Home Aviação Comercial Terceiro avião C919 conclui voo inaugural

Terceiro avião C919 conclui voo inaugural

2644
20

O avião C919 ​​AC103 pousou no Aeroporto Internacional de Shanghai Pudong com segurança às 12h45 de 28 de dezembro de 2018, completando com sucesso seu voo inaugural e indicando que um total de três aeronaves C919 entraram na fase de testes de voo.

O C919 AC103 voado pelos pilotos de testes Xu Yuanzheng e Zhang Jianwei e levando o Observador Cai Jun e os Engenheiros de Teste de Voo Lai Peijun e Wang Tao decolaram da quarta pista do Aeroporto Internacional de Shanghai Pudong às 11h07 e subiram no céu depois de rolar e apontar o nariz da aeronave para cima. O C919 AC103 completou 21 pontos de teste durante um voo de 1 hora e 38 minutos.

Após este voo, C919 AC103 voará para Yanliang de Xi’an a tempo de realizar os testes de voo tais como teste de flutter, calibração de velocidade, teste de voo de carga, teste de voo de estabilidade de controle e de performance.

Atualmente, duas aeronaves C919 estão realizando testes de voo simultaneamente em diferentes locais, como Yanliang, de Xi’an, Dongying, de Shandong, e Nanchang, de Jiangxi.

Outras três aeronaves estão em processo de submontagem e montagem final dentro do cronograma, e todas as seis aeronaves de teste de voo estão planejadas para serem colocadas em voo e certificação no próximo ano.

FONTE: COMAC

NOTA DO PODER AÉREO: Fabricado pela Commercial Aircraft Corporation (COMAC) estatal da China (COMAC), o C919 será capaz de transportar até 174 passageiros a uma distância de 5.555 quilômetros.

O C919 é uma aeronave narrow-body que vai tentar competir com o A320 da europeia Airbus e o Boeing 737 norte-americano, líderes de mercado.

Segundo estimativas, para atender a demanda de voos de turismo, a China vai precisar de cerca de 6.000 novos aviões deste porte nos próximos 20 anos.

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Flamenguista
Flamenguista
1 ano atrás

Só a demanda interna já vai transformar a aeronave num sucesso de vendas!!

JPC3
JPC3
Reply to  Flamenguista
1 ano atrás

Depende, se o governo obrigar as empresas a usarem o avião (ou der fortes incentivos) certamente sim. Porém, se as empresas tiverem liberdade e ele tiver que competir diretamente com Boeing e a Airbus os resultados são imprevisíveis por enquanto.

JPC3
JPC3
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Acredito que não. Mas caso o avião chinês não seja equivalente ou superior aos Boeings e Airbus temos que saber até que ponto eles podem obrigar as empresas a perderem competitividade com as outras.

JPC3
JPC3
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Se for superior então deverá ser um sucesso.

Andrigo
Andrigo
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Ou seja, mais um sujeito a embargos.

Doug385
Doug385
Reply to  Andrigo
1 ano atrás

Isso é um problema dos sinos. O que me preocupa mais é o futuro da Embraer…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Andrigo
1 ano atrás

O problema. depois, é o que vem na contramão.

Ricardo Campelo
Ricardo Campelo
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Nossa, são muitos componentes norte americanos!!! Dessa forma não conseguirão vender para o Irã!!! Mas realmente essa aeronave já se dará muito bem com o próprio mercado interno da China.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Ricardo Campelo
1 ano atrás

Uma coisa é a Russia com embargos outra é a China sem embargos e em guerra comercial, é muito provável que os Persas acabem por comprar dos Chineses.

pedro ricardo carvaho
pedro ricardo carvaho
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

concorrente ´serio principalmente pelo preço sugerido uns 25% abaixo dos concorrentes

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Toda empresa chinesa presta contas ao Partidão…. Se eles mandam, vc obedece. Simples assim.

Senão do dia pra noite vc perde sua licensa ou “crédito social” e já era.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Rui Chapéu
1 ano atrás

Eu não sei aonde vai ser superior.
Esses subsistemas não fazem um avião ser bom. É somente o básico.
Esse C919 vai ter MTOW menor, alcance menor e consumo maior.
Pode desistir de competir no mercado ocidental desenvolvido.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Li, ontem, interessante reportagem sobre os planos da China de assumir a posta no setor aeronáutico. Inicialmente, com empresas de navegação aérea de todos as áreas.
Depois, no setor de construção.
Muito interessante.

smichtt
smichtt
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Poderia informar o link desta reportagem? Obrigado.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  smichtt
1 ano atrás

Foi no Aeroflap. Vou procurar o link.

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

Tai uma das explicaçoes pelo interesse da Boeing na Embraer….

Wellington Góes
Wellington Góes
1 ano atrás

É este o próximo passo da Embraer, desenvolver um concorrente direto aos A320 e B737, na qual a Boeing está tentando evitar que aconteça, ou seja, deixar que outro concorrente entre no seu mercado. Quem está gostando disso? As próprias Airbus e Bombardier, esta última agradecendo à parceria cara-c* dos “brasileiros ispertos”, pois uma forte e promissora marca desaparecerá do mercado.