Home Aviação de Caça Suécia oferece à Bulgária 8 novos caças Gripen C/D

Suécia oferece à Bulgária 8 novos caças Gripen C/D

9274
19

SOFIA (Bulgária) — A Suécia se ofereceu para fornecer à Bulgária 8 novos jatos Gripen C/D equipados com a mais nova configuração MS20, em resposta ao pedido de propostas recebidas do Ministério da Defesa em Sofia, informou a Saab no dia 2 de outubro.

O primeiro jato pode ser entregue dentro de 24 meses após a assinatura do contrato, disse a Saab em um comunicado.

O aprimoramento da capacidade do Gripen Material System 20 (MS20) para o Gripen C-series envolve atualizações de hardware e software, proporcionando melhorias e novas funcionalidades tanto em termos da própria aeronave quanto dos sistemas auxiliares de suporte e treinamento, de acordo com o fabricante.

No dia 1 de outubro, o Ministério da Defesa da Bulgária disse que EUA, Suécia e Itália responderam ao pedido da Bulgária de propostas para o fornecimento de até 16 caças a jato. Os EUA se ofereceram para fornecer novos jatos F-16 ou F-18, enquanto a Itália ofereceu aviões usados ​​da Eurofighter, disse o ministério.

Um grupo de trabalho nomeado pelo primeiro-ministro da Bulgária deverá concluir a avaliação das ofertas até 19 de outubro, embora o prazo possa ser prorrogado. Após a conclusão da avaliação, um segundo grupo de trabalho também nomeado pelo primeiro-ministro manterá conversações com os licitantes sobre o potencial de melhoria das ofertas.

Em julho, a Bulgária enviou pedidos de propostas para o fornecimento de até 16 aeronaves de combate multiuso ou usadas para sete países – EUA, Portugal, França, Alemanha, Israel, Itália e Suécia.

A Bulgária solicitou ofertas para o fornecimento de jatos F-16 e F/A-18 Super Hornet novos ou usados ​​dos Estados Unidos, Dassault Rafale novo ou usado da França, Gripen C/D da Suécia, novos jatos Eurofighter Tranche 3 da Alemanha, Eurofighter Tranche 1 usados da Itália e F-16 usados de Portugal e Israel.

Em junho, o parlamento da Bulgária aprovou um plano para a aquisição de aviões de combate compatíveis com a OTAN, para substituir a frota envelhecida dos jatos MiG-29 de fabricação russa da Força Aérea do país. De acordo com o plano, a aeronave será comprada em duas etapas.

A primeira etapa do projeto prevê a compra de não menos do que oito aeronaves para um total estimado em cerca de 1,8 bilhão de levs (US$ 1,1 bilhão/920,3 milhões de euros). A primeira etapa também prevê a prestação de apoio logístico integrado por um período de três anos, serviços de treinamento e equipamentos de treinamento, bem como equipamentos de apoio em terra.

Em 2016, a Bulgária lançou uma licitação para a aquisição de um novo tipo de aeronave de combate, mas em setembro de 2017 o comitê parlamentar ad hoc criado para supervisionar o processo de seleção recomendou relançar o procedimento, dizendo que um dos participantes do concurso havia sido injustamente desclassificado da corrida.

A Otan informou no início deste mês que espera que os gastos com a defesa aumentem para 1,56% do PIB em 2018, de 1,27% em 2017. Os gastos com a defesa da Bulgária chegaram a 1,26% do PIB em 2016. Na cúpula da Otan no País de Gales em 2014 a Bulgária comprometeu-se a atingir uma meta de despesas de defesa de 2% do PIB, a atingir nos 10 anos seguintes.

FONTE: SeeNews

NOTA DO EDITOR: Segundo a Saab, o Gripen C/D é um sistema comprovado, em serviço operacional com as forças aéreas da Suécia, África do Sul, Hungria, República Tcheca e Tailândia. A Escola Britânica de Pilotos de Teste do Império (UK ETPS) usa o Gripen como sua plataforma de jato rápido para pilotos de testes de todo o mundo.

Com o Gripen, a República Tcheca e a Hungria, Estados membros da OTAN, participaram com sucesso de missões da OTAN e exercícios conjuntos com outros países da OTAN.

O desenvolvimento do Gripen C/D está em andamento e o sistema permanecerá operacional por pelo menos mais 30 anos.

19 COMMENTS

  1. Para quem achava que a SAAB iria, simplesmente, acabar com a produção dos C/D, por causa dos E/F, taí a resposta. 😉

    Brasileiro é muito “isperto”. rsrsrs

  2. Pq qual motivo deveria acabar com a linha c e d? Era parte do contrato? Houve um projeto para locação de Gripens para Anápolis, com até envio de pilotos para treinamento na Suécia, o que de fato houve, mas depois disseram que não haveria mais aeronaves disponíveis pela força aérea da Suécia, devido ao seu esforço operacional, também li que foi por falta de grana na FAB que desistiram do projeto.

  3. E lá se vão as nossas células. Temos que aprender a fazer contratos de compra de aviões militares. Imaginem se se fosse com a Índia, por explo. A cobra iria fumar, eis que eles são excelentes comerciantes. Em 2023 estaremos, ainda, esperando a certificação dos parafusos da rebimboca do elevador de bombordo???

