Home Aviação Militar A China treina contra alvos dos EUA e desenvolve ‘tríade nuclear’

A China treina contra alvos dos EUA e desenvolve ‘tríade nuclear’

11021
65

O Pentágono, pela primeira vez, publicamente relatou o que os comandantes no Pacífico sabiam, e mantiveram um olhar cauteloso, por algum tempo: a China está praticando corridas de bombardeio de longo alcance contra alvos dos EUA.

Embora o Departamento de Defesa informe anualmente sobre o rápido crescimento das capacidades das forças aéreas, terrestres e marítimas da China, o relatório de 2018 é o primeiro a reconhecer a ameaça direta ao território dos EUA.

Desenvolvimentos recentes da variante H-6K da China do seu bombardeiro Badger dão ao bombardeiro “a capacidade de transportar seis mísseis de cruzeiro de ataque terrestre, dando à Força Aérea Chinesa (PLAAF) uma capacidade de ataque de precisão de longo alcance que pode atingir Guam”, disse o relatório. Ele também reconheceu as frequentes corridas de prática de bombardeio que os comandantes americanos no recentemente renomeado norte-americano INDOPACOM (U.S. Indo-Pacific Command) no Havaí observaram expandir em números e distância.

Durante uma viagem ao comando em outubro passado, autoridades de defesa descreveram para o Military Times as frequentes incursões para testar a zona de defesa aérea de Guam como uma das muitas mudanças no comportamento da China no Pacífico que criam preocupação. Em comparação com a Coreia do Norte, que as autoridades disseram que ainda consideram “uma luta que podemos vencer”, com a China “preocupam-se com a maneira como as coisas estão indo”.

O orçamento de defesa dos EUA de US$ 716 bilhões para o ano fiscal de 2019 concentra-se principalmente em colocar as forças americanas prontas novamente para uma grande disputa de poder, com investimentos em novos caças, bombardeiros e navios para manter os EUA no ritmo – e à frente – dos investimentos chineses.

H-6K

“A PLAAF tem desenvolvido capacidades de ataque para engajar alvos o mais longe possível da China. Nos últimos três anos, a PLAAF expandiu rapidamente suas áreas operacionais de bombardeiros sobre a água, adquirindo experiência em regiões marítimas críticas e provavelmente treinando para ataques contra alvos norte-americanos e aliados”, revelou o relatório de 2018.

Mais preocupante, segundo o relatório, “a PLAAF foi reatribuída a uma missão nuclear. A implantação e a integração de bombardeiros com capacidade nuclear forneceriam, pela primeira vez, à China uma “tríade nuclear” de sistemas de distribuição dispersos por terra, mar e ar.

A versão não confidencial do relatório anual ao Congresso sobre os desenvolvimentos militares e de segurança da China foi divulgada quinta-feira; uma versão separada também foi preparada para o Capitólio.

O Pentágono enfatizou que, mesmo que esteja monitorando e recalibrando suas próprias estratégias de defesa e prioridades de investimento para estar preparado para uma potencial disputa de grande poder no futuro com a China, “o objetivo do Departamento de Defesa é estabelecer a relação militar entre nossos dois países, em um caminho de transparência e não-agressão”, disse o relatório.

Durante anos, os EUA relataram a diminuição da lacuna entre as capacidades dos EUA e da China. A PLAAF totalizou mais de 2.700 aeronaves em 2018 e, dessas, 2.000 eram aeronaves de combate. Mais de 600 dessas aeronaves de combate eram caças de 4ª geração e o país está lançando rapidamente seus jatos J-20 e FC-31 de quinta geração, segundo o relatório.

FONTE: Military Times

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carpophorus
Carpophorus
2 anos atrás

Senhoras e senhores, quantas potências nucleares são capazes de atingir o território norte-americano? Eu contei Rússia, China e Coreia do Norte. França e Reino Unido também?

