Home Aviação de Ataque Saab oferece o caça Gripen E para a Suíça

Saab oferece o caça Gripen E para a Suíça

14115
90
Caça Saab JAS 39E Gripen voa com mísseis Meteor
Caça Saab JAS 39E Gripen com mísseis Meteor

Com o apoio da Suécia, a Saab apresentou hoje a sua proposta para a aquisição de novos aviões de combate suíços à armasuisse, a agência suíça de aquisição de defesa. A Saab oferece o Gripen E e um abrangente programa de participação industrial para a indústria suíça, que corresponde a 100% do valor do contrato.

A proposta consistindo de opções para 30 e 40 aeronaves de caça Gripen E de nova construção é uma resposta à Solicitação de Proposta (RFP), que a armasuisse emitiu em 6 de julho de 2018. A Suíça tem a necessidade de substituir sua frota de caça F/A 18 aeronaves Hornet e F-5 E/F Tiger.

“A solução proposta do Gripen E apresenta a mais recente tecnologia disponível e baixos custos de aquisição, operação e suporte que darão à Suíça um tamanho ideal de frota, com o melhor efeito operacional total nas próximas décadas”, diz Jonas Hjelm, diretor da área de negócios da Saab Aeronáutica.

Como parte da proposta para a Suíça, a Saab oferece participação industrial suíça no valor de 100% do valor do contrato. A cooperação com a indústria suíça, em todas as regiões do país, em manufatura, manutenção e tecnologia, melhorará a competência e as capacidades destinadas à sustentação e ao desenvolvimento do sistema Gripen E na Suíça. A Saab tem uma base histórica, forte e ampla de fornecedores na Suíça, que este programa irá expandir ainda mais para assegurar uma cooperação eficiente ao longo da vida.

O programa Gripen E está progredindo conforme o planejado, com a produção em andamento e as entregas dos clientes a partir deste ano. As mais recentes tecnologias estão sendo incorporadas para fornecer às forças aéreas capacidades operacionais projetadas para derrotar as ameaças de hoje, mas também o futuro. Os principais marcos alcançados durante os últimos seis meses incluem voos com mísseis IRIS-T e METEOR, bem como a segunda aeronave do Gripen E em voo.

Cinco nações operam atualmente o Gripen: Suécia, África do Sul, República Tcheca, Hungria e Tailândia. A Suécia e o Brasil encomendaram o Gripen E. Além disso, a Escola de Pilotos de Teste do Império do Reino Unido (ETPS) usa o Gripen como plataforma para treinamento de pilotos de teste.

DIVULGAÇÃO: Saab

Subscribe
Notify of
guest
90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mauro
Mauro
1 ano atrás

Eu ainda preferiria o Brasil ter comprado o F-16 V ou o Super Hornet de prateleira sem transferência de tecnologia alguma.
Seria muito melhor para o país, o F-16 está anos luz do Gripen. Na minha opinião, seria o mais adequado para a FAB.

Dodo
Dodo
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Só pode estar de sacanagem né?

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Não é sacanagem não, é ignorância mesmo.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Dodo
1 ano atrás

eu ia falar o mesmo, mas o Washington chegou antes. hahaha É incrível o baba ovismo por um avião ou um país (nem vou entrar nesse mérito), chega a cegar as pessoas. A solução perfeita foi dada ao país, cabe no orçamento, é capaz, não deve em nada a geração 4+ e tem gente que prefere um ou outro caça que custa mais, entrega menos por pura adoração. Igual quando falaram que o Brasil deveria comprar F-15 C, isso mesmo, o C ainda. haha Reclamaram do custo da hora de voo do mirage 2000, imagina quando vissem do F-15, peças… Read more »

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
Reply to  Gustavo
1 ano atrás

Concordo com você, Gustavo.

Fabio Colombo
Fabio Colombo
Reply to  Gustavo
1 ano atrás

Perfeita sua análise. Complementando qualquer caça junto com o Gripen E, seria a voltar a 1975 com a entrada de 2 vetores de performance semelhantes com 2 linhas de manutenção.

Leandro
Leandro
Reply to  Mauro
1 ano atrás

O quê?
Amigo esse Gripen E/NG é novinho… reformulado de 4/5 geração….Teremos toda a produção aqui… código fonte para usarmos o que quisermos… Não sabe o que dizes kkkk

FighterBR
FighterBR
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Gripen E é superior a qualquer bloco do F-16.

