Home Armamento Com novo míssil, Rússia e China podem superar aviões de combate dos...

Com novo míssil, Rússia e China podem superar aviões de combate dos EUA

12045
119
R-37M
Vympel R-37M

Novo míssil ar-ar russo tem vantagem em velocidade e alcance

De Reuben F. Johnson

KIEV, Ucrânia – O Ministério da Defesa da Rússia anunciou que uma nova arma está muito próxima da conclusão de seus testes de validação e em breve será colocada em operação.

Se os relatórios de seu desempenho operacional forem precisos, isso ameaçará a sobrevivência de todas as aeronaves de combate dos EUA atualmente em serviço – particularmente o mais novo caça dos EUA, o Lockheed Martin F-35.

A arma é o míssil ar-ar Vympel R-37M (designado AA-13 Arrow na OTAN). Lançado a partir de uma aeronave de combate, ele é projetado para atingir alvos em distâncias de até 188 milhas (300 km), sua seção de ogiva contém 60 kg de material explosivo, e é relatado ser capaz de velocidades de até Mach 6.

Este míssil oferece às aeronaves russas uma vantagem sobre as aeronaves de combate dos EUA em velocidade e alcance. As versões mais avançadas do míssil ar-ar Raytheon AIM-120, fabricado nos Estados Unidos, atingem cerca de Mach 4 e têm alcance de apenas 110 milhas (176 km).

Os planejadores de defesa estão alarmados com o número de caças que a Rússia planeja equipar com esta arma.

Os mísseis que precederam o R-37M eram exclusivos e armas adequadas para a aeronave Mikoyan MiG-31. A missão do MiG-31 era quase inteiramente dedicada a derrubar bombardeiros estratégicos dos EUA e outros grandes aviões que pudessem representar uma ameaça ao espaço aéreo russo, de modo que esses mísseis normalmente não costumavam ser vistos fora do território russo.

MiG-31
MiG-31 com mísseis R-37

No entanto, de acordo com fontes do MoD russo, as Forças Aeroespaciais da Rússia (VKO) estão planejando que os modelos Sukhoi Su-30, Su-35 e Su-57 operem com o R-37M, além do MiG-31. O míssil será, portanto, capaz de ser disparado contra quase todos os aviões militares dos EUA em numerosos teatros de operações em todo o mundo e não apenas dentro do espaço aéreo territorial de Moscou.

O anúncio provocou reações nervosas desde o ministério da defesa da Polônia aos aliados dos Estados Unidos na Ásia. O único míssil no arsenal ocidental que se aproxima do russo R-37M em velocidade e alcance é o Meteor, movido a motor a jato, produzido pelo consórcio europeu MBDA, que não é instalado em nenhuma aeronave dos EUA.

Também não há mísseis atualmente no arsenal dos EUA que correspondam ao desempenho desta arma russa. Por isso tem vários países estào perguntando se eles deveriam considerar a compra do caça sueco Jabra Saab JAS 39, que já tem o Meteor integrado em seu sistema de controle de tiro.

Os caças Su-30SM e Su-35 são operados por militares russos ao longo das fronteiras com a OTAN. Aeronaves Su-30 têm acossado navios de guerra e aeronaves dos EUA, tanto no Mar Negro e no Báltico. Ambos os aviões foram vendidos e são operados pela Força Aérea do Exército de Libertação Popular na China (PLAAF), e a VKO também os basearam no aeródromo militar russo em Latakia, Síria – onde eles estão frequentemente próximos das forças dos EUA. Há rumores há anos de uma iminente venda de Su-30SM ou Su-35 ou ambos para o Irã em grande número.

Uma versão do R-37M também poderá ser transportada pelo Su-57
Uma versão do R-37M também poderá ser transportada pelo Su-57

Especialistas em defesa estão preocupados com a rapidez com que o R-37M estará em serviço com a PLAAF. Aeronaves Su-35 chinesas foram vistas recentemente em trânsito em Novosibirsk, enquanto voavam de volta para as instalações de testes de voos russas mais ao oeste. Especula-se que algumas das aeronaves estão retornando para avaliar a adição dessa nova arma aos seus Su-35s.

Fontes russas descrevem o sistema de orientação dos R-37M como sendo equipado com um “cérebro” de alta tecnologia que é “imune a interferência de sistemas de guerra eletrônica”.

O F-35 é uma das aeronaves mais vulneráveis ​​a essa nova arma, disse um especialista em combate aéreo ao Washington Free Beacon. “A aeronave não tem supercruise e não tem a “aceleração para velocidade de escape” de que outras aeronaves são capazes. As características stealth do F-35 também foram projetadas para enfrentar uma geração cada vez mais antiga de ameaças, o que significa que a aeronave é mais detectável para novos sensores e sistemas de armas”.

Esta é uma preocupação séria para o futuro dos aliados dos Estados Unidos da América. O Japão e a Coreia do Sul são ambos clientes do F-35 e ambos têm que enfrentar a PLAAF da China regularmente. O F-35 também poderá ser comercializado para nações diretamente ameaçadas pela Rússia, como Finlândia e Polônia.

