Home Aviação Militar Inteligência dos EUA confirma que China desenvolve bombardeiro tático furtivo além do...

Inteligência dos EUA confirma que China desenvolve bombardeiro tático furtivo além do bombardeiro estratégico

21670
89
Concepção do futuro bombardeiro médio chinês JH-XX

O site The Drive noticiou que um braço da Comunidade de Inteligência dos EUA confirmou publicamente a existência de não um, mas dois programas de desenvolvimento de bombardeiros furtivos chineses pela primeira vez em um novo relatório. Além do muito divulgado programa de bombardeiros pesados ​​furtivos H-20, a China também está trabalhando em um bombardeiro furtivo menor, com foco regional, comumente chamado de JH-XX.

Esta nova informação está contida no último relatório da Força Militar Chinesa da Agência de Inteligência da Defesa (DIA), divulgado em 15 de janeiro de 2019. A DIA reiniciou a publicação de suas análises públicas não secretas do “Poder Militar” em 2017, que remontam à Guerra Fria — quando produzia relatórios do Poder Militar Soviético. Este novo exame das capacidades da China diz que as informações que contém estão atualizadas a partir de novembro de 2018.

“A PLAAF (Força Aérea do Exército de Libertação Popular) está desenvolvendo novos bombardeiros furtivos de médio e longo alcance para atacar alvos regionais e globais”, explica um anexo do relatório. “A tecnologia furtiva continua a desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento desses novos bombardeiros, que provavelmente atingirão a capacidade operacional inicial não antes de 2025.”

O relatório oferece alguns detalhes específicos sobre os projetos dessas aeronaves e não atribui uma nomenclatura a nenhum deles. “Esses novos bombardeiros terão recursos adicionais, com upgrades de espectro total em comparação com as atuais frotas de bombardeiros operacionais, e empregarão muitas tecnologias de caça de quinta geração em seu projeto”, diz amplamente a revisão.

Embora o relatório nunca o mencione pelo nome no texto, uma nota de rodapé confirma que o “bombardeiro furtivo de longo alcance” em questão é o Xian H-20. Acredita-se que esta aeronave seja um projeto de asa voadora muito vagamente análogo ao Northrop Grumman B-2 Spirit.

Concepção do bombardeiro estratégico H-20

Esta aeronave terá aproximadamente 4.000 a 5.000 milhas de raio de combate, poderá transportar cargas de armas pesadas internamente e, de acordo com a DIA, ter um radar ativo de varredura eletrônica (AESA) para melhor identificar alvos, ameaças e outros perigos. O relatório da Agência também diz que será capaz de transportar “munições guiadas com precisão”. Isso provavelmente incluirá uma ampla gama de armas, de bombas inteligentes de ataque direto a armas de alto impacto, como ataque terrestre e mísseis de cruzeiro antinavio.

Com uma carga de mísseis de cruzeiro de ataque terrestre CJ-10K ou CJ-20, ambos podendo transportar ogivas nucleares ou convencionais, o H-20 daria à China uma capacidade estratégica completamente nova e uma nova maneira de manter alvos em todo o Pacífico e Ásia em risco. “A implantação do bombardeiro proporcionaria à China sua primeira tríade nuclear de sistemas de distribuição espalhados por terra, mar e ar – uma postura considerada desde a Guerra Fria para melhorar a capacidade de sobrevivência e a dissuasão estratégica”, observa o relatório da DIA.

Com mísseis antinavio, os bombardeiros furtivos e de longo alcance poderiam representar uma ameaça nova e significativa para os navios de guerra hostis, especialmente os grupos de batalha dos porta-aviões americanos. Isso daria aos chineses um meio adicional de negar acesso a certas partes do Pacífico durante uma crise ou, pelo menos, forçar seus oponentes a reavaliarem seu cálculo de risco, o que poderia levá-los a alterar ou retardar seus avanços. Mesmo atuando como uma plataforma de sensor de longo alcance e com um nodo de segmentação sozinho, o H-20 poderia fornecer informações de alvos para outras armas localizadas a centenas ou mesmo milhares de quilômetros de distância.

O relatório da DIA não aponta diretamente para nenhum relatório público existente quando se discute o “bombardeiro médio”, que ele também descreve como um “bombardeiro tático” e um “bombardeiro”. No entanto, isso é quase certamente uma referência a um projeto da Shenyang Aircraft Corporation que veio a ser conhecido como o JH-XX.

Concepções artísticas do JH-XX
Concepções artísticas do JH-XX

Maquete do JH-XX
Maquete do JH-XX

Alguns sugeriram que o JH-XX foi a oferta da Shenyang para o programa de bombardeio estratégico, que então perdeu para o H-20. O relatório da DIA indica que estes são, na verdade, dois projetos distintos. Imagens de um modelo da aeronave menor surgiram pela primeira vez on-line em 2013 e o design provavelmente antecede isso consideravelmente. O H-20 está em desenvolvimento desde o início dos anos 2000 e o projeto de caças furtivos J-20 data do final da década de 1990.

