Home Aviação de Ataque Senado dos EUA aprova proibição de venda do F-35 à Turquia

Senado dos EUA aprova proibição de venda do F-35 à Turquia

6515
168
F-35 nas cores da Turquia - concepção artística via Code One Magazine - Lockheed Martin
F-35 nas cores da Turquia – concepção artística via Code One Magazine – Lockheed Martin

O Senado americano aprovou uma importante lei de defesa que bloqueia a venda de jatos de combate F-35 para a Turquia, a menos que ela abandone um acordo para comprar sistemas de defesa antimísseis S-400 da Rússia.

A legislação, aprovada em 18 de junho por 85-10, também contém uma provisão para bloquear o acordo do presidente Donald Trump com a China para permitir que a gigante das telecomunicações ZTE permaneça no negócio apesar das violações das sanções dos EUA contra o Irã e a Coreia do Norte.

As duas disposições que visam a Turquia e a ZTE fazem parte do massivo National Defense Authorization Act, que autoriza mais de US$ 700 bilhões em gastos de defesa em armas e programas militares.

A Câmara dos Representantes aprovou sua própria versão do projeto, e as duas medidas devem agora ser reconciliadas antes que uma medida de compromisso possa ser aprovada e enviada a Trump para sua assinatura ou veto.

Tanto o Senado quanto a Câmara viram esforços bipartidários para impedir a venda do mais avançado jato de combate dos EUA à Turquia, um aliado da Otan que tem uma relação cada vez mais tensa com Washington.

A Turquia é atualmente um dos países parceiros no programa F-35 e tinha planos de comprar cerca de 100 dos jatos stealth, fabricados pela Lockheed Martin Corp.

O projeto do Senado impediria a entrega dos jatos, a menos que Trump certificasse que a Turquia não está ameaçando a Otan, comprando equipamentos de defesa da Rússia ou detendo cidadãos dos EUA.

Oficiais da Otan alertaram repetidamente a Turquia de que os sistemas russos S-400, que ela concordou em comprar em 2016, não são compatíveis com as defesas da Otan, mas a Turquia rejeitou essas preocupações e continuou com o acordo russo.

Legisladores dos EUA aprovando a provisão também citaram preocupações sobre os laços de Ancara com Moscou sob o presidente Recep Tayyip Erdogan e a prisão de cidadãos dos EUA e do consulado como parte de um expurgo de seus oponentes desde um golpe abortado contra ele em julho de 2016.

A provisão do projeto de lei do Senado para matar o acordo de Trump para permitir que a ZTE retome compras de empresas de tecnologia dos EUA para que ela possa permanecer no negócio não está incluída na versão do projeto, que restringe o Departamento de Defesa usando equipamentos ou serviços da ZTE ou da gigante chinesa de telecomunicações Huawei.

Republicanos e democratas expressaram preocupações com a segurança nacional sobre a ZTE depois que ela quebrou um acordo para disciplinar os executivos que admitiram uma conspiração para escapar das sanções dos EUA ao vender equipamentos sensíveis ao Irã e à Coreia do Norte.

Sob o acordo de Trump, a ZTE teria que pagar mais US$ 1 bilhão em multas pelas violações de suas sanções em troca de uma proibição anterior de compra de equipamentos de fornecedores dos EUA, que a empresa alegou que a colocaria fora do mercado.

A decisão de bloquear o negócio de Trump causou uma queda de quase 17 por cento no valor das ações da ZTE nos primeiros minutos de negociação na bolsa de Hong Kong em 19 de junho. As ações da empresa caíram cerca de 60 por cento como resultado do debate nos EUA sobre o seu futuro.

FONTE: Radio Free Europe

168 COMMENTS

  1. A Turquia sabe que é um aliado interessante tanto pro ocidente e pro oriente e vai continuar em cima do muro até quando der. Enquanto isso a OTAN já tá de saco cheio da ações ambíguas da Turquia, mas vai aguentar até onde der pra não entregar um país com uma posição tão importante no mapa no colo dos inimigos.

    • É muito bom estar em uma democracia ocidental elogiando consórcio autocrático/totalitário sino-russo não é!? Quero ver se mudar para um desses países…..

      • É mole defender comunismo morando numa democracia, quero ver defender o comunismo morando na Coreia do norte,Cuba,china(uma economia fadada ao fracasso por ser totalitária e dependente do estado). Quanto a Rússia tem até uma certa estabilidade, mas não tem como competir com os americanos. A Europa está perdida dentro do socialismo, se desintegrando como sociedade assim como o Brasil!

        • Quem defendeu o comunismo? Alias, eu não vejo os russos ou os chineses incomodados, pelo contrário, enquanto a europa entrou numa espiral totalitária esquerdista os eua seguem o mesmo caminho, só não conseguiram por causa da tradicional descentralização. Defender o “ocidente” é defender todos os valores antagônicos as tradições ocidentais. Isso é típico de quem nunca leu um livro e se guia pelas palavras de charlatões.

        • Está todo mundo vendo, na copa, que país lindo que a Rússia é. Eles têm total segurança, coisa que não temos aqui. E o povo é muito mais próspero que o Brasil. E você disse que a China, hoje a maior economia do mundo, é fadada ao fracasso? seu computador, seu celular e seu relógio provavelmente foram fabricados lá.

        • Se você for analisar a economia chinesa é mais aberta que a brasileira que é bem mais fechada e já fracassou e vai continuar fracassando se não houver uma reforma tributária/previdenciária/política!!

      • Eu amigo, ontem mesmo você estava defendendo que o establishment derrubasse o trump para defender “os próprios interesses e os interesses do povo”. Você não acredita em democracia, esse é só um espantalho que você criou para defender o globalismo.

      • HMS TIRELESS 18 de junho de 2018 at 17:31
        “Trump ainda não irritou o estabilishment de verdade! Na hora que isso acontecer ele ganha uma passagem só de ida para a Trump Tower ou Mar-a-lago afinal é para isso que servem as instituições, para livrar o Estado e o cidadão de estorvos guindados ao poder por maioria eventuais”

        E você ainda vem usar esse discursinho de “democracia’? Sério, ao menos tente fingir, porque é óbvio que você não tem propriedade e nem estudou o suficiente para sustentar seu discurso falso.

        • Trump é o sintoma do que está acontecendo com os EUA, tanto no campo interno quanto no externo.
          A perda de importância relativa com relação a outras potências que estão tomando a dianteira em diversos campos, o empobrecimento de grandes parcelas da população com uma colossal concentração de renda, dívida nacional estratosférica de US$ 21 tri (apenas as dívidas de estudantes universitários chegam a US$ 1,3 tri), déficits orçamentos dantescos (US$ 1 tri por ano) e etc. tudo isso está levando a este estado de coisas. E os arroubos de Trump não vão ajudar em nada. Pelo contrário. Só vão piorar e acelerar o processo de crise.

  2. Ainda há um longo caminho a percorrer até que a entrega dos aparelhos seja efetivamente bloqueada aos turcos. Depois do Senado o projeto de Lei precisa passar pela câmara dos representantes para por fim ser sancionado ou não por Trump.

    Então, ainda é cedo….

    • O processo legislativo americano não é igual ao brasileiro, especialmente no que tange à legislação orçamentária. A vedação foi incluída na aprovação do orçamento de defesa.

      • Tanto aqui como nos EUA a iniciativa da lei orçamentária é do chefe do executivo. Ele pode vetar emendas que tenham sido incluídas pelo legislativo.

  3. Nossa senhora!!
    A Turquia fora da OTAN e a Grécia vai nadar de braçada em investimentos e facilitação de aquisição de armamentos!

    • Quem é louco de permitir que a Turquia saia da OTAN Serjão!? Contudo acho que Erdogan ainda vai colocar o país em uma roubada de proporções apocalípticas.

    • Sérgio. O pior não é (só) a Turquia fora da OTAN. Será a posição extremamente enfraquecida que os EUA terão no Oriente Médio. Restou quem como aliado? Israel? Jordânia? Arábia Saudita ? (até quando?). O OM está mudando e em passo acelerado. A influência da Rússia e da China (que poderíamos estender até o Paquistão) está crescendo enormemente.