Um ex-funcionário da MBDA disse ao Free Beacon que os planos estão em andamento para tentar igualar o placar, integrando o míssil Meteor no F-35, mas não até 2024 ou mais tarde.

FONTE: The Washington Free Beacon

119
Deixe um comentário

avatar
50 Comment threads
69 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
45 Comment authors
MunhozGilberto RezendeCarlos CamposCarlos Alberto SoaresHMS TIRELESS Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Cezar
Visitante
Cezar

Poloneses lucrando com as guerra de midia do partido democrata americano e da otan. Sonhando com a transferwncia da base americana na alemanha. (Tenho amigos cujo as maes ja trabalham em fabricas da industria pesada polonesa). . E os russos pegando carona nos negocios.

JT8D
Visitante
JT8D

Cezar, você é de onde?

Cezar
Visitante
Cezar

Poderao vender para o Irã? Siria?

Antonio
Visitante
Antonio

Muitíssimo pouco provável. A Rússia não tem vendido material muito avançado para esses países. Prnicipalmente para a Síria. Acho que a temperatura por lá já está um pouco elevada, né?

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Você esta esquecendo da Koreia do Norte que tem tecnologia de míssil balístico e nada impede da mesma fornecer ao Iran.

JPC3
Visitante
JPC3

Primeiro tem que travar o radar no F-35….

É mais uma ameaça para os AWACs e aviões tanque.

Almeida
Visitante
Almeida

Disse tudo.

Bardini
Visitante
Bardini
Mauricio R.
Visitante

Não, eles desde sempre tiveram acesso a mesma fonte que os hindus: O “Yakhont”
Existe um outro clone chinês desse mesmo míssil.

JPC3
Visitante
JPC3

É exatamente para este tipo de situação que os aviões stealth foram criados.

JT8D
Visitante
JT8D

Estamos tranquilos, teremos o JAS 39 Gripe E e o Meteor

Airacobra
Visitante
Airacobra

Ta mais pra Gripen E com canhão, python 5 e derby

JPC3
Visitante
JPC3

Os radares do sukhois e outros caças usam banda X. O Mig-31 usa banda L contra a qual a furtividade também funciona, embora com menor eficiência.

RicardoNB
Visitante
RicardoNB

Banda L no MiG-31 é para IFF

JPC3
Visitante
JPC3

Tem certeza?

Li que era um radar de banda dupla, por isso seria tão pesado.

Cezar
Visitante
Cezar

Acredito que esse missil ficara entre russia china e paquistao. Um belo missil. Como nao somos aliados ficaremos pegando o que o congresso americano libera. Enquanto chile e colombia se armam com os favores do pentagono.

BezerraFN
Visitante
BezerraFN

A FAB tem acesso ao Meteor, talvez um dos top 3 BVR para armar o Gripen E.

JPC3
Visitante
JPC3

Radares dos sukhois usam banda X. O Mig-31 usa banda L contra a qual a furtividade também fuciona, embora com menor eficiência.

Cezar
Visitante
Cezar

Sou brasileiro. Vejo alianca com a argentina estratégica. Vencer os caças e misseis vindo das cordilheiras (uso de bases por terceiros apos 2040) e caribe e no atlantico detonar porta aviões. Alem de ficar de olho nos satelites. Sou da ala dos malucos.

JT8D
Visitante
JT8D

Não precisava nem dizer que é da ala dos malucos kkkkk

Antonio
Visitante
Antonio

É realmente notável o desenvolvimento de mísseis russos (e chineses também).
E em todos os setores. Sejam balísticos, anti-aéreos, anti-navios e etc.
Estão com uma boa vantagem em relação ao Ocidente.
Outro dia estava lendo sobre o Satã 2 e aquilo é inacreditável.
É a arma do juízo final.

Antonio
Visitante
Antonio

Em tempo: Que beleza de máquina esse Mig-31.

JPC3
Visitante
JPC3

Também ainda não tem operacional algo como o AAM-4B japonês.

JPC3
Visitante
JPC3

Não é bem assim, eles não tem nada como LSRAM, JASSM ou o Meteor.

Tem ver que importante é que vai dentro dos mísseis e aviões, não só os números que saem na internet.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Se vc acha que não há nada como o Satan 2 é porque não conhece o Trident D-5.

Antonio
Visitante
Antonio

Quem nasce para ser ‘Trident’ nunca chegará a ‘Satã’.
O Trident é bem mais antigo e menos potente que o russo.

Almeida
Visitante
Almeida

Estão comparando bananas com maçãs, um é um ICBM super pesado e o outro é um SLBM, com restrições de tamanho e peso por conta da plataforma de lançamento (submarinos).

Antonio
Visitante
Antonio

Exatamente.
A comparação é um pouco fora de propósito.

