Home Aviação de Ataque Força Aérea Indiana vai construir 108 novos hangares reforçados

Força Aérea Indiana vai construir 108 novos hangares reforçados

8948
38

A Força Aérea Indiana (IAF) iniciará em breve a construção de 108 Next-Generation Hardened Aircraft Shelters (NGHAS) para sua frota de caça em várias de suas bases no nordeste da Índia, perto da fronteira do país com a China.

Fontes oficiais disseram ao Jane’s em 7 de janeiro que os NGHAS, que serão feitos de concreto e custam um total estimado de INR 55 bilhões (US$ 788 milhões), serão construídas em Tezpur, Chabua e Hasimara para proteger os caças da IAF, como os Sukhoi Su-30MKI bem como 18 dos 36 aviões de combate Rafale que Nova Deli encomendou à França em 2016.

Oficiais da IAF disseram que os novos hangares são projetados para proteger os caças, mesmo que atingidos diretamente por uma bomba de 2.000 libras, e devem ser equipados com portas de ferro para minimizar as chances de danos de fragmentação nas plataformas em um ataque com mísseis.

FONTE: Jane’s

NOTA DO PODER AÉREO: Nas imagens abaixo, uma bomba SDB (Small Diameter Bomb) penetra um hangar reforçado em testes.

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLASTARGINO
DOUGLASTARGINO
1 ano atrás

Próxima guerra vai ser na Ásia! Cada vez mais os países lá estão se preparando para uma possível guerra!

José Luíz
José Luíz
1 ano atrás

Certo que a utilidade de um hangar protegido nos dias de hoje é algo controverso, com o advento das armas inteligentes. Mas ainda serve para proteger digamos de ataques com morteiros ou drones, coisas de leve.

Mas uma pergunta para os editores e para os fabianos. Alguém sabe por que este tipo de estrutura não existe nas bases aéreas brasileiras? Em toda a sua história a FAB nunca cogitou em utilizar algo parecido em suas bases?

Notar que existem alguns tipos de hangares de concreto em bases aéreas do Peru, do Chile e no sul da Argentina.

DOUGLASTARGINO
DOUGLASTARGINO
Reply to  José Luíz
1 ano atrás

Acho que deve ser por economia mesmo e de sempre pensarem que não vão precisar usar (os políticos).

Luiz Paulo
Luiz Paulo
Reply to  José Luíz
1 ano atrás

O Chile possui hangares reforçados em.enquique e no sul acho que antofagasta.

Dodo
Dodo
Reply to  José Luíz
1 ano atrás

Simples, nossas bases aéreas estão localizadas em região profunda do território nacional, distante de pontos de decolagem de aeronaves das forças aéreas vizinhas(diferentemente desses países mencionados, cujas bases aéreas se localizam no alcance dos caças adversários. Ex: la roja no Peru e iquique no Chile). Um avião que tente bombardear uma base da fab teria que penetrar profundamente o território brasileiro e a essa altura já estariam no ar os interceptadores( isso considerando que os atacantes possuem capacidade de revo). Portanto como você mesmo disse, não faz sentido investir esse tipo de estrutura(cuja a utilidade e eficiência é discutível), investindo… Read more »

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Sorte que o Mundo se resume à América do Sul e ainda não inventaram os mísseis de cruzeiro. Estamos seguros!

Dodo
Dodo
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Sorte que um hangar desses consegue impedir o ataque de um míssil de cruzeiro né? Bem eficaz esse sistema….

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Não seja leviano! Não apontei as qualidades ou deficiências de um bunker comum. Quis apenas demonstrar a falácia de sua ‘teoria’ geográfica.

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Caro Rafael_PP.
A colocação do Amigo Dodo “não é falácia”, muito menos “teoria”. Do ponto de vista geopolítico – e de conhecimento estratégico, é simples, objetivo e bastante preciso, ok?

eooanso
eooanso
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Se ele for bem projetado por que não, a questão é o custo

Denis
Denis
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Bom dia, Rafael_PP. Pessoalmente, não acho que nenhuma das potências que possuem mísseis de cruzeiro tenha intenções reais de nos bombardear.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Porém temos uma grande deficiência, não temos uma defesa AAe crível.
E se formos atacados por países mais capazes ou que dêem suporte a um agressor, nossa aviacao de combate irá para o saco em poucos minutos de guerra.
Que mania de brasileiros acharem que nossa maior ameaça está na vizinhança.
Um belo dia terão uma surpresa muito amarga!

