Home Aviação de Caça IMAGENS: Caça F-5EM da FAB perde os lançadores de mísseis em pouso...

IMAGENS: Caça F-5EM da FAB perde os lançadores de mísseis em pouso duro na CRUZEX 2018

65247
191

Durante a CRUZEX 2018, atividade multinacional promovida pela Força Aérea Brasileira, houve relatos de que pelo menos três caças F-5EM da FAB foram parar no hangar de manutenção por pane seca, devido a instrumentos que não apresentaram a leitura correta.

Um dos caças F-5EM perdeu as sapatas de trilhos lançadores de mísseis de ponta de asa durante o pouso (clique nas fotos para ampliar e assista ao vídeo abaixo).

Suspeita-se que o pouso “duro” tenha ocorrido justamente por causa da pane seca, pois o avião pode ter tido que pousar urgentemente antes que os motores apagassem em voo.

A violência do pouso transmitiu a energia do impacto dos trens de pouso para as pontas das asas, causando o colapso dos trilhos lançadores de mísseis.

As fotos em sequência mostram o F-5EM 4849 batendo com as rodas do trem de pouso principal na pista e depois a roda do trem esquerdo descolando da pista, enquanto os lançadores das pontas das asas se soltam do avião.

O F-5EM 4849 faz parte do primeiro lote de caças F-5 adquiridos pela FAB, no início dos anos 1970.

191
Deixe um comentário

avatar
76 Comment threads
115 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
99 Comment authors
GuilãoFelipe AlbertoGiljurupoca ReformadoPaulo Roberto DesidérioFlanker Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Roberto Santos
Visitante
Roberto Santos

É o que dá reformar essas sucatas, lixo na pista, muita improvisação. Brasil sendo Brasil.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

É um simples acidente que ocorre nas melhores famílias.
Nada de muito relevante.

Dodo
Visitante
Dodo

Roberto Santos sendo Roberto Santos, passando vergonha na sessão de comentários ao demonstrar todo seu desconhecimento e imperícia técnica….

Marcio Benevenuto
Visitante

Concordo com você Dodô, o Roberto deveria antes de criticar e besteira falar procurar entender um pouquinho de avião, falo isso pois só Nesse avião eu trabalhei 25 anos.
Falou besteira Roberto…

Roberto Santos
Visitante
Roberto Santos

Se vc trabalhou nesse avião 25 anos, é porque ele é novinho em folha, quanta conferencia.

Roberto Santos
Visitante
Roberto Santos

Incoerência

Roberto Santos
Visitante
Roberto Santos

E és tu que tem conhecimento técnico ? admiro os apaixonados pela FAB e aviação velha.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Diga para a USAF parar de reformar KC-135 e B-52H, pois são sucatas e vão ficar “soltando pecinhas”. Ora, faça-me o favor! O incidente nada tem a ver com a idade da aeronave.

Pablo
Visitante
Pablo

Pra quem não sabe o que é “especialista de internet” aqui está o melhor exemplo!!!

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

70 vezes melhores do que os fakes Iranianos que os “ispecialistas” ficam babando e alardeando que irão balançar o equilíbrio de forças do universo conhecido.

José Garcia
Visitante
José Garcia

Depois ficam sacaneando o submarino argentino, que realmente era uma sucata. Mas os caças da FAB estão nas mesmas condições ou até piores.
Já imaginou pane seca quando estivesse longe de um local de pouso, o que poderia acontecer?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Ejeção.

Airton dos santos
Visitante
Airton dos santos

Este não é reformado, o reformado é o F5-BR

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Lógico é o reformado. Todos os F-5 da FAB foram elevados ao padrão F-5BR (na FAB, F-5EM/F-5FM). Os do primeiro e os do segundo lote, além dos F-5F ex-Jordânia.

Guilão
Visitante
Guilão

Oh R. Santos. Menos um pouco. Se queres meter o malho faça-o com os políticos corruptos e afins, aqui não. Não existe avião velho. Você está em logro eterno. Se até a USAF tem comprado F5 usado para utilizar nos Marines da “NAVY”, a FAB gastou para modernizar os seus também e estão todos nos trinques. Esse pouso até nada tem a ver com sua conversinha é apenas uma falha isolada que demora mas acontece.

Antonio Ribeiro
Visitante
Antonio Ribeiro

A Northrop vai fazer recall…

Paulo Ricardo Pereira
Visitante
Paulo Ricardo Pereira

Só uma correção: O 4849 não é do 1º lote e sim do 2º.

L O Peres
Visitante
L O Peres

Se não estiver traído pela memória, o primeiro lote começava no 4820 até 4855

Marcio Benevenuto
Visitante

Exatamente L O Peres

Guilão
Visitante
Guilão

Me desculpe, Paulo, mas o 49 é sim do 1º lote que vai até o 4855, na sequência dos números. O 2º lote começa com o 4856.

