Home Aviação Comercial Embraer e Boeing aprovam termos da parceria estratégica aeroespacial e aguardam aprovação...

Embraer e Boeing aprovam termos da parceria estratégica aeroespacial e aguardam aprovação do governo brasileiro

3696
209

São Paulo e Chicago, 17 de dezembro de 2018 – A Embraer [B3: EMBR3, NYSE: ERJ] e a Boeing [NYSE: BA] aprovaram os termos da parceria estratégica que irá possibilitar ambas as empresas a acelerar o crescimento em mercados aeroespaciais globais.

Os termos aprovados definem que a joint venture contemplando a aviação comercial da Embraer e serviços associados terá participação de 80% da Boeing e 20% da Embraer. A parceria está sujeita à aprovação do governo brasileiro, após o que as empresas deverão assinar o acordo. A parceria estratégica será, então, submetida à aprovação dos acionistas, das autoridades regulatórias, bem como a outras condições pertinentes à conclusão de uma transação deste tipo.

De acordo com a parceria proposta, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture pelo valor de US$ 4,2 bilhões. A expectativa é que a parceria não terá impacto no lucro por ação da Boeing em 2020, passando a ter impacto positivo nos anos seguintes. A joint venture deve gerar sinergias anuais de cerca de US$ 150 milhões – antes de impostos – até o terceiro ano de operação.

Após concluída a transação, a joint venture da aviação comercial será liderada por uma equipe de executivos sediada no Brasil, incluindo um presidente e CEO. A Boeing terá o controle operacional e de gestão da nova empresa, que responderá diretamente a Dennis Muilenburg, presidente e CEO da Boeing. A Embraer terá poder de decisão para alguns temas estratégicos, como a transferência das operações do Brasil.

“A Boeing e a Embraer possuem um relacionamento estreito graças a mais de duas décadas de colaboração. O respeito mútuo e o valor que enxergamos nesta parceria só aumentou desde que iniciamos discussões conjuntas no começo deste ano”, disse Dennis Muilenburg, presidente, chairman e CEO da Boeing.

“Estamos confiantes que esta parceria será de grande valor para o Brasil e para a indústria aeroespacial brasileira como um todo. Esta aliança fortalecerá ambas as empresas no mercado global e está alinhada à nossa estratégia de crescimento sustentável de longo prazo”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, presidente e CEO da Embraer.

Embraer KC-390
Embraer KC-390

As empresas também chegaram a um acordo sobre os termos de uma segunda joint venture para promover e desenvolver novos mercados para o avião multimissão KC-390. De acordo com a parceria proposta, a Embraer deterá 51% de participação na joint venture e a Boeing, os 49% restantes.

A transação está sujeita à aprovação do governo brasileiro, ratificação pelo Conselho de Administração da Embraer e autorização deste para assinatura dos documentos definitivos da transação. Após a celebração dos documentos definitivos pelas partes, a parceria estratégica será submetida à aprovação dos acionistas, das autoridades regulatórias, bem como a outras condições pertinentes à conclusão de uma transação deste tipo. Caso as aprovações ocorram no tempo previsto, a expectativa é que a negociação seja concluída até o final de 2019.

Informações prospectivas estão sujeitas a riscos e incertezas

Certas declarações neste comunicado podem ser “prospectivas” dentro do significado da Lei de Reforma de Litígios de Títulos Privados de 1995, incluindo declarações relativas aos termos propostos da operação, a capacidade das partes cumprirem as condições para celebração ou consumação da operação e o respectivo prazo, bem como acerca dos benefícios e sinergias decorrentes da operação, e qualquer outra declaração que não se refira diretamente a qualquer fato histórico ou atual. As declarações prospectivas são baseadas em suposições atuais sobre eventos futuros que podem não ser precisos. Estas declarações não são garantias e estão sujeitas a riscos, incertezas e mudanças em circunstâncias difíceis de prever. Muitos fatores podem fazer com que os resultados reais sejam concretamente diferentes das declarações prospectivas. Como resultado, essas declarações são válidas somente a partir da data em que forem feitas e nenhuma das partes assume a obrigação de atualizar ou revisar qualquer declaração prospectiva, exceto conforme exigido por lei. Fatores específicos que podem fazer com que os resultados reais sejam concretamente diferentes dessas declarações prospectivas incluem o efeito das condições econômicas globais, a capacidade das partes de chegar a um acordo final sobre uma transação, consumar tal transação e obter sinergias antecipadas e outros fatores importantes divulgados anteriormente e periodicamente nos registros da The Boeing Company e/ou da Embraer junto à Securities and Exchange Commission.

DIVULGAÇÃO: Embraer e Boeing

209
Deixe um comentário

avatar
63 Comment threads
146 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
65 Comment authors
The MusketeerWellignton GóesWellington GóesMatheusMoises Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Deyvid
Visitante
Deyvid

Como algo tão absurdo pode ser aceito?

BMIKE
Visitante
BMIKE

Qui bissuldo zé!

fernandoEMB
Visitante
fernandoEMB

Absurdo??
Como pode ter certeza?
Sabe dos termos em detalhe?
Conhece o cenário?

Bem…
Em alguns anos teremos o que avaliar.

Zé
Visitante

Eu conheço 80/20% e isso é absurdo

Jr
Visitante
Jr

O mais absurdo disso tudo é ver o KC-390 que teve mais de 4 bilhões de reais proveniente dos cofres públicos, ou seja, dos nossos bolsos e a Embraer fazer uma JV aonde da 49% para a Boeing, ou seja, a Boeing não precisou fazer nada para ter esses 49%. Se os contribuintes soubessem disso, creio que seria mais vantagem gastar esses 4 bilhões que foram alocados para o projeto na compra de mais C-130 Hercules novos e talvez aumentar o numero de gripens

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

É o que eu sempre defendi, comprar KC-130J em vez de investir recursos públicos no KC390.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Bela parceria 80/20, isso porque foi a Boeing que procurou a Embraer, imagina se fosse o contrário.

Baschera
Visitante
Baschera

Conseguiram inverter o ditado popular.
Foram-se os dedos…ficam os anéis !

Sds.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Meu palpite é que o entorno militar fará tanta pressão que não restará ao Bozo outra alternativa senão vetar! outra questão diz respeito ao Congresso Nacional.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Bozo pensa no Brasil. Não nos acionistas.

Mf
Visitante
Mf

Jair Bolsonaro seu presidente. O Mula tá preso e tem gente que ainda não acordou que o socialismo e nacionalismo burro leva ninguém a lugar algum.

Br
Visitante
Br

Eu vivi para ver o nacionalismo virar algo ruim, tempos de globalismo, o melhor é ver os anti-nacionalistas se dizendo anti-esquerdistas, esse é um ótimo exemplo da teoria das tesouras e seus idiotas úteis.

Baschera
Visitante
Baschera

Titelles,
Legalmente, creio, o CN não pode se opor à um negócio privado.
Desconheço, porém, se o instrumento da “golden share” se aplicaria, visto a concordância do GF, inclusive da nova administração, que se posicionou como favorável.

Sds.

