Home Aviação de Ataque Eslováquia compra 14 caças F-16V por US$ 1,8 bilhão

Eslováquia compra 14 caças F-16V por US$ 1,8 bilhão

4742
45
F-16V
F-16V

O governo eslovaco assinou um contrato de aquisição de 1,6 bilhão de euros (US$ 1,8 bilhão) com o Departamento de Defesa dos EUA (DoD) para fornecimento de 14 aeronaves de combate multifunção Lockheed Martin F-16V Block 70/72.

“A República Eslovaca assinou oficialmente documentos com base nos quais adquirirá 12 caças monopostos e dois bipostos”, disse o primeiro-ministro eslovaco, Peter Pellegrini, em 12 de dezembro.

O contrato inclui disposições de apoio, bem como a formação de tripulantes e pessoal de apoio terrestre. Estão também incluídos os mísseis ar-ar de longo alcance Raytheon AIM-120C7 Advanced (AMRAAM) e curto alcance AIM-9X Sidewinder.

As forças armadas eslovacas receberão as primeiras quatro aeronaves em 2022, duas das quais serão variantes de dois lugares, e as 10 aeronaves monopostos restantes até dezembro de 2023. O F-16V conta com o radar ativo de varredura eletrônica (AESA) Northrop Grumman AN/APG-83 radar (derivado do AN/APG-80 do F-16E/F Block 60 e também conhecido como Radar de Feixe Ágil Ajustável [SABR]), um novo computador de missão Raytheon, o datalink link 16, modernos displays de cockpit, um sistema avançado de guerra eletrônica e um sistema de prevenção de colisão com o solo.

A Eslováquia selecionou a versão mais recente do F-16 para substituir sua frota de 12 aviões MiG-29 “Fulcrum” fabricados na Rússia que estão se tornando obsoletos (apenas duas ou três aeronaves estão disponíveis ​​a qualquer momento).

Fontes do Ministério da Defesa da Eslováquia (MoD) disseram que este estenderá o contrato de serviço da frota do MiG-29 até dezembro de 2023, quando as forças armadas eslovacas receberão todas as 14 aeronaves F-16. O Ministério da Defesa precisará negociar com a Rússia ou países terceiros a fim de garantir as peças de reposição necessárias para sua frota MiG-29.

FONTE: Jane’s

45
Deixe um comentário

avatar
27 Comment threads
18 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
31 Comment authors
FERNANDOJoão CarlosAlfredo AraujoNilsonBavarian Lion Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

É….menos um comprador para o “grifo´´….pobre Saab, não está tendo vida fácil…

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

O Gripen C/D começou devagar e ganhou algum espaço, creio que a versão E/F quando estivar operacional e com suas qualidades demonstradas vá conseguir algum mercado!

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

O problema é que, até lá, o F16 vai continuar comendo a fatia do Grifo.

Renato H M Oliveira
Visitante

Como os Mig-29 eslovacos estão piores que nossos F-5, eles precisam de um substituto ‘pra ontem’, e a única opção disponível agora, com um custo-benefício bom, e que não seja russo / chinês / etc, é o F-16V. As alternativas são inferiores (JAS-39C) e/ou muito mais caras (F-18E, Rafale, Eurofighter, F-15) e/ou demoram pra chegar (JAS-39E, F-35). Antes que alguém pergunte dos russos / chineses, há de se dizer que eles não são a melhor opção, principalmente por questões políticas, em vários casos. Países do Leste Europeu, como Polônia, Eslováquia, etc, querem a maior distância possível da Rússia, o que… Read more »

BMIKE
Visitante
BMIKE

Boa escolha, só achei o pacote um pouco $algado!

Daniel
Visitante
Daniel

Eu não achei salgado, devido ao fato de ser a última geração do víper e acompanhar uns brinquedos (mísseis).
Esta versão terá tanques conformais né?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Os eslovacos sabem que o F-16 é um excelente espalhador de destroços de aviões russos (74×0)…..

Marcos
Visitante
Marcos

Será que a SAAB vai ser vendida para a Boeing também? Com a desculpa de que o mercado vai engolir ela? Com a desculpa de que ela precisa da Boeing para continuar operando? Ou isso só funciona aqui em terras tupiniquins?

Augusto L
Visitante
Augusto L

A parte de defesa da SAAB já teve participação majoritária da Bae system, sabia?
A Bofors que era da SAAB ainda tem uma participação majoritária da Bae system.
Na Suécia não tem essa palhaçada que muitos aqui insistem em continuar.
Eles só nunca venderam suas empresas para os chineses ou russos, por questões óbvias.

Marcelo
Visitante
Marcelo

E a Volvo?

