Home Aviação de Ataque F-35: alegada capacidade de fusão de dados é desmistificada

F-35: alegada capacidade de fusão de dados é desmistificada

13563
106
Cockpit do F-35

PARIS – Uma reportagem on-line elogiando a fusão de dados do caça Lockheed Martin F-35 e detalhando as vantagens que traz reduzindo a carga de trabalho do piloto expôs pela primeira vez que as capacidades “gaming changing” reivindicadas pelo F-35, de fato, estão em serviço há mais de uma década em caças europeus.

O site SLDinfo em 26 de novembro de 2018 publicou uma reportagem intitulada “O F-35 e Fusão de Dados: Uma Perspectiva da International Fighter Conference 2018”, baseada em uma entrevista na qual um piloto do F-35 descreve o que ele pensa ser o combate e as vantagens proporcionadas pela fusão de dados da aeronave.

A fusão de dados superior é uma das poucas vantagens remanescentes reivindicadas para o F-35, cujas capacidades “stealth” são desafiadas por novas tecnologias de radar e cujas capacidades de combate dogfight foram demostradas como inferiores às dos primeiros F-16; e cuja carga interna limitada é um grande obstáculo.

Claramente, se a fusão de dados do F-35 não é melhor do que o Dassault Rafale, o Eurofighter Typhoon e o Saab Gripen já alcançaram, embora em diferentes extensões, a justificativa para comprar o F-35, com o seu custo operacional inacessível, torna-se muito menos atraente do que é dito por seu fabricante.

Há muito tempo suspeitamos que os pilotos em transição para o F-35 só estão impressionados com suas capacidades de fusão de dados porque, vindo de caças dos anos 1980 como F-16, F-15 ou Tornado, eles estavam uma década ou duas atrás do estado do arte.

Não conseguimos confirmar essa suspeita porque os pilotos do F-35 nunca se envolveram em debates factuais, mas agora a reportagem da SLDinfo fornece uma referência útil para comparações.

Divulgando a fusão de dados do F-35

Curiosamente, descobrimos que algumas das capacidades descritas do F-35 pelo SLDinfo são muito semelhantes àquelas descritas pelos pilotos da Força Aérea Francesa sobre o Rafale em maio de 2011, em relatos a partir da base aérea de Solenzara, na Córsega, durante os ataques aéreos aliados na Líbia.

Para comparar as capacidades reivindicadas para ambas as aeronaves por seus pilotos, reproduzimos abaixo as capacidades selecionadas descritas pelo piloto do F-35 (em itálico) e, imediatamente abaixo, as declarações correspondentes feitas pelos pilotos do Rafale há sete anos.

Para sermos justos, deve-se notar que o F-35 foi projetado em meados da década de 90, mas só completou sua fase de desenvolvimento no início de 2017, portanto, sua fusão de dados pode ter parecido muito avançada há um quarto de século atrás, torna-se agora mais comum.

Na época em que a nossa reportagem foi publicada, pedimos também às forças aéreas italianas e alemãs, que participaram das operações contra a Líbia, que visitassem suas unidades de combate e entrevistassem os pilotos do Typhoon envolvidos nos ataques. Ambas declinaram, o que explica por que as capacidades do Typhoon, por mais extensas que sejam, não são mencionadas aqui, ao mesmo tempo em que o Gripen E da Suécia ainda não está operacional.

Como funciona o conceito de fusão de dados (clique na imagem para ampliar)

Comparação direta dos recursos de fusão de dados

F-35: “com o sistema integrado de sensores embutido no F-35, o papel da fusão de dados é fornecer consciência situacional como um serviço ao piloto e à força de combate ligada ao MADL (Multi-Function Advanced Datalink).”

Rafale: “se você receber um alvo de um AWACS, de seu conjunto de autoproteção SPECTRA ou de seu ‘atacante’ ao mesmo tempo, o sistema analisará todas as entradas e mostrará apenas um alvo… os Rafales trabalham em um ambiente verdadeiramente em rede, e são alimentados com alvos e outros dados táticos de uma ampla gama de fontes de coalizão por meio do datalink do Link 16.”

