Home Aviação de Caça IMAGENS: Caças Saab Gripen armados com mísseis Meteor e AMRAAM

IMAGENS: Caças Saab Gripen armados com mísseis Meteor e AMRAAM

21450
61
Caça Saab Gripen armado com mísseis Meteor e AMRAAM ao mesmo tempo (clique nas imagens para ampliar)

Na fotos, caças Saab JAS 39C Gripen armados com mísseis Rb 98 IRIS-T, Rb 99 AMRAAM e Rb 101 Meteor ao mesmo tempo.

A Força Aérea Sueca opera 73 caças Gripen C monopostos e 24 Gripen D bipostos, todos com upgrade para o padrão MS20 (a versão final para o Gripen C/D). Essencialmente, um pacote de software, o MS20 inclui a integração do míssil ar-ar MBDA Meteor, além do alcance visual, e da bomba Boeing GBU-39 Small Diameter Bomb I; melhores modos de radar; uma capacidade de apoio aéreo aproximado digital; maior conectividade do Link 16; aprimoramentos da navegação civil; proteção química, biológica, radiológica e nuclear (CBRN) para o piloto; operações com capacidade noturna usando o SPK 39 Modular Reconnaissance Pod II; e um sistema de prevenção de colisão com o solo (GCAS).

Com 60 caças Gripen E previstos para entrar em operação entre 2022 e 2026, a Força Aérea Sueca originalmente pretendia aposentar seus Gripen C (os Gripen D seriam mantidos para treinamento de pilotos) durante o mesmo período. No entanto, em maio de 2017, o serviço divulgou que estava analisando as opções para reter um número dessas aeronaves mais antigas para compensar um déficit previsto nos números do Gripen E.

FOTOS: Jörgen Nilsson

61 COMMENTS

      • Viúva é quando o marido morre.
        Você não viu a última de Taiwan?
        O F-16 pode desbancar o F-35!
        A produção vai acabar comemorando bodas de ouro.

        Tem gente aqui que vai morrer e o F-16 ainda estará sendo produzido…

        • O f35 nada mais é do que um protótipo de avião que não funciona. Isso é um fato, até colocá-lo operacional serão anos de testes. Não entendo a razão de países que necessitam de aviões de combate terem adquirido esses aviões(vide hrs Bretanha que agora está se vendo louca pra conseguir pagar por eles e arrependida de não ter pego um caça mais funcional como um typhoon ou um f18) ou Israel que já tratou logo de substituir os f35 por versões melhoradas do f16 e f15…. A resposta acredito eu, é a mesma que levou algumas nações a década até as escolher o f104 “fazedor de viúvas”….lobby e pressão política

  1. Pergunta:

    Pq ele tem que usar 2 adaptadores pra levar o míssil? Se é que são 2 e se são adaptadores mesmo.

    Pq eles não vão meio que direto na asa como o F-15 leva colado ao corpo?

    Isso não aumenta o peso e o arrasto do Gripen?

    • O que sai da asa é o pilone , todo caça possui e o outro é o trilho lançador .
      OS misseis que vão colado na fuselagem são liberados por gravidade e depois disso que o motor foguete é acionado .

        • É preciso levar em conta que o trilho não é apenas uma simples sapata para pendurar e encaixar o míssil. Existem diversos componentes que permitem a comunicação do míssil com a aeronave e outros sistemas.

        • é disso que eu falo.

          O do Gripen parece muito maior. E se não bastasse isso ele ainda vai outro adaptador.

          É diferente do F-15 que vai quase “colado” no corpo.

          • Rui, os pilones subalares do Gripen podem conter compartimentos para instalação de contra medidas como chaff, flares e iscas rebocadas e indo mais longe, podem conter contra medidas eletrônicas. É um espaço que pode ser muito útil, ainda mais em uma caça compacto.

          • Esse tipo de “hardpoint de uso fixo” normalmente tem suas limitações também.

            Por exemplo, os hardpoints sub alares e ventrais do Gripen podem levar uma diversidade de mísseis, bombas, pods e, em alguns deles, tanques de combustível. Os do F-15 ou do Typhoon só podem ser usados para mísseis ar-ar BVR.

            Por outro lado, por dispensar qualquer equipamento extra, como sapatas para fixar os mísseis, há uma adição menor de peso (que conta para o MTOW do caça). Outra vantagem, principalmente no caso do Typhoon é que ele pode carregar 4 Meteor/AMRAAM com menor adição no arrasto aerodinâmico e RCS, por ter 4 hardpoints semi-conformais. No fim, como se diz, cada escolha acarreta uma renúncia.

      • Na verdade mísseis encaixados na fuselagem são ejetados, não caem sozinhos. Tem vídeos por aí mostrando as hastes empurrando o míssil para longe da fuselagem, antes desse ligar o próprio motor.

        O motivo é garantir que a correta separação do míssil, independente das condições de velocidade e altitude externas.

