Home Aviação de Caça Lockheed recebe contrato do IRST21 para os F/A-18E/F Super Hornet da US...

Lockheed recebe contrato do IRST21 para os F/A-18E/F Super Hornet da US Navy

1958
10
F/A-18F Super Hornet com IRST em casulo ventral

A Boeing concedeu à Lockheed Martin um contrato para a fase II do programa do sistema de Busca e Rastreamento por Infravermelho (IRST) do F/A-18E/F Super Hornet Block II para a Marinha dos EUA.

Conforme explicado pela Lockheed Martin, o contrato prevê o desenvolvimento completo, a integração da plataforma, o teste de voo e a qualificação do sistema de sensores IRST21 Block II.

“Continuamos com um longo legado de fornecimento de tecnologias de sensores inigualáveis ​​para nossos clientes em todo o mundo”, disse Michael Williamson, vice-presidente de Sensores e Sustentabilidade Global da Lockheed Martin Missiles e Fire Control. “O sistema de sensores IRST21 oferece aos operadores de F/A-18E/F da Marinha dos EUA capacidades superiores de detecção e sobrevivência.”

O sistema de sensores IRST21 usa tecnologia de busca e rastreamento de infravermelho para detectar e rastrear passivamente ameaças no ar em ambientes sem radar. Contribuindo tanto para a Marinha dos EUA quanto para a Força Aérea dos EUA, o IRST21 fornecerá uma capacidade crítica de combate a qualquer ameaça e apoiará diretamente as demandas operacionais. Atualmente, o IRST21 é montado no nariz do tanque de combustível de linha central do F/A-18E/F e no Legion Pod para outras plataformas de caça e combate.

O sistema de sensores IRST da Lockheed Martin está em plena produção e registrou mais de 300.000 horas de voo nas plataformas F-14 e F/A-18E/F da Marinha dos EUA e plataformas F-15, F-15C e F-16 da Força Aérea dos EUA.

Um Super Hornet equipado com um por IRST sob a fuselagem

10 COMMENTS

  1. O Gripen tem um sistema IRST na própria aeronave, os aviões russos também o sistema na própria aeronave, mas pelo que eu vejo os americanos preferem um POD, qual a melhor opção?

    • É que no pod não existe necessidade de fazer grandes modificações na aeronave, a instalação sai mais barata. Em compensação, colocar o sistema internamente na aeronave interfere menos na aerodinâmica da mesma.

      Acho ( e é uma suposição minha) que o legion pod tem mais espaço interno e permite a instalação de um sistema maior e “mais potente.”

    • Melhor opção é ter no avião mesmo. Mas provavelmente esse IRST é tão bom que eles preferem colocar de qualquer jeito no avião, então joga no tanque ventral e pronto.

    • As últimas versões do F-16 utilizam o sensor internamente, à frente do canopy. Também acredito que seja mais conveniente assim. Vai que surge a necessidade de alijar esse tanque ventral, mesmo sendo um tanque supersônico.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here