Home Aviação de Ataque AVIC apresenta primeiro caça leve FTC-2000G

AVIC apresenta primeiro caça leve FTC-2000G

15097
54
FTC-2000G
FTC-2000G

A AVIC apresentou o primeiro FTC-2000G, uma variante de combate leve do seu treinador FTC-2000

A fabricante chinesa de aviões informou que a montagem da aeronave começou em fevereiro na fábrica de Anshun da unidade Guizhou Aviation Industries Co. Ele está programado para fazer seu primeiro voo no final de setembro, e também será exibido no show aéreo de Zhuhai em novembro.

Com base na célula do treinador FTC-2000, a nova variante mantém a configuração de duplo assento em tandem, mas tem um aumento de 1,2t no peso máximo de decolagem para 11 toneladas.

Embora ainda possa ser usado como um treinador militar, a AVIC tem como alvo a aeronave focada na exportação nos papéis de caça leve/ataque ao solo e missões de reconhecimento. Ele pode carregar uma carga máxima de 3t de armas e casulos de reconhecimento em seus sete pontos duros externos.

O FTC-2000 é em si um desenvolvimento focado na exportação do treinador Guizhou JL-9 usado pela Força Aérea do Exército de Libertação Popular.

JL-9
Treinador JL-9, baseado no MiG-21

SAIBA MAIS:

54 COMMENTS

    • Boa notícia pra quem? Pra mim, brasileiro, que não tenho nada a ver com porr@ de chinês nenhum, essa informação e nada, pra mim, é a mesma coisa.

      • Honestamente, queria saber de onde vem todo esse anti-americanismo…
        Será que essa turma toda acredita mesmo que Russos, Chineses, e Europeus em geral são os “bonzinhos”, ou é só o resultado do aparelhamento do sistema educacional?

        • Aparelhamento do sistema educacional blá blá blá… Tudo pra essa galera é isso. Cara, se China e Rússia não são mocinhos, tão pouco os EUA. Coerência, pô…

          • Os EUA decidiram a 2ª guerra mundial, e este país com a sua liberdade foi o berço para, no mínimo dentro de um chute bem baixo meu, metade de tudo que houve de progresso nos últimos 100 anos existisse, inclusive os smartphones e computadores que os fãs de regimes totalitários e idólatras de ditaduras de miséria estilo Cuba e Venezuela apreciam.

    • Só se for você, nada de mais esse avião china, entre um desses e um ST, prefiro muito mais um ST, povo gosta de falar mal do seu país a toa.

      • Ai não heim….este caça é similar a um Mike zero km de fabrica pelo preço de um ST….supersonico e BVR….parece que é beberrão por conta do motor antigo…mas pelo preço que é….tá bom pacas…

      • Difícil a compreensão….! Eu quis dizer que, lá na China eles fazem, bom ou ruim eles fazem, enquanto aqui é so blá…blá…..blá. …!

  1. Esse vetor não representa absolutamente nada no mundo moderno. Não vale nem uma saca de soja. Ele pode ser ser abatido até por um ultraleve com o piloto atirando seu revólver 38.

    • Isso me lembrou uma historia, em 2003 alguns fazendeiros iraquianos supostamente derrubaram um helicóptero Apache AH-64, eu lembro que na época saiu até na revista tecnologia e defesa.

    • Vá lá o atacar com um ultraleve….
      Ele não é avião para enfrentar um F-16 ou Gripen, mas tem seu valor para pequenas Forças Aéreas.

      • Isso é excelente para interceptar avião de narcotráfico, além de enfrentar uma guerrilha (tipo FARC).
        Eu vejo com bons olhos esse tipo de avião, que se for ver bem é como se fosse um F-5 0km.
        Existem muitos países que não precisam de f-35.
        Esse aí vai vender bem ainda, eu aposto.

  2. Essa aeronave mostra como poderia ter os soviéticos evoluído o MiG-21 na década de 1960. Após a correria que foi a década de 1950, ficou bem claro que os ganhos obtidos com a tomada de ar frontal não valiam a pena, vide os concorrentes do MiG-21 todos terem abandonado esse padrão.

    O MiG-21R, no máximo o -Bis, poderiam ter se beneficiado dos aperfeiçoamentos efetuados pelos chineses, i.e, as asas duplo delta e tomadas de ar lateral, ambas perfeitamente concebíveis ainda na década de 60 (menos o DSI da tomada de ar, obviamente).

    E sim, eu tenho conhecimento do YE-8. E não, o surgimento do MiG-23 não justifica a falta de mais esforço na linha do MiG-21.