RicardoNB
Visitante
RicardoNB

O R-37M é uma evolução do R-33, mas ainda não é uma arma BVR ideal contra alvos manobráveis, o mesmo está limitado a interceptar alvos manobrando a no máximo 8G em condições ideais, ante os 12G do R-77, quanto mais próximo do envelope máximo menor a capacidade de engajar um alvo manobrável. O Meteor provavelmente entregue um mesmo alcance, sendo um míssil bem mais leve e manobrável.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Esse míssil claramente não é destinado ao combate entre caças. Mas sim a frota de apoio aos caças ocidentais, ou seja, plataformas de reabastecimento em voo, transporte e guerra/reconhecimento eletrônico, que de discretas ao radar não tem nada.

Existem discussões nos EUA sobre a necessidade de plataformas de grande porte de características stealth. Talvez esse míssil possa apreçar os tomadores de decisão:

http://www.thedrive.com/the-war-zone/7012/the-air-force-desperately-needs-a-stealth-tanker

Augusto L
Visitante
Augusto L

Aposto na aposentadoria do B-2 como bombardeiro para passar a ser KC-2, é claro depois da entrada dos Raiders.

Delfim
Visitante
Delfim

Parece uma arma de Star Wars. Aqueles profundores horizontais destacados da carcaça do míssil soam estranhos.
.
Meio gordinho para caber em uma baia de caça stealth.
.
E a Mach 6 deve ter uma manobrabilidade horrível.
Bom para alvos grandes e valiosos.

JPC3
Visitante
JPC3

Esse míssil não é nenhuma novidade, está sendo anunciado a mais de 20 anos.

JPC3
Visitante
JPC3

Essa é uma das razões para estarem criando aeronaves de abastecimento furtivas.

Hélio
Visitante
Hélio

“As características stealth do F-35 também foram projetadas para enfrentar uma geração cada vez mais antiga de ameaças, o que significa que a aeronave é mais detectável para novos sensores e sistemas de armas”.”

Isso não é novidade para ninguém, agora, pra já? O tal “especialista” está falando besteira. Primeiro você tem que detectar o f35, isso é o que é dificl, mas quando ele for detectado a questão da agilidade vai realmente ser um calcanhar de Aquiles.

JPC3
Visitante
JPC3

É novidade, pois o ninguém projeta um caça para ficar 30 anos em serviço sem pensar nas tecnologias e ameaças futuras.

Não vai ser 10 ou 15% menos de agilidade que vai fazer o F-35 sem muito diferente de outros caças.´

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

O míssil, operando em banda x é tão inútil contra um F-35 como qualquer outro. É o avião lançador que deverá detectar o F-35 antes de lançar, certo? O que muda?
Se um caça está buscando escapar de um míssil Mach 4+, faz diferença ter ou não supercruize? 0.2 ou 0.3 Mach a mais vai salvar sua vida?
Esse Washington Free Beacon é sério?

JPC3
Visitante
JPC3

Acho que foi mais uma daquelas críticas ao F-35 sem fundamento feita para o público mais leigo.

Almeida
Visitante
Almeida

Pior do que isso, é daquelas matérias de think tanks pagas pela indústria de defesa para aterrorizar o contribuinte americano e manter (ou aumentar) os elevados gastos de defesa dos EUA e o lucro dessas companhias.

Mesmo torrando mais com defesa do que os 6 países seguintes da lista de maiores gastos somados, os EUA sempre tem um “gap” com relação aos demais, já perceberam? Como dizem por lá, bullshit.

JPC3
Visitante
JPC3

Parece que foi mais uma tentativa de falar mal do F-35 sem o devido embasamento, ou o autor é muito leigo.

Bruno w
Visitante

Já li muito sobre este míssil em blogs estrangeiros, tudo que tem ouvido que é um míssil ar-ar fenomenal….Mas está matéria só tem suposição , o cara que escreveu e nadinha pessimista hein…..

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Impressionante, principalmente se eles “enxergarem” os aviões americanos.

Mais um hyper arma Putiniana… o Mundo acabou.

Obs.: Podiam usar nos céus da Síria, acho que com isso poderão sonhar com o domínio dos céus de seu Aliado…

#osceusdasiriasãodetodosnós

Delfim
Visitante
Delfim

Parece matéria daqueles alarmistas que alardeiam torpedos russos de 100 megatons.
Seja para justificar gastos militares maiores, ou porque acreditam mesmo.

Bosco
Visitante
Bosco

Eu passo!

Fox-2
Visitante
Fox-2

Bosco,
Já se previa nos anos 90 que com a evolução dos radars ultra-computadorizados, possivel acompanhar e travar aeronvaves sth…
Sei que vc não gosta de materias que diminuei o EUA e seus caças sth… mas a realidade é que o mundo gira meu caro.

Junior Marchi
Visitante
Junior Marchi

Com este comentário do mestre Bosco nem vou ler mais nada já basta pra mim. Russia sendo Russia, muita propaganda de ultra, mega, power, Plus alguma coisa. Na hora do vamos ver nunca esta operacional.

