Home Aviação de Ataque Caça J-20 poderá ter versões biposto e baseada em porta-aviões

Caça J-20 poderá ter versões biposto e baseada em porta-aviões

3702
84
Concepção do J-20 biposto
Concepção do J-20 biposto

O avião de combate J-20, mais avançado da China, poderá ser transformado em uma aeronave de guerra eletrônica (EW) e ter uma versão baseada em porta-aviões, disseram especialistas chineses nesta quarta-feira, conforme as últimas reportagens sugerem que uma versão de dois lugares está sendo desenvolvida.

Todos os jatos stealth atuais possuem um único assento, então o potencial J-20 pode se tornar o primeiro caça furtivo de dois lugares do mundo, informou a China Central Television (CCTV) na quarta-feira.

Em um campo de batalha futuro altamente digitalizado, grandes quantidades de informações podem facilmente transbordar todo o painel de controle de uma aeronave. Ter um segundo piloto e um segundo painel compartilhando parte do trabalho será vantajoso, segunda a reportagem.

Yang Wei, o projetista-chefe do J-20, disse em março de 2018 que a aeronave será serializada e verá sua capacidade de combate constantemente atualizada, informou o People’s Daily.

O atual J-20 é uma versão básica e tem um design altamente personalizável, disse Song Zhongping, um especialista militar e comentarista de TV, ao Global Times na quarta-feira.

Equipar o avião de combate com um segundo assento permite que ele desempenhe múltiplos papéis, além de ganhar a superioridade aérea, disse Song, observando que a versão de dois lugares pode ser desenvolvida em um bombardeiro tático ou um avião de EW.

Ter versões que outros países não possuem aumentará enormemente a capacidade das forças armadas chinesas em uma guerra assimétrica, disseram analistas.

Imagem mostra um simulador de voo chinês com dois displays WAD em um cockpit em tandem

Os EUA tinham um plano similar com seu caça furtivo, o F-22, devido a sua velocidade supersônica e potencial para penetrar no espaço aéreo sem ser detectado. No entanto, o FB-22, uma versão de bombardeiro tático do F-22, foi cancelada em 2006 porque a Força Aérea dos Estados Unidos queria um bombardeiro estratégico em vez de um tático, informou o National Interest.

Embora se espere que o FC-31, outro jato de caça furtivo chinês, se torne o avião de caça embarcado em porta-aviões de próxima geração da China, Song disse que o J-20 também pode ser modificado para cumprir o papel.

Mesmo que o J-20 não faça acréscimos à sua função, ele definitivamente terá melhorias em sua capacidade, já que a China tem uma tradição de atualizar seus jatos de combate com tecnologias avançadas antes de passar para uma aeronave inteiramente nova.

Um J-20 atualizado terá sistemas aviônicos e de controle de tiro melhorados, motores mais potentes e mais carga útil de armas, disse Song.

Concepção do J-20 naval
Montagem com um J-20 embarcado em porta-aviões

FONTE: Global Times

Subscribe
Notify of
guest
84 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex Nogueira
Alex Nogueira
1 ano atrás

Pelo andar das carruagens, provavelmente em breve veremos algum protótipo sendo testado rsrs (Se é que já não estão testando).

cwb
cwb
1 ano atrás

a carga de trabalho do piloto é tanta que precisa de um outro operador de sistemas,ou esse avião terá o dobro de consciência situacional?
nesse tipo de aeronave a fusão de dados não seria espantosa a ponto de eliminar um segundo tripulante?
com a palavra os especialistas…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  cwb
1 ano atrás

Eu pensei exatamente nisso, fora que se não aumentarem a fuselagem (aumentando o peso) o J-20 vai perder espaço justamente para seus Sensores, combustível e armamentos. talvez a eletrônica dele não seja tão incrível quanto dizem ser.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Fique de olho vivo na China.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  cwb
1 ano atrás

Porque não ter uma boa fusão de dados reforçado pela presença de um operador de sistemas? O conceito do biposto não descredibiliza a capacidade tecnológica chinesa.