Manoel Jorge Marques Neto
Visitante
Manoel Jorge Marques Neto

Privado se o Governo não tivesse colocado milhões na Embraer seria privado mesmo…agora da forma em que esta empresa foi criada não a vejo como sendo totalmente privada para ser entregue assim. Duvido que sendo do mesmo porte e importância estratégica para os EUA o governo de lá entregaria nos mesmos termos.

luiz henrique
Visitante
luiz henrique

Em relação aos investimentos estatais na Embraer, estes ficaram de fora deste negócio. Em relação ao KC-390, o que se busca é que além de suprir a demanda interna e a concretização da desejada venda para Portugal, o KC-390 possa adentrar em mercados que somente uma força política muito forte e um eficiente canal de vendas pode proporcionar(Boeing). É simples, é possível abraçar o ultranacionalismo e ficar nas 28 unidades do Brasil e nas 5 unidades de Portugal……..ou…….Usar a força política dos americanos e seu poder de influenciar qualquer compra militar para buscar vendas para países que hoje parecem distantes… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Os “milhões” que o GF colocou na EMBRAER já se pagaram há muito tempo, com razoável retorno ao país quer em lucro como também em impostos e empregos. Ademais as linhas de crédito do BNDES concedidas à empresa foram muito menores e tiveram bem mais retorno ao Brasil que a montanha de dinheiro desperdiçada na política das “campeões nacionais” que na verdade eram amigas do “Rei”. E sim, a EMBRAER hoje é uma empresa privada, contudo quando da sua privatização e reconhecendo a sua importância estratégica e geopolítica para o Brasil ( a mesma que nos EUA fez Trump vetar… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Baschera, a questão é que embora a GS seja de fato um instrumento de uso do Poder Executivo existe um entendimento no STF segundo o qual por se tratar de matéria de relevância estratégica para o país o legislativo deveria ser ouvido. E digo mais: se o MPF ingressar com uma ação civil pública visto que se tratam de interesses difusos e coletivos com pedido de liminar na Corte Suprema esta tem a grande chance de ser deferida.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Já foi protocolada a ação. Iniciativa do 02 da minha turma, Iteano 97. Estranho é a imprensa noticiar que “está tudo OK”, se a ação está correndo e nem foi julgada!

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Que porcaria de país que pra vc fazer negócio, qualquer um pode alegar “interesses difusos e coletivos” e um juíz intervir em uma negociação em que as duas partes estão em comum acordo.

Aqui tem que consultar o politiburo pra se fazer negócio.

Não vai nunca dar certo!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Creio que salvo se ele for integrante do MP, um dos titulares da Ação Civil Pública, o seu colega de turma lançou mão de uma ação popular, que é instrumento hábil para proteção do patrimônio público e da moralidade administrativa.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Entrar com ação é uma coisa. Ganhar é outra. Alguns dias atrás uns deputados do PT conseguiram uma liminar em 1ª Instância para suspender as negociações. Essa liminar já caiu no TRF. Certamente outras ações serão opostas. Se cairão ou não nos tribunais superiores eu não sei, mas acho mais fácil caírem do que serem procedentes. No caso da privatização da Vale tiveram trocentas ações. Caíram uma a uma. Infelizmente no Brasil é possível entrar com uma ação popular contra um negócio privado, eventualmente causar prejuízos enormes às empresas e, mesmo perdendo ao final, não pagar nada pela “peraltice”. Se… Read more »

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Mas acho que o CN pode fazer questionamentos sobre e que isto pode levar a rever posicionamento, caso se mostre prejudicial ao País. A Embraer pode não ser diretamente uma estatal (ainda bem), mas recebe muito aporte financeiro e subsídios estatais, que fazem com quê ela não queira fazer o que bem entende. Isto acontece em todo o mundo.

João Adaime
Visitante
João Adaime

Algumas coisas já começam a ficar claras, como a sede ficar no Brasil. Além disso, a Embraer terá poder de decisão em caso de transferência das operações do Brasil.
Mais uma novidade é outra joint venture, esta para vender o KC-390 mundo afora. Com a Embraer detendo 51% de participação.
Fiz este resumo porque a maioria dos “comentaristas” mal leem o título e já saem “comentando”.
Aguardemos os próximos passos.

Manoel Jorge Marques Neto
Visitante
Manoel Jorge Marques Neto

KC-390 mundo afora. Com a Embraer detendo 51% de participação???? Falaram que a Embraer Defesa não estaria inclusa por se tratar da parte estratégica da empresa para o Brasil. Como ficaria então essa parceria de a Boeing vender o cargueiro e ficar com 49% do valor? Muito vantajoso isso…para a Boeing acredito.

luiz henrique
Visitante
luiz henrique

O mercado internacional de aeronaves militares é marcado por decisões políticas, mesmo o KC-390 sendo uma excelente aeronave dificilmente terá grande sucesso de vendas sem uma política externa forte, algo que não temos e não se constrói do dia para a noite, sob este argumento a entrada da Boeing é importante pelo seu canal de vendas e por orbitar na esfera de influencia de um país que é líder no segmento militar e capaz de influenciar praticamente qualquer programa de compras de aeronaves militares pelo mundo afora, além disso pode-se utilizar programas de vendas norte-americanos como o FMS para exportar… Read more »

João Adaime
Visitante
João Adaime

Caro Manoel
Eu desconheço detalhes. Apenas fiz um resumo do que foi anunciado até aqui.
Acredito que seja 49% do lucro líquido. Mas desconheço qual seria a participação de cada uma delas na JV. Só sei que é coisa antiga. Não é de hoje que se fala na Boeing ajudar na comercialização do KC-390.
Sem tomar partido, pois ainda faltam muitas informações, deixo uma pergunta:
O que é melhor? 100% do lucro de 30 aeronaves ou 51% de 300?
Abraço.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Parceria “caracu”, 80/20, sem cadeira no conselho e poder de decisão. Poder para “transferir as operações do Brasil”. Pros EUA, óbvio. E, como já postei, corpo de engenheiros exultante porque vão morar em Seattle com green card.
Como diz o Juarez, o tempo é o senhor da razão. Pra quem criticava que só existia a EMBRAER, agora vai ter espaço pras NOVAER da vida, já que não teremos EMBRAER. Pelo menos não nos moldes atuais. Vamos encher os aeroclubes de TC-X.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

By the way: eu li a matéria (essa e outras) com atenção.

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Olha que maravilha! Vão se os aerobueros e virão TC-X !

Já começou excelente!

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Com motor seis cilindros de 300 hp nem de graça interessa aos aeroclubes.
Os aeroclubes precisam de avião de 115 hp para formar PP e um Cessna ou Piper de 180 hp para ministrar instrução IFR aos alunos de PC.

Alexandre
Visitante
Alexandre

Meu primeiro post no site, em funcao da importância do assunto. Na minha visão as questões estratégicas conforme expostas são extremamente relevantes, e fora do meu conhecimento para avaliar. Porém financeiramente, avaliando as informações públicas até agora, me parece ser uma negociação EXTREMAMENTE vantajosa para a Embraer (e seus acionistas, claro). Conforme informações publicadas nos documentos apresentados hoje pela Embraer, a TOTALIDADE dos “Bonds” da dívida (no balanço de março/18, encontro pelo menos 14/15 bilhões de empréstimos e financiamento) vão para a nova empresa. Então, a Boeing está assumindo 80% dessa dívida, ainda pagando alguns bilhões por isso, deixando a… Read more »

Br
Visitante
Br

Você viu? 80/20 no setor mais lucrativo da Embraer, é a Boeing, muito generosa, aproveita e come 49% do Kc390, que é o projeto mais promissor, se 80/20 não é caracu, porque a Boeing não aceitou também 80/20 para o KC? Antes que venham falar na POSSIBILIDADE da adoção pelos EUA, o que já é muito difícil, deveria ser condicionado no acordo a venda do KC pela Embraer, não dar metade do projeto para a Boeing só por a POSSIBILIDADE de vendas dentro dos EUA. Muito me surpreende que a FAB tenha aceito esses termos, a Embraer perdeu sua maior… Read more »

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Justamente, Rinaldo. Só espero que a Boeing não leve “embora” tb o KC-390. Esse vetor é a única tábua de salvação da EDS.
Enquanto a parte civil, espero mesmo que voltem a fabricar turbohélices para tentar abocanhar (ou quem sabe se equiparar) o mercado da ATR. Enfim, apenas hipóteses que me ocorrem

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Concordo Cel.!!!

