Home Aviação Comercial Embraer E190-E2 visita Aeroporto de London City pela primeira vez

Embraer E190-E2 visita Aeroporto de London City pela primeira vez

4804
102
E190-E2 com cara de tubarão visita o Aeroporto de London City

Londres, Reino Unido, 13 de julho, 2018 – Na manhã desta sexta-feira, uma aeronave E190-E2, da Embraer, pousou pela primeira vez no Aeroporto de London City (LCY), na capital britânica. O avião da frota de testes da Embraer fez escala no local durante o trajeto para o Farnborough Air Show, na próxima semana. A nova aeronave, a mais silenciosa e eficiente em sua categoria, entrou em serviço em abril deste ano. A visita demonstra a importância da Embraer em oferecer capacidade operacional às companhias aéreas e a intenção da empresa em trabalhar com o aeroporto para certificar o E2, com o objetivo de atender demandas de clientes, o que provavelmente aumentará a conectividade regional do LCY.

“O Aeroporto de London City é como se fosse nossa casa. Para qualquer lado que se olhe é possível ver uma aeronave da Embraer. Nesse sentido, trazer a nova geração de jatos da Embraer para esse importante centro europeu, é um grande momento para nós”, disse Arjan Meijer, Chief Commercial Officer, Embraer Aviação Comercial. “Sabemos que os passageiros irão adorar a nova aeronave, sem os assentos do meio e com maiores compartimentos internos de bagagens, enquanto os moradores de Londres vão apreciar o baixíssimo nível de ruído e de emissões da aeronave.”

O Aeroporto de London City é o mais central da cidade, conhecido pela conveniência e rapidez na experiência do cliente. A localização faz com que as aeronaves tenham que ser compatíveis com a restrição de aproximação íngreme e pista curta. As aeronaves da Embraer são bem adaptadas para essa situação e têm operado no LCY desde 2009, quando a companhia BA Cityflyer iniciou voos com o E170. As aeronaves da Embraer foram responsáveis por quase 60% das partidas do LCY em 2017.

“Recepcionar o E2 da Embraer pela primeira vez no Aeroporto de London City é um marco para a certificação e subsequente operação comercial no aeroporto mais central de Londres. A primeira geração de E-Jets foi essencial para o nosso crescimento, tanto que três quartos de todos os passageiros pousam ou decolam de uma das aeronaves Embraer. Continuamos com uma transformação de 480 milhões de libras, com conclusão prevista para 2022, e o E2 possui um enorme potencial para o aeroporto, com capacidade comprovada de operar com menos ruído, menor emissão e mais eficiência em termos de consumo de combustível. Isso possibilita abrir novos destinos, proporcionando benefícios significativos para nossas companhias aéreas, passageiros e vizinhos”, diz Richard Hill, Chief Commercial Officer do Aeroporto de London City.

Em testes de certificação, os números da EASA (Agência Europeia para a Segurança da Aviação, na sigla em português) confirmaram que o E190-E2 tem o menor nível de ruído entre as novas aeronaves de corredor único. Se esse desempenho puder ser replicado no ambiente operacional de London City, o E190-E2 atenderá às restrições mínimas de ruído estabelecidas pelo novo Programa de Categorização de Ruído de Aeronaves (ANCS, em inglês), que será totalmente implantado no próximo ano.

O E190-E2 é o primeiro avião da uma nova geração de jatos de corredor único da Embraer. A aeronave entrou em serviço com a companhia norueguesa Widerøe, em abril. O E195-E2 entrará em serviço no próximo ano com a Azul, no Brasil. O E190-E2 consome 17% menos combustível e é o jato de passageiros mais silencioso do mundo tanto fora quando dentro da cabine.

Desde que entrou em operação, a família de E-Jets recebeu mais de 1.800 pedidos e mais de 1.400 aeronaves foram entregues. Atualmente, os E-Jets fazem parte da frota de mais de 70 clientes em 50 países. Esta versátil família de 70 a 150 assentos voa com companhias aéreas de baixo custo, bem como operadoras regionais e de linha principal.

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

102
Deixe um comentário

avatar
35 Comment threads
67 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
50 Comment authors
pdiasJorge AlenquerLuiz AntonioRodrigoEduardoSP Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
nonato
Visitante
nonato

Go, Embraer, Go!
No Boeing!
We want you to stay Brazilian!!!