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

O quê é que é isso!?!?!!!

Vitor
Visitante
Vitor

Que nada uma aeronave dessa com um missil de medio alcance digamos 200 km da pra fazer um estrago excelente. Sem precisar se aproximar do alvo.

Paulo Carrano
Visitante
Paulo Carrano

Missil de médio alcance com 200km? Ô loco!

Adriano silva
Visitante
Adriano silva

Os F- 5 Mike, já chegaram no Fio da Meada.

Carlos Gustavo de Vasconcelos
Visitante
Carlos Gustavo de Vasconcelos

Correto colaboração de Paulo Ricardo Pereira.

Roberto da Silva Rocha
Visitante

Jamais aguentaria um pouso em porta aviões

Guilherme
Visitante
Guilherme

Obvio ele não foi projetado para pousos em porta aviões

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Pessoal, foi um pouso quase que forçado, para os que ficam falando que é lixo, só digo uma coisa… Menos, menos…

Esse tipo de coisa pode acontecer até com caça zero, video o F-35 que teve quebra do trem de pouso…

BILL27
Visitante
BILL27

O trem de pouso quebrou pq justamente estava com problema .Que eu me lembre este foi o motivo do pouso de emergencia .E outra ,se estão dizendo que o motivo foi pane seca ,e por isso q ele pousou desta forma ,o avião estava leve

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

O trem de pouso não quebrou. Onde viu isso?

BILL27
Visitante
BILL27

https://www.aereo.jor.br/2018/08/24/f-35a-da-usaf-sofre-colapso-no-trem-de-pouso-frontal/

Colapsou …Quebrou …. Foi isso que eu ,pelo menosm,quis dizer

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Ah, achei que se referia ao F-5 do pouso duro. Mas, no caso do F-35 que você apontou, o termo colapsar é mais correto, mesmo. Aliás, os B-25 da Segunda Guerra Mundial (que a FAB operou), tinham uma tendência ao colapso do trem de pouso do nariz.

Alexandre Fontoua
Visitante
Alexandre Fontoua

Pois é, Alex. Na sequência de fotos, é possível ver que o avião bateu forte na pista e chegou a saltar alguns centímetros (é possível ver uma das rodas no ar, depois do toque na pista).

sergio ribamar ferreira
Visitante

F 5 já estão dando problemas. Não adianta. Precisamos do Gripen. Acredito que o F 5 deve ser utilizado como segunda linha de defesa e depois, assim espero, retirados do serviço. Abraços a todos.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Problemas? Foi um pouso duro!

Maia
Visitante
Maia

Sim, mas o pouso duro, suspeita-se, foi devido a um defeito, ou seja, problema!!

Sidy
Visitante
Sidy

Com todo respeito à história dos F-5 no Brasil e aos esforços da FAB para mante-los operacionais e atualizados, o fato é que os constantes adiamentos na escolha do seu substituto acabaram por nos deixar com caças no limite do seu uso.
Sou da opinião de que deveríamos ter trazido alguns Gripens C/D usados para poder fazer esta transição com mais tranquilidade. Isto, claro, anos atrás… agora acho que não justifica mais.
Espero que até a chegada dos primeiros F-39s os Mike segurem a onda…

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Olha… tenho um Vectra CD 2004… faço as revisões na concessionária (pago caríssimo por isso, diga-se de passagem), e nunca me ocorreu de pane seca, super aquecimento do motor, falha no computador de bordo etc… Sabe por quê? Porque a manutenção é feita no periodo certo e no lugar certo… . Se UNO (01) F-5 apresentasse problema de pane seca, até vai… mas não 3 (olhe que pode ser 4), aí tem algo errado… e sabemos que as aeronaves que vão para a CRUZEX são as de melhores condições… . Pane seca indica falha na comunicação da aeronave para com… Read more »

CT Araguari
Visitante
CT Araguari

Comparou um caça de combate com mais de 30 anos de voo e capacidades extremas de performance com um carro.

Estou realmente na dúvida de quem é mais foda, vc ou o Vectra CD 2004.

Se candidata a brigadeiro comandante da FAB, seus talentos precisam ser aproveitados.

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Essa ironia de botequim que me agrada… Existem situações em que é melhor ficar quieto, Araguari, e você perdeu essa. Se não entendeu, não comente. Se comentar, não seja grosseiro. . “Comparou um caça de combate com mais de 30 anos de voo e capacidades extremas de performance com um carro…” ´ É possível comparar sim porque são máquinas que precisam de manutenção. Qual a diferença do mostrador de combustível do F-5 para um carro, por exemplo? De fato, as peças do F-5 são de júpter e a FAB não é autorizada pela USAF a realizar qualquer manutenção do caça… Read more »

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante

Lewandowski, para começar, um avião de combate está sujeito durante a sua vida útil há uma quantidade absurda de estresse estrutural, coisa que nenhum carro no mundo chega sequer perto de vivenciar. Outrossim, a complexidade dos instrumentos, eletrônica, etc de um avião de combate é graus de grandeza maior do que a de um carro. Não bastasse isso, é de se lembrar que está aeronave já “saiu de linha” há muito tempo, além de que as células que a FAB têm já estão “bem rodadas”. Então, sim, é uma comparação sem sentido que você fez.

