Home Aviação de Ataque Taiwan: corrosão provoca atrasos na entrega de caças F-16V

Taiwan: corrosão provoca atrasos na entrega de caças F-16V

6119
60
F-16 de Taiwain
F-16 de Taiwan

TAIPEI – A entrega dos primeiros quatro caças atualizados para a versão F-16V terá que ser adiada até março de 2019 devido a um problema de ferrugem, disse a Força Aérea de Taiwan nesta quarta-feira.

O país tem 143 jatos F-16A/B que devem ser modernizados e atualizados para caças F-16V pela Lockheed Martin a um custo total de NT$ 129,6 bilhões (US$ 4,2 bilhões).

Os primeiros quatro aviões modernizados deveriam ter sido entregues a Taiwan até o final deste ano, mas como a corrosão foi descoberta na aeronave, a entrega deles terá que ser adiada até março, informou o Apple Daily na quarta-feira.

Sete dos 150 jatos F-16 que Taiwan comprou dos Estados Unidos em 1992, durante a administração do falecido presidente George H.W. Bush, caíram, com as 143 aeronaves restantes atingindo a meia-idade. Os EUA concordaram em 2011 em atualizar todos os jatos F-16 de Taiwan.

Apesar do atraso em relação à questão da corrosão, 2023 continuou sendo o prazo final para o trabalho em todos os aviões ser concluído, disse o chefe do Estado-Maior da Força Aérea, Liu Jen-yuan, aos legisladores na quarta-feira.

A atualização incluiu a instalação de sofisticados equipamentos de radar semelhantes aos usados ​​pela Força Aérea dos Estados Unidos em seus jatos F-22 e F-35, segundo as reportagens.

FONTE: Taiwan News

60
Deixe um comentário

avatar
23 Comment threads
37 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
27 Comment authors
Antunes 1980Antonio PalharesDelfimDoug385Rommelqe Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antoniokings
Visitante
Antoniokings

No fundo, é bem feito para Taiwan.
Em pleno Século XXI encomendar atualização desses aviões.
Isto é avião para Eslováquia, Eslovênia e olhe lá.
Do tipo ‘foi o que deu para comprar’.

Agora, problemas com ferrugem ‘é brincadeira’.

JPC3
Visitante
JPC3

É da mesma geração dos Sukhois que Rússia e China utilizam. E com a eletrônica do F-16V ele é páreo para qualquer caça da geração 4,5, além de ter maior disponibilidade que outros caças bimotores.

É um ótimo caça.

Jr
Visitante
Jr

É um ótimo caça, mas tem que limpar a pista dele direitinho, se não o bichinho faz beicinho e não decola

JPC3
Visitante
JPC3

Ainda assim é o caça de 4° geração mais vendido no mundo e com milhares de missões bem sucedidas.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Posso imaginar o medo da China tendo de enfrentar esses F-16 com os seus Su-35.

JPC3
Visitante
JPC3

Não, primeiro você tem que passar uns anos pesquisando…

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Pergunta para algum oficial da IAF a opinião dele sobre o F16….
Fala sério.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Excelente avião. De ponta. Em 1990.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Roberto.
Se não me engano, apenas países de menor relevância vêm fazendo encomendas de F-16.
Já não é avião de ponta há muito tempo.
São apenas atualizações de versões mais antigas ou pequenas encomendas de países periféricos.
Lembro que a linha de montagem dele esteve/está ameaçada de desativação por falta encomendas.
Essas pequenas encomendas deram uma pequena sobrevida ao modelo.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Menor relevância….
Tipo os Operadores do SU-30…
Vietnã, Uganda, Angola, Argélia, Venefavela…
Assim?

