Home Aviação de Caça FAB continua tentando vender seus Mirage 2000

FAB continua tentando vender seus Mirage 2000

18517
93

A Força Aérea Brasileira anunciou novamente pela Comissão Aeronáutica Brasileira em Washington (CABW) a venda de 11 caças Mirage 2000 desativados em 2013. A primeira tentativa foi feita em abril de 2016 pela Comissão Brasileira de Aeronáutica na Europa (BACE), mas nenhum lance foi realizado.

A oferta inclui nove Mirage 2000C monoplaces e dois Mirage 2000B bipostos, que estão estacionados na ALA 1 (Brasília-DF) e ALA 2 (Anápolis-GO). Os aviões não estão em condições de voo.

De acordo com o edital da CABW, qualquer pessoa física ou jurídica pode fazer lances pelas aeronaves, desde que cumpra os requisitos. A venda também precisa ser aprovada pelo governo francês.

O lote de 11 aviões é avaliado em US$ 508,6 mil, sendo o mais barato (FAB 4944) avaliado em US$ 7.327,61 e o mais caro (FAB 4933) US$ 62.635,12.

A cerimônia de desativação dos Mirage 2000C/B da FAB ocorreu no dia 20 de dezembro de 2013, no 1º Grupo de Defesa Aérea  (1º GDA ou Esquadrão Jaguar) da Força Aérea Brasileira em Anápolis-GO.

O Mirage 2000 C/B foi a solução intermediária encontrada para substituir os velhos Mirage IIIBR, que prestaram bons serviços à FAB por mais de 30 anos.

Os Mirage 2000 usados foram sendo retirados, aos poucos, dos esquadrões da Força Aérea Francesa, submetidos a uma revisão geral e padronização e enviados ao Brasil. Foram adquiridos 10 monopostos do modelo C e 2 bipostos modelo B, que começaram a ser entregues em setembro de 2006 com os dois primeiros exemplares. Mais dois foram entregues em 2006, seguindo lotes anuais de 4 aeronaves, sendo 4 durante 2007 e mais 4 em 2008.

FONTE: Airway

93 COMMENTS

      • alguns foram canibalizados no final da vida operacional na FAB, esse provavelmente foi uma das unidades escolhidas para canibalização.

    • Em caças usados isso é sempre assim. Um biplace vale 4 ou 5 monoplaces, por conta do menor número de células bi fabricadas. E o que o Gustavo falou também está correto.

  1. Pessoal

    Desculpa a curiosidade, mas não serviria ao Peru/India? Para retirada de peças sobressalentes? Ou as versões não são compatíveis?

  2. Me desculpe o pessoal da FAB responsável pelo processo, mas preços baixos como estes não condizem com aeronaves em condições de voo. O mais barato por exemplo deve ter sido canibalizado até o osso. Nesse caso o “em condições de voo” deve ser referir a “se você colocar as peças de volta ele deve voar…”. A unidade que se encontra no Musal deve estar melhor que esses daí, já que foi o último a voar.

    Me parece que eles estão vão tentar vender para as empresas que prestam serviço de Agressores para a USAF. Com certeza elas terão condições financeiras de recoloca-los em voo, vide o trabalho feito com os Mirage F1 espanhóis.

    • A célula preservada, o 4949, está no MUSAL desde 31/12/2013, tendo ido voando de Anápolis ao Campo dos Afonsos. Coloca no youtube que vc acha o vídeo do voo, feito pelo próprio piloto.

  3. Já vi alguns vídeos de aeroportos no exterior onde eles usam motores de jatos desativados para secar pistas com más condições de drenagem que ficam fechadas depois de um longo temporal. Isso não poderia ser feito aqui? Não poderiam tirar os motores desses aviões, colocarem eles em chassis civis e usarem eles como “sopradores” em aeroportos como Congonhas, Guarulhos etc?