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Bruno,
.
Você também não entendeu minha analogia. Obviamente que ha um abismo entre automóvel e avião e não me referi a stress estrutural, sistemas eletrônicos avançados etc etc etc…

Quando referi ao meu carro, fiz menção de que ambos são velhos, rodados, fora de linha e que demandam cuidados maiores. Ponto. Não igualei um carro a um avião. Novamente, UNO F-5 com pane seca é uma coisa, agora QUATRO é demais. E pane seca, me desculpe, é o limiar do apagar das luzes.
.
Sds

CT Araguari
Visitante
CT Araguari

Amigão,

Depois dessa réplica e insistência na mediocridade, vai dar um passeio de Vectra CD 2004! A manutenção está em dia, aproveita aí!

Aí vc comenta na sala de comando quando for eleito brigadeiro da FAB pelo seu notório saber: ” – Mas que absurdo sgt. Pimenta! Eu tenho um Vectra CD 2004 e isso nunca aconteceu!”

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Ok, Araguari…
.
“Aí vc comenta na sala de comando quando for eleito brigadeiro da FAB pelo seu notório saber…”
.
Ficarei eu na minha insistência na mediocridade…
.
Sds

Eduardo dos Anjos
Visitante

Eu compartilho da mesma ideia que o colega pois 3 com o mesmo problema é sinal que há algo errado no processo e faz sentido o que disse.

Sidy
Visitante
Sidy

Quebraram? Fadiga?ou talvez um processo de corrosão sob tensão?
Uma inspeção periódica por END deveria pegar isso ..

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Acho que não sabem o que é um pouso duro… E existe manutenção periódica dos F-5 com 300 horas, 600 horas etc. E, ao atingirem 1.200 horas, o que dá mais ou menos 2 anos e meio a 3 anos, eles vão para o PAMA SP, onde são totalmente desmontados, inspecionados, trocam o que é preciso trocar, são remontados, repintados e vão para as unidades, prontos para voar mais 1.200 horas.

Felipe Alberto
Visitante
Felipe Alberto

Fadiga de um ciclo só. kkk

Guto lins
Visitante
Guto lins

300 Su 57
200 Rafale
100 Su 35
100 Mig 35
36 Gripen
Já seria ótimo para o Brasil

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

Só precisamos de mais 2 lotes de Gripen para termos uma Força Área moderna e realista pra nosso TO e orçamento, se destacando como uma das mais capazes do mundo.
Talvez pensemos em F-35 daqui a alguns anos, mas a curto prazo será mais ou menos isso.

7meiadois
Visitante
7meiadois

Concordo, 108 caças Gripen já seriam suficientes, mas quem sabe um lote emergencial de pelo menos 24 unidades de F-16 ou F/A-18 para serem entregues a curto prazo.

Greyjoy
Visitante
Greyjoy

Aí a gente faz o que com essas aeronaves? Monta duas linhas de logística diferentes, dois procedimentos de manutenção diferentes, dois orçamentos diferentes?

ANDERSON DA COSTA MUNIZ
Visitante

Concordo. Porém somos mais deficientes em sistemas anti-aéreos (S-400, outros). Somente os caças como defesa é algo inconcebível.

Acredito que a CRUSEX seria muito mais eficaz, se nossos treinamentos simulassem defesa anti-aérea.

Dodo
Visitante
Dodo

Amigo nem a força aérea mais Grand do mundo tem essa quantidade de aviões. Menos por favor

Sidy
Visitante
Sidy

Para o momento, creio que o que precisaríamos seria adiantar a entrega dos 36 Gripens contratados e assinar a aquisição de um segundo lote, para não gerar um gap na entrega.
Para sonhar mesmo, mais alguns F-18 Super Hornet via FMS e aí passaríamos a régua – mas não levo fé, apenas delírios de um apaixonado por aviação.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Eu não entendo a obsessão de alguns em fazer uma mistura de aviões de combate (e ainda misturando Gripen com caças russos). Não têm a menor ideia do que isso representaria em termos de logística e o quanto custaria à FAB. A Índia, que opera caças russos há décadas, tem problemas e queixas constantes com o pós-venda russo. Outra coisa: um dos objetivos do F-X2 era, justamente, escolher um avião de combate MULTIFINCIONAL que viesse a substituir todos os tipos de aviões de combate na FAB (Mirage IIIE/DBR, Mirage 2000C/B, F-5EM/FM e A-1A/B/M. O Gripen NG (F-39E/F) é um avião… Read more »

Pablo
Visitante
Pablo

só os Gripens é mais que necessário, só falta mais dois lotes (pelo menos) e deu, agora comprar avião Russo, Frances e sueco, da onde iria tirar tanta logística???? e pra que tantos aviões?

wanderjc@outlook.com
Visitante
wanderjc@outlook.com

É uma vergonha,foi essa uma amostra da herança deixada pelo PT uma Forças Armadas sucateada.