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

As coisas caminham para o Gripen NG ficar somente por aqui mesmo.
Todos os seus clientes potenciais estão declinando. Só é preciso rever o contrato com a Saab, para entender como é composto o valor final de cada caça.
Pois de depender de uma redução do preço, baseada no ganho de escala, estamos ferrados !
O bicho que não vende (mesmo tendo valores consideravelmente menores)

Augusto L
Visitante
Augusto L

Provavelmente a Suíça irá de Gripen, quando for substituir seus Hornets.
Canadá e Finlândia também são grandes candidatos.
Também tem a Índia que de vez em quanto sai uma notícia que vão iniciar uma nova concorrência para caças, mas é menos provável.
Aqui na AL países como o Peru, Argentina, México, Chile e Colômbia são grandes candidatos nos próximos anos.
Mas o F-16V é realmente um grande concorrente.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Peru: desconheço se eles vão “pular” do MIG 29 para o Gripen
Argentina: não tem dinheiro pra nada. E mesmo se tivesse, duvido que Vossa Majestade Elizabeth concorda-se com isso.
Chile, Suíça e Índia: talvez. É possível.
México e Colômbia: acho extremamente difícil vencer o lobby dos EUA nesses dois países.
Por essas bandas da AL, só o Brasil mesmo pra comprar Gripen. Deus queira que venha um segundo lote daqui a alguns anos.
Obviamente, isso é apenas opinião de um leigo que acompanha a trilogia. Se eu estiver errado, me corrijam.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Mig é velho daqui a pouco precisará de substitutod, sem contar que o Peru tem uma frota velha de Mirages 2000 e Su-22.
Colômbia e México escolhem o que for mais negócio não tem essa de lobby.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

O problema da Ccolombia e Mexico é que, se foram comprar caças, o Tio Sam aparece com um ofertão generoso, precinho camarada e prestações a perder de vista via FMS. Duvido que a Suécia e SAAB possam fazer o mesmo. Peso político conta, e muito.

FERNANDO
Visitante

Relaxa…pro Brasil foi ótimo negócio, não importa ganho de escala pq fabricaremos eles aqui depois com o compartilhamento tecnológico.

Joao
Visitante
Joao

Difícil emplacar o Gripen hein. Nao vende nem com reza braba

João Carlos
Visitante
João Carlos

Não fala alto que vai ter gente ai com surtando…

Francisco AMX
Visitante
Francisco AMX

kkkk perfeito!

Francisco AMX
Visitante
Francisco AMX

O temor de que a FAB “morra” com Gripens que mais ninguém usará em 2 décadas é grande… já o F-16V já larga na frente… mais de 400 F-16 da USAF serão retrofitados a este padrão…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Grande Chicão, bom vê-lo aqui novamente Broe!

Augusto L
Visitante
Augusto L

Eu não sei não ein. Só saiu uma notícia nova.
Pelo que li vão modernizar parcialmente alguns F-16 e retrofitar o resto.
Que está sendo modernizado são os Strike Eagle.

Alfredo Araujo
Visitante
Alfredo Araujo

Temor seria se fosse francês… onde a grande maioria do recheio eletrônico, além das armas, são franceses.
Já o Gripen é um conjunto de soluções prontas. Armas, motor e sensores são americanos, britânicos, e etc… Ficaria ruim só se tivesse q trocar um para-choques… ou substituir uma lanterna. Ai sim a menor escala cobra o seu preço.

Ivan
Visitante
Ivan

Parabéns aos editores. O mapa no final da matéria é importantíssimo. . Uma rápida olhada permite entender a situação geográfica, com obvias consequências geopolíticas e militares, da Eslováquia em relação às fronteiras do leste da OTAN. No flanco sul da Polônia, tem fronteira viva com a Ucrânia pelo leste, país que hoje está tentando se manter fora da área de influência direta de Moscou, mas que está em choque com a maior potência da Eurásia – a Rússia. Em uma observação pragmática, sua fronteira leste, que hoje é tranquila, pode mudar de status em questão de meses, dependendo do desenrolar… Read more »

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Pequenos países, com pequenos orçamentos e fazendo pequenas compras.
Só isso.
Se não me engano, foi o MoD da Eslováquia que disse: – ‘Somos um pequeno País e foi o que deu para comprar.’

TIGER 777
Visitante
TIGER 777

A pergunta é se serão abertos os “códigos fonte”, se negativo, foi venda de prateleira e eles ficam com o C. na mão dos EUA.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Fico vendo o Gripen ficando para trás em diversas vendas, mas qual será o motivo? Aeronave que não agrada o consumidor ou pressão ou compra por amizade e pressão?