      • Não se esqueça do Egito, dos emirados árabes unidos, da Jordânia, do Iraque. Aliás, no OM os EUA são aliados de todos aqueles que, com armas, treinamento e apoio soviético, tomaram um cacete de Israel, três vezes, menos a Síria.

        Legal são os aliados russos: Cazaquistão, Síria e Irã hahahahahhahah

          • O que estamos vendo é não apenas a posição de Israel cada vez mais robusta como também os planos dos seus inimigos, especialmente os persas, fracassando. Não é à toa que aquele sub do sub do clero estava tão nervoso.

            Em tempo: Israel ataca cada vez em mais profundidade na Síria. Essa semana atacou perto da fronteira do Iraque matando doze combatentes xiitas e destruindo infraestruturas do seu mesmos.

  4. Cada vez mais arriscado fazer negócios com o EUA hein. O cliente perde toda a sua futura liberdade de escolha. Olhos bem abertos Brasil…

    • Falar dos expurgos que acontecem na Turquia e do genocídio contra os Curdos você não quer, né?

      A culpa é dos EUA por não querer dotar um país volátil com um caça de última geração.

      • 1ª Que expurgo acontece na turquia? A turquia viveu um golpe de estado armado pelos governos globalistas que querem que os responsáveis por matarem pessoas covardemente, inclusive usando apaches contra civis desarmados no chão, sejam anistiados. 2ª Os curdos são terroristas que tentam desanexar metade do território curdo para constituir um estado comunista, até os próprios eua os consideram terroristas e usam o ypg de fachada para financia-los, assim como usam do mesmo artificio para financiar outros grupos inimigos numa “aliança de conveniência”. 3ª Volátil são os eua que embargam e mudam contratos ao sabor da politicagem interna, o brasil já sentiu esse gosto amargo várias vezes, eles não são parceiros estáveis, todo mundo sabe muito bem disso.

        • Erdogan vai fazer igual na guerra da Bosnia e na Guerra de Kosovo.
          A simples mençao de criacao de um estado independente do Kurdistao ja vai ser motivo para que o “Sultao Otomano” comece a limpeza “etnica”.
          Aí nós veremos como vai ser a reacao do Ocidente. Veremos se o Ocidente vai considerar isso “limpeza etnica” igual na Bosnia e Kosovo ou “combate ao terrorismo”.

          Estao criticando os partidos curdos que pegam em armas e dizendo que sao apenas “terroristas” mas vale lembrar que antes da independencia Israel tbm pegou em armas usando ate msmo da pratica de atentados terroristas na sua luta.

  5. É um tiro no pé. Essa centena de jatos que deixará de ser exportada para a Turquia vai mexer e muito na equação financeira da LM e, por tabela, aumentar o preço do F-35 para os EUA. Literalmente, é o preço que se paga por uma posição geopolítica.

    • Poggio, acho que não querem cometer o mesmo erro do que aconteceu com o Tomcat no Irã, e olha que em relação ao F-35 o buraco de sensibilidade tecnológica é mais embaixo. Mas acho que ainda muita água irá rolar por baixo dessa ponte. Pode ter certeza que do outro lado, o Putin já está dando cartadas por baixo dos panos. Se a Turquia se comportar bem, vai lembrar muito o governo Vargas durante a política pendular, e ainda por cima sem uma Guerra Mundial fungando no cangote para acelerar ainda mais o processo decisório. Ele vai jogar com o tempo e tentar obter o máximo de vantagens possível, mas acho que no final das contas, vai acabar entrando na linha com a OTAN, mas com vantagens em relação à aquisição de equipamentos e fortalecido internamente.

      Então espero que ele não exagere no drama, porque o Trump não tem o pavio longo como Obama tinha.

  6. Mega bloco China, Rússia, Índia, Irã, Paquistão, Turquia e outros…, acho que a escalada de poder nas mãos das potências orientais so tende a aumentar, lamento muito não termos um governo forte e com compromisso nacional para aproximar o Brasil estrategicamente de China e Rússia, ja ia me esquecendo, Arábia Saudita se alinhando com a Rússia na política de preço do barril de petróleo, a queda dos EUA vai ser melancólica…, enquanto isso em Israel até ministro de estado entregando informações estratégicas para o Irã

      • __________________, “uzbriqui” foi apenas e tão somente uma sigla criada por um banqueiro para orientar o fluxo de capital especulativo. Nunca foi um bloco coeso e apenas foi levado à sério pela malfadada “diplomacia dos atabaques” do governo passado. Ademais o nosso papel no bloco seria secundário, caudatário, seríamos o fazendão de China e Rússia apenas fornecendo matéria prima e servindo de massa de manobra quando nos embates do consórcio autocrático/ totalitário contra os EUA.

        Outrossim nem precisou o atual governo “torpedear” o bloco pois ele mesmo afundou na própria irrelevância.

        COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O RESPEITO AOS OUTROS COMENTARISTAS

        • não concordo, absolutamente, mesmo entendendo que o dito BRICs não tem futuro nenhum como aliança ou bloco econômico , eu o defendo como mais uma vetrine geopolitica, uma ferramenta onde procurar apoio para influenciar as instituições de governança global. É uma das tantas que o Brasil pode e deve usar, não única, não a melhor, apenas uma opção a mais , como jogo de diplomacia, é claro que esse eixo é inexistente e insustentável pelas diversidade e divergências, mas como disse, com inteligência pode ou poderia ser utilizado para pressionar influenciar outros aliados ocidentais e obter mais vantagens ou mesmo como vetrine. Em politica externa nao existe t abu nem preconceito . Eu pessoalmente considero também um outro fórum que seria bacana reforçar e intensificar os esforços: o IBAS. São três países democráticos, com problemas sociais e políticos semelhantes, com grande potencial mesmo com vários defeitos estruturais possuem no próprio aparato de produção campeões e excelências reconhecidas mundialmente e todos os 3 procuram se afirmar e consolidar. Esse realmente poderia ser um eixo mais sólido e menos desequilíbrado.

        • Sem contar os contatos recentes entre China e Índia em diversos setores, mas principalmente na economia. Li, recentemente, que os dois podem até criar um consórcio para compras conjuntas de petróleo no exterior.
          Já imaginaram?

    • Creio que esse mega bloco não vai sair, Índia e Paquistão nunca estariam no mesmo bloco, China e Índia dificilmente. Suplementando, o Irã e o Paquistão tem problemas por causa do estado com base xiita iraniano enquanto o Paquistão é sunita e sempre fomentou converter xiitas ao sunismo, sem contar que os balochs, um dos povos que formam o Paquistão e possuem uma insurgência por lá, são uma etnia iraniana, não sei se isso é outro ponto de distensão na relação entre eles, uma vez que os balochs também querem a reunião dos seus territórios dentro do Irã. Além disso a Turquia e o Irã tem histórico de mútua agressão quando impérios, se o nacionalismo crescente turco resolver reabrir essas questões é outro ponto de disputa, sem contar na presença dos azerbaijanos no Irã que configuram a segunda maior etnia no Irã, são de origem túrquica e buscam unificação com Azerbaijão(, a Turquia como o maios poderoso país túrquico, apoia o Azerbaijão. Esse bloco tem alguns países que se opõem muito e vários pontos que facilmente gerariam disputas, diria que muito dificilmente sairia da imaginação.

      • Isso sem contar que recentemente a Índia tem dado indícios de uma aproximação ao ocidente. Além de que se for para considerar em bloco deve-se considerar que os EUA não estão sozinhos, seu bloco é a OTAN (da qual a UE que é o maior PIB do planeta faz parte), o Japão, a Coreia do Sul, Israel, Arábia Saudita, Colômbia e outros Estados sob sua esfera de influência.