  4. Lucas Schmitt, desculpa mas não entendi… a proposta da Suecia para a Bulgaria fala em 24 meses para entregar a primeira aeronaves depois de assinado um contrato. Se assinarem este contrato digamos em Novembro de 2018, o que é na pratica impossivel, a primeira entrega seria em Novembro de 2020! Porque o Brasil iria quere isso?

    Tem muita gente assioso para a chegada de nossos Gripens e outro que criticam a demora sem bem entender o porque… Qualquer caça “novo” que a FAB adquirise teria esse prazo de 2 a 3 anos para serem entregues, no caso do nosso Gripen vai levar um pouco mais tempo em função de ser um modelo novo em reação ao C/D com motores mais potentes e capacidades ampliadas.

  5. Uma oferta dessas para nós, só faria sentido como oportunidade, se tivesse sido aproveitada a uns 5-6 anos atrás. Agora que o galo já acordou para anunciar o dia, não tem mais vantagem não.

  6. Cada vez que aparece uma notícia sobre o Gripen C/D, sempre tem um, ou vários, que seria uma boa para o Brasil…..isso já foi explicado aqui centenas de vezes! Se fosse para a FAB ter recebido, teria sido lá entre 2013/2015….inclusive quase saiu isso. Mas, não foi adiante por vários motivos. No ano que vem, recebemos o primeiro exemplar de teste do F-39 e em menos de 3 anos, a partir de agora, os primeiros exemplares operacionais. Portanto, esqueçam isso de Gripen C/D como tampão! O período já passou, a janela já se fechou! Isso já foi multiexplicado, mas não aprendem!!

  7. Mas que oferta mais sem noção da SAAB. Porque não ofereceram os Gripen E (NG).
    Depois não reclamem que os Estados Unidos ganham todas as concorrências mundo afora.
    Em certos momentos, é necessário diminuir o lucro imediato, para depois ganhar mais para frente, com manutenção, upgrades etc.

    • Pode ser porque o processo de compra da Bulgária tem certa urgência, mas a disponibilidade de entrega das versões E/F do Gripen só poderia ser garantida depois de entregues as unidades já encomendadas pela Suécia e pela FAB.

      Além disso, o Gripen C/D MS20 não é um caça ruim. Ele não é o “estado de arte” da Saab, mas muitos dos concorrentes desse processo seletivo também não são (versões usadas do F-16, F/A-18, Typhoon Tranche 1 usado). Portanto, ele seria a escolha “budget-friendly”, que ofereceria um caça novo por um custo reduzido, mais próximo de muitos dos seus concorrentes usados.

  8. Se formos na OLX agora tá cheio de carro bem baratinho. Carrão inclusive.

    Mas não vale a pena sair comprando e montando frota de qualquer jeito.

    O mesmo vale para avião, só que é bem mais complexo.

    A formação de um piloto num dado avião custa milhões de dólares. Outros mais ainda na formação de doutrina, pessoal de manutenção. Aí tem todo um pesadelo logístico de manter centenas de milhares de peças e equipamentos estocados para dar manutenção em um avião. Tem que ajustar sistemas de armas…

    Enfim: comprar um avião é decisão muito, mas muito delicada. Não dá para sair comprando de qualquer jeito.

    • Os Estados Unidos oferecem o melhor pós venda do mundo, vide o número de unidades e horas voo do F-16 por exemplo. Todos os clientes do tio sam, quando se trata de vetores com um custo mais acessível, estão totalmente satisfeitos. Quanto a preocupação que você se refere, acredito que esteja falando das aeronaves russas, que queira ou não, geram uma dor de cabeça enorme para seus operadores. Vide o nível de disponibilidade dos Su-30 venezuelanos e Mig-29 búlgaros e poloneses.

      • A sua comparação é meio que descabida e incoerente, a Venezuela tem problemas com os seus caças por razões económicas, logísticas e mesmo militares e não por causa do equipamento ser russo. A Polónia tem problemas com os seus migs porque não só estes estão já batidos ate a espinha como a sua proximidade com a otan obviamente dificulta a operação de equipamento Russo e a Bulgária igual.

  9. O Gripen C/D atualizado é um puro sangue e ainda vai ser um vetor muito capaz e importante principalmente na Europa onde os países tem extensão territorial pequena, como é o caso da Bulgária eu se fosse os cara não pensava duas vezes ia de Gripen C/D, pois ele foi pensado e otimizado pra isso grande capacidade de manobra, operação mais barata e simples, O Nosso Gripen E/F mantem a as mesmas características do C/D mais é maior o que justifica pelo nosso território é como um Super Gripen, comparando é o como Hornet e Super Hornet.

    Não vejo vantagem nenhuma em alugarmos ou adquirimos esta versão como alguns estão falando…. Os nosso novos já estão chegando, Teria sido vantagem lá em 2008 quando compramos os M-2000 usados como tampão, (Não é critica ao avião que pra min é lindo !!!! e também tão clássico quando o Mirage III, ) é uma critica ao Lula molusco que decidiu por isso. Pensando lá na frente em comprar o Rafale e fazer mais um propinoduto no caso seria um “Rafaleduto”

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here