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Não tem nada a ver com a idade… foi um incidente… um pouso duro. Ainda bem que foram só os trilhos, poderia ter sido um trem de pouso.
Como disse o colega… tenham bom senso… e menos, menos…

carcara_br
Visitante
carcara_br

Saberia/ poderia dizer qual é a velocidade vertical limite pra pouso nas aeronaves:
A-29
F-5
M-2000
F-16
Qualquer dado é bem vindo pra quaisquer delas…

Justin Case
Visitante
Justin Case

Olá, Carcará.
Em princípio, é requerido que as aeronaves suportem 10fps (ou 600 pés por minuto) no peso máximo de pouso. 400 pés por minuto também é um requisito encontrado, para aeronave com peso máximo de decolagem.
Acho que esses parâmetros servem tanto para aeronaves de caça como para aeronaves comerciais que operam em terra.
Aeronaves que operam em porta-aviões têm maior resistência. Como exemplo, a Safran informa que o Rafale M suporta aterragens com 20fps.
Acho que 10 fps era o requisíto mínimo para o nosso F-X.
Abraço,

Justin

carcara_br
Visitante
carcara_br

Obrigado Justin!
Achei que, em especial o A-29, mas aeronaves militares em geral seriam um pouco mais robustas! mas isso meio que é “normalizado”.
Isso dá uma velocidade de uns 11 km/h de limite quando “vazio”, é bem suave realmente…
Nas pontas das asas deve ocorrer um tremendo efeito chicote, mas é bastante surpreendente ver os trilhos se “soltando”. Como alguns observaram o movimento de giro quando do desprendimento realmente faz sentido se forem fixados por um único ponto de apoio. Espero que o Gripen possua uma maneira mais eficiente de distribuir estas forças e evitar incidentes semelhantes!

carcara_br
Visitante
carcara_br

Correção:
Isso dá uma velocidade de uns 11 km/h de limite quando “cheio”, é bem suave realmente…
Imagino que nas condições de pouso do F-5 esses valores devem ser ligeiramente maior então…

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Fernando, como sempre, mais uma série de bobagens postadas.
Quem é o autor da matéria? Conversei com um oficial do COMPREP que estava lá, e essa notícia da pane seca é COMPLETAMENTE FAKE! Ese tipo de matéria, além de não acrescentar nada, compromete a credibilidade do site. Ao invés desse tipo de notícia, peçam uma entrevista com o Comandante da Ala 10, ou alguém do COMPREP, a fim de descobrirem o que de novo aprendemos e aplicamos nessa CRUZEX. Melhorem o nível.

Mosczynski
Visitante
Mosczynski

Sim, claro, um oficial envolvido no evento vai ser completamente transparente e dizer o que o contribunte quer ouvir, que os milhões investidos nesses aviões foram bem gastos e estamos seguros. Mas é lógico que nenhuma notícia que possa por ventura denegrir o evento será confirmada, ainda mais uma que envolve um dos principais meio de defesa do nosso espaço aéreo.
Nossas FFAA nunca foram transparentes e não vai ser nesse evento que vão dizer a verdade.
E parabéns aos editores que não se curvam a pitys corporativistas. Tenho certeza que se a notícia for falsa será confirmada e a verdade, divulgada.

Guilherme Poggio
Editor
Famed Member

Prezado Rinaldo Nery – a interlocução da FAB com os meios de comunicação está horrorosa. Principalmente com as mídias especializadas.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Horrorosa em que sentido? Brig Lorenzo não os recebe? Ele é o problema ou é institucional? O CECOMSAER não tem atendido as demandas da mídia? Fui Líder de Esquadrilha do Lorenzo quando ele era Cadete do 2° ano.

Marcelo Zhanshi
Visitante
Marcelo Zhanshi

Povo fala como se fosse facil manter um avião de guerra no ar em pleno funcionamento. Esses dias um F22 deu pane na leitura dos instrumentos na decolagem, piloto não conseguiu sustentação e a aeronave foi parar ma cabeceira da pista. Provavelmente deu perda total. Ninguém quer uma situação dessas. Mas é compreensível uma pane no computador de qualquer aeronave supersônica. Ainda mais compreensível é que ela sofra danos em pousar “erradamente” por causa dessa falha. Deveríamos comemorar o feito do piloto ter saído ileso e nada de mais grave ter acontecido com o F5. Isso demonstra o estado na… Read more »

paulo souza
Visitante
paulo souza

e tem gente aqui que critica a força aérea indiana. afffff

Alexandre
Visitante
Alexandre

Três eventos de pane seca, isso não é um incidente. Isso éuito grave. três? Num evento programado com meses de antecedência.? Imagina numa ação emergencial.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não teve evento nenhum de pane seca! Isso é falso.

