Home Aviação Comercial MPF cobra explicações sobre negociação entre Embraer e Boeing e pede ao...

MPF cobra explicações sobre negociação entre Embraer e Boeing e pede ao TCU que apure acordo

5522
141
Embraer E-Jets

Por Matheus Leitão

O Ministério Público Federal em São Paulo cobrou informações sobre a negociação para transferência do controle acionário da Embraer para a Boeing e pediu que o Tribunal de Contas da União (TCU) instaure processo de controle externo para analisar a operação.

As providências foram tomadas em um procedimento preparatório aberto no dia 6 de março deste ano pelo MPF-SP. O caso teve início após representações formuladas pelos deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS) e Nelson Pelegrino (PT-BA). Segundo os petistas, a venda da Embraer seria ilegal e lesiva aos interesses nacionais.

Nesta quinta-feira (5), as empresas divulgaram um memorando de entendimento para um acordo que cria uma terceira empresa para a qual vão os ativos mais lucrativos para Embraer, os da aviação comercial. Nesta terceira empresa, a atual Embraer terá 20% e receberá US$ 3,8 bilhões. O negócio terá que ser aprovado pelo governo.

Segundo o Ministério Público Federal, contudo, a Embraer forneceu informações incompletas, por exemplo, dentro do procedimento preparatório.

Com isso, o MPF reforçou, em requerimento datado desta quinta-feira (5), um pedido para que a empresa apresente o termo de acordo e um relatório circunstanciado da operação em curso com a Boeing.

No curso da tramitação do procedimento, o procurador da República Luiz Costa, responsável pelo caso, requereu informações à Embraer, Presidência da República, Ministério da Defesa e ao Tribunal de Contas da União (TCU).

O Ministério da Defesa alegou, em resposta enviada no mês passado, que não era possível afirmar que o negócio seria lesivo à soberania nacional, uma vez que a venda não estava fechada. Já o TCU respondeu, primeiramente, que não possui procedimento de acompanhamento do caso ou de controle externo.

Diante da notícia de que o TCU foi consultado pelo Ministério da Fazenda sobre se o Executivo poderia abrir mão do Golden Share (ação que dá ao governo poder de veto em algumas decisões) sem consultar o Legislativo, o MPF também já requereu nesta sexta-feira (6) acesso à decisão proferida no mencionado questionamento realizado pela União.

No mesmo ofício, o MPF pediu a cooperação entre os dois órgãos para que o TCU instaure o processo de controle externo para analisar a operação de venda e transferência do controle acionário da Embraer para a Boeing.

FONTE: G1

141 COMMENTS

  1. Deputados do PT alegando que alguém esta lesando os interesses nacionais é um escárnio.

    Muita sorte à EMBRAER e BOEING contra o “fogo-amigo”, torço para que todos os envolvidos sejam beneficiados

    • Não queria entrar nessa questão ideológica mas você está certo quanto ao escárnio afinal o que aconteceu na Petrobrás está aí para comprovar. Contudo, da forma que o negócio se apresenta ele é, de fato, nocivo aos interesses nacionais.

    • Eu falei, isso vai acabar sendo decidido na justiça, vamos ver se a Boeing esta disposta a enfrentar uma longa batalha judicial ou não

      • Evidente. Não se concebe um governo dessa laia, em final de carreira, correndo para entregar uma empresa a outra estrangeira.
        Daqui a poucos meses teremos nova eleição, e aí o novo Governo decide..

        • Sim, acabei de ler que um investidor da Embraer acabou de entrar com um processo na CVN contra essa JV, do jeito que os acionistas atuais da Embraer não curtiram o que esta sendo planejado para essa JV pode ter certeza que ele não será o último a fazer isso, pode apostar, isso ainda vai longe

  2. Quero saber quando e quem vai apurar (ou a mídia vai denunciar) as férias do pessoal do MPF: um cobre o outro, e o povo sai de férias sem publicar nada… as pessoas acumulam férias tirando “férias”… se depender do CNMPF nunca… Não são santos…

    Sim, tem que investigar sempre, mas sejam coerentes, não da mesma forma que travaram a construção da linha que levaria energia de Manaus pra Boa Vista.

  3. O MPF preocupado com a parceria entre uma empresa privada brasileira e uma empresa privada americana, coisas do Brasil.

      • A Golden Share já foi utilizada e fez com que as negociações entre as companhias se dessem de tal modo que fosse criada uma terceira, ficando a divisão militar e executiva fora das negociações.
        Se a divisão militar vai ou não sobreviver, isso depende de demandas do governo brasileiro por novos equipamentos. Não cabe a parte comercial da Embraer bancar a parte militar.

        • Oi Marcos10, não estou questionando o uso – bom ou mal – da Golden Share pelo Governo Federal, mas apenas lembrando ao Strobel que o MPF quer um esclarecimento porque a Embraer não é uma empresa privada comum, mas uma empresa em que o governo possui uma Golden Share devido ao seu perfil estratégico. O MPF quer saber se a Golden Share resultou em uma negociação lesiva ou não aos interesses do país.

    • Falando assim a gente fica com a impressão que a Embraer é a Sandálias Havaianas sendo comprada pela Nike. São duas empresas privadas, afinal.
      Igualzinho, né?

      • Sandálias havaianas não é da nike. Foi comprada do grupo jbs e hoje pertence a uma holding (grpo cambuhy) dos herdeiros do banco itau e família moreira salles.

      • Igualzinho não é, porque para grande parte do povo sandália havaiana é um artigo útil e necessário, ao contrário de um avião. Mesmo para quem viaja de avião, é mais importante saber o preço da passagem e se o vôo chega no horário do que saber a nacionalidade do engenheiro que projetou a asa ou o trem de pouso.

