a população e a parte orçamentária for colocada como prioridade, Eurofighter, Rafale e F-35 já estão fora. A briga ficará entre o já conhecido por eles F-18 e o Gripen E, que sairia na frente por seus baixos custos de operação e por ter apenas uma turbina. Seria bacana se desse SAAB!

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

A democracia direta é uma piada…mesmo num pais que nao possui analfabetos…apenas uma populacao erudita não é uma garantia de onisciencia. Tem uma ex-senadora aqui a qual adora o termo democracia direta..o idolo dela vai apodrecer na cadeia.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Gripen seria excelente para um país pequeno onde autonomia longa não se faz tão necessário. Moderno, aviônica atual, barato de operar.

Para nós também seria bom se ele ganhasse.

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Concordo, mas apenas um adendo: O novo Gripen E também tem uma longa autonomia, de igual para igual com os demais concorrentes.

teropode
Visitante

Boa autonomia sempre é bem vinda , principalmente para a Suíça que dependendo do inimigo ela pode manter seus caças voando por mais tempo , pensar em autonomia para emprego linear não faz sentido , acho bom comprar uma coleira que venha com um pitbull de bônus .Avionica moderna o F18 também possui , além de uma versão modernizada.

Denis
Visitante
Denis

Talvez uma desvantagem do Super Hornet seja o fato de já ser um projeto antigo, com capacidades limitadas para futuros upgrades.

Ulisses
Visitante
Ulisses

Na minha opinião vai ficar entre F-35, Super Hornet e Gripen E.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Nao entram no f35 nunca.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Aguardando os comentários do pessoal que acreditava que o vetusto F-16 iria levar essa concorrência.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Vetusto?

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

sinônimo de antigo, velho, etc. Em que pesem as inúmeras modernizações, o F-16 é vetusto e nenhum país rico deve considerá-lo uma boa opção para os próximos 30 anos.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Discordo. Sim é um projecto não recente, mas o próprio encontrava se bem no futuro quando foi lançado. Vetusto não só significa antigo e velho como obsoleto, resultado da sua idade, coisa que o F16 não é, não é recente, mas não deixa de ser moderno e portanto tão pouco é obsoleto.
Obviamente concordo, que comprar F16 novos como principal aeronave de uma Força Aérea não é aconselhável, mas não significa que se possa rotular de vetusto. Um avião bem capaz, exemplo da aviação e que irá operar ainda por largos anos em importantes forças aéreas nada “vetustas”.

teropode
Visitante

Quer dizer que o poderoso SU35 também é vestuto , antigo , velho absoleto , discordo , além do mais o Gripen não terá mais do que 100 unidades fabricadas , considerando as 80 da Suécia. Moderno capaz, mas sem um padrinho forte , uma batata quente nas mãos.

Lilienthal
Visitante
Lilienthal

E a LM ofereceu o F-35 em vez do F-16. Os custos de aquisição (e manutenção também?) devem estar em queda, com constantes pedidos, mas possivelmente o F-16 ainda pesasse menos bolso dos suíços. Melhor pro Gripen E, quem sabe?

Leo Barreiro
Visitante
Leo Barreiro

Aquele momento que a gente sonha…. ai os F5 vão para o Paraguai e o Uruguai, modernizados via Embraer e os F18 para a MB…

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Se a RUAG suiça moderniza e da manutenção aos F-5E/F, não teria lógica a Embraer modernizar, os suiços devem atrelar a venda dos F-5 a modernização ou revitalização da RUAG.

marcelo mariano
Visitante
marcelo mariano

Boa tarde Walfrido,
Me desculpa, mas não entendi.
Por favor, você pode explicar de novo sua ideia?
Obrigado.

Marcos Andrey
Visitante
Marcos Andrey

Marcelo acho que o Walfrido quis dizer “revitalização na RUAG.”

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Marcelo, se a Suiça for vender os seus F-5, deverá já vender com revitalização feita na sua empresa RUAG que já é responsável pela manutenção dos F-5.
. https://www.ruag.com/en/products-services/air/military-systems/military-jets

Hélio
Visitante
Hélio

Pra que F-18 para a marinha? Ele já foi preterido pelo Gripen e intenção do FX-2 era padronizar a frota, nosso caça será o Gripen, tanto na FAB como eventualmente na MB.