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

A rigor, o F-16 terá um radar AESA (APG-83) que é uma tecnologia mais moderna do que os radares PESA do Su-35, por exemplo… si, o F-16 bem recheado e com pilotos bem treinados é páreo para qualquer avião de 4+ geração.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Partindo de um adorador da Russia e da China, não se espera outro tipo de comentário.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Evidentemente, ferrugem é uma palavra derivada de ferro.
É apenas para ‘modo de dizer’.
Ou popularmente conhecido……..

Sidy
Visitante
Sidy

Ferrugem é o produto de corrosão formado pela oxidação de metais ferrosos, ou seja, ferrugem = óxido de ferro.
O termo corrosão se aplica a todos os materiais metálicos: aço, alumínio, zinco, ligas de cobre, etc. A maneira como ocorre o processo de corrosão depende de cada metal e das caracterísiticas do meio onde está exposto, havendo ainda diversos outros fatores que podem influenciar, tais como a presença de frestas, por exemplo.
Tentei achar alguma informação mais detalhada sobre o problema de corrosão destes F-16s de Taiwan mas não tive sucesso.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Corrosão sob tensão…..

Sidy
Visitante
Sidy

Se for isso é bem grave, pois um dos sinais de CST é a presença de trincas…

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

“150 jatos F-16..” Isso é que é um número de respeito.

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Sendo efetivamente atualizados, a dor de cabeça chinesa só aumenta…

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante

143 F-16 modernizados a um padrão 4,5 geração são uma força de respeito, que não é desprezada por nação agressora alguma.

Vinicius
Visitante
Vinicius

O problema seria de onde decolariam esses vetores se todos o seu aeródromos fossem destruidos. Taiwan possui um sistema de defesa em camadas?

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Taiwan possui ( ou EUA possui) Um mega radar alem do horizonte em seu litoral ocidental. Aviso antecipado vai ter, se será suficiente só Deus sabe.

rdx
Visitante
rdx

Esses 143 F-16V dão conta da lixarada chinesa

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Concordo. Insta esclarecer que o partido mais próximo à China ganhou as últimas eleições em Taiwan. E com certa vantagem.
É questão de tempo a China fazer valer seus direitos e Taiwan será reintegrada à Pátria Mãe.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A lista é longa, mas a estrela, sem dúvidas, é o Su-35S.
Esse é o avião!

JPC3
Visitante
JPC3

O Su-35 é um avião de muito maior capacidade que o F-16 e possui várias vantagens, mas em um duelo direto o mais importante é a eletrônica das aeronaves e as qualidades dos mísseis. O Su-35 pode acelerar mais e dar mais alcance aos seus mísseis, porém se o sistema de guerra eletrônica do F-16V for melhor isso pode não adiantar muito.

Que o Su-35 é superior não há dúvidas, só que é a eletrônica, junto com as táticas e o treinamento, que tende a definir quem vence e quem perde.

Vinicius
Visitante
Vinicius

O su-35 é um projeto mais novo que F-16 o que por si só, já o torna mais avançado. Ambos “vira e mexe” recebem pacotes de atualização.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

E a eletrônica do Su-35S é elogiadíssima por analistas militares e considerada por muitos a melhor de todas.

JPC3
Visitante
JPC3

A eletrônica do Su-35 é sim excelente

Mas ninguém considera a eletrônica do Su-35 melhor que a dos caças de 5° geração, nem os russos. Pode ser mais potente em alguns casos, mas não é tão avançada quanto a de um 5G.

JPC3
Visitante
JPC3

Vinicius

Esse F-16V tem algumas das tecnologias mais avançadas do ocidente, o radar, por exemplo, usa tecnologias do F-22 e do F-35 e é várias vezes mais eficiente que o radar de um F-16C da USAF. Fica difícil saber quem consegue acertar quem primeiro.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Roberto, é tanta sopa de letras que fica complicado, se nem você que tem bastante conhecimento sabe, imagina nós meros intusiastas, mas eu lembro de um, o Su-37, aquele 711 que tinha uma bandeira do Brasil na fuselagem, na matéria aqui do PA de 2014 você disse que ele acabou se perdendo, eu nem lembrava desse seu comentário, no início dos anos 2000 ele aparecia em tudo que era revista.
Ampliando a imagem da pra ver a bandeira do Brasil, imagem feita em Anápolis:
comment image