Leonardo Macena Bataglia
Visitante
Leonardo Macena Bataglia

Sério que você acredita que a Embraer é brasileira ??

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Empresa constituída no Brasil, sob as leis bresileiras, é brasileira…..

Hélio
Visitante
Hélio

Além que o próprio estatuto da Embraer determina que a maioria do poder de voto fique com brasileiros. Essa falácia de “a Embraer não é brasileira” já passou do prazo de validade.

MaurícioFC
Visitante
MaurícioFC

Ter ações negociadas na NYSE não transforma nenhuma empresa em norte-americana. Se a empresa é constituída no Brasil, tem sua sede no Brasil e os membros dos conselhos e toda a sua direção é composta por brasileiros e que moram em SP, creio que dá pra dizer que ela é brasileira. Mesmo que o fundo de investimento das idosas espertas de Connecticut detenha altas parcelas de ações da empresa…

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Onde assino?

Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

Pronto, mas tristes? Para os alarmistas/comissionados que acham que a Embraer deve ser vendida por não existe vida além dos EEUU.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Não acho que ela deva ser vendida mas também acho que ela não deve ser reestatizada afinal caso isso ocorra ela vai virar uma nova FAdEA.

Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

FAdEA nunca foi ou será uma Embraer. Uma Yacimentos Petrolíferos Fiscales, estatal, nunca será uma Petrobrás.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A EMBRAER apenas não virou uma FAdEA porque foi privatizada. E se for reestatizada vai inevitavelmente definhar, além de se transformar em um antro de ineficiência, aparelhamento político e corrupção.

Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

Uma frase repetidas vezes vira verdade, não é HMS? Assim disse Joseph Goebells. Tenho muitos conhecimento que não me é devido contar.
Empresa Estatal não é corrupta? A Embraer não se envolveu com corrupção na República Dominica, Arábia Saudita, Moçambique e Índia? Se quiser te conto em detalhes. Mas, sei que não será necessário porque você deve saber.
A Embraer não virou FAdEA porque foi privatizada? Jesus!!! E vai virar agora FAdEA porque os comissionados querem ganhar dinheiro com a venda para a Boeing?
HMS, não sei só pelo que se é escrito por aí. Pode acreditar, se quiser.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Na boa mas quem apela para o expediente Goebbeliano é você, com a desvantagem que as mentiras são risíveis. Pior ainda quando lança a pérola do “conhecimento que não é me permitido contar”. Sinto lhe dizer mas a prova dos fatos cabe a quem alega. E salvo o episódio da República Dominicana, onde as quantias envolvidas são troco de pão se comparados aos montantes da Petrobrás e da DCNS, os demais são apenas conversa fiada….. E falando FaDeA, a assertiva de que caso não fosse privatizada a EMBRAER teria o mesmo fim dela foi claramente dita por Ozires Silva em… Read more »

Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

HMS, obrigado. Se os argumentos são risíveis, você está dando muita atenção. Não cabe a mim gastar pérolas com você ou provar nada. Se o argumento foi do Ozires Silva, deveria ter dado créditos a ele, que além de um mentor da Embraer, nunca foi papa da gestão administrativa no mercado civil aeronáutico. Corrupção, não vejo algo que tenha natureza, sistema político, forma, ideologia, religião, raça, sexo, ordem econômica, financeira, administrativa ou qualquer coisa parecida, conforme seus meios Goebellianos são usados. Não estereotipo corrupção, nem manipulo para essa senha sua contra estatal ou patriotismo. Só aceito que existe vida além… Read more »

Tiago Silva
Visitante
Tiago Silva

Acho bem difícil a Embraer chegar a uma situação como a da FAdeA, principalmente por todo o histórico de produção e desenvolvimento e posicionamento no mercado que temos e a grande variedade de produtos.

Olha até brinquei que na época que a produção do Phenom foi para os EUA ela poderia ser feita na Argentina com um menor custo e tudo mais, mas o estado da FAdeA é lastimável demais e ainda com um histórico de parcerias que não deram em nada.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Nunca subestime o dedo podre do Estado! Ao estatizar toda a indústria aeronáutica britânica sob o tacão de British Aerospace o então governo trabalhista criou um mostrengo que a despeito de todo a expertise tecnológica era ineficiente. A empresa apenas ganhou fôlego depois de privatizada pela Dama de Ferro.

