segunda-feira, novembro 29, 2021

Gripen para o Brasil

USAF poderá adquirir o F-15X, versão melhorada dos F-15C/D

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-15 2040C, versão que servirá de base para o F-15X

Os sites americanos Defense OneThe Drive noticiaram que a Boeing está oferecendo  para a USAF uma nova versão do lendário caça F-15 Eagle, denominada F-15X.

Segundo as fontes, a nova versão não terá as características furtivas oferecidas no F-15 Silent Eagle, mas apresentará uma série de novos equipamentos que aumentarão as capacidades do conhecido Eagle.

A Boeing já tinha proposto anteriormente à USAF uma versão denominada “F-15 2040C” para estender a vida dos caças F-15C de superioridade aérea de quarta-geração até 2040, para complementar os caças F-22 Raptor de quinta-geração. A versão 2040 do F-15 dobraria o número de mísseis ar-ar para 16 unidades, aumentaria o alcance da aeronave e ampliaria a letalidade e capacidade de sobrevivência com o upgrade dos sistemas eletrônicos.

A configuração do F-15X é ainda mais impressionante, incluindo um glass cockpit com display de grande área, mira montada no capacete JHMCS II (HMD), estrutura de asa interna revisada, controles fly-by-wire, radar AESA APG-82, ativação das estações externas um e nove, computador de missão avançado, display heads-up de baixo perfil, comunicações por rádio e satélite atualizadas, sistema avançado de alerta eletrônico e sistema de alerta por infravermelho (EPAWSS), sistema de busca e rastreamento por infravermelho Legion Pod (IRST) etc.

Com a ajuda dos novos pilones de transporte de mísseis AMBER da empresa, o F-15X será capaz de transportar 22 mísseis ar-ar em uma única surtida. Alternativamente, poderia voar com oito mísseis ar-ar e 28 bombas de pequeno diâmetro (SDBs), ou até sete bombas de 2.000 lb e oito mísseis ar-ar.

Em comparação, o F-15C/D Eagle pode transportar oito mísseis ar-ar atualmente, e a penúltima variante Eagle que está sendo construída atualmente, o F-15SA, pode carregar uma dúzia.

O novo F-15X não irá disputar espaço com o F-35, mas sim complementá-lo em missões menos exigentes. O preço flyaway pretendido do F-15X deverá ser bem inferior aos US$ 95 milhões do F-35A e o contrato deverá ser de preço fixo, sem o risco de aumento de preço ao longo da produção.

O F-15X será mais avançado e mais armado que este F-15SA da Arábia Saudita
O F-15X será mais avançado e mais armado que este F-15SA da Arábia Saudita

O cockpit do novo F-15 avançado da Boeing, com um display de grande área
O cockpit do novo F-15 avançado da Boeing, com um display de grande área

- Advertisement -

79 Comments

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Thiago Telles

Por que o silent eagle nao “vingou”? Muito caro? Parecia uma otima alternativa qdo vi há tempos.

Wagner

Como os USA já operam dois stealth legítimos, um “semi-stealth” não adiantaria em nada.

Blindmans Bluff

Na verdade o SE era uma conceito, assim como o Gripen Ng. O produto final sera o F15X.

Edup4

Bem diferente leia os texto novamente esta explicado o F15 x esta mais para uma atualização do F15Sa é nada a ver com Silent eagle.
O F15 x nao é nada furtivo

Washington Menezes

Esta história de complementar não cola, ele é melhor que a orquinha.

JPC3

Então todas as grandes forças aéreas do muno estão erradas?

China, Rússia, Estados Unidos e até Índia utilizam diversos modelos, um complementando o outro.
Além de tudo, por enquanto esse F-15X é apenas uma proposta da boeing tentando se manter no mercado.

Blindmans Bluff

O conceito esta correto segunda a nova doutrina da Usaf. Os f35 ou f22 vao na frente, com armamento interno e direcionando alvos para os f15 que vem atras, levando 16 misseis cada aviao, no cabides normais. Similar sao os B52 que vao na retaguarda, segundo a mesma doutrina, levando duzias de misseis de cruzeiro.