    • Walfrido. Apesar de considerar as suas opiniões as mais ponderadas do site, creio que ‘há casos e casos’.
      O que está ocorrendo no Brasil é que existe um tal vácuo institucional, derivado da bagunça geral instaurada, que permite se questionar qualquer decisão oriunda um Governo desse naipe. É triste, mas é a realidade.
      Por outro lado, países mais sérios costumam vetar operações entre privadas nacionais e estrangeiras. Temos diversos casos ultimamente.
      Já no Brasil. é caso policial mesmo para o MPF investigar.

  4. Não seria melhor deixar para o próximo presidente eleito decidir? seja ele quem for.
    E que este assunto seja levado ao debate eleitoral para opinião de todos os candidatos.
    Muita pressa, a gente desconfia, outra coisa, o TCU quer até acabar com a Golden Share, isso tem que ir pro debate eleitoral, e deixar para o próximo presidente decidir.

      • Então melhor, por que quem está não tem autoridade para conduzir este negócio.
        Outra coisa, todo mundo sabe, essa coisa vai parar no STF, e quando bater lá, alguém vai decidir que a decisão passe pelo Congresso, aí fica pro próximo presidente.

        • Acredite, quem está atualmente no Planalto tem competência, autoridade e legitimidade para tal pois tais atributos lhes foram conferidos pela Constituição.

          • _____________

            COMENTÁRIO APAGADO. A BRIGA PESSOAL DE VOCÊS DOIS JÁ PASSOU DOS LIMITES. PARE DE FAZER PROVOCAÇÕES INÚTEIS PARA O DEBATE. ÚLTIMO AVISO ANTES DA SUSPENSÃO.

    • Acho temerário isso pois vai ter candidato, quer à extrema-direita, quer à esquerda sindical, que vai querer se aproveitar do tema para se promover e sugerindo algo pior que essa Join Venture, a estatização da EMBRAER.

      • Isso tem um nome, se chama “Democracia”, e foi inventada pelos gregos, gostemos ou não, é mais correto e democrático do que como está agora.

        • Você está confundindo os conceitos! Democracia não se resume a eleições e implica também em respeitar as instituições. Portanto, se elas dão ao atual ocupante do Palácio do Planalto a competência para permitir ou não o negócio nós devemos acatar esse fato e não tentar dobrar as instituições aos nossos caprichos afinal isso é coisa de regimes populistas.

          E de igual forma, uma vez que o ordenamento jurídico autoriza outros instrumentos para se contrapor a essa Join Venture, devem os mesmos ser acionados.

          Por fim, governantes são eleitos para atender aos interesses do país e tentar manipular a questão para tornar aceitável a estatização a empresa vai contra o real conceito de democracia.

          • Concordo com você. Porém o atual Presidente da Republica não tem credibilidade nenhuma, para tomar uma decisão deste porte.

        • “Democracia” é o que se tem para eleger alguém e que tomará as decisões por você. Querer levar tudo para a mesa de negociações para se discutir eternamente algo recebe o nome de “bagunça”. E ai sempre vai ter alguém insatisfeito dizendo que não houve democracia suficiente.

          • “Querer levar tudo para a mesa de negociações para se discutir eternamente algo recebe o nome de ‘bagunça'”

            Isso também se chama sindicato, e vimos o quão danoso foi trazer a política sindical para as decisões do país.

  5. o negócio é lesivo aos interesses nacionais sim, considere que estamos pagando bem mais caro pelo gripen, (ou vamos pagar) para que a Embraer receba conhecimento industrial e ai vem uma empresa estrangeira e leva tudo quase de graça.
    o dinheiro saiu do meu bolso também já que eu sou um contribuinte.

      • Quem disse que a Embraer vai virar uma Fokker?
        A Embraer no futuro ou será uma empresa ainda maior e melhor do que já é, poderá quebrar (o que é um risco que qualquer empresa corre) ou pode sumir já agora, sendo vendida para a Boeing.
        Os acionistas não ganham nada ao vender a Embraer por 25 reais a ação.
        Qualquer outro fundo pagaria isso aos atuais acionistas.
        O Brasil não ganha nada com isso.
        Então por que a defesa de muitos da venda a Boeing?
        Vamos perder nossa única grande empresa de alta tecnologia?
        O governo tem o dever de barrar isso aí.
        Questão de interesse nacional.

        • Nonato, vc está confundindo “defender a venda” com “aceitar a realidade”. E quem tem que “ganhar” não é uma entidade abstrata chamada Brasil, mas seres reais chamados brasileiros, muitos dos quais estão mais preocupados em ter saúde, educação e segurança do que em ver o dinheiro de seus impostos sendo usado para bancar empresas deficitárias em nome do “interesse nacional”, que é outra forma de dizer orgulho ufanista.

    • Como estamos pagando mais caro pelo Gripen, se a proposta da Saab foi a menor entre os finalistas do F-X2?
      Gripen NG = SEK 66 bilhões (o equivalente, em 2015, a US$ 4,7 bilhões)
      Super Hornet = US$ 6,6 bilhões (pelo o que lembro)
      Rafale = US$ 8,8 bilhões (também pelo o que lembro).

  6. “Diante da notícia de que o TCU foi consultado pelo Ministério da Fazenda sobre se o Executivo poderia abrir mão do Golden Share” (penúltimo parágrafo).

    Sinceramente, não encontro palavras para essa frase. Ora, o Executivo pode vetar ou não (Golden Share) a transação. Então por quê “abrir mão”? É uma piada. Mas mostra que tem muitíssimo mais coelho nessa moita do que tem sido divulgado.

    Vamos vender bananas. É nossa vocação. Deixa os aviões para o centro do mundo.

      • Contudo, como essa Join Venture precisa ser aprovada pela Assembléia Geral da empresa o GF pode fazer uso da Join Venture para vetar.

      • E mesmo assim, continua consultando o TCU sobre se pode ou não abrir mão da Golden Share.
        E não, não vetou. Até agora não. Aparentemente está “apenas” concordando em vender 80% do segmento que faz a Embraer ser a líder mundial em jatos regionais para a Boeing.