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Na boa, pra mim, como leigo que sou, parece ter melhorado mas na verdade creio que piorou foi mais pois já colocaram o KC no meio como uma segunda jv. Vamos ver no que vai dar, mas não vejo necessidade de nossa parte de entrar neste negócio.
Aguardando os entendidos se pronunciarem.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Se rolar o negócio, creio que será uma facada no Brasil como um todo, por tudo o que nos representa a Embraer.
E a propósito assino embaixo de seu comentário e digo que tbm li a matéria e outras tantas sobre o assunto.rs

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Rinaldo Nery 17 de dezembro de 2018 at 10:03
Sobre este comentário que concordo.
Esta captcha avacalha bastante tem hora viu. Eu havia escrito no “reply” do comentário do sr Rinaldo.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Somos um País pobre com UMA empresa aeronáutica, que demorou décadas pra atingir a atual posição no mundo, graças ao esforço de muita gente, e, também, da privatização bem sucedida no momento certo. Se tivéssemos, pelo menos, três EMBRAER, poderiam comprar e levar à vontade. Mas, só temos essa, e é a base industrial da nossa Força Aérea. “Ah, mas o setor de defesa não entrou no negócio “. E vocês acham que o setor de defesa se sustenta sozinho? Com os contratos minguados do GF? E, já postei: o corpo de engenheiros é o mesmo, da comercial, da defesa… Read more »

WVJ
Visitante
WVJ

Nery, concordo contigo.
A parte militar não se sustentará sem a civil. Até porque já está provado que contratos militares com outros países podem ser sustados por pressão dos gigantes.
No governo atual, eu me apego aos militares. Sem eles eu não teria a menor dúvida que estaríamos fritos.

Fred
Visitante
Fred

Defesa não se sustenta com os valores de contratos governamentais eventuais. Tem de desenvolver produto e vender pra paisano.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Nem de longe vai quebrar sem a parceria Cel Rinaldo! O motivo ensejador dessa “parceria”, a compra de 51% do programa C-Series pela Airbus, mostrou-se um fiasco pois a despeito do imensos descontos dados o aparelho simplesmente não vende. Não é o caso dos E-Jets visto que a despeito das vendas do 190E2 e 195E2 estarem fracas o 175 e 175E2 vão de vendo em popa visto que o aparelho virtualmente não tem concorrentes.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Mas o setor de Defesa deve procurar se sustentar sozinho. Se ele for deficitário, que feche. Uma empresa não deve ter setores permanentemente deficitários. E a Embraer contará com 20% do setor Comercial e de todo o setor Executivo, para ter lucro. A parceria FAB-Embraer tem prós e contras. A FAB gera demanda na Embraer que vira e mexe tenta empurrar produtos ou vender mais do que a FAB precisa (muitas vezes consegue). Por outro lado, muitas vezes a FAB diz que vai contratar uma certa quantidade e contrata menos (caso da modernização do AMX, por exemplo) ou contrata e… Read more »

Greyjoy
Visitante
Greyjoy

Exatamente, Rafael. Se a parte de defesa é primordial pro Brasil, que o Governo Federal continue comprando. Simples assim.

Nenhuma empresa vive de caridade. Nem todas as empresas tem condições de queimar dinheiro a rodo num setor que se torne deficitário. As empresas demandam projetos e clientes. Se não tem nenhum e nem outro, elas fecham.

luiz henrique
Visitante
luiz henrique

O medo não é de “quebra”, e sim na perda de participação de mercado e na redução de receitas, o que gera entre outras coisas na diminuição da estrutura da empresa. A demanda por aeronaves regionais vai aumentar, porém o mercado estará mais hostil, com a entrada de novos concorrentes e a fusão da Airbus com a Bombardier que desequilibra o mercado. Além disso não podemos ser inocentes, se a Boeing não fechar acordo com a Embraer ela entrará no mercado de qualquer jeito, mesmo demorando um pouco mais para desenvolver sua própria linha de produtos. Você já deu a… Read more »

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Ih Rinaldo.
Esse papo está meio comunista. kkkkkk

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A questão não é ser estatizante ou não, até porque a empresa é privada. Nesse caso, eu acredito piamente que o Brasil e a FAB vão sair perdendo. Simples assim. A FAB precisa de uma indústria aeronáutica por trás, e não a terá. Não como hoje.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Para ser sincero, eu até concordo que a EMBRAER faça um acordo. Mas, não nesses termos. Todos sabemos que esse mercado é bastante complicado, mas pegar uma empresa e produtos prontos e levar 80% já é demais.
O ideal seria alguma coisa como produção concentrada na EMBRAER, aqui no Brasil, com a Boeing entrando, no que for preciso, com fornecedores, força de vendas e suporte.
Para isso, essa repartição acionária é leonina.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A Boeing poderia lucrar muito em um acordo com a EMBRAER sem colocar um dólar sequer, bastava disponibilizar à empresa brasileira toda a sua estrutura de venda e de suporte com uma divisão dos lucros ao final na casa dos 70/30 para a fabricante de SJ dos Campos.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Rinaldo, você poderia, por favor, dizer por que a FAB precisa da Embraer por trás?
Existem Forças Aéreas em melhores condições que a FAB sem uma fabricante nacional por trás.

Andre
Visitante
Andre

A FAB é uma sucata

Andre
Visitante
Andre

Até agora estão atordoados c o KC, pensam que é disco voador! Não estao acostumados c aviao de verdade

Baschera
Visitante
Baschera

Como nos livramos desta praga de reCaptcha ??
Que porcaria mais irritante !!

Sds.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Porque nós diminuímos nossa dependência externa numa série de quesitos. Se as outras Forças Aéreas tem mais dinheiro e compram tudo dos outros (Arábia Saudita, por exemplo), problema deles. O modelo que a FAB deseja é outro. Por isso voamos T-27, C-95, P-95, A-29, E-99, R-99. E, no futuro, KC-390 e F-39. “Ah, mas tem coisas melhores”. Com certeza, mas não são fabricados aqui. Num conflito, faz diferença. Pergunta pra Índia.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Rinaldo, Num conflito atual não dá tempo de fabricar nada e, ainda por cima, os aviões não são 100% nacionais. Sem turbinas importadas não adianta nada ter a Embraer. Esse modelo a FAB optou por ele há algumas décadas. Mas é apenas um modelo que pode ser mudado a qualquer tempo. O importante é a FAB cumprir a missão dela que é proteger os nossos céus. Se vai usar avião nacional ou importado, para mim não importados, ademais, os caças “de verdade” sempre foram importados. Gosto da Embraer, mas gosto mais da FAB e preferiria ela melhor armada do que… Read more »

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Rinaldo e Tireless, claros como água. Só não ver que não quer ou é acionista da Embraer. Tomara que o Bozo vete, que os militares torrem a paciência dele pra isso, pentelhando ele o tempo todo. Assim espero que seja.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Bingo, Cel.!!!

Andre
Visitante
Andre

Se o PT é contra, a parceria é boa!!!

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

É ótima!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

André, eu sou contra e não suporto o PT pelo conjunto da obra….

E agora?

Jr
Visitante
Jr

Exato, o problema não é fazer ou não uma parceria com a Boeing, mas sim a MANEIRA de como esta sendo feita essa parceria.

Sidy
Visitante
Sidy

Exato. A maneira como está sendo feito é onde o bicho pega.
Apesar de não ter votado no presidente eleito, acho que a forte presença de militares no governo é a última esperança de que este acordo não saia do jeito que está. Se dependermos de nossos políticos estamos na roça.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

É cada uma que a gente tem que ler por aqui…por isso o país não avança. Não existe nada no horizonte além de ranço ideológico de todos os espectros. De quebra pq não dar Alcântara e instalar bases gringas na Amazônia, não?

Andre
Visitante
Andre

Os militares tem se mostrado a favor também, mais um motivo p acreditar que é no mínimo o cenário menos pior!

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não é bem assim. Alguns nem tem opinião formada, ainda. Conversei com alguns.

Andre
Visitante
Andre

O Bolsonaro firmou sua opinião após consulta ao alto comando, participante das negociações. Opinião de baixa patente vale nada.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Amigo, quatro estrelas não é baixa patente. Minha turma é três estrelas. Não posta besteira. Você está repetindo o que leu na imprensa. Eu falei com oficiais generais.