    • Idade de avião não está ligado a ser cedo ou tarde para voar…
      Aeronaves, quando chegam a uma quantidade de ciclos, as obrigações de manutenção com as células são absurdas, como os mirage eram poucos e cumpriam um papel muito ativo em várias operações fez com que esses ciclos chegassem muito perto
      Ainda tem problemas dos motores SNECMA M53, que não são fabricados a muitos anos (inclusive os motores que nossos mirage tinham…
      Os mirage hoje em dia só são usados praticamente como reconhecimento, por terem perfil de radar baixo e boa velocidade (basicamente um f4 francês) mas assim como os f4, alguma hora deixa de existir peças de onde tirar, e alguém acaba ficando com esses elefantes brancos

  4. Puxa sei que 1 dos 12 adquiridos esta no Museu Aeroespacial ( e é bom ficar de olho pra não pegar fogo lá ) Não seria interessante preservar mais uma célula ?? por exemplo este de 7 mil dolar ?? espetar ele na entrada da Base em Anápolis, ou doar para algum outro museu, somos tão carentes de memória no Brasil, o que a FAB vai fazer com 30 mil Reais ?? mandar polir e passar pretinho nos F-5 ??

  5. Galante – Por favor, por aqui o link para o edital (2018) a fim de compara com o edital do PIC 23-09

    Grato- Franco Ferreira

  6. Muito triste pois esses caças em condições de voo são muito superiores aos f-5 em utilização pela FAB. Descaso do nosso governo com a falta de recursos financeiros para manter essas aeronaves em utilização

  7. Eu não entendo a aeronáutica do Brasil, os Mirage .2000 são bem mais novos e bem melhores que estes ferros velhos americanos F5, o que se gastou para modernizar os F5, era melhor ter modernizados os Mirages que são caças bem mais eficazes e vorazes que estes F5 (Pau-velo do Tio Sam) da época de 70, o comandante Rossato deve estar por fora…brincadeira, entregar caças do ano de 2.000 e ficar com caças de 1974…só no Brasil mesmo….

    • Oi? Kassio e Tiago,
      Vocês deveriam ler mais na imprensa especializada ou pesquisar aqui mesmo no blog. Esses M-2000 apesar de serem mais novos em fabricação do que os F-5 tem a aviônica de 1985, sem datalink, etc. Os F-5 modernizados, apesar de serem de 1975, são muito mais operacionais e capazes, inclusive na arena BVR, o que os M-2000 da FAB não tinham. Usavam o míssil Super R-350 , ainda guiado por radar semi ativo, tendo a aeronave que iluminar o alvo com seu radar.

      Os M-2000 só ganhavam dos F-5 em velocidade. São lindo, vejo sempre no MUSAL, mas, infelizmente, a era deles já passou, Foram caças tampax!!!

  8. Não está fácil vender estes ” Renault Mégane” dos ares..
    Porém ainda acredito que acabarão sendo ” entregues quase de graça ” para as empresas que prestam serviço de Agressores para a USAF… Li uma matéria que a Índia se mostrou interessada, porém devido a aquisição dos sistemas S-400, a relação com os Estados Unidos não está lá aquelas coisas.
    Em último caso, repassa-los para museus seria uma opção válida, apenas cobrando os baixos custos de estocagem aqui no Brasil.

    • rsrs aqui em Curitiba apareceu um anúncio da venda de um Mégane onde o cara na TV disse que vendia 4 rodas de liga leve com pneu seminovos e de brinde levava o megane, ele mostraram o vídeo, o cara é verde o o capô da frente só tem aquela mão de tinta preta de fundo

  9. Poderiam um doar para o ITA e Faculdades de Engenharia do Estado de São Paulo, escanear 3D peça por peça e construir um(s) novinho (50) como um trabalho coletivo, simulando um esforço de guerra, como acontecia na Alemanha e Japão na Segunda Guerra Mundial .
    Se os caças voarem e a França reclamasse, teríamos a desculpa que foi um desafio acadêmico, visando a melhora da mão de obra do país.