Léo Barreiro
Visitante
Léo Barreiro

No caso, penso eu que por conta do gripe naval não estar pronto e devido a baixa produção do mesmo caso ele veja a ser de fato construído, o melhor seria ou ir de f18 Super Hornet novo, ou o F18 usado, mais por conta da questão da manutenção e dos spare parte para reparo… Mas lembrando é só um sonho…

Denis
Visitante
Denis

Assim, melhor seria o Brasil vender os F-5M para Paraguai e Uruguai, e com o dinheiro, comprar mais alguns Gripens.

Sandro
Visitante
Sandro

Os Caças mais modernos com furturo em termos de desenvolmiento são: F-35 (preço absurdo), Gripen NG, Su-57 ou o J-20. Obvio do pq dos dois ultimos não serem se quer selecionados, questões politicas. já 4º++ Geração ambos ja estao no seu limite de desenvolvimento. (F-18 SE, F15-x, Rafaele ou Typhon). Acredito que a seleção fique entre o F-35 e o Gripen NG, se pesar o custo, ganha o NG.

Obs: Coloquei o F-15 so para fins de raciocineo.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Sandro é mais provável que fique entre F-18 e Gripen pq a aviação helvética já o opera. E como vc disse, se os custos (e a vontade do povo suíço que era contra qualquer compra) forem levados em conta sem a velha pressão política, o NG tem tudo pra ganhar

Alvaro
Visitante
Alvaro

O Gripen NG não é um caça de 5ºgeração. F-35, Su-57 e J-20 esses sim.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Estas te a referir a nível global SANDRO? Desde quando o Rafale e Eurofighters chegou ao limite do seu desenvolvimento? Esta malta ou se expressa mal ou não percebe mesmo nada. O Rafale tanto como eurofighters contam com o mesmo potencial tecnológico, tudo depende dos clientes. Por fim, existe a má percepção de que o Gripen é muito mais recente que os outros dois europeus mas não esquecer que no final tanto gripen, Rafale como o Eurofighters tiveram seu primeiro voo por volta da mesma época, entre anos 80 e 90 com o gripen a entrar em serviço antes de… Read more »

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Por que a aspereza? O rapaz não tem obrigação de saber tudo.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

^^

Flanker
Visitante
Flanker

Aí quem se engana é você, pois o Gripen NG não voou entre os anos 80 ou 90. Ele voou pela primeira vez há pouco mais de um ano, na forma do protótipo 39-8. Ele tem a aparência externa dos Gripen A ao D, mas basicamente é só isso. Todo seu interior, passando por motor, radar, aviônicos, trens de pouso, etc, etc…são novos e diferentes daqueles das versões anteriores. Estrutura de asas, fuselagem dianteira, traseira também são diferentes. Semelhanças? O mesmo nome e alguns itens hidráulicos e outros que não interferem no desempenho. Por isso, é claro que o Gripen… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Pelo seu raciocínio, um F-5A e um F-5E são a mesma aeronave. E aí eu te digo para comparar uma aeronave com a outra. Qual a comunalidade de um F-5A e um F-5E? Motores? Não. Trem de pouso dianteiro? Não. Trem de pouso principal? Não. Asas? Não. Fuselagem dianteira? Não. Fuselagem central? Não. Fuselagem traseira? Não. Radar? Não. Aviônicos? Não. Tomadas de ar? Não. Assento ejetável? Não. Entretanto, se colocares um F-5A ao lado de um F-5E eles são parecidos? Sim. Mas, termina aí a comparação. São semelhantes, e só! O mesmo vale para o Gripen A e o Gripen… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Gripen…
.
As part of the proposal to Switzerland, Saab offers Swiss industrial participation worth 100 percent of the contract value. The co-operation with Swiss industry, across all regions of the country, in manufacturing, maintenance and technology will improve competence and capabilities aimed at the sustainment and further development of the Gripen E system in Switzerland.
.
https://saabgroup.com/media/news-press/news/2019-01/saab-offers-gripen-e-to-switzerland/

Daniel Silva
Visitante
Daniel Silva

A torcida vai para o Gripen E ,claro. Quem sabe vendamos alguns Gripen F para eles, no futuro. Curioso ver que a Boing ofereceu o F-18 E/F e não o F-15 X, será o preço de aquisição e manutenção? porte? idade do projeto? O fato dos suíços operarem F-18 C/D? Talvez um pouco de tudo. Bom (para o Brasil) que a Lockheed Martin tenha oferecido o F-35 ao invés do F-16 V. O F-16 em que pese baseado no modelo mais antigo, é concorrente direto do Gripen em preço, porte e proposta. Nos final dos anos 1990, na época do… Read more »

Sandro
Visitante
Sandro

Concordo com vc Daniel, nossa torcida tem que ser pelo Gripen, se o mesmo começar a ter novos pedidos vai gerar uma cadencia de produção bem maior, oque vai baixar muito o valor para a FAB concretizar os novos pedidos.