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Carpophorus
2 anos atrás

A Índia já atinge a Europa e daqui a pouco vai lançar os novos Agni que vão atingir os EUA.

Carpophorus
Carpophorus
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Valeu chefe!

Bosco
Bosco
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Além de toda a Rússia e a China.

gordo
gordo
Reply to  Carpophorus
2 anos atrás

Acho que nessa conta entra Israel.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
2 anos atrás

Os 26 Tu-16 da Indonésia armados com mísseis Raduga KS-1 Komet (AS-1 Kennel) ganharam uma batalha sem “dar um tiro”. Depois da independência da Indonésia os holandeses resolveram que iriam libertar Papua e mandaram o porta aviões Karel Doorman(depois Vinte e cinco de Maio argentino) e sua escolta para fazer o ataque, por sorte a esquadra passou pela Austrália e foi avisada pela “Inteligencia australiana” de que a Indonésia já estava com os Tu-16 operacionais e voando na região, esperando os holandeses e que a esquadra não teria nenhuma chance de sucesso, após análise deram meia volta e retornaram a… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

E qual a satisfação que você tem daquela parte da Nova Guiné continuar a ser parte da Indonésia se os próprios habitantes não queriam?

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Ha ha ha!!!
Mesmo argumento TAMBÉM é válido para a Criméia e os “crimeienses” que votaram e querem parte da Rússia…

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
Reply to  Gilberto Rezende
2 anos atrás

Fazer parte da Rússia…

José
José
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Quanta desfaçatez na tentativa de explicar o inexplicável e justificar o injustificável! A ilha chamada de Nova Guiné juntamente com a Indonésia era colonia dos chamados Países Baixos,conhecido,também,como Holanda,que era a potencia colonizadora tanto da ilha Nova guiné como da Indonésia.Houve a guerra da independência contra a Holanda,os indonésios odiavam a ocupação e dominação por um pais estrangeiro e dito cristão. Foi feito um acordo e concedida a independência política para Indonésia,que cinicamente e oportunisticamente reclamou,a seu favor,se eles eram colonias da Holanda juntamente com a ilha Nova Guiné,e assim sendo a Indonésia tornasse independente da Holanda,a ilha automaticamente deveria… Read more »

André
André
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Walfrido,

Você tem certeza dessa informação sobre a maior mina de cobre?

Fiz uma pesquisa rápida e como eu imaginava o Chile segue líder reservas, exploração, mina a céu aberto….

José,

Tente escrever sem tanto ódio no coração e vai ficar mais fácil, para nós leitores, entender suas ideias.

Bosco
Bosco
Reply to  André
2 anos atrás

A realidade , os fatos , a verdade, não interessam. O que interessa é mudar a realidade de modo a que ela se adeque às convicções.
Fosse em outro blog essas versões da realidade passam como verdades absolutas.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_produ%C3%A7%C3%A3o_de_prata

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_produ%C3%A7%C3%A3o_de_cobre

Fernando Albuquerque
Fernando Albuquerque
2 anos atrás

A índia se faz de amiga dos americanos, mas o sonho deles é destruir os americanos.

Ivan BC
Ivan BC
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

Por que tu diz isso? Não vejo indianos contra os EUA, a questão da India sempre foi o NÃO-alinhamento, eles, assim como nós, tem boas relações com vários, assim fazemos nossa diplomacia e espero que assim continue e não seja desvirtuado como nos últimos 20 anos.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

Fernando Albuquereque,
De onde você tirou essa besteira? Será que você não está confundindo India com o Paquistão?

nonato
nonato
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

Que papo mais estranho…

Bosco
Bosco
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

Essa pra mim é nova também!

José
José
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

A rivalidade e a inimizade é com o Paquistão e a China que,diga-se de passagem,tenta e quer ser os neo imperialistas.

André
André
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

Será que vc não escreveu Índia pensando que estava escrevendo qualquer outra coisa? Além de non sense, não tem qualquer relação com o tópico.