Jacinto Fernandes
Visitante
Jacinto Fernandes

Esta lista deve inclui as versões chinesas?
Su-27
Su-30 MKI
Su-30 MKK
Su-30 MKM
Su-33
Su-34
Su-35
China
J-11A
J-11B
J-11BS
J-11BH
J-11BSH
J-15
J-16
J-11D

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

O Fullback deve estar fora desta lista, é outro avião.

Maurício.
Visitante
Maurício.

A China tem que esquecer Taiwan, é igual os argentinos na questão das Malvinas, sempre essa ladainha do lado chinês/argentino.
A Argentina inclusive poderia ter caças modernos se não fosse essa implicância com os ingleses, teve guerra e eles perderam mas parece que isso não entra na cabeça deles, os ingleses inclusive ajudaram nas buscas do submarino argentino.
Outra picuinha sem fim é aquele monte de pedregulho/ilhas entre chineses e japoneses.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Meu senhor, ou esse Taiwan News é sensacionalista ou então a LM desaprendeu a trabalhar em local onde existe maresia.
Quanto voltar a pertencer a China só quando a galinha criar dentes por que não é o que a população deseja

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

O único problema é que esta questão não passa apenas pelo desejo do povo de Taiwan.
Do ponto de vista chinês é apenas uma província rebelde. Tem o mesmo povo e a mesma origem histórica
Seria como o Alasca se separar dos EUA ou o Rio Grande do Sul do Brasil.
Seriam apenas províncias rebeldes e, sendo assim, a vontade popular não seria relevante.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Nilton, eu sou contra Taiwan voltar a pertencer a China, mas essa história de desejo da população não cola, quando os americanos invadiram o Havaí, ninguém perguntou para os nativos se eles aceitavam ou não a invasão, a Rússia não fez pergunta alguma na Criméia também.

Nilton L Junor
Visitante
Nilton L Junor

Mauricio a Criméia não esta em guerra civil quem durmiu de toca foi a Ucrânia.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Nilton, todos os países invadidos foi porque dormiram de toca, estando esses países em guerra civil ou não.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Exatamente, a Criméia escolheu essa é a diferença, da mesma forma que os vários povos que hoje fazem parte da ilha de Taiwan não desejam ser satélite da China, e outra diferença é que eles tem forças armadas muito melhor do tinha resistência pró Ucrânia na Criméia.

Delfim
Visitante
Delfim

Legal esta parte da vontade da população taiwanesa de querer ser independente, mas a PRC não é uma democracia, isto faz toda a diferença.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Senhor Nilson.
A população da ilha esta em torno de 23,5 milhões de pessoas. A China passa de 1,3 bilhões de pessoas e muito perto do continente. Quanto a Criméia sempre fez parte da Russia e seus moradores em sua maioria eram e são russos. É uma questão de história. Os chineses estão aumentando seu cacife e na hora que acharem adequada, vão proceder a reunificação.

Vinicius
Visitante
Vinicius

Qual país é mais vulnerável a um ataque aéreo, Brasil ou Austrália e qual/quais ponto(s) se destruídos decretariam a derrota do Brasil?

Munhoz
Visitante
Munhoz

Por alguém que não entende numa visão simplista diria que é o Brasil, no entanto analisando os vizinhos e a distância etc e dependendo da situação etc podemos concluir que é a Austrália!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A Força Aérea da Austrália é substancialmente mais poderosa que a brasileira.
Não saberia dizer os meios terrestres.
Mas, acredito que pelo posicionamento geopolítico atual, com a Austrália se alinhando com os EUA tentando frear a influência chinesa e a qualidade de seus meios aéreos, acho que a Austrália tem vantagem.