Andre
Visitante
Andre

também falei…. e agora? será que mentiram p vc por estar abaixo deles?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Falamos c pessoas distintas, então. Quem são os quatro estrelas do AltCom, e qual função cada um exerce?

Andre
Visitante
Andre

Se eu fosse voce não confiaria em todos! P certo nível de informações não há amigos, ainda mais se for subalterno

Maurício.
Visitante
Maurício.

Andre, logo que saiu as especulações dessa “parceria” eu tinha uma grande fé na FAB, eu achava que a FAB iria se opor a essa “parceria” mas por um estranho motivo parece que a FAB aceitou sem maiores problemas, talvez tenha algo que não sabemos nessa parceria mesmo, eu não sou contra uma parceria, mas nesses termos atuais da Boeing eu sou contra.

Andre
Visitante
Andre

Já fui contra…. nao sou mais! esqueçam a imprensa, é o menos pior! podem acreditar

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Dessa sua última afirmação eu não discordo. Com os quais eu servi eu confio. Porque os conheço bem.

Andre
Visitante
Andre

Complementando: os engenheiros da Embraer nao serão transferidos p Seattle, como dito por aqui…. A Boeing não opera assim nos países onde atua, e nem os engenheiros daqui tem essa esperança… Entrem em contato com quem trabalha na área e parem de especulaçoes chulas!

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Vamos ver. O tempo dirá.

Andre
Visitante
Andre

E o choro do PT tbem

Br
Visitante
Br

Meu amigo, seus comentários são puramente partidários, você não sabe nada, não conversou com absolutamente ninguém, você é só mais um que fica “estudando” “política” no Facebook, comentários como os seus só poluem o blog, o senhor Rinaldo, que você trata com tanto desrespeito, é coronel é foi comandante de esquadrão, ele, assim como muitos, são ou foram altos oficiais e tem pleno contato com que é falado dentro das forças armadas, até mesmo almirante da ativa nos temos a honra de ter no blog, então, pare de agir como criança que se pauta pelo que esse ou aquele partido… Read more »

Matheus
Visitante
Matheus

Já era o E2 cara. Muito triste. Resta saber qual vai ser nova a designação da Boeing. Vaaaaaaiiii Brazilian

Andre
Visitante
Andre

Nem essa o PT levou, isso é motivo p felicidade! sinal q o negócio é o menos pior, no minimo!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Eduardinho. Fique calmo!

Andre
Visitante
Andre

Quem era contra mesmo? sindicatos, PT, Ciro Gomes… Só gente boa kkkkkk

Robsonmkt
Visitante

Quem era contra? Qualquer pessoa que se orgulhava de existir uma empresa brasileira produtora de alta tecnologia situada entre as melhores do planeta.
E sem kkkkkk.

Mateus
Visitante
Mateus

Deixa de ser protostômio cara… Isso não tem nada a ver com o PT, absolutamente nada. Eu votei no acéfalo do bolsonaro (já me arrependi) e sou contra o acordo cuíca

Robsonmkt
Visitante

[11:15, 17/12/2018] Robson Rocha: “Após concluída a transação, a joint venture da aviação comercial será liderada por uma equipe de executivos sediada no Brasil, incluindo um presidente e CEO.”: Isto não quer dizer que estes executivos e CEO serão oriundos da Embraer, nem mesmo que serão brasileiros. Apenas que trabalharão no Brasil. Como em qualquer montadora de automóveis, como a Honda ou Nissan cujo CEO no Brasil não é brasileiro, mas japonês, por exemplo. [11:17, 17/12/2018] Robson Rocha: “A Boeing terá o controle operacional e de gestão da nova empresa, que responderá diretamente a Dennis Muilenburg, presidente e CEO da… Read more »

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Robsonmkt.

Já foi postada reportagem (eu tinha o link) de uma reunião de executivos de diversas empresas onde era discutida a transferência da produção da EMBRAER para os EUA.
Se isso acontecer, que sirva de lição para todos os envolvidos no caso.
Devemos lamentar pelos funcionários que são contra isso e que perderão seus empregos.

Marcos
Visitante
Marcos

Vão levar até o KC-390… e todas as empresas da Embraer ligadas a Defesa. Bradar com os radares m-60 e M-200. O nível de entreguismo é tão grande que a galera diz “se o pt é contra, eu sou a favor”. Vocês estão cegos, cegueira ideológica.

Dinheiro do povo brasileiro, dinheiro do contribuinte em projetos para a Força Aérea Brasileira que vai parar nas mãos da Boeing.

O que me deixa triste é a apatia das nossas forças armadas. Isso afeta diretamente diversos projetos estratégicos.

Parabéns aos responsáveis

Andre
Visitante
Andre

Parabéns mesmo! Inclusive ao Sr Ozires Silva, um dos maiores apoiadores do negócio

Canarinho
Visitante
Canarinho

Vou dar minha opinião: nao sabemos os detalhes que ocorrem nos bastidores, mas se eu pudesse apostar, diria que o que esta ocorrendo eh uma intimidação velada nas camadas mais internas do poder, que, caso contrariemos a potencia, iremos lidar com graves consequências. Vejam que estranho, a um tempo atrás houve a tal taxação do aço brasileiro e lembro que assim que havia saído uma noticia sobre os brigadeiros da FAB serem favoráveis ao acordo, Trump voltou atrás em alguns pontos…. a questao eh: Eles ( os norte americanos) querem a embraer, e por eles terem poder de barganha, vao… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Tem lógica. Estranhei o parecer da Consultoria Jurídica da Aeronáutica afirmar que “a EMBRAER continuará hígida após o acordo”. Hígida como, cara pálida? Mas, como você bem pontuou, há muitas informações de bastidores que nós simples mortais nem imaginamos.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Uma coisa que ninguém está levando em conta é que a Embraer receberá US$ 4,2 bilhões para abrir mão de 80% de sua área comercial e que é muito difícil tomarem a decisão de distribuir todo esse dinheiro aos seus acionistas. Acredito que uma parte desse dinheiro será investida em novos negócios. Talvez na área de Defesa, que ela continuará sendo a única “proprietária”. Ela está participando da concorrência da Tamandaré, nada impede que atue em outras áreas como, por exemplo, a fabricação de armas portáteis, num mercado que pode crescer no próximo ano e que praticamente é um monopólio… Read more »

Conan
Visitante
Conan

Ótimo comentário. A área de eletrônica militar também me parece ser muito interessante. Com certeza a Embraer com o tempo devera diversificar seu portfólio de produtos (naval, eletrônica, armas, misseis, helicópteros) se aproximando mais do estilo de uma Saab ou Leonardo, ou ate mesmo, guardadas as devidas proporções, uma General Dynamics ou L.M. Isso tudo mantendo uma forte presença na área de aviação de negócios e um pé na área de aviação comercial com a Joint Venture. Lembrem-se que a cada 1.000 aviões vendidos pela Boeing o lucro de 200 seriam da Embraer e isso meus amigos a Boeing consegue… Read more »

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

“80×20”
Hipotensão critica.
Nem o Lemonis do Trato-feito faria uma oferta tão obscena. Devia ser o contrário. A Embraer com 80 e a Boeing com 20. Cara de pau.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Kkkk Melhor comentário!

carcara_br
Visitante
carcara_br

Quando eu vi o mais alto nível do poder executivo brasileiro dizer que o acordo era bom, porque, do contrário, a embraer podia desaparecer, já sabia que não viria coisa boa…
Imagine ai negociar um peixe que você mesmo diz que está estragado, quando o maior interessado no dinheiro pro almoço é você. Acho que este foi o espirito do brasileiro na negociação, deu no que deu…

carcara_br
Visitante
carcara_br

O KC-390 foi um acordo muito melhor. Com o peso geopolítico dos EUA é praticamente certo que nós vamos vender mais que o dobro de aeronaves, mas percebam que existe um equilíbrio de forças na divisão e possivelmente as duas partes vão ganhar, além de garantir o controle pela EMBRAER…

Matheus
Visitante
Matheus

Gente, não vão levar o KC-390, leiam a p*rra da matéria direito, parecem analfabetos funcionais.
Irão apenas colocar mais opcionais no KC-390, só que a Boeing vai colocar um pouco do $$$ e talvez tecnologia dela, como por exemplo para fazer uma versão AWACS/ELINT.