        Vamos à soja. Anda a fila.

        • Você olha para o passado. A direção da empresa olha para o futuro.
          Agora, se o país continuar do jeito que está, nem a soja vai ser nossa.

          • Somos líder do mercado regional pq concorríamos apenas com a Bombardier, agora teremos que concorrer contra a AIRBUS, quanto tempo seremos líderes ou com que fatia significante do mercado ficaríamos? Acredito que seja essa a questão.

          • Marcos10

            De fato, se continuarmos entregando tudo o que criamos para empresas estrangeiras, nem a soja será nossa! Será tudinho deles! Se essa JV é olhar para o futuro, então eu tenho muito medo do que o país se tornará…

    • Por ministério da Fazenda, leia-se Meirelles, candidato à presidência da república. Na prática, o que ele queria é que o governo (leia-se Força Aérea) interferisse nas negociações entre Embraer e Boeing pois governantes não resistem ao canto de sereia de grandes empresas, especialmente estrangeiras.

      • Pode ser. São tantos boatos que fica difícil dizer. Mas não poderia ser também exatamente o oposto? Sem a Golden Share o governo brasileiro (Executivo) perde o poder de vetar a transação (no todo ou em parte), abrindo um corredor largo, alto e iluminado para a Boeing, como são os corredores dos E-Jets da Embraer, que fazem tanto sucesso.

        Sinceramente, fico com a segunda opção. Não defendo a re-estatização da Embraer. Defendo que ela permaneça como uma empresa brasileira, com produção globalizada, ações vendidas livremente nas bolsas brasileira e internacionais, com participação de fundos de investimento internacionais e poder de veto (Golden Share) do Executivo para transações estratégicas. O que eu não defendo é que o Brasil perca a Embraer e tome o rumo de se tornar exclusivamente exportador de insumos. Não tenho amor, raiva e nem ações da Embraer. É uma empresa privada, na qual não tenho nenhuma participação.

        Com relação à concorrência com a “fusão” Airbus/Bombardier. Sim, torna o mercado mais competitivo. Mas quando a Embraer entrou no mercado de aviação executiva, regional e militar, ela era nada…suas chances de sucesso eram infinitamente menores que as de hoje. E no entanto…

  7. Eu acredito que é uma erro grave da justiça Brasileira a facilidade com que se “obsta” a realização do negócio jurídico no Brasil. Há uma facilidade enorme para se pedir e para se conceder uma liminar. Eu acredito que nunca se pode obstar a realização de um negócio. Isto causa enormes prejuízos. Exceto se houver risco para a vida, que é irrecuperável, todos os prejuízos deveriam ser ressarcidos “a posteriori”. Eu vejo o caso do satélite brasileiro que a “digníssima” juíza do Amazonas impede o uso, causando um prejuízo diário enorme. Outras obras, como refinarias, ferrovias, rodovias, escolas, hospitais, redes de esgoto, que o “chatíssimo” Ministério Público pede uma liminar para “embargar” a realização da obra e o juiz, irresponsavelmente e tolamente concede a liminar, causando um prejuízo ainda maior do que o eventual roubo. Se houve ilegalidade, cobra-se o prejuízo posteriormente, desfaz-se o negócio posteriormente, mas não se pode “embargar a obra” ou “embargar o negócio”. O prejuízo disto é enorme. E se ao final do processo, verifica-se que o Ministério Público estava errado, quem paga o prejuízo? Ninguém, né? Quem paga são as “vítimas” do “chatíssimo” Ministério Público. Entrar com uma ação contra o Ministério Público ou contra o procurador para reaver os prejuízos de uma ação infundada, é ouro prejuízo ainda maior, pois mesmo que ganhe esta ação de reparação contra o Ministério Público, séculos se passarão. Então eu espero que neste caso da Embraer, os promotores sejam menos chatos, e que os juízes pensem mais do que duas vezes, e entendam sempre como difícil conceder um liminar. Liminar só em caso de perigo de vida.

  8. Lembrando que uma decisão judicial tem que ser obrigatoriamente cumprida, e isso também faz parte da democracia, estado de direito e respeito as instituições.
    Então esse negócio vai ter que esperar para que o próximo presidente, com toda a legitimidade que o voto lhe confere, tome a decisão mais adequada.
    Subiu no telhado faz tempo.
    Essa decisão é muito mais importante que ganhar o Hexa.. e me parece que usaram a Copa para anestesiar a opinião pública e deixar isso passar batido, não colou.
    Agora vou comprar pão e tomar um pingão.

    • O atual Presidente goza de plena legitimidade. É o que diz a CF. As pessoas tem de parar com esse mantra de “ilegítimo”. Você está confundindo legitimidade com gostar ou não desse ou daquele. Se é ilegítimo, todas as decisões tomadas até agora são ilegais, o que não é verdade.

      • Essa legitimidade se formou no momento em que o sujeito foi gravado falando: ‘É com Supremo e tudo’.
        Caia na realidade. Estão correndo para entregar a empresa a um concorrente estrangeiro. Que pressa é essa? Em 3 meses teremos novas eleições e o novo Governo, devidamente lastreado pelo voto popular. Deverá decidir. Simples.

        • Caia na realidade! Quer você queira ou não o atual ocupante do Palácio do Planalto está ocupando o cargo legitimamente afinal enquanto Vice Presidente ele estava em primeiro lugar na linha sucessória. E o impeachment é processo de destituição do chefe do executivo por crime de responsabilidade, expressão que na verdade é mera retórica constitucional pois se trata de julgamento político, algo que foi possível pelo fato da ocupante anterior do cargo ter perdido completamente a condição política para governar. E cumpre lembrar que conforme a lei das eleições o voto é para a chapa ou seja, também são dados ao Vice Presidente.

          Quanto à expressão “com Supremo e tudo” trata-se apenas do arroubo de um investigado visto que até o presente não há qualquer indício de participação da Suprema Corte como conspiradora no impeachment.