    • Muito bem colocado, Clésio!
      Nunca considerei o MIG-23 à altura da diversidade operacional ofertada pelo seu predecessor, o clássico MIG-21 (como citou também o colega Carvalho).
      Também acho que faltou visão aos dirigentes soviéticos nesse sentido.
      Aliás, em referência ao protótipo citado, curiosa a semelhança de design geral entre o YE-8 e o Eurofighter.
      Uma pena que a URSS desistiu do projeto tão prematuramente, parecia ser uma aeronave muitíssimo promissora.
      Sds.

  3. Falta na FAB esse tipo de vetor para aperfeiçoar ainda mais nossos pilotos, os Chineses são sabedores que para ter a capacidade de defesa aérea vai ser preciso alem de aeronaves, pilotos aptos para esse propósito.

    • Falta? Por que? Quão inaptos são nossos pilotos? No que se baseiam essas afirmações? Os caçadores da FAB não são treinados? A FAB desconhece essa informação ultra ssecreta que possuem os chineses, de que aeronaves de combate precisam de pilotos aptos ao combate?

      Certamente você deve possui vasta experiência e bagagem para responder essas perguntas e explicar suas afirmações.

      • Certamente você tem problemas de interceptação de texto, ou então é o staff do Cmte da Escola de Cadete da FAB que ficou indiganado ou então sei la, lobista da Embraer que não quer colocar em sua carteira jato de treinamento, em fim cada um viaja na batata que mais gosta.

  4. Isso é um Mig-21 com novo nariz e entradas de ar para acomodar o radar com antena maior e aviônicos mais novas asas otimizadas para voar a baixa velocidade, mais seguras na instrução.
    Até o motor é o antigo, mesmo do Mig-21, produzido sob licença na China, o Liyang WP-13 que é o Tumansky R-13 turbojet do Mig-21.

  5. O término da União Soviética em 1991 trouxe uma certa perda para o entusiasta da aviação. Obviamente, não falo sobre o aspecto político, não obstante, representou o fim do principal difusor da hedionda doutrina marxista no mundo. Infelizmente, esta não morreu, mas ainda assombra, enraizada já nas mentes e corações de pessoas nos muitos países mundo afora.
    Entretanto, no meu caso em particular, houve um engessamento no gosto e na pesquisa na aviação militar, um quase que completo desinteresse em projetos desenvolvidos no Pós- Guerra-Fria.
    No tocante à aviação na China comunista, eu cristalizei minha biblioteca justamente no Chengdu Aircraft Corporation J-7III ou J-7C, uma cópia-versão do MiG-21 MF, que é a última verdadeira versão do definitivo MiG-21 bis.
    Evidentemente, eu não tomaria esse meu gosto particular por fundamento, contudo, eu arriscaria dizer que um J-7C (MiG-21 MF) ou um MiG-21 bis, fosse melhor que essa simbiose chinesa.

  6. O avião segundo alguns é bom,mas a opinião deve ser baseada no automóvel chinês que todos nós temos em nossas garagens.
    Sugestão aos responsáveis pela trilogia:
    Faz um questionário sobre armamentos e a partir daí se o sujeito acertar ele opina,senão se contenta em ler e aprender
    ou perguntar como muitos aqui tem a humildade de fazer.
    (dava para abrir uma joalheria com as pérolas soltas aqui..)

  7. O MIG-21 era contemporaneo ao F-5 e mirage III…..a trilogia iconica da guerra fria….todos aviões com forte caracteristica de caças de defesa de ponto.

    pequenos, leves, economicos, pouco alcance, rapidos e de extrema manobrabilidade….

    Algumas destas caracteristicas são parelhas dos aviões atuais de 4a geração até hoje….

    A Taxa de subida do MIG-21 era invejavel e já foi objeto de admiração e palestra de um Cel Americano descrevendo um simulado em que ele num F-15 foi surpreendido por um MIG-21 ascendente….de onde o ” f d p saiu???!!!”…ele estava com um casulo interferidor….e na subida é dificil pegar o bicho…

    lógico o modelo já esta com parametros cansados para a primeira linha, mas está absolutamente enquadrado na performance dos mais modernos LIFT´s.

    e o preço? Já viram??? coisa de US$ 17 MM… Como???

    simples…o que é desvantagem para uns…pode ser um nicho e vantagens para outros….

    conseguem porque é o mesmo ferramental e peças em 70% de um JL-7 (Mig-21 Chines)….motor mais fabricado que fusca…na casa dos 13 mil….dai fica barato mesmo…

    Muitas inovações tambem foram aplicadas…corte a laser dentre outras….eletronica é ate a mesma dos Grifos…dos Mike….