  7. Em política e geopolítica as coisas não acontecem do dia pra noite, desde a derrota do Império Otomano na I guerra mundial o Ocidente apoiou governos no novos países do Oriente Médio que se alinhavam aos interesses ocidentais, Turquia, Líbano, Jordânia, Irã, etc, um a um estes países estão naturalmente se alinhando em oposição ao Ocidente, a Turquia foi um dos últimos dessa lista, desde que assumiu o poder essa era a meta do Erdogan, e ele está certo, é inteligente, racional e extremamente pragmático, está fazendo a Turquia crescer geopoliticamente e ele (assim como eu rs) é um saudosista do que foi o Império Otomano, que apesar de não se estudar nos livros aqui no Brasil, colocou as potências europeias várias vezes de joelho, até na I guerra tb com a catastrófica derrota inglesa em Galipoli, o Ocidente desesperado tentou o golpe em 2016, fracassaram, a Turquia Irã naturalmente e gradativamente seguir o rumo do Irã e se consolidar como potência regional e aliada ao eixo de poder China e Rússia

    • É evidente que a hegemonia econômica está se deslocando para o Oriente, e a China será a protagonista desse processo. Não é à toa que os EUA estão estrebuchando. Mas, a marcha da História não pode ser interrompida e estamos assistindo essa mudança de guarda.

    • Erdogan “inteligente, racional e pragmático”? Meu amigo, a Turquia tem prazo de validade e Erdogan está rapidamente levando o país ao desastre. Aliás segundo alguns especialistas a economia turca até 2020 vai quebrar

      Já o Irã, não apenas tomou um bom corretivo da potência de fato por aquelas bandas (Israel) no mês passado como ainda por cima está incomodando à Rússia na Síria, tanto que Putin já declarou que os quer fora do país.

      _________________
      _________________

      COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O RESPEITO AOS OUTROS COMENTARISTAS

      • ‘da potência de fato por aquelas bandas (Israel)”

        Uma potência que recebe ajuda financeira para ter suas armas… Interessante.

        • A ajuda norte-americana corresponde a menos de 20% do orçamento de defesa de Israel, lembrando que também o Egito recebe ajuda similar dos EUA. E nos tempos da URSS os países árabes recebiam quantidades incalculáveis de armas de graça.

          E agora?

          • Prezado Tireless,

            A Jordânia também recebe ajuda similar.

            Na verdade os acordos de paz entre Israel e Egito e Israel e Jordânia incluem pagamentos anuais em dinheiro aos 3 , de uma verba exclusivamente para ser usada com equipamentos militares , embora o montante que cada país recebe seja diferente.

  8. Já ia me esquecendo de outro grande momento do Império Otomano, o cerco a Viena em 1683, o exército mulçumano do Sultão era na época considerado o mais poderoso do mundo, as melhores peças de artilharia (que por sinal os canhões modernos fundidos em uma peça so ao invés de vários anéis foi tb uma invenção otomana)

      • Antonio

        Perfeito.
        Vlad Tepes segurou os Turcos pelo tempo necessario para que a Europa pudesse se organizar. Graças aos esforcos de Vlad e da Wallachya a Europa nao se tornou Otomana.

    • Isso tem 335 anos Rubinho! de lá para cá o último momento de glória dos Otomanos foi em Galipoli. Depois disso foram apenas derrotas e humilhações, e se colocarmos os árabes na jogada a surra é ainda pior pois perderam quatro guerra contra Israel.

        • Entende o presente e sabe que no futuro mais derrotas esperam os árabes e os Otomanos, especialmente se se meterem a besta com Israel. Os Persas que o digam, até agora não conseguiram superar a humilhação…rs!

          • Se vc não tivesse cabulado as aulas de História, saberia que os persas já ocuparam a Palestina, assim como os assírios, egípcios, macedônios, romanos, otomanos e muitos outros povos. Ali é local de passeio.
            Periga até dos aiatolás reclamarem este território, visto os registros históricos de sua posse bem antes de Cristo.

    • Getúlio Vargas dos 19 anos que esteve no poder 15 deles o foram como ditador. Também é o único presidente brasileiro diretamente envolvido na morte de uma pessoa (Olga Benário, Judia, comunista, grávida e indefesa, entregue aos nazistas para morrer em um campo de extermínio) e sua ditadura, o Estado Novo, matou mais pessoas que a ditadura militar de 1964 a 1985. Para piorar era fascista e teve que aceitar a presença norte-americana no país na II GM depois que FDR ameaçou invadir o Nordeste.

      E perdeu o poder duas vezes. Na primeira foi derrubado por um golpe de Estado e na segunda covardemente se suicidou com medo de enfrentar um impeachment em virtude do seu governo ser um verdadeiro “mar de lama” nas sábias palavras de Carlos Lacerda. Se esse for o fim do Sultão turco é bom que ele seja o Getúlio Vargas. Particularmente eu discordo, acho que ele terá um fim humilhante ao estilo que Gamal Abdel Nasser teve.

      • Caro Colega. Parece-me um erro analisar o passado a partir da ética e moral do presente. Sugiro a biografia de Getúlio escrita pelo Lira Neto. É um excelente ponto de partida para compreender o contexto da revolução de 30 e o fim da República Velha e compreender o significado do Estado Novo no período pós-crise de 29. Alguns colegas aqui do blog escreveram excelentes dissertações sobre a FEB que ajudaria a entender as razões que levaram o Brasil a enviar tropas à Europa contra a Alemanha.

        • Perfeito comentário. Inclusive no que diz respeito à análise baseada na ética e moral do presente. Sem contar os intelectuais de Google que temos atualmente. Sofrível.

  9. Já apareceu o pessoal com as ideias de “blocos”? kkkk
    Todo mundo contra o ocidente malvadão, principalmente a Apple na China. Sei!

  10. Excelente noticia. Jamais deveriamos vender armas estratégicas aos inimigos do Ocidente e de Israel.

    Até que enfim Republicanos e Democratas coincidem em proteger os interesses nacionais.

    Turquia deve ser banida da OTAN.

      • Na verdade uma Turquia anti-ocidental é tudo que os EUA e Israel mais temiam.
        Erdogan tem demonstrado apoio aos palestinos e defendendo a volta deles a Jerusalém.

        • Uma coisa é os palestinos quererem, outra é conseguirem…..

          Os árabes e aliados já perderam quatro guerras contra Israel e mais recentemente os persas tomaram um poderoso corretivo que os fez se retirar com o rabinho entre as pernas. E se Erdogan se meter a besta periga Ancara virar um aterro radioativo.

          É como eu digo, a vida dos inimigos de Israel é tremendamente infeliz já que se trata de um caso de amor permanente com a derrota e não raro com a humilhação. Os persas que o digam….

          • Israel depende, única e exclusivamente, de dois fatores:
            1) A benevolência americana;
            2) A paciência russa.

            E dê-se por satisfeito.

          • Israel discorda, tanto que está atacando os iranianos como bem quer, para desespero dos seus odiadores…rs!

            O próximo!

          • Mais ou menos, Antonio. A relação EUA-Israel é benéfica para ambos e dificilmente irá mudar. E mesmo no campo militar, os judeus estão desenvolvendo projetos próprios que são revolucionários. Quanto à Rússia, coitada . . . Perdeu o posto para a China, enfrenta uma série de problemas econômicos e está atolada até o pescoço na Ucrânia e na Síria. Ainda acha que vão procurar problemas com Israel? Seria um péssimo negócio e os russos sabem disso.

  11. O bom e necessário ao Brasil é fortalecer todos os laços continentais com os Estados Unidos, comerciais, militares e tecnológicos.
    Temos que ser um aliado forte dos Americanos, evidentemente com gestores competentes para defenderem o interesse do Brasil.
    Temos que mudar essa ideia de ser um quintal do uncle sam, e sim parceiro confiável, entrar na Otan e apoiar ações americanas. Veremos quais as contrapartidas.
    Devemos ter laços fortes e permanentes com que domina o globo e em breve o espaço.
    Aliás, manda uns 40 desses F. 35 pra cá.

    • Pelo que vimos na reportagem, temos impossibilidades físicas, químicas e transcendentais: Ser aliado dos EUA com gestores que defendam interesses nacionais.

    • Os EUA não procuram parceiros, até a Inglaterra (que é a “mãe” deles) os americanos procuram subjugar e tratar como um satélite, uma parceria com Rússia e China renderia muito mais ao Brasil

      • Só que isso ficou escrachado demais nos dias de hoje. O mundo está percebendo isso.
        Até a Europa está ‘escabreada’ com os EUA e parece que a situação está tomando contornos insuperáveis.
        Melhor assim.