          Diante de tudo isso o atual ocupante do Palácio do Planalto tem legitimidade constitucional e legal para deliberar sobre a presente Join Venture. E uma vez que o ordenamento legal prevê hipóteses para que tal deliberação seja questionada (reflexo da teoria de “check and balances”) é ali que deve ser feito o combate à decisão do chefe do executivo e não com discursos politicamente inflamados e vazios.

          Por fim é sempre bom lembrar que o voto popular não dá cheque em branco e tampouco absolve crime.

          AVISO DOS EDITORES: A DISCUSSÃO MAIS UMA VEZ ESTÁ DESVIANDO PARA O DEBATE POLÍTICO-ELEITORAL PARTIDÁRIO QUE NÃO É O OBJETIVO DO SITE. COMENTÁRIOS INSISTINDO EM DESVIAR PARA A DISPUTA POLÍTICA ESTÃO SENDO APAGADOS. LEIAM AS REGRAS DO BLOG.

          https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

      • Mas onde é que eu disse que alguém é “ilegítimo”, onde você leu isso no meu comentário?
        E mais, se a justiça decidir acabou, pois assim reza a constituição, tem que obedecer, se o STF mandar isso para o Congresso decidir, ou alguém pedir vistas, tem que acatar e esperar.
        Não estou chamando ninguém de ilegítimo, quem o faz por modos oblíquos, é vossa senhoria.

        • Você só pode fazer ou deixar de fazer algo em virtude da Lei. Tem Juiz querendo legislar. Que peça as contas e se candidate ao Congresso.
          Esse país tá virado em bagunça.

  9. Entregando tecnologia nacional necessária pro futuro e desenvolvida a custo da educação pública de qualidade vide ITA, a preço de banana, uma coisa é certa quem ganha com isso sao só acionistas.
    A mídia mente de que a Airbus e Bombardier vao engoliar a Embraer se o acordo não for fechado pq a midia é acionista.
    Pergunta: Como uma empresa de mercado consolidado e tecnologias vindo a mil pode ser engolida? Ainda mais que se precisar de grana contra uma guerra de produtos cambiais tem o BNDS pra ajudar.
    A ganância está falando mais alto, numa guerra sem tecnologia nacional use o dinheiro pra ganhar, dinheiro que numa canetada de um inimigo pode ser desvalorizado, o que temos é o que produzimos e aperfeiçoamos com a produção, nao o que compramos e se envelhece se perde, desatualiza.
    Abaixo um video do E2 tecnologia de ponta.
    https://youtu.be/DHaMVRhwOrY

    • Eles entraram com a cara…
      Este país e nossos politicos entreguistas não sabem o que é ou não estratégico e importante para o Brasil.

  10. Pessoal, não adianta se estressar e nem cair na pilha de quem é a favor desse absurdo.
    O que nós temos de absolutamente certo, é que este negócio, seja lá o diabos for, não vai ser aprovado por este governo que está aí, então não se estressem, a sociedade está madura, e não vai aceitar esse caracurismo na calada da noite. Que o próximo presidente eleito pelo voto popular, seja ele quem for, tome a decisão, e que isso seja debatido na campanha política, o resto é lero lero.
    Esquece, esse acordo ou entrega não sai neste ano.
    E o judiciário para quem não sabe, tem a função subsidiária de legislar, não é seu papel, mas foi obrigado a chamar para si, dado todos os absurdos que está passando no país.
    Só um presidente legítimo terá moral para tomar a decisão.

    • É exatamente isso que o Sr esta falando, concordo plenamente.
      Algo que parece estar passando despercebido nessa mutreta entre EMBRAER e Boeing é a especulação no mercado de ações, tem gente ganhando (ou que vai ganhar) muito dinheiro com essas movimentações.

  11. O que o MPF tem de se meter nesse negócio, vão cuidar dos desvios de dinheiro público,levantem-se de suas cadeiras e saiam de seus preciosos gabinetes para conhecer os problemas das ruas, tudo agora esse MPF quer dar pitaco, quando não é o Judiciário. O Ministério Público virou um “monstro” constitucional, sendo que não se entendem nem no seu próprio órgão, criamos “reizinhos” pagos com nosso dinheiro.

  12. Concordo com o Sr. Victor Moraes. aos colegas comentaristas, apenas esperarei os próximos acontecimentos visto que as ações das empresas devem estar oscilando por conta destas notícias. Infelizmente há pessoas que ganham e muito com essas notícias alarmantes outras se desesperam. Afinal de contas , a Embraer é uma empresa pública ou privada? Creio que é privada. Qual a participação do governo? O que foi negociado? E a empresa sócia-majoritária? a quem interessa a venda, , a fusão das empresas, ou compra? São inúmeras questões. Abraços a todos pois todos possuem suas razões de ser contrários ou não.

  13. O comportamento do MPF é o esperado quando você combina muito poder com pouca ou nenhuma responsabilidade, seja perante a lei ou aos eleitores. O resultado tende a ser ruim com muitos fogos de artifício e o discurso de que ninguém é honesto ou sabe o que está fazendo. Algo para ser revisado em um constituinte.

  14. O momento do Governo comprar as ações da Embraer

    Momento de reestatizar é agora !!!
    Não podemos perder a nossa tecnologia para os americanos, entregar de mãos beijadas nossa tecnologia.

    • Reestatizar para quê, para se tornar um antro de ineficiência, corrupção e aparelhamento político e ao final viver pendurada no tesouro? Será que o ocorrido na Petrobras não foi suficientemente pedagógico?

      • HMS TIRELESS

        Pelo o que eu li 84% das ações da Embraer estão em mãos estrangeiras, 6% está com o BNDS e os outros 10% com acionistas brasileiros..

        A saída para esse acordo sair é o GF comprar essa parte comercial da Embraer, 4,2 Bilhoes de dolares para o Brasil não é nada e teríamos toda a nossa tecnologia mantida e preservada, afastando das mãos sujas da Boeing.