João carlos
João carlos
Reply to  FighterBR
1 ano atrás

Pode crer… Aliás, papai Noel mandou lembranças… Já que acredita em qualquer asneira…

nonato
nonato
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Mas quanto ao caça em si?
Qual sua análise?
Falo isso porque a cada novo “bloco” do F 16 eles podem mudar radar, mísseis utilizados.
ECS é mais difícil mexer.

J-20
J-20
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Isso sem falar no raio de combate maior, menor consumo de combustível, menor custo de manutenção, melhor taxa de rolamento, melhor agilidade em velocidades super e subsônicas…

Ulisses
Ulisses
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Além de melhor sensor infravermelho, maior velocidade ( provavelmente supercruise) e melhor interface homem-maquina. Talvez apresente maior capacidade de manobra também.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

O Gripen ainda tem a seu favor, somando aos comentarios acima, melhor rusticidade para operar em bases improvisadas em desdobramentos, melhor linkagem com seus pares, prazo muito menor requerido para efetuar manutençoes, custos operacionais mais baixos , possibilidades de upgrades muito mais concretas (inclusive para nos brasileiros), e asim por diante.

Gustavo
Gustavo
Reply to  FighterBR
1 ano atrás

Até poderia concordar com vc DSC, mas aí seriam dois falando m…
Gripen E é melhor que o Block 70 em tudo, até em custos.

Amauri Soares
Amauri Soares
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Sabe nem oque estais falando

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Fala sério. “Anos luz na frente”. Tem gente que gosta de funk.

Gus
Gus
Reply to  Antonio Palhares
1 ano atrás

A compra do Gripen foi um lance de mestre do governo brasileito. A aquisição do código-fonte do software do caça será excelente para o desenvolvimento tecnológico da Embraer… quer dizer, da Boeing. O governo paga caro e a Boeing leva os benefícios mais sensíveis. Governo fera! Sabe tudo!

Pecatoribus
Pecatoribus
Reply to  Gus
1 ano atrás

Gus, não é possível que você ainda repita essa estória de que a Embraer agora é integralmente da Boeing. Já foi mais que divulgado (e o contrato assinado) que a Boeing comprou a divisão de aeronaves comerciais. As divisões de defesa e aviões executivos permanecem Embraer. E mesmo a joint venture que está em discussão para promover o KC-390 será 51% Embraer e 49% Boeing.

Manoel Jorge Marques Neto
Manoel Jorge Marques Neto
Reply to  Pecatoribus
1 ano atrás

No contrato pelo que consta existe a possibilidade de aquisição total da Embraer que seria os 20%.

jhow
jhow
Reply to  Manoel Jorge Marques Neto
1 ano atrás

Em 5 cinco anos poderá ser vendido esses 20%.

Kemen
Kemen
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Colega, vc não conhece muito sobre supremacia aérea e seus meios, ainda mais com essa afirmação sobre o F-16 plestiosauro que foi o primeiro eliminado do FX-2.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Kemen
1 ano atrás

Sem contar o supercruise! O Gripen NG ainda vai surpreender muita gente!

Corcel
1 ano atrás

Ficaria surpreso se a Saab levasse essa,F-16 continua forte e sendo o mais vendido.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Corcel
1 ano atrás

Claro que é o mais vendido. Já está há quase cinquenta anos no mercado.

Corcel
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Pois é
todo esse tempo no mercado e está longe de ser um caça obsoleto e continua causando estragos aos seus inimigos e desbancando caças mais novos em vendas.
Como já disseram em comentário abaixo,é um caça que está emserviço a muito tempo e não uma promessa.

teropode
Reply to  Corcel
1 ano atrás

Entendi quando vc disse o mais vendido , vc se refere as vendas atuais, de 10 anos pra cá, sim ele vendeu bem nestes últimos 15 anos , e se formos considerar toda carreira dele dificilmente será superado em vendas externas , tem no mínimo mais 30 anos de carreira .

Brunow basillio
1 ano atrás

Torcendo para mais alguem comprar o Gripen mas ta dificil , compram F 16, Rafale ,F 35 etc , mais Gripen nada ….

João carlos
João carlos
Reply to  Brunow basillio
1 ano atrás

Países sérios acreditam em resultados, em fatos, não em promessas.

MFB
MFB
Reply to  Brunow basillio
1 ano atrás

Essa é a realidade pura e simples desse projeto. Contra fatos….