JPC3
Visitante
JPC3

Talvez em foguetes balísticos, certamente não em mísseis de cruzeiro.

Além do mais, esse míssil ( que está sendo anunciado há 20 anos) não apresenta nenhuma característica especial contra aviões furtivos pelo que foi divulgado até hoje. A referência do autor ao F-35 é mais por falta de conhecimento no assunto ou a necessidade de criticar o F-35 sem bons fundamentos.

CRSOV
Visitante
CRSOV

Se esses caças russos estiverem acompanhados de aviões AWACS eles poderão disparar esses novos mísseis de uma grande distância e o guiamento e atualizações de rota no meio do caminho poderiam ficar sob responsabilidade dos AWACS que tem radares muito mais possantes que os caças !! O MIG 31 tem se tornado um avião polivalente pois primeiro form os testes com o Khinzal e agora esse novo míssil !!

nonato
Visitante
nonato

Hora de Trump agir…

Augusto L
Visitante
Augusto L

Que trambolho ! Ddeve ter uma NEZ muito pequena contra caças, mas deve ser uma formidável arma contra plataformas de apoio como AWCS, reabastecedores, aviões ELINT/ISR.
É por isso que os americanos tem colocado sensores e radares poderosos nos F-22 e F-35, eles só não tem como substituir os KC, talvez no futuro com a entrada do B-21 Raider, alguns B-2 virem reabastecedores.

Bispo
Visitante
Bispo

Face a eficácia deste míssil o tempo nos dirá.

O que está se concretizando é o apelidado por aqui de “radar de bolinhas” (radar fotônico).

Uma vez operacional(2020) o radar fotônico irá mudar drasticamente a logística dos aviões militares. stealth, furtivos, só no dicionário…rs

ps. antes que comece o festival … sou ignorante(conhecimento) vou difamar,ironizar,etc ao cubo. Pesquisem, se informem..Rússia, China, EUA, Europa.. tem investido tempo e dinheiro no campo fotônico/quântico… China e Rússia alguns passos na frente.

Bille
Visitante
Bille

Ouvi dizer que o ITA tem um laboratório e projetos muito f$&@ na área de fotônica. Mas, como tudo em banânia, precisa de dinheiro pra desenvolver e virar realidade. Por base, amplifica-se absurdamente a potência de um radar diminuindo peso. Mas ainda requer pesquisa, logicamente.

JT8D
Visitante
JT8D

Não é só em “banânia” que as coisas precisam de dinheiro para virar realidade. A diferença é que em “banânia” damos “outros usos” ao nosso dinheiro

José
Visitante

Eu pergunto:
Como as aeronaves russas e chinesas conseguirão alvejar as aeronaves furtivas americanas,se as mesmas não detectam a sua presença,não sentem,não sabem de sua presença,não veem as aeronaves furtivas?
Não precisa explicar eu só quero entender a eficacia plena de tal arma,que independente de detecção ou localização de outra aeronave contraria,a mesma com tal arma conseguira,mesmo assim, abater implacavelmente e inexoravelmente a aeronave adversaria.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Ué mas e o velho Phoenix, desativado junto com o F-14, nao tinha especificações semelhantes?

Mazzeo
Visitante
Mazzeo

Pensei a mesma coisa ! o Phoenix fazia isso a bastante tempo em conjunto com o gigantesco AN/AWG-9 e seu upgrade, o AN/AWG-71.
Resta saber se o missil russo tem trajetória balística como o Phoenix.

André Vedoze
Visitante
André Vedoze

Notícia nitidamente destinada a estimular a indústria de armas norte-americana (como uma boa dezena de outras publicadas aqui na trilogia). Como é bom ser velho nestas horas, durante a Guerra Fria URSS vestia como uma luva para justificar os bilhões de dólares destinados a indústria armamentistas. Novamente agora… e o pior que os russófilos e sinófilos do fórum deliram com as promessas de um apocalipse vermelho. Mundo muito louco este, não?

Hernâni
Visitante
Hernâni

Bosco,
A sério!!!???

um abraço

willhorv
Visitante
willhorv

É…..como o Guismo falou acima, o Phoenix operado pelo Tomcat, em roupagem nova, poderia ser o omônimo ocidental.
E contra este R37M, vejo a antecipação de armas de defesa a laser táticas sendo embarcadas nos bombardeios e aeronaves elint.

Zago
Visitante
Zago

Falem o que quiserem sobre os caças russos, mas eu sou muito fã, fico impressionado com o MIG-31, além de muito bonito e imponente é letal!