    • Para os alunos também seria um ótimo acréscimo no currículo:
      – participei do programa nacional de defesa estratégia do Brasil (cópia Mirage 2000Br).

      • Adquirir conhecimento para o bem do país não é gasto, é investimento.
        Além do mais a França já o o Mirage 2000 considera ultrapassado à pelo menos 20 anos, porém para nossas condições e dos países ao nosso redor do nosso é um bom caça (mach 2, capacidade para 6 mísseis + tanques extras, capacidade REVO, dois canhões 30mm).
        Mesmo pagando uns 5 milhões de Euros como compensação para a Daussalt, por cópias ilegais, e comprando aviônica israelense ainda é um bom investimento.

  10. Que absurdo!
    Porquê esses aviões não estão voando junto com os F-5M?
    Porquê esses aviões não passaram por uma modernização de meia vida Mirage 2000-M?
    Porquê não está sendo realizado engenharia reversa nesses aviões e nos Mirage III para desenvolvimento de um evolução nacional?
    Como sempre digo, FAAs soberbas de uma republiqueta soberba sul americana.
    Triste!

    • P – Porquê esses aviões não estão voando junto com os F-5M?
      R- Porque os F-5 são melhores.

      P – Porquê esses aviões não passaram por uma modernização de meia vida Mirage 2000-M?
      R – Porque não vale a pena gastar mais dinheiro do contribuinte neles.

      P – Porquê não está sendo realizado engenharia reversa nesses aviões e nos Mirage III para desenvolvimento de um evolução nacional?
      R – Porque a tecnologia deles já está superada, assimilada e não é razoável aprender nada de um sistema obsoleto e sem perspectiva de evolução ou aperfeiçoamento.

  11. Off -topic, mas nem tanto:
    .
    Vendo o site do edital, achei lá que a OGMA venceu uma licitaçção para dar suporte a frota de C-130 da FAB…..Pelo resultado, respondendo a perguntas feitas em outros posts, a FAB deve ter ainda 12 C-130 em operação.

  12. marcelo kiyo 9 de outubro de 2018 at 17:04
    Poderiam um doar para o ITA e Faculdades de Engenharia do Estado de São Paulo, escanear 3D peça por peça e construir um(s) novinho (50) como um trabalho coletivo, simulando um esforço de guerra, como acontecia na Alemanha e Japão na Segunda Guerra Mundial .
    Se os caças voarem e a França reclamasse, teríamos a desculpa que foi um desafio acadêmico, visando a melhora da mão de obra do país.

    Parabéns Marcelo Kiyo você é mais um brasileiro com visão estratégica para um projeto de nação soberana e independente assim como eu.
    Sempre digo essas coisas aqui, mas o que se percebe é que nossa vassalagem e submissão aos interesses das grandes nações estrangeiras, somado a falta de interesse dos militares modernos e estrangeirados e a mínima intenção dos políticos despatriados nos demonstra que isso nunca acontecerá e seremos sempre mera colônia das grandes nações ocidentais.
    Recentemente o Japão declinou sobre a proposta de aquisição de caças F-22/F-35 etc, em detrimento do desenvolvimento local da versão II do seu caça F-2.
    Projeto que para redução de custos será tocado entre empresas, governo e faculdades (conhecida como tripla hélice no ITA).
    Enquanto que aqui, adotamos uma solução estrangeira mirabolante e extremamente cara, desenvolvida para um problema estrangeiro e adotada/ adaptada para um problema nacional.
    Sendo que poderíamos ter feito a mesma coisa que o Japão com nosso caça AMX (maior velocidade, capacidade de carga, manobrabilidade, furtividade etc), tecnologias que já dominamos aqui.
    Mas !!!!!

    • Nossa cara. Vcs dois são muito inteligentes mesmo.

      Pq vcs não tentam ser candidados a presidente na próxima eleição?

      Com uma inteligência tão grande como a de vcs certeza que vão ser eleitos no primeiro turno.

      Aí acaba o problema nosso de vassalagem de países estrangeiros.