JT8D
Visitante
JT8D

Difícil dizer qual ponto destruído decretaria a derrota, mas se Brasília fosse destruída a recuperação do país seria espantosa

SPQR
Visitante
SPQR

Depende. O bombardeio teria que acontecer numa quarta-feira, que é o único dia em que os integrantes dos Três Poderes estariam na cidade.

Hermes
Visitante
Hermes

Viriam políticos de outras partes do país e promoveriam uma recuperação bilionária com a ajuda de empreiteiras de norte a sul. Seria oportunidade única para os corruptos que não conseguem chegar ao topo.

SPQR
Visitante
SPQR

A Austrália está alinhada com os EUA e é commonwealth, isso deve desiquilibrar a balança para o lando dos cangurus.

LEONEL TESTA
Visitante
LEONEL TESTA

Com a chegada dos Gripens e os submarinos Scorpene acredito que as forças de Brasil e Australia se equiparam

LEONEL TESTA
Visitante
LEONEL TESTA

Com a chegada dos Gripens e Submarinos acredito que as forças de Brasil e Australia se equivalem

paulo souza
Visitante
paulo souza

basta destruir os radares dos cindacta que o brasil fica de 4. uma bombinha em s pedro da aldeia, outra na “fábrica” de submarinos, uma na AMAN e outra na AFA, terminam o serviço. com o recado bem dado, a rendição vem fácil.

mas é muito mais rápido destruir as linha de transmissão de itaipú, nuns 10 pontos de difícil acesso, deixando o sudeste todo paralisado.

mas é muito mais barato fazer acordo com o marcola e o PCC parar os grandes centros. se a organização fez uma vez com são paulo, pode fazer novamente nas principais capitais.

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Não é tão simples assim. Certamente FAB e Marinha seriam derrotadas em um primeiro momento, entretanto o exército partiria para a guerra assimétrica e, em um pais de 8 milhões de km2, não seria uma vitoria fácil e muito menos rápida.

Marcio
Visitante
Marcio

Kkkk o tal do “novo rico” é de doer….
Vejo as pessoas falando mal da atualização das “150” aeronaves f16, quase que se gabando dos Gripen (que nem ainda temos), e nem se lembram que o Brasil até ano passado tinha o F-5 como principal caça!!! :-/

Luciano
Visitante
Luciano

Hum…isso significa q esses 143 F-16 modernizados, entre outros armamentos e equipamentos, vao parar na mão da China, pelo menos o que sobrar na época…

Luciano
Visitante
Luciano

Sim, é verdade. É o curso da história nessas questões e a longo prazo contribuem pra evolução da história militar, entre outras coisas.

Doug385
Visitante

Se eu fosse os taiwaneses faria o mesmo que os chinos fizeram: construir ilhas artificiais, mas bem no meio do Pacífico, pertinho de Guam para ser mais exato. No dia em que os chineses continentais resolverem tomar de volta a ilha (mais dia, menos dia isso vai acontecer) zarpa quem quiser para o meio do Pacífico e não precisa viver sob a desgraça do regime comunista.
É só uma ideia.

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Taiwan é o maior porta aviões dos EUA, não é tão simples a vitória chinesa. Acredito numa solução desgastante de longo prazo.

Delfim
Visitante
Delfim

A variante A/B foi fabricada até 1984 quando começou a variante C/D, ou seja, estes caças tem no mínimo 34 anos de fabricação. Some as horas de voo e a questão de serem expostos a maresia em maior ou menor grau (Taiwan é uma ilha de apenas 36.000 km²), e está explicado.
Ademais o F-16 não é um caça naval, e duvido que algum engenheiro aeronáutico pense em mais de 30 anos de utilização na prancheta.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Acho que, quando a China continental decidir ter de volta seu território. Isto vai acontecer sem necessidade de dar um tiro.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Não seria mais vantajoso vender estes vetores, e adquirir novos Gripen NG?