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

O MiG-31 é o único caça de 4a geração que possui capacidade de super cruzeiro REAL. Fora ele, somente o F-22. Os demais caças que alegam capacidade super cruise, na verdade possuem tal capacidade muitíssimo limitada. Limitada em tempo e distância percorrida (voam pouco tempo em super cruise) e/ou em velocidade (super cruise de Mach 1,1 por exemplo). O MiG-31 possui um Raio de Ação superior a 700 km (ida e volta), voando a Mach 2,3 🙂 é impressionante. A maioria dos caças de 4a geração possuem um Raio de Ação equivalente (pouco maior ou pouco menor), voando a Mach… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Com todo respeito mas você está equivocado! Supercruise é a capacidade de voar longos períodos de tempo em velocidade supersônica sem o uso de Pós-Combustão e por esse conceito o Mig-31 não detém essa capacidade. Consultando o Sérgio Santana, o melhor autor brasileiro sobre aviação soviética/Russa e que já nos brindou com dois artigos magníficos aqui no Aéreo, ele me explicou que de fato o jato pode voar 725km a Mach 2.35 mas essa distância é percorrida em pouquíssimo tempo tendo em vista a própria velocidade, e ainda assim com o pós-combustor acionado. Outrossim essa velocidade é apenas alcançada em… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

O Luís deve ter querido dizer que o MiG-31 é o único caça capaz de cruzeiro supersônico, e não de “super cruzeiro”.
Em geral com os pós combustores ligados se consome 4 x mais que no modo seco. Se no empuxo seco o consumo é de 3 t por hora, com pós-combustão seria de 3 t a cada 15 minutos.

Bosco
Visitante
Bosco

Só fazendo uma analogia, se um caça gasta 2 t de combustível por hora em empuxo seco a Mach 0,9 e percorre 1000 km nessa hora, se ele ativar o pós-combustor ele poderia chegar a Mach 1.8 mas o faria apenas em por 15 minutos e nesse tempo ele teria percorrido só 600 km.
Ou seja, sem pós combustor se percorre 1000 km com 2 t de combustível em 1 hora; com pós-combustor se percorre 520 km com 2 t de combustível em 15 minutos.

Bosco
Visitante
Bosco

O probleminha do voo supersônico utilizando pós-combustor diz respeito a que nesse regime ele consume mais de 4 x de combustível. Se fosse o dobro, tava ótimo porque ele iria gastar metade do tempo pra fazer o mesmo percurso gastando a mesma quantidade de combustível. O problema é que não é o dobro e sim 4 x mais. Ou seja, dobra-se a velocidade e quadruplica-se o consumo. Moral da história: o caça percorre só a metade da distância no quarto de tempo. E tem um complicador, que é os caças geralmente não serem feitos para cruzeiro supersônico, como por exemplo,… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Corrigindo, de fato o Mig-31 pode voar 1.400km a Mach 2.35 mas isso se dá apenas com o Pós-combustor ligado o que ainda assim mostra que o avião não tem Supercruise visto ser essa entendida como a capacidade de voar longos períodos em velocidade supersônica sem pós-combustor.

Ademais, também a velocidade dele é de 1.500 km/h ao nível do mar

Augusto L
Visitante
Augusto L

Fazendo uma simples conta de fisica (VM=◇S/◇T) sendo VM=1224km/h x 2.35 e ◇S=1400km, podemos afirmar que o Migzão voa supersônico por 30 minutos.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

O F-22 em tese pode voar mais que isso pois não precisa acionar o pós-combustor.

Bosco
Visitante
Bosco

O MiG 31 não tem manobrabilidade alguma e seria alvo fácil no dogfight para os super manobráveis F-15, F-16, F-22 e F-18 armados com AIM-9X e HMS e canhões.
https://www.youtube.com/watch?v=sh5WWK5pEds

Alex
Visitante
Alex

O MIG 31 pode nao ser manobravel, mas e muito mais rapido que os avioes Americanos que voce mencionou. Usaria sua velocidade para manter-se fora do raio de acao desses cacas. Mas se for pego de surpresa, seria alvo facil.

Fox-2
Visitante
Fox-2

Segundo dados computacionais oriundo de simulações da OTAN, nunca foi possivel chegar perto de um Mig-31 para vingar os abates realizados pelo mesmo em confronto aereo.
Misseis de longo alcance + aceleração rapida + velocidade acima de mach 3+ raio de combate elevado, torna-se impossivel de abate-lo.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Voando mais baixo que ele voce mitiga o raio de ação do missil, e o Mig-31 nunca pode usar o R27 só usava o R33 que era inadequado ao combate contra caças, o mesmo vale pro AIM-45 Phoenix, so recentemente que as versões modernizadas foram aptas a carregar o R77.

Andre
Visitante
Andre

Esses abates só ocorreram em simulações, certo?

Bosco
Visitante
Bosco

Engraçado que segundo esses mesmos dados computacionais da OTAN também é impossível chegar perto do F-35 sem que ele queira mas todo mundo diz que dá conta de abatê-lo no dogfight, e inclusive que ele é freguês do Su-35.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Engraçado que as mesmas pessoas que estão falando que a falta de manobrabilidade do MIG-3 não é um problema são os mesmo que dizem que o F-35 perde para um SU-35 por causa dela. É impressionante a hipocrisia de alguns dos ilustres comentaristas daqui. E, como o próprio Bosco disse, se vocês vão usar os dados da OTAN para julgar o MIG-31 julguem o F-35 pela mesma medida.