      Com a ideia de vcs poderíamos ter uma frota de AMX2 stealth lift da FAB.

      Poderíamos ter o Mirage 2000 de pouso e decolagem vertical tb.

      Alooooooo FAB. Estão perdendo a oportunidade de ter 2 cérebros super mega inteligentes aí.

    • Pra vc ter um ideia os franceses queriam transferir toda a linha de produção e manutenção dos M 2000 para o Brasil caso este optasse pelo M 2000 5 na primeira ou segunda seleção do Fx felizmente nosso Brasil não topou !

      Imagine toda a linha de produção com motores aviônica etc + a linha de manutenção de mais de 500 aviões em nosso território .

      Alguns vão me chamar de louco eu sei-a mas isso aí vale mais que os Gripens .

      Não pelo caça mas pela linha produção e manutenção .

  13. Off-topic 2:
    .
    Ainda vendo o site do edital, com a tal venda dos Mirage, achei a intenção da FAB de comprar 1 767-300-ER com suporte logistico de 36 meses. 6 de novembro é a data para receber os encvelopes com as propostas.
    .
    Não sei se os editores do Poder Aereo viram isto. O edital é de hoje

  14. E quem quer voar, quero reformar para ir trabalhar com ele.
    Deus, eu arrasaria na BR 116!! heheheheh
    Imagina eu chegando no centro de Curitiba então!
    Será que da tempo de reservar??

    • Capa Preta, não há nada de ridículo. Material militar sem uso é vendido no mundo todo. esses aviões só estão no osso e ainda por cima, pelas cláusulas contratuais assinadas pelos nosso inteligentíssimo Ministro da Defesa, Celso Amorim, tem que passar pelo crivo da França!

      • Olhe os valores?! Isto e dinheiro de pinga para uma força aérea de uma das maiores economias do mundo. Esta células não tem mais capacidade de voo porem poderiam ser estudadas por alunos de engenharia do ITA, expostas em bases aéreas etc.
        Isto nos expõe ao ridículo sim. Força aérea brechó.

  15. Existem vários modelos de contratos de compra, esses 2000 5, foram fabricados no início dos anos 90, e foram desativados com um pouco mais de 10.000 horas de vôo, o contrato feito por eles, continha uma quantidade determinada de munição, manutenção avançada feita pelos franceses e treinamento de mecânicos da FAB, pois ele é totalmente diferente dos outros mirages da FAB, muito cara a manutenção, o sistema fly by wire, que os filhos da mãe Rússia costumam dizer que foram percursores em aeronaves de combate, na verdade já existia nesse projeto de 1972 e que incorporou uma novidade a época, deslocar o centro de gravidade, fazendo a aeronave ficar instável propositalmente, o que deixaria a mesma com extrema manobrabilidade, realizando decolagens e pousos mais curtos, a FAB não teria capacidade de fazer manutenção fly by wire,sem o treinamento e autorização da França, não possuía o código fonte de registro, entrar em debate político com a França por um projeto de aeronave ultrapassada, talvez prejudicaria o subnuclear, a aeronave foi abandonada pela França, pois não permitiria muitas melhorias que fossem válidas conforme a necessidade de gastos, a extrutura da mesma apresentava degradação precoce, uma pequena falha no fly by wire, a 2400 kmh, uma estrutura instável por natureza, que necessitava de auxílio eletrônico para a perfeita pilotagem…. Talvez a França (não tanto quanto Israel) evite fazer propaganda de suas ótimas capacidades, mas não esconde suas falhas, mirage 2000 foi a aeronave francesa que mais apresentou problemas de falha de controle, os franceses ficaram experts em ejeções. Foi o terceiro multi missão moderno a entrar em operação, depois do f-16 e tornado…. F5m em conjunto com E99 bate de frente com muitas aeronaves em uso hoje, e juntamente com a doutrina, é número 1 na América do sul, devendo apenas ficar atenta primeiro a Colômbia e as ambições do Chile.