JT8D
Visitante
JT8D

O Poder Aereo está aderindo à moda das “fake news” (também conhecidas na nossa língua mãe como “fofocas”) ?

BILL27
Visitante
BILL27

È sua palavra contra a palavra do editor …Cada um acredita em quem quiser .

Manock
Visitante

Caro Rinaldo,

Alguma fonte que corrobore sua alegação de que a notícia é falsa?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Um Tenente coronel, ex comandado meu no 2°/6° GAV, que serve no COMPREP e participou do exercício. Basta?

Manock
Visitante

É uma fonte válida, Rinaldo. Mas como parece haver discordância entre a sua fonte, de dentro da força, e as fontes que subsidiaram a matéria por parte do Poder Aéreo, e como sabemos que a tendência dos militares é acobertar a verdade, fico com as fontes do galante.
😉

Mosczynski
Visitante
Mosczynski

Oficial da FAB que participa do evento não é fonte confiável, quem garante que o corporativismo não falou alto? Nossas FFAA não são transparentes e e lógico que ninguém vai falar a verdade. Já imaginou o Jornal Nacional noticiando que os F5 não estão aptos? Vexame…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Manock, apenas militares de regimes ditatoriais acobertam a verdade! Basta ver o que foi feito aqui durante a ditadura e o que os militares dos países árabes fazem para justificar, escamotear, encobrir e falsear a verdade dos fatos sobre os conflitos que tiveram com Israel. Recentemente tivemos o risível episódio dos sírios terem inventado que danificaram um F-35I usando um míssil S-200.

No presente caso,creio que o melhor seria confrontar as duas versões pois é inadmissível, é um desrespeito, colocar um militar da reserva como o Cel Rinaldo da posição de espalhador de mentiras.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Acreditem no que quiserem. Há assuntos mais interessantes sobre o exercício para comentar. Empregamos, pela primeira vez, o R-99 como On Scene Comander numa missão C-SAR utilizando o FLIR. Mas, como o editor disse, “o contribuinte tem o direito de saber”. Que desculpa furada pra matéria sensacionalista. E sem fundo de verdade. F-5 agora cai em pane seca. Faça-me o favor…

Ricardo
Visitante
Ricardo

Esses acidentes só não são mais comuns porquê a FAB voa muito pouco. Será que se tivéssemos muitas horas de voo não teríamos muitos mais problemas e muito mais sérios?

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Ricardo, quem voa pouco é a Venezuela, com seus Su-35. Em 8 anos de atividades, os 23 aviões voaram 6.800h. Isso dá menos de 50h/voo por ano para cada célula. Considerando que cada F-5 da FAB completa 1.200h de voo em média a cada 2 anos e meio, isso representa uma média de 480 h/ano por célula. Claro que isso é apenas para dar um referencial do que é, realmente, voar pouco uma aeronave. Mas, concordo com você que os pilotos da FAB deveriam poder voar mais, sim.

João Bosco
Visitante
João Bosco

Isso pode ser visto como um aviso para a FAB… está passando da hora de aposentar o bicudo e tem que resolver o mais rápido possível a chegada do Gripen.

José Luiz
Visitante
José Luiz

Em tese estes fatos não deveriam ter se tornado públicos, mas já que foram, a FAB precisa soltar uma nota oficial. Agora aeronaves são máquinas que são propensas a falhas, cada projeto tem suas características positivas e negativas. Quanto ao F16 já foi publicado que o Chile tem problemas em operar eles no sul do país e que os argentinos em que pesem a falta de grana sempre descartaram a possibilidade de operar eles na Patagônia, motivo os ventos fortes da região arrastam pequenas pedras para a pista o tempo todo, a aeronave teria sempre riscos de acidente. Agora perder… Read more »

Felipe Dos Reis dos Santos
Visitante

Vamos parar com essa mania de minimizar as coisas que acontecem com a FAB dizendo q é “normal” q normal kra? vamos aceitar que a FAB não tem grana pq o Governo vem f#$endo forte com as FAA há tempos. o f-5 que perdeu os lançadores.. po o pouso até foi forte mesmo , mas a parada deveria ser resistente a bancadas violentas… isso pq n tava nem carregando missel se tivesse caia q nem bos%# isso se o missel n explodisse devido a velocidade do impacto ou algo assim.

Hannover First
Visitante
Hannover First

A reportagem devia falar das centenas de missões realizadas com sucesso em um cenário muito próximo de um TO de guerra real. Esse incidente de pequena monta não representa a grandiosidade da operação.

