Home Aviação de Transporte Pouso de emergência de aeronave C-130 Hércules da FAB

Pouso de emergência de aeronave C-130 Hércules da FAB

46939
51
Aeronave C-130 durante a Operação Laguna

Uma aeronave C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB), com 45 pessoas a bordo, realizou um pouso de emergência nesta quinta-feira (06/09), em Anápolis (GO).

A ocorrência foi por volta das 19h20 (horário local). O pouso foi realizado com sucesso na pista da ALA 2. Não houve feridos.

A aeronave apresentou uma falha técnica durante voo de Manaus (AM) para Brasília (DF). A Força Aérea Brasileira vai investigar os fatores contribuintes para a ocorrência.

Brasília, 06 de setembro de 2018.

Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo
Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

C-130 da FAB que fez pouso de emergência em Anápolis (GO)
C-130 da FAB após o pouso de emergência em Anápolis (GO)

51 COMMENTS

  1. Pelo que li em outros locais, um dos trens principais não “baixou”, então a aronave fez várias órbitas sobre Brasília até receber ordem para alternar Anápolis, onde fez outras órbitas até decidirem realizar o pouso de barriga. Pousos assim, normalmente, danificam bastante a fuselagem inferior. Via de regra, salvo maiores danos, aeronaves que realizam pousos assim podem ser recuperadas. Menos mal que não houveram vítimas. A entrada em serviço do KC-390 se mostra cada vez mais necessária.

  2. Felizmente todos bem. Parabéns aos pilotos e tripulação pelo pouso bem sucedido. Agora é aguardar o resultado da investigação.

      • Eu deveria ter pontuado a frase com reticências para dar mais ênfase à ironia.
        Com a chegada dos KC-390 e, à medida que os C-130 Hercules forem destivados, estes, provavelmente, encontraram nova morada alhures. De graça e com combustível de traslado por nossa conta.
        O mais novo agraciado com a bondade de nossos governantes, foi o Uruguai, que vai receber um punhado de carros de combate do Exército brasileiro.

        • Nada mais justo em se tratando da antiga província, estado, e agora unidade federativa rebelde nós assegurarmos eles.

          E mesmo desconsiderando o fator histórico com o qual brinquei acima, deveria mesmo ser nossa obrigação tomar conta mais atentamente da costa uruguaia, já que é daquele lado que vêm os pesqueiros chineses para promover ladroagem dos nossos recursos.

  3. Não houve passagem de caças f-5 nem do kc 130 hoje no desfile aqui em Brasilia, sendo que vi eles fazendo o treinamento da passagem na quarta feira aqui na esplanada. Alguma relação com esse caso?

    • Sim, o C-130 ainda está na pista em Anápolis, ainda sem previsão de retirada. Os F-5 não decolam da auxiliar de SBAN por ser curta para eles, mas os T-27 e os A-29 sim, por isso só decolaram eles hoje para o desfile aéreo.
      Nos Portões Abertos amanhã em Anápolis os F-5 também não voarão pelo mesmo motivo.

  4. É bom saber disso, estava me preparando para ir mais uma vez para Anápolis, moro em Brasília e vou todos os anos, mas sabendo disso ficarei aqui mesmo. Para acompanhar Portões abertos com aviões apenas no Pátio fico por aqui mesmo. Valeu pela dica JetBlast.

    • Pois é, de fato os mais legais, que são os caças, vão ficar no solo mesmo.
      Terá Esquadrilha Fox (3 aeronaves civis acrobáticas) e EDA. Eles operam da auxiliar ou mesmo direto de Brasília e voltam. Em todo caso, achei interessante divulgar a informação. Grande abraço!

    • Lembro de quando eu era adolescente e os desfiles de 7 de Setembro aconteciam próximos ao QGEx. Como era fascinante ver os caças passando baixo, as arquibancadas lotadas e vibrantes. Desde que o desfile foi transferido para a Esplanada dos Ministérios, não há mais caças (desde que um rasante quebrou os vidros do STF), menos gente comparece, e há cada vez mais civis desfilando que qualquer outra coisa. Até o número de viaturas este ano foi muito reduzido.

    • Se fossem voar por mais muito tempo com certeza valeria a pena recuperar, com o KC-390 chegando este C-130 pode virar suprimento.

      • O KC-390 ainda vai demorar 1 ano para ter o primeiro exemplar entregue. O número de células disponíveis do C-130 é baixo. Os danos, aparentemente, não foram de grande monta. Considerando isso e, sendo possível, acredito que essa célula poderá ser recuperada, mas isso é apenas minha opinião. Aguardemos o que irá ocorrer.