Rinaldo Nery

Doutrina? Que tipo de missão? Doutrina básica? Tá disponível na rede? Qual link?

Overandout

Olha aí o WAD… mas para alguns a FAB está errada

Wagner

kkk pensei o mesmo!
WAD na FAB: absurdo, credo, que horror, não vai funcionar, desperdício de dinheiro e bla bla bla.
WAD no F15: uaaau que incrível, demais, uhuuu

Overandout

E se a FAB não tivesse optado pelo WAD estariam criticando pela compra de um novo caça com a tecnologia ultrapassada no cockpit… é difícil agradar ao brasileiro

jorge Alberto

Perfeito!

Disse tudo!

Exatamente desse jeito!

Clésio Luiz

Eu acho esse conceito de “missile truck” ridículo. Uma única unidade do AIM-120 pode sair entre 300-400 mil dólares. Consta que o D vai ser mais de 1 milhão por cabeça. Então vocẽ quer por em risco literalmente dezenas de unidades de preciosos mísseis, numa única aeronave, que aparecerá em radares inimigos como uma árvore de natal? E o desgaste das unidades do míssil? Uma vez colocado para voar, mísseis são submetidos a temperaturas e vibrações estremas, que desgastam a vida útil do míssil, mesmo sem ser disparado. Lembram do abate do Su-22 por um F-18, onde o Sidewinder falhou?… Read more »

Carlos Eduardo

Ao que parece, a missão dele é suplementar. Nos primeiros instantes de um conflito, os primeiros alvos são as defesas SAM inimigas, e, lógico, os radares. Depois, o mentenimento da superioridade aérea. Nesse caso, o F-15X pode ficar no ar por muito tempo, sem precisar rearmar.

Rommelqe

Caro Clesio: tambem tenho o mesmo ponto de vista. Parece ser muito exagero utilizar 22 misseis. Alem de deteriorar as caracteristicas fisicas dos mesmos, imagino que um elemento em CAP totalizando algo em torno de 40 misseis BVR precisaria entrar em um cenario em que enfrentaria 20 aeronaves inimigas (dois misseis por inimigo) . Parece ser muito improvavel, ate porque em qq front imaginavel USAF estaria provavelmente com a mesma quantidade de aeronaves em relaçao a seus opositores. Assim, com essa carga alar excessiva, poderia estar prejudicando em muito sua capacidade de manobra, consumo de combustivel, etc. Essa equaçao eu… Read more »

Bosco

Clésio, Essa configuração de 22 mísseis será excepicionalíssima, em caso de conflito e onde as chances de serem utilizados é grande. Não dizem que com os ECMs russos agora é preciso 3 Amraams para fazer o serviço? Ta aí!!! E com um F-35 na frente usando o radar vai ser uma combinação letal. E pelas imagens a USAF não tá ligando muito para a opinião daqueles que dizem que o combate inevitavelmente fecha para o visual. Não há nenhum SRAAM instalado. Vale salientar que os EUA está desenvolvendo o sucessor do Amraam, que ou deve ter motor aspirado ou ter… Read more »

Bosco

Opa! Na primeira foto de cima para baixo tem um AIM-9X.

Clésio Luiz

Bosco, cada F-22 leva 6 AIM-120 internamente, os F-35 levam 4 (dizem que chegará a 6, acho difícil). Qual é a força aérea oponente que vai colocar no ar dezenas de caças para se opor a eles, numa extensão de algumas centenas de quilômetros, para justificar dezenas de mísseis? Eu pessoalmente não vejo esse cenário se desenrolando, nem contra os chineses. Uma esquadrilha de Raptors terá 16 mísseis, 12 com os Lightning. Isso para mim é mais que o suficiente para enfrentar 4 ou 6 adversários num engajamento. Eu poderia ver tal cenário ao inverso, já que as coalizões lideradas… Read more »