CESAR ANTONIO FERREIRA
Visitante
CESAR ANTONIO FERREIRA

Apareceu Hannover First, falta agora o Capitão Sternn…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Falou e disse Xarliane! rsss!

JANIO DE OLIVEIRA
Visitante

Esses aviões da nossa foça aérea parecem sucata ultrapassada.

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Que vergonha. Contrata a Paramount Group até a chegada do NG.

César M
Visitante
César M

Vai me desculpar, se os tais informantes estivessem relatando 1 pane seca seria até plausível já que os caças são antigos, mas, 3 ( três ) eu não acredito, só pelo exagero sinto cheiro de fofoca de peão que sempre encherga disco voador em todo lugar.

Meireles
Visitante
Meireles

Como piloto vou dar uma informação técnica, Caro Rinaldo Nery, cabe a nós pilotos informarmos aos jornalistas que pane seca está relacionada a falta de combustível, é muito comum vermos jornalistas usando o termo pane seca pra se referir a algum problema de pane dos aviões, qualquer outro problema técnico, sejam eles de incidentes, ou de acidentes, o fato do jornalista ter usando o termo errado referente ao incidente, não quer dizer que o trabalho jornalístico não seja de extrema importância para sociedade como um todo, então vamos procurar minimizar os erros das frases muitas vezes complexas, ou seguidas por… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não houve incidente nenhum relacionado a combustível. Se algum piloto declarou BINGO FUEL abandonaria a missão e retornaria EM EMERGÊNCIA! Tocaria a sirene e o aparato de resgate (bombeiros e ambulância )seria acionado durante o pouso da aeronave. O que não ocorreu. O catrapo do F-5 não teve nada a ver com combustível. Foi manicacada do piloto, por alguma razão (vento, windshear).
Ouviram algo do cabo corneteiro que estava no pátio e publicaram a matéria.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Gostei do “manicaca”, a tempos que não houvia, muito bom Rinaldo! Também não acredito em pane seca, certo que não anda sobrando recursos para ficar queimando combustível a toa, porém não acredito que os voos tenham sido realizados tão na justa. Tenho certeza que nenhuma surtida foi feita nos limites técnicos de autonomia dos equipamentos, não haveria o porque de se correr esse risco. Confio na honestidade de toda a direção do blog e acredito piamente que alguma coisa foi dita para a direção do mesmo, porém não há como duvidar das informações do pessoal envolvido na missão. Porque mentiriam… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Entre os dois lados eu fico com o Cel Rinaldo viu!?

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Também, aliás, é tipico do brasileiro, (não estou contra o Blog, quero deixar bem claro, continuem a divulgar) comentar um incidente e esquecer de focar no que realmente interessa que foi criar, comandar e controlar um exercício como este, que só deve à Red Flag nas Américas, como fazem os “especialistas de teclado” aqui, sentados em suas poltronas confortáveis!!! Outra, se fosse pane seca o piloto acionaria o paraquedas de frenagem, e ele não foi acionado!!!

Mas o F-39 vai entrar em serviço e ainda terá gente reclamando!!!

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Eu também…

Glasquis7
Visitante

Já peguei o NAVAL, da trilogia mentindo na cara dura inventando matéria para publicar e fui banido por escancarar a mentira dos editores.

Não vejo o por que seja diferente neste caso.

Wolf
Visitante
Wolf

Os pilotos da FAB são muito corajosos, pra voarem nessas sucatas.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Imagine os da USAF, que voam nos B-52H, dos quais o mais novo saiu de fábrica em 1962! E vão voar até 2040!

Meireles
Visitante
Meireles

Caro Bill27 É comum ter cachorros nos aeródromos, geralmente eles ficam nas áreas externas dos aeródromos, esse deve ter entrado na área restrita despercebido. Tudo isso é normal, o FOD na pista também é normal, imagina uma corrida de formula 1, sempre deixa muita sujeira na pista, agora imagina todas essas aeronaves pousando, e decolando, seria impossível não sujar a pista, principalmente por causa do turbilhonamento causado pelas aeronaves, nós temos que entender que os pilotos de caças são a elite da aviação, não existe amadorismo, eles são a ponta da lança da aviação, e que problemas técnicos acontecem até… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Ok, podem me chamar de louco, mas uma coisa interessante me aconteceu agora. São 3:51am e escutei, mesmo com fones de ouvido, um barulho de turboélice que nunca havia escutado. Então, rapidamente dei uma olhada no Flight Radar e ele indicou que era um Airbus A400M!

Pelo track, saiu de Buenos Aires, subiu via norte, entrou no Brasil pelo oeste do RS, atravessou SC, orla do Paraná, passou ao largo de SJC já em SP onde pegou a orla, passando aqui pelo RJ e Niterói, quando o escutei. Ao postar isso ele está quase em Arraial do Cabo já.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Interessante……eu fui conferir e o encontrei agora 6h18 na altura do cabo de Sto agostinho. O que espantou foi a performance. O A-400 quadrimotor turboélice, está voando a 31.000 ft e 416 kts. Praticamente igual a velocidade de grandes jatos transoceânicos

Daniel
Visitante
Daniel

Agora, 10:19, está pousando em Dakar. Muito provavelmente pra reabastecer.