      • A “parceria” que a China propôs ao Brasil foi o nosso amado bananão virar a fazenda deles, apenas fornecendo commodities baratas…

        Isso é que “parceria” não é Camilinho? a famosa “Caracú”

      • A parte mais engraçada é que em todos os comentários nesse blog só tem gente que defende o Brasil ser ou submisso aos Americanos ou a Russos/Chineses. Nunca ninguém comenta em por exemplo o Brasil se desenvolver a ponto ser independente de outros países, de não ser submisso a ninguém. Elogiam que a UE ta “acordando” em relação ao Americanos e Ingleses ao mesmo tempo em que defendem que o Brasil se submeta aos interesses Rússia/China, como se esses fossem os senhores bonzinhos do mundo que só visam ajudar seu aliados e nunca seus próprios interesses.. Sempre ou defendem o Brasil lambendo botas dos Americanos ou lambendo botas dos Russos e Chineses. É o complexo de vira-lata no seu mais alto nível, tanto de Russófilos quanto de Americanófilos.

        • Pois é, o Brasil deveria fazer como a Suíça e a Suécia nas guerras mundiais, alisar os aliados por um lado, e o eixo pelo outro. Enquanto os trouxas se digladiam pelo poder, nós lucramos com a venda de suprimentos.

        • Pois é, Thy.

          E vai ver se lá na Rússia ou EUA eles reproduzem este tipo de comportamento…

          Lá eles são nacionalistas até o osso. Qualquer casebre tem uma bandeira e ninguém debocha disso, muito pelo contrário, têm orgulho. Aqui ser nacionalista é feio, é ridículo.

          Tem gente aqui que gostaria que o Brasil fosse um vagãozinho de commodities da Rússia/China. Já outros disseram que não se importariam de (literalmente) falar inglês caso o Brasil fosse invadido pelos EUA.

          Claro, nem todos esses comentários devem ser levados ao pé da letra por sua forma, mas o que eles querem dizer pelo conteúdo é uma coisa lamentável.

    • O Brasil não ganha nada ao se alinhar automaticamente a qualquer país. Os Brasil deve ser independente a se alinhar aos bons acordos e práticas mundiais.

  12. Os russos ajudaram muito os programas espaciais da China e Índia, evidente que estes países tb fizeram a sua parte, o Brasil até no período governado pelos militares que simpatizavam com os EUA, oque os EUA forneceram ao Brasil ? Boicotaram tecnologias nas mais diversas áreas, os russos vendem aviões para a China, os chineses copiam e nem sanções a Rússia aplica rs
    Sobre a Apple, ano passado a Xiaomi ultrapassou a mesma e agora ja e a segunda maior fabricante de smartphones do mundo

  13. Mania de muita gente achar que o Brasil tem que estar aliado(submisso) aos EUA ou outro país ou bloco.
    Em Pernambuco tem um ditado que dia que” “Quem nasce com alma de cachorro, só é feliz quando tem um dono para balançar o rabo”.

    • Conheço bem esse ditado, vale para muita gente….
      Nascer uma única vez e ainda ter alma de cachorro é triste…
      Eu vejo muitos Stephen’s por aqui, que pena

      • O único problema é que em relações internacionais muitas vezes é interessante participar de blocos para poder salvaguardar alguns interesses em uma posição de força.
        Nem que seja o Movimento dos Não Alinhados.
        Caso contrário, pode acontecer do país ser jogado em um tanque cheio de tubarões.

  14. Temer como gesto de boa vontade para a futura aliança tecnológica EUA-Brasil vai entregar a Embraer para os americanos, resta a nós aguardar a contraparte americana.

    É só esperar que o desenvolvimento tecnológico do Brasil VEM.

    Falando sério agora, todo mundo quer estar ao lado do mais forte,é o natural, MAS talveeez eles não nos enxerguem da mesma forma que gostaríamos de sermos vistos por eles.
    Esse é o grande problema, como os EUA nos enxergam?,Será que é com benevolência? Será que quem o engrandecimento de um país do nosso porte?, Lembre-se que os EUA estavam realizando espionagem numa de nossas poucas empresas de sucesso (até a época) e só sabemos disso porque um Subcontratado da CIA (Snowden) vazou, imagine quantas espionagens e sabotagens são realizadas e nós não sabemos?

    Por fim, sempre que eu vejo um brasileiro querendo uma aliança ou estreitamento com os EUA supondo que eles querem o seu melhor eu me lembro do personagem “Stephen” do filme “Django livre”.

    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQzj9qrWmSrMOR8_3Y-3ZUDJxXIaIi61tW6Ar5WjiTHSbCBBTV5

    • E o que você acha que teríamos em uma aliança com China e Rússia? Você realmente acha que eles iriam nos tratar com igualdade? Sinto muito mas não é assim! Na verdade a relação que China e Rússia querem do Brasil é a de mero fornecedor de matérias primas e no caso dos chineses um mercado dócil para os seus manufaturados. Você acha que temos alguma chance assim?

      Outra: você realmente acha que China e Rússia não nos espionam?

        • Não sabemos? Quem nos rebaixou à condição de fazendão para fornecer commodities foi a China e não os EUA, que por sinal compram muito mais bens de alto valor agregado do Brasil do que China e Rússia juntos…

          A propósito, um cidadão russo foi surpreendido tentando invadir o CIGS em Manaus. Amadorismo é isso….

          • Muito menos a China, que apenas quer explorar os países do terceiro mundo! Mas há quem goste de ser explorado, deve ser síndrome de Estocolmo….

          • ‘’Muito menos a China, que apenas quer explorar os países do terceiro mundo! Mas há quem goste de ser explorado, deve ser síndrome de Estocolmo….’’
            ‘’ em nos rebaixou à condição de fazendão para fornecer commodities foi a China e não os EUA,’’

            Jesus cristo! É uma cegueira inacreditável, como se os países europeus e os EUA não fizessem exatamente isso durante séculos, é com imenso desprazer que irei responder, caso o Sir Tireless não tenha conhecimento de nossa vergonhosa história econômica, o Brasil sempre foi um patético exportador de commodities, o único período em que o brasil foi ‘’industrializado’’ (usando aspas mesmo) foi durante o ‘’milagre economico’’ , que diga-se de passagem foi bem rápido e levou o nosso pais ao status de mais endividado do mundo na época.
            Não culpe a China por sermos uma mera colônia exportadora de grãos e minério, é isso o que sempre fomos, muito antes da China se tornar relevante e goste você ou não, sem os chineses comprando e bolhando todas essas commodities nós não teríamos ‘’enriquecido’’ como aconteceu com a nossa economia nesse seculo.

            Eu recomendo ler:

            https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_industrializa%C3%A7%C3%A3o_no_Brasil
            https://pt.wikipedia.org/wiki/Milagre_econ%C3%B4mico_brasileiro
            https://www.nexojornal.com.br/explicado/2016/03/31/As-commodities-e-seu-impacto-na-economia-do-Brasil

            AVISO DOS EDITORES. A DISCUSSÃO DESVIOU COMPLETAMENTE. FOQUEM NO TEMA PRINCIPAL DA MATÉRIA.

          • Com todo o respeito, vocês estão mostrando perspectivas muito limitadas sobre relações internacionais.

            Nem a China transformou o Brasil num fazendão propositalmente nem os EUA estão de todo errados em salvaguardar sua tecnologia.

            Cabe lembrar que há poucas décadas atrás a China tinha uma economia pior que a brasileira, hoje joga de igual para igual com os maiores do mundo globalizado.

          • Meu caro Matheus, como eu disse anteriormente o apreço de alguns coma China deve ser síndrome de Estocolmo. Ou então muita arenga no DCE….

            Como eu afirmei, por menos santos que sejam os EUA compram do Brasil mais produtos com alto valor agregado do que China e Rússia. Ou você vai ignorar que o maior mercado para os E-Jets da EMBRAER são justamente as Feeders norte-americanas. Enquanto isso os Chineses compram de nós commodities,quando compraram muito criaram uma bolha econômica aqui, quando a bolha estourou veio a recessão. E como disse o empresariado brasileiro ligado à indústria reclama, e com razão, da prática de Dumping pelos chineses…

            E nem vou falar do intercâmbio científico e tecnológico, especialmente nas universidades, que é muito maior com instituições americanas do que com chinesas.