Munhoz

Estranho, a Itália anunciou que não vai adquirir mais F 35 alem da encomenda inicial, a Arabia Saudita nem insistiu com os EUA para comprar o F 35, e acaba de fechar com os EUA uma encomenda de 84 F 15 SA, fora a Russia que anunciou não ter pressa para o Su 57, alem da Inglaterra anunciando o “Tempest” ao invés de fechar com os EUA o F 35, agora este anuncio sobre o F 15, se eles tem um 5ª geração porque vão querer um de 4ª ? Onde a há fumaça tem fogo, acho que este conceito… Read more »

Humberto

Munhoz, a China está desenvolvendo o seu stealth a largos passos, agora, porque os outros não usam? De repente a explicação é mais simples. $$$$ ou não necessitam na sua força aérea.
Inglaterra, Israel, Japão, mesmo a Itália além da China estão trilhando este caminho sem contar os gringos, não acho que tenha alguém bobo nesta história.
Por que a Russia não alavanca o Su 57? De repente é uma questão de din din.

BILL27

Não tem motivo para os caças americanos levarem mais do que 4 misseis ar ar no oriente médio já que quase não tem adversarios no ar e sim no solo .Ao não ser se fosse bombardear o Irã

jorge Alberto

Uma vez minha Esposa me perguntou pq eu queria um carro 2.0, se eu dirigia como um 1.0 (no maximo a 100km/h), simples!
– Eu posso ate nao utilizar toda a cavalaria, mas quando eu precisar, sei que estara la.

O mesmo digo sobre o F-15: Ele pode ate nao carregar isso o tempo todo, mas o dia em que precisar…

Pergunte se Israel nao concorda!

Rommelqe

Tambem adotou o WAD…mais um ponto que confirma a adequaçao da alternativa preconizada e adotada pela FAB.

Rommelqe

caro Overandout: pensamos o mesmo, hein! Comparando os WADs parece que a tela do F15 é maior. Seria interessante termos uma comparaçao.
Quem estaria fornecendo para a Boeing nao seria a Elbit? Sera que poderiamos ter pelo menos uma ideia superficial das caracteristicas comparadas?

Overandout

Se for o mesmo que irá equipar os F-15s do Qatar será Elbit, na lógica mais correta não faria sentido adotar outro fornecedor. Neste link há informações bem interessantes citando o WAD da elbit, F-15SA, FX-2 e a AEL em Porto Alegre. https://defense-update.com/20120305_elbit-systems-large-area-display-selected-for-boeings-advanced-cockpit-technology.html

AL

Todo mundo só prestou atenção nos 22 mísseis ar-ar, mas deixou passar batido esse trecho:

“Alternativamente, poderia voar com oito mísseis ar-ar e 28 bombas de pequeno diâmetro (SDBs), ou até sete bombas de 2.000 lb e oito mísseis ar-ar.”

Cara, 4 aviões desses e podem aposentar o B-52, seria uma chuva de mais de 100 SDBs, paralisa a infraestrutura de qualquer país mediano…

Carlos Ribeito

Boa tarde, Mas tem a questão do valor do caça que é bem maior que a dos mísseis, para colocar a mesma quantidade de mísseis no ar são necessários quase três eagles C/D e em caso de abate de qualquer um deles o prejuízo já seria bem maior mesmo com uma quantidade mísseis menor. Mais importante acho a questão do peso máximo de decolagem, se mantido o mesmo, terá que decolar com bem menos combustível devido ao incremento substancial nos armamentos. Daí colocaria em risco um reabastecedor que não é nada barato também. Resumindo, também não acho que seja uma… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“Mais importante acho a questão do peso máximo de decolagem, se mantido o mesmo, terá que decolar com bem menos combustível devido ao incremento substancial nos armamentos.”

No caso de mísseis ar-ar e bombas do tipo SDB, creio que as quantidades mencionadas ainda estão dentro do peso máximo de decolagem das versões mais recentes do Eagle da USAF e de exportação, das quais essa nova versão F-15X será um aprimoramento. Vale dizer que, estruturalmente, será em boa parte um F-15E de um só assento, e o F-15E já tem um peso máximo de decolagem bem elevado.