Tiago
Tiago
Reply to  Brunow basillio
1 ano atrás

A Saab está longe de ter o peso político da Lockheed-Martin. E essas compras bilionárias nunca são fechadas tendo o critério técnico em primeiro plano. Sorte dos países que estão comprando o F-16 é que ele é indiscutivelmente um caça soberbo. Poderiam ter um novo F-104 empurrado garganta abaixo, como a Lockheed já fez com países europeus antes.

Ronan
Reply to  Tiago
1 ano atrás

O F16 é mais vendido por causa do peso político americano . Eles dominam o mercado de arma e nenhum país quer ficar mal com eles

Amauri Soares
Amauri Soares
Reply to  Tiago
1 ano atrás

Tipo F 35 kkkkkkkk a barata voadora mais cara e sem resultados ,cheia de problemas que não pode Participar de um confronto direto com outro caça kkkkkk

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Brunow basillio
1 ano atrás

Primeiro que o Rafale passou anos sem uma venda, mesmo pronto e voando na força aérea francesa, já o Gripem já foi vendido para seis países e o modelo E que nem tá pronto já foi vendido para o Brasil, então não procede seu comentário.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Daqui a pouco a LM oferece F16, e a SAAB perde mais uma venda…

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 ano atrás

“A Saab oferece o Gripen E e um abrangente programa de participação industrial para a indústria suíça, que corresponde a 100% do valor do contrato”. Torço pelo grifo mas até que ponto isso pode nos ser benéfico?

Tiago
Tiago
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Mais unidades vendidas significam uma maior diluição dos custos de novas unidades, em eventuais novos lotes, acho…

Claudio Luiz
Claudio Luiz
1 ano atrás

A FAB fez a sua opção, e que na minha opinião foi a mais acertada.
Já passou o tempo e já encheu o saco a insistência em se discutir o porque da não escolha do avião A ou B em detrimento do Gripen.

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Claudio Luiz
1 ano atrás

É colega, o saco encheu e explodiu. Creio que certos alguns vivem fora do mundo real e ficam discutindo a revogação da lei gravitacional. Ja nem leio certos comentários, pois na primeira linha já é notória a divagação.

Elton
Elton
1 ano atrás

Sendo prático,vamos comprar e fabricar um caça que somente nós e a Suécia serão operadores porque a versão C e bem diferente da versão E. a logística vai ser bem salgada e bem mais cara que o F16E que provavelmente vai ser escolhido pelos aliados dos EUA que não tem dinheiro para comprar F35.e tá parecendo que vai ser um AMX 2.0,o tempo está mostrando isso.

MFB
MFB
Reply to  Elton
1 ano atrás

Veja pelo lado bom, a Versão E ao menos tem rodas de liga leve e tv digital, já a versão C é na calota e radinho mesmo 🙂

Neves João
Neves João
Reply to  Elton
1 ano atrás

Elton, concordo plenamente com vc, o Gripen será o novo AMX, esse negócio de ToT é pra boi dormir, depois passa um tempo perdem-se os cientistas, o ferramental todo, vai ficando tudo velho e obsoleto; para comprar tecnologia tem que antes fazer o dever de casa, investir em EDUCAÇÃO! Para receber tecnologia tem que saber aprender antes, sem estar preparado não vai adiantar nada, empresas são criadas numa noite e fechadas no dia seguinte, depois de faturarem bilhões com essas compras mandrakes e ToTs.

nonato
nonato
Reply to  Neves João
1 ano atrás

Que educação? Os empregados da Embraer e de outras empresas brasileiras não têm conhecimento?
Existe analfabetismo no Brasil, muitos estudantes não sabem nada.
Mas não significa que temos carência de mão de obra especializada.

Gus
Gus
Reply to  Neves João
1 ano atrás

O governo brasileiro pagou mais caro para ter acesso à tecnologia. Legal! Só que agora quem vai colher esse benefício é a Boeing…

teropode
Reply to  Gus
1 ano atrás

Como funcionária a ToT ? Oque séria absorvido ? Oque tem de tecnologia no Gripen que seria fundamental para a Boeing ?

Leonardo de Araújo
Leonardo de Araújo
Reply to  Gus
1 ano atrás

Os setores de aviação de defesa e executiva ESTÃO FORA DO ACORDO ENTRE BOEING E EMBRAER.

