Home Aviação de Ataque Senador russo elogia ‘sucesso’ do caça Su-57 em combate real na Síria

Senador russo elogia ‘sucesso’ do caça Su-57 em combate real na Síria

10712
38
Caça Su-57 com pod designador de alvos 101KS-N
Caça Su-57 com pod designador de alvos 101KS-N abaixo da tomada de ar esquerda

Viktor Bondarev afirmou que os protótipos do Su-57 foram enviados para a base aérea russa de Hmeymim, na Síria, há seis meses

MOSCOU, 19 de agosto /TASS/. O avião de caça de quinta geração Su-57 da Rússia provou seu valor durante a missão de combate na Síria, disse um importante legislador russo neste domingo.

“O Su-57 completou com sucesso o primeiro estágio dos testes estatais e provou todas as suas características de voo. Ele provou seu valor não apenas em bases de testes, mas também em operações reais de combate”, disse Viktor Bondarev, presidente do comitê de defesa e segurança do parlamento superior da Federação Russa, aos jornalistas.

Ele lembrou que os protótipos-piloto Su-57 foram enviados para a base aérea russa Hmeymim, na Síria, seis meses atrás.

O Su-57 “tem um enorme potencial de modernização que será suficiente por cinquenta anos”, disse ele, acrescentando que o equipamento eletrônico a bordo do avião é construído sobre os princípios da arquitetura aberta.

“Na verdade, esse jato de combate tem tudo o que é necessário para mais tarde ser desenvolvido em um avião de guerra não-tripulado totalmente automático”, disse Bondarev.

O presidente da United Aircraft Corporation (UAC) da Rússia, Yuri Slyusar, disse no início do dia que o UAC e o Ministério da Defesa da Rússia planejam assinar um contrato para o primeiro lote de jatos Su-57 até o final deste verão.

O caça russo Su-57 de quinta geração possui tecnologia stealth com amplo uso de materiais compostos, é capaz de manter a velocidade de cruzeiro supersônico e é equipado com o mais avançado equipamento rádio-eletrônico a bordo, incluindo um poderoso computador de bordo chamado segundo piloto eletrônico).

O sistema de radar é distribuído pela fuselagem e entre outras inovações, destaca-se o armamento transportado internamente. O sistema de controle a bordo do avião é capaz de acompanhar até 60 alvos e abrir fogo em 16 deles simultaneamente.

Esses aviões devem chegar às forças em 2019. O lote piloto será composto por 12 aviões Su-57.

FONTE: TASS

38
Deixe um comentário

avatar
13 Comment threads
25 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
23 Comment authors
tiagoMaurício.DelfimPauloJPC3 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jefferson Ferreira
Visitante
Jefferson Ferreira

A realidade se mostra bem diferente… do jeito que as coisas estão parece que o J20 vai estar completamente operacional antes do su 57 e se lockheed martin não começar a resolver os problemas f35 tb vai ficar pra trás… Já que tanto do lado russo quanto americano se vê muita falação e pouco progresso!

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

SU-57 em combates reais na Siria?

Desde quando esse pseudo jato stealth entrou em combate contra qualquer outro jato adversario?

O SU-57 por acaso enfrentou os F-22s.? Combateu algum os F-35. ou mesmo os F-16s. que entraram e ainda entram na Siria regularmente?O J20

Maurício.
Visitante
Maurício.

Mas Tadeu esse “combates reais” já virou moda de uns anos pra cá, é a mesma coisa do tal “testado em combate”, o que eurofighter, Rafale, Super Hornet,Su-35,F-35 e até mesmo o F-22 fizeram a não ser bombardear terroristas de ak-47 ? Podemos até dizer que de alguma forma eles realmente foram testados em combate, mas combate contra outros caças inimigos é algo que a geração nova de 4.5 e 5° geração nunca viu até hoje.

JPC3
Visitante
JPC3

Teve a guerra da Líbia, que embora não tivesse defesas modernas tinha muito mais que apenas ak-47

Maurício.
Visitante
Maurício.

Ah sim claro eu esqueci da Líbia com sua fantástica força aérea, teve excelentes combates aéreos sobre os céus líbios, se você procurar aqui mesmo no aéreo você verá as excelentes matérias que o PA fez sobre esse conflito histórico onde poucos de fato conseguiram se tornar ases.

JPC3
Visitante
JPC3

É, esqueceu.