Alfredo RCS

Acho que o fato de carregar 22 misseis é um apelo midiatico no caso de um conflito aberto total, onde as defesas atiaereas ja foram destruidas. Assim, o que sobraria seria a superioridade aerea com maior capacidade de carregar misseis.

GERSON

Esse avião é lenda, dizem que nunca foi abatido num dogfight, corrijam se a informação é equivocada.

junior marchi

Nunca foi abatido em combate aéreo, apenas alguns foram por mísseis lançados do solo.

Walfrido Strobel

Ja tiveram dois abatidos por F-15 em fogo amigo, um nos EUA e um no Japão, na época em que não existia míssil de treinamento e colocavam mísseis reais nos pods para ativar o sistema de armas, que não funcionava sem o míssil na posição. O piloto se empolgou no treinamento e acidentalmente disparou os sidewinder que abateram o colega.

jorge Alberto

olha…. “diiizem” que em um “treinamento amigavel” entre um flanker e um Eagle, nao foi muito… “positivo” pra aguia…rs

Robsonmkt

Com o crescimento da China, o fortalecimento da Rússia, o desgaste pelo uso constante das atuais caças em sucessivos conflitos no Oriente Médio e a produção do F22 abaixo do planejado sem que um sucessor esteja previsto no horizonte, estas propostas da Boeing podem se tornar uma solução temporária para garantir a capacidade expedicionária americanasem sacrificar em demasia a segurança aérea interna.

Wellington Góes

Eu gostava mais do projeto Silent Eagle.

Sergio Soma

Vida longa ao Eagle!!

Carlos Menk

É realmente uma ignorância a quantidade de armas que esse aparelho poderia carregar, e as capacidades adicionadas, como o radar aesa, mas e os pilotos? Li neste mesmo blog que a USAF está com dificuldades para ter pilotos em número suficiente.

nonato

Centenas de milhares de dólares onde?
Um piloto é formado por um alto valor e depois uma empresa aérea quer pegar um piloto pronto?
O governo deveria proibir. Piloto militar só pode pilotar aeronaves em empresas aéreas depois de se desligarem no interesse da administração e não quando um piloto decide (ah, já fiz todo treinamento, já tenho dois anos de experiência, agora quero ganhar 200 mil dólares voando numa aérea – negativo.
Se custar apenas 90 milhões de dólares, bem que o Brasil poderia comprar pelo menos uns 12 de prateleira. Eu preferia o silent Eagle.

Rodrigo

no Brasil é assim, creio que lá também. Após formados tem que passar um número mínimo de anos voando até pedir o desligamento, caso contrário tem que indenizar o valor gasto com a formação.

Leandro Costa

Rodrigo, é isso mesmo.

Alfredo Araujo

“O governo deveria proibir.”
.
Estamos falando dos EUA, e não de uma republiqueta de terceiro mundo q dita o que o cidadão deve fazer.
Regras de mercado. Ponto ! Pq formou se acha no direito de pagar pouco ?

Gonçalo Jr.

Segundo dados de 2017* – Faltam 1.555 pilotos — 1.211 deles são de pilotos de combate, um recurso chave. E enquanto estamos atualmente focados na falta de pilotos, a Força Aérea também tem falta de 3.500 militares de manutenção. – Redução de 134 esquadrões de combate para apenas 55. – Idade média das aeronaves da USAF é de 28 anos. – A idade média B-52s, KC-135s e alguns treinadores é de mais de 50 anos! O F-16 Fighting Falcon foi introduzido pela primeira vez em 1978. O F-15 Eagle voou em 1976. – Demora 10 anos e US$ 10 milhões… Read more »

Joao

Esses pilones com 2 aim-120 em 180° caberiam no Gripen? Ja montagens com 2 meteor, mas numa configuração de 90°
Alguém sabe ??