Humberto
Humberto
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

Quem teria poder bélico para atacar o Brasil?
HOJE somente os americanos e iria fazer isto por que? E se for os gringos, não vai ter sistema de defesa aérea que possa segurar eles.
China ? Vai viajar meio mundo para atacar o Brasil? Guerra antes de mais nada é logística.
Para atacar o Brasil, um pais vizinho teria que ser a ponte, Argentina ou Uruguai para dar apoio a uma invasão por terra ou mesmo aéreo.
Creio que existem demandas mais importantes do que defesa AntiAerea.

elton
elton
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

se algum dia uma superpotencia atacar o Brasil pode ter certeza que mesmo que 2% DO PIB todo ano fosse apenas para comprar equipamento eles arrasariam nossa infraestrutura militar sobrando apenas unidades de infantaria como força de combate efetiva

Guizmo
Guizmo
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Discordo. Natal e Sta Cruz estão na costa, capazes de serem atingidas por ataques vindos do mar. Canoas e Sta Maria próximos da fronteira argentina. Manaus, Belém e Fortaleza não é são longe da fronteira venezuelana. Apenas Anápolis está entrincheirada Brasil adentro

Daniel
Daniel
Reply to  Guizmo
1 ano atrás

Guizmo
Acredito que bombas penetrantes ou perfurantes anti-bunker e anti-hangar de concreto somente podem ser lançadas de aeronaves, aí faria sentido o que o colega acima disse.
Partindo deste princípio, das bases que você citou, vejo “risco” Manaus, Canoas e Santa Marina, por estarem próximas às fronteiras terrestres. As demais bases estão distantes.

Dodo
Dodo
Reply to  Guizmo
1 ano atrás

Que país que hj possua porta aviões(hipótese de ataque pelo mar) vai atacar o Brasil? Utilizando qual ponto de logística no Atlântico Sul? Vamos lá, as do Norte que você mencionou, a Venezuela não possui capacidade revo, nao chega nem a alcançar a cidade de Manaus. Canoas e Santa Maria seriam atacados por quem ? Que medo dos a4/ pucara argentinos e dos poderosos a37 uruguaios. As do centor oeste nem comento nada, quem vai bombardea-las ? Os k8 bolivianos ou os tucanos versão anos 80 do paraguai ? Isso sem nem entrar no mérito da eficiência desses hangares

Guizmo
Guizmo
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Meu jovem Dodo, se acalme pra começar, não há necessidade de tanta excitação. Sobre ataques vindos do mar, só é possível via Porta-Avioes?? Claro que não, como vc bem sabe mas convenientemente se esquece, escoltas de diversos países carregam mísseis de longo alcance para atacar alvos em terra. Sobre a Venezuela, vimos recentemente atividades de bombardeiros russos na região. Agora, baseado em sua teoria, só devemos nos preocupar caso, e somente caso, nossos vizinhos começarem a se armar. Eu respeitosamente discordo de suas ideias

Jorge F
Jorge F
Reply to  Dodo
1 ano atrás

E a Ala 4 antiga Base de Santa Maria, não sempre esteve próxima a fronteira com a Argentina. Por sinal a pista lá é de concreto…

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Será que a ‘Mãe de Todas as Bombas’ chinesa não pulveriza isso?

jagderband#44
jagderband#44
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Não.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Até pode pela potência , mas tem tipo de bombas bem menores e mais baratas especializadas em furar e explodir estruturas de concreto.

CRSOV
CRSOV
1 ano atrás

Sinceramente vai ser um gasto em vão pois as bombas mais modernas atualmente em uso podem romper facilmente esta estrutura e destruir ou inutilizar a aeronave !!

LBacelar
LBacelar
Reply to  CRSOV
1 ano atrás

Podem de fato, mas a estrutura visa mais proteger as demais aeronaves que estejam fora do ponto de impacto, evitando assim que a explosão oriunda da detonação de uma ANV destrua várias em série. Uma estrutura do tipo poderia ter mudado o destino da Força aérea egipicia nos ataques preventivos da Guerra dos seis dias, acredito eu!

elton
elton
Reply to  LBacelar
1 ano atrás

mas naquela epoca a ideia de hangares reforçados seria para garantir alguma capacidade de uma base se manter operacinal em caso de ataque nuclear ,cenario esse que era desenhado na europa mas se tornou desejado por paises com problemas com vizinhos com razoavel capacidade aerea depois das guerras arabes israelenses

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

Drones.

Ano passado, um ataque de drones danificou seriamente diversas aeronaves numa base russa na Síria, pois as aeronaves estavam expostas. E isso foi feito pela ISIS na base da gambiarra, com drones comerciais.

Os russos obviamente culparam os americanos por apoiar os insurgentes, pois acreditavam que eles não teriam como fazer sozinhos…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Não foi o ISIS, visto que a região mais próxima era disputada ente o Governo e os jihadistas apoiados pelos EUA e Israel.
O ISIS, na verdade, nunca chegou nem perto daquela região.