            AVISO DOS EDITORES: A DISCUSSÃO JÁ FUGIU TOTALMENTE DO TEMA DA MATÉRIA. PRÓXIMOS COMENTÁRIOS FORA DO ASSUNTO SERÃO APAGADOS. LEIAM AS REGRAS DO BLOG:

            https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

      • Não entendo essa sanha que algumas pessoas tem com a Rússia. De certo compartilham do mesmo sentimento dos próprios russos de que estão destinados a ser “o grande poder mundial”. Com a China ainda se compreende, pois de fato caminha para ser uma grande potência, mas o que a Rússia tem além do seu arsenal nuclear? É um país economicamente limitado e com uma população que tende a encolher cada vez mais.

      • ‘’ Na verdade a relação que China e Rússia querem do Brasil é a de mero fornecedor de matérias primas’’, E Qual é a diferença para os EUA, quando os mesmos estiveram interessados em nosso desenvolvimento?, você é extremamente contraditório, tem uma língua afiada para falar do ‘’Eixo do mal’’, mas se esquece que tudo que você acusa o ‘’Eixo’’ de fazer os EUA idem, mas para o ultimo você se recusa a enxergar e reconhecer alguma falha da estratégia deles conosco (do ponto de vista de nosso desenvolvimento) por que é a eles que aparentemente prefere você tratar como ideais .
        A Rússia também é uma grande fornecedora de matérias-primas caso não saiba, bem distante do Brasil e com pouco comércio entre os dois para eles pouco importa nosso estágio de desenvolvimento mas se tiver dindim eles te ajudam numa boa e não vão ficar te embargando isso e aquilo e fazendo pressão para outros países fazerem o mesmo, já a China, a maldadade em forma de nação, vou falar no comentário abaixo.

        AVISO DOS EDITORES. A DISCUSSÃO DESVIOU COMPLETAMENTE. FOQUEM NO TEMA PRINCIPAL DA MATÉRIA.

        • Meu caro, com todos os problemas na relação os EUA ainda são o país que mais compra do Brasil bens de alto valor agregado, a EMBRAER que o diga! Bem diferente dos chineses, que basicamente compram de nós matérias primas. Não é à toa que o empresariado nacional do setor das indústrias reclama tanto.

          AVISO DOS EDITORES. A DISCUSSÃO DESVIOU COMPLETAMENTE. FOQUEM NO TEMA PRINCIPAL DA MATÉRIA.

      • ”você realmente acha que China e Rússia não nos espionam?”, Você me magoa supondo uma ingenuidade dessas, é obvio que essas potencias nos espionam, sempre espionaram, mas quem possui maior capacidade de espionagem?, quem tem tradição e é dona das gigantes de TI que controlam e sabem sobre nós cada vez mais?, quem montou o maior esquema de espionagem da história, Que levou a vários anti-comunistas pirados a acreditarem que toda essa espionagem tem como objetivo instaurar um ditadura comunista??, Sua comparação é muito assimétrica.

        Sobre esse espião russo eu tenho duvidas, que tipo de espião invade um centro guarnecido a plena luz do dia?, O que tem super relevante nesse centro? Porque enviar alguem da russia que não fala português quando podia ter pago algum BR pra isso, os satelites nao dao conta de fazer reconhecimento?.
        Muito amadorismo até demais, para uma organização que supostamente colocou o Trump na posição de pessoa mais importante do mundo, é surreal.

        • “O que tem super relevante nesse centro?”

          É isso que dá somente querer saber de Rússia e China. Se você realmente conhecesse as instituições do Brasil, inclusive o EB, saberia o que é o CIGS

  15. Pessoal,

    A Turquia comprou o S-400. Com o F-35 ela teria o laboratório perfeito para testar as fragilidades de cada um. O problema é que os americanos teriam demais a perder já que injetaram mais de US$400 bilhões até agora no Lightinig e vão injetar até o final do programa ao todo US$ 1 trilhão.

  16. Tem posts que são mais torcida que qualquer coisa, uns torcem para os Americanos enquanto outros torcem para os Chineses ou Russos, cada um acha que o seu escolhido é melhor que o outro, só que esquecem que moramos no Brasil, esquecem que a China, Russia ou os EUA estão pouco se lixando com os brasileiros. Vejo muitos não defendendo ideias, postando análises ou informações úteis, mas sim defendendo de forma infantil a sua posição, custe o que custar.

    Quanto ao F-35, dia 21 os caças serão entregues aos Turcos, tudo bem que ficarão nos EUA para treinamento mas alguém aqui acredita que não serão entregues? Dei uma lida nas noticias da aprovação do NDAA e o que eu entendi é que o Senado emendou (não alterou) e deseja que o Estado americano de algumas garantias (tanto o sistema S-400 quanto a liberação de mais um maluco americano preso na Turquia), coisa de político para poder negociar os seus termos.

    • Você sabe como funciona o processo legislativo? Pois é…..

      Pode ter certeza que daqui a 2 dias os turcos vão receber os aviões….

  17. Não vejo tal democracia para a Turquia ter liberdade de comprar o sistema de defesa apropriado para eles? Democracia só existe se você obedece a ordem de Washington.
    O mais perigoso ainda é a mania do governo dos Estados Unidos de não respeitar o acordo assinado. Eles rompem acordo qualquer hora que eles ficam zangados com qualquer coisa.

    Já que Turquia resolveu comprar sistema de defesa S-400 Russo, já começaram a campanha de demonização de a Turquia. Haja paciência!.

    • Seu “argumento” foi o mesmo que a “diplomacia dos atabaques” usou para tentar emplacar a venda do Super Tucano ao “cúmpanhêro” Chávez……

      • Por mim teriam vendido até para o EI. Não importa para quem se vende armas, o destinatário é que é responsável por o que irá fazer com a arma, não quem vende.

  18. Se de fato os EUA cancelarem a venda a Turquia seria ressarcida do valor já investido no F-35?
    Será que a Turquia sem a opção do F-35 investiria no Su-57? Seria muita reviravolta caso a Turquia ajudasse a Rússia a terminar o projeto do Su-57, já que a quase 3 anos atrás a Turquia abatia um Su-24 da própria Rússia.
    Isso só mostra que de fato existe o fator político e o lobby.

    • Maurício. 19 de junho de 2018 at 18:08 >>>

      Não foi Erdogan que ordenou abate do SU-24 Russo. Foi uma ala radical da Força Aérea da Turquia influenciada pelos EUA. Foram esses que tentaram dar golpe em Erdogan em 2016.

      • “Ala radical da Força Aérea Turca”? então na força aérea turca todo mundo faz o que quer? você já ouviu falar em hierarquia?

        Agora, a verdade sobre o abate do Su-24 é que foi ordenado pelo próprio Erdogan depois que os russos desmontaram um bem elaborado esquema de contrabando de petróleo das áreas do “califado” do ISIS levado a cabo por pessoas ligadas ao sultão de Ancara. Aliás, as fotos dos caminhões calcinados após o bombardeio russo viralizaram na internet.

        Quanto ao golpe, foi um auto-golpe de Erdogan para se perpetuar no poder.

  19. E os EUA seguem na sua trajetória de perder a credibilidade em acordos importantes. O que pode acontecer com isso? O dólar se esfacelar com o crescente bilateralismo, vai ficar difícil para o Tio Sam rodar a impressora para rolar sua dívida monstruosa. Se continuar assim os EUA voltarão para o século XIX, quando não tinham influência política nenhuma no mundo.

  20. Eu parto pelo simples princípio, quem fabricou o F-35 foi os EUA ou a Turquia ? Que eu saiba foi os EUA, se eles entendem que a Turquia não é mais confiável, então eles tem o direito de não vender para eles, devolve o dinheiro e que os turcos vão ser feliz no colo do urso pimpão!

    Tem uma galera que ainda não entendeu que a Turquia do Erdogan querem ser parceiros dos russos do Putin, esquecem já perderam os turcos para eles, o Trump pode levar o Erdogan pra jantar a luz de vela, dar flores, um colar de pérolas, mas ____________________

    O coração e o _________ do Erdogan já tem dono, e se chama Putin, portanto acredito que o senado americano fez o certo.
    ______________
    ______________

    COMENTÁRIO EDITADO. MODERE O LINGUAJAR, NÃO ADIANTA SE DESCULPAR ANTECIPADAMENTE.