Rui chapéu

Fiquei surpreso na parte onde falam que ele vai ter um flyaway costa menor que o F-35.

Se for verdade a parte do affordabily que era pra ter sido o F-35 foi pro saco e seu conceito foi pro junto

Leandro Costa

Não deveria ser surpresa, Rui. As exportações das versões avançadas do Strike Eagle já bancaram praticamente todo o desenvolvimento da versão oferecida para a USAF. As modificações para início de produção são mínimas, a logística de suporte ao F-15 já está implantada e já é bem conhecida e funciona muito bem, assim como as unidades de treinamento, etc. O F-15X é um investimento de baixíssimo risco. A Boeing está tão confiante que avisou ao pentágono que é tuba qualquer custo adicional não previsto ante ao preço ofertado. De acordo com os cálculos, a USAF economizaria uma grana em custos operacionais… Read more »

Rui Chapéu

Mas se for isso, então melhor continuar comprando F-16 pq o custo Flyaway é menor ainda.

Leandro Costa

Sim, Rui, mas o caso é que o F-15 existe por um motivo, enquanto que o F-16 por outro. Não são aeronaves da mesma categoria. Pelo fato de o F-15 ser um caça pesado, maior, pode ir mais longe e levar mais armamento. Isso traz algumas vantagens operacionais, inclusive na diminuição da dependência de aeronaves tanque, o que acaba diminuindo ainda mais os custos operacionais em missões de longa duração e diminui os riscos para os KC. Tem também o lado produtivo. A Lockheed-Martin mudou a linha de produção do F-16 de Ft. Worth para a Virginia ou algo assim,… Read more »

Carlos Alberto Soares

BILL27 26 de julho de 2018 at 18:00

Qual o diferencial que o Iran tem ?

BILL27

Acredito no caso do Irã ,que poderia ter combates ar ar ,diferentemente do que acontece na Siria e o que aconteceu no Afeganistão .

Wagner

Irã tem força aérea?
Pensei que fosse uma coleção de warbirds…

BILL27

Tem e vc sabe disso …Então alguns aviões americanos teriam de estar prontos para combates aereos ,consequentemente configurados na versão ar ar mais tanques de combustivel

willhorv

E os cabides nas asas mais externos (entre a ponta da asa e o cabide principal desta mesma asa)…que já vi em alguns F15…não serão usados?
No caso, é um matador que pode inclusive se tornar multi-role, pois poderá exercer a função do F15E também…
Será que vão padronizar tudo?
E os motores…outros? Melhorados? Os mesmos?

BILL27

Na segunda foto mostra o cabide externo com 2 misseis

willhorv

Mas este na 2°a foto é o F15-SA, que está mais parecido com o F15-E….inclusive com co-piloto.
Digo o F15-x….pelas contas de mísseis informadas, estão abortando os cabides externos.
Será isso?

Hawk

Com esses mísseis todos parece aqueles caças dos antigos jogos de fliperama como o “Carrier Wing” ou “UN Squadron”.

Bosco

A USAF já quis um “bombardeiro interceptador”, o B-1R. Levaria 24 amraams externamente e iria trabalhar em conjunto com o F-22.

Guilherme Lins

problema nenhum! muito pelo contrário!
a exceção do F-22 e F-35, o F-15 sem duvida alguma é o melhor vetor entre todos!
vida longa ao EAGLE.

Maurício.

Por que a USAF iria investir em um avião de quarta geração recauchutado da década de 70 se eles estão fabricando um avião de quinta geração stealth ? Na minha opinião isso não faz o menor sentido já que alguns dizem que o F-35 pode sim fazer missões de superioridade aérea.
O F-15 vai acabar ficando igual o Su-27 e suas “400” versões.

Tadeu Mendes

Junior,

O legendário F-15 além de ser um matador de Migs e Sukois ,também já aterrisou em uma só asa em 1893 em Israel.

Eu desconheço que qualquer F-15 tenha sido abatido em seus quarenta anos de serviço.