        Se o governo exercer o Golden Share, provavelmente a Embraer vai tomar boas sanções, pois terá concorrentes com apoio de governos (União Européia, Canada, Japão e China)
        A Saída é o Governo colocar o controle novamente na Embraer e ela se tornar nossa de novo

        • Entenda, a EMBRAER foi criada como uma estatal e ao ser privatizada em 1994 estava em situação econômica periclitante, sem recursos sequer para produzir e entregar os parcos turboélices que constavam em sua carteira de encomendas. Foi a privatização que permitiu a empresa alçar vôos maiores desenvolver aviões mais competitivos e chegar onde chegou ou seja, ao posto de terceira maior fabricante de aeronaves do mundo.

          Nesse sentido uma eventual reestatização da EMBRAER seria um tremendo retrocesso visto que o Estado não é empresário, sua função é prestar serviços públicos. E especialmente falando no Brasil empresas estatais têm sido usadas politicamente quer para loteamento de espaço entre partidos políticos, o famoso aparelhamento, quer para a instauração de esquemas de corrupção em processos licitatórios com o fim de financiar a perpetuação de determinados projetos de poder tal como vimos na Petrobrás.

          Ah! Cumpre lembrar que das quatro maiores fabricantes de aeronaves do mundo (Airbus, Boeing, EMBRAER e Bombardier) nenhuma delas é estatal.

          Tal como você eu não concordo com o negócio da maneira que está posta mas, como adepto do Estado Democrático de Direito, eu me curvo às instituições. O Presidente da República tem a prerrogativa de vetar ou não o negócio e politicamente seria interessante que ele o fizesse. Caso contrário, e uma vez que as decisões do Chefe do Executivo podem ser apreciadas em seu caráter legal pelo judiciário, uma das características da democracia, creio que ali deve ser contestado o negócio. E não se preocupe caso o governo lance mão do Golden Share pois não irá sofrer “sanção” alguma seja lá de qual país for. E caso qualquer desses países que você citou tome alguma medida protecionista abusiva contra a EMBRAER a OMC é o local adequado para dirimir a questão.

          • HMS TIRELESS

            Amigo que ponto você não entendeu, sem o GF subsidiando a Embraer não irá sobreviver concorrendo com a Airbus e a Boeing ?

            Se o FG exercer o golden share, ele irá precisar ajudar de alguma maneira, pois em médio a longo prazo a Embraer irá demitir em massa

            Por isso a solução é reestatizar e assumir o controle da Embraer, dando musculatura para ele sobreviver o mercado, porque sozinha ela não irá conseguir contra duas empresas imensas,que antes nem ligavam para o segmento de aviação regional.

  15. Essa história de deputados federais do PT – ou que seja de outros partidos – não vai dar em nada. Acordo já feito e, dadas as características do atual governo, a situação já está resolvida.

    • Acordo feito não, leia novamente. Foi um anúncio de intenções. O governo sequer aprovou o negócio, e muita coisa ainda pode acontecer.

  16. Gente, deixa o negócio entre empresas privadas acontecer, acho inacreditável alguém dizer hoje em dia, com toda internet para aprender, falar “Não podemos perder a nossa tecnologia para os americanos, entregar de mãos beijadas nossa tecnologia.” Que tecnologia é essa cara-pálida????????? Quase tudo é estrangeiro, motores, aviônica, radar, cad-cam, códigos, processadores… A Embraer ela desenvolve, pensa, esquematiza e …MONTA O AVIÃO. Descobriu um filão de aviões comerciais até 100/130 lugares, e vende a rodo, parabéns pra ela, mas negócio é negócio, estão vendendo 80% de uma joint-venture por quase 4 Bilhoes de dólares. Alguém sabe o lucro líquido da Embraer ano passado? Foi de 795 milhões de reais, isso num ano excelente. Com o dólar batendo 4 reais a venda vai injetar quase 16 bilhões de reais, ou seja, para lucar isso tudo a Embraer levaria quase 20 anos!!!! O negócio é excelente, o Ozires disse isso, que mais voces querem? Chega de judiciário se meter, eles não entendem nada, assim como a esquerda caviar, só querem manter seus privilégios.

  17. Ricardo Lewandowski está só esperando a ação bater na mão dele.
    Com uma canetada ele diz, que a decisão fique para o próximo presidente e fim de papo.
    Não sei onde tem gente achando que o acordo já foi feito… onde você viu isso?? é cada um..
    80 a 20… negoção mesmo…

    • Lewandowski não é o juiz exclusivo do STF! o processo por meio de sorteio pode ser distribuído para outro ministro. E outra, ele não tem a “canetada mágica” que vai mandar a decisão ser do próximo presidente pois isso significaria não apenas violação ao princípio de separação dos poderes como também um violento atentado à democracia.

      Aliás, compactuar com essa “canetada mágica” significa repudiar a democracia e compactuar com a barbárie. Da forma que está posta o negócio é lesivo? Sem dúvida, mas o combate ao mesmo deve se dar dentro da constituição e instituições e não fora delas.

      • O caso está com Ricardo Lewandowski, então vai ser decisão dele, e basta que ele, de forma monocrática, diga que este acordo deve ser referendado pelo Congresso, então não dá mais tempo de julgar no plenário, e o caso será decidido pelo próximo presidente legítimo e eleito democraticamente.
        É simples, em suma, o tal “acordo” que ainda nem existe subiu no telhado. Só ano que vem e com outro presidente eleito pelo povo decidindo.

        • Lewandowski concedeu uma liminar em um caso concreto que envolvia o sistema eletrobrás e não a EMBRAER. Aliás são situações muito distintas pois a ELETROBRÁS é uma sociedade de economia mista ao passo que a empresa de São José dos Campos é uma empresa privada na qual o GF preserva uma ação de classe especial (Golden Share). Diante desse fato não haveria sequer a conexão que poderia autorizar a distribuição por dependência à Lewandowski.