F-16: “o radar estará em um display; os dados de rastreamento em outro. Talvez uma imagem gerada a partir da rede Link-16 em outro. O cérebro humano é onde as informações dessas telas separadas estão sendo fundidas e traduzidas para que o piloto seja capaz de executar a missão.”

RAFALE: “os dados de todos os sensores internos e externos são combinados em uma única imagem tática apresentada ao piloto no visor colorido central da cabine ou, se desejado, em uma das telas laterais.

Cockpit do Rafale (clique na imagem para ampliar)
Cockpit do F-16V
Cockpit do F-16V

F-16: “também pode trabalhar em seu rádio para coordenar a missão…. muito do trabalho em uma aeronave de quarta geração é feito pelo rádio.”

Rafale: “pode selecionar os dados que deseja, combiná-los com outros dados e transmiti-los ao seu ala ou a outras aeronaves aliadas, navios ou tropas terrestres através do Link 16, sem falar uma única palavra no rádio e, se não usando o radar, sem qualquer tipo de transmissão.”

F-35:  “você tem automação através da fusão… quase todo o tempo de engajamento de dez minutos para construir uma boa imagem, está sendo feito automaticamente para o piloto na fusão do F-35.”

Rafale: “para evitar sobrecarregar o piloto, o computador central do caça prioriza os alvos de acordo com a ameaça que eles representam, e também há modos de organizar o escopo do radar. O piloto também pode decidir se concentrar em um determinado aspecto da missão e voltar a outros aspectos.”

F-35: “temos a capacidade de atingir alvos de terceiros e distribuir os efeitos desejados no espaço de batalha.”

Rafale: “o Link 16 do Rafale também pode ser usado para reconfigurar o papel em uma missão com outras aeronaves sem usar rádios… a ideia de que uma única aeronave pode ser remanejada durante o voo de reconhecimento para ataque à interceptação durante a mesma surtida é verdadeiramente revolucionária.”

Tendo lido as palavras de seu piloto, o F-35 está longe de ser o extraordinário e futurista “caça de quinta geração” que a Lockheed afirma ser e, em vez disso, parece um pouco mais de capacidades de fusão de dados com uma fuselagem pesada e volumosa coberta com revestimentos de baixa observação.

FONTE: Defense-Aerospace.com

106
Deixe um comentário

avatar
38 Comment threads
68 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
54 Comment authors
LeandroOganzafranciscoAlex NogueiraMarcinelli Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
JPC3
Visitante
JPC3

O Rafale consegue rastrear mísseis anti-navio além do horizonte e transmitir diretamente para um navio conseguir abate-los com um míssil anti aéreo e longo alcance?

Doug385
Visitante
Doug385

Eu também achei essa matéria muito estranha. Que todas essas aeronaves já tinham fusão de dados todo mundo já sabe, mas como conseguiram os parâmetros operacionais do F-35 para se chegar a essas conclusões?

JPC3
Visitante
JPC3

O Texto não diz nada de novo. Deveria ter se aprofundado em mais detalhes para sabermos a diferença entre cada sistema.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Sim JPC, o Rafale consegue rastrear misseis anti navio para lá do horizonte auxiliando navios de superfície, principalmente se for a versão naval do mesmo. A matéria não diz que o Rafale é mais moderno que o F35, a matéria apenas refere que o principal trunfo do lightning 2, para além da sua furtividade, é uma tecnologia cujo conceito não está longe do já aplicado noutras aeronaves de 4 geração. Isto significa que um dos dois trunfos do F35 pode facilmente ser igualado por um avião de geração anterior desde que a sua plataforma o permita.

JPC3
Visitante
JPC3

Você já viu testes em que um navio derruba um míssil a baixa altitude além do horizonte através do radar do Rafale?

E a Matéria fala sobre o Multi-Function Advanced Datalink, fala sobre o DAS?

Fala sobre transmissores de fase ativa que direcionam as comunicações diretamente para aeronaves mais próximas impossibilitando a interceptação das comunicações e interferência inimiga?