Para mim, o F-15 é o segundo melhor caça de 4 geração do mundo, sendo o F-14 o melhor de todos.

André Luiz.'.

também já aterrissou em uma só asa em 1893 em Israel.” — ele entrou em algum vórtice temporal?! ;P
Obviamente, o amigo se confundiu na hora de digitar a data: era pra ser 1983 (acho que foi nesse ano…), saiu 1893, quase “apenas” qua100 anos antes!… Aí, a piada era inevitável! 🙂
Abraços!

Leo Barreiro

Pessoal Não me recordo aonde eu li, mas pelo que a minha vaga memória me permite… lembro-me que uma das estratégias da China para combater Taiwan, caso fossem as vias de fato, seria o uso de caças antigos como os MIG-15, 17 (no caso as suas versões), mas usados como drones kamikazes, para saturar as defesas aéreas do pais, vendo por esse lado uma aeronave com o poder de 22 mísseis seria um ótimo contra-ataque! Tem uma matéria do aéreo não me recordo qual era onde a USAF treinava um mix de F22 com F15, justamente para aumentar o poder… Read more »

Walfrido Strobel

Os chineses tem 200 J-6/Mig-19 e alguns J-5/Mig-17 drones armados com bombas burras para saturar as defesas do país inimigo que sem saber que são drones ativa toda sua defesa e gasta os importantes mísseis de defesa.
Israel já usou este artifício antes com UAVs.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRxYAc0KkVFq1wju4g5L7doaA7zskxCB1fnVnFxmlr61ps2elY
.
. http://megamagtest.blogspot.com/2014/03/j-6b-6-drones.html

Caio

Munhoz, com quase três décadas os EUA operando uma aeronave furtiva, o B2, (fora o F-117) e ainda é considerado um conceito?

“na área militar sempre desde a 1ª guerra tem o conceito de veneno e antidoto”

Mas na própria primeira guerra o tanque de guerra por exemplo também não tinha um antídoto? Isso significou a morte dele?

Luís Henrique

Imaginem um caça russo ou chinês controlando 4 Drones.

Imaginem 12 Caças russos ou chineses controlando 48 drones.

E do outro lado, os EUA com 12 F-35, porém armados somente com 2 mísseis ar-ar, pois a missão é de ataque.

Agora imaginem que estes 12 F-35 possam ser turbinados em armas de ataque ao solo, pois estão sendo escoltados por 4 F-15X com um total de 88 mísseis ar-ar.

Creio que é mais ou menos essa a ideia.

Carlos Alberto Soares

Wagner 27 de julho de 2018 at 0:58
Irã tem força aérea?
Pensei que fosse uma coleção de warbirds…

Perfeito, o Iran não tem FA de combate.

Tadeu Mendes

1893 ? 1983,

Shalom Adonai

Tadeu Mendes

Carlos Alberto Soares,

Desculpa. O acidente com o F-15 da IAF foi em 1983. Depois de uma colisāo aérea com um A-4 durante treinamento, a asa direita do F-15 foi quase que totalmente obliterada, só sobrou 60 centímetros da mesma, mas o piloto pousou assim mesmo.
O A-4 se desfêz em pedeaços.

Carlos Alberto Soares

Israel possui F 16 e F 15, vários block’s + o pct de maldades Israeli.

Na proporção de 3 p/ 2 gostaria de vê-los todos substituídos pelos F 16V e F 15SE ou F 15X,

mais o pct de maldades Israeli.

https://www.aereo.jor.br/2015/10/21/voa-o-primeiro-caca-f-16v/

F 35i Adir os 75 que receberemos está bom.

https://www.aereo.jor.br/2018/03/29/cacas-f-35-de-israel-sobrevoam-o-ira/

Rui Chapéu

Tem algo que passou despercebido por todos tb.

A Boeing OFERECEU a USAF.

Não quer dizer que a USAF vai comprar ou que sequer tem o interesse nesse F-15.