O modelo, que desde então serviu de base para várias artes não oficiais de fãs, tem uma asa enflechada semelhante a um caça, com dois motores, cada um alimentado por entradas de ar separadas no topo da fuselagem atrás do cockpit. Tal como acontece com o H-20, o relatório da DIA diz que a aeronave contará com um radar AESA.

Relatos anteriores haviam descrito o modelo JH-XX como tendo um compartimento de armas ventral principal, bem como compartimentos separados montados lateralmente para o que pareciam ser mísseis ar-ar. O relatório da DIA faz referência específica à capacidade da aeronave de empregar mísseis ar-ar “de longo alcance”, que a China está testando ativamente, bem como “munições guiadas com precisão”.

Esses mesmos relatórios sugeriram que a aeronave poderia ter um peso máximo de decolagem de 60 a 100 toneladas, mas a extremidade inferior parece mais plausível, considerando a extensão estimada do avião em torno de 100 pés. Também teria um raio de combate muito menor do que o H-20, com estimativas variando de aproximadamente 1.000 a 2.000 milhas, para corresponder ao seu foco em conjuntos de alvos regionais mais localizados e missão.

Com esse alcance, o JH-XX ainda teria a capacidade de desafiar alvos de tipo estratégico, como instalações militares dos EUA no Japão e possivelmente até em Guam, bem como bases na Índia, no Mar da China Meridional e além. O design poderia priorizar velocidade, bem como furtividade também. Isso poderia dar ao menor caça-bombardeiro vantagens adicionais quando se trata de números de surtidas e para penetrar com sucesso através da rede de defesa aérea integrada de um inimigo. Acima de tudo, permite operações multifuncionais, incluindo o apoio a missões ar-ar de longo alcance, sem uma forte dependência de aviões-tanque vulneráveis ​​ou mesmo o uso de campos de pouso costeiros, que seriam os mais vulneráveis ​​a ataques durante – fora de conflito.

A existência confirmada de maiores e menores programas de aviões bombardeiros furtivos chineses é uma revelação bem-vinda, na medida em que esclarece muita confusão quanto ao que tem sido falado na imprensa ao longo dos anos. Os detalhes desses dois programas díspares foram cronicamente confundidos na mídia, levando a afirmações de capacidade muito estranhas e conflitantes. Isso elimina muito disso e permitirá um entendimento muito mais claro das informações no futuro, bem como análises de maior qualidade.

O conceito de bombardeiro regional chinês parece ser análogo aos conceitos de ‘caça-bombardeiro regional’ penetrantes dos EUA dos meados dos anos 2000. O conceito FB-22 proposto pela Lockheed Martin e o conceito FB-23 da Northrop Grumman foram apresentados para uma concorrência que acabou não indo adiante.

Designs propostos do FB-22
Northrop Grumman FB-23 Condor Ghost
Maquete do FB-23 Condor Ghost
Maquete do FB-23 Condor Ghost

89 COMMENTS

  1. Parem tudo, não da mais… a China é a maior potência militar da galáxia e os Americanos estão morrendo de medo… agora só falta eles provarem em combate….. Fala verdade… um bocado de F15E E B2 já bastam para arregalar os olhos dos poderosos chineses…

  2. Quando sair dos ¨estudos¨ e dos desenhos para os primeiro protótipos sem precisar mais comprar aviões russos para copiar motor e radar aí eu vou ficar impressionado.

    • Acho que o que mete medo no poderio militar da China não é a qualidade do equipamento, e sim a quantidade dele, bem como a quantidade e a qualidade dos seus recursos humanos militares. Até um elefante temeria um gigantesco enxame de abelhas africanas.

  3. Os indianos devem estar suando frio com isso.

    A despeito dos grandiosos investimentos chineses na Marinha e na Força Aérea, é de se ressaltar que talvez a quantidade e novidade dos produtos possa ter mais um efeito de dissuasão que qualquer outra coisa. Aliás, os Chineses não possuem experiência no que concerne à guerras navais reais.

    A forma de compensar isso? Tome equipamentos em quantidade e (suposta) qualidade. Mas como a China efetivamente se comportaria num teatro de operações navais contra Japão, EUA, Coréia, Vietnã, Austrália, Taiwan, Indonésia e Filipinas é algo que teríamos que pagar para ver.

  4. Ordem natural das coisas…

    Uma vez que a China tenha dominado a fabricação de fuselagens com o conceito “stealth”, a aplicação em outras aeronaves de combate, que não sejam caças, mas que também façam parte do grupo de combate é algo natural.