Acho que ela só diz uma coisa que todo mundo já sabia.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Jpc, não são poucas as aeronaves, helis e aviões, ao serviço dos países da Otan, que contam com a capacidade de partilhar os seus dados de radar com outros meios em terra e superficie. O Rafale consegue sim auxiliar um navio de superfície a abater um míssil anti-navio desde que o mesmo o consiga detectar. É neste tipo de quesito que entra um dos trunfos do F35, a sua sensibilidade na detecção de ameaças. O f35 é, seguramente, o avião de caça mais capaz no quesito das capacidades sensoriais e rastreadoras mas eu simplesmente acho que esse conceito já existe… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Sim, concordo. Muitas das capacidades do F-35 podem sim serem instaladas nos caças de 4° geração, porém isso elevaria os custos. o DAS por exemplo não seria muito simples de instalar.

Mas concordo, dá sim para colocar capacidade eletrônica de 5° geração em caças mais antigos. Já fizeram esse tipo de coisa entre gerações anteriores e eficiência dos caças antigos melhorou muito.

Oganza
Visitante
Oganza

Não dá não. O motivo é o fato de caças 5G refletir muito menos radiação EM, logo seu sistema EW é muito menos potente do que o necessário para se obter o mesmo resultado em caça 4G.
Aqui explica tudo muito melhor.
https://tecnomilitar.wordpress.com/2019/01/12/fusao-de-sensores-rafale-vs-f-35/

JPC3
Visitante
JPC3

“”Isto significa que um dos dois trunfos do F35 pode facilmente ser igualado “”

A matéria não mostra isso. A matéria só diz que fusão de dados o Rafale também tem.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

A matéria mostra sim isso, que os conceitos de aviões anteriores não fogem muito ao do F35 e que as vantagens do F35 podem portanto ser igualadas por aviões ditos de geração anterior. Um dos trunfos do F35 é a sua capacidade tecnologica, esse trunfo pode ser facilmente igualado no futuro com o desenvolvimento de tecnologias provenientes de outras fontes/empresas/nações. Aliás esse trunfo pode mesmo ser igualado hoje, caso num conflito a situação seja a menos ideal para o f35 e o mesmo não consiga usufruir do melhor das suas capacidades e dependa, por exemplo ou quem saiba, das que… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Podem, primeiro os outros países precisam desenvolver tecnologias equivalentes e, segundo, isso aumentaria os custos das aeronaves. Se não me engano o Eurofighter e Rafale já custam mais que o F-35 embora tenham manutenção mais barata.

Temos exemplos de caças como o Mig-21 e F-5 sendo modernizados para padrões muito próximos dos de 4° geração. E por isso tem conseguido bons resultados nos exercícios.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

De facto, ambos esses aviões europeus são caros, são projectos que foram traumatizados na vertente económica local e internacional, lançados para um mercado cada vez mais selectivo e nacionalista. Acredito no entanto que a longo prazo não sejam assim tão caros. Algumas coisas correram mal, se formos a ver nem sequer eram para ser dois mas sim apenas um. Acredito que a continuidade de uma fiel persistência no conceito de uma Europa mais unida em todas as vertentes militares beneficiará projectos como o Rafale, eurofighters, futuros aviões e meios terrestres e marítimos. Vemos as empresas de defesa dos países europeus… Read more »

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Mais uma coisa, vi por exemplo nos comentários lá para baixo alguém dizer que o f35 detectava um disparo de artilharia a 1000km. Eu nem digo que não, só me espanto é o que mais vais ele detectar nesses 1000km: uma parafernália de ruídos, em vários “espectros”, domésticos e militares, invalidando muita da informação que recolhe. A mil km um disparo de artilharia é um camião a acidentar se contra um muro.

JPC3
Visitante
JPC3

Acho que ele se referia a um míssil balístico que foi detectado a 800km pelo DAS.

Embora eu concorde que disparo de artilharia seja insignificante, detectar o lançamento de um míssil de longo alcance seria algo bem útil como parte de um sistema de alerta.

Mas sei muito pouco sobre essa capacidade

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Míssil balísticos ok, faz mais sentido.

MFB
Visitante
MFB

Acho que entrei naquele site russo. Só acho.