    • Porque esses pilones são multiuso. Levam tanques, bombas e mísseis. Só que para mísseis, precisa de um rack, assim como pra levar mais de uma bomba no pilone.

      No F-15 os mísseis usam trilhos fixos no pilone, mas isso porque ele tem uma asa mais alta
      https://i.kinja-img.com/gawker-media/image/upload/s–PFNH0e2q–/c_scale,f_auto,fl_progressive,q_80,w_800/1244237263892725606.jpg

      Já pontos que SÓ USAM MÍSSEIS como esses no F/A-18E, não precisam de rack
      https://fullafterburner.weebly.com/uploads/8/4/8/6/84869598/aim-120_orig.jpg

  2. os números da Suécia hoje, são os que o Brasil deveria ter.
    97 caças, no futuro não menos que 84, pois devem manter os Gripen C MS20 mais novos em operação.
    Que o Brasil consiga atingir ao menos 70 caças Gripen E.

  3. Interessante notar como o AIM-120 apresar de antigo mantem uma proporção semelhante de diâmetro e comprimento com o Meteor…
    Poderíamos adquirir mísseis Meteor sem maiores restrições, para nossos Super Gripen?

  4. Qual a necessidade de proteção QBRN para um piloto de caça? Ele vai estar voando bem longe de uma.nuvem Química ou de um traço de radioisotopossoltos no ar(ex:aviões sobrevoam Chernobyl e fukushima i tempo todo).

  5. Com essas garras quem se habilita? E isso aí! Bom, bonito, barato, eclético quanto ao armamento e letal. O resto é super trunfo. Aposta que se entrar salada indiana dispara até míssil russo.

  6. Perdão, sou leigo. Já vi umas fotos com cabides duplas num só hardpoint. Isso é mesmo possível no Gripen? Se sim, é possível ser utilizado com mísseis BVR?

    • Pergunta perigosa, se for Russófilo, obviamente o SU, já se for Americanófilo será o F-35.
      Na minha opinião de leigo, para o Brasil, o caminho seria o F-35 pois o Brasil é mais alinhado com os gringos do que os Russos ou Chineses. Além deste alinhamento (que não é total nem dependente) existe toda uma cultura e doutrina da FAB com equipamentos ocidentais, mais especificamente com a dos Americanos.
      Além disto, o F-35 é um caça mais maduro do que o SU.
      Não vou entrar no mérito sobre a qualidade, pois não tenho competência para isto, talvez duas ou tres pessoas aqui no forum tenham realmente o conhecimento.
      Abraços

    • Dizem que a FAB vai de Meteor. Como é um míssil caro tomara que façam um mix, como o colega acima defendeu, divide a compra entre Meteor e I-Derby ER, que custa um terço do valor do Meteor.

      A dúvida seria saber qual o custo de homologação do I-Derby ER no Gripen E/F…

  7. Minha dissuasão numa mesma foto viu. Em matéria de negação do espaço aéreo estaremos muuuuuito bem na fita, fora o fato de ser um multifunção.

  8. Estamos certos em adquirir o Gripen NG. Haverá, sim boa quantidade. levando-se em conta o poder de dissuasão muito bem comentado anteriormente. Sendo 72 ou 108,não importa, teremos uma boa aeronave. sobre o F 16, esta ainda é uma aeronave de respeito e utilizada em conflitos. Basta em alguns casos modernizá-la para padrão desejado. quem dera tivéssemos dois esquadrões até a chegada do Gripen. Tudo tem haver com manutenção e capacitação dos técnicos que manuseiam diuturnamente às aeronaves e que são esquecidos ,pois não são “Caçadores”. porém são estes que fazem à aeronave voar. Lembrem-se. quanto F 35, Sukoy… Informo qualquer que seja o equipamento ou produto dá problemas. Temos exemplos de munição, armamento leve, porcas, parafusos, alicates, enfim, tudo pode dar ou ter defeitos. Por isso se faz necessário aprimorar. Aos colegas que são entusiastas , reservistas, comecemos a pensar e respirar Defesa, armamento… Imaginemos estar na ativa ou ter em mãos um aparelho , aeronave ou que quer que seja dentro da ótica militar. Como se sentiriam? Só assim acredito que o debate irá florescer e melhorará em muito. Dê sugestões. Aqui neste espaço não temos leigos nem “miseráveis”. a maioria trabalha e ganha razoavelmente bem para expor suas ideias comentando. sem criticar por criticar F 16 possui defeitos, MiG 31 também, F 35…Não importa. Mostrem e apontem os defeitos e alguns colegas que estão na ativa, seja em qualquer Força e mesmo os entusiastas e estudiosos da área de Defesa e Segurança nos auxiliaram. Abraços a todos. Comecei a ficar cansado em virtude do horário e remédios. Mais vamos em frente. Reitero abraços e cordiais saudações.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here