    Não me espantaria se amanhã ou depois surgirem fotos de aviões tanques com um “shape” stealth também.

    Podem ter certeza que vão usar a tecnologia adquirida para testar em tudo o que for possível, o que ao meu ver favorece a indústria chinesa, que de algum modo se beneficiará do fator escala de produção.

  5. Assim voltamos ao que falei. Um J-20 biposto provavelmente vise uma versão mais dedicada ao ataque, sem ganhos em raio de ação e “apenas” com uma baia maior para acomodar melhor as armas ar-solo. Assim a China teria um caça de ataque tático, um bombardeiro tático e um bombardeiro estratégico stealth. (Sim, o stealth será a base da aviação de combate do futuro. Alguma surpresa?). Bem, e essas notícias estouram no momento em que a Rússia planeja adquirir apenas 15 Su-57 até 2025 (Alguma dúvida de que a China já é o verdadeiro player mundial ao lado dos EUA?). Não que a Rússia seja um pato manco, ainda é uma força nuclear poderosa e pode ameaçar grande parte da Europa e impor sua agenda em locais específicos pelo mundo, mas a China é a verdadeira ameaça à hegemonia militar dos EUA. Será uma reedição da Guerra Fria, mas agora “mais divertida” …

    • O Kings deve ta surpreso, segundo ele os analistas militares dizem que a quinta geração nasceu morta e que a Russia pode se segurar tranquila com o SU-35S rsrsrsrsrsrs

      • Sim. É o próximo passo.
        O que os analistas consideram é que essas novas tecnologias estão chegando e rápido.
        Mal comparando, seria o equivalente a uma empresa lançar um carro a combustão, hoje, mesmo sabendo que o futuro será elétrico.

    • Existe um fator preponderante nisso tudo. Os chineses estão blefando estarem em confronto com os EUA.
      “O rio corre no local mais facil”.
      A Rússia está bem mais perto da China do que os EUA e a China sabe que em uma guerra contra os EUA ela ficará fraca, um presente para os Russos.
      Por outro lado, a Rússia sabe que é um alvo fácil para o predador chinês. E em uma guerra com a China sairia pior do que quando da 2° guerra mundial com os alemães.
      Assim, por mais avançado que seja a tecnologia militar, o fator destruição é que está em jogo, aquele que ficar de joelhos será engolido pelo outro.

      • A China não ficou fraca contra os EUA nem em 1950.
        Eu duvido, mas duvido mesmo, que os EUA ousem atacar a China.
        Conhecendo o povo americano e seu ‘medinho’ de baixas, no primeiro encontrão com os chineses e sofrendo milhares de mortes, vão sair fora. E rapidinho.

        • É verdade. Na WWII, assim que começaram as mortes os americanos se retiraram dos teatros de guerra e o eixo foi o vencedor. Não, péra…

          Tudo que os americanos precisam é uma boa causa para lutar (não essas bobagens ao estilo Vietnã), e se a ameaça chinesa for grande, a causa estará consolidada.

          • Isso foi em 1940. Agora, em qualquer conflito, já aparecem manifestantes em frente à Casa Branca com aqueles famosos cartazes.
            Além do mais, a China não é qualquer Japão ou Alemanha.
            Olhe o tamanho dela.

          • Dê uma comparada nas baixas dos EUA, Rússia, Inglaterra, China e os países dos eixo e você verá que as baixas americanas foram baixíssimas.
            Quem realmente venceu a guerra foi os russos com mais de vinte milhões de vidas perdidas, se não fosse os russos a Alemanha teria vencido a guerra e se eles tivessem ao lado dos nazistas dificilmente o ocidente venceria a guerra.

        • Não dúvido da possibilidade de em algum momento no futuro a China tentar engolir a Rússia (tanto fisicamente quanto economicamente), com a Sibéria ali do lado quase que vazia.

          • Já andava a espera de discordar consigo nem que foce uma vez Alex. A China nunca se irá virar contra a Rússia, é daquelas coisas que nem tem sentido afirmar, ainda mais sem dúvidas (“não tenho dúvidas que a…”) .

          • A China se prepara para expandir sua presença em escala mundial (bases em outros países, bombardeiros estratégicos, porta-aviões, destroyers, submarinos nucleares, drones de ultra-longo alcance, satélites de posicionamento global, etc), do mesmo modo que os EUA atuam hoje, mantendo presença militar e civil em todos os cantos do globo.

            É um projeto de longuíssimo prazo, mas como todos estamos vendo está avançando, já dispõem de uma marinha muito grande, que além de proteger suas águas territoriais já podem (se necessário) projetar poder nos mares asiáticos, e no ritimo em que estão se desenvolvendo, daqui a uma ou duas décadas já estarão aptos a projetar poder pelo globo em duas ou três frentes, sem a necessidade de alíados, por sua vez a população cívil chinesa já está totalmente dispersa, vivendo aos milhares nos principais países do mundo, incentivadas pelo próprio governo chinês.