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Concordo plenamente

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Vai ser a maior burrice vender uma empresa de tecnologia de ponta. Cujos técnicos formados no CTA e no ITA, verdadeiros cérebros. Que a nação inteira contribuiu para a formação deles. E lider no seu seguimento.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Não conheço nenhum EEUU

Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

Sério? Consulte regra gramatical de abreviação de nome de países no plural.

Humberto
Visitante
Humberto

Paulo, até onde eu sei, em português não utilizamos EE.UU. ou FF.AA. Onde esta esta regra?

Rodrigo M
Visitante
Rodrigo M

É o tipo da coisa que de tão repetida passa a impressão de ser a norma.
Nunca tive curiosidade de pesquisar sobre essa sigla “FFAA” mas aproveitando o gancho dos comentários fui dar uma “googlada” comprovando que realmente não existe essa previsão na língua portuguesa.
Achei até uma explicação interessante sobre a origem dessa confusão. O mesmo vale para o tal “EEUU”.
Isso não erro mais.

Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

Onde eu disse na gramática portuguesa? Tem gente que escreve “USA”, e todos entendem a abreviação. Aqui, a parte dos comentaristas, são pessoas cultas. Sério mesmo que o debate é esse?

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Paulo Moraes,

Essa regra gramatical se aplica ao espanhol. A não ser que o seu livro de gramática seja antigo. Português arcaico, do tempo de Camões.

Aerococus
Visitante
Aerococus
Paulo Moraes
Visitante
Paulo Moraes

Acho que entendo você.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Os atuais controladores da EMBRAER são americanos, eae ?

Hélio
Visitante
Hélio

Quem disse isso para você? De onde tirou isso?

ODST
Visitante
ODST

Não percebeu ainda que é um ________, Hélio? Não alimente-os.

COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ROTULE OS OUTROS PARA NÃO SER ROTULADO.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bob Santana

Os motores tem sido um problema para essa série.

A Boeing deve corrigir.

E porquê ela ?

A EMBRAER esta “batendo cabeça” com a P&W.

A mão pesada da Boeing deve resolver.

André Bueno
Visitante
André Bueno

Não é só a Embraer, a Bombardier também. O problema está nos motores. O Rinaldo Nery já comentou algo anteriormente.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

OFF Topic:
Okay KCzetes, hora de perseguir o KC-390 mundo afora de novo: o PT-ZNJ chegou no UK para o RIAT 2018

https://www.flightradar24.com/data/aircraft/pt-znj

https://twitter.com/embraer/status/1017723915064496128

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Outro vídeo da chegada do KC-390 na RIAT 2018, fazendo pouso “tático”, para causar boa impressão nos gringos, aos 42min42s:

https://www.youtube.com/watch?v=rfKHw5FUCBk&feature=youtu.be&t=42m42s

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Não consigo ver foto desta máquina belíssima sem imaginar uma versão MRtt e outra de vigilância para substituir os P-3 AM , R-99 etc.
Não estou totalmente confiante de que o negócio com a Boeing seja tão bom para a Embraer ,mas espero que tudo se resolva bem.

André Bueno
Visitante
André Bueno

Os E Jets são pequenos para um MRTT. Boeing e Airbus fornecem, respectivamente, MRTT baseados no 767 e A 330, “um pouco” maiores.
Para vigilância marítima e AEW penso que até poderiam, mas e o mercado?

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Justamente na questão do mercado é que a coisa desanda. Sem escala de produção pra manter(criar )uma linha de montagem e tal ae não rola mas mesmo assim seria ótimo termos estes vetores nacionais, na verdade o máximo de meios nacionais possíveis.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Aeronaves dedicadas (AEW, patrulha, rec) não tem mercado: tem encomendas de Forças Aéreas. Quem quiser peça pra fabricar.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Excelente, só nos falta um governo com mais visão e interesse na defesa nacional e em tudo que esta área pode proporcionar de ganhos ao país em tendo mais investimento.

Mauricio R.
Visitante

Então antevejo tanto o E-7 como o P-8, nas cores da FAB!!!!
Quem sabe o P-72 também.