Ivan
Visitante
Ivan

“O governo eslovaco assinou um contrato de aquisição de 1,6 bilhão de euros (US$ 1,8 bilhão) com o Departamento de Defesa dos EUA (DoD) para fornecimento de 14 aeronaves de combate multifunção Lockheed Martin F-16V Block 70/72.” . Acredito que a diferença de bloco continua sendo a motorização: – Block 70 – General Electric F110; – Block 72 – Pratt & Whitney F100. . As questões que ser apresentam são curiosas. . Qual será a opção eslovaca? GE ou PW? . Se for pelo Block 70, provavelmente será o turbofan General Electric F110-GE-132 com empuxo máximo de 32.500 lbf (144.6… Read more »

Pedro
Visitante
Pedro

E o F16 continua bem sucedido. Avião sem dúvida ah frente do seu tempo aquando do seu desenvolvimento. Não é mais o melhor multi-role, mas é dos melhores ainda hoje, bastante adaptável como plataforma de combate.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Menos. Sejamos realistas.
F-16s atualmente são vendidos em poucas quantidades para países pequenos e, na maioria das vezes, com orçamentos apertados como Eslováquia, Eslovênia e Bulgária.
Países com maior ‘representatividade’ no cenário internacional não compram mais.
Pelo contrário, estão se desfazendo dos mais antigos que acabam em paradas menos aquinhoadas.
é importante lembrar que a linha de montagem dele está ameaçada de desativação e essas encomendas vêm dando certa sobrevida a ela.

JPC3
Visitante
JPC3

Sim, está sendo substituído pelo F-35.

Só quem não tem dinheiro para comprar caças de 4° geração.

nonato
Visitante
nonato

Neste caso, o fator geopolítico é importante.
Trump tem tentado usar mais essa influência para evitar a bagunça.
Qualquer país fabrica e vende o que quer enquanto os EUA ficam a ver navios.
Pelo menos, tenta vender.
O comprador decida, mas as ligações do vendedor virão, como é comum no mercado de telefonia, imóveis, automóveis…

Delfim
Visitante
Delfim

FMS, nada a mais.

Luiz Floriano Alves
Visitante

O poder de manobra do F-16 é impressionante. O rei do Dogfight. As manobras que pode executar só se comparam aos modernos aviões com vetoração do empucho. Sua capacidade multi role é muito bem aproveitada por seus operadores. Israel bombardeou reatores no Iraque com seus F-16. Bombas de precisão mandaram para o espaço o reator de Saddam Hussein.

Claudio Melo
Visitante
Claudio Melo

Cada aeronave está saindo por quase US$129 milhões. É caro, mesmo se o pacote incluir as armas a serem lançadas.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Não é somente anv e bombas, pesquise.

Quanto a compra:

Simplesmente o melhor.

Quantidade nunca foi sinônimo de qualidade.

Ter não significa operar.

A Argélia tem muitas anvs ……

Claudio Melo
Visitante
Claudio Melo
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Reposição ?

Polônia ou Ucrânia.

Kemen
Visitante
Kemen

Acho que a escolha da Eslovaquia é algo política (armamento norte americano frente a desligar-se do seu passado com a U. Sovietica (era parte antiga Tchecoeslováquia, zona de influência sovietica), entretanto, o block 70/72 na minha opinião é parelho ao Gripen E/F ou até um pouco inferior, em armamento o Gripen tem um leque enorme previsto de integração de armas. O resto dependera da qualidade dos pilotos, é óbvio.

Papan
Visitante
Papan

Na minha opinião o GRIPEN NG é muito mais caça do que o F16 V mesmo sendo Block 70 com novo Radar e etc. Os clientes do GRIPEN tem várias opções de armamentos, mísseis, bombas, de vários fornecedores de todo o mundo, ao contrário dos F16 que para tal tem que se submeter ao armamento americano, pois já sabemos a dificuldade e burocracia que é imposta pelos EUA.

Papan
Visitante
Papan

E também não podemos esquecer que os países do Leste europeu após o fim da União Soviética procuraram ajuda dos EUA se aliando em grande maioria a OTAN.

Mf
Visitante
Mf

O Gripen NG ainda tem muito potencial. Só no Brasil serão 108 aeronaves até 2032 , pelo menos esta é a perspectiva e não tem porque duvidar disso, salvo outra grande crise econômica no caminho até lá , mas acho que aprendemos a lição, a maioria pelo menos… Além disso os usuários do Gripen C/D podem querer substituir pelo NG ou modernizar para este padrão. O Gripen C/D comunga de quase tudo com o NG, falo das peças para manutenção. A posição do Brasil de tratar a Venezuela como a ditadura que ela é, pode incentivar os colombianos a comprarem… Read more »

Bavarian Lion
Visitante

Caríssimo.

Nilson
Visitante
Nilson

“Antunes 1980 17 de dezembro de 2018 at 14:17 As coisas caminham para o Gripen NG ficar somente por aqui mesmo. …O bicho que não vende (mesmo tendo valores consideravelmente menores)” . O Gripen NG só vai poder concorrer com o F16 quando passar a existir operacionalmente, na Suécia e no Brasil. Até lá, não tem como contrapor um projeto (por mais promissor que seja) a uma aeronave testada e comprovada. Ainda mais para países que têm poucos caças, não podem se dar ao luxo de arriscar em algo desconhecido. . Por outro lado, daqui uns cinco anos, quando o… Read more »

Daniel
Visitante
Daniel

Muitos falando que o Gripen não saí da prateleira.
Lembram num passado não muito distante que a bola da vez era o Rafale, que também não conseguia vendas?
Pois bem, esperem e verão.