            Viajando na maionese um pouquinho, em caso de uma escalada global de conflitos e em uma eventual aliança com a Rússia contra o ocidente, em caso de vitória, eu acredito que a China cooptaria o governo russo de modo a esse se tornar seu subordinado e invariavelmente ceder terras para a China continuar seu desenvolvimento, pois não acredito que o governo chinês daria espaço para qualquer outro país vir algum dia a ser uma ameaça para seu governo, como hoje eles próprios representam ameaça para a liderança global dos EUA.

  6. A coisa mais engraçada são essas concepções artísticas, A que mostra a aeronave carregando misseis externos parece uma mistura de YF-23 + Su-34

    (deixando claro que mesmo ele sendo furtivo, não é estranho carregar misseis nas asas, é uma opção vantajosa quando a supremacia aérea estiver garantida)

    Quanto aos EUA, eles parecem terem abandonado os Bombardeios táticos. No futuro parece que apenas o B-21 e B-52 irão ficar em serviço.

  7. Nem entro na discussão sobre concepções artísticas e técnicas das aeronaves, e mesmo na da capacidade chinesa de produzir tudo isso.

    A China tem capacidade, só fico me perguntando se o país não está incorrendo no mesmo erro da URSS, que é querer competir e ultrapassar os EUA a qualquer custo, com um preço que num médio prazo pode desembarcar numa crise econômica gigantesca de proporções apocalípticas. O bloco soviético ruiu por várias razões, mas algumas delas eram econômicas: gastou demais com armamentos, gastou demais com o programa espacial e a corrida à Lua, quis exportar o comunismo na marra em alguns lugares e para tanto, gastou o que não tinha financiando guerras.

    O armamentismo, a corrida à Lua e as guerras (vietnã) também causaram crise econômica gigantesca nos EUA, a partir das crises do petróleo, a diferença é que os EUA já eram uma economia consolidada e inovadora, que em época, respondia por uma população de 130 milhões de habitantes. A China, responde por 1,3 bilhão de habitantes e boa parte de sua economia é montagem de produtos de terceiros, especialmente dos americanos.

    Certo que uma crise afetaria a ambos os países, mas a economia mais vulnerável ainda é a da China…

    • Pois é, na primeira crise econômica verdadeira a China de desmancha, a diferença é que lá eles teriam a moral de atropelar e tomar tudo da população em prol da continuidade do país.

      Nesse momento a China está desenvolvendo desempenho igual a um motor V8, mas o custo em combustível é alto rsrsrs.

    • Na verdade, depois da crise de 2008 nos EUA, a China aposta que os americanos vão quebrar primeiro. A China gasta menos que os EUA em defesa, mas é o suficiente para alcançar seus objetivos a longo prazo.

          • Fábio.
            A comparação com a antiga URSS não tem paralelo, tendo em vista a enorme economia chinesa, sua gigantesca base industrial, suas empresas que têm atuação global e, é claro, seu inesgotável potencial humano.

          • Acho que a aposta ao menos na parte econômica é fazer o que o Trump já está fazendo, que é trazer de volta empresas de alta tecnologia e sobretachar a entrada de produtos chineses no mercado, priorizando* produtos made in USA.

            *Algo que acho que seria interessante desenvolver aqui no Brasil é a mentalidade de comprar produtos feitos aqui, eu ao menos sempre que posso, mesmo se for um pouco mais caro, compro o que é produzido no país (roupas, calçados, eletrônicos), acho que as empresas deveriam destacar isso em seus produtos, pois nem todo mundo tem o cuidado de verificar a origem.

          • O problema é que não é tão simples assim. Mesmo trazendo empresas de volta, poderá ter custos maiores que podem inviabilizar o produto no mercado.
            E isso, em grande parte dos produtos americanos é certo.

          • Alex Nogueira, você colocou a questão sobre um prisma muit9 interessante!

            Trump já percebeu e declarou que é o próprio Ocidente, no geral, e a América, no particular, os financiadores da China. Se ele capturar a opinião pública, como aparenta estar conseguindo, vai haver uma rejeição natural ao Made in China.

            Tudo bem que a China aposta que os EUA entram em crise antes dela, mas o efeito de uma grande crise em um e outro será beeeemmm diferente. Não posso nem imaginar o povo chinês vislumbrando a oportunidade de se livrar das amarras do PC…. Mas sabe os como o povo norte americano reage à uma crise.

      • A beleza do mercado econômico Alexandre é que no exato momento que os EUA cair, a china cai junto e vice e versa. como um belo castelo de cartas. Coisas da economia Keynesiana.