GripenBR
Visitante
GripenBR

Com o fim da Golden Share, pouco poderá ser feito para qualquer operação futura de venda da área de defesa e aviação executiva. E um ação para um futuro Próximo. Não é uma posposta de parceria, é Take Over! Acredito que viveremos de nostalgia em alguns poucos anos.

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

O Golden Share será mantido na Embraer S.A

Só não terá interferência na Joint Venture

GripenBR
Visitante
GripenBR

Enquanto a Golden Share existir estará no que sobrar da Embraer, mas o governo (este Pelomenos este, e talvez o próximo dependendo de qual for) quer extingui las, não somente da Embraer. https://g1.globo.com/economia/noticia/apos-acordo-entre-embraer-e-boeing-tcu-adia-analise-sobre-venda-de-golden-shares.ghtml

Humberto
Visitante
Humberto

Acho que esta experiencia da Embraer, vai tirar qualquer dúvida do governo sobre a necessidade do Golden Share, se não fosse por ele, a negociação da EMB teria sido em outros termos. Eu particularmente achava o GS, uma ferramenta inócua, mais para torrar o saco dos acionistas (e motivo de desvalorização da empresa) do que algo importante. Eu mudei de opinião.
Difícil acreditar (mesmo o Meireles) os integrantes do governo, serem publicamente contra o GS.

Marco Antonio Capoeira
Visitante
Marco Antonio Capoeira

Correção. O E190 E2 PR-ZGQ chegou em Farnborough ontem. Acompanhei o pouso. Hoje cedo que ele decolou para o London City, com sobrevoo pelo litoral. Não retornou ainda a Farnborough.

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Vai vender mais que cobertor para esquimó e pipoca em dia de estréia de filmes da Marvel. Vou torcer muito para isto. st4

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

O Kc também!!!! st4

nonato
Visitante
nonato

Um baita avião.
Acho que os A 220 não são páreo nesse aeroporto…

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

off topic! F-35 na RIAT 2018:

https://www.youtube.com/watch?v=vdhGjqSA2ls

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Pois não é!? E aquela história de que o F-35 é ruim de manobra e não pode lutar em dogfight?

Delfim
Visitante
Delfim

Tirando a forte ascensão, nada de excepcional.

Augusto L
Visitante
Augusto L

O mercado europeu é o unico que a Embraer poderia competir sem à ajuda ou fusão com a Boeing. Na vdd o que lascou a Embraer, foi os sindicatos de pilotos americanos que não permitem comprar jatos menores, como o CS300/A200-300 é um pouco maior ele não se em caixa no perfil da cláusula dos sindicatos. Sem falar que para vôos transatlânticos EUA/RU, a rota área mais cobiçado, o avião da Bombardier é perfeito para às companhias Low Cost, para vôos point-to-point de aeroportos secundarios, as companhias tem garantia de quase 100% dos assentos cheios. O que seria diferente das… Read more »

Humberto
Visitante
Humberto

Hummm.. a vida na Europa vai ser difícil para a Embraer, terra da Airbus, que vai fazer pressão para vender a linha 220.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Mas la não tem companhias estatais, só a Airfrance se não me enfano tem algumas aoes da holding do estado.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O sindicato não aprova pelo peso e capacidade nenhum dos CS, seja o A200-100 ou 300 e nem os Embraer E-2 ou MRJ.
Só podem os Embraer E-175 e o Bombardier CRJ900, não existe discriminação entre os fabricantes, cada um vai ter que manter o seu modelo antigo em fabricação por mais um tempo se quiset vender para o mercado regional americano.

Augusto L
Visitante
Augusto L

É por peso sim, peso de decolagem maxima e volume.
O o E175 e o CRJ900 estao muito abaixos dos CS300 e 100 e dos E190 e E195.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Gostei do tubarão.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

 Sem novos projetos, fábrica da Embraer no Brasil fechará em até 10 anos, diz sindicato economia.estadao.com.br | July 13, 2018 02:58 PM As fábricas da Embraer não se sustentarão caso a empresa brasileira e a Boeing não garantam novos projetos no Brasil para o futuro – algo que ambas não prometem no momento, dizem os sindicatos de metalúrgicos que representam os funcionários da Embraer. “Não estou contra essa junção por causa do imperialismo norte-americano, como gostam de taxar o sindicato. Estou me baseando em um fato concreto: se não houver garantia de novos investimentos e nova aeronave, a fábrica… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

É impressionante a má-fé ou falta total de conhecimento do sindicalista.
Ele acha que o E2 será vendido por 5 ou 10 anos, apenas.
Era só ele ver o histórico do E1 para saber que um avião é vendido por muito mais tempo.

