Home Aviação de Ataque Israel pronto para atacar sistemas de mísseis russos S-300 na Síria

Israel pronto para atacar sistemas de mísseis russos S-300 na Síria

16233
118
F-35I Adir da IAF
F-35I Adir da IAF

De acordo com a TASS, a Rússia completou a entrega de um sistema de mísseis superfície-ar S-300 para os militares sírios, desafiando Israel e EUA

O ministro da Defesa, Sergei Shoigu, disse ao presidente Vladimir Putin durante uma reunião transmitida pela TV Rossiya 24: “O trabalho terminou um dia atrás”, acrescentando que o sistema melhoraria a segurança dos militares russos na Síria.

Israel, por sua vez, disse que a venda de armas encorajaria e intensificaria a guerra na Síria.

Na semana passada, uma autoridade israelense disse que os mísseis antiaéreos S-300 são “um desafio complicado” para Israel. O funcionário acrescentou: “Estamos lidando com isso de maneiras diferentes, não necessariamente impedindo a entrega”.

Mais cedo, em abril deste ano, o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, foi bastante claro sobre o fato de que o país pode atacar os sistemas de defesa antiaérea russos S-300, na Síria, se forem usados ​​contra Israel.

“Uma coisa deve ficar clara – se alguém atirar em nossos aviões, nós iremos destruí-los”, disse Lieberman em entrevista ao site israelense Ynet. “O que é importante para nós é que os sistemas de defesa antiaérea que os russos transferem para a Síria não sejam usados ​​contra nós. Se eles forem usados ​​contra nós, agiremos contra eles”.

Israel atingiu repetidamente alvos na Síria nos últimos anos, mais recentemente no início deste mês na província de Latakia, quando militares sírios derrubaram um avião de reconhecimento militar russo, matando todas as 15 pessoas a bordo. Além disso, a Força Aérea de Israel há muito se prepara para destruir alvos como o S-300, mas antes disso, supunha-se que seriam sistemas de defesa aérea iranianos.

Desde 2000, Israel vem treinando e testando discretamente manobras anuais destinadas a derrotar os sistemas de mísseis que a Rússia desdobrou no Oriente Médio. A Força Aérea de Israel usou exercícios militares em conjunto com a Grécia e a Bulgária para se preparar para uma situação potencial em que terá que realizar missões contra o sistema de mísseis superfície-ar S-300.

De acordo com a i24news.tv, os exercícios foram usados ​​para testar como o sistema S-300 trava nos alvos, coleta dados com o radar de rastreamento e para ver se o sistema pode ser cegado ou enganado.

O site The Aviationist também observou que, graças ao exercício na Grécia, a Força Aérea de Israel reuniu dados importantes sobre o sistema SAM russo e teve a oportunidade de testar e melhorar as táticas de evasão durante ataques simulados contra alvos terrestres protegidos por baterias S-300.

Além disso, Israel recebeu mais jatos furtivos F-35I Adir que possuem uma assinatura de radar extremamente baixa, permitindo que o jato opere dentro do território inimigo, bem como evite sistemas avançados de mísseis de defesa aérea, como os avançados S-300 e S-400.

A determinação israelense e sua inventividade tornam possível atingir os sistemas de mísseis russos S-300 na Síria.

Sistema de defesa aérea S-300, conhecido como SA-10 Grumble pela OTAN
Sistema de defesa aérea S-300, conhecido como SA-10 Grumble pela OTAN

FONTE: Defense Blog

118 COMMENTS

    • Acho que ninguém pensou nisto:

      Com os S 300 nas mãos dos sírios os mísseis podem vir dos sistemas sírios ou russos.

      Israel vai saber apenas que seus caças foram atacados.

      Podem até ser atacados por um S 400 e os russos vão falar que foi o sistema sírio !

      • os iranianos e sirios estao combatendo jihadistas, enquanto o trio EUA, Israel e Arabia Saudita abrem caminho pro ISIS dominar a regiao.

      • Netanyahu está com uma ideia fixa com o Irã. Hoje ele foi visitar Merkel na Alemnha para falar de ……. Irã.
        Calma Bibi. Ainda não é a hora certa. Muita água ainda vai rolar.

    • Israel ainda vai queimar a língua com esse negócio de atacar primeiro como resposta à qualquer mínima representação de ameaça, pode apostar.

        • Vamos deixar o sarcasmo de lado, até por que não sou fã da Rússia. Só não fico subestimando os outros países como muitos fazem aqui. Tudo na vida é um aprendizado, assim como os israelenses aprenderam com os massacres passados, os russos também podem ter aprendido com suas mancadas do passado.

    • Pois eu não!
      Quero ver se o f-35 natimorto vai lá dentro da Síria!
      Esse negócio de ficar jogando bombinhas de longe não resolve nada! Eu quero ver e o natimorto sobrevoando a Síria! Dentro do envelope!
      Fico no aguardo!

