Home Aviação de Ataque Força Aérea Afegã realiza primeiras missões noturnas com A-29 Super Tucano

Força Aérea Afegã realiza primeiras missões noturnas com A-29 Super Tucano

14493
60
A-29 Super Tucano em missão no Afeganistão

A Força Aérea Afegã (AAF) realizou nas últimas duas semanas suas primeiras missões noturnas usando o avião de ataque leve Sierra Nevada Corporation/Embraer A-29 Super Tucano, de acordo com um executivo da SNC.

O vice-presidente da SNC, Taco Gilbert, disse ao Jane’s em 17 de dezembro que a aeronave tinha a capacidade de surtida noturna quando foi entregue pela primeira vez à AAF em janeiro de 2016, mas a força aérea nascente não tinha experiência suficiente para usá-la sozinha.

Gilbert disse que essas surtidas também foram a primeira vez que a AAF lançou munições à noite.

Ele disse também que a AAF utiliza muitas munições não-guiadas, já que a velocidade mais lenta do Super Tucano e a melhor visibilidade permitem um direcionamento mais preciso.

FONTE: Jane’s

60
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
44 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
38 Comment authors
BoscoThe Musketeerednardo curiscoandrepoa2002fernandoEMB Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Mas é bonito o bichinho!

Alguém sabe do que é feito aquela chapa de proteção dos pilotos?
E nossos ST tem elas ou não?

Luciano da Cunha
Visitante
Luciano da Cunha
Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Excelente esclarecimento, Luciano.

fabio jeffer
Visitante
fabio jeffer

Para um patriota como eu o que incomoda muitas vezes é lá fora, principalmente nos EUA, todos acharem que o Super Tucano é um produto genuinamente americano, onde o tal do Taco Gilbert fala da aeronave, pela aeronave, em nome da aeronave como se a Embraer não fosse nada.
Ou é só birra de minha parte

Vinícis Camuri
Visitante
Vinícis Camuri

Eles tem costume disso… Vide os irmãos Wright X Santos Dumont. Mas acho que no caso do Embraer, estamos assegurados por contrato. Além de, quanto mais ele vender nos EUA, mas a Embraer recebe, afinal ela não poderia vender lá sem eles, não é?!

WFonseca
Visitante
WFonseca

“Eles tem costume disso…” Camuri – Apenas brasileiros dão a Santos Dumont o título de inventor do avião. No que pese a importância dele como pioneiro num voo público em 1906, há os registros de Gustave Whitehead com modelos 21 e 22 (1903/1904), Richard Pearse (1903/1904), Samuel Pierpont (1903), Karl Jatho (1903). Porém os Irmãos Wright desenvolveram entre 1899 e 1905 pesquisas e experimentos inclusive construindo o próprio motor. O primeiro voo teria sido em 17/12/1903, em 1904 o primeiro voo circular e em 05/10/1905 o término do período experimental quando circularam o campo de testes 30 vezes voando por… Read more »

Vinicius
Visitante
Vinicius

Mas Santos Dumont revolucionou a aviação e o título de Patrono da Aviação não é à toa.

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Patrono apenas no Brasil.
Sinto muito mas os irmãos wright são os inventores do avião “moderno”.

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Segundo se sabe, o motor utilizado pelos irmãos espertinhos não tinha força suficiente para decolar, no máximo ajudava em um voo catapultado contra o vento. Simulações utilizando os dados originais nunca conseguiram fazer algo que prestasse, inclusive gerando vergonha alheia. A demonstração publica conduzida pelos irmãos espertinhos foi utilizando outro motor mais forte. Mas se os gringos preferem dizer que eles são os inventores para mim tanto faz, meus respeitos a Santos Dumont.

Otavio
Visitante
Otavio

O ST é projeto da FAB que tem os direitos e recebe royalties por cada aeronave vendida assim também será com o KC390.

Vinicius
Visitante
Vinicius

Se a Arábia Saudita decidir compra alguns A-29 para bombardear Yemenitas, o Brasil precisaria pedir permissão aos EUA? Se sim, o A-29 não é genuinamente tupiniquim.