Sérgio Santana
Sérgio Santana
1 ano atrás

Mais um cérebro e outro par de olhos/ouvidos nunca são demais…

Augusto L
Augusto L
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Na verdade é uma clara indicação que não tem a capacidade de fusão dos caças americanos.
E não é necessário ter uma versão de guerra eletrônica, um radar AESA moderno tem essa capacidade e superior em potência os sistemas dedicados, ou seja o AESA chinês não deve ser essas coisas.

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

De geração anterior sim, mas se esperava que na quinta geração esse “custo” de peso, operador e espaço físico fosse otimizado!

J-20
J-20
Reply to  Rafael Coimbra
1 ano atrás

Projeto F-22B, já ouviu falar?

teropode
Reply to  J-20
1 ano atrás

Está em operação o Bf22 ?

Augusto L
Augusto L
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Sim, só que um F-35 tem mais poder de guerra eletrônica que um EG-18 Growler.
E no futuro quando o F-35 receber o NGJ continuará a ter um assento.
Se tem 2 assentos hoje, pelo simples motivo que são plataforma baseadas em caças legados, que não tem toda a fusão de um genuíno caça de 5° geração.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Oh Augusto

Renato
Renato
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Na primeira emissão de sinais ele deixa de se rstealth

Gustavo
Gustavo
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Verdade, o Growler por exemplo, que é o melhor nesse quesito.. Mas acredito, que pela evolução da inteligencia artificial, muito em breve os computadores consigam substituir o operador.

gordo
gordo
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Concordo, ainda não existe combinação de Hardware e Software capaz de bater o cérebro humano, intuição ainda faz muita diferença.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  gordo
1 ano atrás

Fará durante ainda muitos anos, mesmo no conceito de aeronaves autónomas e inteligentes futuras não se abdica da presença humana no ar, em outra aeronave e em terra.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 ano atrás

Com os motores atuais o J-20 tem peso de mais e potencia de menos para operar em um Porta Aviões, se eu fosse os chineses continuaria com o J-31 a arriscar ficar com um possível SU-33

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Há relatos que o motor ws-15 equipara caças J-20B a partir do final do ano. Este ano, 2019. O objetivo é atingir 44.000 lbf. Para você ter uma ideia o motor do F-22 atinge 35.000 lbf, algo que os chineses já conseguiram com o ws-10g que equipam varios J-20A. Somente os J-20 usam motores russos al-31. Portanto temos motores russos al-31 nos J-20 iniciais. Depois motores ws-10g chineses nos J-20A com potência raspando no motor f-119 do F-22. Porém o J-20 é maior e mais pesado, para ter a mesma performance do F-22 precisa de um motor mais potente. Aí… Read more »

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Interessante avaliação Luis. 👌

MGNVS
MGNVS
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Excelente analise Luis.
Precisamos de mais comentarios assim.
Parabens.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

E parece que os chineses estão desenvolvendo, simultaneamente, dois novos bombardeios furtivos.
É realmente fantástico.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Dois novos bombardeiros furtivos? da onde você tirou isso?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

A reportagem foi publicada na Aviation Week que citava relatório do Departamento de Defesa dos EUA.
Tal notícia foi reverberada através da Sputnik e do site Defesa.com.br.
Um projeto seria um bombardeio de longo alcance, fato já admitido pela China, e o outro seria um de médio alcance.
A propósito. A reportagem é de hoje.

teropode
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Americanos já ventilam isto , acredito ser realidade , talves seja esta versão biplace deste post , otimizado para penetração em ambiente fortemente protegido .

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Sim, dois bombardeiros furtivos, um estratégico para operações globais e outro para operações regionais dentro das áreas de influência. Tem sido relatado recentemente na imprensa embora ainda não se confirme, de forma sólida, a existência do segundo projecto.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Aliás, porque ninguem se interessou em ter uma versão do F35 biposto?