  1. A mídia insiste nessa história que o S-300 tem alcance de 400 km. O alcance do S-300 é na faixa de 200/250 km. Igual o alcance do sistema S-400. O míssil que teria 400 km (40N6) ainda não está disponibilizado inclusive nunca houve uma confirmação oficial disso ter ocorrido. Quando fontes “oficiais” falam a respeito é sempre com o verbo no modo futuro.
    E para os gráficos com círculos concêntricos referentes ao alcance de um sistema antiaéreo ser o mais próximo possível da realidade e bem informar o leitor, tinham que ter vários círculos internos fazendo referência à altitude em que o engajamento pode ocorrer num dado alcance.

    • Bosco.
      Se você pode projetar o raio de alcance noventa graus acima, terá um eixo vertical, o zênite. Forme com isso uma meia esfeta, em três dimensôes, semelhante a uma esfera de coordenadas. O alcance efetivo do foguete se limite ao interior dessa meia esfera, onde o raio é igual à altura.
      Deve ser isso.

      • Um gráfico intuitivo que correlacione o alcance de um sistema antiaéreo (radar e míssil) com a altitude (horizonte radar) relacionado com a forma esférica da Terra ao meu ver seria parecido com um desenho de um chinês de chapéu. rsrsss
        Eu imagino algo parecido com um semicírculo representando a Terra e um outro semicírculo achatado com bordas planas e base reta, posicionado sobre a “Terra” representando a área de varredura do radar e a área do envelope do míssil dentro desses semicírculo, com forma de gota, representando o envelope do míssil. Um cone espetado no centro do semicírculo, com o cume representando o ponto onde o radar está localizado, mostraria o “cone cego” do radar, situado logo acima dele.
        Sou bom de desenho manual mas péssimo em fazer no computador. rsrsss
        A base do semicírculo seria graduada de tantos em tantos quilômetros onde se registraria o alcance, a altitude (horizonte radar) e o RCS de detecção.
        Por exemplo, um dado radar que detecte um “contato” com RCS de 10 m² a 400 km na altitude de 10.000 metros. E claro, em tendo o radar uma varredura vertical de 40 km ele detectaria naquela distância objetos situados até 50 km de altura, ou seja, situado entre 10 mil e 50 mil metros.
        Na distância de, digamos, 200 km, o dito radar detectaria um objeto com RCS de 1 m² na altura de 2 km. Na distância de 100 km ele detectaria um objeto com RCS de 0,1 m² na altura de 400 m (400 m até 40 km). Na distância de 50 km detectaria um objeto de 0,01 m² na altura de 70 m e na distância de 25 km detectaria um objeto com RCS de 0,001 desde o nível do mar até 40 km de altura.
        Essa representação gráfica iria desfazer alguns maus entendidos em relação ao funcionamento de sistemas antiaéreos de longo alcance.
        Vou ver se faço um 3D relativo ao S-300 e mando pro Galante postar aqui pra gente. rsrss
        Um abraço.

  2. Se eu fosse os russos não tinha levado os S-300, apenas ficaria brincando com Israel com guerra eletrônica, jammeando e sabotando o máximo que pudesse dos equipamentos israelenses à distância. No mais creio que não irá acontecer nada, no mínimo Israel e Rússia fecharão um novo acordo para qualquer coisa. Os dois sabem que uma treta entre eles pode beneficiar o pior na área, que é o Irã. Se o S-300 funciona ou não a Rússia não está nem aí, afinal a Síria não pode comprar nada ocidental, só resta os brinquedos russos e chineses.

    • Rsrsrsr.
      Guerra eletrônica não funciona assim não.
      Primeiro vc tem q saber se os aviões Israelense estão com radares ligados.
      Segundo o que a Rússia pode fazer, Israel pode revidar e acredito que os planejadores russos não querem ter sua
      Consciência situacional prejudicada, já tem o Monte Líbano e o Anti Líbano os prejudicando.
      Terceiro, Israel pode botar o F-35 no ar simplesmente com seu poderoso APG-81 como um poderoso AWACS e GMTI, tirando qualquer vantagem russa.
      Quarto, não tem pq os russos fazerem isso.

      • Se a Rússia quiser, desabilita todos os aeroportos israelenses em poucos minutos. E, ainda, pode bloquear os portos israelenses com alguns submarinos nucleares de sua grande frota.
        Acredito que vc não tem em mente a gigantesca desproporção de forças entre Rússia e Israel.
        Menos, né?

        • Antônio já disse que a Rússia não tem essa capacidade de destruir os aeroportos Israelenses. Israel não é um vizinho da Rússia.
          Se bem que ela pode como vc disse prejudicar as importações israelenses com seus submarinos, já uma fronta de superfície russa seria muito vulnerável a aviação israelense.