André Macedo
Visitante
André Macedo

Vinicius,
Contanto que continuem nos dando dinheiro e gerando emprego aqui, ele pode ser até “genuinamente” nigeriano, americano…

Otavio
Visitante
Otavio

Nenhum avião é genuíno, teríamos que ter uma fabricante de motores,outras de radares, sistemas operacionais e etc.ficaria inviável.

Davi
Visitante

Até para vender Airbus precisa de autorização dos EUA

Nicolas_RS
Visitante
Nicolas_RS

Vinicius
Esses dias atras li em uma matéria que afirmara que qualquer produto que tenha mais de 10% de equipamentos de origem Americana precisa de autorização dos EUA para vender, e se tratava de um produto CIVIL, acredito que no meio militar isso seja reduzido para 1 parafuso.

Achar que o A-29 é produto brasileiro é de chorar, quase nenhuma peca importante é feita no Brasil, radares, motor, pás, equipamento de comunicação, etc é tudo feito em outros países, já teve pelo menos 2 países que quiserem comprar o A-29 e o EUA vetou a compra, Venezuela foi um deles.

Chico Novato
Visitante

Se eu fosse o desenvolvedor do super tucano, deixaria que chamassem ele do que bem entendessem, desde que pagassem os meus royalties.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

AV-8B também era garganteado, porém nunca deixou de ser britanico.

Segue o jogo, que comprem pelo menos 800 unidades, se não mais…

Walido Strobel
Visitante
Walido Strobel

Isso é normal, a Beechcraft produz o T-6 sem dizer que é um Pilatus PC-9 MK2 , a Pilatus não reclama, pois está contente com os royalties recebidos.

Ivanstop
Visitante
Ivanstop

Igual falar dos EMB 326 Xavante. Que nada mais eram do os Aernacchi MB 326 fabricados aqui sob licença. Tem xavavente brasileiro por quase toda FA da América latina.
Segue o jogo!

Ivanstop
Visitante
Ivanstop

Aermacchi* e Xavante.
Dedo grande em celular da nisso. Kkk

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

certa vez li um artigo que dizia: Santos Dumont pode até ter inventado o avião, mas quem inventou a indústria de aviação foram os Wright.

Vinicius
Visitante
Vinicius

A avionica deste avião e brasileira ou americana? Se o A-29 é brasileiro, por que Sierra Nevada vem antes de Embraer?

Jr
Visitante
Jr

Porque ela é a contratante principal nos super tucanos vendidos via FMS, quando a venda é feita de forma direta entre Embraer e o país comprador como foi no caso do Chile e das Filipinas o nome da Sierra Nevada sequer aparece

Vinicius
Visitante
Vinicius

O governo Afegão não e livre para eacolher o vendedor?

Julio
Visitante
Julio

Não se eles quiserem usar o financiamento americano.

Vinicius
Visitante
Vinicius

O Afeganistão então pobre assim para precisar recorrer ao FMS para comprar alguns aviões de baixo valor?

Jr
Visitante
Jr

Você tá falando sério?????? o Afeganistão não tem condições de comprar nada sem financiamento externo, eles tem liberdade para comprar de quem quiser, mas se comprar com financiamento americano a aeronave tem que ser montada lá, nada mais justo, afinal a aeronave esta sendo comprada com o dinheiro do contribuinte americano. O Afeganistão poderia, se quisesse, vir no Brasil e comprar o super tucano diretamente da Embraer, não o faz porque é mito mais vantajoso economicamente recorrer as compras via FMS

Vinicius
Visitante
Vinicius

Quem os deixou nestas condições são os mesmos que os supostamente financiam.

Otavio
Visitante
Otavio

Eles não compraram, eles receberam de doação dos EUA.

Luciano
Visitante
Luciano

Quando (“se”) o Talibã retomar o Afeganistão, essas aeronaves vão fugir para países vizinhos? Caso nao, se tornarão alvos…dos próprios americanos!