        No momento os bancos centrais de EUA, Europa e China estão imprimindo dinheiro e segurando taxa de juros pra controlar inflação, mas isso não vai durar pra sempre. não vai ter vencedores se uma crise chegar, não vai ter “lugar isolado” que não vai ser atingido. a China com seu crescimento acelerado e maquiado (através de grandes projetos inúteis e cidades fantasmas) e os EUA com a sua bolha econômica serão os dois países mais afetados

      • Não dá para apostar nisso, a China declara o que quer como gasto de defesa.
        Ao contrario dos USA onde o governo é obrigado a prestar contas para a sociedade civil na China o estado é absoluto.
        Sobre a economia dela implodir, de fato em uma crise econômica a China se verá em sérias dificuldades porem o lado assustador é que ela não pensa duas vezes quando tem que escolher matar ou ceder, fez isso em 89 matando pessoas como frangos em praça publica (ela pagou o preço em sangue que os Russos não aceitaram pagar em 90/91) e fará isso com outras nações se considerar que a opção de não se expandir via militar (como o Japão fez no pré guerra nos anos 30) seria seu colapso.
        Tempos tenebrosos aguardam a humanidade e países feito o nosso, onde não há nenhum líder com 1% da visão estratégica de Churchill, visão essa que lhe permitiu salvar a Inglaterra quando o monstro nazista bateu na porta…

      • Acho que um dos motivos que leva a China economizar é a cyber espionagem, que consegue obter projetos avançados (como o do F-35) e queimar etapas (e consequntemente economizar muita $$$).

        Assim como acontece na Europa, os projetos americanos de alta tecnologia custam caro pois as pessoas que compõem a indústria e toda a cadeia produtiva ganham bem (tem seu valor reconhecido e monetizado de acordo com a contribuição dada) em comparação com a China (claro que as mentes chinesas mais brilhantes também enriquecem e são elevadas na hierarquia, mas o restante da cadeia nem sequer passa perto do mesmo estatus).

        • Não sei Alex, sempre ouvi falar que a China é o sítio para ir tendo uma mente brilhante e ser reconhecido numa boa área profissional. Engenheiros, arquitectos, médicos, muitos e dos melhores optam pela China para serem reconhecidos. Eu pessoalmente conheço um indivíduo, que trabalha na área da saúde que em Portugal não era nada, foi para a China e o filho anda agora de BMW topo de gama aqui em Portugal.

          • Olá Pedro, fugindo um pouco do assunto militar, eu acredito que a área da saúde na China pode ser muito interessante, principalmente para quem trabalha com medicina estética, pois ao que parece os chineses que estão em ascenção financeira valorizam muito a aparência e se dispõem a gastar muito para ficarem bem na fita rsrs.

    • EUA x China é exatamente o contrário do que foi EUA x URSS.
      A União soviética atingiu patamares de 15 a 20% do PIB em gastos militares para manter paridade de poder militar contra a Otan.

      Já a China investe ‘Somente’ 2% do PIB com gastos militares, enquanto os EUA investem mais de 4% e o Trump quer aumentar, justamente por preocupações em relação à China.

      O PIB chinês vai atingir 37 tri de dólares internacionais em 2023, enquanto que o PIB americano atingirá 24 tri.

      O mais provável de entrar em uma crise financeira por conta de altos gastos militares são justamente os americanos.

      • É isso mesmo.
        Inclusive, já li reportagem de que políticos republicanos querem se livrar de Trump.
        O sujeito está na estratosfera destruindo os fundamentos da economia americana.

      • Sinceramente, eu duvido que o investimento de defesa da China seja somente 2% do PIB. É muito maior, mas os números da economia chinesa tem jeito de manipulados.

      • essa comparacao e muito simples. Nao esqueca do tamanho de suas populacoes e de como se divide o bolo per capita. Por esse prisma, a China ainda e um pais pobre, lugar onde somente algumas CASTAS estao em poder de almejar bens e servicos a altura de uma vida confortavel.

      • Não esquecer da cada vez maior influência chinesa no mundo, incluindo nos aliados europeus dos Estados Unidos, muitos cada vez mais confiantes relativamente a lealdade económica dos chineses. Eu acho que a China está a fazer o trabalho de casa muito bem feito luis.

        • Lealdade econômica de que ? De destruir as instituições ocidentais ?
          O que está acontecendo é o cidadão ocidental estar se lixando para as instituições que fizeram sua vida ser boa como é hoje.
          Ainda bem que tem gente na UE que ainda pensa no longo prazo e não somente na estabilidade politica a curto prazo.
          A comissão de comercio exterior da UE tem acusado a China de tentar dominar o mercado mundial, burlando as regras internacionais e roubando tecnologia.
          Mas eu entendo você, você é de um país pequeno da UE, se sente excluído, ao ponto de perder seus valores morais e é por isso que a Europa é decadente.
          Quantos aos EUA, o déficit é controlado por lei, e é só lembrar o Japão que tem 200% do PIB em déficit e não quebra, imagina então a economia que fabrica o dólar.
          É muita besteira de leigo, que não entende nada de economia.