    • Só duas correções: eram Mirage 2000 C e B e não Mirage 2000-5. E os nossos foram fabricados entre 1983 e 1985 e não no início dos anos 90. De resto, é bem isso mesmo que vc escreveu. Essas aeronaves não eram mais economicamente viáveis de serem mantidas e menos ainda de passarem por modernização. Poderia ser feito? Claro, desde que o comando da FAB fosse maluco. A modernização não sairia por menos de 20 ou 30 milhões de dólares por célula. Os indianos pagaram em torno de 60 milhões de dólares por célula para modernizar os M2000 deles. Por que esses valores? Porque modernizar avião francês tem que ser tudo com produto francês, para os novos equipamentos poderem conversar entre si e com o avião. Pode-se colocar equipamentos de outra origem, como israelense, ppr exemplo? Até pode, mas sai mais caro ainda, pois a modificações precisam ser maiores ainda, para permitir que os equipamentos diferentes dos franceses sejam entendidos pelos sistemas do avião.

  16. Eu também tenho a curiosidade de muitos aqui, então vou perguntar: por que os Mirage 2000 não foram considerados candidatos a um processo de atualização / revitalização nos moldes do F-5? Sem patadas, por favor.

    • Mestre Paddy Mayne,

      Existem varios fatores que levaram a conclusão de que não valeria a pena a atualização dos M2000.

      A 1a. delas esta relacionada a algo comum a geração dos caças FBW.

      Um caça FBW (Fly by wire) diferentemente de um caça de 3a. geração, tal como o F-5, é bem mais complexo. De maneira geral, não são conexões puramente higraulicas que realizem o comando mecanico de direcionamento e estabilidade. Trata-se de uma central computadorizada por meio de comando eletricos as superficies de controle, onde absolutamente todos, todos, todos os parametros de voo, com carga, sem carga, armas, altitude, combustivel são calculadas por algoritimos…..

      O que isto quer dizer? Quer dizer que existe um maledeto codigo fonte que somente o detentor original do programa conhece e dependendo de como foi programado, varias de suas interfaces podem estar imiscuidas e nao separada nitidamente em modulos que possam ser acessados, decodificados e reprogramados para novos equipamentos e sensores.

      Ou seja, um novo equipamento e sensor somente conversara com esta parafernália em se reprogramando estes modulos…isto sai caro….a atualização de sistemas de armas envolve não somente as superficies aerodinamicas carregadas, mas principalmente como se plugam e se podem ser plugadas…..

      Isto ainda, não quer dizer que solucionar a integração eletronica resolveria por si mesma, pois voltando a questão aerodinamica e seus parametros, tudo tem de ser reprogramado neste codigo fonte….

      Pode parecer ridiculo, mas acredite que se voce pendurar uma banana num caça FBW, corre o risco do computador não interpretar corretamente as diferenças aerodinamicas e de equilibrio….e correrá o risco de descontrole do avião….pode parecer exagero, mas o risco existe e nunca é bom levantar voo sem saber o que o computador decidira entre compensar curva a esquerda, direita, para cima ou baixo….numa hora…dá pau…

      Por ultimo, existe uma caracteristica da industria Francesa….o Mirage tal como o rafale são excelentes aviões….otimos aparelhos, mas cobram o preço por sua industria verticalizada e por consequencia, cara….não tiveram as tiragens de escala de produção como a americana ou russa….ou ainda os menores custos destes…

      Ou seja, atualizado é um baita avião….Indianos pagaram por revitalizações que a época, chegava uns US$ 60MM por caça….praticamente o preço de um caça similar novo…

      Isto é bem um resumão…..mas algo por ai ok?

  17. Quanta …..

    Meu coração não vai aguentar….

    O PA traz todos os motivos dessa situação, pesquisem.

    Lupa, canto superior direito.