Se você ler as matérias vai ver que eles tinham mais que AK-47.

tiago
Visitante
tiago

Fala sério né cara. Você está levando pro gosto pessoal.
Esses caças modernos não são testados contra oponentes equivalentes, já que as grandes nações não se enfrentam diretamente.
Vai dizer que na Líbia tinha algum s-400?

Slanov
Visitante
Slanov

O teste em combate real é so pra dizer que nao deram defeito.

André
Visitante
André

Tadeu, como o mestre Bosco já explicou, ele não pseudo stealth, é semi stealth.

O primeiro lote de su57 comprado pelo dono da fábrica foi menor que o primeiro lote de gripen comprado pelo Brasil. Deixo aqui minha risada hahahahhahahah

Antonio
Visitante
Antonio

A ampla gama de modelos da Sukhoi torna a Força Aérea Russa insuperável.
São todos aviões de excelente porte e poder de fogo excepcional.

pangloss
Visitante
pangloss

Os Sukhoi podem ter muitas qualidades, mas a gama não é ampla, não.
Tudo se resume à família Flanker. Mesmo o Su-57 não nega o parentesco bem próximo.

André
Visitante
André

Por esse raciocínio, a força aérea da índia é a melhor mundo.

Pessoal está fazendo muito piada hoje.

Paulo
Visitante
Paulo

Sim a ‘insuperável’ força aérea russa só perde para a USAF.

Bruno w Basillio
Visitante

Este mesmo Yuri Slyusar disse ontem num canal de Tv russo que a Índia não saiu do projeto FGVA , mas segundo ele as negociações continua nos bastidores….. Hoje também saiu na mídia indiana que seu caça avançado de 5° G voará o primeiro vôo em 2032…

Anderson
Visitante
Anderson

No cenário atual, caso eclodisse um atrito entre alidos Americanos dotados de F-35 x Aliados Russos com os SU-57. Acredito que os estadounidenses se saíriam melhor, embora eu acredito que os principais embates da atualidade basicamente envolveriam aviões de 4ª geraração ou 4++.

Ed Senna
Visitante
Ed Senna

Combate??? Que combate? Contra os gringos e contra Israel não foi… deve ter sido com urubus então…

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Sempre que falam mal do F-35 lembro dos aviões Israelenses em cima de Beirute… certamente foram “teletransportados” para lá.

Segue o jogo, o Su-57 é necessário para a Russia, Eles não podem deixar a China em vantagem nessa área estratégica da Defesa Russa.

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

Ah sim.. Voar sobre o Líbano é realmente algo sobrenatural.
O país possui uma Força Aérea poderosíssima e defesas impenetráveis..
Agora sim o F-35 provou seu valor.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Rodrigo M,

O que acontece é que todas as vêzes que Israel mandava os F-15 ou os F-16 para sobrevoar o Líbano, a Síria mandava sua força aérea enfrentar os israelenses, comresultados catastróficos para os sírios.

Depois de perder quase toda a sua força aérea em combates contra a IAF, o espaço aéreo do Líbano é incontestavelmente dominado por Israel. Portanto a presença do F-35 sobre Beirute é uma confirmação da supremacia aérea de Israel na região. Ninguém vai se arriscar; nem mesmo a Rússia, a contestar a eficiência e a experiência da IAF.

tiago
Visitante
tiago

Quando a família F… voar sobre a China ou a Rússia, ai eu digo que eles são bons mesmo. Do contrário só batem em cachorro morto.

Jmgboston
Visitante
Jmgboston

Se é tão bom assim a Índia deve voltar à parceria rompida. Ou estou mal informado e eles sempre continuaram no projeto?

kornet
Visitante
kornet

Se for assim os F35 de Israel tb não entraram em combate.

JPC3
Visitante
JPC3

O F-35 fez algo muito mais difícil, entrou em espaço aéreo defendido e jogou bombas planadoras. Sem contar outras missões que não vieram a público.

Acho que o Su-57 deve ser um caça excelente, mas os alvos que ele atacou eram indefesos contra ataques aéreos e muito mais fáceis do que alvos de treinamento e de exercícios

Marcos R.
Visitante
Marcos R.

Sem contar que o SU-57 só “combateu” em áreas cuja defesa antiaérea era amiga enquanto os israelenses voam sobre território hostil.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Hornet, Os F-35 de Israel não entraram em combate porque não foram detectados pelos radares das baterias antiaéreas da Síria, mas que voaram sobre território saturado de defesas, e executaram missões de bombardeio, isso sim o fizeram. Tanto é que depois do abate de um F-16 da IAF por mísseis russos da Síria, Israel enviou os F-35, F-15 e os F-16 para dizimar as defesas antiaéreas da Síria e as bases iranianas em território sírio. Enquanto que o SU-57 não entrou em espaço aéreo hostil, sómente voou na zona de conforto e mesmo assim escoltados por Flankers.