Vamos repetir quantas vezes isso.
Aff

Cícero Beserra da Silva
Cícero Beserra da Silva
Reply to  Gus
1 ano atrás

Cara, larga dessa insistência inútil. A Parceria da Embraer com a Boeing é do setor de aviação comercial. A Boeing não colocará as mãos no Embraer Defesa, na Aviação Executiva que da muitos lucros, nas empresas de tecnologia e defesa que a Embraer e proprietária. Acho que alguém terá que desenhar para que alguns colegas compreendam. A Boeing não colocará nem o dedos na EDS, ela não está no negócio. O programa do Gripen é com a EDS e não com a Embraer, são empresas diferentes, CNPJ diferentes, Diretoria diferentes. Existe intercambio de funcionário, mas a EDS já disse para… Read more »

Mauricio R.
Reply to  Cícero Beserra da Silva
1 ano atrás

A Boeing não precisa da ESD pra nada, ela tem parceria própria com a Saab.
E essa parceria já rendeu fruto: O T-X da USAF.

MFB
MFB
1 ano atrás

Todo mundo sabe que o gripadinho não está entre os mais capazes e será vendido em pequenas quantidades para alguns poucos países “sortudos”. Qual o motivo de tanta irritação com quem é contra esta aquisição? Vai vender meia duzia aqui, meia duzia ali, e depois ficaremos com o peso nas costas. Ou algum lunático aqui acredita que o gripadinho venderá horrores? Prevejo gripadinhos modernizados e usados até o talo até 2130 no Brasil.

Jeff
Jeff
Reply to  MFB
1 ano atrás

Quanta bobagem. Os integrantes da comissão do fx2 pesaram todos os fatores e escolheram o gripen. A escolha foi totalmente técnica. Parem de chorar e passar vergonha aqui, o contrato já foi assinado, não tem volta.

MFB
MFB
Reply to  Jeff
1 ano atrás

Foi tanta bobagem (ter uma opinião divergente), que você perdeu algum tempo aqui para responder, correto? Sem querer ser ofensivo/deselegante como você foi, pergunto: Gente boba consome bobagens, certo? Então eu sou um bobo ou um gênio, depende da categoria em que você se encaixar.

Elton
Elton
Reply to  Jeff
1 ano atrás

Falou certo que a escolha foi técnica e não prática e realista ,o mundo das planilhas e gráficos e bem diferente do mundo real ,o gripen e apenas uma promessa e foi originalmente projetado e concebido para um tipo de guerra específica que nunca ocorreu já o F16 já viu batalhas pelo mundo afora e foi melhorado com as lições dos confrontos aos quais participou

JOSHUA
JOSHUA
Reply to  MFB
1 ano atrás

Falou tudo MFB. O GRIPEN é muito leve pra um país continental como o Brasil sua capacidade transportar armas é ridícula comparada com caças médio e pesados. Países como a Inglaterra adquiriram alguns gripens para treinamentos de pilotos. Não entendo a mentalidade das autoridades em escolher o gripen.

Pecatoribus
Pecatoribus
Reply to  JOSHUA
1 ano atrás

Joshua me desculpe, mas esse negócio de perna curta e Brasil continental não é tão relevante assim. Vamos lá, usando seu exemplo. Suponhamos que uma nova guerra ecloda na Europa e o front seja em algum ponto como a Polônia, ou Romênia. Voce acha que os caças ingleses vão decolar de suas bases, voar até o front, ou atrás dele, “jogar” as bombas e voltar? Claro que não, né? Eles serão desdobrados para um ponto próximo ao front. O mesmo ocorrerá com o Gripen ou qualquer outro caça que a FAB venha a operar. Eles não decolarão de Anápolis para… Read more »

Ilvan villa secca
Reply to  Pecatoribus
1 ano atrás

Poxa falou tudo 👍👍👍👍

Bosco
Bosco
Reply to  Pecatoribus
1 ano atrás

E mesmo em relação a um conflito em nossas fronteiras, uma base aérea deveria ficar afastado uns 300 km dela e o Gripen ainda poderia atacar alvos 700 km dentro do território inimigo levando 2 t de armas. E ainda poderia se valer de reabastecimento em voo em território brasileiro pra aumentar a perna e atingir alvos mais afastados. Na medida que o território inimigo é conquistado bases avançadas são instaladas e aumentam mais a abrangência até um ponto que todo o território inimigo ficaria acessível. Haveria uma dificuldade real se o inimigo conseguisse lançar ataques a partir de pontos… Read more »

Edison Castro Durval
Edison Castro Durval
Reply to  JOSHUA
1 ano atrás

Joshua, para seu conhecimento o F16 é um caça leve, assim como o F18 e o F5, o F18 Super Hornet é um caça pesado, assim como o F15.
Logo usar a desculpa de que um caça leve não serve para o Brasil não faz sentido algum.