Zezé
Visitante
Zezé

Interessante! Eu estava acordado nessa hora, sou da Baixada Santista e também ouvi um barulho estranho de avião, minha mãe ficou até assustada porque a gente nunca tinha ouvido esse barulho antes.

BILL27
Visitante
BILL27

Avião passou ai na baixada no nivel 300 .770 kmh e mesmo assim o barulho foi alto a ponto de assustar ? Curioso .NEsta madrugada ,varias aeronaves “raras” sobrevoaram .O il 96 , a 400, 2 il 76 , e um 737 vip . pena q nao foi durante o dia , pq alguns passsaram aqui sobre sp

Daniel
Visitante
Daniel

Caso a aeronave tivesse com mísseis, devido ao impacto no solo devido à velocidade em que estavam, haveria risco de detonação?

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não.

GripenBR
Visitante
GripenBR

Um incidente que deve-se tirar lições para se prevenir um acidente! Como ocorre na aviação civil. No mais os mikes deveriam aguentar somente até a chegada dos Gripen, e serem integralmente substituídos, o que com muita vontade, se houver, levaria mais uma década. Os bicudos fizeram o máximo que podiam e com surpreendente capacidade. Más a células não podem voar mais 30 anos.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Concordo contigo caro GripenBR. Muito ja se falou em relaçao a caças tampao mas creio nao ser mais factivel qualquer outra hipotese de substituiçao dos fantasticos F5 que nao seja aguardar a chegada dos F39E e F. Agora, sendo realista, nossa aviaçao de caça ficara um bom periodo realmente mais desfalcada do que sempre esteve…assim, por mera teimosia e desespero, considero que nao seria de todo mal pagar por leasing quatro,ou seis, Gripens D (caso alguem possa disponibilizar) e te-los mesmo que somente daqui a dois anos. Estes vetores poderiam fazer as vezes de treinadores avançados e estarem ativos por… Read more »

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

O segundo lote virá. Podem ter certeza. E deverá ser maior do que o primeiro.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Os Mike vão voar até por volta de 2030.

Haroldo Fiocco
Visitante
Haroldo Fiocco

Bem que a Saab poderia mandar os dois protótipos do Gripen para a FAB como presente de Natal. Hehehe . Com lacinho, dentro da meia e tudo.

Flanker
Visitante
Flanker

Aos colegas Paulo Ricardo Pereira, Carlos Gustavo de Vasconcelos e ao editor Alexandre Galante: Ao olhar a fotos, a primeira coisa que me chamou a atenção foi a matrícula da aeronave e a base do estabilizador vertical, ou deriva. As aeronaves do primeiro lote possuem uma barbatana na junção da deriva com o dorso da aeronave, característica ausente nas aeronaves do segundo lote (ex-agressors). E fiquei bastante surpeso, pois nunca havia visto esse tipo de modificação nos nossos F-5. A referida barbatana possuía a função de abrigar uma antena de rádio nas aeronaves do 1° lote, antes da modernização. Na… Read more »

Cleber
Visitante

Já não aguento mais ver estes F-5 na FAB, na boa , que venham logo os Gripen Ng . Credo !

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

A FAB poderia comprar alguns Alca L-159, até a chegada do NG. E já manda os Forévis-5 para reciclagem.

luiz antonio
Visitante

Bom dia.
Na minha opinião, poderiam ter publicado, ou buscado notícias sobre os resultados das operações e os aprendizados com o exercício até o nível permitido de informações estabelecidos pelos participantes. Ficar discutindo incidentes até certo ponto comuns é pura perda de tempo, até porque as causas podem ser várias. Os comentários baseados em “achismos” e os “críticos ideologicos” tornam a matéria cansativa e aborrecida. Entrevistem o Comandante das Operações buscando noticias oficiais. Desculpem, mas estamos parecendo as marocas debruçadas nas janelas olhando os movimentos e julgando imagens.
Abraços

Mosczynski
Visitante
Mosczynski

Notícia oficial para mim não é jornalismo, os editores nem precisariam se dar ao trabalho de ligar ao comandante para entrevistá-lo, basta dar um cntrl-c cntrl-v na nota oficial da área de Relações Públicas da FAB sobre o evento. Nela vai constar que o Cruzex 2018 foi lindo, todo mundo saiu super contente e não houve nem mesmo invasão por parte de um viralatas. É lógico que se o projeto de reforma do F5 for falho a FAB vai negar até a última, você acha que todos os oficiais envolvidos iriam querer ouvir falar da palavra CPI? Se realmente há… Read more »

luiz antonio
Visitante

Respeito sua opinião, mas fico com a minha.
Abraços

Maurício.
Visitante
Maurício.

