Home Aviação de Ataque Caça F-35 tem preço reduzido em novo contrato de produção

Caça F-35 tem preço reduzido em novo contrato de produção

11236
29
Lockheed Martin F-35A Lightning II
Lockheed Martin F-35A Lightning II

Aviões do modelo F-35A agora vão custar abaixo de US$ 90 milhões

FORT WORTH, Texas, 28 de setembro de 2018 / PRNewswire / – O Departamento de Defesa dos EUA e a Lockheed Martin (NYSE: LMT) finalizaram um contrato de US$ 11,5 bilhões para a produção e entrega de 141 aviões F-35, o menor preço por aeronave no histórico do programa.

Pelo décimo primeiro ano consecutivo, o custo de um F-35A (CTOL) foi reduzido. O preço unitário do F-35A, incluindo aeronaves, motor e imposto, é de US$ 89,2 milhões. Isso representa uma redução de 5,4% em relação aos US$ 94,3 milhões que custou para um F-35A no Lote de Produção Inicial de Baixa Cadência (Low-Rate Initial Production Lot) 10 (LRIP 10).

No LRIP 11, o custo unitário do F-35B (STOVL) foi reduzido para 115,5 milhões de dólares. Isso representa uma redução de 5,7% em relação aos US$ 122,4 milhões que custou para a variante de pouso vertical e decolagem curta no LRIP 10. O custo unitário do F-35C, versão naval, foi reduzido para US$ 107,7 milhões. Isso representa uma redução de 11,1% em relação aos US$ 121,2 milhões que o custo para a variante embarcada (CV) no LRIP 10. O contrato LRIP 11 financia 91 aeronaves para os EUA, 28 para os parceiros internacionais do F-35 e 22 para os clientes de Foreign Military Sales do F-35. As entregas começarão em 2019.

“Reduzir os custos é fundamental para o sucesso deste programa”, disse o vice-almirante Mat Winter, diretor executivo do programa F-35. “Estamos cumprindo nosso compromisso de obter o melhor preço para os contribuintes e combatentes.

“Este contrato para o próximo lote de F-35 representa um acordo justo para o governo dos EUA, nossa parceria internacional e indústria. Continuamos focados em reduzir agressivamente o custo do F-35 e entregar o melhor valor”.

Com tecnologia stealth, velocidade supersônica, sensores potentes, grande capacidade de armas e implantação global, o F-35 é a aeronave de combate mais avançada já construída, permitindo que mulheres e homens uniformizados executem sua missão e retornem para casa com segurança. Mais do que um jato de caça, a capacidade do F-35 de coletar, analisar e compartilhar dados, é um poderoso multiplicador de forças que aprimora todos os recursos aéreos, de superfície e terrestres no campo de batalha.

“Este contrato representa um avanço significativo para o programa F-35, à medida que continuamos a aumentar a produção, reduzir custos e entregar capacidades de transformação a nossos homens e mulheres uniformizados”, disse Greg Ulmer, vice-presidente e gerente geral do F-35. “À medida que a produção aumenta e implementamos iniciativas de redução de custos adicionais, estamos no caminho certo para reduzir o custo do F-35A para US$ 80 milhões até 2020, que é igual ou menor que as aeronaves legadas, proporcionando um grande salto na capacidade.”

Lockheed Martin F-35B Lightning II
Lockheed Martin F-35B Lightning II

Progresso do Programa

O contrato mais recente é uma demonstração do progresso e maturidade do programa, já que a indústria e o governo agora estão de olho em futuras abordagens de aquisição para os próximos três lotes de produção para reduzir ainda mais os custos.

Com mais de 320 aeronaves operando a partir de 15 bases em todo o mundo – o F-35 está desempenhando um papel fundamental no atual ambiente de segurança global. Mais de 680 pilotos e 6.200 mantenedores foram treinados e a frota do F-35 ultrapassou mais de 155.000 horas de voo acumuladas. A confiabilidade do sistema de armas F-35 continua melhorando através de uma combinação de melhorias de hardware e software.

Além da capacidade avançada, o F-35 proporciona estabilidade econômica aos EUA e às nações aliadas, criando empregos, comércio e segurança e contribuindo para a balança comercial global. O F-35 é fabricado por milhares de homens e mulheres na América e em todo o mundo. Com mais de 1.500 fornecedores em 46 estados e Porto Rico, o programa F-35 suporta mais de 194.000 empregos diretos e indiretos apenas nos EUA. O programa também inclui mais de 100 fornecedores internacionais, criando ou mantendo milhares de empregos internacionais.