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Eu TB fiquei com a mesma pergunta.
Trump já saiu da Síria e agora vai sair do Afeganistão.

O que será desses super tucanos?

Eu acredito que a USAF vai pegar pra ela antes de darem o fora, ou ao menos deixar eles pelados, sem eletrônica nenhuma.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

– O Super Tucano foi projetado pela Embraer brasileira, com apoio da FAB. Também usa componentes fabricados nos EUA, o que o coloca sob risco de restrições e vetos. Não há como fugir disso.
– A Sierra Nevada o produz nos EUA sob licença, o que é ótimo para a Embraer. Pode ser vendido segundo o FMS dos EUA, e todos ganham.
– Lembrando que a Embraer já produziu a aviões sob licença no passado, no caso da produção dos Xavantes.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Será que os Italianos ficam de “mi mi mi” pois falávamos que o Xavante era Brasileiro???

ODST
Visitante
ODST

Ricardo Bigliazzi

Mas o Xavante foi um projeto conjunto, não?

Marcelo
Visitante
Marcelo

Não. Projeto italiano e montados na Embraer, que estava nascendo e precisava aprender a montar aeronaves.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Não! O Xavante, ou AMB326, era um projeto da Aermacchi e fabricado aqui sobre autorização.
Projeto conjunto foi o AMX.

Nicolas_RS
Visitante
Nicolas_RS

Pois então o Xavante nunca foi Brasileiro! Achar que uma coisa é BR só pq 99% das coisas são importadas e aqui no Brasil é parafusado…É DE CHORAR!

Eduardo
Visitante
Eduardo

Isso é que dá o ITA não realizar projetos com o foco para o desenvolvimento de material de defesa. Se o aluno quer estudar lá, que ele faça projetos de interesse da FAB. Simples assim.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O aluno está lá para se graduar em engenharia, não tem que projetar nada enquanto aluno.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Aluno é aluno. Não tem nem mesmo CREA para projetar e responder tecnicamente pelo projeto.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Quem produz os Super Tucanos nos EUA é a Embraer.

Mauro
Visitante
Mauro

Interessante é que eu havia lido no Estadão que os A-29 eram empregados durante a noite, e que um dos líderes do Taleban foi neutralizado em um ataque noturno preciso dos A-29, e isso já faz tempo, então chego a conclusão que a tripulação talvez fosse norte americana. Um general da USAF também deu essa declaração, que os A-29 lançavam bombas não guiadas no Afeganistão com precisão semelhante a armamento guiado. Aquele cogumelo preto em cima das “costas” do A-29 é uma antena de transmissão de dados e comunicação via satélite, apenas os de Sierra Nevada são vistos com essa… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Se não me engano alguns chefões da FARC também tiveram um encontro antecipado com o Capeta no Inferno graças aos CCIP / CCRP / CCIL / DTOS do meninão brazuca

Eduardo
Visitante
Eduardo

Isso é que dá o ITA não realizar projetos com o foco para o desenvolvimento de material de defesa. Se o aluno quer estudar lá, que ele faça projetos de interesse da FAB. Simples assim.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Não entendi, a missão noturna foi utilizando bombas burras ou guiadas?
No texto ele não especificou qual a munição utilizada especificamente para estas surtidas.
Devido a baixa visibilidade do alvo/terrenos, a precisão não é substancialmente afetada?

Marcos10
Visitante
Marcos10

No último parágrafo é dito que são bombas não guiadas.

Bosco
Visitante
Bosco

Antunes,
Essa missões noturnas foram feitas ou usando um pod de designação de alvos ou/e óculos de visão noturna.
Seja qual for o caso o Super Tucano é dotado de HUD capaz de implementar um ataque no modo CCIP (ponto de impacto continuamente calculado) ou CCRP (ponto de lançamento continuamente calculado).
Ou seja, a combinação disso tudo permite ataques noturnos de precisão, principalmente tendo em vista o que foi falado, o avião é lento e voa baixo e de noite, tem a cobertura da escuridão para reduzir as chances de ser detectado e abatido.