MFB
MFB
Reply to  MFB
1 ano atrás

Vamos aprender a respeitar a divergência meu povo “educado”. Eu bato o pé aqui (com o respeito que alguns não conhecem) e continuo com a minha humilde opinião que esse negócio foi um erro histórico. Tantos anos de espera pra isso aí? Era melhor ficar com tampão e fazer algo direito. Me perdoem pela cegueira, mas não me convenço que esta aeronave e todo o projeto de transferência envolvido é o que precisamos. Vários países ridiculamente menores e com economia minusculas possuem uma força aérea de mais respeito. A FAB não merece isso, sinceramente. Quem sonha pequeno sempre será pequeno.… Read more »

nonato
nonato
Reply to  MFB
1 ano atrás

Não entendi. Muitos países têm o F 16. O gripen é no mínimo tão bom quanto o F 16. Até hoje só tivemos F 5, que na década de 1970 já era um caça de segunda linha e mirage. Estamos subindo de padrão. Sem dúvida alguns países não tão desenvolvidos ou ricos tem caças de alto padrão como a Turquia, países do golfo, Taiwan. Mas poucos países têm F 15. Esses caças typhoon e Rafale dizem que são muito caros de operar. Compramos bons caças, econômicos. Podem não meter medo mas impõem um certo respeito.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
1 ano atrás

O mais triste é atestar na sessão de comentários que todo site aberto acaba por se tornar um G1. É incrível! A gente encontra diversos comentaristas sensatos, mas a quantidade de absurdo que lemos é desproporcional!
O gripen tem chances na Suíça pela sua vantagem em relação à manutenção e operação em pistas não preparadas, enquanto eu duvido que tal país vá de F-35. O peso diplomático do F-16 sempre é de se considerar, mas basicamente eu apostaria tudo apenas nessas duas possibilidades. Não existe mais nada de baixo custo confiável.

Elton
Elton
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Os americanos vendem o F16 com a vantagem do FMS. E a maioria dos países está interessado no PREÇO.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Elton
1 ano atrás

O FMS é bom para aquisições, de fato, mas tem que pensar até que ponto isso supera os benefícios do baixo custo operacional do gripen(e nem me refiro a propaganda da saab, mas sim a projeções da Jane’s…

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  Fernando Turatti
1 ano atrás

Você definitivamente não respeita a opinião alheia.
E sabe o que mais encontro aqui? Foristas mimados que se acham os especialistas em tudo.
Respeite mais as pessoas que não pensam como você!

teropode
1 ano atrás

Um belo caça, linhas elegantes , eletrônica de ponta e o conceito sueco na área de manutenção simplificada , espero que o Brasil não fique nas 36 unidades apenas. Será necessário criar um novo conceito de emprego e evitar a tendência de equipar a FAB apenas com um tipo de vetor .

teropode
Reply to  teropode
1 ano atrás

A hora é está, 30 Eagles modernizados com avionica Israelense para um pais com vocação sertaneja , uma dupla Lo-HI para ditar o ritmo deste sertão. ( dinheiro vai sobrar se fecharem as tetas ). O custo operacional pode e deve ser otimizado com o uso constante de simuladores , não precisa usar todos aparelhos para treinamentos e somas de horavoo. 1o eagles para canibalizar .

Bardini
Bardini
1 ano atrás

“A proposta consistindo de opções para 30 e 40 aeronaves de caça Gripen E…”
.
Boa sorte para a SSAB e consequentemente, AEL e demais integrantes da cadeia global de fornecedores.

Waldir Fares Filho
Waldir Fares Filho
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Belíssimo avião. Parabéns a FAB pela escolha. Dentre os candidatos era o que nos proporcionava o melhor custo-beneficio. Além disso usa motor americano, boa capacidade de armas, poderemos integrar as nossas se quisermos. Gostei bastante. Poderíamos adquirir os 108, uniformizar a frota e manutenção e teríamos avião para muitas décadas.
Tomara que vendam mais unidades sim. Só temos a ganhar com isso.