Eu sou russo
Visitante
Eu sou russo

Сomo todos pensam? não 29,9, mas 27,7 milhões de dólares cada. Segundo, você esqueceu que na Rússia há um rublo e não um dólar. Em rublos o preço não mudou

Maurício.
Visitante
Maurício.

JPC3 20 de agosto de 2018 at 21:38
É, esqueceu.

Se você ler as matérias vai ver que eles tinham mais que AK-47.

Até na própria Síria tem muito mais que um simples AK-47, tem fuzil Steyr AUG, tem até manpad russo como visto no abate do Su-25.
O fato é que Super Hornet, Eurofighter, Rafale, Su-35, F-35 e até o F-22 nunca se envolveram num combate aéreo, nunca precisaram enfrentar a caça inimiga, todos eles até hoje só fizeram o que o Su-57 fez que foi atacar terroristas de AK-47, ou Steyr AUG, manpads ou algum sistema AA do tempo do êpa.

JPC3
Visitante
JPC3

A Líbia tinha defesas anti aéreas e Síria também. Muito diferente de enfrentar só AK e manpads.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Defesa AA Líbia: Alguns canhões de 20 e 30 mm e alguns S-200 do tempo do êpa, realmente uma excelente AAA, tirando aquele F-15E que caiu supostamente por problemas “mecânicos” quantos caças americanos/Otan foram abatidos? Defesa AA Síria: Novamente o jurássico S-200, e alguns canhões de 20 e 30 mm, a AAA Síria é tão eficaz mas tão eficaz que só foi conseguiu abater um F-16 israelense depois de quase 40 anos e isso que Israel entra e sai do espaço aéreo “hostil” sírio a hora que bem entender. Como visto Líbia e Síria só tinham equipamentos de defesa aérea… Read more »

JPC3
Visitante
JPC3

De novo você se engana.

O sistemas da Síria receberam diversas modernizações, inclusive contam com Buk-M2 e Pantsir, além da supervisão e ajuda técnica russa.

Ninguém está dizendo que as defesas líbias eram de ponta, só disse que eram bem mais que simples AK e Manpads.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Tirando o Pantsir que é de fato o único equipamento de defesa aérea mais moderno da Síria, o resto é tudo equipamento do tempo do êpa só que recalchutado, e você esqueceu ou omitiu que os moderados/terroristas também tem defesa AA ou aquelas picapes toyotas armadas com canhões AA são o que?
Na minha opinião a aviação de caça sempre terá a vantagem contra a AAA, e se ela for com equipamentos recalchutados aí nem se fala.

JPC3
Visitante
JPC3

A Síria também conta com caças Mig-29 que não decolam quando os caças de Israel chegam, provavelmente porque sabem que serão abatidos como já foram no passado

Maurício.
Visitante
Maurício.

Pois é os caças nem decolam, isso pra você ver o quão “hostil” é o espaço aéreo sírio, e quando falamos de Israel falamos de F-15 e F-16 caças realmente testados em combate aéreo, bem diferente de Su-35, Rafale, Eurofighter, Super Hornet, F-35, F-22 e por aí vai.

Mauricio R.
Visitante

O Su-35 também elogia ‘sucesso’ do caça Su-57 em combate real na Síria.
Não só “elogia”, como já está faturando em cima desse, “sucesso”.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Mesmo tendo um ambiente extremamente hostil para qualquer tipo de aeronave, na Síria a Rússia não pode enfrentar nenhuma outra aeronave, seja turca, israelense ou americana. Talvez o que ele se refira é a capacidade do SU-57 permanecer stealth em suas surtidas, ficando invisível aos radares inimigos, pois atacar posições do daesh e da al nursa não oferece quase que nenhum risco.

Delfim
Visitante
Delfim

Vcs não conseguem passar um tópico sem botar Israel no meio ?
Vcs surtam com o que não lhes pertencem ou ao qual não pertencem.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Delfim eu só citei Israel pra demonstrar que a AAA Síria não era grande coisa já que só foi capaz de abater um caça F-16 depois de quase 40 anos! Isso tirando aquele F-4 turco em 2012.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Ah e só pra deixar mais claro possível, eu e JPC3 estamos falando do TO da Síria onde querendo ou não Israel também está inserido, assim como o Su-57 da matéria.