  18. Se já eram sucatas ultrapassadas em 2006, são apenas lixo em 2018. Por isso nenhum operador os quer, nem de graça (USD 7.000 por um caça!?!? Não paga nem o trem de pouso do nariz)

  19. Seria legal fazer acordos com outros países para a troca de aeronaves desativadas. Aposto que os países do leste europeu possuem diversas aeronaves soviéticas em estoque, seriam excelentes aquisições para nossos museus aeroespaciais.

  20. No edital anterior listava motores peças etc no pacote a ser vendido.
    Acho que resta algumas horas de voo em algumas células, por isto estão vendendo.

  21. Só lembrando que esses foram os primeiros MIrage 2000C de série fabricados no mundo. Entraram em serviço na Armée de l’Air início no dos anos 80. Suas células estão esgotadas e seu radar RDM é de pouca eficácia hoje em dia tendo que iluminar o alvo enquanto seus mísseis se dirigem ao alvo. Se não me engano este radar originalmente foi construído para os MIrage F1 e equipou as primeiras unidades dos M2000C franceses. Essas aeronaves seriam desativadas já em 2011. A FAB conseguiu estender a operação até 2013. Seu tempo já passou. Simples assim.

    • Só dois reparos, Marco:
      – o radar dos M2000 brasileiros era o RDI, mais moderno que o RDM. Os M2000P peruanos foram recebidos com o RDM. Realmente, os primeiros M2000C franceses foram equipados com o RDM, mas foram logo substituídos pelo RDI, que equipou todos os M2000C franceses, até que 37 células foram selecionadas e passaram por modernização ampla, que incluiu a substituição do RDI pelo RDY, muito mais capaz, transformando aqueles M2000C em Mirage 2000-5. Os M2000C e B recebidos pelo Brasil, foram fabricados entre 1983 e 1985;
      – a necessidade de iluminar o alvo para o míssil, não é uma “deficiência ” do radar e sim, do míssil. Os mísseis EM Matra 530D operados pela FAB em seus M2000 eram de radar semi-ativo, o que obrigava que o avião lançador continuasse iluminando o alvo desde o lançamento até o impacto, para que o míssil “navegasse dentro” do feixe radar do avião. Já os mísseis mais modernos, de radar ativo, recebem as informações do alvo do radar do avião e após lançados navegam ao alvo usando seu próprio radar, localizado na cabeça do míssil.

  22. O pessoal se assusta com a depreciação do valor, visto que até poucos anos atrás eram “caças operacionais”.
    Mas como já foi dito acima, apesar de um projeto mais novo que o nosso F-5 original, são inferiores ao F-5BR.
    Sem fornecimento de peças, podem até estar “aptos a voar”, mas não existe possibilidade de efetuar manutenção, e diferente de um automóvel, você não opera um avião até alguma peça “quebrar”, você tem que fazer uma manutenção extremamente complexa e rotineira antes que isso aconteça.
    Ou seja, mantê-los é inviável, assim como moderniza-los, visto que pela pequena quantidade de células, e por serem mais complexas que o F-5 é simplesmente mais barato comprarmos outros meios. Muito provavelmente um F-16MLU, ou um Grippen usado são mais baratos que qualquer modernização do Mirage2000.

    Trazendo para o mundo automotivo, é como se o F-5 fosse um Gol quadrado com motor AP, que aceita turbo, injeção ou carburador, troca de motor e etc! E tem bastante peças disponíveis.

    O Mirage2000 é aquele Citroen Xantia com suspensão hidropneumática, ou Alfa Romeo, que só tem valor na mão de colecionador!

  23. Rui chapéu 9 de outubro de 2018 at 20:40
    Nossa cara. Vcs dois são muito inteligentes mesmo.

    Pq vcs não tentam ser candidados a presidente na próxima eleição?

    Com uma inteligência tão grande como a de vcs certeza que vão ser eleitos no primeiro turno.

    Aí acaba o problema nosso de vassalagem de países estrangeiros.

    Com a ideia de vcs poderíamos ter uma frota de AMX2 stealth lift da FAB.