P.S. essa não é, de forma alguma, uma crítica ao MIG-31, aeronave que – por sinal – sou um grande fã.

Bosco
Visitante
Bosco

A grande vantagem desse míssil com 400 km de alcance é que eles não estão sujeitos às regras de engajamento e às limitações do sistema de identificação “amigo-inimigo”. Diferente dos ocidentais o tiro para russos e chineses é livre.
https://www.youtube.com/watch?v=zCfyOXJf3ZM

Fox-2
Visitante
Fox-2

Na opção de ataque do tipo “dispare depois engage”, dá uma vantagem incrivel à essa distancia.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Fox-2, o que o Bosco estava salientando é que, por mais que o míssil tenha esse alcance, ainda está sujeito a ter de se aproximar para identificar a aeronave. Ainda que – acredito eu – no caso de um AWACS esse seja um movimento desnecessário. Todavia, se a história nos ensina alguma coisa é que os russos não ligam muito em identificar uma aeronave antes de atirar, como pôde, infelizmente, ser sentido pelos passageiros dos voos MH17 e KAL 007.

Bosco
Visitante
Bosco

Bruno, Contra um AWACS eu concordo plenamente, mas é que o artigo afirma que o míssil com 400 km de alcance é um carrasco para “todos” os aviões de combate dos EUA. Daí minha referência ao sistema IFF e às regras de engajamento já que elas são uma das limitações que os críticos da superioridade dos stealths no combate BVR insistem em lembrar. A alegação é que as regras de engajamento obrigariam um F-22 ou um F-35 a confirmar visualmente um contato não cooperativo como alvo válido e aí eles se tornariam presa fácil para os superhipermanobráveis Su-qualquer número e… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

E vale lembrar que missil tem NEZ, missil tbm perder energia, por isso esse missil não é adequado ao combate de caças, mas para negar a presença de aviões grandes como AWCS, KCs, ELINT/ISR4.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Bosco,
Motley era do meu tempo. Foi uns dos meus desenhos animados favoritos. Bons tempos.

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Não sei mas salve engano meu, até vou pesquisar mas o kinzal é muito superior.

Bosco
Visitante
Bosco

Pessoal,
Foi divulgada uma foto do MiG-31 armado com o R-37 caçando um F-35:comment image

Coutinho
Visitante
Coutinho

Viiiiiiiiiiiiiiixi!

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Seria interessante os Russos instalarem os misseis em reparos duplos ou triplos a serem instalados no solo.

Sabe como é que é, como é que eles vão disparar os misseis se o avião lançador já foi abatido???

Sempre me lembro do susto que a tripulação do Su-34 na Siria levou com o F-22 que começou a brincar com ele… ok… depois o F-22 (que estava a brincar) foi impiedosamente engajado por desesperados Su-30/35

Airacobra
Visitante
Airacobra

Estilo os Tomcats assustando os pilotos de zero japoneses no filme The Final Countdown ( Nimitz – de volta ao inferno)?

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Até a hora em que o Kirk Douglas ordenou: “Splash the zeros”

Andre
Visitante
Andre

“A aeronave não tem supercruise e não tem a “aceleração para velocidade de escape” de que outras aeronaves são capazes.

Qual outra aeronave seria capaz de escapar, considerando sua aceleração e velocidade, de um míssil que atinge mach 6?

Bosco
Visitante
Bosco

André,
Escapa utilizando ECMs do tipo DRFM, do mesmo jeito que os russos escapam de todo os Amraams que existem.

André
Visitante
André

Bosco,

Pelo texto, da a impressão que o F-35 não escapa devido às sua baixa aceleração e velocidade. Considerando apenas esses dois fatores, tem algum que escapa?

Ainda mais porque, de acordo com esse texticulo, o míssil é imune a dispositivos de guerra eletrônica.

Bosco
Visitante
Bosco

André, Mas esqueceram de combinar isso de que ele é imune às ECMs com os EUA e a OTAN, e como você sabe, textículo aceita tudo. Antes de mais nada o MiG-31 vai ter que detectar com seu radar banda X (CHIS) os furtivos da OTAN. Em segundo lugar o míssil tem que travar nos stealths da OTAN utilizando seu radar banda X (CHIS). Mesmo contra aeronave de alto valor (HVA) de baixo desempenho e grande RCS, como AWACS, não é tarefa fácil usar esse brinquedo. Esse tipo de aeronave voa em território amigo e sob escolta e mesmo a… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

atoa = à toa

André
Visitante
André

Resumindo, essa é só mais uma daquelas reportagens para ficar de bem com os frequentadores russofilos e traz um monte de inverdades, meia-verdade e mais algumas criações da criatividade do autor?