BrunoFN
BrunoFN
1 ano atrás

Na torcida pelo Gripen … mas é mais facil a Suiça optar por algo usados mesmo ( povo local n quer saber de gasto militares ) ….. ja em relação as vendas F-39 X F-16 ..n tem surpresa ai,, afinal o mercadão de usados de caças esta bem aquecido , vantagem total pro F-16 e suas quase +3000 unidades espalhas pelo mundo .. opção de usados com a opção de MLU e o q n falta … ja o gripen , so coisa nova ou mesmo leasing , fazer o q

Henrique
Henrique
1 ano atrás

O segundo caça, aos 11s do vídeo, deu uma fumada ao estilo Mig29 ou é impressão minha…

Kommander
Kommander
1 ano atrás

O único problema do Gripen é ser sueco, se fosse de um país com lobby maior, já teria vendido mais.

ivo
ivo
1 ano atrás

tá difícil…………..
……..de ler os comentários!

Sidy
Sidy
1 ano atrás

A verdade é que, embora seja um produto militar, antes de mais nada este é um assunto comercial, e quando se trata de vendas os americanos não brincam em serviço – jogam pesado, empregando todas as armas que tem direito. Nesta hora a venda financiada pelo FMS tem peso importante na decisão. Soma-se a isso a possibilidade de aquisição de aviões de segunda mão em quantidades significativas e mesmo do leasing de aviões que estão voando no momento, podendo assim serem transferidos e usados em pouquissimo tempo, a grande quantidade já vendida e o fato de ser um avião provado… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
1 ano atrás

Lembrando aos desavisados que o Gripen E ganhou a licitação anterior da Suíça e só não levou porque fizeram uma consulta popular.
F-16 leva vantagem em países mais pobres ou que já são usuários. Não é o caso da Suíça.
Gripen é o favorito.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Se a Suíça perder este trem, do “excelente e barato”. Não sei mais de nada !

Boa sorte a Saab!

Paulo Costa
Paulo Costa
1 ano atrás

Uma nação pacifica do tamanho do espirito santo precisa 40 caças enquanto aqui tem gente que acha que 36 e suficiente…

Coutinho
Coutinho
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Não aqui no blog. Tenho certeza de que todos os foristas (e até os editores) são unânimes sobre o Brasil adquirir mais lotes de Gripens

ALEXANDRE
ALEXANDRE
Reply to  Coutinho
1 ano atrás

Duvido que vai ter mais lotes…no max mais 1

Emanuel santos
Emanuel santos
1 ano atrás

Gente acorda né, o Brasil comprou o Gripen não pelo avião e performance em sí (além de ser muito bom), mas como se comprasse os direitos de poder fabricar, modificar e mexer no que quiser na aeronave, a partir desse contrato com a Saab, o Brasil passará a produzir seus próprios aviões de caça! Será uma grande revolução! Pelo outro lado, se ele comprasse os f16, simplesmente seria uma compra, encomendaria, iria operar e nada mais, e logo daqui alguns anos colocaria a venda, e teria que comprar outro modelo e gastar outros bilhões.

Kemen
Kemen
1 ano atrás

O Gripen E é um novo caça, pena que manteve o mesmo nome, ele é um metro e 10 cm mais comprido, 20 cm mais largo, pesa quase 1 tonelada a mais, tem um MTOW de 2,5 toneladas a mais, um payload de quase 2 toneladas a mais, 2 pilons a mais, um motor diferente com 22 % de potencia a mais, com capacidade 45 % a mais de combustivel interno, faz supercruise a 1,2 mach, e tem alcance de 4.000 Km (com o combustivel interno), mantendo a manobrabiilidade exelente do Gripen C em 9G. Tem AESA com varredura de… Read more »

Regis Campos
Regis Campos
1 ano atrás

Boa sorte para a Saab. Agora deixando as tecnocidades, ideologias e ufanismos de lado, sabiam que o caça sueco é o protagonista de uma animação japonesa esse ano? O nome é “Girly Air Force” onde o avião é convertido para usar tecnologia alien (para abater caças aliens) e é pilotado por uma andróide de cabelos rosa, mesma cor do avião e com o nickname “Barbie”. KKKK
Ah sim, o anime ainda terá um F-15 Silent Eagle (yellow) e um F-4 Phanton II (green) como coadjuvantes. Enjoy!
https://youtu.be/_a6b6kIQCWg

Mauro
Mauro
1 ano atrás

Me respondam uma coisa. Para que a Embraer precisa de transferência de tecnologia se já foi vendida para a Boeing?? qual o sentido disso agora?? antes fazia sentido, pois a tecnologia militar era usada na comercial, hoje isso não faz o menor sentido.