    Poderíamos ter o Mirage 2000 de pouso e decolagem vertical tb.

    Alooooooo FAB. Estão perdendo a oportunidade de ter 2 cérebros super mega inteligentes aí.

    Não fazemos isso caro Rui Chapéu, porquê esse país não privilegia a inteligência, meritocracia, ética etc.
    Só privilegia as más praticas, o racismo, machismo, homofobismo, o ser humano aqui é julgado pelo o que tem no bolso ou em sua conta e não pelo seu carácter.
    Vide exemplo dos atuais presidenciáveis que irão para o segundo turno, principalmente um ex militar com todos os defeitos citados acima e seu vice mais militar mais defeituoso ainda.
    Mas não é culpa deles, são crias de uma sociedade doente, sendo assim são filhos doentes representando a cara de sua mãe.
    Realmente a FAB está perdendo duas mentes brilhantes ao não nos contratar, mas isso porquê os militares atuais não estão nem ai para a autonomia militar e soberana nacional, diferente dos militares de outrora.
    Prefiro mil vezes ver uma FAB com 200 AMX-MK2 e 100 Mirrage-2000 BR (melhorias nacionais no projeto original).
    Afinal de contas estamos comprando uma variante do Mirrage, pois o Gripen possui inúmeras tecnologias ora utilizadas no M-2000 ( asas em delta, monomotor, FBW etc).
    Mas continuaremos a comprar projetos estrangeiros para saciar a ganância internacional e de alguns nacionais para sempre.
    Quem me dera algum dia ter um brasileiro de coragem e com visão de nação para esse país como presidente.
    Até lá continuaremos como colônias de exportação de commodities.
    Passar Bem!

    • Ah, e tem mais: nas Forças Armadas NÃO EXISTE racismo! Existe meritocracia. O próximo Comandante da Aeronáutica, provavelmente, será um negro, TB Raul Botelho, meu instrutor na AFA nos idos de 1984. Você, como civil, não sabe tampouco tem idéia das besteiras que está postando. Bolsonaro passou pelos bancos escolares da ESPCEX e da AMAN, onde qualquer tipo de racismo é combatido com veemência. Não fale sobre aquilo que você não conhece.

  24. O Gripen E/F é uma variante do Mirage? Só por ter asas delta, ser monomotor e ter FBW? Será que o J-10 chinês também é uma variante do Mirage 2000? Pelo amor de Deus! Assim, você se expõe ao ridículo!!
    Quant o às citações políticas, nem vou falar nada, porque aqui não é lugar para as mesmas.

  25. Dói no coração mas a verdade é que reformar os F-2000 não dá.
    1 – São poucos;
    2 – Sairia caro;
    3 – O F-39 está chegando.
    Se não fez há 5 anos atrás, agora que não dá.
    Vai chegar um momento que será melhor vender pro ferro-velho. Triste mas verdade.

  26. Flanker 10 de outubro de 2018 at 19:42
    O Gripen E/F é uma variante do Mirage? Só por ter asas delta, ser monomotor e ter FBW? Será que o J-10 chinês também é uma variante do Mirage 2000? Pelo amor de Deus! Assim, você se expõe ao ridículo!!
    Quanto às citações políticas, nem vou falar nada, porque aqui não é lugar para as mesmas.

    Pelo amor de deus, quem está se expondo ao ridículo são vocês em várias áreas.
    Disse que o Gripen é uma “variação moderna do Mirage” por empregar conceitos e tecnologias de sucesso empregada no 2000.
    Ou seja asa em delta, FBW etc..
    Pois como sempre digo, tudo é evolução do que já existe.
    Na natureza e na vida nada se cria, tudo se transforma!
    Sendo assim, se você ira fabricar um novo avião, se baseia em um projeto de sucesso, modificando o que é ruim e mantendo o que é bom.
    Ao menos em engenharia é assim, a própria evolução é assim, e hoje a engenharia moderna busca no mimetismo natural melhorar equipamentos e veículos atuais.
    Mais uma vez Flanker, você me surpreende negativamente em seus conhecimentos.
    Não me esqueço de você contradizendo a afirmação de um alto oficial norte americano quanto aos aviões russos srsrsrs.
    Fazer o que? Só especialista de teclado aqui rsrsr