          Assim, uma vez que indubitavelmente o pedido de liminar seria distribuído a outro ministro, a liminar poderia ser concedida ou não. E uma vez liminares são por natureza precária pois são concedidas “inaudita altera parte” apenas com base no “fumus boni iuris” e o “periculum in mora” podem ser derrubadas, lembrando que mesmo durante o recesso forense os ministros podem ser convocados a apreciar a mesma conforme inclusive dispõe o Regimento Interno do STF. E uma vez que o recesso forense encerra ao final do mês, ainda há bastante tempo para o plenário decidir.

          No mais, é bom lembrar novamente que o atual ocupante do Palácio do Planalto, goste-se ou não dele, é legítimo pois está no cargo por força da constituição federal pouco importando se era o cabeça de chapa visto que conforme a lei das eleições os votos dados ao presidente também são dados ao vice.

  18. Independentemente de discussões ideológicas que estranhamente não foram censuradas, se o M.P.F. quer saber dos detalhes das negociações é que porque tem caroço nesse angu! Se não tiver, a Boeing e nem a Embraer não tem nada à esconder! É deixar ver a papelada para mostrar que esta tudo de acordo com a lei e correr para o abraço. Minha opinião pessoal que não irá interferir em nada da fusão, é que não se deveria era dar os 80% do controle majoritário acionário para Boeing. Ou se desse, as decisões deveriam ser dadas para um presidente aqui no Brasil com a Boeing com direito a veto a qualquer decisão que ferisse seus interesses. Ae vão dizer: O controle majoritário já é para isso, mas o fato de o presidente estar nos EUA e não no Brasil já se levanta suspeitas.

    RESPOSTA DOS EDITORES: DEZENAS DE COMENTÁRIOS FORAM APAGADOS OU EDITADOS NESTA MATÉRIA E OUTRAS RECENTES POR DESRESPEITAR AS REGRAS DO BLOG. RECLAMAR É FÁCIL. ANTES DE RECLAMAR, LEIA AS REGRAS, ESPECIALMENTE A DÉCIMA, E APRENDA A RESPEITÁ-LAS, POIS VOCÊ TAMBÉM JÁ RECEBEU ADVERTÊNCIAS E TEVE COMENTÁRIOS BLOQUEADOS OU EDITADOS.

    https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

  19. Ozires Silva é o cara que fundou a empresa é um cara visionário desde aquela época,ele não sabe oque está falando??? Não sabe oque é Melhor para a Embraer??? É cada sabe tudo que a gente vê aqui….

    • O fato de Ozires Silva ter sido um dos fundadores da estatal Embraer não o faz a pessoa mais indicada atualmente para opinar sobre o futuro da empresa que atualmente é uma empresa privada.
      A sua opinião tem valor, mas não é algo absoluto a ser seguido como algo imprescindível ao futuro da empresa.

  20. Mas de qualquer maneira é salutar que se faça essa investigação avaliando todos os pormenores dessa negociação, porque todos nós sabemos que Estados Unidos não dão ponto sem nó. Pelo que sei, a Boeing e Embraer abrirão uma nova empresa para aviação de jatos regionais onde existe o domínio da Embraer, a Boeing ficaria com 80% das ações e a Embraer 20%, além do mais, a Boeing, pretende pagar por volta de 5 bilhões de dolares pelo negócio. Se não me falha a memória a carteira de clientes da Embraer com vendas confirmadas para jatos regionais é muito maior do que os 5 bilhões de dolares, talvez eu esteja enganado e também gostaria de saber os pormenores desse contrato. Abraços a todos.

    • A carteira deve ser maior que o valor de mercado, o que é normal, pois a carteira seria o faturamento, mas dele devem ser descontados os custos, para chegar no lucro, que é o que mais importa. O valor que a Boeing está pagando é alto por um pedaço da Embraer.

      • Os analistas de mercados e acionista discordam de você, creio que eles tem mais embasamentos para afirmarem isso, leia as matéria que saíram em sites lá fora e verá que a maioria absoluta diz que o preço que a Boeing tá pagando é uma verdadeira barganha

        • Antes das conversas começarem, o valor de mercado da Embraer inteira era de cerca de US$ 4 bilhões. Subiu para cerca de 6 e agora caiu para perto de 5 bi.
          A Boeing está oferecendo US$ 3,8 bi por 80% da área comercial (quase o valor de toda a empresa no final do ano passado).
          Claro que os analistas sempre acham que um prêmio pela venda deve ser bem elevado. levando-se em conta perspectivas futuras (que podem estar certas ou não).
          Se os analistas acham que é uma barganha, devem comprar da ações da Boeing e lucrar com a barganha ou comprar ações da Embraer a ponto de não aprovarem o negócio por esse valor. Os acionistas podem votar contra a venda. Não será a Diretoria ou o Governo que dará a última palavra sobre o negócio. São os acionistas. Se acharem que não compensa, não vendam.

  21. A Embraer foi criado com dinheiro público,do povo Brasileiro,é não de _____________________ dos seus diretores e presidente,pois mesmo se tratando de um negocio,tem que ser vistoriado.Pois o __________________ pode lessar o Estado.Vamos evitar assim uma compra predatória se for o caso.Agora citar Petrobrás,não é desculpa.um caso lamentável da Petrobrás não justifica o entreguismo.

    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ROTULE OS DEMAIS PARA NÃO SER ROTULADO E NÃO USE O ESPAÇO PARA ATACAR TERCEIROS. LEIA AS REGRAS DO BLOG.
    https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

    • O entreguismo ja foi feito quando privatizaram, agora é problema de seus acionistas.
      Com esta opção de abrir uma nova fábrica, morre qualquer influencia da Golden Share.