Gilberto Rezende
Gilberto Rezende
Reply to  Fernando Albuquerque
2 anos atrás

Se os indianos quisessem destruir alguém seria os paquistaneses (mais próximos e nuclearmente perigosos) mais, historicamente, poderiam ser os Ingleses…

Mas acho que os indianos já desencanaram seus ressentimentos coloniais…

What
What
2 anos atrás

Chumbo trocado nao dói !!!
Agora os americanos teram os chineses e russos operacional em escala mundial 24 horas por dia…vai ser lindo ver os chinas sobrevoando as fronteiras americanas em seus bombardeiro estratégicos !!!

ODST
ODST
2 anos atrás

Agora os chineses poderiam lançar um relatório parecido, só que falando sobre como o EUA treina para ataca-los também…

Ninguém é santo.

João Bosco
João Bosco
2 anos atrás

Senhoras e senhores… iniciamos aqui a segunda parte do filme “Guerra Fria: O inimigo agora é a China”!!!!!!!

Lucas
Lucas
2 anos atrás

tomara que a China tenha sucesso. para nao virar um Iraque

Edimur
Edimur
2 anos atrás

Kkkkk Treinando para atacar, e os EUA faz o que quando treina ?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
2 anos atrás

França e Inglaterra com seus submarinos são capazes de atingir qualquer ponto do planeta

Bosco
Bosco
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 anos atrás

Os caras implicam até dos EUA fazer um relatório sobre uma hipotética ameaça.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Ops! Meu comentário não foi dirigido a você Ricardo.

Antunes 1980
Antunes 1980
2 anos atrás

Tudo que vem da maior e única super potência do planeta causa murmurinho. O relatório mostra o nível de profissionalismo, prontidão e planejamento de um país como os Estados Unidos. China, Rússia e até a Índia devem também gerar relatórios similares. Ser uma player mundial exige isso. Talvez o Brasil deveria começar a pensar nisso. Reorganizar suas forças e pensar em como ter uma supremacia real sob a América do Sul. Temos material humano e tecnológico para isso.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
2 anos atrás

Destruição mútua garantida!
Se começar acaba tudo pra todos!
Esse não trump pode ser reeleito !

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Sérgio Luís
2 anos atrás

Sergio Luis,

A China não tem poder para destruir os EUA, portanto não existe destruição mútua entre os dois países, só a unilateral; ou seja, os EUA podem destruir a China completamente. A US Navy sózinha tem o poderio nuclear suficiente, através dos SLBMs. disparados de submarinos Trident para executar um ataque fulminante, sem a necessidade de disparar os ICBMs. da USAF.

Destruição mútua só seria possível entre Russia e EUA, que além do mais poderia ocasionar a extinção de quase toda a humanidade.

Paulo Neves
Paulo Neves
2 anos atrás

Ninguém ameaça os EUA, militarmente.
Num futuro hipotético, talvez, não hoje.
Os problemas atuais dos EUA são econômicos. E os potenciais no futuro, idem.
Ameaçar a defesa dos EUA com bombardeiros Badger…
Nem os Russos fazem mais isso.

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Guam ? Estão de sacanagem ? Que falta fará Guam aos EUA se for eliminada do mapa ?
Os EUA tem como obliterar a China apenas apertando botões. Estão desenvolvendo tamanha capacidade antimísseis que há a probabilidade de nenhuma ogiva chinesa atingir território continental americano.
Holocausto nuclear como se imaginava na Guerra Fria está cada dia mais distante. Menos bombas e ogivas, como menos poder destrutivo, frente a defesas cada vez mais eficientes.

Mauricio R.
Reply to  Delfim
2 anos atrás

Da outra vez que Guan foi tirada do jogo, os japoneses a ocuparam, tiveram que lutar de Midway e do Havaí.
Guan é uma espécie de contenção, um lugar de onde desdobrar forças não nucleares e barrar um eventual avanço chines sobre o Pacífico.
Destrua o dispositivo americano em Guan e o Pacífico estará aberto aos chineses.