          • Augusto, A Rússia teria plena capacidade de atacar Israel quando bem entender, até partindo de seu próprio território. A cidade de Krasnodar, no sul da Rússia, fica a apenas 1.500 de Tel Aviv. Dentro do alcance do Su-35. Não estou nem contando os bombardeiros estratégicos, surpresas reservadas apenas para a OTAN. Não quero também considerar mísseis balísticos, de cruzeiro e etc., os quais a Rússia tem em profusão.
            Lembre-se. A Rússia está capacitada para enfrentar a OTAN e não seria um pequeno país que poderia antepor qualquer obstáculo a ela. Melhor vc voltar à realidade dos fatos.

          • Meu Deus, Antônio, você acha que um SU-35 ou qualquer outro caça vai chegar a distância de disparo de Israel ?
            Vão atravesar a Turquia toda pra atacar Israel, centenas de caças?
            Não, primeiro que a Rússia não tem reabastecedores o suficiente, segundo que num eventual guerra as bases russas na Síria seriam evaporadas na 1h do conflito pela IAF.

            Vc acha que os bombardeiros russos tem capacidade de penetrar as modernas e densas defesas aéreas israelenses ?
            Sinto muito, mas não, a Rússia não tem bombardeiros Stealth.

            Vc acha que os mísseis de cruzeiro russos vão passar ?
            Não irão passar, e os que passarem arranharam o aparato militar israelense, a Rússia mal tem 1000 mísseis de cruzeiro, sendo que nem ia conseguir disparar uma grande quantidade no mesmo tempo em Israel.

            Vc acha que a Rússia tem algum míssil balístico que chegar a Israel para atingi-la?
            Não, só existe os ICBM, o Iskander só tem 500km de alcance.

            Você parece um adolescente, que não entende nada de guerra, acha que por país ter um certo tipo de arma, ele terá capacidade de atingir e derrotar todos os outros, você não análise os outros fatores num conflitos, você não tem a menor capacidade do moderno arsenal que os Israelenses tem em mãos, do treinamento deles, da “espertize” deles, do elevado nível de segurança nacional que eles estão sofrendo, enquanto a Rússia só defende um mísero interesse, Israel defende a sua própria existência.

        • Se a Russia quiser não. Para botar submarinos nucleares a bloqueando portos israelenses, vão ter que passar por cima da US Navy primeiro, e isso os russos não tem culhões e nem bala na agulha para enfrentar o porrete.

          Quando é que você Antonio, vai entender que Israel e Estados Unidos, são duas faces da mesma moeda?

          É difícil isso? Essa é a equação geopolítica que você não entende, ou se recusa a aceitar.

          A Russia não pode fazer porra nenhuma contra Israel. Ponha isso na sua cabeça de uma vez por todas. Ponto final cara.

          Seu sonho de ver Israel sendo destruida seja por russos, por iranianos, chineses ou marcianos nunca irá acontecer. E se vier acontecer algum dia , em menos vinte minutos, 2/3 da raça humana vai virar churrasco na braza , incluindo o Brasil.

          • Além do mais, conforme podemos perceber, Putin está pouco ligando para o que pensam os EUA acerca do Irã, Israel, Síria, China, Venezuela e Coreia do Norte. E agora, Índia.

        • De frutas eu não sei mais eu entendo um pouco de equipamentos militares, e te disse que o que você propôs não se faz assim.
          Israel tem grande capacidade de guerra eletrônica, ainda mais com os F-35.

  3. Até Israel tá entrando na onda do mimimi, dizem que ambos os países ainda estão tecnicamente em guerra, então nada mais justo que ambos tentem se armar, é muito simples, Israel tem o direito de atacar, assim como a Síria tem de se defender, o resto é mimimi de ambos os lados.
    Se a Síria colocar um F-16 pra baixo novamente, ou se Israel destruir novamente uma AAA, nada de muito sério vai acontecer, é tudo um jogo de compadres na Síria, e quem sofre é a população.

      • Ué basta olhar esse TO da Síria, primeiro estava os EUA fazendo de conta que estavam atacando terroristas, depois veio a Rússia contra a vontade americana, com o pé na porta largando bomba igual uma louca, depois um caça Russo foi abatido pela Turquia que não deu em nada, depois um F-16 de Israel foi pro chão e também nada de muito sério aconteceu, depois os russos invadiram o espaço aéreo israelense que novamente não deu em nada, depois russos advertiram que EUA, UK e França não poderiam atacar novamente, o que aconteceu? Atacaram e a Rússia também não fez nada.
        Os EUA matam mercenários russos, os Russos matam os “moderados” financiados/apoiados pelos EUA e fica elas por elas.
        Agora recentemente os russos perderam mais um avião e o que aconteceu? Deslocaram essa bateria de S-300 pra inglês ver.
        Irã late de um lado, Israel late do outro.
        Viu? E isso que eu falei só superficialmente as lambanças que esses países estão fazendo na Síria.
        Todos latem, mas tem duas potências nucleares EUA/Rússia que indepem que os ânimos aflorem mais do que o necessário.