Canarinho
Visitante
Canarinho

Acho que foi voce que nao entendeu a colocação da turma, ou esta agindo de ma fe ofendendo as pessoas. A indignação eh: o povo brasileiro (atraves do GF) investe bilhoes , (sim BIlhoes) dai vem uma empresa estrangeira, e para ajudar a vender vai ter rendimento numa operacao com 49% do valor dela….ou seja quase a metade do valor da tal joint venture vai para eles. Voce acha isso justo ou razoável?

To começando a achar que a Boeing ta pagando gente pra vir comentar aqui, nao tem condição….

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Na boa amigo mas seu comentário é tão descabido quanto o dele…..

Os “bilhões” investidos pelo “povo brasileiro através do GF” há muito já se pagaram, com lucro razoável, através da comercialização de bens e serviços pela EMBRAER. A questão aqui é mais profunda e tem a ver com geopolítica e desenvolvimento econômico e tecnológico.

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Canarinho

O GF dá o dinheiro para a Embraer ou empresta ??

Que eu saiba empresta, logo há um juros envolvido, um dinheiro a ser pago de volta.
Qualquer empresa pode pegar dinheiro junto ao BNDS, não é um favor que o GF faz, até porque esse juros mantem o BNDS..

A empresa é privada, simples assim.

Br
Visitante
Br

O Kc 390 já se pagou? Olha, por essa eu não esperava. E mesmo que tivesse se pagado, a Boeing estaria levando metade do lucro sem investir 1 dólar, quem acha que o governo americano iria privilegiar um projeto estrangeiro em detrimento do americano (Hércules) só pode estar no mundo da lua.

Andre
Visitante
Andre

Logo logo noticias sobre o proximo certificado de tipo brasileiro!!! vem coisa boa! aguardem

Papan
Visitante
Papan

Começou a Liquidação do País! Começou o Bota Fora! Americano não é besta!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Surpreso?
Foram eleitos para isso.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Segundo um dos maiores e respeitados escritórios de advocacia do país e que representa a Embraer em processo que corre na Justiça, o termo utilizado foi pré falimentar para descrever a situação futura da empresa.
—-
Olhando a Demonstração de Resultados, Ativos e Passivos da empresa, temos: Dívida R$18 bi, lucro R$500 mi.

Não diria pré falimentar, mas com margens de retorno bem baixas atualmente e com tendência a ser comprimida ainda mais frente a Airbus.

Em relação ao segundo acordo: é para produção e comercialização do KC 390. O projeto continua pertencendo a FAB.

Robsonmkt
Visitante

Segundo o site de investimentos br.advfn.com: “A companhia Embraer encerrou o terceiro trimestre de 2018 com um prejuízo de R$ -76.36 milhões. No acumulado dos últimos doze meses, a empresa acumulou um prejuízo de R$ -467.47 milhões. No dia 30 Setembro 2018, a companhia Embraer possuía um ativo total de R$ 47.22 bilhões e um patrimônio líquido de R$ 15.89 bilhões.” Porém, devemos levar em consideração que estes resultados não discriminam qual a parte de cada divisão da Embraer neste deficit. Por exemplo, qual a responsabilidade do projeto KC390 nestes resultados visto ainda estar na fase de desenvolvimento? Ou da… Read more »

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Na boa, o Ozires Silva é a favor do negócio..
Quem somos nós para ser contra ?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Argumento muito simplista.

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Rinaldo

O seu argumento vale mais do que um dos fundadores da Embraer, o idealizador de tudo ??
Simplista é o seu nacionalista barato

https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/fundador-da-embraer-ozires-silva-avalia-acordo-com-a-boeing-os-fracos-nao-vao-sobreviver.ghtml

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Tem outros argumentos aqui na matéria. Leia todos com atenção. Prós e contras. Eu não sou dono da verdade. É só minha opinião. E, como militar, nacionalista SEMPRE!

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Rinaldo

O fundador é a favor da Embraer/Boeing
acertou sobre a privatização da empresa e provavelmente sabe quais são os passos corretos a seguir.

Deixo as palavras dele citada na máteria;
“Os fracos não vão sobreviver. Só os fortes e queremos que o Brasil seja um dos fortes.”

Maior nacionalista que o Cel Ozires Silva ainda não nasceu nesse país

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Pra mim, o comentário do Canarinho das 12:27h resume tudo. Acho que nem o próprio Ozires sabe o que realmente está acontecendo. Há algo de podre no reino da Dinamarca. O tempo dirá.

Fred
Visitante
Fred

O Brasil tem outros personagens marcantes na história da Embraer, Vanessa. Como por exemplo Casimiro Montenegro Filho, aviador, pioneiro do CAN (deu instrução de voo ao Eduardo Gomes), Engenheiro Aeronáutico, criou o CTA ITA, que formou o Tenente Brigadeiro Paulo Victor que, por sua vez, foi o braço articulador da Embraer que, por sua vez, deu emprego ao TC Ozires.

Não estou desqualificando o brilhante Ozires. Minha intenção é lembrar que a história é mais completa que “o início no aeroclube de Bauru” e que não existe grão-mestre.

Fred
Visitante
Fred

O TC Ozires é um oficial e um administrador que se deve respeito pelo seu protagonismo na história da aviação nacional. No entanto, isso não faz dele uma unanimidade. Ele se equivoca quando narra a história da própria empresa, dentro de um prisma todo particular, o que dirá de seu futuro? Imagino que não se distancie dessa visão personalista. Não é saudável passar procuração para uma só pessoa sobre o futuro de todo um parque industrial, por mais que seja um ator importante. Até porque sua atuação foi dentro de um cenário com elenco riquíssimo; Mal. Casimiro Montenegro, Cel. Vitor… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Brilhante. Sim, Fred, foi no ROP, nos idos de 1992.

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Muito bom Fred, parabéns pelo comentário!!!

Juliano Lisboa
Visitante

18bi de divida? Putz… E normalmente quem compra assume essas dividas… Mais complexo do que imaginamos.

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Palavras de Ozires Silva, fundador e grande idealizador da Embraer Acordo Boeing-Embraer G1: O clima agora é parecido? [A Embraer e a Boeing negociam a criação de uma joint venture] Ozires Silva: Agora foi diferente, o problema foi externo. Acontece que o mercado mundial dos grandes aviões se centrou em duas companhias, sendo a Boeing e Airbus, e ambas têm grande suporte governamental, tanto Boeing dos EUA quanto a Airbus na Europa. São duas companhias muito potentes, porque recebem uma ajuda enorme. Por exemplo, só a Embraer tem 3,5 mil engenheiros para criar aviões novos, sendo um custo tremendo, dificilmente… Read more »

Wellignton Góes
Visitante
Wellignton Góes

De novo, premissas erradas. A Airbus não comprou e nem comprará a Bombardier, de novo estória mal contada e, pelo visto, por motivo de encobrir o fato propositalmente. Vergonha o Ozires Silva se dar a isto.

Outra, só mostra que o que importa é o reconhecimento (ego) pelo trabalho que ajudou a iniciar e não porque está preocupado, realmente, com o futuro da indústria aeronáutica nacional.

Lamentável!!!

Maurício.
Visitante
Maurício.

Sei que não é a mesma coisa, até porque somos mais próximos dos americanos que os americanos dos chineses, mas dêem uma olhada como são resolvidas as coisas em países sérios igual os EUA.
https://tecnoblog.net/236212/broadcom-qualcomm-ordem-trump/amp/

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Bom exemplo.

Marcos10
Visitante
Marcos10

As pessoas discordam de Trump, mas usam seus argumentos quando lhes interessa.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Marcos, eu só estou mostrando como um país sério trata essas “parcerias”, se você não gostou ou se mordeu por algum motivo, o problema é seu, e eu não tenho que concordar ou discordar do Trump, até porque ele é um presidente americano e não brasileiro.