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Porque não precisa. O “Segundo piloto” do F-35 é seu computador.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Especialistas militares comentam que essa geração stealth pode já ter nascida morta.
Os novos desenvolvimentos dizem respeito a aviões autônomos e com uso intensivo de inteligência artificial.
Dentro em breve ter um ou dois pilotos será totalmente irrelevante.
É importante afirmar que a China tem despendido muito investimento nessa área e certamente está à frente de seus rivais.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Não, não está os EUA já tem drones com IA operando e mísseis como LRASM, a China nada

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Se vc soubesse a quantidade de capital investido e pessoas atuando nessa área na China, ficaria (desesperadamente) surpreso.
Somente em 2017, investiram 48% de tudo o que foi investido no Mundo. Em 2016 foi de pouco mais de 11%
Também em 2017 passou a ser o País com mais publicações sobre a área, desbancando os EUA.
Seus projetos estão avançando tanto que já lançaram um do tipo ‘onipresença artificial’.
Não me pergunte qual será a utilidade dele, mas podemos imaginar.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Tá bom. Mas o Augusto citou equipamentos já operacionais. Você não citou nada. Cite ai então o que está em operação na China para corroborar seu ponto de vista:
“e certamente está à frente de seus rivais”

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Existem centenas de artigos na rede discorrendo sobre o desenvolvimento da I.A. no Mundo.
Basta pesquisar.

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Caro Kings. Sua resposta é infelizmente “evasiva”. Vc jogou a “(des)informação” e depois “empurrou para os outros” o trabalho de procurar em “centenas de artigos”. Pegou mal.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Cinturão de Orion
1 ano atrás

Não creio. Poderia colocar o link de vários artigos já demonstrando a proeminência chinesa nesta área. Mas, seria cansativo e desnecessário, visto não ser o assunto principal do post.
Para isso, basta usar o Professor Google para ter acesso acesso a muitas publicações especializadas no assunto.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Cinturão de Orion
1 ano atrás

Em resumo do que eu quero explicar, segue o link de reportagem de um executivo do Google na China, do qual extraio um trecho:
“Segundo o executivo, inovações relacionadas à IA tem experimentado um “crescimento mágico” no país asiático durante os últimos dois anos. “Vindo de uma posição bem atrás, a China hoje, na verdade, está à frente dos EUA em implementações de projetos baseados em inteligência artificial.”

Isto de 2016 até 2018 (nos últimos dois anos). E agora sabemos que a China investe que o resto do Mundo todo.

Segue o link:

https://canaltech.com.br/robotica/china-deve-liderar-pesquisas-globais-em-ia-diz-ex-diretor-da-google-122044/

Augusto L
Augusto L
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

China deve, esse deve é muito longe.
Hoje que domina a inteligência artificial e os softwares são os EUA.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Na verdade nem sei da onde saiu esses 48% de investimento.os EUA investem 468 bilhões de dólares anuais.
A China tem grandes planos, está aumentando seu investimento, e tem um escritório do governo e planos dedicados para aérea coisa que os EUA não tem, é uma desvantagem americana, mas ainda quem está na frente é os EUA.
Você como alguns outros disseram, desconversou.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Tá, mas cite um que esteja operacional na China.

johnny-walker
johnny-walker
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

China é um país extremamente fechado, acha mesmo que conseguir tais informações é fácil, ainda mais projetos tão sofisticados, muitos projetos chineses você somente ouve falar quando estão quase terminados.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Victor isso é uma conclusão completamente precipitada.

teropode
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

O R2D2 meu caro .

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Porque nem o de um único piloto presta imagina com dois, imagina o espaço, teriam que por os misseis nos capacete dos pilotos que por sinal já balança bastante nas decolagens nos porta aviões.

Rodrigo M
Rodrigo M
1 ano atrás

A realidade é simples:
Fosse americano estariam exaltando, mas como é chinês estão debochando.
Não existe nenhum critério de avaliação que mereça ser levado a sério.
Esse fórum atualmente se resume apenas em briga de torcidas.
Por isso muita gente boa sumiu daqui.
Simples assim.
Eu torço apenas pelo Brasil.

Sérgio Santana
Sérgio Santana
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Rodrigo M, faço das suas as minhas palavras…

Sérgio Santana
Sérgio Santana
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

E completo: vejo muito brasileiro aqui mais norte-americano que o norte-americano em si.

teropode
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Já eu vejo muita gente de olhinhos puxados , ou por ser xingneses ou é conjuntivite kkkkkkk

Sérgio Ricardo Santana Cerqueira
Sérgio Ricardo Santana Cerqueira
Reply to  teropode
1 ano atrás

Teropode, o correto e desejável seria um fórum sem paixonites de nenhum lado…

teropode
Reply to  Sérgio Ricardo Santana Cerqueira
1 ano atrás

Sérgio Ricardo isto é impossível, a paixonite devidamente vigiada pode render discussões interessantes principalmente se houver comentários de qualidade técnica entre os demais , cito os comentários do Sr Bosco , RR e de outros .