        • Bom comentário, Maurício. Parece que, mesmo com todos os erros cometidos pelos agentes presentes naquele TO, todos tentam relevar ao máximo o que acontece para não desencadear um conflito maior. E tem sido interessante para eles, pois estão em território estrangeiro testando a eficácia de seus sistemas. É mórbido porque se trata de guerra, mas seria interessante ver essa disputa entre F-35 e S-300/400.

          • 737-800RJ, como eu sou Brasileiro e como admirador de armamentos seja de que origem for, também estou louco pra ver um “pega pra capar” entre um F-35 e um S-300(embora eu ache que o F-35 tenha a vantagem).
            Já pensou como ficaria o PA, caso um F-35 ou uma bateria de S-300 fossem feitos em pedaços?
            Seria um “auê” até o final do ano hahaha.

  4. “Uma coisa deve ficar clara – se alguém atirar em nossos aviões, nós iremos destruí-los”, disse Lieberman em entrevista ao site israelense Ynet. “O que é importante para nós é que os sistemas de defesa antiaérea que os russos transferem para a Síria não sejam usados ​​contra nós. Se eles forem usados ​​contra nós, agiremos contra eles”.

    OS Israelenses querem que oa ataques passem impune ? kkkk O certo é a Siria aceitar eles os atacando e não fazer nada ? rs . Mas são muito petulantes mesmo

    • Pelo contrário, eles estão falando que topam terem seus aviões abatidos, mas neste caso que o fizer está topando terem seus AAA destruídos. Os sírios podem tentar destruir os aviões de Israel mas se vão acertar o alvo já é outra questão…

  5. Os Sírio também estarão pronto para usar o Sistema S-300 contra os caças do estado sionista, ou seja se não diminuir a narrativa as coisas podem aprofundar ainda mais as tensões na região, ai vai sobrar para todos que estão lá.
    Quem garante que os Turcos também não entregaram alguma informação do F-35 para os Russos afim de fazer ajustes no seu sistema S.

  6. quero ver israelenses atacarem estes alvos agora ,pois vai ter Russos por 3 meses treinando as equipes Sirias ,se Israel por acaso atacar com tropa Russa operando conjuntamente o sistema(o que eu duvido ) a coisa vai piorar ainda mais

  7. A Rússia não vai esporte o S300, eles vão aumentar a cobertura radar da região , saturar o espaço com equipamentos de guerra eletrônica e manter caças Su35 em alerta 24 horas .

    • Provavelmente deve ser um S-300vm, ou Anteney-2500, o mesmo da Venezuela.
      Só tem um único míssil, sendo 2 versões do mesmo, incomoda 90 km e o outro com um booster que chega a 250km.
      É um sistema mais indicado contra alvos grandes e mísseis balísticos.
      Contra alvos com uma boa manobrabilidade, o míssil não deve acompanhar não, mas como um f-16 carregado de bombas não é lá uma coisa muito manobrável, pode se ter o efeito de fazer o mesmo alijar suas armas.
      Mas em compensação não tem um bom pk contra mísseis de cruzeiro e munições guiadas. Teria que ter um regimento de Tor ou Pantsir o protegendo.

  8. Esse S-300 ali que foi enviado pelos russos está bugado, pra passar falsos dados dos sistemas russos. Ou será que eles são tão bobinhos assim? E os caças novos de Israel, será que estão trafegando com os sinais originais ou camuflados?
    Duvido muito os russos colocarem o sistema escancarado pra ocidental ver em uma posição que não seja prioritária e dentro da Rússia.
    Qual o melhor sistema? F-35 ganha dos S-400? Só numa ação real pra saber, o resto é especulação.

    • Jeff provavelmente deve ser um S-300 “capado”, já entre qual o melhor sistema eu acho que quando o F-35 estiver full operacional o F-35 deverá ser melhor.
      Na minha opinião a aviação de caça sempre terá a vantagem contra uma AAA, seja ela qual for.
      Claro que estou falando de potências e suas armas ar-terra de longo alcance, e não nossas bombas burras da série mk.
      Na minha opinião Israel manda pelos ares essa bateria de S-300 a hora que bem entender, Israel tá é fazendo um draminha.
      Mas claro é só especulação minha também.

  9. Só tem um problema sobre os S300 que israel treinou. Eles eram a versão mais simples dos S300. A Russia esta enviando o PMU2 direto das unidades deles que possui mais de 20 anos em relação ao Búlgaro e Grego.
    A versão da Bulgaria é a PS e grega a PMU.