MFB
Visitante
MFB

Por mais que eu torça e que faça todo sentido o Gripen na Suíça, acho que teremos o de sempre. Quando concorrência apertar, o amigo americano irá colocar o “membro” sobre a mesa e os suíços fecharão negócio. É difícil disputar.

Roberto F. Santana
Membro
Famed Member
Roberto F. Santana

Chamo a atenção para o seguinte destaque no texto:

“Eles também servirão para determinar o tamanho da frota necessária para cada modelo de aeronave.”

O negócio parece ter como princípio um orçamento predeterminado e não certo valor quantitativo de aeronaves, logo, existe a possibilidade de opção por um maior número de aeronaves com custo unitário menor, ou mesmo, menor número de exemplares com custo unitário maior.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Ué?
Por que não compram o “poderoso” SU 57? Ou ainda o “fodástico” J20?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Suíços são famosos pela precisão das suas máquinas, não compram qualquer coisa

Marcos Andrey
Visitante
Marcos Andrey

Por causa da OTAN! Mesmo não fazendo parte pela sua tradicional neutralidade! Mesmo assim a Suíça é membro do Programa de Parceria Pela Paz (PPP) da OTAN o que inclui troca de informações e manobras conjuntas.

kevinbuenuu
Visitante

Você ainda não entendeu que o “poderoso” J-20 não está a venda? E vc acha que a OTAN deixaria a suiça adquirir os Su-57? E a Suíça teria dinheiro para tal? Cada comentário que eu vejo…..

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Kevin, estou sendo irônico, entende?

Andre
Visitante
Andre

Porque o J20 não está a venda e a sukoi não dá conta nem de fabricar o su57 em quantidades razoáveis para a Rússia (como disse o Ivan, o terrível – apesar de eu achar que é a Rússia que não está acreditando que o su57 entregue o quando promete e por isso está comprando tão poucos, mas…)

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

André, a Rússia está num dilema existencial relativamente a que estratégia bélica deve tomar nos próximos anos. Daí a falta de, diguemos coragem, de entrar de cabeça na compra de Su57. A mesma coisa com o armata, cujas últimas declarações indicam que o número de carros poderá ser menor do que se esperava.

Andre
Visitante
Andre

Pedro, essa é mais uma possibilidade, mas ainda acho que o su57 não é tudo isso. Se ele realmente fosse um avião com as características de um quinta geração não teria porque a Rússia continuar comprando o su35. A China não está mais comprando o j10 nem os EUA o f16. O fato da Índia ter abandonado o projeto e mais ninguém se interessar por ele, para mim, também indica que o su57 não é lá essas coisas. Mas acho que nunca saberemos a verdade.

Diego
Visitante
Diego

Veio em boa hora, eles trocam os caças e nós desistimos dos gripen e ficamos com os f-5 ad eternum.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Será o Gripen. Nao tem como não ser.

Joli le Chat
Visitante
Joli le Chat

“Durante essas auditorias, as forças aéreas dos países produtores apresentarão os procedimentos de operação e manutenção de cada aeronave e seu curso de treinamento.”

Chama a atenção (pelo menos a minha) que as Forças Aéreas dos países produtores terão um papel ativo no processo de seleção suíço.
Eu imaginava que era apenas o fabricante que apresentava seus argumentos para demonstrar que seu produto é o mais adequado ao cliente.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Por acaso existe a possibilidade de, terminado todo esse longo e custoso processo, a população voltar a bloquear a compra, por conta da ação de políticos populistas? Gato escaldado….

MGNVS
Visitante
MGNVS

Analisando as dimensoes do territorio da Suíça e o perfil geopolitico da mesma entao o Grippen tem grandes chances de sair vencedor, principalmente pelo custo hora/voô e integracao de sistemas, o que em suma tbm seria excelente para o Brasil.
Vamos ver como vai ser a pressao geopolitica corporativa e a atuaçao de cada lobby envolvido na questao.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Acho que o F/A-18 Super Hornet e o favorito

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Pergunta, vão substituir tanto os F/A-18C/D, quanto os F-5E/F, ou cada macaco no seu galho, ou seja, irão continuar com a equação Hi-Low mix?!