  8. A China trabalha o crescimento militar dela junto com o econômico , hoje o PIB dela cresce a 6,5% , quando isso cair , só vão continuar a investir em novos equipamentos se tiveram um caixa muito bom, do contrario não veremos ela lançar duas ou três embarcações por mês , manter projetos de bombardeiro e caças furtivos , ilhas artificiais etc..

    • Sem contar que o investimento chinês é ‘concentrado’ na área de atuação que lhe interessa, que é o Pacífico.
      É importante lembrar que essa região já está sendo o polo de crescimento mundial.
      Dentro em breve, com um orçamento bem menor que os EUA, a China terá ampla supremacia militar naquela região.

      • Na verdade o orçamento militar chinês Não é bem menor que o dos EUA. Quando convertemos em dólares americanos, sim, mas isso porque a moeda chinesa está muito desvalorizada em relação à moeda americana.
        Pelo Real poder de compra a China tem PIB de 25 tri e com 2% para a defesa são 500 bilhões. Muito próximo dos 700 bi que os americanos investiram no ano passado.

        Essas diferenças de câmbio e real poder da moeda, explicam como a China está sustentando esse crescimento vertiginoso e como já superou os EUA em construção de navios militares, por exemplo.

  9. Eu aposto que se você procurar direitinho no ITA você encontra desenhos e projeções de um caça de 5º geração brasileiro.

    Aposto que os americanos já tenham desenhos e projeções de seus próximos caças e bombardeiros. Os russos, idem. Desenhos, projeções, maquetes…não representam nada além da mentalidade de um país que quer aperfeiçoar suas capacidades tecnológicas.

    É natural que chineses tenham a ambição de estar na vanguarda do desenvolvimento tecnológico. É natural que os americanos se preocupem com isso. Acontece que, quando se tenta evidenciar que os chineses estão planejando algo, passam a impressão de que americanos estão parados, o que não é o caso.

    Os chineses estão crescendo em todos os fatores. Mas dizer que estão prestes a ocupar a vanguarda tecnológica ou política ou econômica ou social é forçar muito a barra. Quem sabe daqui algumas décadas…mas a posição que os EUA conseguiram conquistar, do pós segunda guerra até hoje, ainda durará um tempo considerável. E isso se não houver algo que rompa o crescimento chinês, como uma guerra ou um colapso em sua Economia.

    E esse último ponto é o mais engraçado. Muito se fala da problemática do modelo econômico ocidental. Muito se fala nas dificuldades que americanos enfrentarão na próxima década. Mas parece que acham que o modelo chinês é 100% infalível.

    Difícil achar que tudo sempre será flores no modelo econômico responsável por alimentar mais de 01 bilhão de pessoas, num regime social restritivo de direitos e com relações diplomáticas altamente voláteis.

  10. bom acho que esse avião em vez de um radar devia ter algo como um DAS, pq se liga o radar os caças e navios inimigos vão rastrea-lo, os Growler conseguem triangular a fonte de emissão radar, o conceitos lembram o B2 e o YF23, uma pena o YF23 ter perdido para o YF22, imagino aonde os EUA estariam no quesito furtividade se tivessem ido no YF23.

  11. Que avião lindo e idem para o FB-23 . Se os chineses lançarem o bombardeiro tático com estas linhas ele será o mais belo dentre os de sua classe. Seja como for a China está investindo pesado em tecnologia na área de defesa. Copiando, roubando dados ou não, eles estão numa acendente !!!

  12. Eu sei que este é um site com foco militar, mas esse JH-XX é extremamente parecido com o YR-99 “FORNEUS” do Ace Combat X skies of deception de PSP que é um caça multifunção furtivo focado em missões de ataque

  13. E isso enterra de vez a Rússia pro terceiro lugar no desenvolvimento de aviões de combate.
    Entrega a medalha de prata pra China e é bom os americanos ficarem espertos senão logo logo o chinês toma a frente, não em qualidade ás vezes, mas em quantidade.

    • É bem capaz que em uma eventual guerra, que a China lance ao ar, aviões de qualidade duvidosa (que só levante voo mesmo), só para fazer os inimigos gastarem munição rsrsrs.