José Fernando
Visitante
José Fernando

Pessoal, desculpa o comentário, mas existe uma extrema exacerbação nacionalista em volta desse assunto. Sou leigo no ramo, e este foi o único site com informações relevantes sobre a área, aliás, parabéns aos envolvidos. Comprei ações da EMBRAER a poucos dias acreditando nessa fusão, alguns se sentem tão donos da Embraer, mas se quer ganham alguma coisa com isso. Pensa comigo, você realmente acredita que ganhará alguma coisa caso ela permaneça com “status” de ser brasileira? Amigo, a empresa já foi privatizada a anos, quando dá lucro vai pro governo, quando dá prejuízo ou necessita de investimentos é você quem… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Amigo, eu voei produtos EMBRAER desde 1986, ao invés de comprar ações. Participei da idealização de um produto de sucesso que, agora, ela vende pro mundo. Estou, particularmente, discutindo o quanto a FAB será prejudicada se ela desaparecer. Não tem nada de lunático nisso. Conheci um pouco da EMBRAER, já andei muito por aqueles hangares, linhas de produção, salas de projeto, refeitório. Desde 1992.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Formidável, Rinaldo!

Lucas
Visitante
Lucas

Semana passada, a HydroOne, um empresa PRIVADA de distribuicao de energia da provincia de Ontario, Canada, ofereceu pra comprar uma empresa PRIVADA de distribuicao de energia no estado de Washington, USA, por 7 bilhoes de dollares.
O governo de WA vetou, com a alegacao que iriam ficar suscetiveis a interferencia estrangeira nas politicas de preco da empresa.
Sera que o Governador de WA seria “um internauta lunático com sentimentos nacionalistas.”???

Carlos Alemeida Borgignon
Visitante
Carlos Alemeida Borgignon

Esse JV é um belo acordo Caracu…

Só não vê quem não quer

O GF com os seus bilhões investidos deveria novamente estatizar a Embraer, pois é uma empresa orgulho nacional e principalmente manter a nosssa tecnologia segura e nossa soberania nacional

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Por esse tipo de comentário que acabo sendo a favor da Joint Venture… rs

Lucas
Visitante
Lucas

Como nao bastasse que levaram a Embraer pelo preco de fabrica de salsicha… agora o dinhero vai jorrar paras os politicos e a unica coisa que se compra a partir de agora eh boeing.. helis, cacas, transport, qq coisa quem escolhe agora eh a boeing…. eh assim em todo lugar q ela finca o pe.

Mauro
Visitante
Mauro

O atual governo poderá pagar um preço eleitoral muito alto, já nas próximas eleições.
Não sou de esquerda, longe disso, mas que é entreguismo avacalhado é… podem apostar, essas instalações vão para os EUA em menos de cinco anos.
Não existirá mais nada no Brasil dessa empresa…. agora resta o STF.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Era o momento certo para pechinchar equipamentos militares da Boeing, AH-64 Apache, CH-47 Chinook, F/A-18E/F Super Hornet e P-8 Poseidon.
Mas enquanto isso na entregolândia……

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Isto não é nada, não é questão de pechinchar ninharias. Parece aquela história de trocar ouro por espelhos.

Bueno
Visitante
Bueno

off topic preparo para o Revo H-36 Caracal
Pela primeira vez no Brasil, será realizado o reabastecimento em voo de helicóptero
https://twitter.com/portalfab/status/1073197971112685569

Cabeça Fraca
Visitante
Cabeça Fraca

Qual é a real necessidade do Brasil vender a produção de aeronaves civis da Embraer para os estadunidenses??…Esse dinheiro da venda vai ser aplicado em que setor no Brasil?…Como saber se o preço da venda foi justo?…Foi venda ou doação?…Porque o Brasil não compra a Boeing?…Porque a Rússia, a China, a França, a Inglaterra não vendem as suas empresas?..Isto não seria prejudicial a nossa Indústria de Defesa e a nossa Soberania Nacional?…Será que o povo brasileiro verdadeiro proprietários da Embraer concordam com essa doação?…Será que o PAI DA AVIAÇÃO…SANTOS DUMONT…aprovaria?…O Brasil precisa agregar valor aos seus commodities, e não vai… Read more »

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

O Fundador e idealizador da Embraer aprova a negociação…
quem melhor do que ele para opinar sobre o caso ??

Br
Visitante
Br

Qualquer um, ele nem mais faz parte da empresa, e ainda tem filho executivo da Boeing coordenando o acordo por uma bela comissão, ele é a pior pessoa para opinar, e veja só, ele nunca se disse favorável ao acordo, ele defendeu uma parceira que fosse boa para a Embraer e para o Brasil, sempre deixou isso muito claro, lembre-se que ele sempre disse que é melhor ser cabeça de rato que rabo de Leão.

Br
Visitante
Br

Minha filha, você vai ficar spamando até quando? Não tem uns pratos para lavar?

carcara_br
Visitante
carcara_br

Que c*zão

Marcos10
Visitante
Marcos10

Não é o GF que quer vender. É a Boeing e Embraer que querem se juntar. O dinheiro não vai ser aplicado em lugar nenhum. Vai migrar de americanos para americanos. O valor é justo? Não sei. Os acionistas, que receberão o dinheiro, estão achando pouco. Pq. os outros não vendem suas empresas? Na verdade vendem. Poderia passar o dia citando empresas que foram vendidas. Não vendem suas empresas de defesa. O Brasil também não. Prefere deixar falir. Dá para citar um monte. De qualquer modo o GF vetou a venda do setor de defesa. A única coisa que o… Read more »

fernandoEMB
Visitante
fernandoEMB

Seu Nick lhe cai bem cabeça fraca.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

A caminho de nos especializarmos no que produzimos de melhor, soja, milho, carne, frango, minério de ferro e petróleo.
Segundo certa linha de pensamento econômico, chegando agora no poder, é isso mesmo, cada um deve fazer o que tem mais aptidão, e todos ganham com isso.
Esse raciocínio só não serve para a Coréia do Sul, China e quetais, que partiram de economias agrárias e se tornaram potências industriais.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Onde assino?

Marcos10
Visitante
Marcos10

Mas serve para a Austrália, que não é industrializada e tem o maior poder de compra do planeta.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Sim, para países com populações pequenas, a eficiente exploração dos recursos naturais pode proporcionar bons níveis de renda para a população. Nova Zelândia e Noruega são exemplos. Mas para países com populações grandes, isso não é possível. Na Austrália, cuja população é de 25 milhões de pessoas, o setor de serviços também é muito forte.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Onde assino? De novo.

Pedro
Visitante
Pedro

Goodbye My Lover James Blunt Did I disappoint you or let you down? Should I be feeling guilty or let the judges frown? ‘Cause I saw the end before we’d begun, Yes I saw you were blinded and I knew I had won. So I took what’s mine by eternal right. Took your soul out into the night. It may be over but it won’t stop there, I am here for you if you’d only care. You touched my heart you touched my soul. You changed my life and all my goals. And love is blind and that I knew… Read more »

Lucas
Visitante
Lucas

Pergunta aos favoraveis a venda… se fosse vender pra China.. podia?

