Home Aviação de Caça Airshow China 2018: apresentação do caça J-10B com TVC

Airshow China 2018: apresentação do caça J-10B com TVC

5761
22

O caça Chengdu J-10B equipado com um motor de empuxo vetorado (TVC – thrust vectoring control) realizou hoje uma exibição impressionante no Airshow China 2018.

A aeronave é provavelmente propulsada por uma versão avançada do motor chinês Shenyang WS-10 equipado com um bocal articulado.

A vetorização de empuxo melhora a capacidade de manobra de um caça, já que não precisa depender totalmente de superfícies de controle aerodinâmico.

Com geradores de fumaça rosa nas pontas das asas, o J-10B TVC realizou loops verticais apertados, uma manobra com ângulo alto e lento de ataque, uma manobra cobra e a queda de folha.

O motor WS-10 está equipando os caças J-10 e o J-11, este último uma cópia chinesa do Sukhoi Su-27. Os primeiros J-10 foram equipados com Saturn AL-31FN da Rússia, que é baseado no AL-31F que equipa o Su-27.

Não está claro se a vetoração de empuxo será aplicada aos futuros membros da família J-10.

22 COMMENTS

    • Devido às baixas velocidades em que são feitas essas manobras, a carga G também é baixa, além de ter pouca duração. O maior perigo é desorientação espacial à baixa altitude, onde são feitas as manobras.

      A manobra mais brutal para os pilotos nesses shows aéreos é a curva de 360° feita com pós-combustão, ou “curva de 9G”, pois são cerca de 20 segundos sob essa carga, o que não é para todo mundo.

      • Procurando um pouco mais sobre humanos e força G acabei achando uma historia sobre os cosmonautas Vasily Lazarev e Oleg Makarov no voo da Soyuz 7K-T No.39 (Soyuz 18a)
        o voo acabou não dando certo e aconteceu um acidente em que a capsula simplesmente despencou, felizmente os dois sobreviveram mas acredite ou não durante alguns momentos eles suportaram uma força superior a 20Gs… eu ainda não entendo como, mas suportaram…

        • Existem registros de acidentes em corridas onde pilotos foram submetidos a números bem maiores do que esse, porém por uma fração de segundo, durante o impacto. O maior número foi de 214 Gs numa corrida de fórmula Indy em 2003.

          • Clésio. Eu sinto que a palavra que expressaria a minha reação mediante esse seu comentário não seria aprovada pelos moderadores do site KKKKKK

  1. Esse TVC chines é de 3D, ao contrário do utilizado nos Su-30, Su- 35, Su-57 e no F-22, que são apenas 2D.

    Parece que os chineses colocaram para voar o TVC 3D antes dos russos com o novo motor do Su-57.

    Porém, os americanos experimentaram um TVC 3D no combo F-16/F110 ainda nos anos 90, então não é essa novidade toda.

    Os europeus da Eurojet tem planos de um TVC 3D para o EJ200, mas nada concreto.

    Nos fóruns gringos se discute um novo tipo de TVC “fluido”, sem movimentação do bocal de escape, para os novos caças de 6ª geração sem cauda, que estaria sendo desenvolvido por lá.

      • O TVC dos caças russos são 2D (só vão pra cima e para baixo) mas conseguem o mesmo efeito de um 3D porque estão em caças bimotores e estão angulados. Quando os dois estão para cima, os jatos dos motores formam um V. Os bocais conseguem imprimir uma força lateral funcionando da mesma forma que a cauda de um Beechcraft Bonanza.

      • Nos Sukhois atuais não. Eles tiveram uma grande sacada, que foi inclinar o eixo de vetoração para o lado alguns graus. Quando ambos apontam para baixo, ele direcionam o fluxo para dentro e quando apontam para cima, o angulo de vetoração é para fora. Quando um só lado é acionado, se consegue o movimento lateral. Já o novo motor que irá equipar o Su-57 promete ser 3D. É mais fácil entender olhando este vídeo aos 4 min:

        https://youtu.be/hYi1e4pOQJw?t=240

    • Sim, ele tem algumas mudanças em relação à versão A. A mais visível é a tomada de ar, que no J-10 A é destacada da fuselagem, parece com a do F-16, mas quadrada, bem diferente dessa tomada de ar integrada à fuselagem da versão B.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here