André
André
Reply to  Mauricio R.
2 anos atrás

Ou, como você mesmo disse, metade do pacífico estará aberta, já que a outra metade está depois do Hawaii.

Aliás, seria apenas um pedacinho, entre Guam e o Hawaii, apenas com a mais poderosa marinha no meio.

GripenBR
GripenBR
2 anos atrás

A Destruição mútua assegurada é a única garantia real que impediu o uso de artefatos nucleares em conflitos nas últimas décadas. E fundamental sempre existir um poder nuclear dissuasório compatível e antagônico, quando se trata de super potências nucleares. Caso contrário em se estabelecendo uma única super potência nuclear. Bastanto se desalinhar dos interesses desta única superpotência nuclear, metrópoles seriam fritas pelo holocausto nuclear. E Hiroshima e Nagasaki seria somente porta aberta.

Kornet
Kornet
2 anos atrás

A China ser obliterada? ter destruição mútua?
De que China vcs tão falando? Só se for a de Taiwan,rs.

filipe
filipe
2 anos atrás

Na prática a China tem força laboral para em 1 ano produzir 6000 ogivas nucleares (700 milhões de pessoas, o dobro da população dos EUA), e ter paridade com o EUA, agora deverá ter uma força estratégica de ICBM e SLBM bem desenvolvida e produzir em massa estes artefactos, o que ao meu ver será possível daqui a 10 anos, a China parece ser uma Super Potência bem mais sofisticada que a URSS, daqui a pouco já estão produzindo SSN e SSBN avançados (o único campo em que os chineses estão atrasados),

Jmgboston
Jmgboston
2 anos atrás

Será que os chineses são tão burros assim de procurar mais problemas do que ja tem? Eles a Índia, a Russia, o Paquistão e mai aquele monte de países onde estão colocando ilhas artificiais militarizadas para se preocuparem. Sem contar que uma guerra contra os States quer dizer uma guerra contras as mIs ricas potencias européias. E onde vão fazer seu comércio depois pois o mo ey vem é disso. Com a África e a america latina com seus moradores com altíssimo poder aquisitivo?. Me esqueci de mencionar outros fortes aliados dos States, Japão e Austrália.

nonato
nonato
Reply to  Jmgboston
2 anos atrás

O que eles querem, vencendo os EUA e os europeus, é tornar-se a maior potência militar e econômica.
E diferente dos EUA, os países europeus, se tornando seus reféns, continuarão ricos e grandes, mas subservientes a China e a seus interesses, inclusive o Japão, sob pena de serem atacados pela China.
Resumo: Trump não pode mais ficar assistindo.
É atacar enquanto pode.
A guerra é inevitável.
Melhor lutar enquanto o inimigo é mais fraco.

MGNVS
MGNVS
Reply to  nonato
2 anos atrás

Nonato

Na sua visao os EUA devem atacar a China, é isso mesmo?

Tipo, começar a 3°Guerra Mundial?

Os EUA atacam a China, e a Korea do Norte imediatamente ataca a Korea do Sul e o Japao.
E a China tbm vai reagir e revidar contra os EUA e Taiwan tbm vai ser riscada do mapa.
A OTAN vai atacar a Russia e a Russia vai riscar a Europa do mapa.
Israel vai aproveitar e atacar o Iran e entao o Oriente Medio tbm pega fogo de vez.

Nonato, simples assim?
É so os EUA atacarem a China e pronto.

André
André
2 anos atrás

Também precisa combinar com os chineses…

marcus
marcus
2 anos atrás

Se penetrarem no território Americano e causarem algum dano, será lindo ver dezenas de mísseis Minuteman sendo lançados e levando a China para a idade da pedra lascada.
Pearl Harbor não aconteçe 2 vezes.