  21. Se essa noticia for confirmada entao nessa questao eu acho que a decisao americana foi a mais acertada.

    Erdogan nao é de confiança e esta se tornando um tirano para o proprio povo ao implementar a sharia transformando a Turquia numa Teocracia Islamica.

    Por outro lado tbm seria bom se Putin evitasse fornecer o S400 para um tirano que poderia se voltar contra ele caso viesse a promover futuramente o fundamentalismo islamico nas republicas do caucaso que fazem parte da Federacao Russa.

  22. Bom, a Rússia agradece. Ela não só enfraquece a OTAN com o afastamento cada vez maior da Turquia com os EUA, como ainda consegue um provável parceiro para o SU-57. Meio que sem querer, o Putin marcou dois gols (Desculpem, época de Copa).

  23. HMS Tireless
    “Quanto ao golpe, foi um auto-golpe de Erdogan para se perpetuar no poder.”
    É mesmo? Você tava lá nas fileiras do exercito turco? Manda umas fotos ai. Informações privilegiadas… Rsrsrs

  24. geopoliticamente é uma grande perda para os EUA e a OTAN, e uma grande vitória para a Rússia do Putin, mas quem escolheu ir para o lado de lá foi o Erdogan, era uma luta perdida, acredito que qualquer “agrado” que a OTAN e EUA fizer de nada adiantará, como eu disse antes, o coração do Erdogan é do Putin rsrs.. o senado americano está sim correto em barrar, se entregarem os F-35 para os turcos, ae será uma vitória em dose dupla para Erdogan e Putin, a não entrega dos F-35 será mais pra aliviar o estrago que é a perda da Turquia.

    • Fiasco mesmo é achar que o F-35 é um abacaxi voador. Os israelenses, que entendem um pouquinho mais de aviões de combate que você, discordam da sua opinião.

      E aí? Vai conseguir refutar a melhor força aérea do mundo?

  25. Bem-vinda ao grupo dos países soberanos e ao mundo multipolar, Turquia. Próximos passos: sair da OTAN, fechar a base de incirlik e negar o acesso da OTAN ao Mar Negro, lago russo.

    Quanto ao ex-Mar da OTAN, agora dividido com os russos e seu porto de Tartus, será reivindicado pelo Rússia. E China é convidada para a festa e vocês verão muita gente de olho puxado navegando no Mediterrâneo.

    Seja muito bem-vinda, Turquia.

  26. Erdogan parece sonhar com os tempos do Império Otomano. Não sei se ele planeja se aliar a alguém ou mesmo se seria um aliado confiável para quem quer que fosse.

  27. Não devemos esquecer que a Turquia través de suas industria já teve ou tem acesso a diversos equipamentos e partes estruturais do F-35. Neste sentido colaciono texto explicativo da participação turca no programa JSF (https://www.f35.com/global/participation/turkey-industrial-participation)

    Abaixo estão os detalhes sobre as 10 empresas turcas que apoiaram o desenvolvimento e / ou produção do F-35 / F135.

    • A Alp Aviation vem apoiando o programa desde 2004 e atualmente fabrica estruturas e montagens de estruturas de produção F-35, componentes de trens de pouso de produção e mais de 100 peças de motores de produção F135 para incluir rotores de lâminas integrados de titânio.
    • A Aselsan está desenvolvendo abordagens de manufatura para componentes ópticos avançados, que fazem parte do sistema de direcionamento eletroelétrico F-35. Eles também estão trabalhando com Northrup Grumman no F-35 CNI Avionic Interface Controller e iniciarão atividades de produção em larga escala no curto prazo.
    • A Ayesas atualmente é a única fornecedora de origem para dois componentes principais do F-35 – unidade de interface remota de míssil e tela panorâmica do cockpit.
    • Fokker Elmofabrica 40 por cento do Sistema de Fiação e Interligação Elétrica F-35 (EWIS) e também fornecerá e suportará o TAI com todos os sistemas de cabeamento da seção central. A Fokker Elmo também está desenvolvendo o EWIS para o motor F135, para o qual uma parte importante é produzida na Fokker Elmo Turquia, em Izmir.
    • Havelsan tem apoiado os sistemas de treinamento F-35 desde 2005. Além disso, Havelsan tem sido fundamental como líder turco para desenvolver a construção do futuro Centro de Treinamento Integrado de Piloto e Manutenção F-35 (ITC) e sistemas de treinamento associados na Turquia .
    • Kale Aerospaceapoia o F-35 desde 2005. Em conjunto com a Turkish Aerospace Industries, eles fabricam e produzem estruturas e montagens de fuselagem F-35. A Kale Aero também apoia a Heroux Devtek como o único fornecedor de origem para todas as três variantes do trem de pouso até conjuntos de trava. Além disso, a Kale Aerospace também estabeleceu uma joint venture em Izmir com a Pratt & Whitney e está fabricando hardware de produção para o motor F135.
    • A MiKES apoiou o Programa F-35 durante o SDD, fornecendo componentes e montagens de aeronaves F-35 para a BAE Systems e a Northrop Grumman
    • ROKETSAN e Tubitak-SAGEsão a equipe de liderança conjunta da Turquia que gerencia estrategicamente o desenvolvimento, a integração e a produção do avançado Míssil de Compensação (SOM-J) guiado por precisão que será transportado internamente na aeronave da 5ª Geração F-35. Além disso, a Lockheed Martin Missiles e a Fire Control firmaram uma parceria com a Roketsan, através de um acordo de parceria, para desenvolver, produzir, comercializar e vender em conjunto o avançado Míssil Stand Off – Joint Strike Fighter (SOM-J).
    • Indústrias Aeroespaciais Tártaras (TAI)tem apoiado estrategicamente o programa F-35 desde 2008. Atualmente, a empresa fornece hardware de produção para todas as aeronaves de produção F-35. Em conjunto com a Northrup Grumman, a TAI fabrica e monta as fuselagens centrais, produz peles compostas e portas de compartimento de armas, e fabrica dutos de entrada de ar compostos de colocação de fibra. Além disso, a TAI está fabricando estrategicamente 45% dos F-35, incluindo os pilões e adaptadores que são equipamentos de missão alternativa (AME).

    Além disso, a Indústria Turca terá papel significativo na Participação Industrial apoiando a Lockheed Martin e a Pratt and Whitney na manutenção de aeronaves F-35 e na produção e manutenção de motores F135. A Turquia recebeu a aprovação para construir seus próprios motores F135 e também foi selecionada para ter a primeira capacidade de recondicionamento do depósito regional do motor europeu F135. Tanto a produção quanto a revisão do motor ocorrerão no 1º HIBM em Eskisehir. Além disso, o TAI também foi designado para representar os depósitos orgânicos das Forças Armadas Turcas dentro do sistema de Manutenção Global Logística Autônoma (ALGS) e Havelsan foi designado como Integrador Turco para o Centro Nacional Integrado de Treinamento (ITC).

  28. Se o su-35 já custa 65 milhões de dólares o Su-57 deverá ser mais caro que o F-35.
    Alguns falam que o novo Sukhoi, quando estiver finalizado, deverá custar entre 100 a 120 milhões de dólares a unidade, mais os extras.

  29. Vão deixar de vender mais de 100 F-35? É um negócio de mais de USD 10 Bi! Acho que vão acabar chegando a um acordo e os caças serão vendidos. Não dá para imaginar essa proibição ir adiante. Algo parecido, pelo que eu me lembre, só o que aconteceu com os F-16 que seriam vendidos ao Irã, mas o Irã chutou o balde em um nível bem maior que a Turquia.

  30. O único aliado americano no Oriente Médio é Israel. A Turquia vai acabar entrando na mira da IDF por causa de seu apoio aos terroristas Palestinos.

    Os EUA acabam de se retirar da Comissão de Direitos Humanos da ONU, por causa do obscecado anti-sionismo praticado pela moralmente falida organização.

  31. Não é Trump que está querendo rasgar o acordo Delfim mas sim o congresso. Aliás quem pode fazer os turcos receberem seus aviões é justamente o homem laranja caso vete o dispositivo da lei que impede a entrega dos jatos.

