Home Aviação de Transporte China desenvolve variante do cargueiro Y-20 para reabastecimento em voo

China desenvolve variante do cargueiro Y-20 para reabastecimento em voo

2982
27
Cargueiro militar Y-20
Cargueiro militar Y-20

A China está modificando sua aeronave de transporte estratégico Y-20 para assumir novas missões, como o reabastecimento aéreo, disse um informante militar.

Uma variante de avião-tanque do Y-20 está agora em desenvolvimento, disse o especialista que está familiarizado com o assunto, no domingo, sob condição de anonimato.

Várias reportagens na semana passada afirmaram ter encontrado um protótipo para uma versão de reabastecimento aéreo do Y-20 em uma foto de satélite comercial no Aeroporto Yanliang em Xi’an, capital da província de Shaanxi, no noroeste da China.

A China precisa urgentemente de um avião-tanque de reabastecimento aéreo que tenha uma capacidade maior de combustível do que o HU-6, um avião-tanque desenvolvido a partir do bombardeiro H-6, para que sua força aérea se torne estratégica, disse o especialista, observando que o reabastecimento em voo permite que um jato de combate voe muito mais longe sem aterrissar e alcance alvos mais distantes.

O J-20, o jato de combate furtivo mais avançado da China, é capaz de receber combustível em voo, informou a Televisão Central da China (CCTV) no início deste mês.

Embora a China também opere alguns aviões-tanque russos II-78, que são muito maiores do que o HU-6, a Rússia relutou em vender mais a um preço razoável, levando a China a decidir desenvolver seu próprio grande reabastecedor, disse o especialista.

O Y-20, da China, é uma aeronave de transporte de grande porte de 200 toneladas, fabricada nacionalmente e tem tamanho similar ao da aeronave de transporte Il-76, da Rússia, na qual a Il-78 é baseada, disse ele.

A aeronave iniciou os serviços na Força Aérea do Exército de Libertação Popular em 2016, segundo a agência de notícias Xinhua.

O fato de que o Y-20 é construído internamente significa que os desenvolvedores chineses podem tornar as alterações relativamente fáceis e transformá-lo em uma plataforma para desenvolver mais variantes, disse o especialista.

A China tem experiência em fazer variantes de aeronaves de transporte no passado, informaram os relatórios.

A China modificou a aeronave de transporte Y-9 para um avião de alerta, patrulha e aviões antissubmarino, de acordo com uma reportagem da CCTV no sábado.

O especialista observou que também é possível que a China possa fabricar mais variantes do Y-20, observando que uma aeronave de alerta antecipado pode ser a mais viável, dado o tamanho e a autonomia do Y-20.

Concepção do Y-20 reabastecendo um caça J-31
Concepção do Y-20 reabastecendo um caça J-31

FONTE: Global Times

27 COMMENTS

  1. Uma dúvida,
    Por que os Chineses modificam um avião de transporte como reabastecedor? Os Americanos e Europeus utilizam (alguns muito alterado) células de aviões civis que são mais em conta de operar que os de transporte. Sei que existe o COMAC, de repente.
    Abraços
    Humberto

    • Falta de um airliner do porte de um 767. Se não me engano, o maior jato civil é do tamanho de um EMB-190. Como o Y-20 é a única aeronave de grande porte que eles fabricam, o jeito é apelar para ela.

    • O KC-130 é um reabastecedor aseado no avião de transporte C-130, é questão de opção.
      A URSS que fabricava vários aviões de transporte comercial optou pelo IL-76 de tranporte de carga para reabastecedor.

      • Reabastecedores não transitam pela zona de combate para serem facilmente abatidos, se fosse assim o que seria dos KC-135 e outros mundo afora.

        • Mas, na visão destes “ispecialistas”, os reabastecedores chineses voarão pela zona de combate para serem abatidos. Isto porque os chineses são burros e não sabem o que fazem.
          🙂

  2. Não é para REVO no entorno do Mar da China que tal aeronave está sendo projetada, e sim para o Pacífico.
    Os chineses já estão pensando para o conflito além de seus vizinhos.
    O tempo urge.

    • O Hércules não possui, mas de maneira geral, a cauda em T permite que em solo os arredores da traseira da aeronave, aonde está a rampa de carga, fique mais livre para a movimentação destas.

    • Na verdade, a cauda em T é a menos indicada para isso que você mencionou, em altos ângulos de ataque o profundo fica diretamente na sombra aerodinâmica das asas, causando o que se chama “deep stall”.

      Os motivos para se adotar essa configuração são, assim como o Marcelo disse, possibilitar a maior movimentação em torno da aeronave, assim como resultar numa configuração aerodinâmica mais “limpa” perto da traseira da aeronave, por onde saltam os paraquedistas e realizam airdrops.

  3. Olá Bill27.
    Um monte de coisas, desde a rampa traseira com vigia/posto de observação do KC-135, até o sistema boom americano de abastecimento (KC-135), o avião parecidíssimo com o f-35 (profundores na traseira, sem canards, diferente do Chines J-20, veja o link),.. que viagem,.. acho que só o Boom já bastaria. Devem estar desenvolvendo um sistema igual pra eles.

    https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2018/11/Ca%C3%A7a-furtivo-J-20-mostra-suas-armas-no-Airshow-China-2018-1024×682.jpg

    Saudações.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here