MARCOV

A gente nunca fica com a certeza da verdade, mas, segundo o site The Drive:
“Embora tenha sido enunciado como uma solicitação da Boeing à USAF, o oposto é realmente verdade – a USAF iniciou a discussão há mais de um ano e meio.”

Guizmo

Eu acho que essa configuração é uma resposta a baixa capacidade do F-35, com apenas 4 mísseis. Ambas as aeronaves, operando em conjunto com suas capacidades individuais combinadas, mantém a USAF na frente por mais um bom tempo

Rhino Power

Ninguém consegue me convencer que o F-15SA e este F-15X não é o vetor geração 4,5++ mais avançado do mundo. Inclusive bem superior ao tal SU-35 S. Entendo também que ele é capaz de operar por mais alguns bons anos, no mínimo mais uns 30 anos. O único ponto de atenção, é por que a Europa nunca adquiriu este vetor extraordinário. Custo de operação ou embargo americano?

Angelo Chaves

Céu onde Eagle vou, ninguém mais voa!
Que máquina, sem igual para a proposta dele, que é superioridade aérea!

kornet

Israel vai comprar uma versão furtiva do F15 que vai se chamar IA ,Israel Advanced.
Sera um negocio de 11 bilhões que incluirá além da compra de um esquadrão desses F15 de helicópteros, reabastecedores e de Osprey .

https://israelnoticias.com/iaf/israel-aviones-militares-boeing/

Foxtrot

Está ai uma máquina que preferiria mil vezes no lugar do Gripen.
Li que estão fabricando unidades (não sei que série) para os Sauditas, alguém sabe quantas unidades e qual o valor do contrato?
Lembro-me que na época do então FX-1, sugeri em fórum a quem sabe aquisição via T.O.T de unidades do F-15 SE (dentre outros aparelhos) para montagem local.
Um avião que nos seria muito úteis por longos anos.
Um verdadeiro Superioridade aérea.

MARCOV

A Arábia Saudita adquiriu 84 F-15SA e uma atualização de 68 F-15S.

O Qatar encomendou 36 com opção para mais 36.

Flanker

O custo da hora de voo de um F-15 é o dobro ou o triplo da hora de um Gripen. O F-15 é um magnífico caça, srm a menor sombra de dúvida! Mas, não é para o nosso bico. Não temos cacife econômico-financeiro para bancar um avião desses.

Manuel Flávio

O custo da hora-voo do F-15E da USAF é USD 10 mil a mais que a de um F-16C.

Concordo com o usuário Flanker. O Eagle é sensacional. Mas não é para a realidade econômica da FAB.
Infelizmente o F-15 acabaria sendo mais um problema que uma solução para nós.

Heli Queiroz

Nem toda missão exige um caça stealth. Por exemplo: um satélite ou um AWACS detecta um ataque de vários misseis de cruzeiro a uma base americana…. Como caças stealth são rainhas de hangar (hangar queen) -exigindo muitas homem-horas de manuntenção- e sua disponibilidade parece ser menor que as dos caças de 4a geração. Então, decolariam dois F15 com misseis ar-ar para tentar abater os misseis de cruzeiro atacantes. Nesse quadro, e em outros, o F15X se encaixa.

Calígula

Pessoal, repara na pergunta não, é de leigo, mas olhando a segunda foto tem um míssil entre o tanque externo e outro míssil, certo? Caso esse míssil fosse disparado o calor e a chama gerados pela turbina dele não danificaria o míssil que está logo abaixo e também o tanque externo? Não parece ter espaço para “soltar” o míssil e depois acionar o reator. É quase certo que estou perguntando besteira, mas é assim que se aprende, né? Quanto a quantidade de mísseis apresentada me parece mais questão de marketing, como aquelas fotos que mostram o caça e espalhados pelo… Read more »

Últimas Notícias

Rússia testa caça MiG-31 com sistema ‘fly-by-wire’

Moscou, 26 de novembro./TASS/. A atualização dos caças-interceptadores de alta altitude MiG-31 aumentará a eficiência de suas missões, em...
- Advertisement -
- Advertisement -