Marcos10
Visitante
Marcos10

Na verdade os chineses já compraram um monte por aqui.
O melhor modo de proteger nossas empresas é facilitando a vida delas, coisa que os governos não fazem. Por aqui há um árduo trabalho para criar dificuldades.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Vanessa Cioffi, 17 de dezembro de 2018 at 13:21 – Em que data estas declarações do Sr. Ozires foram feitas? Faz tempo né? E desde então ele não mais se manifestou. Favor, nos traga uma declaração atual dele… Sobre esta transferência disfarçada da Embraer para o ralo obscuro da BOEING. – Só recentemente que a Boeing abriu seu bico para revelar a patética aquisição de 80% da EMBRAER comercial, sob o disfarce cínico de nova empresa conjunta (Joint Venture), na qual quem assumirá o controle é CEO da Boeing, o que é óbvio pois caberá apenas 20% do que sobrar… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Pensei que só eu pensava assim… “Se Ozires Silva pular pelado de uma janela, vou tirar a roupa e pular atrás.” Que argumento…

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Vocês trabalham na empresa ? Conhecem a realidade da mesma ? Ou só ficam nesse nacionalismo barato ? Eu trabalho lá, sou engenheira de desenvolvimento de produto,conheço a realidade e posso afirmar a fase que a empresa está. Querem que a empresa mantenha-se como está atualmente no mercado e em médio a longo prazo feche as portas ? Ou vocês acham que a Embraer com o seu backlog de 473 aviões, lucro de 5 bi vai conseguir competir contra Airbus (mais de 5 mil aeronaves de backlog e 93 bilhoes de dolares) e contra a Boeing (mais de 7 mil… Read more »

carcara_br
Visitante
carcara_br

Taxar de nacionalismo barato a opinião de um militar num espaço pra debater a defesa brasileira é encurtar o debate por demais, não acha? Seria bom o pessoal ter o mínimo de respeito, afinal seus patrões jamais aceitariam a situação oposta em nome do mesmo “nacionalismo barato”. E como você aparenta ter conhecimento de causa me responda: Até quando você acha que vai continuar desenvolvendo produtos pela EMBRAER? tem um monte de americanos se formando nas faculdades procurando emprego. Estamos vendo os EUA cada vez mais protecionistas, o slogan do presidente eleito é: American first! me diga, qual a perceptiva… Read more »

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Nacionalismo barato sim, ignora-se números para manter a falsa idéia de que a “Embraer é o Brasil que deu certo” ou que a “Embraer é do povo brasileiro”. Querem competir com os dois maiores players do mercado sozinha é simplesmente assinar o atestado de falência ou demissão em massa. Competir diretamente com a Airbus ou Boeing é inviável, seja pelo tamanho da nossa industrial, nosso poder de produção em escala ou simplesmente pelo poderio financeiro da Embraer Um exemplo banal é negociar em escala com os fornecedores de motores por exemplo, enquanto nós entregamos 100 aviões por ano, logo 200… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Vanessa, esse argumento (não discordo totalmente ) é bem mais sólido, e embasado, do que “Ozires acha bom”. Agora sim contribuiu.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Nacionalismo barato… Não existe Nacionalismo barato, é como par ou impar, ou se trata de de se escolher valores locais ou de fora. Ou você é ou não Nacionalista. Algo que bem longe está de dubiedade (e até negação) de nacionalidade conferida pela certidão de nascimento. – E pífio… sim muito pífia essa sua argumentação, já muito rodada aqui, de que a Embraer não pode competir no mercado internacional de produção e venda de aeronaves comerciais, pois afinal já existem duas gigantes fabricantes de aviões cuidando da área. – O estranho (e que os argumentadores da quebradeira sempre deixam de… Read more »

Mauro 76
Visitante
Mauro 76

Putz…
Tomaram uma surra da engenheira!
Parabens engenheira pela aula de bom senso e por manter a postura quando um comentarista não tendo argumento lhe mandou lavar pratos.
Pós ate o coronel Rinald Galland se enquadrar e cair na real que não e todos que tem inveja dele por ter passado na academia , pois essa questao sempre e levantada por ele quando alguns não tomam partido do seu po to de vista!
Parabens Vanessa Cioffi , vc engrandeceu esse debate com elegância!

Fred
Visitante
Fred

Olá, Vanessa. Tudo bem? Vanessa, eu vi depois da privatização 1900 trabalhadores, como você, serem demitidos da Embraer. Muitos, muitos amigos próximos, e com excelente capacitação, passaram a sobreviver à míngua na aurora do Plano Real. Isso foi entre 95 e 96. Em 98 contrataram mais de 2000 para o 145. Em 2001 foram 1200 demissões, ou coisa parecida. Quantos foram demitidos em 2009? 4000? 4200? A empresa, por diversos motivos, retraía e expandia. No entanto, ela estava ativa, recontratando e se reinventando. A minha preocupação é a de que, paradoxalmente, a venda da Embraer (não me venham com JV)… Read more »

Fred
Visitante
Fred

E que estória é essa que somos competidores da Boeing? Se somos, o negócio é ilegal. Se não somos, resta-nos enfrentar um departamento da Airbus.

Ambos sabemos que aquisição de propulsores não é de TV de Led na Havan. Não é bem assim.

Era cláusula pétrea da Embraer sobreviver em nicho de mercado para não enfrentar grandes concorrentes. Se produzimos aeronave com o PW1900G (ou 1700, sei lá) que equipam Airbus, alguém não escutou o Grão-Mor Ozires.

Aí o problema é outro…

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Fred

Entrei na empresa em 2008, um ano antes da maior demissão em massa da história da Embraer, cerca de quase 5 mil funcionários

E eu vi com os meus olhos como foi triste e sofrido ver milhares de pessoas e inúmeras famílias que precisavam da renda dessas pessoas, grande parte delas qualificadas e com um potencial gigantesco.

Só quem viveu aquela época sabe que não queremos que isso se repita

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Fred

Se não acontecer o acordo entre Boeing e Embraer, você acha que a Boeing não irá entrar no segmento da aviação regional e deixar a Airbus sozinha dando as cartas no segmento ?

Obvio que não, se não for com a Embraer a Boeing entrará de alguma maneira nesse segmento, mais cedo ou mais tarde

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

A Embraer vai continuar existindo, só vai mudar o nome. A fábrica vai continuar em São José dos Campos, os empregados vão continuar projetando e montando aviões e o ITA vai continuar formando engenheiros pras gerações futuras da fábrica. Agora, sorte mesmo teve a Boeing que vai produzir produtos de altíssima tecnologia com mão-de-obra, salários e custos de um país de terceiro mundo.

Fred
Visitante
Fred

É aí que gostaria de convidar a amiga para o meu raciocínio. A reação da Boeing à Airbus não seria imediata. Teriam de voltar à prancheta e desenvolver até certificar (ou requentar projetos da McDonnell, o que duvido). Até lá, seria Embraer vs. Airbus. A saída da Boeing é a Embraer. Pronta para aquisição. Não existe outra empresa no mundo com a qualidade de produtos e produção da Embraer. Pensando friamente, ambas precisam de ajuda mútua e no mesmo peso para sobreviver. Salvo melhor juízo, não vejo até agora essa importância bilateral refletir na negociação. E esse é o meu… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Mauro 76 era um instrutor do 1°/5° GAV, em 1987, que efetuou uma passagem baixa de C-95 sobre uma jangada de pescadores, no litoral nordestino, e veio com um facão enterrado na asa. Ganhou uma bela cadeia do Brig Castro Paz. Era você? Não precisa ofender. A engenheira somente apresentou o ponto de vista dela, bem fundamentado, mas não muda minha opinião. Nem a do Fred, do Farroupilha, e de outros. Ela não precisa cursar a AFA, deve ter cursado o ITA, que é BEM MAIS DIFÍCIL! Eu não teria essa capacidade. E, Galland era caçador. Eu não sou.

Conan
Visitante
Conan

Perfeito Vanessa, sou ex funcionário da Embraer onde trabalhei mais de 10 anos na auditoria corporativa (sistemas da qualidade, produção e produto) e nunca li tanta bobagem a respeito da empresa com “especialistas” dando pitacos (civil e militar) com total desconhecimento do funcionamento da Embraer. A Embraer VAI CRESCER, os engenheiros e técnicos NÃO IRÃO EMBORA, as instalações tanto da JV ( São Jose dos Campos e Taubaté) como da Embraer (Gavião Peixoto, Botucatu e Eugênio de Melo) IRÃO CRESCER, as fabricas CONTINUARÃO AQUI, os projetos dos aviões regionais continuarão sendo feitos AQUI. Conheço bem a Boeing, já estive em… Read more »

Fred
Visitante
Fred

A suposição do confrade de que quem discorda das suas ideias não conhece a empresa é falsa. Conheço. Além de conhecer, formei profissionais que também atuaram na empresa. E é o que precisa saber.