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Não, você entrou num site de imparcialidade onde as matérias são divulgadas independentemente se favorecem um ou outro. Se também você for imparcial verá que não lhe fará confusão.
Nota:no máximo seria francês, não russo.

francisco
Visitante
francisco

Prontol Agora vão dizer que esse site é de cumunistas.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Kkkkkkk Isso nao vai acabar nunca. Vao pregar o Galante e editores na cruz por divulgar mais essa matéria. Q comece os jogos. Pior q tem td logica sim a matéria.

Gilmar
Visitante
Gilmar

Kkkk pensei o mesmo. Esse Galante não tem jeito.

Washington Menezes
Visitante
Washington Menezes

O Problema não é o Galante e sim o F35

Gilmar
Visitante
Gilmar

Rapaz, você tem muita coragem.
Por estas bandas falar que o F-35 é problema, é sinônimo de problemas rsrsrs

GripenBR
Visitante
GripenBR

Não mate o memsageiro! Rsrsrs

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

E consegue guiar um foguete do tipo himars para algum alvo?

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Pensei que era uma declaração oficial da USAF…

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Putz! Sacanearam os F-35zetes!

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Boa, Coronel.

André
Visitante
André

Daqui a pouco vai aparecer um grupo de especialistas internacionais que depois de muita análise e estudos completos, chegam a conclusão que o F35 tem um tripulante, um motor a jato e duas asas igual ao P80…

E alguém vai falar: olha lá, eu sempre disse que apesar do grande número de vendas, não vale o quanto custa.

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Não sei porque as críticas ao site. Mostra independência em relação aos assuntos aqui postados sem fazer achismos e apenas nos trás informações variadas sobre os temas aqui abordados. O fato é que veremos quem é mesmo somente estando os caças em combates dissimilares, coisa difícil de acontecer, pelo menos por enquanto ou num futuro próximo. Afora que muitas informações sobre sistemas de combate avançados são restritas ao público. Enfim.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Muita especulação em cima de algumas entrevistas com pilotos, que não estão autorizados a liberar informações sigilosas sobre o desempenho da aeronave. Um fato importante e certo sobre o F-35 é a complexidade de sua arquitetura de software, que tornará dispendiosa e lenta as atualizações futuras.
No quesito fusão de dados, a FAB estará muito bem servida com o Gripen E/F + WAD da AEL.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Esse F-35 faz coisas.

Flamenguista
Visitante
Flamenguista

No quesito beleza….

_RR_
Visitante
_RR_

A analise praticamente ignora o DAS… Com esse sistema, o F-35 tem literalmente uma visão IRST em 360°, o qual é capaz de prover ao F-35 dados de artefatos a mais de 1000km de distância! É noticiado ser tão sensível ao ponto de localizar o disparo de canhões em solo!

Somado a isso, toda a gama de sensores faz do F-35 quase uma plataforma ELINT.

O ‘Rafale’ e os demais eurocanards, apesar de avançados, estão a anos luz disso…

nonato
Visitante
nonato

Desconheço detalhes.
Mas acho que é por aí.
Afinal de contas falar que o Rafale tem fusão de dados não é novidade nenhuma.
Nem falar que muitos caças da Otan têm datalink.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

A que altitude o F-35 precisa estar voando para conseguir esse tipo de detecção e como o processador central vai distinguir o disparo da artilharia de outros eventos etc que estejam ocorrendo numa área de combate saturada?

Não sei, mas acho meio que improvável.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Esse F-35 está caminhando para ser o maior e mais caro fiasco da História militar.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Eu acho q nao caminha nao. Acho q ta é correndo em diaparada. Só acho.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Parece cada vez mais realista a tendência da Rússia em usar os confiáveis e poderosos Su-35.
Força bruta no ar.

Heu
Visitante
Heu

Perdeu uma oportunidade de esconder sua ignorância sobre o tema. O F-35 já é sucesso de vendas e de performance.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Claro que é sucesso de vendas. Goela abaixo do contribuinte americano.

JPC3
Visitante
JPC3

E com os aviões russos é diferente?

Que vendem bem para ditaduras sem concorrência nenhuma?

13 Países escolheram o F-35 mesmo tendo diversas opções oferecidas pelos EUA e pela Europa.

Já outros se saem bem quase sempre nos mercados de países embargados como Venezuela e China que não podem escolher Rafales, Eurofighers ou caças americanos.