  32. A Turquia vai se afastar dos EUA e Otan.
    Isso é inevitável.
    Pelo menos enquanto o Erdogan estiver por lá.

    Mas isso não significa que a Turquia vai ser aliada única dos russos. Turcos e Russos nunca se gostaram. Não vai ser agora que vão ser namorados fiéis.
    Vão ter relações comerciais mais próximas e nada mais do que isso.
    Existem “tumores malignos” do passado que impedem uma amizade íntima entre os dois países.

    O tal bloco Rússia, China, Índia, Paquistão, Irã e Turquia, que alguns citaram, é completamente impossível de ser composto. Uma insanidade pensar nisso.

    Índia e Paquistão são inimigos mortais. Que estão em guerra “pausada”. Jamais sentarão na mesma mesa.

    Índia e China são inimigos que tecnicamente estão em conflito em suas fronteiras. Só não vão as vias de fato pra valer por questões nucleares.

    Irã e Índia também se odeiam.

    Rússia e China jamais vão formar um bloco militar.
    Pelo simples fatos que nenhum dos dois países vai abrir a mão da liderança. Um tem medo do outro. E não confiam um no outro.

    Sem falar que Putin não é burro de abrir a Rússia pros Chinas.

    A última vez que um povo de olhos puxados veio do leste e entrou na Rússia, incendiaram Moscou. E se não fosse Gengis Khan cair do cavalo, literalmente, o Mongol seria hoje a língua oficial da “Mãe Rússia”.

    O que alguns desses países vão fazer será juntar forças pra tentar permanecer fortes. Ocupar mais espaço na divisão de poder global. E alguns vão tentar não diminuir…

    Os EUA vão perder o papel de “Potência Única”.
    Já sabem disso. Mas vão continuar gigantes.
    São e continuarão sendo uma potência econômica.
    E suas alianças políticas são muito fortes.
    Grã Bretanha, Canadá, Austrália e quase todos os membros do commonwealth são deles.
    Japão, Coreia do Sul, Filipinas, Israel e mais algumas dezenas de “anões diplomáticos” não conseguem sair debaixos das asas da águia.
    E a “ameaça vermelha” garante a Europa inteira no colo deles pelos próximos 100 anos. Franceses e Alemães esperneiam. Mas se o Urso rugir mais alto, vão correndo pedir ajuda pro Tio Sam.

    Gostem ou não, os Yankees nunca deixarão de ser protagonistas.

    Vai ser bonito de ver a futura “Guerra fria” entre China e Estados Unidos.

    Opa, acabei de contar pros amigos que não vai ser a Russia, e sim a China, que vai dividir o protagonismo mundial com os Yankees.
    Vai ter gente querendo se matar…

    • Há muitas verdades no seu texto mas também á incógnitas difíceis demais que você tentou prever.
      Acredito que a Rússia continuará sendo um grande player da geopolítica, não como China é EUA mas como o 3° poder, que convenhamos é muito mais que o Brasil será um dia.

    • Comentário quase perfeito. A Rússia sempre será o segundo player mundial, falando politicamente. Seu poder de influência global, assim como sua presença cada vez mais acentuada no leste europeu e oriente médio é cada vez maior. Não enxergar isso é miopia de uma assíduo telespectador dos filmes americanos da sessão da tarde. A Rússia é economicamente muito inferior aos Estados Unidos, porém sua mentalidade, tecnologia e estratégia é capaz de preeencher os vazios deixados pelas políticas desastrosas do ocidente. O tempo dirá quem é o país a contrapor a esta nova ordem mundial liberada pelos americanos e europeus.

    • Prezado Oráculo,
      .
      Foram tantos assuntos que vc abordou, que merecia uma garrafa de uísque pare emendar um bom debate noite a dentro. Mas como não será possível, me permita algumas observações.
      .
      “A Turquia vai se afastar dos EUA e Otan.”
      Sim, mas – tem sempre um mas – o afastamento será com o ocidente, começando pela Europa e passando pelos EUA na sequência.
      Sim, Erdogan é o catalisador, mas não é o único motivo.
      Os turcos – suas lideranças – vislumbram uma janela de oportunidade de retomar um pouco de suas ‘glórias’ imperiais do passado.
      .
      “Mas isso não significa que a Turquia vai ser aliada única dos russos…”
      Kakaka… Essa foi para massacrar os amigos russófilos.
      Mas gostei mesmo foi da expressão “tumores malignos”.
      Acredito que é necessário conhecer um tanto de história e, por que não dizer, geografia – física e humana – para entender os movimentos políticos, ou geopolíticos (para quem preferir), dos países e nações da atualidade.
      Depois, se tiver tempo, faço um resuminho histórico para apoiar seus argumentos.
      .
      “Índia e Paquistão são inimigos…”
      “Índia e China são inimigos…”
      “Irã e Índia também se odeiam.”
      Simples assim.
      Os problemas da Índia com os vizinhos já foram amplamente debatidos por aqui, sendo que com o Irã haveríamos de buscar um pouco mais longe, na formação histórica e religiosa dos países.
      Apenas um detalhe:
      Irã e Paquistão não são amigos, disputando influência no Afeganistão que é uma terrível encruzilhada – passagem entre vários mundos – da Ásia. Particularmente para o Paquistão que enxerga o território afegão como uma área de recuo estratégico frente a Índia, inimiga mortal.
      História e geografia, novamente.
      .
      “Rússia e China…” não existe e nunca existirá.
      Você está novamente certo.
      Eu, Colombelli e outros vem alertando que o Urso terá que, mas tarde, enfrentar o Dragão, com sua fome insaciável de espaço e recursos. A fronteira sudeste da grande Rússia, assim como algumas repúblicas satélites ao sul-sudeste dos Urais, aqueles “paísesquistão“, que estão na órbita de Moscou… por enquanto.
      Porém, olha o porém aí, discordo de sua afirmação de que “Putin não é burro de abrir a Rússia pros Chinas”.
      Infelizmente, por razões políticas e econômicas, inclusive populistas, o Kremlin, com Vladimir dentro, estão focados na Europa e em uma ameaça expansionista da OTAN, quando sabemos que os “eurobambis” (usando uma expressão do Juarez) não são mais os guerreiros do passado…, muito pelo contrário.
      A verdadeira ameaça de longo prazo à Rússia vem do “povo de olhos puxados”, como você mesmo escreveu.
      .
      “Os EUA vão perder o papel de “Potência Única”.
      Já sabem disso. Mas vão continuar gigantes.”
      Sim, é obvio.
      Novamente geografia – física e humana – para conhecer minimamento o gigantesco Estados Unidos da América, possivelmente a ÚNICA nação do mundo que pode se isolar do mundo, literalmente, e continuar existindo como potência.
      Porém, olha o porém de novo, vejo a situação de parceiros estratégicos dos EUA que você citou muitíssimo confortável em termos gerais, inclusive em torno da amizade entre os povos que transcende as nações.
      Porque “sair debaixo das asas da águia”, se é uma posição confortável economicamente, politicamente, militarmente e socialmente?
      TODOS eles tem ganho muito – econômica e culturalmente – com a comunicação com os EUA. Basta lembrar como estava a Alemanha e Japão em 1945, ou a Coréia do Sul em 1950.
      .
      Amigo, até a China ganhou com os ianques…
      Nós só não ganhamos por que somos tolos… ou coisa pior.
      .
      “…futura “Guerra fria” entre China e Estados Unidos.”
      Futura?
      Acho que já começou.
      O doido do Trump, com suas fanfarronices para o mercado interno, levou uma guerra subterrânea que os chineses levavam contra os ianques, sem reação desses últimos, para outro patamar, mais visível (comercialmente), com desdobramentos militares (demonstrações de força) e consequências imprevisíveis.
      .
      Forte abraço,
      Ivan, do Recife.

  33. Se eu fosse o Erdogan eu não sairia muito em público senão ele vai virar o JFK 2, ele vai receber o tradicional presente de quem ousa desobecer as ordens do Bastião da liberdade e democracia, também olharia o que tem na comida rsrsrs.
    A vida desse cara vai virar o inferno.
    Boa sorte Sultão! Vai precisar…

  34. Desta vez os Estados Unidos agiram certo. Estar sob o guarda-chuva da OTAN exige algumas obrigatoriedades, e a Turquia não cumpriu grande parte delas. A Turquia tem constantemente ameaça as tropas americanas na Síria e contrapondo o maior aliado do tio sam na região, que é Israel. Agora o que resta a Turquia é escolher um lado, que provavelmente seja a Rússia. Mesmo a Rússia não confia plenamente em Erdogan, que se mostra um líder falso e traiçoeiro .