Roberto da Silva Rocha
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Porque existe duas Embraer. Uma delas é civil, a outra, militar. Obgd

Leonardo de Araújo
Leonardo de Araújo
Reply to  Roberto da Silva Rocha
1 ano atrás

Os setores de aviação de defesa e executiva ESTÃO FORA DO ACORDO ENTRE BOEING E EMBRAER.

Vamos repetir quantas vezes issno.
Aff

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

Pra fazer voz ao coro do povo do contra, eu tbm não sou fã do gripen, não por não ser um excelente avião, por esse aspecto realmente era a melhor escolha, eu só acho que ele vai micar, tudo novo é uma beleza mas e daqui a X anos quando precisar de uma rebimboca da parafuseta? “Ah mas nos temos o projeto….” Os EUA estavam penando com a cadeia de produção do F22 pq eles descobriram que talvez precisem de mais e agora ferrou! Se os EUA estavam penando com o F22, imaginem a famosa eficiência tupiniquim!

Rodrigo
Rodrigo
1 ano atrás

Sempre fico com pé atrás com o fato do Brasil pagar tão caro pela transferência de tecnologia militar, a cúpula brasileira nunca se interessa por desenvolvimento cientifico, basta ver os submarinos, pagamos caro pelo projeto alemão IKL 209, construímos 4 da classe Tupi e um Tikuna e agora compramos um novo projeto dos Franceses.
Na opinião de vocês, até que ponto vala a pena pagar mais caro por um equipamento, sem ter a real intenção e recursos financeiros alocados para investir em uma produção local?

Leonardo de Araújo
Leonardo de Araújo
Reply to  Rodrigo
1 ano atrás

O Gripen NG tem a vantagem técnica necessária para ser escolhido novamente pela Suíça. Os dois países já tem uma grande afinidade política. Só falta novamente passar por referendo popular. Indiscutivelmente superior a qualquer versão do F-16. As soluções tecnológicas de data link e um grande trunfo do vetor além de emprego das mais modernas armas da Otan. Tem uma arquitetura aberta para melhorar seu leque de opções de armamento. Um RCS infinitamente menorque o F-16 sistema de guerra eletrônica único e exclusivo da SAAB. Super Cruise, alta capacidade de manobrabilidade com raio de curva menor que o F-16. Alta… Read more »

Jeff
Jeff
Reply to  Rodrigo
1 ano atrás

Os erros do passado em não aproveitar a tot não significa que não podemos acertar no futuro. Se houver uma política de continuidade nos governos, estaremos bem.
No passado, a intenção de fabricação de mais unidades ficou só na intenção mesmo, e todo o dinheiro foi pro ralo. Estou falando de vários projetos, não só de aeronaves.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
1 ano atrás

Nem a Lockheed confia no F-16 para essa concorrência, oferecendo o F-35, mas parte dos comentaristas brasileiros acham que o F-16 ainda está no topo dos caças e que é melhor que o Gripen E.

Coutinho
Coutinho
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Não creio que seja falta de confiança no F-16V. Para a Lockheed é muito mais interessante oferecer o F-35 que é um produto que tem uma longa vida pela frente. Serão 30 ou mais unidades. Esse caso é diferente do da Bulgaria por exemplo, onde serão apenas 8.

Groselha Vitaminada Milani
Groselha Vitaminada Milani
1 ano atrás

É um tal de pedir F-16 Retrofitado, F-15 Refurbichado … Me estranha que ninguém dos ispicialistas pediu um, dois … três esquadrões do Tornado que vão dar baixa na RAF da Rainha pra back-up tampão ou compor uma nova linha de defesa aérea avançada … Corram … compra de oportunidade!!E ainda podem incluir no pacote da Rainha um master fit da Embraer – Ebit. E tem os que criticam os futuros F-39 Gripen … E os EUA do mal continuam retrabalhando as Forças Agressoras com F-5. Ué, não era o F-16 o rei dos céus e super-superior ao F-5? Os… Read more »