Madmax
Visitante
Madmax

Lembrei do Vietnã do Sul.
Os EUA deixaram um monte de equipamento militar lá, mas faltou dinheiro até para o combustível para os ARVNs, se os ST ficarem, logo estarão sem munição, manutenção e combustível e ficarão sem serventia, se a história se repetir.

Bosco
Visitante
Bosco

Madmax, Os EUA não deixaram nada no Vietnã quando da sua retirada em 1973. Dois anos depois, em 1975, é que houve a retirada as pressas de Saigon dos “colaboradores” e alguns poucos funcionários americanos, e aí alguns helicópteros foram jogados ao mar para que outros pudessem pousar. Quando da queda de Saigon, já não havia mais forças militares americanos operando no Vietnã desde 1973, quando se retiraram por conta do Acordo de Paz de Paris. Apesar de emblemática, a cena de civis desesperados tentando embarcar em aviões e de helicópteros sendo jogados ao mar, tais fatos não se referiam… Read more »

Marcos10
Visitante
Marcos10

Pelo mesmo motivo que houve um Shorts Tucano, que nem o nome da Embraer recebia. E ninguém reclamou.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Nosso “pequeno notável´´ mostrando ao que veio. ST sempre mostrando serviço.
Pergunta off-topic, mas o Saddam comprou vários ASTROS nos anos 80. O Iraque ainda possui esses veículos, ou foram todos destruídos nas duas guerras do Golfo?

Joao
Visitante
Joao

Até onde sei, eles eram considerados alvos prioritários da coalizão.

MadMax
Visitante

A operação tempestade no deserto (guerra do golfo de 91) só teve início depois que a Força Aérea informou ao comando que os Astros e os Scuds tinham sido destruídos.

João Luiz Passos
Visitante
João Luiz Passos

Um comentário: não confundam idealização/projeto com fabricação/mercadoria. O ST enquanto idéia/projeto, foi idéia da FAB, projetada pelos engenheiros brasileiros, patenteada pela Embraer – ponto. Isso é bastante comum; vide Nike, por exemplo que não tem uma só fábrica própria no mundo inteiro; por mais que seus produtos sejam feitos na China/Tailândia/Vietnã, ninguém questiona que a Nike é genuinamente americana. A fabricação dos ST’s, pode ser com qualquer um, basta pagar os royalties. No final, o que vale mesmo é o know-how de projetar e executar, quando for necessário. Aliás, é por isso que a Boeing quer a Embraer: não é… Read more »

fernandoEMB
Visitante
fernandoEMB

A Boeing quer a Embraer pelo know How, mas não só por isso, quer seus produtos comerciais, suas instalações e ativos sim. Querem verticalizar sua produção, e ampliar sua capacidade de desenvolvimento.

Joao Moita Jr
Visitante

“Se a Arábia Saudita decidir compra alguns A-29 para bombardear Yemenitas”
Em dado caso, o Brasil deveria vetar paulativamente essa venda. Os sauditas estão cometendo um genocidio desenfreiado, e qualquer ST que termine lá seguramente exterminaria muitos inocentes desarmados.

The Musketeer
Visitante
The Musketeer

Concordo que é genocídio mas este mercado é assim mesmo.
A máquina é feita para matar!
Não dá para ficar chocado com o resultado.

Se não comprar da Embraer, compra de outro para fazer o mesmo.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Se o Brasil ficar com essa preocupação é melhor fazer como a Pilatus e desistir de vender aviões de ataque, pois foi o que fizeram por pressão popular depois que o México usou os PC-7 contra índios separatistas.

The Musketeer
Visitante
The Musketeer

Já imaginou se a Embraer não monta aquela fábrica de tucanos nos EUA para aquele contrato gigante que nunca veio.

Talvez quem sabe não estaria no preju, como reza a lenda…

The Musketeer
Visitante
The Musketeer

Concordo que é genocídio mas este mercado é assim mesmo.
A máquina é feita para matar!
Não dá para ficar chocado com o resultado.

Se não comprar da Embraer, compra de outro para fazer o mesmo.