Home Aviação Comercial Jato E190-E2 ‘Shark’ completa turnê mundial

Jato E190-E2 ‘Shark’ completa turnê mundial

1515
7
E190-E2
Embraer E190-E2

São José dos Campos – SP, 7 de dezembro de 2018 – O jato E190-E2, ostentando a pintura de um tubarão na fuselagem, completou a turnê mundial de demonstração de cinco meses. Iniciada no Farnborough Airshow, no Reino Unido, em julho deste ano, a turnê do jato E190-E2 passou por 39 países, sendo exibido para 120 empresas aéreas em 68 cidades, percorrendo mais de 125 mil milhas náuticas (231 mil quilômetros), ou o equivalente a quase seis voltas ao redor na Terra, em mais de 350 horas de voos de demonstração.

Além de estar presente em Farnborough, o jato esteve na 12ª China International Aviation & Aerospace Exhibition (Exposição Internacional de Aviação & Aeroespacial da China), em Zhuhai, na China, e no evento ALTA Leaders Forum, no Panamá, além de visitar empresas aéreas nas Américas, Europa, Oriente Médio, África, China e na Ásia-Pacífico.

Durante a turnê, o E190-E2 realizou pousos em alguns aeroportos que apresentavam diversos desafios operacionais, como pistas curtas, a exemplo de London City, em Londres, e em grandes altitudes, como no Tibet e no Nepal. Além disso, a aeronave visitou pontos extremos do planeta, como o Kiribati, na Oceania.

“O objetivo principal era demonstrar às companhias aéreas as características que tornam o E190-E2 um avião único na categoria”, disse Rodrigo Silva e Souza, Diretor de Marketing da Embraer Aviação Comercial. “A turnê permitiu que as empresas aéreas vissem o que o E190-E2 pode oferecer em termos de desempenho operacional, mantendo o mesmo espaço na cabine de passageiros que consagrou a primeira geração de E-Jets. Importante também dizer que a turnê ocorreu sem interrupções, com uma operação sem falhas e 100% de disponibilidade do E190-E2.”

O E190-E2 é o primeiro de três novos E-Jets E2s que a Embraer está desenvolvendo para suceder seus E-Jets da primeira geração. Comparado com a primeira geração do E190, o E190-E2 oferece uma redução de 17,3% em termos de consumo de combustível e quase 10% menos que o concorrente direto. Isso a torna a aeronave mais eficiente de corredor único no mercado. O E190-E2 traz mais flexibilidade com alcance máximo de até 5.300 km, ou cerca de 1.000 km a mais do que o E190 de primeira geração.

O E190-E2 também oferece economias significativas para as companhias aéreas em termos de custos de manutenção, com uma redução de até 25%. A aeronave possui os maiores intervalos de manutenção, com 10.000 horas de voo para verificações básicas e sem limite de calendário na utilização típica de E-Jets. Isso significa 15 dias adicionais de utilização de aeronaves em um período de dez anos.

Os pilotos da primeira geração de E-Jets precisam de apenas 2,5 dias de treinamento e sem a necessidade de um simulador de voo completo para pilotar o E2, o que diminui a carga de treinamento e economiza tempo e dinheiro para as companhias aéreas. O cockpit do E2 apresenta avançada aviônica integrada Honeywell Primus Epic 2. Juntamente com os controles fly-by-wire, os sistemas trabalham juntos para melhorar o desempenho da aeronave, diminuir a carga de trabalho do piloto e reforçar a segurança de voo.

Do ponto de vista do passageiro, a cabine do E2 apresenta uma confortável disposição de dois assentos de cada lado do corredor. A ausência do assento no meio permite que os passageiros tenham uma experiência de voo agradável, com mais espaço para as pernas e para armazenamento de bagagem.

A Embraer é a principal fabricante mundial de jatos comerciais com até 150 assentos. A empresa possui 100 clientes de todo o mundo operando as famílias de aeronaves ERJ e de E-Jets. Somente para o programa de E-Jets, a Embraer registrou quase 1.800 pedidos firmes e 1.400 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais. Hoje, os E-Jets estão voando na frota de 70 clientes em 50 países.

E190-E2
E190-E2

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

7 COMMENTS

  1. A Embraer bem que poderia desenvolver um 190 de reconhecimento naval. Futuro substituto dos Eletra-Orion. Com a sua velocidade poderá cobrir grandes áreas em muito menos tempo. A capacidade de carga pode abrigar uma ampla gama de sensores e de armas, como o próprio Mansup, ou mesmo o Harpoon usado nos Orions.

    • Poderia! Mas para Embraer fazer isso “algum” cliente tem que solicitar o projeto, e pagar por ele, ou existir um grande mercado que com certeza irá comprar. A SAAB desenvolveu 3 versões navais dedicadas, nas plataformas SAAB 340, 2000 e Bombardier 6000. Más após encomendas! E o os aviões então ficaram disponíveis ao mercado. O tanque Osório foi o melhor dos melhores que o dinheiro poderia comprar em seu temoo, mas ainda assim, sem clientes o projeto morreu com um enorme e fatal prejuízo.

      • Impossível disso acontecer, infelizmente. O E2 vai passar a ser produto “Boeing” mas eu também gostaria de ver um E190 E2 nas versões de Patrulha marítima e awacs.

        • O GF pode encomendar uma variante naval a hora que quiser, seja Embraer, seja Boeing, desde que pague. A Embraer desenvolveu uma versão do Legacy 500 para o GEIV. Custou caro, todo mundo declamou do preço, mas a Embraer fez.

  2. Esse Tour é um excelente meio de exposição para vendas.

    Embraer Defesa & Segurança não entra na negociação com a Boeing. Devem preservar a integração entre ambas.

    • E olha que foi o maior tour já realizado pela Embraer… Em cada demonstração foram distribuídos materiais de divulgação personalizados para cada empresa aérea. Material show de bola.
      Baita tour.
      Deve ter rendido muitas histórias e curiosidades.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here