Henrique de Freitas
Henrique de Freitas
1 ano atrás

Useless!

R22
R22
1 ano atrás

Pelas fotos do editor fica claro que a estrutura reforçada não impede que bombas dedicadas destruam as aeronaves mas aparentemente ela resiste bem à explosão, o que impediria que outras estruturas ou aeronaves próximas sejam também danificadas. Acho que o maior objetivo seria evitar assim o “efeito dominó “.

sub-urbano
sub-urbano
1 ano atrás

O Irã fez um amplo ataque as bases do Iraque em uma grande operação durante a guerra Irã-Iraque. No entanto os iraquianos haviam reforçado os hangares dias antes, logo apos o ataque israelense a Osirak. As perdas foram minimizadas devido a isso. Nao fosse esse fato os iraquianos teriam perdido quase toda sua força aérea em um unico dia.

José Luiz
José Luiz
1 ano atrás

Bem independente do debate da sua utilidade, realmente é bem estranho que bases da FAB como Canoas, Santa Maria, bem próximas da fronteira não tenham nenhum tipo de abrigo reforçado, ficando as aeronaves nos hangaretes ou em hangar comum. Um ataque de comandos ou terrorista que use um morteiro de 81 mm faria um estrago violento.

elton
elton
Reply to  José Luiz
1 ano atrás

o Brasil usa a tatica de dispersão parecida com as dos suecos na guerra fria ,temos milhares de aeroportos para onde as aeronaves podem se dispersar e operar apenas paises com poucas opçoes de aerodromos prescisam fortificar suas bases aereas que em ultimo caso podem se tornar cidadelas e ultimas linhas de defesa alem de abrigo para forças terrestres em operaçoes de combate

henrique
henrique
1 ano atrás

nossas bases estão desprotegidas contra ataques assimetricos…..uma simples metralhadora disparada de fora da base pode dar cabo de nossos aviões.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Proteger caças em hangares reforçados é mito. Já foi provado que qualquer bomba de grande poder explosivo pode penetrar uma parede de concreto por inércia e uma vez dentro explodir. Em vez disso o pessoal deveria pensar em hangares dentro de montanhas. É um desafio de engenharia? Enorme! Mas para quem quer se defender da China…

Marcos
Marcos
Reply to  Luiz Trindade
1 ano atrás

No it is not We tend to see everything in isolation When in reality everything works in conjunction will multiple factors. An airbase is protected by 3 tier defence 1.fighter aircrafts organic to the base who will intercept enemy fighters trying to attack the base 2.air defence assets organic to the base like SAMs and CIWSs which will attack intruding enemy aircrafts , missiles and PGMs 3. EW systems / HAS / underground bunkers etc will provide last ditch protection against PGMs , missiles , rockets etc launch by enemy aircrafts. When the 3 tier defence will activate under attack… Read more »

Almeida
Almeida
1 ano atrás

Mas ô povo binário esse aqui do blog! Ou é ou não é! 8 ou 80! Sim, bombas inteligentes acertam, penetram e destroem facilmente esses hangares, porém o inimigo fica privado de muitas outras formas de ataque, como artilharia, morteiros, drones e bombas burras, dentre tantas outras. Apesar da existência das bombas inteligentes, estas são caras e tirando os EUA mais NENHUM outro país possui estoques enormes delas, o que faz com que o inimigo tenha que decidir se destrói os hangares ou outros alvos de alto valor militar, mas não todos. Então, sim, esses hangares ainda tem seu lugar… Read more »

Ademir Calonga da Silva
Ademir Calonga da Silva
1 ano atrás

Não é necessário ser especialista para concluir que a implementação/aquisição/construção de qualquer coisa na área militar se faz de acordo com a necessidade de defesa e dissuasão. E a necessidade de se defender e dissuadir um inimigo está exatamente na existência desse (existência de um inimigo), ou seja, na ameaça de ser alvo deste inimigo. A Índia vive um contexto de constante “atrito” e disputa territorial com o Paquistão, além de distar em torno de 3.000 Km da China, que sem sombras de dúvidas é uma potencia. Quanto ao Brasil, o último conflito regional foi a guerra do Paraguai e,… Read more »

Ademir Calonga da Silva
Ademir Calonga da Silva
Reply to  Ademir Calonga da Silva
1 ano atrás

Sobre a distância entre a China e a Índia, esta se refere à distância entre as capitais. China e Índia fazem fronteira e vivem em constante tensão, tal qual ocorre na fronteira Paquistão/Índia.