Bosco
Visitante
Bosco

André, O articulista que fez o artigo não é do ramo. Não entende nada sobre aviação de combate. Nem os russos imaginam usar o R37 contra caças. Sou fã incondicional da Trilogia e seus editores mas eles fiscalizam e controlam muito os comentários dos participantes (com razão apesar de um eventualmente cometerem excessos) mas parece que ultimamente não utilizam um filtro tão severo para selecionar os artigos, principalmente os evidentemente anti-ocidentais, que não raro, são péssimos e sem nenhuma fundamentação técnica já que são ideologicamente enviesados. Uma sputinice é facilmente identificada. Ela sempre cita a reação do “inimigo”, por exemplo,… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

André o que importa é a energia, não a velocidade, esse missil é um trambolho, não tera energia para acompanhar um caça fazendo ‘beaming’ e perdera o ‘Track’, é por isso que o AGM-54 Pheonix não era usado contra caças apesar da sua incrível autonomia frente aos misseis da época, o mesmo se aplica aqui.

João Argolo
Visitante
João Argolo

Olha ele aí ___ \ \ _ \ \ | \ _\ \________________________| \ _ ——- | _____ \ ——- |_ ________________________ __ / / / | / / / |_/ /__/

João Argolo
Visitante
João Argolo

É não foi como desenhei.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bosco

e o radar de bolinhas ? Acorda pô, vc está ultrapassado !

https://www.youtube.com/watch?v=gb0_WMAWFms

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Como vão identificar o F35 ou F22 a centenas de quilômetros? esse povo inventa cada coisa.

Gilberto Rezende
Visitante
Gilberto Rezende

Só não entendi uma coisa, o míssil é russo, pode ser usado pelos Su-35 chineses e preocupa os Americanos e seus aliados e a notícia é do The Washington Free Beacon…

PORQUE a notícia inicia com:

KIEV, Ucrânia – O Ministério da Defesa da Rússia…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Giba, o The Washington Free Beacon (quase ia escrevendo Bacon) é um “Watchdog” que fica procurando notícias ruins para atacar o programa do F-35, o verdadeiro objetivo dessa matéria. Então vão atrás de qualquer coisa….

Agora, como até em combate o F-35 já foi utilizado fica mais difícil garimpar notícia ruim..rs!

Bosco
Visitante
Bosco

E o pior é quando eles colocam palavras e sentimentos nas bocas e cabeças alheias: “Os planejadores de defesa estão alarmados…” “O anúncio provocou reações nervosas desde o ministério da defesa da Polônia aos aliados dos Estados Unidos na Ásia” – É engraçado também quando eles fazem comparações tipo: “o Amraam chega a Mach 4 e este a Mach 6”, ou “o Amraam chega 170 km e este a 300 km”. Como se eles fossem disputar as Olimpíadas Missilísticas Galáticas. São desempenhos diferentes de mísseis diferentes que desempenham funções diferentes dentro de contextos diferentes. Seria um milagre se fossem iguais.… Read more »

Munhoz
Visitante
Munhoz

É provável que este míssil tenha um conjunto de sensores para conseguir rastreio do F 35 por isso a notícia, e neste caso somente um míssil deste tamanho para portar tais sensores. Agora resta saber como os caças irão rastrear o F 35, o que poderia ocorrer é os caças como um Mig 31 conseguir uma localização aproximada e lançar esses mísseis meio que as cegas com pequenas correções a meio caminho passadas pelo caça e no momento final os sensores do míssil é que fariam a localização e travamento do F 35, daí a justificativa do tamanho do míssil… Read more »

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Munhoz, se o radar de um SU-35 que é ordens de grandeza mais potente do que qualquer radar instalado em um míssil só consegue detectar um F-35 a menos de 40 km, como você acha que este míssil, viajanda a mach 6, ou seja, com pouco tempo para travar em um alvo, e que possuí energia limitada vai conseguir fazê-lo adequadamente?

Munhoz
Visitante
Munhoz

Como disse meu comentário é uma suposição, o grande dilema e rastrear o F 35. Como costumo dizer só saberemos o resultado se ocorrer uma guerra, eu particularmente não costumo acreditar em ambos os lados apenas coleto informações e analiso. Os russos fazem sua propaganda e os EUA também. Pode ter certeza de uma coisa o pior pesadelo para os EUA neste momento é os russos conseguirem desenvolver um meio para rastrear um caça stealth ou uma alternativa eletrônica que possa tornar um caça de 4º geração stealth por exemplo, mas são apenas possibilidades. O que ocorre no meu ponto… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

(HMS TIRELESS 13 de julho de 2018 at 13:39 Com todo respeito mas você está equivocado! Supercruise é a capacidade de voar longos períodos de tempo em velocidade supersônica sem o uso de Pós-Combustão e por esse conceito o Mig-31 não detém essa capacidade. Consultando o Sérgio Santana, o melhor autor brasileiro sobre aviação soviética/Russa e que já nos brindou com dois artigos magníficos aqui no Aéreo, ele me explicou que de fato o jato pode voar 725km a Mach 2.35 mas essa distância é percorrida em pouquíssimo tempo tendo em vista a própria velocidade, e ainda assim com o… Read more »

