segunda-feira, março 1, 2021

Gripen para o Brasil

Marrocos negocia compra de caças Lockheed Martin F-16V

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

F-16C do Marrocos
Lockheed Martin F-16C do Marrocos

O anúncio foi feito com a máxima discrição há algumas semanas. O estado maior marroquino solicitou à Lockheed Martin a aquisição de mais doze caças F-16 Fighting Falcon para reforçar sua aviação militar. Em termos absolutos, os aviadores marroquinos gostariam de ter a versão F-16V Viper.

Atualmente existem 23 Lockheed-Martin F-16C/D Fighting Falcon Block 52+ em serviço no Marrocos. Desses aviões, seis foram até o mês passado envolvidos na guerra contra as milícias tribais no Iêmen. O Marrocos perdeu um de seus aviões em maio de 2015.

Mas agora é o Lockheed Martin F-16V Viper, a mais recente evolução do venerável Fighting Falcon, que os marroquinos querem comprar doze unidades, todas de monopostos. Aviões que permitiriam a esse país reequilibrar um pouco a balança regional no norte da África contra o vizinho argelino, fortemente equipado pela União Soviética e hoje pela Rússia.

Mas especialmente esses doze F-16V permitiriam que os marroquinos retirassem parte do seu Northrop F-5E Tiger II em serviço desde o final dos anos 1970 e que nunca foram modernizados desde então. Aeronaves atualmente difíceis de colocar em condições de voo, especialmente para missões de defesa aérea.

Tal aquisição de aeronaves de combate está, no entanto, sujeita a vários acordos diplomáticos e políticos americanos, incluindo aqueles relacionados ao Congresso. O chefe de gabinete da aviação marroquina negocia diretamente com as mais altas autoridades militares do Pentágono para inclinar a balança a seu favor.

O Marrocos é um dos aliados mais leais dos Estados Unidos no norte da África, com vários tipos diferentes de aviões e helicópteros projetados e construídos nos Estados Unidos em seu arsenal.
Uma lealdade que coloca em todos os aspectos lógicos a balança em favor do desejo de comprar o F-16V Viper.

Northrop F-5E do Marrocos
Northrop F-5E do Marrocos

F-16V
Lockheed Martin F-16V

FONTE: www.avionslegendaires.net

- Advertisement -

67 Comments

Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alex Nogueira

E o F-16 segue firme e forte, se não existisse o Gripen E, com certeza esse era o caça para a FAB.

Bryan

Eu diria que o F-16 é a aeronave que não sai de moda. Já tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente quando militar, e poderia dizer que é uma aeronave simples, “clean” e muito eficiente. Apesar de muitos dizerem que não, acho o F-16V muito superior ao Gripen NG. Enfim, essa é minha opinião particular.

Augusto

Concordo plenamente, mesmo que aqueles veteranos F-16 colocados a venda por Israel recentemente, e que o Brasil deveria ter comprado, alguns na versão Block D já são muito superiores considerando o custo/benefício. Eu tenho visto alguns vídeos de pilotos experientes da força aérea sueca ocorridos em 2007 -https://youtu.be/vInD3_t1xyg – que tiveram problemas gravíssimos na aterrissagem do Gripen mais antigo e me pergunto se os pilotos da FAB escaparão desse problema. Pelo que eu vi a aeronave tem uma tendência estranha de estolar no arredondamento da aproximação comum quando se voa uma aeronave em Delta tipo Mirage, e creio que o… Read more »

EduardoSP

Sério!?
Você acha que a Força Aérea Sueca está ciente dessa falha? Pergunto porque tem mais de trinta anos que eles operam a aeronave e continuam comprando.

Gabriel Bittencourt

E mais fácil e mais em conta comprar um caça fabricado no pais do que comprar um caça fabricado em outro pais, a questão da manutenção é fácil de ser resolvida

Tiago Silva

Bom o vídeo que você postou o link nada mais é do que um protótipo que teve problemas, e que foram sanados caso contrário a entrada em serviço teria sido postergada.

É este tipo de sensacionalismo que não acrescenta em nada ao debate e deixa as pessoas que tem o interesse em conhecer mais sobre este ou aquele sistema confusos e propagando informações incorretas. Quando for assim coloque argumentos sólidos com as fontes de pesquisa, isso sim só aumenta a base para os debates e diminui a disseminação de informações duvidosas.

Flamenguista

Onde eu assino???

Almeida

Esse teu vídeo não é de 2007 mas sim do começo da década de 1990. Ele mostra o protótipo do Gripen A em seus primeiros vôos de teste. E o problema não é da configuração dele, ele não é apenas delta, ele tem canards, o que o torna MUITO melhor para aproximações em baixas velocidades! O problema, naquela época, era o sistema fly-by-wire, uma novidade para os suecos.

É tanta, mas TANTA desinformação que dá vontade de parar de ler os blogs militares!