Paulo Souza
Visitante
Paulo Souza

Não inocente. Empurraram a 13 países o F35. E irão empurrar a mais.

JPC3
Visitante
JPC3

Até que ponto? Muitos desses países poderiam ter escolhido F-16, F-15, Rafale, Eurofighter, e F/A-18, mas escolheram o F-35.

Aliás, a maioria foi convidada a participar do programa e aceitou comprar o F-35 antes mesmo que ele existisse ou estivesse perto de ficar pronto.

Em parte é verdade que os EUA fazem pressão, mas isso outros países também fazem. Como eu disse antes, outros vendem bem em países embargados que não tem a opção de escolher entre diversos modelos.

JPC3
Visitante
JPC3

A maioria dos países é parceira do programa e tem investido nele (ou estão comprometidos com ele) desde o início. E muitos desses países estão tendo a liberdade de diminuir as encomendas, mesmo com a pressão dos EUA. Outros estão aumento o número de pedidos.

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
Visitante
PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES

Ainda com esse discurso de que os países são livres para escolher?
Mesmo depois da venda casada para Israel, ameaça de sansões a Turquia, China e índia por comprarem equipamentos Russos, dentre tantas outras coisas.
Menos né, poucos países são livres realmente para escolher qual equipamento e de quem vão comprar.

JPC3
Visitante
JPC3

A maioria dos compradores do F-35 são parceiros do programa. Que começaram com sua participação desde o início.

No caso Turquia, eles mesmos protestaram quando os EUA cogitaram suspender as vendas caso comprassem o S-400.
Isso é ser obrigado???

Não deveriam os turcos ter agradecido por se livrar de um avião ruim???

Sim, realmente os EUA fazem pressão, mas certa liberdade também existe.

JPC3
Visitante
JPC3

O Japão não poderia ter comprado novos F-15X no lugar de 145 F-35?

Teria atendido a vontade dos EUA e ainda ajudado a Boeing, mas não, escolheu o F-35.

Leandro
Visitante
Leandro

Voce nao sabe o que diz, a India sempre comprou caças russos e comprará, como também sempre comprou caças frances, agora quem dependia dos USA como o Paquistao, virou a casaca e casou com a China….
Sansoes a Turquia, mas os F35 chegaram lá rsrsrs, A China depois que copiou dos USA e Russia nao precisa de russos… que coisa mano

francisco
Visitante
francisco

Quem faz parte da OTAN tem que comprar quer queira ou não. Trump manda eles compram.

ODST
Visitante
ODST

Sucesso de vendas entre aspas né? Qualquer coisa militar que o EUA faça pode facilmente de tornar um sucesso, não apenas porque eles compram de baciada, mas porque também acabam sempre “entubando” os produtos em seus “aliados”. No mundo militar também tem dessas, vende mais quem tem mais aliados, e quanto mais ricos eles forem, melhor, e nisso não tem como competir com o EUA. Por isso repito, o caça é um sucesso de vendas entre aspas.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

C.q.d. – Como queríamos demonstrar.

WFonseca
Visitante
WFonseca

ODST, o F35 não é qualquer coisa… é o maior, mais complicado, mais caro programa militar da história, 3 caças em um só projeto. Segundo a Lockheed: “the most lethal, survivable and connected fighter aircraft ever built”. Historicamente os EUA fazem o que há de melhor ou ficam próximos não só em armas mas em qualquer segmento: medicina, física, hardware, software, entretenimento, universidades etc. Negociações e concorrência existem mas eles não precisam entubar…

Tiago
Visitante
Tiago

Eu concordo que o F-35 não é, de forma nenhuma, um fracasso. O programa se tornou grande demais pra permitirem que ele fracasse. Mas também não acho que seja toda essa maravilha que a Lockheed-Martin alardeia. Acredito sim que muitas nações compraram ele por pressão política dos EUA – e isso me lembra de como eles conseguiram empurrar as primeiras versões do F-104, com Washington e a Lockheed agindo de forma vergonhosa pra emplacar algumas dessas vendas – ou de algum inimigo externo exigindo uma resposta a altura – notadamente o caso do Japão. Que muitos desses países prefeririam outros… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Mas independente de grandes compras, aliados, etc.
Que outras opções boas ou melhores há?
Muitos caças americanos não emplacaram ao longo do tempo e foram substituídos.
Comprar caça ruim significa risco de perder uma guerra.