Juvenal Santos
Visitante
Juvenal Santos

Não tem a ver com a matéria em si, mas sobre um dos comentários, como a gente está aqui para aprender, aí vai: EEUU (ou EE.UU.) é uma abreviatura que significa Estados Unidos. É utilizada na língua espanhola para fazer referência ao país cujo nome oficial é Estados Unidos da América (EUA). Também se utiliza EUA ou a sigla original USA (United States of America), com menos frequência. De acordo com as regras gramaticais da língua espanhola, quando a palavra abreviada para formar uma sigla está no plural, deve ser duplicada a primeira letra dessa palavra. Uma das exceções para… Read more »

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Quero ver se não vão jogar areia na produção do Gripen aqui no Brasil!
Esse Trump é louco e ao mesmo tempo esperto!

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Off Topic:
Eu postei ontem, uma notícia importante. O comentário deve ter ficado retido, ou desapareceu na web.

Mas o mais interessante é que PA ainda não fez uma matéria sobre o tema que já é de conhecimento mundial.

A bomba do ano: A Russia cancelou a produção em massa do SU-57, e vão fabricar só doze unidades.

Eu venho insistindo há muito tempo que os SU57 não è stealthy. Game over. Aí está a confirmação.
Também disse e repito, que o J-20 chinês é outro abacaxi, que não stealthy.

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Caro Tadeu, aí ferrou para a Rússia, não terão mais os “istelfi” para brigarem no mercado e nos ares contra o F35. Abraços st4

Roaldo
Visitante
Roaldo

Saudações aos comentaristas. Aproveitando que o assunto são siglas, o que significa a saudação “st4” usada por alguns foristas?
Linda a pintura do tubarão …

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Roaldo,abraços, st4 eu criei ” Saudações tricolores tetra” , ou seja, “Fluminense tricolor o único, o restante são apenas times de 3 cores”(Nelson Rodrigues) e o 4 foram as vezes em que nos sagramos campeões brasileiros, sei que tal saudação foge dos assuntos da trilogia, mas é um modo de homenagear a instituição, assim como faz um flamenguista ilustre aqui, se não me engano o XO. Abração….. ST4

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Como o Almirante SALDANHA DA GAMA tocou no assunto.
Quando o tricolor do Rio ganhar tudo que ganhou o tricolor Paulista, tudo bem.
Mesmo gostando do tricolor Nélson Rodrigues, cuja coluna eu lia todos dias no Jornal dos Sports.

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

Também achei linda a pintura, poderia ser a maior ave de rapina, a hárpia, mas tb gostaria de vê-la num |Gripen de demonstração. abraços st4

Humberto
Visitante
Humberto

A Embraer tinha outro profit hunter (EMB 195-E2) que era uma águia.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Essa é a terceira pintura.
A primeira foi a da águia,
A segunda do tigre,
e agora o tubarão.

Carlito
Visitante
Carlito

A quem interessar, segue o link para uma entrevista com o Sr. Ozires Silva sobre o andamento das negociações:

https://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/fundador-da-embraer-ozires-silva-avalia-acordo-com-a-boeing-os-fracos-nao-vao-sobreviver.ghtml

Eduardo de Castro
Visitante
Eduardo de Castro

Li a entrevista. Nem uma palavra sobre a Embraer Defesa. Pelo menos para mim, leitor da Trilogia de Defesa, especialmente a Aereo, a quem interessa muito mais a indústria de aeronaves militares, fica um sentimento de frustração, já que é justamente o setor de Defesa da Embraer que mais me preocupa nessa transação com a Boeing. E essa parte: (“G1: O senhor tem orgulho de ver onde a Embraer chegou? Isso eu gostaria de perguntar à população, especialmente para o pessoal lá da nossa região, do Vale do Paraíba. Vocês estão orgulhosos ou não de serem procurados pela maior fábrica… Read more »

Marcos10
Visitante
Marcos10

Não existe Embraer Defesa.
Não existe porque não há investimentos do Estado brasileiro. O Gripen só saiu porque trata-se de financiamento externo. O KC390 virou um tormento para a Embraer, que teve de bancar o projeto, comprometendo seu fluxo de caixa.