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Sérgio Ricardo Santana Cerqueira
1 ano atrás

Sim, imparcialidade.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  teropode
1 ano atrás

E eu vejo nas ruas aqui do Rio. Quando não são chineses, são funcionários brasileiros que trabalham para eles.
Como tem chinês no Rio, principalmente na Tijuca.
Na região do SAARA nem os árabes e judeus estão resistindo. Tá tudo virando chinês.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Simmm, sem dúvida Sérgio.

Bosco
Bosco
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Sérgio Santana,
Só de você não ver que também há muitos brasileiros que comentam aqui que são mais chineses e russos que os próprios chineses e russos (e isso salta aos olhos) já deixa transparecer que você também está longe de ser imparcial e já escolheu um lado a defender com paixão.

Bosco
Bosco
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Eu gostaria de só me ater a assuntos técnicos mas a própria convivência com blogues de “defesa” há 15 anos me fez perceber e reconhecer que há muito esses blogues viraram campo de batalha de disputa ideológica/partidária e eu tenho lado e o defenderei toda vez que achar que o lado que eu defendo está sendo atacado de forma provocativa, injusta, desproporcional, maquiavélica, seja de forma direta ou velada, seja pelos editores desses blogues, seja pelos comentaristas.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Eu me considero um Ocidental, cabe a minha nação a ser também, o que eu adoraria, mas se não for, que se exploda esse país chamado Brasil.

teropode
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Na minha humilde opinião as gente boa que fogem daqui por causa da briguinha de torcida , agem como a oposição venezuelana que boicotou as eleições facilitando as coisas para a situação.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  teropode
1 ano atrás

Não fogem, só deixam de comentar tero, para evitar terem a sua imparcialidade sabotada pelos fanatismos.

Sidy
Sidy
Reply to  Pedro nine-nine
1 ano atrás

Verdade. Quando lemos coisas como “cai pecinha” ou “os EUA vão levar décadas para chegar a este patamar”, sabemos que a postagem tem apenas ideologia e achismos e o interesse pelo que está escrito a seguir desaparece instantâneamente. Isso quando não é pura e simples trollagem.

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
1 ano atrás

Eu tambem não entendo essa picuinha com os equipamentos chineses e Russos, com os governos sim , como se isso fosse mudar alguma coisa, a tendencia e os fatos estão ai , podem ter certeza que americanos estão acompanhando com máxima atenção o desenvolvimento Chines , outro dia vi reclamarem aqui que de cada 5 posts 3 eram da China ,pó quem nasceu na década de 70 se lembra como eram as revistas de defesa eu esperava com muita ansiedade por noticias da Otan e pacto de Varsóvia, e segue o jogo.

J-20
J-20
1 ano atrás

Lendo os comentários, eu acho que o pessoal esqueceu o que um biposto pode fazer e economizar tempo: treinamento.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  J-20
1 ano atrás

O que pode ser substituído por outros meios, especialmente em forças aéreas com muita $$$.

É de se considerar que no biposto se perde espaço para combustível, armamento, aviônicos etc. Resta pesar o que é mais importante.

Especialmente em aeronaves que precisam carregar o armamento internamente para diminuir o RCS.

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
1 ano atrás

Quanto ao J-20 naval sei não , mesmo com as adaptações resta saber em qual porta aviões poderá operar.

J-20
J-20
Reply to  Rene Dos Reis
1 ano atrás

Ele em termo de comprimento e envergadura da asa é menor que o Su-27. Ele parece grande, mas quando o comparamos com os caças de 5ª geração.