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Pra quem esta economizando o gripen é o melhor mesmo, eu acredito que o fato de já operarem com o F-18 não vai ser o fator decisivo!
Engraçado esse negócio da Suíça estar economizando.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Quase td por lá passa por consulta pública por votação. O povo q fala se vai ou nao vai. Essa modernização p substituição já foi negada em votação no passado apesar de extremamente necessária

Andrigo
Visitante
Andrigo

Se a Suíça leva mesmo em conta o uso mais racional e justo possível do dinheiro do contribuinte, o vetor mais adequado é sem dúvida o Gripen.

Robsonmkt
Visitante

Sem novidades no front: sempre os mesmos competidores: 3 caças delta canard europeus, um caça stealth americano e um caça naval americano. Ainda vai demorar para que os delta canard venham a ser substituídos por caças stealth europeus nestas concorrências. Mesmo a Boeing não tem nada de novo no horizonte de curto prazo, a não ser o T-X.

RedSkull
Visitante
RedSkull

Deveríamos esperar cruzadores Klingon nas próximas

Humberto
Visitante
Humberto

Então, sei que vou levar pedrada de todos os lados.. Mas… Como um Gripen com quase 100 caças encomendados, pode ter o custo de manutenção bem menor do que centenas de F-35? Temos que lembrar que em 2023 devam estar sendo entregues mais de 100 F-35 e hoje “apenas” pouco mais de 70 por ano. Não existe magia, escala é determinante para o custo dos componentes. Eu sei que o custo de desenvolvimento do F-35 foi insano (para nós leigos) mas o mesmo vai sendo abatido a cada ano, então o discurso (correto por sinal) que o avião era caro… Read more »

Junior Marchi
Visitante
Junior Marchi

Humberto acho que vc se equivocou no seu texto, começou comentando do custo de MANUTENÇÃO, e discorreu sobre a queda no custo de aquisição devido a escala de produção, são coisas diferentes, com certeza o custo de aquisição do F-35 irá cair, mas infelizmente pra quem opera o custo de manutenção continuará sendo alto, afinal é um caça que tem toda uma tecnologia nova e sensível que demanda mais horas homem e peças muito mais caras.

A tempo, no meu ver para eles o Gripen-E seria a melhor opção.

Junior Marchi

Tiago
Visitante
Tiago

Custo de aquisição é uma fatia importante, mas nem de perto a maior da composição de custos totais do ciclo de vida do caça. E aviões stealth são famosos por ser exigentes. Claro, mais unidades voando significam peças de reposição mais baratas, mas não se compram tantas delas até que os caças estejam mais perto do fim de sua vida operacional, ainda mais se as manutenções necessárias sejam feitas a contento. Então sim, o F-35 tende a ter seus custos reduzidos, mas numa escala diferente do que se esperaria para outros tipos de avião. Acredito que em algum momento ele… Read more »

Wellington
Visitante
Wellington

Bom exemplo da Suíça, realismo. Não entendo pq pagar o dobro do valor do caça, pela transferência de tecnologia, se a Embraer vai ser Boeing? Com o dinheiro gasto com o Gripen deveriam comprar o dobro de F-16 block70 e montar o dobro de esquadrões. Muito mais lógico, acho.

Humberto
Visitante
Humberto

Vamos por partes. A parte da Embraer militar não está na JV com a Boeing, então, o que foi adquirido na transferência de tecnologia não vai para a nova empresa, no mais, mais empresas estão absorvendo as tecnologias. De repente, pode ser muito bom para este grupo de empresas. Agora por outro lado, com a JV, muito do programa meio que perdeu o sentido, pois a transferência não será absorvida como o planejado. Para mim, no fundo, a EMB ganhou com o Gripen POIS se não houvesse este programa, os militares não iriam topar a JV com a Boeing, pois… Read more »

MFB
Visitante
MFB

Pelo visto você foi vítima da propaganda vermelha. 1. A EMBRAER já era privada, não era mais “nossa”. 2. A divisão militar não faz parte da transação. Então pode dormir tranquilo.

Heli
Visitante
Heli

Seria interessante para eles a escolha do binômio Gripen-E e Super Hornet, pois economizariam na manutenção dos motores, já que usam os mesmos GE F-414 (embora o Advanced Super Hornet já conte com uma evolução do mesmo). Os Super Hornet substituiriam os Hornets clássicos (C e D), e os Gripen-E substituiriam os F-5.