Marcos10
Visitante
Marcos10

O TX da Novaer tem seu projeto básico pronto há três anos. Cadê os pedidos?

André Bueno
Visitante
André Bueno

A Embraer não bancou o projeto. Possivelmente, em algum momento, o Governo Federal não liberou o montante previsto no momento correto. Neste caso a empresa pode ter assumido e dispensado o valor e o GF ressarcido mais tarde. Concordo, todavia, que a empresa deve sofrer nas mãos dos governos.
Quanto ao avião da Novaer, o modelo proposto seria um possível substituto do T-25 e esses parecem ainda bem úteis à FAB e à AFA. Vão ter que esperar.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Os T25 já estão indo para os seus 50 anos, operando com severas restrições.
É como eu disse: nao tem verba.. E sem verba, sem investimentos em defesa.

Marcos10
Visitante
Marcos10

E não foi em algum momento. Isso durou mais de dois anos. E causou sérios problemas de caixa.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Como ninguem encomendou o projeto, eles fizeram por conta própria com recursos do FINEP, então que aguardem com muita calma surgir a necessidade da AFA ou um comprador estrangeiro.
Mas tem que encarar o seu concorrente direto o Grob G120 na versão pistão ou turbohélice usados na instrução do Canadá, EUA(USArmy), Argentina, Indonésia, França, Israel Alemanha e outros.

Marcos10
Visitante
Marcos10

De fato, fizeram por conta e risco próprio. Mas fizeram de olho justamente na necessidade da FAB, que já deveria ter substituído seus T25.
Esses são justamente os motivos das compras de oportunidade da Marinha.

fernandoEMB
Visitante
fernandoEMB

A Nova era, ao que consta, já era!

Marcos10
Visitante
Marcos10

Pois é!
Mais uma empresa que se foi, entre outras tantas.

Bogdan
Visitante
Bogdan

OFF TOPIC
Mali receives four Super Tucanos:
http://www.janes.com/article/81726/mali-receives-four-super-tucanos

jota ká
Visitante
jota ká

Futuro Boeing 717 MAX 2

Ney Jorge Hitos Ferreira
Visitante
Ney Jorge Hitos Ferreira

Vai sair uma matéria sobre a desistência do SU57?

Marcos10
Visitante
Marcos10

As únicas informações que li, foram de um pedido inicial de 12 unidades.

Delfim
Visitante
Delfim
Carlos Lampreia
Visitante
Carlos Lampreia

Fim da linha pro Su-57.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Ha uma noticia no ar pela qual a Airbus deu um desconto de 70% no preco dos CS vendidos para a Blue Jet. Se isso nao é dumping o que seria? A OMC deveria intervir ou nao?

Reginaldo
Visitante
Reginaldo

Subsidiar tantas aeronaves pode causar uma queda de qualidade na produção do “A-220” e com isso afetar sua confiabilidade, além de também afetar todo mercado. O problemas é que se a Embraer se manifestar contra, pode se queimar com a JetBlue… Tomara que analisem isso por conta própria.

Carlito
Visitante
Carlito

Com a Jet Blue aparentemente já está queimada. A questão é se há realmente algo ilegal ou não, e se houver, que se tomem as devidas providências.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Essa é uma situação completamente absurda. Há algumas semanas saiu a notícia que o processo que a Embraer entrou contra a Bombardier, praticamente vai reiniciar do zero, porque esta afirmou que não pode mais prestar nenhuma informação e que quem tem que responder agora é a Airbus, jogando a decisão p/ no mínimo daqui há +2 anos! Também devemos lembrar que só recentemente a Boeing ganhou uma disputa bilionária que durou 14 anos contra os subsídios da Airbus, sendo que seus efeitos práticos ainda não surgiram. Posto isso, pergunto: – Como é que a Embraer vai aguentar esperar até que… Read more »

Daniel
Visitante
Daniel

Com boca de tubarão? Como a Boieng tentando engolir a Embraer…

Silvano Conti
Visitante
Silvano Conti

Venda com 72% de “desconto”, assim não tem como competir.
Dumping agora tem outro nome: “Desconto.”
Sempre agiu assim, desde sempre.
Outra coisa, o que o Brasil e a Embraer ganham gerando empregos e impostos na UE fabricando partes de aviões? sendo que este mercado agora tem essa deturpação?
Sendo que a principal concorrente da Embraer agora é mantida pelos poderosos governos europeus.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