    • É o PMU2 ? A Síria tinha pedido o S-300VM em 2013.
      De qualquer maneira não é muito diferente do PMU-1, só aumenta o alcance do míssil para 195km em contra partida dos 150km do PMU-1.

  10. No mapa fica apontado que o S300 tem um alcance de 150 km apenas e se não me engano serão 8 baterias de S300 para a Síria !! Os S300 que Israel treinou contra são de versões muito mais antigas e portanto acredito que as baterias fornecidas pelos russos são de versões muito mais modernas, dessa forma dificultando um pouco mais a tarefa israelense !!

  11. São 49 equipamentos … nos quais se inclui 04 lançadores… ou seja… é um S-300 se não de última geração de uma geração muito mais atual que as vendidas para os gregos, etc.
    Vejo que os russos podem usar tal equipamentos não para derrubar jatos israelense e sim refinar ainda mais a tecnologia de seus radares.

  12. Será que Israel irá usar F35? Este ainda não foi aprovado.kkkk F16 despencou do céu!!! Enquanto isso , o guardião do nrte envia F35 para o Afeganistão destruir AKs 47 e morteiros da ll guerra. Rapazes, pensava que corrupção era só na República bananais, mas, os primos do Norte estão sendo dilapidados pelos políticos e industriais belicosos, haja tributos. Lá,como cá ! Vamos ver se israel vai encarar ou é sô FACK NIWS.

  13. Isso é uma jogada arriscada, uma faca de dois gumes.
    Se, por acaso, acontece de um avião israelense ser derrubado pelo S300, seria uma grande publicidade para o S300, ainda mais se tivessem a “sorte” do caça abatido ser um F35…
    Porém, se, por acaso, ocorre o contrário. Um ataque de Israel destrói uma bateria do sistema S300… nao importa se quem tivesse operando o S300 fossem militares russos ou sirios, isso poria em cheque a credibilidade dese sistema.
    Enfim, são apenas possibilidades. Não desejo nem um, nem outro.

  14. Obviamente que israel pode destruir isso quando quiser, alias, não só israel, hoje muitos países tem a capacidade de faze-lo.
    Um sistema SAM seja o S-300 ou Patriot, por exemplos, são vistos muitas das vezes como super trunfo, deveriam ser vistos como uma parte de um sistema de defesa. Que vai de camadas baixas com MANPADS, AAA, misses cobrindo setores do mais baixo ao mais alto, fazendo a defesa em camadas garantindo a segurança mutua. ( ZSU-23 < MANPADS < PANTSIR < TOR MK2 < BUK SA6 < S-300 < S-400 < Su-35 < Su-50). No caso da Síria que não possui uma força aérea capaz de somar algo a esse guarda chuva a deficiência dos sistemas SAM são ainda maiores. Mesmo que o alcance seja de 400 km uma aeronave pode mascarar a sua aproximação, usando a curvatura da terra até o alcance das armas stand off, principalmente se o atacado não possuir uma força aérea capaz de contrapor ou pelo menos atrapalhar o atacante (Síria por exemplo). Outra fragilidade dos SAM é que dependem de grandes geradores de energia (radares) para localizar e iluminar os alvos, os que os torna um alvo fácil para armas anti radiação seja drones (IAI HAROP) ou misseis (AGM-88 HARM), sem eles são inúteis, ou patos sentados, usando uma expressão mais yankee.

  15. Israel deu o recado. A messagem foi clara. Estão avisados categórica e inequivocamente do que a IAF irá fazer.

    Eu já repeti aqui no blog várias vêzes: Israel não blefa. Vamos esperar para ver o próximo lance.

    O sistema S-300 será o alvo adequado para os F-35 demontrarem ao mundo as suas capaciddes de ataque, sua suite eletrônica de contra medidas, e as táticas evasivas criadas pela IAF.

    • Prezado
      Só há uma coisa q muitos esquecem.
      Será q Israel fará algo utilizando só a IAF?
      Muito s esquecem q possui Op Esp das melhores.

      Mesmo possuindo Anv Stealth, na TD, EUA e aliados atacaram as Bia AAe iraquianas de curto alcance q defendiam seus principais radares com Comandos Egípcios. Depois, sem estas, os Apaches destruíram radares importantíssimos da Def de SH, abrindo o caminho para a campanha aérea, q começou com o emprego do F-117.

      Resumindo: a Guerra se faz com todas as forças combatendo integradas.

      Sds

  16. Depois de Israel ter ajudado a Síria a destruir um avião militar desarmado matando vários, vão ter que se esforçar um pouco mais para entrar no espaço aéreo sírio ou levarão chumbo grosso dos ruskys.

    • Como é Israel ajudou a Síria a destruir um avião desarmado? Vc disse que Israel ajudou a Síria nessa pataquada?

      Ajudou????