Compartilhei com os confrades minha preocupação. Reler com atenção pode enriquecer o debate. Escrever algo em simples caixa alta, sem embasamento,ao meu ver, é como fechar bem apertados os olhos e dizer “é sim assim!”. Isso não agrega.

E quem falou mal do Ozires (cuja tese de doutorado desconheço) se verá comigo!

Abraços.

NelsonRJ
Visitante
NelsonRJ

“Os 20% restantes serão da fabricante brasileira, que poderá vender sua parte para a norte-americana a qualquer momento, por meio de uma opção de venda.” Li isto no G1, então a venda total é questão de tempo……

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Como quem tem dinheiro desrespeita as leis deste país!
Um juiz paulista não tinha barrado essa putifaria?
E para piorar o que já é muito ruim, abaixaram ainda mais o valor da transação.
Antes era 6 bilhões e agora é 5. 546 bilhões se não me engano.
Não tem jeito mesmos esses P@#$_ tá quando começa a cossar o negócio , não resistem a um gringo de olhos azuis kkkkk.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Um desembargador derrubou a liminar do Juiz paulistano…
“O desembargador Souza Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), derrubou a liminar da 24ª Vara Cível da Justiça Federal de São Paulo que impedia, temporariamente, o processo de transferência da Embraer para a Boeing. Para o magistrado, a ação popular foi “precipitada, infundada e carente de demonstração de qualquer vício de legalidade da operação negocial em andamento”.”
fonte: agenciabrasil.ebc

A legalidade é simplesmente o interesse e positividade para o POVO BRASILEIRO.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Nós não vamos ver um centavo disso. Quem receberá isso são os acionistas. Portanto não faz diferença alguma para nós quanto a Boeing irá pagar.

WVJ
Visitante
WVJ

5,5 ou 6 ou 10 bi. Isso é dinheiro pouco dada a importância da Embraer pro Brasil.
Pensemos bem: Qual é o deficit das contas esse ano, 140 bi? tem sido assim desde 2016 e tende a continuar pois ng quer tirar incentivos fiscais dados por Dilma/Temer.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Vanessa Cioffi, Apenas um detalhe, nada haver com o debate. O maior avião comercial o A380, da Airbus, se mostrou um fracasso comercial, porque seus gênios projetistas, se esqueceram de um importante detalhe: No mundo todo não existem centenas de aeroportos capazes de operarem com ele, mas apenas alguns poucos. Aqui na América do Sul, caso não esteja enganado são apenas três. O que isto significa? Significa que numa emergência (ex: aeroporto fechado) ele praticamente não tem opções próximas de onde pousar caso seu combustível esteja acabando. Infelizmente, o que parecia ser uma boa sacada relacionada ao crescimento mundial no… Read more »

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Quem dera as coisas fossem simples assim. O relativo fracasso comercial do A380 não tem relação com esse detalhe que você menciona, mas sim com uma leitura equivocada do mercado. Acreditou-se que a restrição de espaço nos “hubs” aeronáuticos levaria a uma escalada no tamanho dos aviões, criando mercado para o A380. No entanto, o surgimento de aeronaves menores, com longo alcance fez com que os “hubs” ficassem menos relevantes, com as pessoas preferindo voar diretamente para seus destinos. Nesse novo padrão de tráfego o A380 não tem muito espaço, embora tenha vendido mais de 330 unidades.

Guga
Visitante
Guga

Segundo matéria na Globo.com: “Os benefícios gerados pela nova empresa serão divididos igualmente entre a Embraer e a Boeing. Já os custos serão assumidos separadamente, explicou a investidores o vice-presidente Executivo Financeiro e Relações com Investidores, Nelson Krahenbuhl Salgado.”

Se entendi bem estes benefícios (entendo por lucros) serão igualitários. Ai sim vejo vantagem, caso verdadeiro!

Br
Visitante
Br

O que eu li é o contrário, as duas empresas tem que investir o mesmo valor, sendo que se uma empresa não for capaz de fazer os aportes, a outra pode ritira-lá da JV, ou seja, se a Embraer não tiver dinheiro para investir o mesmo que a Boeing, ela pode ficar sem os 20%, os projetos, os engenheiros e as fabricas.

Guga
Visitante
Guga

A engenheira Vanessa acabou de confirmar aqui nos comentários e o vice presidente também já falou na matéria. Serão 50% de lucro para ambas empresas. Não se trata de investimento.

Mf
Visitante
Mf

A Embraer não só vai evitar sua falência como terá retorno com esta parceria. A Boeing vai arcar com maiores custos por isso 80% de participação. No caso do KC390 será a salvação do mesmo. As 30 unidades que a FAB deve receber não bastam. Com participação da Boeing aumentam muito as chances de exportação , do contrário a influência política nos impediria de concorrer com aviões de mesma categoria fabricados por americanos e europeus.

Joao Moita Jr
Visitante

Do jornal Estadão;
“De acordo com a parceria anunciada, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture”
Good bye, Embraer…

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Um detalhe que talvez não esteja sendo considerado é que isso foi o acordado entre a Boeing e os dirigentes da Embraer ( funcionários ), os acionistas é que junto c/ o GF tem a palavra final, então isto pode ser uma versão 01 do acordo definitivo.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Off topic: hoje foi realizado o primeiro REVO entre um H-36 Caracal e um KC-130, ambos da FAB. Recebi um pequeno vídeo pelo Whats. Dia histórico.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Que ótima noticia!
E que furo.
Corri no site da FAB e não tem nada.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Saiu hoje. Olhe lá.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Sim, a Boeing deterá 80% da nova empresa inclusive o direito de ditar os rumos da mesma Quanto a Montaer, será transformada em um escritório regional de projetos lero lero, seus funcionários altamente qualificados serão em maior parte demitidos, seu parque fabril altamente tecnológico (implantado com dinheiro nacional e tecnologia desenvolvida nacionalmente via ITA/DCTA) será desmantelado. Se tinha algum projeto estratégico e secreto nacional ( como um caça de 5° geração ou uma versão Final ship do KC-390 por exemplo) já era. Aí pergunto, será que a Boing transferirá para nova empresa fabricação ou transferência de tecnologia de sua nova… Read more »

Mf
Visitante
Mf

Histeria. Esquerdismo é doença.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Cara Vanessa Cioffi, boa noite. Primeiramente quero agradecer por sua participação, creio que se mais pessoas de dentro da empresa, como também é o caso do FernandoEMB, participarem dos debates, menos devaneios ( não estou me referindo a esse tópico, mas de uma forma geral ) serão postados. Poderia nos dar mais algum detalhe como capacidade ou se o novo turbo-hélice será bem mais avançado do que os atuais, como já foi especulado há algum tempo. Aproveito também p/ perguntar se lhes foi dada alguma outra informação sobre a JV do KC-390. Gostaria de lhe dizer sou alguém que acompanha… Read more »

Paulotd
Visitante
Paulotd

E o povão acredita nessa ladainha de que vão investir na Embraer, manter a estrutura em SJC, e tal.. A idéia aqui é sugar o que tem de bom e barato e depois fechar a empresa. É óbvio que não querem manter nenhuma grande estrutura aqui, se mesmo a Embraer atual vem transferindo muita coisa lá pro Norte.. O desmonte da empresa vai ser gradativo. Não querem que haja nenhum player que hoje é pequeno, mas pode crescer, pois já demonstrou competência para isso. Com esse governo puxa-saco de americano melhor não termos esperanças mesmo. Melhor apostarmos na Akaer… Milicos,… Read more »

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

Eu ia até fazer um comentário ácido, mas quem sou eu pra saber as dores. É a seleção natural. Quando se é pego pega jugular talvez não tenha muito o que fazer. Espero que dê pra salvar muita vaga com esse tal “mini-búfalo”.