  5. Era uma das modernizadas né?
    Que pese o fato que não houveram vítimas!
    Mas é mais uma comprometida.
    E assim caminha a nossa humanidade.
    Triste por isso.
    Será que um presidente de extrema direita daria jeito em determinar um percentual do PIB fixo, e atraente para as FAAs? E teria o saco roxo pra bater na mesa e fazer acontecer a reforma nas mesmas?
    Acredito que só assim teríamos uma força militar condizente com este país!
    País…pq o Zé povinho só pensa no seu umbigo, levar vantagem em tudo, futebol e carnaval!

  6. Fotos divulgadas mostrando a aeronave em voo indicaram que o trem de pouso esquerdo estava acionado. Na foto do post o mesmo aparentemente foi recolhido, configurando uma situaçao menos perigosa, pemitindo, inclusive que as helices e turbinas da asa direita fossem preservadas. Parabens aos pilotos!!!! Venham logo KC390s

      • Olá, amigos.

        No caso de interdição da pista principal, a pista auxiliar pode ser utilizada.
        Listo as características dessa pista auxiliar, conforme o site AISWEB do DECEA (FAB) https://www.aisweb.aer.mil.br/?i=aerodromos&codigo=SBAN
        06R – L12 – ( 2233×22.50 ASPH 39/F/B/X/T L14 , L15 ) – L12 – 24L
        Embora seja restrita para operações de F-5 em treinamento, por ser mais estreita e mais curta, é possível uutilizar essa pista para operações reais de defesa aérea. A decolagem não é problema, mas as operações de pouso têm mais risco, principalmente em condições de aproximação por instrumentos. Nesse caso, pode-se recolher a aeronave para Brasília ou Goiânia.
        Abraços,

        Justin

        • Achei que fosse mais rápido Justin.
          Acredito que bastam quatro macacos trípodes para levantar a aeronave e baixar o trem de pouso. Existem pontos duros, um em cada raiz de asa, próximos aos motores e dois na seção dianteira, próximos ao radome, altos e acessíveis. Não sei se Anápolis tem macacos hidráulicos com essa capacidade, provavelmente virão do Galeão.
          De qualquer forma, talvez, a pista de pouso pode ter sido também danificada.

  7. Meu pai estava nesse voo. Foram momentos tensos. Realmente os freios não desceram. Eles foram MT bem tratados em Anápolis e de lá seguiram para Brasília hoje pela manhã. Ainda pouco eles chegaram no Rio de Janeiro que era o destino final. Alguns passageiros optaram por pegarem voos comerciais. Deixo aqui meus parabéns aos oficiais a bordo que conduziram MT bem o pouso de emergência sem deixar nenhum ferido. Inclusive aqueles que já estavam preparados na pista caso precisassem de atendimento, corpo de bombeiros e outros.

  8. A FAB chegou a ter 23 C-130 em seu inventário, após ter recdbido os 10 ex-AMI. Alguns anos depois, os 5 C-130E que ainda operavam, e que haviam passado por uma atualização (não uma modernização), que teve como principal item a substituição de seus motores, passando a serem os mesmos da versão H, foram desativados (inclusive um deles, o 2453, está no MUSAL). Paulatinamente, os mais antigos da versão H também foram sendo desativados. Hoje, a FAB conta com 10 C-130, incluindo esse da matéria, sendo que todos passaram pelo processo de modernização.

  9. Eu assistir o final do C 130 prefixo 2457 que se acidentou ao tentar pusar na Base Área de Santa Maria no dia 24 de junho de 1985, ano em que eu entrei para o serviço na FAB. Fui um dos que foram representar as famílias no velório dos 7 tripulantes que infelizmente pereceram naquele acidente!

    • No total, a FAB recebeu exatas 30 células de C-130, sendo as primeiras em meados da década de 1960 e às últimas, as 10 ex-AMI, mas nunca operamos 28 ou 29 ao meso tempo. O máximo foram 23, logo depois do recebimento das 10 italianas. As matrículas foram do 2450 ao 2479, sendo que os KC-130 são o 2461 e o 2462 e os ex-AMI são do 2470 ao 2479.

  10. Hoje, a FAB tem 8 células disponíveis para voo com os dois KC 130. Depois do Haiti, nunca mais se recuperou a diagonal de manutenção do C 130.

  11. AL, a diagonal de manutenção envolve todo o planejamento que procede as inspeções e os cheks e depois a execução destes dentro das escalas estabelecidas por este planejamento. Quando se atropela este com missões de longa duração sem o devido respeito a escala de utilização de horas de voo de cada célula acontece isto aí que você está vendo.

  12. O C130 foi retirado da pista hj por volta das 17:30, foi apenas levantado e teve os trens baixados e travados manualmente. Após isso, taxiou sozinho sem reboque e sem nada e parou ao lado dos outros 2 C-130 q estavam lá.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here