    Em si, da para falar que seriam sinonimos ZERo Km de fabrica dos F-5EBR…e parece que por conta da domesticação dos pefis de voo e asas, poderia -se dizer que até possui performance ligeiramente melhor em alguns pacotes…

    É chines? é!! falar que não faz o papel é besteira….não se pode invejar LIFts e desprezar este modelo…

    Comparem com um JF-17 Block I ou II….vejam os perfis de voo e combate ar-ar…e principalmente os preços….não fica ruim não….

    JF-17 é um caça novo, estrutura nova, desenho novo inspirada no MIG-21…..

    FTC-2000 é a vertente da continuidade do MIG-21 (mesmo com olhos puxados chineses), na qual acreditaram chegar em resultados similares a um JF-17 por exemplo, mas aproveitando toda a economia de escala ja instalada…

  8. Ele usa um motor de concepção antiga Turbojet WS-13 cópia autorizada do Tumansky R-13 do Mig-21, mas tem seus motivos, é um motor mais que testado e aprovado e fabricado 100% na China e barato, a única desvantagem é um consumo maior por não ser um Turbofan mais moderno.

  9. Que palhaçada. O projeto é chinês? E daí? E se fosse francês, israelense ou americano? Seria muito interessante para o Brasil entrar em como parceiro em um projeto desses, assim aprendendo a construir seus próprios caças. Hoje em dia já não existe esse negócio de “só compro do Oeste”. Existe a necessidade de tentar sair adiante como seja possível. Outro bom exemplo é o Tejas da Índia. Mesmo que muitos fiquem debochando e jogando pedras, é um caça que, mesmo não sendo perfeito foi projetado e fabricado em casa na sua totalidade. Com o decorrer do tempo, e o know how adquirido com o projeto AMX dos anos 80 e os projetos da Embraer por exemplo, já passou da hora de haver surgido um “Tejas brasileiro”.
    São exemplos assim que o Brasil deve seguir.

  10. Os chineses os estão empregando de forma muito satisfatória na Plaaf

    Pela robustez comprovada de projeto, simplicidade, provou ser a melhor alternativa e mais rápida de implementação para a formação dos pilotos navais pois eles têm uma pressa enorme de formar sua doutrina naval

    Suplantou na escolha o muito mais moderno L15 justamente por estas características

    Ele vive decolando da skijump do campo de treinamento aeronaval chinês

    Havia ideia de futuramente até ser empregado em treino embarcado mas havia dois problemas ainda a solucionar

    A primeira parece que teriam identificado a fadiga precoce da estrutura de pouso enganchado

    O segundo é que precisaria da segurança de um motor mais potente Pará decolagens embarcadas

    Estavam trabalhando numa nova versão do WS13, o qual seria chamado de WS14 com 20% a mais de potência

    É capaz que estejam prosseguindo com este motor pois cairia bem nesta versão G anunciada da matéria

  11. É um caça leve e tático. Uma proposta modesta e racional. Para quem desenvolve é muito bom. Tem empresas multimilionárias que não desenvolve um parafuso só monta. Parabéns para a AVIC.

  12. Nos aviões modernos o que mais pesa é a aviônica e o consumo do motor. Esse Mig21 tunado serve para quem não tem cacife para comprar coisa melhor ( F18, Rafale, Thyphon, Grippen, etc…). Com missil BVR pode fazer muito estrago. Países da Africa seguramente vão comprar em quantidade. Três toneladas de carga bélica é poder de fogo suficiente em conflitos assimétricos. Poderia complementar nossos AMX de ataque leve se tivesse motor turbofan econômico.

    • Não digo AMX, F-5 e muito menos nossos novos Gripens NG…pois todos estes tem de ser cobertos e trocados pelo NG….mas existem os 84 ALX…..e uma fração deles poderia ser ocupada por um vetor assim….algo assim do tipo manter 46 ALX e trocar/substituir os 38 restantes por FTC2000 compreendem? Não é trocar qualquer nos caças atuais ou futuros por ele, mas sim uma fração dos ALX….afinal, pelo mesmo preço (de forma generica), voce substitui um turbo helice por um caça supersonico de desempenho similar ao F-5 ….o custo da hora voo não deve ser grande….mas de fato subiria……..

      é um caça pé duro….pé de poeira…para pouca estrutura de base…o alcance continua reduzido, mas não dá exigir tudo…

  13. Não sei hoje nesta exata data….mas até uns dois anos atras, existiam mais caças da familia MIG-21 voando do que F-16 no mundo…

    isto mostra o quanto a pernada do F-5, Mirage, kfir ainda poderiam render uns aninhos a mais…hoje ja são cansados e realmente tem um tempo de vida bem limitado pelas inovações…mas uns 15 anos atras….

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here