Bispo
Visitante
Bispo
Bosco
Visitante
Bosco

Tudo dos russos é indefensável: Topol é indefensável, Kinzhal é indefensável, Moskit é indefensável, Krypton é indefensável, Satan é indefensável, submarino é indefensável, Bulava é indefensável, Iskander é indefensável, S-400 é indefensável, R-37 é indefensável, Su-35 é indefensável, Kornet é indefensável, Armata é indefensável, Kalibr é indefensável, o Khibiny é indefensável, etc.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Acho que os russos devem ter tesão pela palavra indefensável Bosco, só pode. O Kinzhal percorre uma trajetória balística em boa parte do seu trajeto, estando sujeito ao SM-3, mas é indefensável; tem uma velocidade bem reduzida na trajetória final, estando sujeito ao SM-6, SM-2 e ESSM, mas é indefensável; tem um radar que – como todo outro – está sujeito a interferência eletrônica, mas…é indefensável. Ou será que o que vale para as ECMs e mísseis russos não vale para os EUA? Será que a Rússia, com um orçamento militar equivalente ao que os EUA gastam só com R&D… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Bruno, “Ou será que o que vale para as ECMs e mísseis russos não vale para os EUA?” Escrevi algo parecido sem ler esse seu último comentário. rsrsss É mais ou menos por aí!!! Esse negócio de “indefensável” é meio que um fetiche mesmo. srss Não é necessário utilizar tantos adjetivos tendo em vista que desde o homem começou a usar paus e pedras há uns 200 mil anos, às vezes dá certo às vezes dá errado. É implícito em todo novo sistema de armas que ele tenta superar o sistema antagonista do inimigo numa porcentagem maior de vezes e… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS
Bispo
Visitante
Bispo

Bosco…

Mais quem reafirma isso é o “chefe” americano do “setor”.

“Não temos nenhuma defesa que possa negar o emprego de tal arma(hipersônica) contra nós” , disse em março o general da Força Aérea John Hyten, comandante do Comando Estratégico dos EUA.

Bosco
Visitante
Bosco

Bispo, Mas e daí se não há defesa? Guerras não são vencidas ou perdidas assim! Só os russos é que imaginam que os americanos vão tentar interceptar todo tipo de míssil que eles lançarem. A Europa é imensa e mesmo que houvesse defesa não haveria para todos os alvos e para interceptar todos os mísseis que os russos podem lançar. Um sujeito pergunta pra um general americano se eles têm defesa contra um míssil Mach 10 e ele vai dizer que não tem não. Seria hilário se ele dissesse que tinha porque isso implicaria que nenhum míssil iria passar e… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Bispo, Queiramos ou não a velocidade hipersônica por si só não configura uma tecnologia disruptiva como foi por exemplo a tecnologia stealth. Por exemplo, mesmo supondo que as aeronaves stealths sejam mesmo detectados pelos radares de baixa frequência, ninguém ainda explica como é que o míssil tranca num alvo furtivo. Isso não ocorre em relação à velocidade hipersônica tendo em vista que russos, chineses, americanos, etc. estão calejados em interceptar alvos hipersônicos muito mais rápidos que o Kinzhal. Veículos de reentrada com velocidade de Mach 20 ou espaciais da ordem de 8 km/s são interceptáveis. Ou seja, a velocidade hipersônica… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

Misseis de cruzeiro só são interceptados na fase final, não importa se são subsonicos, super ou hiper, como os americanos não tem ainda uma defesa de curto alcance anti-pgm.
Quanto as ogivas planadoras o Thaad tem capacidade de interceptação e o Patriot também, só que o tempo de reação é menor, mas com treinamento específico e até a automação dos sistemas e a implementação de um sistema integrado robusto e pug in play como o MEADS diminui a eficácia.

Bosco
Visitante
Bosco

Augusto,
O PAC-3 é um sistema C-PGM

Bosco
Visitante
Bosco

O sistema Centurion também tem capacidade C-PGM.
A rigor qualquer sistema com capacidade C-RAM tem capacidade C-PGM.

Bispo
Visitante
Bispo

Creio que a questão é: independentemente da monstruosa diferença de orçamento militar OTAN/EUA vs Rússia. O lado “mais fraco” precisa lembrar o mais forte que tem “dentes” e o estrago pode ser inaceitável.

Bosco
Visitante
Bosco

Bispo,
Muito se fala da diferença de orçamento mas há de se ter em mente que o imenso orçamento americano não é voltado todo para pesquisa e desenvolvimento e novas aquisições, mas para manter sua guerra contra o Terror e suas inúmeras bases e “obrigações” mundo afora.
Se brincar a verba americana para pesquisa, desenvolvimento e aquisição é menor que a dos russos.