Junior Marchi
Visitante
Junior Marchi

Heli, entendo seu ponto de vista, porem para um pais como a Suíça, pequeno em que um caça como o Gripen-E pode rapidamente cobrir todo seu território, lembrando que o mesmo tem o Supercruise, alem do fato de vc ter somente uma cadeia logística, oque no fim irá acarretar em economia. Vale salientar também que por ser bi turbina o F-18-E/F que eu gosto muito, teria custo de hora de voo mais alta, acho que o famoso mix HI-LOW seria muito mais interessante para países com dimensões continentais como o nosso Brasil.

Tiago
Visitante
Tiago

Uma força mista não faz sentido para a Suíça. Eles querem aviões para patrulhar e manter a supremacia de seu espaço aéreo. O F/A-18 e o Gripen, para países que tenham as necessidades e condições apropriadas seriam sim uma boa dupla. Tem certa comunalidade, mas ainda são diferentes o bastante para não serem redundantes. Um país querendo equipar sua força aérea e aviação de caça de sua marinha, por exemplo – e que tenha dinheiro para isso. Ou um membro da OTAN, que teria a necessidade de executar muitas missões de ataque e que se beneficiaria da capacidade de carga… Read more »

Lilienthal
Visitante
Lilienthal

“Ao mesmo tempo, entre abril e julho de 2019, as aeronaves de combate serão submetidas a testes de voo e solo em Payerne.” Que avião a Saab vai apresentar para testes de voo? O NG? Um Gripen C? Ou vão arriscar um E? Perdê-lo atrasaria muito o desenvolvimento, certamente.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Devem montar uma farsa com algum Gripen D como fizeram com a conivência da FAB para enganar o F-X2 que exigia o teste da aeronave que não existia ainda.

MFB
Visitante
MFB

Tem quem discorde e eu respeito, mas sem a Boeing, a Embraer seria aniquilada pela parceria Airbus/Bombardier.

Tomcat
Visitante
Tomcat

Quem irá comprar um avião primeiro? Suíça ou Argentina…?!

Tiago
Visitante
Tiago

Estamos falando de um caça ou de um daqueles aviões de parquinho de diversões? Pq é o único tipo de avião que os Hermanos têm perspectivas reais de comprar. Uma pena pra eles, mas enquanto não retirarem a pretensão às Falklands/Malvinas de sua constituição, a Inglaterra vai fazer toda a pressão que for possível para que eles não consigam nada que sequer chegue perto de ser uma ameaça real em qualquer área militar deles. E o estado das contas públicas argentinas também não os ajuda…

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O que disse o Ten. Cel. Av. Afonso no teste do Gripen D:
“”Dizem que o Gripen NG é um conceito [porque o avião ainda será produzido]. Eu digo exatamente o contrário: estamos saindo na frente. Ele está na vanguarda de desenvolvimento, não estamos correndo atrás de nada. Ele é a evolução de todas as capacidades”, afirma o tenente-coronel, que atualmente comanda em Canoas (RS) o Esquadrão Pampa da FAB, equipado com caças supersônicos F-5.”

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Isso foi dito em 2009 no teste do Gripen D, uma desculpa esfarrapada, porque o F-X2 exigia o teste do avião na versão a ser comprada e não existia Gripen E/F para testar. O F-X2 deveria se limitar ao Rafale e F/A-18 que foram testados.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

SH 18 levará, ponto.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Uma das vantagens do F/A-18 atual é que a Suiça tem experiencia na versão antiga e a RUAG tem grande experiencia na sua manutenção e grandes revisões, será muito mais fácil a transição.
RUAG testando o F/A-18 da Suiça: https://youtu.be/WEh6dEEM7Pw

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Com opinião pública q se faz valer por lá, duvido. Gripen.

teropode
Visitante

Super Hornets é de longe a melhor opção, os suíços já estão familiarizados com versões anteriores , são biturbinas , baratos de operar em comparação com os euroscanards e lindoes. além de terem centenas de células já voando .

Daniel
Visitante
Daniel

Concordo somente quando você diz que “já estão familiarizados com versões anteriores”. Quanto ao resto não faz sentido algum.

Luiz Floriano Alves
Visitante

A Suíça é muito avançada em tecnologia. Deverá escolher um caça de quinta geração. Não irão comprar pór critério de preço de aquisição ou de manutenção. Num pais pequeno, que precisa se impor, entre grandes, optará pelo F-35.