  14. Pelo próprio sistema de governo, vou inventar aqui, um neocomunismo, fica mais fácil a China desenvolver produtos, sobretudo na esfera bélica. Se o cidadão lá divulgar um segredo industrial, desaparece sem deixar rastro. No sistema capitalista é tudo mais difícil, o governo tem que dar satisfação de tudo, justificar tudo, o que acaba restringindo o desenvolvimento. Fora isto, a China entrou na era da nanotecnologia em vantagem pois já reproduzia todo tipo de produto de outros países, não precisou, a priori, desenvolver tecnologia, apenas copiou e aperfeiçoou. Também, não é de agora, investiu muito na ciberespionagem, adiantando o desenvolvimento de tecnologias. O chinês, não por opção mas por obrigação, é muito disciplinado, vide os atletas olímpicos. Somando-se a isso, eles tem fome de investimentos, já compraram “meio mundo”, grande parte da dívida americana está nas mãos deles. Por experiência de vida, sou defensor do capitalismo, embora a melhor definição que eu ache é que é o “sistema menos pior” em todos os sentidos mas, reconheço que o modelo adotado pelo governo chinês aflorou da China o gigante adormecido. Logo logo será a maior potência do mundo, infelizmente, acredito eu.

  15. Já li um artigo bem sério que me trouxe uma informação que eu antes não sabia.

    Em 16 vezes na história aconteceu de uma potência emergente confrontar a potência dominante. Em 14 das vezes resultou em Guerra.

    Um dos aspectos que considero muito, mas muito diferente no atual confronto EUA x CHINA é que talvez nunca antes na História houvesse tanta dependência da potência emergente em relação à potência dominante.

    A China, já disse aqui neste Fórum, sem o comércio global não tem poder nenhum. Não é ainda um país suficientemente autônomo para poder aguentar sozinha um confronto de grande escala com os EUA e seus Aliados (todos muito fortes).

    Olhar só para o comparativo do poder militar presente fazendo a contabilidade do número de soldados, blindados, aviões, mísseis, navios e submarinos, ou comparar a qualidade de um e de outro lado, só isso é insuficiente para medir a força e resiliência de cada lado.

    Julgar como disse o Almirante Chinês que, afundando dois porta aviões Norte Americanos, seria suficiente para fazer os EUA deixarem aquele teatro do Pacífico porque os EUA não suportariam as perdas humanas é subestimar demais tudo que os EUA representam em poder desde a Revolução Americana. Isso também é comparável a julgar que os EUA não estejam já se preparando para superar a aviação de 5º geração Chinesa sendo que eles tem aviões operacionais da categoria stealth (quero dizer furtivos) desde 1981.

    Qual foi a última Guerra que a China lutou sozinha contra uma grande potência e venceu?

    Quanto de seu crescimento econômico pode ser separado da necessidade do Ocidente de aceitar sua produção mais barata para ajudar a controlar a inflação no Ocidente?

    E muitas outras perguntas que podem ser feitas.

    Sobre os EUA, o famoso twin deficits existem há anos e não é esse o maior problema da sociedade Americana.
    Mesmo que o Governo Americano quebre, não significa que o país quebra e acaba. O contrário também é verdadeiro. Mesmo que todas as empresas do país quebrem, não significa que o país quebra e acabe. Para dar um exemplo, no auge da crise de 2008, teve um momento em que a APPLE sozinha tinha mais dinheiro em caixa que todo o Governo dos EUA.

      • O texto do articulista Americano onde peguei a informação não cita. Mas eu fiquei pensando que poderiam ser duas possibilidades de nosso tempo. 1) Se você não considerar a Guerra Fria e as Guerras por procuração como Guerras de fato e no modo clássico, os EUA confrontados pela Rússia à venceram sem uma Guerra direta entre os dois. 2) No século vinte, desde os primórdios, os EUA confrontaram a posição hegemônica do Império Britânico superando e confirmando sua hegemonia ao final da WWII, e sem lutar com a Inglaterra como já tinha acontecido. Mas posso estar errado pois não conheço muito bem história antiga onde podem estar as exceções a regra de confronto bélico.

    • Na verdade, os economistas consideram um triplo deficit: fiscal, comercial e de conta corrente.
      E isso vai ter efeitos catastróficos não só sobre a economia americana, mas também sobre o dólar e seu papel no Mundo.
      Serão tempos muito interessantes.

      • Os EUA têm déficit comercial desde da década de 60 na balança comercial, mas a balança de pagamentos no longo prazo fecha a conta.
        O déficit fiscal vem desde a SGM, não é problema, pois são eles que imprimem o dólar.
        E o deticit é controlado por lei, desde de 2012, o que faz o tesouro americano ser valioso, pq sabem que o governo vai pagá-la, ou seja, permite ao governo americano emitir novos.
        A economia americana é gigante e de alto salário, é claro que déficits afetam mas não como uma economia subdesenvolvida como a nossa, isso que as pessoas que não fazem economia não entendem.
        Esse aqui é o melhor site para se entender economia, de uma forma simples, se você tiver um conhecimento moderado.
        https://www.thebalance.com/.
        Ler jornais comuns, ou até, especializados, sem conhecimento, pode desinformar mais do que não ler nada, fica dica ! .