As fabricantes de aviões têm os chamados “preços de lista”, que estão publicados em seus sites. Esses preços não são praticados, eles são apenas uma referência sobre a qual as empesas dão descontos em cada venda que fazem. Esses descontos são individualizados em cada negociação, a partir de fatores como tamanho da encomenda, importância do cliente, fase de comercialização do avião, etc. Evidentemente esses descontos não são publicados pois são informação comercial reservada. Por isso, sem o conhecimento dos custos de produção é muito difícil, a partir dos preços de venda, o “dumping”. Por outro lado, será que vender um… Read more »

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Boa noite
É pratica bastante comum em qualquer mercado onde uma empresa tenha o tenha como alvo, até “vender” por preço simbólico um determinado numero de unidades. Para essa empresa o “prejuízo” entra como investimento e ja faz parte do custo. Claro que empresas com muito “oxigênio financeiro” pode se dar a esse luxo, portanto, é o velho ditado chinês outra vez: “Quem pode mais, chora menos”.

Silvano Conti
Visitante
Silvano Conti

Vender um produto abaixo do preço de custo é prática criminosa em qualquer situação, não existe isso de vender um produto abaixo do que ele custa para se produzido, apenas no “lançamento” e tudo bem, é crime de qualquer maneira, isso tem nome, se chama Dumping. Ponto final. E outra coisa, no caso de aviões, a venda é para toda vida, um avião não dura menos de 30 anos em serviço, se o cliente se torna cativo, acabou, é pra muito tempo sem a concorrência entrar. Um CS300 custar 23 milhões de dólares?? onde isso é possível? e estes 23… Read more »

Silvano Conti
Visitante
Silvano Conti

É crime e ponto final, mas você disse algo que pode ser aproveitado: “Quem pode mais, chora menos”. __________________ Começa trazendo toda a Embraer Portugal de volta pro Brasil, e eles que chorem também. Não necessitamos estar em Portugal, vamos ver como eles reagem a perda de milhares de empregos qualificados, as nossas custas, diga-se. A Embraer U.S.A faz sentido, seja EJets ou defesa, faz sentido, mas Portugal não faz, nunca fez, segundo a Folha de São Paulo, há um aumento de custo para Embraer produzir em Portugal, então que venha tudo para o Brasil, e eles que chorem um… Read more »

Luiz Antonio
Visitante
Luiz Antonio

Uai…fique a vontade e processe os caras…boa noite.

Marcos10
Visitante
Marcos10
Rodrigo
Visitante
Rodrigo

off topic: airbus deu desconto de 72% nos a200 vai sair por 23 milhoes pra blue

André Bueno
Visitante
André Bueno

Isso não é dumping?

Jorge Alenquer
Visitante
Jorge Alenquer

Silvano Conti.
O mais grotesco e bizarro é encontrar gente por aqui que ainda defende interesses estrangeiros, em detrimento dos interesses do país, e interesses estratégicos, não apenas econômicos.
Em que mundo será que vivem?? me pergunto se são brasileiros.
É incrível mesmo, mas essas pessoas existem.
Qual será a motivação?
CS300 por 23 milhões, acham tudo normal e ainda apoiam.. meu Deus, a gente vive um bocado e ainda não viu nada.

Vanessa Cioffi
Visitante
Vanessa Cioffi

Airbus jogando sujo no mercado…

Foco deles é matar a Embraer nesses próximos 18 meses..
O contrato entre a Azul e a Embraer já está em risco pois a Airbus está oferecendo o A220 mais alguns A320neo em troca da Azul pagar a multa contratual..

Que a Embraer sobreviva nesses próximos 18 meses

luiz antonio
Visitante
luiz antonio

Isso agora é problema da EMBRAER e da BOEING. Podemos fazer uma vaquinha tambem sei lá. Mas estou fora dessa. Que se virem.

pdias
Visitante
pdias

Por que infantilizam o avião com ‘desenhínhos” de bicho ??? Tradição da 2º guerra mundial ??? Peloamordedeus…. é kitsch demais