    • Cara, nem vou discutir com você! Você, vez por outra, vem com essa história de oficial americano e aviões russo….nem aei do que vc está falando!
      Quando usei o exemplo do J-10, foi para dizer que o mesmo tem tanto a ver com o Gripen quanto o Mirage 2000, ou seja, nada!! E usando de suas palavras, o J-10 tb usa tecnolgias modernas, e os 3 itens que vc citou, e nem por isso tem bost@nenhuma a ver com Gripen ou Mirage 2000!
      Quanto a desenvolver um avião, baseado em algo bom, no caso do Gripen, esse se baseou no JAS-37 Vigen, projeto antecessor do Gripen na SAAB. Também usava asa delta, enormes canards, monomotor, etc
      Quanto a te surpeender negarivamente, para mim, não faz a menor diferença! Já vc não me surpeende. Basta ler seus comentários (e olha que ainda diz que é engenheiro!!) para ter certeza das bobagems que escreve….de você, sei que sempre vem bobagem….por isso, não me surpreendo.
      Você vive num mundo paralelo. Tem as ideias mais de esdrúxulas que apareçem por aqui…..contraria a opinião de praricamente todos…..tem propostas descoladas da realidade….se acha melhor que os outros……mantém sua opinião, mesmo sabendo que está errado….. não aceita críticas…..
      Voltando ao citado militar americano, ele por acaso falou o que dos aviões russos? Disse que eles são melhores que os americanos? Deve ser isso, para vc citá-lo. E se foi isso que ele disse, bem…..é a opinião dele…..nem por isso é a expressão da verdade.
      Quer ver uma das bobagens que vc falou? Desenvolver uma versão naval do AMX! Essa ideia até foi aventada muuuito tempo atrás, quando ainda era possível, mesmo que exigisse investimentos grandes. Mas, vc quer desenvolver agora! Para voar a partir de onde? Não tema porta-aviões. Se for para voar de terra, qualquer avião pode ser. Não precisa versão naval.
      Outra bobagem sua: copiar e desenvolver os Morage III e 2000…..copiar um projeto da década de 1950 e outro do início dos anos 1970. Isso geraria um avião ao menos próximo do Gripen? E seria desenvolvido por quem? Embraer? Você a chama de Montaer! Pela Avibrás? Um caça supersônico desenvolvido por uma fabricante de mísseis e de sistemas de saturação de área?
      Bem, ja perdi muito meu tempo contigo….você é um caso perdido! Se quiser passar vergonha, continua falando e escrevendo essas “pérolas de conhecimento”…..kkkkkk

  27. Por fim meu caro, até eu faço um caça super sônico em casa com dinheiro e contratação de profissionais qualificados (ao menos a aeroestrutura).
    Pois empresas não são feitas de instalações e sim da capacidade técnica de seus profissionais.
    Lembro-me de lhe enviar um vídeo de uma competição internacional de RC, onde havia modelos em escala (sim, pois os rádio controles, nada mais são do que modelos em escala dos originais) de caças como SU-35, JAS-39, F-18, F-15 etc.
    Recentemente a MB testou em tanque de provas um modelo em escala dos SBR.
    Mas já perdi tempo de mais contigo para lhe mostrar algo que leigo não entende, não vale a pena!

  28. Se fosse pra modernizar os f2000, talvez poderíamos ter modernizado os f 103… Pessoal alguém tem alguma informação de como estão nossos F5? Motor e estrutura, visto que muitos eram agressores? Todos os f103 viraram peças de museu? Já vi o pessoal dizer que alguns f103 tinham muitas horas de vôo pela frente. É só curiosidade, sei que não faria sentido atualizar o f103.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here