  35. Se os EUA fizeram isso será um tremendo tiro no pé. Parte dos motores do F-35 europeu são feitos na Turquia e se confirmando a entrega deles será atrasada em anos! A Turquia provavelmente vai comprar briga devido ao crescente sentimento antiamericano e a personalidade do Edorgan de nunca se curvar ao exterior. O senado está jogando a Turquia no colo da Rússia e consequentemente colocando Ancara na órbita de Moscou. Senadores também estão pensando em aplicar a lei contra exportações de armas russas sobre a Índia, um tiro no pé maior ainda. Na Índia (devido a brutal colonização inglesa que matou milhões de indianos diretamente ou de fome) é muito sensível a qualquer influência na sua política externa! Tudo isso é culpa das lideranças geriátricas do senado como MacCain e Graham que acham que ainda estamos na guerra fria. Por estupidez, estão prejudicando os interesses dos EUA e facilitando a vida de Putin.

  36. Defensor da Liberdade ( 19 de junho de 2018 at 18:41 );

    Prezado… Não é assim tão simples…

    Uma arma de elevado padrão tecnológico e de grande potencial estratégico exige sim responsabilidade de quem vende, visto esta ter potencial para alterar o equilíbrio de poderes numa determinada região, o que pode redundar em disputas acirradas; logo fora do controle de qualquer orgão internacional…

    Agora… É claro que no caso dos turcos a questão é ainda mais complexa, haja visto que, tal como lembrado pelos colegas acima, a Turquia a parceira de peso no projeto.

  37. 100nick-Elã ( 19 de junho de 2018 at 21:04 );

    “Mundo multipolar…”

    Pode ser que tal fenômeno prossiga de momento, mas tenho que isso pode não perdurar para além da próxima metade deste século…. Há uma tendência para uma bipolarização cada vez maior entre chineses e americanos, com europeus, parcialmente fragmentados, não tendo outra escolha que não se agarrarem a esfera americana um a um, e os russos tendando correr por fora ( mas dependendo da benevolência de Pequim para encher as prateleiras de seus supermercados em tempos vindouros ).

    Os efeitos gerados por uma interação econômica cada vez maior, fizeram com que poucos países no mundo mantivessem alguma potencialidade de constituírem auto-suficiência, havendo uma especialização crescente das economias em cada região. Por isso que uma multipolaridade é algo que tende a não durar, a menos que muitos outros países importantes despontem como grandes economias com capacidade de sustentarem a si mesmas. E até aqui, somente se vê movimentações sérias nesse sentido ( que tem alguma chance de sucesso ) partindo de indianos e chineses, que tem ao menos um grande mercado consumidor em potencial e recursos humanos para se aventurarem a uma posição de dominância ( aliás, se fosse apostar em uma grande economia emergente para a segunda metade do século, com capacidade até mesmo de desbancar chineses no longo prazo, apostaria na Índia ).

    Turcos, no pior cenário possível para o Ocidente, manter-se-ão neutros, mas simpáticos aos russos…

    Está claro que Erdogan busca expandir a influência turca no âmbito regional, e por isso está estreitando laços com os russos, que vem expandindo sua influência no Oriente Médio. Mas é certo que isso é de momento… Está claro que o que interessa aos russos é o equilíbrio de poderes na região, e não propiciar o domínio de um dos atores. Daí que em algum momento, as visões turca e russa irão opor-se.

    Quando aos russos em si, resta evidente que contar com os turcos se mostra prático, haja visto estes guardarem o melhor acesso que eles possuem para as águas quentes do Ocidente. Manter os turcos no seu círculo, também pode fornecer um território amigo para apoiar operações em outros países de interesse russo.

  38. O importante é ter competência para lidar com os americanos, que continuarão a liderar o mundo por muito tempo ainda, queiram ou não.
    Pouco me importa o destino de rússia e china comunistas, que sem as armas nucleares seriam quase nada.
    O anão diplomático escolhe sempre o caminho da insignificância no grande xadrez geopolítico mundial: brics, alinhamento sul-sul, e por ai vai, acha que tem algo de importante a acrescentar ao mundo, mas é considerado risível e nada sério.
    Devemos mudar a mentalidade de um país fraco para um forte, com presença mais marcante no globo, sendo um aliado de primeira linha dos U.S.A. sabendo reivindicar de maneira apropriada o que nos interessa.
    Quem ousa vence.

  39. Não duvido nada se esse Trump não jogar areia no fornecimento dos motores pro Gripen do Brasil!
    Tipo assim:
    ” Compra o f-18 que agente fornece com o motor juntamente”! Rsrsrsr

  40. O Plano Brasil anunciou uma nova política de moderação em relação aos comentaristas. Deve ser o motivo dessa invasão aqui na trilogia.

  41. Antonio,

    O Edorgan pode apoiar os palestinos, ou qualquer outro povo terrorista do planeta, que não vai mudar nada.

    Jerusalem é a eterna capital de Israel. Ninguém, nem palestinos e nem iranianos irão roubar Jerusalem do povo judeu.

    AVISO DOS EDITORES: A DISCUSSÃO ESTÁ FUGINDO DO TEMA. MANTENHAM O FOCO NO ASSUNTO DA MATÉRIA

  42. Eu acredito que o Trump vai tentar salvar o acordo para posar de protetor dos empregos americanos, porém a situação desse acordo é dificíl, sobre o EUA quebrar acordos, parece até que estamos falando de uma compra de arroz, em vez da arma mais cara já desenvolvida na história da humanidade, logicamente eles não querem os Russos com conhecimento sobre o F35, qual a Assinatura radar, qual é o alcance do radar, como ficar melhor identificar ele, como funciona seu ataque eletrônico. como é as linhas do avião para que ele seja furtivo.

  43. Nossa isso está virando um PB, deixei de ler aquela porcaria por causa dos comentários fora do contexto, brigas e insultos. Peço aos editores que não deixem isso aqui virar “terra de ninguém”.

  44. Alguns comentaristas demonstram um desconhecimento tão atroz da realidade geopolítica atual que chego a pensar que a explicação é um entranhado ranço ideológico. De declarações infundadas (China destinada ao colapso?) à simples inverdades (Irã e Índia inimigos?), o debate está ao rés do chão. Senhores, é necessário sair da bolha informativa ocidental para entender as complexas relações político-comerciais que estão a pleno vapor na Eurásia, e Ancara já vê como inevitável fazer a “pivotagem” em direção ao eixo de poder eurasiano.

    O rompimento do contrato de entrega dos caças, se houver, será apenas um detalhe que marcará mais explicitamente o descompasso entre a palavra empenhada e a palavra cumprida que marca a atual administração americana, que parece focada unicamente em suas idiossincrasias políticas locais, abandonando a política do “é um fdp mas é NOSSO fdp” aplicada a Turquia.

    Não que as exigências de comunalidade de equipamentos da OTAN possam ser simplesmente ignoradas por um país membro, mas levar essa situação à uma quebra de contrato baseada em desconfiança (por mais que bem fundamentada) só mostra que os EUA falharam miseravelmente em prever/mitigar os desdobramentos do golpe que quase apeou Erdogan do poder.

    Os interesses dos EUA na região são inúmeros e diversificados, até mesmo conflitantes (como a “proxy war” do YPG patrocinada pelo EUA na Síria) e até há poucos anos não havia nenhuma fissura no muro de contenção de influências orientais construídos por eles. Não entregar os caças é apenas uma árvore nessa floresta de interesses conflitantes, mas os frutos dela, creio, serão um tanto amargos …

  45. Está vendo… É tem 4 anos que ouço no site que os, quando falam porque todos compram equipamentos ocidentais em detrimentos dos Russos, países são livres para comprar equipamentos Russos se quiserem… kkk
    Pura piada. É tudo em trono da geopolítica, tenho certeza que se pudessem vários países comprariam só caças da o Su 35s.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here