André
Visitante
André

Maior fiasco, disparado, é o su57. O único cliente já o rejeitou alegando que não atendia aos requisitos do processo, o dono do projeto fez uma encomenda ridícula de 12 unidades, e os amantes dos aviões russos nem lembram mais dele, estando agarrados ao su35.

100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Fiasco ou não, adorei as fotos do interior do bichão. Dá para se imaginar pilotando.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Verdade… É demais o cockpit

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Tem um post meu aguardando aprovação com link de duas matérias, mas segue algumas partes dela pra quem quiser ler. “…Apesar de contar com o receptor de alerta radar RWR – (Radar Warning Receivers) ASQ-AAQ-37, o Barracuda não deve ser confundido em sua aplicação ESM com os RWR tradicionalmente utilizados em caças de quarta geração. O RWR legado prioriza a rápida detecção e alerta dos sinais de radares em volta da aeronave, porém com baixa precisão na geolocalização da fonte emissora. É otimizado para a rápida transferência de dados, coletando apenas dados suficientes e realizando apenas o processamento necessário para… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Muitos acham que 5° geração é apenas furtividade.

Vi um analista russo dizendo que eles se preocupam mais com a eletrônica do F-35 que com a furtividade. Se me lembro bem ele também diz que quase metade do que foi gasto com o F-35 foi gasto na parte de eletrônica.

JPC3
Visitante
JPC3

Se não me engano foi aqui.

Se não for mesmo assim vale assistir.

JPC3
Visitante
JPC3

Botei o link. Tem que esperar publicarem.

Caso não seja esse ainda assim vale a pena assistir.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

grato pelo vídeo JPC3

JPC3
Visitante
JPC3

Por nada.
Abraço.

Tiago
Visitante
Tiago

Se paramos pra pensar, uma dúzia de fotos de alta resolução – disponíveis aos montes na internet
– entregam todos os dados necessários pra analisar os ângulos da superfície de um F-22 ou um F-35. Daria pra uma junta de engenheiros aeronáuticos destrincharem esse aspecto de ambos e desenvolver radares capazes de lidar com ambos ou fazer seus próprios caças de Geração 5 se a questão fosse o que está por fora.

É o que está sob a fuselagem, toda a tecnologia empregada pra transformá-los em “super computadores voadores” que faz serem de fato caças de Geração 5.

Felipe Silva
Visitante
Felipe Silva

Fascinante. O F-35 é, de fato, o caça dos sonhos!

WFonseca
Visitante
WFonseca

Artigo pouco crível, a começar com “cujas capacidades “stealth” são desafiadas por novas tecnologias de radar e cujas capacidades de combate dogfight foram demonstradas como inferiores às dos primeiros F-16” – Um caça de 5ª geração terá vantagem sobre outro de geração anterior, o radar que detecta um F35 antes irá detectar o Rafale, o Typhoon, o Gripen etc. Por que franceses e alemães projetam uma plataforma furtiva como o FCAS? Porque russos e chineses insistem em projetos furtivos? Quanto à comparação de manobrabilidade com F16 é perda de tempo comentar. Apesar da fusão de dados do F35 não ser… Read more »

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

é…
mas os amantes russos piram a cada notícia negativa sobre o F35

Paulo
Visitante
Paulo

E os amantes dos EUA choram…

Eder
Visitante
Eder

Todos falam do f35 mas até agora nenhum s300 e 400 o viram fez o que quis na Síria e libia

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

vamos ver quando aprova meus comentários.

Heu
Visitante
Heu

Deve ser por isso que o F-35 já é um sucesso de vendas entre as forças aéreas mais avançadas do mundo: porque é um caça medíocre.

– Jornalismo hoje em dia é, em grande parte do tempo, especular invejosa e presunçosamente sobre boatos, com uma gramática, muitas vezes deficiente.
– Consumir notícias hoje em dia é, na maior parte das vezes, perder tempo.