  22. O sonho de consumo dos _____________é o fim da Golden Share, mas o governo já disse que não abre mão dela.

    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ROTULE OS DEMAIS PARA NÃO SER ROTULADO.

  23. Pior de tudo é que ele fala como se já tivesse alguma coisa assinada. Não tem nada, absolutamente nada assinado, aliás, ninguém nem sabe o que é esse acordo, todo mundo notou que a nota da Boeing e da Embraer tinha um caráter de não informar nada, a nota parecia mais com a intenção de confundir do que informar.
    Não tem nada assinado, e não será assinado nada neste ano, não com esse presidente no poder.
    Já falei, basta uma canetada no STF para que as intenções da Boeing e do governo norte americano virem pó.
    Para com isso, confunde teus desejos com a realidade dos fatos.

    • Não teremos acordo nenhum, pelo menos este ano, como quer o governo dos Estados Unidos.
      Acho que vieram com muita sede ao pote, e deram muito na vista que o que desejavam era danoso aos interesses nacionais, com a Golden Share o governo pode brecar, ou o mais certo, é que a justiça o faça.
      Ano que vem, depois um longo debate com a sociedade brasileira, possa ser assinado algo.

        • Será debatido pelo Congresso Nacional, por determinação do STF, os congressistas são representantes da sociedade, então será pela via democrática e responsável, esse debate será de todo a sociedade, e não de apenas alguém sem respaldo para tomar uma decisão dessa importância.
          E é claro, que o acordo se sair, não será nos termos imaginados pelo governo norte americano.

          • Essa foi boa: O STF diz ao Congresso, o que fazer…
            Deixe os deputados e senadores ficarem sabendo disso.
            Governo americano???? A The Boeing Co é uma empresa privada.

  24. Sem o Governo Federal subsidiando a Embraer, ela não irá sobreviver concorrendo com a Airbus e a Boeing sozinha

    Se o GF exercer o golden share, ele irá precisar ajudar de alguma maneira, pois em médio a longo prazo a Embraer irá demitir em massa.
    Não basta apenas negar, tem que dar uma saída

    Por isso a solução é reestatizar e assumir o controle da Embraer, dando musculatura para ele sobreviver o mercado, porque sozinha ela não irá conseguir contra duas empresas imensas,que antes nem ligavam para o segmento de aviação regional.
    A chance da Embraer ser nossa novamente é agora, não podemos esmorecer e cobrar ao STF que o Governo assuma novamente a empresa
    Que preserve a nossa tecnologia e os nossos engenheiros…

    AVISO DOS EDITORES: NÃO USE O ESPAÇO COMO PALANQUE. LEIA AS REGRAS DO BLOG.

    https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

    • Mas o governo não está interessado em reestatizar a Embraer, como fez o argentino com a FADEA. Aliás eu não conheço ninguem que esteja interessado na reestatização da Embraer.

      • Walfrido Strobel

        Supondo que o Governo não queira realmente reestatizara Embraer

        Qual será a saída ?
        Apenas exercer o Golden Share, proibindo a JV ?

        E como ficará depois ?
        Embraer sozinha encarando Airbus e Boeing ?

        A Solução é ______________ para não perdemos a Embraer, não perdemos tecnologia Brasileira

        COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ESCREVA EM MAIÚSCULAS. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

        https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

  25. Faço parte do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos
    e conheço bem a realidade da empresa porque tenho companheiros que lá trabalham.
    Segundo eles a linha de produção do E2 anda a quem do esperado, pois ainda não houve uma grande Cia Aerea que comprou o E2, e o KC390 não está vendendo no mercado e fala-se de demissões no final de 2018 e inicio de 2019

    Nunca estivemos tão perto de reestatizar a Embraer e ela voltar a ser do povo Brasileiro
    Precisamos ir a luta e ________
    __________________________
    __________________________

    COMENTÁRIO EDITADO. NÃO USE O ESPAÇO COMO PALANQUE. LEIA AS REGRAS DO BLOG.

    https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

    SEGUNDO AVISO.

    • A Embraer concluiu o desenvolvimento de sua atual linha de aeronaves com os novos E-jets e o KC-390. Não está vendendo eles a contento.
      Logo, estão sobrando trabalhadores.
      Solução óbvia: dispensar os trabalhadores que estão sem ter o que fazer na empresa.
      Solução do sindicalista: estatizar a empresa, usando dinheiro do povo para recomprar a empresa e manter um monte de trabalhadores ociosos e recebendo altos salários. Aí a empresa continua dando prejuízo e o governo pega mais dinheiro do povo pobre do Brasil e injeta na Embraer, para manter empregos e tecnologia.
      .
      Ainda bem que não passa pela cabeça de ninguém do governo e acho que nem na cabeça de alguém do STF forçar uma reestatização da Embraer. Seria mil vezes pior do que vendê-la para a Boeing. Seria pior até do que a Embraer falir.

      • Rafael Oliveira

        Qual é a solução então Rafael ???

        Deixar como estar e nos próximos 5 anos sem engolido pela Airbus e Boeing ?

        Minha opinião pessoal é reestatizar e não deixar a Boeing pegar nosso conhecimento e tecnologia

        Pq se o Governo negar a JV, terá que dar uma solução para isso

        • O Governo não vai negar a JV.
          Deixe as diretorias da Embraer e Boeing negociarem e os acionistas da Embraer decidirem se querem a JV ou não.
          Tecnologia e conhecimento são da Embraer. Eu não sou mais acionista da Embraer então não tenho nada a ver com isso. Se você é acionista, vote contra a JV.

  26. Assunto já debatido a exaustão , meu deus qual a dificuldade em perceber que com a AIRBUS entrando no mercado usando os c-series a Embraer não vai ter vida fácil, não vou nem mencionar a China. O mercado americano representa + de 60 % das cartelas de venda da Embraer , de que adianta uma Embraer sem vendas , a realidade que está sendo posta é algo que requer este tipo de fusão.