Mauricio R.
2 anos atrás

Nossa o blog tá melhorando, 40 comentários e ninguém ainda sugeriu que a FAB ou a MB comprassem esse avião, pra interditar o Atlântico Sul.
Se fosse o Su-34…

Zorann
Zorann
2 anos atrás

Isto aí é lobby.
.
Todo mundo sabe que a China vem aumentando seu poderio militar. Isto aí é só mais uma noticia patrocinada pelo lobby de defesa nos EUA. Isto aí é mais do mesmo… tem todo dia.

André
André
Reply to  Zorann
2 anos atrás

Se todo mundo sabe que a China vem aumentando seu gasto militar, como uma notícia que trata do aumento do gasto militar chinês é com certeza patrocinada pelo lobby de armas americano?

Não pode ser uma notícia sobre os fatos?

Bosco
Bosco
Reply to  André
2 anos atrás

André, Antes o pessoal adorava quando havia notícias da evolução e da ascensão da Rússia e China. Aí, a fórmula desgastou e já se nota uma tendência a toda notícia dessas ser considerada notícia produzida artificialmente nos EUA para fazer lobby em favor do complexo industrial/militar americano. Ou seja, esses mesmos que viam estrelas e chegavam ao orgasmo em relação a qualquer “sputnice” sem sentido hoje eles cospem no prato que comeram e já tão apelando para irem contra o discurso que eles mesmos tinham como líquido e certo. Ou seja, se adaptam conforme suas convicções e que se lixe… Read more »

Zorann
Zorann
Reply to  Bosco
2 anos atrás

A noticia nao precisa ser falsa… para ter lobby. O cara pega um fato… exagera nas consequencias…. põe sensacionalismo….pronto.

Zorann
Zorann
Reply to  André
2 anos atrás

Olá Andre!
.
Não passa uma semana sem notícias deste tipo. Não há novidade nisto. Isto é notícia velha requentada… com intenção de chamar a atenção do povo americano/parlamentares…. para a necessidade de se gastar mais em defesa nos EUA. Você acha que não tem lobby nisto?

Andre
Andre
Reply to  Zorann
2 anos atrás

Olá Zorann, Partindo do pressuposto que lobby é algo pago, que o agente interessado investiu recursos para ter seus interesses defendidos , não vejo o menor sentido em fazer lobby para que uma notícia seja vinculada se ela já vai ser vinculada de qualquer maneira. Não sei se consegue me explicar, mas seria mais ou menos como a Taurus fazer lobby para que mais notícias sobre assassinatos apareçam na mídia. Com ~60k de assassinatos por ano e ampla cobertura já existente na mídia, não vejo sentido da Taurus fazer esse lobby. Ela poderia pegar esse dinheiro e fazer lobby para… Read more »

sub-urbano
sub-urbano
2 anos atrás

Guam vira pó nos primeiros minutos de guerra, seja contra Rússia ou China. Os Tu-95 russos também andaram treinando por ali durante a administração Obama.

nonato
nonato
Reply to  sub-urbano
2 anos atrás

E tem gente torcendo por isso.
Na década de 1950, durante a guerra da Coréia, o general MacArthur sugeriu ao presidente Roosevelt soltar umas bombinhas nucleares sobre a China…
O presidente não aceitou a ideia…
Hora de Trump limpar a sujeira…

Mauricio R.
Reply to  nonato
2 anos atrás

Roosevelt????
Franklin Delano Roosevelt faleceu em 12 de abril de 1945, em Warm Springs, Geórgia, EUA; devido a hemorragia cerebral.
O presidente norte-americano a quem MacArthur sugeriu bombardear a Manchúria, ele já tinha planos de lançar 26 bombas, foi Harry S. Truman.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  sub-urbano
2 anos atrás

Sub-urbano,

Os Chineses não são loucos de atacar uma base Americana. Também vão virar pó em poucos minutes, devido a quantidade de SLBMs. disparados do fundo mar. Correndo o sério risco de obliteração total.