        • Voce esqueceu de mencionar à rejeiçao do dollar américano, todo esse papel vai parar aonde??? Se isso tudo continuar e com outros paìses à aderir, e à uniao europeia passar à pagar o seu comercio exterior em euros, os paìses passarem ao modo comercio em moedas nacionais, aì que eu quero ver “o seu” estados unidos pagar à sua divida astronomica!!

      • Sim é correto falar em três déficits. Mas o termo twind deficits se refere aos deficits fiscal e do balanço de pagamentos, este inclui a balança comercial e balança de conta corrente.

  16. Faz sentido ! É mais barato ter um HI-Low de bombardeiros do que ter menos bombardeiros só que mais sofisticados.
    O SAC tinha o FB-111 por causa disso.
    A USAF talvez no futuro adote a mesma estratégia para manter os números, 100 B-21 me parecem pouco.
    Talvez o que sai do conceito PCA deve exercer um a funcao também de bombardeiro tático, como o FB-111 no passado.

      • O maior credor do Tesouro Americano, que detém títulos deste tesouro por ter optado em investir seus doláres excedentes neles, é a China e em segundo deve ser o Japão. Os dois se revezam nesta posição. O Brasil tamém é um dos grandes credores pois investe parte de suas reservas nestes títulos pela segurança que proporcionam.

        • E nenhum destes super credores pode, por exemplo, executar o todo da dívida, porque são títulos aprazados, que os EUA SEMPRE honraram sem atrasar nenhum dia. E acreditem, crise econômica nós veremos no dia que os EUA não honrarem seus títulos, daí sim, vai todo mundo, dos EUA à China, Brasil e Argentina, Europa e Rússia, vai todo mundo pro vinagre ao mesmo tempo!

  17. A maior desgraça da china e ter que depender das exportaçoes para os EUA e seus aliados, afinal se ela atacar qualquer um deles, todos param de comprar dela e não terá pra quem vender seus produtos e sem dinheiro sem guerra.

  18. “Victor Filipe

    O Kings deve ta surpreso, segundo ele os analistas militares dizem que a quinta geração nasceu morta e que a Russia pode se segurar tranquila com o SU-35S rsrsrsrsrsrs”

    Não existe mais nada de “revolucionário” hoje na tecnologia stealth de quinta categoria dos estadunidenses…na medida que os rivais como Russos e Chineses já conhecem e dominam o suficiente desta tecnologia para alcançar paridade tecnológica com os estadunidenses…para reconquistarem a superioridade tecnológica perdida terão que entrar numa nova corrida pelo desenvolvimento de tecnologias mais avançadas…

    • Onde a Rússia está alcançando paridade?
      Quantos caças Stealth eles conseguem comprar????

      “”já conhecem e dominam o suficiente desta tecnologia “”

      Stealth não é “uma tecnologia” é um conjunto de tecnologias que está sempre em evolução, assim como as tecnologias de radares que também evoluem.

      • “Esta história de avião Stealth é uma lenda.
        Nenhuma força área do mundo ainda foi capaz de justificar de maneira racional a necessidade da aquisição em grande escala destas aeronaves.
        De duas uma, ou são caríssimas de se operar e de se manter ou no fundo, ainda não são tão relevantes assim; no cenário atual.”

        Ocidental Sincero

  19. Alguns já caíram na realidade outras vão esperar até a realidade cair em cima deles rsrsrs….
    Pra mim a próxima grande virada virar quando os EUA enfrentarem algum pais equipado com tecnologia chinesa de ponta, talvez em retaliação a politica americana no mar do sul da china. Algumas possibilidades nos próximos 10 anos, Irã, Venezuela, Coreia do norte, mas nenhuma despontando no horizonte…
    São 1.2 bilhões de pessoas, se bem educadas e disciplinadas vão se tornar o maior polo de desenvolvimento do planeta, inclusive em tecnologia de ponta. E ai, o povo Chinês é educado, estão estudando nas melhores universidades? O povo chinês é disciplinado?

    • Concordo que existe a possibilidade de repetir-se as guerras por procuração, onde um lado lutará contra o outro em escaramuças em terceiros países equipados com suas armas. O confronto direto tem custos muito elevados e benefícios muito duvidosos. A aniquilação total ou a incapacitação total do inimigo teria que ser feita ao custo de grandes perdas humanas e materiais, quem ganharia seria quem estaria de fora do conflito.

  20. NÃO INTERESSA QUAL CAÇA, americano ou não seja ou não somente tigre de papel. Qual mostre seu real valor. A única coisa que importa é que nem EUA, China ou quem quer que seja que tenha armamento nuclear entre em guerra com outro que tenha armamento nuclear. Pois no dia em que esse sujeitos fizerem isso, quem irá se F&*&*¨&&% será o resto das pessoas que moram no planeta que querem mais é viver em paz.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here