      Os sírios sob treinamento russo/soviético há 70 anos e os sírios fazendo cagadas há 70. Israel não precisa ajudar nisso, os russo já estão fazendo bem esse trabalho a muito tempo

  17. Se eles usarem de mobilidade com o S-300, podem impor algum respeito.
    Saber quando os F-35 decolam não é difícil. Um informante que perceba a decolagem e mande msg é fácil. Israel tem um pequeno território, não dá pra um caça decolar sem fazer barulho nas redondezas.
    Satélites russos tb podem avistar a decolagem.

    • Delfin,
      Quanto ao espião, perfeito. Só tem um problema. Caças israelenses decolam a toda hora. Vai faltar crédito pra tanta mensagem. rsrsss
      Já quanto aos satélites, os de reconhecimento não ficam parados sobre um ponto e não há tantos que sempre haja um monitorando uma área em tempo real. Acho que não dá não.
      Em relação à mobilidade dos S-300, há dois problemas inerentes: eles emitem radiação e são detectados a grandes distâncias via radar SAR (abertura sintética).
      Você poderia dizer que os caças também poderiam ser detectados só que os caças são rápidos e podem se esconder abaixo do horizonte radar após determinar a posição das baterias. Já o sistema antiaéreo não pode fazer isso com tanta presteza.
      A defesa do sistema antiaéreo fica por conta mais dos interferidores, despistadores, defesa aproximada (Pantsir, etc.), camuflagem, embustes, etc. , do que da mobilidade.

  18. Quem acha que o “incidente” com o IL-20 foi uma sequência de acontecimentos aleatórios está enganado. Faz tempo que a Rússia queria trazer esses equipamentos à Síria e só estava esperando o momento certo.

  19. Essas baterias por “mais boas” que sejam, sem apoio aéreo de qualidade são insuficientes para conter não apenas Israel, mas qualquer Força Aérea minimamente decente. A Rússia sabe disso e por isso patrulha vinte e quatro horas suas bases na Síria.

    • Vinícius,
      Agora você disse tudo. Um sistema antiaéreo só funciona se for em caráter “residual”. O grosso da defesa aérea de um país tem que ser combatido pela aviação.
      Essa é a doutrina básica da OTAN. Por isso eles não se importam de ter mísseis com “zentos” quilômetros de alcance a Mach 10. Mísseis de longo alcance para a OTAN são eminentemente “anti-balísticos”.

      • Em 1973 muito mais aeronaves israelis foram abatidas por AAA que por caças inimigos. Israel se preocupa muito mais com os S-300 que com os Su-35.

        • De 1973 para 2018 são 45 anos, Israel aprendeu a duras penas que naquela situação a doutrina empregada não era a mais adequada. Agora me diga quantos aviões israelenses foram abatidos por AAAs de lá para cá?

        • Delfim,
          Pode ser! Mas quem ganha a guerra, mesmo tendo que suportar perdas, é quem tem uma força aérea poderosa.
          Quem organiza uma IADS muito densa é porque não confia no componente de defesa aérea (caças).

          • Perder pilotos para quê, eles são mais difíceis de repor do que as máquinas, logo uma estratégia como a dos vietnamitas, que usavam seus caças como iscas para atrair o inimigo para as baterias antiaéreas, parece ser bem mais eficiente e menos custoso.

          • Afffff…
            Nem acredito que você escreveu isso…sem comentários, mas
            Te aconselho voltar a estudar a sua “bíblia”: site “sistemas de armas”.

          • Fox,
            Te aconselho a usar o vocativo quando se dirigir algum comentarista específico.
            Em sendo pra mim a sua recomendação, fico grato.

          • Fox,
            Só pra que você tenha uma ideia, a defesa aérea do US Army é composta basicamente por mísseis Stingers (Avenger) . Eles sequer têm sistemas SHORAD e já passam diretamente para o Patriot.
            Nesse meio tem alguns Centurions (Phalanx terrestre com função C-RAM) pra proteger suas bases de ataques assimétricos.
            O RU baseia sua defesa AA em dois mísseis de curto alcance: Starstreak (15 kg) e Rapier (45 kg). Não têm mais nada. Toda a defesa da “Ilha” é feita por caças. E a das forças expedicionárias, idem.
            Os outros países da OTAN não são muito diferentes.
            Só quem tem a densidade de defesa antiaérea dos Russos, formatada por ZSU-23, Iglas, Verbas, Buks, Tunguska, Osa, Sosna, Strela, Morphey, Pantsir, Tor, S-200, S-300, S-300V, S-400, S-350, etc. são os próprios e os que seguem a doutrina russa.

          • Bosco,

            Olha o território da Rússia e olha o território dos países que você citou, olhe também para suas capacidades financeiras, os russos não teriam tanta grana para manter tantos caças para proteger um território que ocupa uma parte considerável da face da terra.