JPC3
JPC3
Reply to  Tadeu Mendes
2 anos atrás

O comentário dele ignora toda a capacidade de defesa anti míssil da marinha americana.

Augusto L
Augusto L
Reply to  JPC3
2 anos atrás

Eu pensei em falar isso logo assim q começaram a falar de Guam, mas o momorinho q viria depois desanima.
Mas fatoos são fatos, os EUA tem armas para quebrar e destruir as defesas de seus inimigos, enquanto o oposto nao é verdade, so conseguem se Washington não colocar suas cartas no jogo, deve ser por isso que xiam por causa do escudo anti-misseis e o Thaad na CS e talvez no Japão.

Mauricio R.
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

O Japão está instalando o AEGIS Ashore.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 anos atrás

“Quem sabe sabe o americano faz como em Pearl Habor, deixa o chinês atacar Guam e inicia a Terceira Guerra Mundial?”
Palhaçada!!!!
Os gigantescos arsenais nucleares dos Estados Unidos converteriam Rússia e China em zonas completamente desabitadas por milhares de anos, ao mesmo tempo que eles fariam o mesmo com os Estados Unidos.
Check Mate.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 anos atrás

Bosco, muito bem dito. Todos sabem que guerra nuclear é uma impossibilidade. Mas o lobby sempre continua alimentando as chamas da paranóia, gritando aos quatro ventos que precisamos de mísseis nucleares maiores, mais rápidos, com maior raio de alcance, no maior número possível, o mais rápido possível.
It’s all about the money$$$$$

Humberto
Humberto
2 anos atrás

No dia que rolar algo parecido com o que vc postou, estamos na roça. Primeiro momento, vc não vai mais acessar a internet, pois grande parte dos serviços Host estão nos EUA. Isto sem contar com os acessos de fibra optica (via cabos submarinos possivelmente vão ficar inacessíveis). Em um segundo momento, o mercado vai entrar no caos, a China é o maior importador de commodities então, em uma guerra, as importações vão cessar, seja por falta de dinheiro ou por imposição de um bloqueio militar americano. Milhares de empresas vão simplesmente fechar pois dependem da cadeia de exportação de… Read more »

Humberto
Humberto
2 anos atrás

Prezados, A China está gastando tubos de dinheiro pois ao contrário de nós, tem muitos problemas. 1- Províncias ou regiões que querem independência, exemplo clássico é Taiwan, que é considerada pela China uma província rebelde. Tem o Tibete (que foi (re)conquistada no tapa pela China) e da mesma, nasce um outro problema, agora com a India. 2- Falando da região de Caxemira, mesmo o Paquistão (que é uma aliada da China) contesta (não de forma pesada) a China sobre a região, ou seja, mesmo um aliado, pode complicar a vida da China, além da sua rival India. 3- Historicamente a… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
2 anos atrás

Uma guerra nuclear EUA x China seria catastrófica para a humanidade! Pra dizer a verdade nem precisa ser entre estes dois, mas uma guerra nuclear India x Paquistão lançaria na nossa atmosfera toneladas de poeria radioativa. O impacto da precipitação desta poeira sobre a agricultura e os oceanos, provavelmente nos inviabilizariam… Os mais novos talvez não lembrem, mas quando a usina de Chernobil sofreu um grave acidente ( e nao houve sequer uma explosão nuclear), a nuvem de radiação atingiu toda Europa Ocidental. Lembro muito bem do leite em pó holandes chegando baratinho aos nossos supermercados… A desculpa era que… Read more »

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Rodrigo
2 anos atrás

Meu jovem qualquer um pais que decida usar algo nuclear não vai ter esse negócio que vai ficar só naquele local do globo, vai sobrar pra todo mundo.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 anos atrás

Parece que o mar do sul da China não tem para mais ninguém.

Balbino
Balbino
2 anos atrás

Não mexam com a China, por favor. Serão pulverizados. China ja tem inumeras bases avançadas no continente africano. Isso é um encurtamento de caminho.