  27. Essa história de joint venture até que é boa, mas, não tem como explicar o fato da boeing não entrar com nada e ter 80%, que se faça a JV mas no minimo 51% embraer, qualquer coisa diferente disso é uma compra disfarçada. E se for para comprar que se pague um valor decente

  28. Troodonte,

    Talvez a minha matemática esteje errada porque fusão nas minhas contas seriam 50/50.

    O que vai acontecer é explicável pela biologia. A Boeing (80%) vai fazer uma fagocitose na Embraer (20%).

    Não vão criar uma “terceira” empresa ou sim? Se for o caso, a então defunta Embraer vai entrar com 20% e sem direito a dar palpite. Não é isso.

    Essa semântica usada por êles (parceria ou Joint Venture) é para inglês ver. A Embraer está sendo vítima de uma chantagem comercial, porque ela é muito superior a Bombardier em tudo, e nem com a ajuda da Airbus seria páreo para a Embraer.

    A Airbus entrou com 51%. na Bomardier. Então me expliquem porque a Boeing vai entrar com 80%. na Embraer..

    Eu não sou homen de negócios, portanto desculpem a minha ignorância no tema.

    • “A Embraer é superior à Bombardier em tudo”, só que a Bombardier está vendendo mais que a Embraer, e com a Airbus junto vai vender mais ainda.

        • Imorais ou não, a realidade é essa.

          Ou será que os que estão aqui “exigindo” que o governo faça isso, o congresso faça aquilo, o supremo faça sei lá o quê, vão “exigir” que o governo canadense faça o que eles querem também?

      • Basicamente os subsídios de 2,5 USD Bilhões permitiram que a empresa “comprasse” participação no mercado vendendo à Delta Airlines aeronaves por uma fração do custo (~20 milhões usd/unidade).

    • Fusão é a junção de duas empresas, independentemente do percentual (pode ser 99% e 1%). Nessa hipótese, duas ou mais empresas se juntam e formam uma empresa só.
      No caso da JV, não é fusão, mas criação de uma terceira empresa. A Boeing vai pagar para ter 80% dessa 3ª empresa, enquanto a Embraer irá entrar com os ativos. A Boeing irá controlar essa 3ª empresa. A Boeing não irá controlar a Embraer. A Boeing vai entrar com 80% porque ela quer pagar isso (na verdade ela queria 100%) e a Embraer está disposta a vender 80% de sua área comercial. Compra e venda. Simples assim.

  29. Caramba, os editores estão tendo trabalho com os comentários hein, rsrs.

    Todos sabemos que a Embraer é uma empresa privada, mas temos que pensar: e se fosse a Embraer tentando comprar a Boeing? É óbvio que os americanos não iriam aceitar, com a famosa desculpa da “segurança nacional” (nada de esquerdismo nisso, mas apenas protecionismo).

    E outra coisa: quem garante que futuramente a Boeing não vai querer competir com o que restou da Embraer? Existe alguma cláusula ou qualquer coisa que seja que fale disso?

    Os supostos ganhos que a Embraer terá no futuro não vão sustentar a empresa. Se a Embraer já é pequena hoje (para os chatos: em comparação com Boeing e Airbus, que fique claro), imagine apenas com os dois setores. Juntando isso à falta de interesse do brasileiro (sim, pois temos que acabar com essa coisa de ficar culpando apenas o governo, quando o problema é sim o brasileiro), só vejo a futura “FBdeA”…

    Prefiro morrer lutando do que me entregar e morrer do mesmo jeito…

  30. Vejo que muita gente fala de reestatização da Embraer.
    Se as pessoas tivessem a mínima ideia das leis e normas que regem uma empresa estatal, não estariam propondo isso.

  31. O nome disto é ativismo judicial, e é um escárnio..

    A Embraer tem duas escolhas, fazer ou não fazer o acordo, é simples! E nos dois casos encarar as consequências no futuro. E as consequências são:

    1) Unir-se ou ser comprada pela Boeing e enfrentar a Airbus (que vai dentro de cinco anos engolir a Bombardier completamente) e outros concorrentes como a Sukhoi (SSJ 100), a Antonov (An-148), a Mitsubishi Aircraft (MRJ) e a COMAC (ARJ21).

    2) Ficar sozinha e enfrentar todos os concorrentes acima mais a Boeing. Daqueles apenas o ucraniano não deve levar medo a Embraer.

    O ponto fulcral é que mercado de aviação regional é o filão mais lucrativo no futuro, e os governos e empresas sabem disto. As variáveis centrais que vão determinar a evolução do mercado serão o financeiro e o geopolítico. Quem tiver mais poder econômico e político vai conseguir mais Market share, quem não tiver vai ser jogado para fora.

    O maior mercado atual para jatos regionais é a Ásia, e todos os principais fabricantes para poder vender seus jatos vão precisar de três coisas: governo que tenha importância internacional, dinheiro em caixa para financiar a venda e dinheiro para desenvolver novos projetos cada vez mais caros. Nos três itens o Brasil perde feio. Não tem importância geopolítica alguma, não tem dinheiro para financiar a venda de aviões e a Embraer não tem dinheiro em caixa para financiar projeto cada vez mais caros.

    Em suma, ou a Embraer é pensada racionalmente ou vai virar uma futura Fokker, ou seja, vai ser jogada para fora do mercado. Só vai sobrar para ela o mercado de defesa (a depender principalmente do governo brasileiro) e de jatos executivos. A consequência vai ser perda de empregos e importância comercial.

    O resto é mimimi ideológico. No mundo real o que vale é poder político e econômico.

  32. Pelo que me explicaram em cima, vamos ter três empresas nessa JV.

    BOEING + EMBRAER = ? (Terceira empresa) como será chamada essa nova empresa?

  33. E olha que ainda é só um MoU (Memorando de Entendimento), não tem nenhum documento oficial ainda!!!

    Acho que o MPF deveria , data venia, cuidar da Lava a Jato!!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here