Nessa Cruzex teve de tudo, F-5 perdendo lançadores, Mirage-2000 trincando canopy, F-16 danificando e perdendo turbina, cusco na pista, informações de bastidores e contra-informações, e por aí vai.
Exercício militar onde não acontece contratempo não existe ou simplesmente não é a realidade de um combate real, o mais importante é que não houve acidentes fatais, trilhos, canopy e motores são repostos, uma vida humana não.

Martin Mariner
Visitante
Martin Mariner

Longe de ser um doutor nos assuntos aeronáuticos, evidencio minha ignorância na seguinte pergunta: não foi simplesmente um erro do piloto? Por exemplo, não pode ser um caso de altímetro mal ajustado? Pobres das aeronaves, não tem boca para se defender…

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Pessoalmente não achei tão violento quanto falam. O F-5E é uma aeronave muito leve, não é nada incomum aeronaves quicarem ligeiramente após o primeiro toque na pista. Muito comum de ver em vídeos no Youtube de outras aeronaves.

Já o vídeo que o Roberto Santana postou acima mostra uma série de pousos que aparentam ter a mesma razão de decida.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Caiu pecinha, literalmente.

JOSE AEDO ROCHA JUNIOR
Visitante

Srs. Pane seca ? mas pelas fotos os motores parecem estar em funcionamento. Eu não sou aviador, tão pouco sou da FAB (na verdade nunca cheguei perto de um F-5), mas sou mecânico aeronáutico civil a 17 anos. Assim, achei estranho os trilhos simplesmente soltarem na sua parte dianteira apenas pelo pouso duro, acredito que a fixação é projetada para suportar as cargas de um pouso duro e inclusive com mais carga, no caso de estar com o míssil instalado. Então fica meio estranho que a fixação tenha colapsado sem carga, mesmo considerando o hard landing. E quanto à instalação… Read more »

Delfim
Visitante
Delfim

Sou mais dois F-5M voando que um F-16 FOD-ido. 😁😁😁
E mais dois F-39 voando que um F-35 no hangar.
A FAB faz o que pode com os recursos que recebe.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

cerberosph
Visitante

Três caças com problemas, e olha que eram os melhores escolhidos a dedo e feito todas as manutenções, imagina o estado dos outros. E tem nego aqui que fica falando dos SU da Venezuela.

Wellington P Fonseca
Visitante
Wellington P Fonseca

F5 Tiger! Claro que já passou seu tempo e que ele foi construído para ser uma opção econômica, sem muitos adjetivos, mas após 30 anos ver o “bichinho” atuando, inclusive lá fora como agressor, só é possível pela qualidade do projeto! Quanto ao F16 e sua entrada de ar baixa, ele vendeu 4.426 unidades, operado por 28 países, sendo ainda a espinha dorsal da OTAN, sem mencionar Israel e sem mencionar o escore em combate, mas… de acordo com alguns comentaristas o avião não pode ver sujeira na pista que vai logo engolindo, o protesto de pilotos americanos e chilenos… Read more »

Delfim
Visitante
Delfim

Desde 1984 que o F-5 foi encerrado e o F-20 abortado, que o F-16 é o único caça leve e “barato” vendido pelis EUA. Então cai-se no “não tem cão caça com gato”.
E em tempos passados não tão longinquos assim a maio parte das pistas da FAB era rústica. Imagina o drama.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Desculpe, não entendi. O que seriam “rústicas”? Eu vôo desde 1984, e a maioria já era asfaltada. Os F-5 já operaram em pista de terra?

Delfim
Visitante
Delfim

Coronel, sempre li que havia pistas de pouso de terra pelo interior do BR afora.

Delfim
Visitante
Delfim

E eu coloquei “rústica”. Tem muita estrada asfaltada e rústica.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Agora entendi. Havia, mas nos anos 90 a maioria foi asfaltada. Asfaltada e rústica (em mal estado) não há muitas. Mais na Região Norte.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Houve caso de pane seca com f5 ha anos atras na base aérea de Anápolis. Caiu perto da pista. Saiu no jornal tmb. Nesse caso pelo q falaram bobagem do piloto (nao sei como). O piloto nao recebeu nem visita no hospital da base, pela besteira q fez. E nesse caso posso afirmar q a fonte é fidedigna pois o oficial médico q resgatou o piloto é amigo meu desde essa epoca em q serviu serviço obrigatório na base e me contou duas depois do ocorrido. Entao ten Francisco de oliveira Porfirio. Isso deve ter uns 20 anos.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Esse piloto é da minha turma, e é Brigadeiro. Extremamente competente.

Mattos
Visitante
Mattos

O dinheiro da manutenção deve estar rodando do congresso nacional.