Ricardo N. Barbosa
Ricardo N. Barbosa
1 ano atrás

“Equipar o avião de combate com um segundo assento permite que ele desempenhe múltiplos papéis, além de ganhar a superioridade aérea, disse Song, observando que a versão de dois lugares pode ser desenvolvida em um bombardeiro tático ou um avião de EW”. Essas palavras indicam que ainda não definiram o objetivo da versão. Me parece mais uma característica genérica de um biposto, equivale à forma como a Saab gosta de vender seu Gripen biposto como uma espécie de AEW&C. Mas no fim, trata-se de um biposto com suas vantagens inerentes, e desvantagens, a tendência é perder combustível, logo a alegação… Read more »

Ricardo N. Barbosa
Ricardo N. Barbosa
1 ano atrás

Se o objetivo for de fato apenas uma melhor consciência situacional para o J-20 atuar como um ISTAR, então pode ser um indicativo da fraqueza em fusão de sensores. Estranho é que a China parece estar desenvolvendo um bombardeiro regional, o J-20 biposto seria assim redundante em caso de uma fuselagem consideravelmente modificada, muito maior e com mais carga. Talvez indique apenas uma versão mais especializada em ataque, sem acréscimo significativo no tamanho da fuselagem, mas com uma baia maior para acomodar armas ar-solo, porém mais uma vez indicaria que não estão confiantes em entregar tarefas complexas a um único… Read more »

Ivan
Ivan
Reply to  Ricardo N. Barbosa
1 ano atrás

Ricardo N. Barbosa, . Comentários interessantes. Contudo, gostaria de discutir sua afirmação: “(…) porém mais uma vez indicaria que não estão confiantes em entregar tarefas complexas a um único piloto”. . Tenho observado que caças e caças-bombardeiros europeus de geração 4,5 (com ou sem aqueles +++ que a galera adora) que implementaram razoável fusão de dados, inclusive a partir de datalinks (informações de outras fontes), tem adotado em maior número aeronaves bipostas para missões mais complexas, notadamente de ataque, mas também de reconhecimento. . Tenho observado o uso pela US Navy de versões bipostas do Super Hornet, a compra de… Read more »

Ricardo N. Barbosa
Ricardo N. Barbosa
Reply to  Ivan
1 ano atrás

De fato os 4G ainda fazem uso regular de aeronaves bipostas, mas esse é o X da questão, estamos falando de um 5G que em teoria deveria dispensar o operador de sistemas de armas. Se essa novo versão tiver longo alcance, o segundo homem pode ajudar a compartilhar a fadiga de horas de operação, ou seja, é uma necessidade justificável, mas se essa versão for apenas um J-20 legado dedicado ao ataque tático, então é um indicativo de que os sensores ainda exigem um operador de sistemas dedicado em missões complexas (fusão de ciclo aberto de caças 4.5G). A fusão… Read more »

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Ivan
1 ano atrás

Boa análise Ivan.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Ivan
1 ano atrás

Ivan: concordo integralmente e este tem sido meu ponto de vista externado aqui mesmo no Aereo. Queria aduzir que muitas vezes os comentaristas aqui se posicionam – pelo menos aparentemente – olhando “apenas” para um cenario mundial, considerando, por exemplo, um conflito entre USA e CHINA. Nestes contextos haveria uma participaçao intensa de meios tais quais satelites, grandes vetores de apoio, complexas instalaçoes em terra e mar, e uma quantidade enorme de F35s e J20s. Mesmo assim, olhando para os parametros atuais relativos a velocidade de transferencia de dados via data link, nao ha como executar uma grande parte das… Read more »

Helio Eduardo
Helio Eduardo
1 ano atrás

Eu não descartaria o conceito chinês tão cedo assim e, certamente, jamais o faria por picuinha ideológica. Gostando ou não, tudo o que surge lá deve ser considerando e analisado, eles já conquistaram um lugar ao sol e, convenhamos, que lugar! Tenho minhas restrições à China, caso alguém se lembre das postagens desse ilustre desconhecido, saberá que acho a postura chinesa belicosa e de desrespeito às demais nações, mas não é por isso que me torno cego ao Made in China. Minha questão é simples: e se um único piloto num caça de 5ª geração com mega fusão de dados… Read more »