      • Bosco,
        Ao contrario da OTAN, os modernos sistemas de defesa aéreo de esfera completa Russos segue a doutrina sem apoio aéreo.
        Respeito de Israel, eles podem destruir o S-300, porem os prejuízos materiais e recursos humanos serão muito alto para a estrela de Davi.

        • Não, é bem assim.
          eles tem poder de destrui-los sem nenhuma oposição aérea desde que empreguem os meios e taticas corretas.
          Por exemplo, um grande strike package de ondas de 2 caças por formação, F-16 e F-15, carregando armas stand off, apoiados pelos F-35 na EW e no alerta antecipado.
          Pode se empregar essas armas stand off fora do raio de ação do sistema ou usando a cobertura da circunferência da terra.
          Ainda tem a chance de se usar os Males para enganar as defesas, se os israelenses tiverem.

  20. Tirando o lado humano do negócio, o que por si só já é um absurdo, pois estamos falando de vidas, mas tem o contraponto das guerras, o mundo está pagando pra ver se tal arma pode limitar a outra tal arma.
    Bilhões em investimentos esperando e pagando para ver o que vai dar!!

  21. Agora vou fazer coro com os Pró-Âmis….
    ——————————————————
    Esperando o Tio Jaco destruir as Baterias Russas como se estive-se dando um espirro…..Masssss e
    se antes os S-300 realmente forem alguma coisa e colocar os F-16 e 35 abaixo…mano na (moita) vai ser uma festa sensacional nas colonias da UE….rsrsrs…..

  22. Israel pode destruir essas baterias? Claro que pode.
    Mas a que preço é o que todos queremos saber.
    Acredito que logo saberemos.

  23. Bom dia colegas da trilogia. A informação que chega é de que são 8 sistemas completos, com 49 peças no total, e que estarão diretamente interligados ao sistema de alarme antecipado C3 na Rússia, como se fosse a Siria uma parte interligada do sistema de defesa e contra medidas Russo, com os dados chegando diretamente ao centro de informações em Moscou. Provavelmente a Rússia, quer que Israel chegue mais perto para conversar.

  24. O problema é se um F-35 for abatido, e fotos de pedaços do caça aparecerem no mundo. Vai ser uma pá de cal no programa JSF. Se um F-117 não fosse abatido nos Bálcãs estariam voando até hoje.
    E se um piloto israeli for capturado vivo, então, Israel vai cair de joelhos. Por mais que negue publicamente que negocia com inimigos, vai acabar o fazendo. O preço vai ser sumir da Síria.
    A probabilidade de destruir o S-300 é razoável, mas a aposta é arriscada.

  25. Guerra simétrica dos árabes com Israel é derrota certa, perderam todas. A guerra tem que ser assimetrica com soldados no chão. A opinião publica de Israel, atualmente, não admite perdas de soldados (vide Líbano 2006). O outro ponto é guerra econômica. Lanca-se um foguete que custa 2.000 US$ e para combate-los são lançados 2 misseis de mais de 100.000 US$. Uma hora falta dinheiro para comprar missil. Se você tem cerca de 10.000 foguetes espalhados ao longo da fronteira do Libano é ruim. Se o Irã/Hezbolah fizer o mesmo na fronteira Siria piora muito esse é o principal ponto danguerra atual. O Irã está levando sistemas para Siria (como uma forma de dissuasão em caso de ataque de Israel) e Israel está jogando o jogo dele de não permitir…. No fundo é um jogo de estratégia sem inocentes.

  26. Excelente comentários do Galante e Bosco mas ainda me vem uma dúvida: Para que os russos colocariam o sistema S-300 para serem destruídos pelos Israelenses ou outro como EUA?
    Sei que a Rússia tem um interesse direto na Síria, mas não é mais fácil coordenar ataques com o Israel à alvos do que provoca-los?

    • A pressão Síria deve ter sido grande.
      Desde os ataques americanos no ano passado que a Síria tem pressionado os russos.
      É uma situação onde os russos não tem pra onde correr.
      Mas Israel não precisa necessariamente destruir o s-300 só se esquivar.
      Mas de qualquer forma é uma questão interessante.

  27. Vamos aguardar!!!
    Se o F-35 natimorto entrar lá dentro da Síria e voltar ileso o mundo todo vai querer compra-lo!
    Quero ver!!!
    O restante é conjectura!!

  28. Se Israel não quiser problema com o S-300, é só não invadir o espaço aéreo da Síria, caso contrário, os pilotos deles correm riscos .
    Se Israel tentar destruir o S-300 , os Russos ficarão ainda mais furiosos contra Israel e verão isso como uma afronta.
    A arrogância de Israel forçará os Russos a equipar mais ainda as Forças Armadas da Síria. Se eles já tem S-300, futuramente pode vim S-400. Além disso, já imaginam os Sírios recebendo esquadrões SU-30 e SU-35?
    Israel peitar a Rússia é pior decisão que eles podem tomar, sendo que a Rússia vai permanecer na Síria e no oriente Médio pelo menos por 30 anos.
    A carta está lançada, basta eles moderem a isca. Putin vai cercando Israel e mudando comportamento deles sem dar um único tiro.