Marcos10
Visitante
Marcos10

O texto é bem claro: se refere a fusão de dados.
O F35 tem outros recursos, evidente, e será por muitos anos superior às outras aeronaves.
Em algum momento, dada a quantidade de pedidos dos EUA, os custos da aeronave vão cair. Mas ainda sim será uma aeronave cara, muito cara de manter. E a medida que a aeronave envelhecer, mais cara ainda se tornará.

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Já que é assim, então que se planeje um vstol no Grippen e teremos um caça praticamente de 5a geração e quem sabe exportar com o valor do f35. (modo irônico e sarcástico) st4

JPC3
Visitante
JPC3

A Fonte é francesa, se olharem no site da para ver que é patrocinada pela Dassault.

defense-aerospace.com is published by :
Briganti et Associés
19 Bld du Parc
92200 Neuilly Sur Seine (France)
Tel : 01 47 47 49 34 – Fax : 01 47 47 60

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Sempre checo a fonte… fui procurar no Janes… nada encontrado

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Fico imaginando como será a “fusão de dados” do su-57 ou do ching ling…devem ser avassaladoras…

Dr. Telêmaco
Visitante
Dr. Telêmaco

Como será não sei, mas vai melhorar, especialmente depois que a Turquia receber seus F-35 rsrsrs

Augusto L
Visitante
Augusto L

Resumindo o Rafale apresenta os dados em um único panel mas cabe ao piloto direcionar os sensores e tomar atitudes como qual alvo deve se priorizado ou não.
No F-35 é tudo automático o piloto só pilota e dispara.

Madmax
Visitante
Madmax

Depois de 36 horas para tirar um motor (daria tempo para desmontar o motor inteiro) quem quer saber de fusão de dados.

JPC3
Visitante
JPC3

Várias pessoas da mídia especializada estão contestando se essa informação está correta. Um dos pesquisadores é militar da FAB e especialista em mecânica de aeronaves militares.

Tem um vídeo no canal Arte da Guerra sobre isso.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Postei um texto completo sobre as reais capacidades de fusão de dados do F-35 e a maioria continua ignorando… da uma lida pessoal, depois montem sua opinião

JPC3
Visitante
JPC3

Acho que muitos preferem continuar equivocados, amigo.
Fazer o quê?

Um abraço.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Nossa !!!

Suspendam a compra do gripen porque o rafale e melhor caça do mundo em todos os tempos …so que nao ….kkkkkk

Infelizmente, com essa guerra midiática nos EUA, tudo que vem de la e suspeito.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

fusão de sensores visa dar consciência situacional ao piloto, nesse quesito o único que se sabe que chega perto é o Gripen NG

maurizio souza
Visitante
maurizio souza

Esse texto, independente do resultado da análise, é uma ótima forma de aprendizado sobre técnicas de Inteligência.

Carta Branca
Visitante
Carta Branca

Truque velho dos europeus, iguala uma capacidade pelo cenário mais simples e depois sai vendendo que é igual pra pegar compradores desinformados, fazem a mesma coisa com carros, oferecem n itens, garantem que tudo é igual aos competidores até você usar e descobrir que não é bem assim, tem que ficar esperto nos asteriscos embaixo dos portfólios. Analisando apenas por números, quem tem sensores com maior energia, maior espectro de banda, cobertura 3D maior e computador com mais capacidade de processamento, terá melhores resultados em fusão de dados, por mais qualidades que tenham os sensores, o computador e o software… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

Nada que ate o Saab não faça com acompanhamento de 20 objetos simultaneamente, não entendi o pq do alvoroço