Lockheed Martin F-35C Lightning II
Lockheed Martin F-35C Lightning II

Sobre a Lockheed Martin

Sediada em Bethesda, Maryland, a Lockheed Martin é uma empresa global de segurança e aeroespacial que emprega aproximadamente 100.000 pessoas em todo o mundo e dedica-se principalmente à pesquisa, projeto, desenvolvimento, fabricação, integração e manutenção de sistemas, produtos e serviços de tecnologia avançada. Este ano, a empresa recebeu três Edison Awards por inovações inovadoras em autonomia, tecnologia de satélite e energia direcionada.

FONTE: Lockheed Martin

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lewandowski
Lewandowski
1 ano atrás

24 vendas FMS, ou seja, quem comprar (ou já deve ter comprado) pagará pelo 35A U$ 90 milhões! ou se aguardar mais um pouco, U$ 80!
.
Nos idos do início de 2000, a USAF pagou na casa dos U$ 400 milhões cada Raptor e hoje oferece o melhor caça do mundo à 20% desse valor… Realmente, Sr Jobim, é demais para nós…
.
Sds

junior
junior
Reply to  Lewandowski
1 ano atrás

De fato pagar U$ 150 milhões em um caça de 4ª Geração se mostrou a alternativa mais acertada ( to sendo irônico) .Por hora o tal custo de operação segue sendo o mantra daqueles que defendem não comprar este aparelho , mas veremos até quando isso sera “verdade”

Coutinho
Coutinho
Reply to  junior
1 ano atrás

Como se o Brasil fosse realmente adquirir o F-35 pelo FMS.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Como eu queria ver pelo menos 12 unidades dessas aqui no Brasil! Mas acho que é um sonho que só deve se realizar daqui uns 30 anos!

Guilherme Poggio
Reply to  Matheus
1 ano atrás

Obrigado Matheus

Já tem post sobre o assunto aqui no PA

https://www.aereo.jor.br/2018/09/28/acidente-com-caca-f-35b-do-usmc-nos-eua/

Nilton Reis Jr.
Nilton Reis Jr.
1 ano atrás

Mas segue soltando pecinha, né?! Caiu um B há pouco.

_RR_
_RR_
1 ano atrás

Interessante notar que essa redução de preço já era prevista e pretendida desde o início.

O assentamento da linha e a passagem dos custos de implantação tenderão a deixarem os preços do ‘Lightning II’ mais competitivos.

E mais uma vez lembrando que isso é custo fly away. No final do contrato, é certo que cada caça sai custando 1/3 a mais.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

A pressão europeia deve ter diminuído o preço, ajudado nessa queda, apesar do programa já vir com quedas no preço como o próprio artigo fala.

Lucas Schmitt
1 ano atrás

Daqui a pouco tá mais barato que o gripen.

Gus
Gus
Reply to  Lucas Schmitt
1 ano atrás

Já é mais barato que o Gripen.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Nada a ver com o post, mas isso me lembrou aquela matéria onde “supostamente´´ o F-35 tinha sido ofertado ao Chile…

BMIKE
BMIKE
1 ano atrás

Essa eu não resisto: $90milhões a unidade? Manda um esquadrão de 12 unidades para Argentina via FM S…kkk

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Bom, bonito e barato não existe.

Cleber
Cleber
1 ano atrás

Quem sabe, futuro caça da MB . Porque alguém acredita ainda no Gripen Naval ?

Augusto L
Augusto L
Reply to  Cleber
1 ano atrás

Por 90 milhões, quem sabe daqui alguns anos $80mi. Valeuito apena, o F-35 com seus sensores e furtividade, faria o que o R-99 faz, faz o que um E-99 faz, o que um possível gripen EW faria, um gripen navalizado e o que um satélite de reconhecimento faria, tudo isso num mero caça de $90 milhões. Imagina só o que a FAB teria que comprar pra enfrentar um inimigo moderno, sem ter o F-35. Ia ter que modernizar o R-99 Modernizar o E-99. Desenvolver e comprar um gripen EW Comprar dezenas de mísseis de cruzeiro caríssimos. Comprar dezenas de pods… Read more »

Alecssander
Alecssander
1 ano atrás

Boa tarde pessoal! Esse é minha primeira postagem, mas já acompanho o site a anos. Temos um compromisso com o Gripen E/F que acredito ser importantíssimo para nossa indústria já que estamos participando do desenvolvimento e produção desse caça. Como todos sabem ele será em breve a linha de frente da FAB em substituição aos F2000 C/D já aposentados e também dos F-5EM/FM. Acredito que a FAB deveria comprar pelo menos mais um lote desses caças. Em meu pensamento de civil, um mínimo seriam 80 aeronaves em 5 esquadrões(16 F-39F para o 1º/16º GAV – ESQUADRÃO ADELPHI, e 16 F-39E… Read more »