Ivan
Ivan
Reply to  Helio Eduardo
1 ano atrás

Hélio Eduardo, . Você escreveu: “Tenho minhas restrições à China.” Eu também. E não somos os únicos, pergunte ao Colombelli, ao Bosco e outros amigos com uma visão que valoriza as liberdades individuais. . Você escreveu: “Minha questão é simples: e se um único piloto num caça de 5ª geração com mega fusão de dados não for suficiente?” Provavelmente não será. Porém NÃO pelos motivos que você apresentou. Certamente UM piloto receberá informações suficiente para tomar as melhores decisões para SUA aeronave, provavelmente para seu elemento (duas aeronaves) e, quem sabe, para toda sua esquadrilha (quatro aeronaves). . Porém, tem… Read more »

Ivan
Ivan
1 ano atrás

Formações de caças bipostos, caças monopostos e drones não me surpreenderão.
(Verbo no futuro.)

Renato B.
Renato B.
1 ano atrás

Desse tamanho? Imagino que a ala naval vai dar uns 4 aviões por navio.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Talvez e somente talvez a China não tem um sistema embarcado tão bom a ponto de dispensar um navegador que auxilie o piloto. Vale lembrar que a China vem se desenvolvendo muito rápido, talvez pulando etapas que os EUA seguiram a ponto de não ter necessidade, por exemplo, de colocar um segundo piloto no F-35. De qualquer forma fiquem atento as cenas dos próximos capítulos…

Luís Henrique
Luís Henrique
1 ano atrás

A FAB solicitou o Gripen Biposto.
A maioria dos países operam caças bipostos, inclusive os EUA.
Os Su-30 foram um sucesso de vendas e são todos bipostos.
Os F-15E foram um sucesso de vendas e são todos bipostos.
Os caças de guerra eletrônica que eu conheço, são Todos bipostos.

Agora a China parece estar interessada em uma versão biposto do J-20 e chove comentários indicando que deve ser por falta de inteligência artificial ou conhecimentos em interfaces homem-máquina.

Só pode ser piada.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Eu discordo em você num ponto: Não são todos os SU-30 e F-15 que são bipostos. Eles são principalmente para treinamentos. Mesma coisa é o Gripen. O F-22, F-35 e SU-57 tem uma interface ligada ao capacete que dá toda situação operacional inclusive linkando com aeronaves de guerra eletrônica. Volto à dizer o J-20 não deve ter todo esse progresso que as aeronaves de 5ª geração já citadas anteriormente.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Luiz Trindade,
Você poderia nos dizer qual SU-30 e F-15E que não é biposto?? Agora fiquei curioso..

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Rodrigo M
1 ano atrás

Ok. SU-30 eu errei, mas em relação ao F-15 vc não tinha especificado o tipo. Se for o F-15E realmente não há o que discutir.

Wagner
Wagner
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Especificou sim que era F15E.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

Luiz, sem sequer referir o resto da treta que disse, mas, então está a dizer também que só no capacete de aviões de quinta geração é apresentado informação?

Wagner
Wagner
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

É realmente um saco essa insistencia em ficar falando “solta pecinha”.

Jota Ká
Jota Ká
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Pois é. Enquanto aqui alguns viralatas ficam repetindo à exaustão este bordão, os caras estão, desde 1979 ano do fim da malfadada revolucao Cultural, num esforço planejado e coordenado para se nivelar e ultrapassar os tops do ocidente.
E o glorioso Brasil ficando para trás.

José Carlos Cunha
José Carlos Cunha
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Demorou, mas chines foi até a lua, fotos da parte escura para nós, será que tem tecnologia de ponta melhor que os outros? Já passou o tempo de “soltar pecinha”.Agora quem espiona as tecnologias são os ocidentais. E para aqueles que criticam , vejam , a maioria das invenções do mundo antigo, bussola, sismógrafo, macarrão, papel, impressão, leme, navegar contra o vento, calado na embarcação,pólvora, e inúmeras outras são chinesas, tudo foi copiado pelo ocidente. Dê o mérito a quem merece. Na dúvida ‘national geografic” assistam, vários episódios.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  José Carlos Cunha
1 ano atrás

José Carlos Cunha, navegar contra o vento, normalmente apelidado de “bolina” foi um método aplicado pelos portugueses e não pelos chineses.