Mauro Oliveira
Visitante
Mauro Oliveira

Critiquem a vontade. É a diferença de sair de um Garmin G500 pra um G1000 NXI com o Synthetic vision. Uma coisa é o AWACS te dar a posição do alvo no sistema BRA. Outra é você ver onde ele está na sua tela. No F-16 você vê a situação horizontal e os alvos mudam de cor com a altitude. Mas no dia que eu ví o Gripen e o Typhoon mostrarem também a situação vertical, eu pirei, No F-16 você acessa muitos sistemas pelo ICP(aquele teclado numérico) e visualiza dos dados pelo DED(aquele visorzinho retangular ao lado), é como… Read more »

kemen
Visitante
kemen

Custo / beneficio do F-35 é baixissimo, na minha opinião não vale o preço e, acrescentando que a sua furtividade vem sendo superada ao ponto de no futuro o fato de ser stealth não permitira ganhar aqueles segundos (ou minutos) a mais na detecção pelo adversario, pelo desenvolvimento tecnologico dos radares, já tem russo dizendo que tem radar que detecta facil (falta confirmar se é verdade). O que falta ao F-35 é testa-lo em combate com adversarios a sua altura.
Isso vale para todos os stealth sejam de onde forem.

Henrique de Freitas
Visitante
Henrique de Freitas

Vendo essa reportagem, a única certeza que tenho é que a FAB está certíssima em usar 1 wide display.
Abraços

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Não entendi, para fazer fusão de dados não precisa de wide display.

Felipe Silva
Visitante
Felipe Silva

Isso aí é lobby pra vender o Jacale. Nem dá pra comparar

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
Visitante
PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES

Hum… fico só lendo. Sai um defeito que especialistas da aera comentam : “ nossa eles não sabem de nada, só criticam o avião, e porque não conhece que o fabricante disse isso é isso.” Saí um comentário de pilotos: “ é porque eles não podem revelar segredos”. Saí um comentário de revistas especializadas: “ não é porque tão fazendo looby contra, para vender outros caças”. Saí um comentário de especialista dos EUA : “ não é porque esse cara nunca gostou do F35”. Saí um comentário do próprio Pentágono: “ não é lobby para ganhar mais dinheiro”. Tão reboando… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

Qual comentário de pilotos fala mal do F-35?

Vou deixar um comentário de piloto.

Marcinelli
Visitante
Marcinelli

Será que tem uma versão em português, JPC3?

JPC3
Visitante
JPC3

É que muitas das críticas são feitas com base em informações e interpretações erradas. Algumas sim são verdadeiras, principalmente as que se referem os inúmeros problemas, atrasos e aumentos de custos.

Nada é perfeito.

Paulo
Visitante
Paulo

Está descontente jpc3 vai para outro site, simples assim.

JPC3
Visitante
JPC3

Por que está se sentido contrariado?

E não reclamei do site.

JPC3
Visitante
JPC3

Se você procurar fundamentos para o escreve menos pessoas irão discordar da sua opinião.

PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES
Visitante
PEDRO HENRIQUE PEREIRA SOARES

Mano, não sou especialista, mas tenho inteligência para computar dados e verificar intensões. Infelizmente muito dos cometerias pro f35 logo vem defender , desacreditar as matérias e tal, e ignoram totalmente a exorada de problemas volta e meia surge. Não estou falando que o avião e ruim ou pior que A ou B , apenas o seguinte. Pro f35: “Há so acredito quando o Israel diminuir as compras”. Israel diminuem as compras Pro f35: “ na verdade isso é normal, apenas complementando”. Pro f35: “ há so acredito quando os EUA diminuírem o lote”. EUA vai atualizar f15 no lugar… Read more »

Paulo
Visitante
Paulo

Parece um painel do Ônibus da Volvo.

Chris
Visitante
Chris

Da pra perceber nitidamente que a intenção da matéria é menosprezar o F-35 !

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Não acho

JPC3
Visitante
JPC3

A fonte dá a entender que a fusão de dados do F-35 e do Rafale são iguais. Além de incluir comentários sobre agilidade e furtividade. Se fosse séria saberia não misturar as coisas.

Augusto L
Visitante
Augusto L

É tendênciosa pq a fusão não é igual.
Por favor leiam sobre o assunto.
https://tecnomilitar.wordpress.com/2018/12/22/fusao-de-sensores-e-o-dominio-da-informacao/

JPC3
Visitante
JPC3

Gosto muito desse site. O Ricardo é especialista em mecânica de aeronaves militares e sei que ele procura as informações o máximo possível. Fez até uma participação no canal Arte da Guerra.