    • Mas Israel entra na Síria quando quer e os russos sabem disso mas não fazem nada. Porque?

      Não seja ingênuo. Israel faz o que for necessário para proteger seu território e seu povo. E faz isso com as bençãos do Tio Sam, e os russos sabem disso, portanto se os russos não apertarem o gatilho tudo vai acabar em pizza.

  29. O que Mais me Impressiona.
    É O Campo de provas que o USA e RUSSIA Tem a dispozição , para aperfeiçoar seus Equipamento Militares.
    Longe de sua Soberania.
    Principalmente o USA.
    Que utiliza Israel como um otimo vendedor de seus produtos e etc de Defesa., contra siria – Palestino – Irã.
    E o Japão na Questão da China.
    Russia contra Ucrania e etc.
    Bem longe de sua vizinhança.
    Independente de que Vença ,Guerra e Guerra e sempre ira ter Perdedores.
    Vidas Humanas.

    • Concordo. E só se for algum erro de algum soldado para dar zebra. Não creio que ordem alguma para abrir fogo contra Israel virá do Kremlin. Vai dar é pizza…
      Agora, Tadeu, como tem gente que quer ver Israel destruído hein… Inveja é uma m.

  30. Se forem realmente oito baterias, é uma senhora rede de proteção sobre a síria, em conjunto com os já existentes Buks e pansistir, vão dificultar muito qualquer ataque, seria interessante acompanhar os movimentos da IDF nas próximas semanas….
    Politicamente seria embaraçoso para os russos verem seus sistemas S-300 destruídos, porém muito pior será se algo acontecer ao F-35, cabeças vão rolar certamente

    • Amigo Carcara_br!
      Ate então foi dito que vai ser 2 regimentos .Ou seja são 4 divisões cada com 3 baterias cada com 4 lançadores.
      Alem(!!!) disso vão enviar (ou seja , na se fala sobre unidades ja existentes) :
      – 20 Buk-M2
      – 25 Tor-M2U
      – 15 S-125-2(M)
      – mais de 30 Pantsyr-S1
      OBS: Alcance declarado de 250 km corresponde quase que unicamente a 48N6E3 (versão de exportação da 48N6DM).O que , consequentemente, indica um conjunto S-300PMU2 “reforçado” com elementos da versão B4.
      Alem disso , vão trazer mais mata-AVAKS “Krasuha-S4” e mata-GPS “Zhitel”.
      Um grande abraço!

  31. Não sei prq mas isso me lembrou os fodasticos T62 com visão noturna, canhão de alma lisa, sistema de mira pica das galáxias, fornecidos aos sírios pelos soviéticos, responsáveis também em treinar os novos usuários, contra os centurions israelense, sem nada disso, atualizados pelos próprios israelenses, que não eram fabricados a mais de 10 anos. E o resultado foi uma lavada.

    Imagina agora que a Síria não tem o mais moderno e Israel tem. Inclui aí o operador sírio durmindo perto de seu veículo ou atirando em aviões amigo…vai dar nem para aquecer

  32. Uma coisa é certa, os russos devem ter uma carta na manga, não é possível. Eles sabem que se prejudicarem Israel, este último irá retaliar. Acredito que deve sair mais algum acordo Rússia-Israel para qualquer coisa. Ou então os russos querem testar sua defesa contra prováveis ataques do F-35, ninguém dá tiro no escuro, ainda mais os russos. A coisa vai ficar interessante e eu quero assistir de camarote. Só lamento pelas vítimas inocentes que são os únicos prejudicados nessa história toda.

    • Israel não consegue lutar com Hezbollah e vai se meter com a Rússia? Se Israel atacar a Rússia na Síria, é mesma coisa que dar tiro no próprio pé. Os Russos estão esperando eles cometerem esses erro. Nem os EUA arriscariam numa coisa dessa, imagina um pequeno Estado…

  33. Me desculpe, mas aqui está cheio de “General de Facebook”,ganharia uma baita grana dando conselho aos sauditas de como vencer os Hunthis.
    O jogo Sírio é mais complexo do que imaginamos,os ventos de mudança de liderança começa a soprar.

  34. Sabe qual vai ser o fim de Israel, com a sua arrogância militar? É um artefato nuclear explodindo na sua capital, infelizmente.
    Cada vez mais países detêm esse conhecimento e cada vez mais estas armas vão ficando mais reduzidas e leves.
    Vai chegar em um ponto q será impossível de se evitar. Este será o preço colhido por décadas de ódio e imposição da força sobre o dialogo no Oriente Médio. É lamentável muito triste.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here