Humberto
Humberto
Reply to  Alecssander
1 ano atrás

Seja bem vindo nos posts. Eu também como civil, imagino que em 2030 vamos estar com os 36 encomendados e quem sabe um novo lote de mais 12 ou 18 grippen, isto com um vies otimista. Com uns 50 caças, teremos uma FAB MUITO mais poderosa que temos hoje com a soma dos A-1 e F-5. Quanto ao F-35, não sei bem se o valor vai cair para 80 milhões, pois acho que o teto deva estar chegando, mas mesmo que seja 90 milhões de dolares, este valor é só do mesmo, não tem motores reserva, peças, componentes, bancada de… Read more »

Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

Esses preços são válidos para os EUA. Para exportação sao outros quinhentos. E incluam em um eventual pacote para exportação: ferramental, peças de reposição, suporte logístico, treinamento.

Alecssander
Alecssander
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Bem, na matéria diz: “O contrato LRIP 11 financia 91 aeronaves para os EUA, 28 para os parceiros internacionais do F-35 e 22 para os clientes de Foreign Military Sales do F-35.” Claro que teríamos gastos com treinamento, peças de reposição e ferramental, mas em 2030 acredito estariam também com uma valor de aquisição mais baixo. Ainda acho que a dupla F-39E/F e F-35A seria uma ótima para a FAB. Se o Chile pode tê-los nós também (deveríamos ter) podemos.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Alecssander
1 ano atrás

Alecssander, não somos o Chile. Basta olhar o nosso cenário politico. Para os EUA já basta uma Turquia. Pode procurar sobre o caso da espionagem do Governo Americano nos Governos esquerdistas do Brasil (Lulla e Dilma)… lembro que o um alto Membro do Governo Americano (que até havia sido Embaixador no Brasil) falou um pouco sobre o caso de espionagem e num determinado momento da entrevista Ele disse que a espionagem é normal em Paises que não são alinhados com os EUA. Ouvi aquilo e depois fiquei pensando no Chaves, Morales, Kadhafi, Ditadores Africanos, nas Novas Republiquetas de Banana na… Read more »

André
1 ano atrás

Com essa entrega a USAF já tem o dobro de F35 do que a VVS tem de su35?

Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

Se o Brasil fosse comprar um lote de doze F-35A hoje, no chute, não sairia por menos de US$ 3 bi.

Leonardo M.
Leonardo M.
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Exato!

Pessoal acha que é só pagar U$90 milhões por unidade e pronto, não vai precisar fazer revisão/trocar óleo/peças/etc
Fora o custo da hora/voo que deve ser altíssimo
Seria uma rainha dos hangares na FAB literalmente

Melhor pedir mais uma encomenda de 36 F-39que agente ganha mais com isso

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Fico apenas a imaginar quando o caça for bom… ironic mode on

diego
diego
1 ano atrás

Sabia que teríamos esse papo de que é mais barato que o Gripen, acredito que ter é diferente de operar, como já foi muito bem comentado, o preço é apenas para a aeronave, não envolve o pacote todo, que no nosso caso, envolveria muito mais coisas, entendo também que sonhar com F35 para a MB, não passa de sonho, talvez com o passar das décadas, pois hoje a MB luta para ter navios operando simplesmente operando.

Davi
1 ano atrás

O F-39 Gripen será o último avião avançado, novo e tripulado que teremos. O próximo avião avançado e novo não será tripulado.

Humberto
Humberto
Reply to  Davi
1 ano atrás

Creio que não Davi, Tem o Su-57 (que está um passo atras do NG para ser fabricado), o possível caça de quinta geração japonês e o de sexta geração europeu. Vai rolar muita água debaixo desta ponte, antes de ter caças não tripulados. Creio que os drones (principalmente os enxames) vão complementar os caças e só depois disto, substituirem. Lembro que no final da década de 50, os Britânicos cancelaram todos os projetos de caças, pois acreditavam que os mísseis iriam fazer todo o trabalho, somente o BAC Lightning não foi cancelado pois estava quase pronto. Falando em Britânicos, eles… Read more »

Cláudio
Cláudio
1 ano atrás

Vou comprar um pra mim. Tenho aqui umas economias e um trocadinho que dá para pegar emprestado.