Daniel

Então fizemos um péssimo negócio ao adquirir o NG, Bryan; já que o Viper é muito superior.
Por ser muito superior. o Viper deve ser um caça furtivo de 5ª geração não?

Bryan

Daniel, eu não falei em “péssimo” negócio. Eu falei que, em minha opinião particular, o F-16V é superior ao Gripen NG. Em termos negociais para o Brasil, o Gripen é muito vantajoso. Em termos de aeronave no F-X2, eu preferiria o F-18.

Daniel

Sim, cada um tem sua opinião. É que você escreveu “muito superior”, isso me chamou muito a atenção.
Na minha opinião o NG será superior que qualquer versão do F-16 que existe e estará por existir.

Gustavo

com ctz não era o caça para a FAB. Gripen E/F melhor escolha e superior ao F-16 na versão V, inclusive.

Bryan

Diz a lenda que o F-16V vem com a aviônica de 5ª geração (por exemplo, segundo algumas fontes, a capacidade do radar APG é similar ao do F-22 e F-35), enquanto o Gripen 4ª++. Então, em termos de aviônica, não vejo a vantagem do Gripen. Pois bem, lembrando, que a aviônica é importante, mas o operador da aeronave, bem adestrado, faz milagre! A não ser um piloto que frequente aqui, que voa em ala, que acha que é um deus da aviação, pois, aí, é forçar a barra!

Almeida

Nunca li tanta besteira sobre o assunto. Aviônica não é apenas radar e se te tem uma coisa que TODO piloto que já voou o Gripen diz é que a consciência situacional provida pela aviônica embarcada dele é muito superior à qualquer coisa que já viram. E as versões E/F são ainda melhor. Quanto ao radar, é um dos mais modernos atualmente, incluindo a tecnologia swashplate que permite um ângulo de visada muito superior às antenas estáticas americanas. E o sistema de ECM e EW é o mais moderno do Mundo. Pare de ficar lendo lendas e rumores em blogs… Read more »

Bryan

Você nunca ouvirá ou lerá um piloto da FAB dizendo que o F-5M é ruim, certamente, nunca ouvirá isso do Gripen. Faça um exame mais frio da coisa ao invés de ficar numa opinião formada (e falaciosa) alheia.

Almeida

Bryan, ________ que nunca vi antes por aqui no blog, quando eu disse pilotos, eu não disse pilotos suecos. TODO PILOTO do Mundo, americanos, franceses, ingleses, israelense e tantos outros que já voaram com ou contra o Gripen falam sempre a mesma coisa. Opinião formada e alheia sim, mas de quem participa de Red Flags e afins e não de um desconhecido num blog qualquer.

Você quem deveria fazer um exame mais frio, e aprofundado, antes de vir pagar de ignorante aqui.

COMENTÁRIO EDITADO

Almeida

Posta video e não sabe nem daonde veio e qual o contexto, ou sabe e mente de propósito, e vem falar de opinião falaciosa. Você que tá cheio das falácias. Some daqui.

Bosco

Almeida, Quanto ao radar com tecnologia swashplate não há dúvida que é um incremento em relação aos radares com painéis fixos mas não esquecendo que há outros fatores que determinam a capacidade do radar AESA e um dos mais relevantes é a quantidade e capacidade dos TRMs. Em relação à suit EW ser a mais avançada, todo fabricante diz isso acerca de seu produto. Os russos que o digam com seu pod Khibini! O que parece ser “inovador” nos itens de EW do NG é o pod de ataque eletrônico Arexis que é baseado em tecnologia AESA com TRMs de… Read more »

Bryan

________________

COMENTÁRIO APAGADO. MANTENHA O RESPEITO. VOCÊ JÁ RECEBEU ADVERTÊNCIAS PARA PARAR COM ESSE COMPORTAMENTO DE TROLLAGEM QUE VEM DEMONSTRANDO NAS ÚLTIMAS SEMANAS. ESTE É O ÚLTIMO AVISO ANTES DA SUSPENSÃO. LEIA AS REGRAS DO BLOG.

https://www.aereo.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Bryan

À moderação,

Simples! Bane ou aprende a argumentar! Rss! Pelo visto vão banir, porque argumentar e postar pensamentos alheios é o que move o site!

AVISO: SUA SUSPENSÃO ESTÁ SENDO AVALIADA PELOS EDITORES. AS REGRAS SÃO CLARAS E IGUAIS PARA TODOS, E ADVERTÊNCIAS E SUSPENSÕES SÃO DITADAS UNICAMENTE PELO COMPORTAMENTO DO COMENTARISTA, NÃO PELAS SUAS OPINIÕES, QUE SÃO LIVRES. E O SEU COMPORTAMENTO, QUE COMEÇOU BOM, MUDOU NAS ÚLTIMAS SEMANAS PARA TROLLAGEM, PELO QUE JÁ FOI ADVERTIDO.

Bryan

O seu conceito de “trolagem” precisa ser revisto, pois apenas afirmei que o F-16V é superior ao Gripen NG. ____________
_______________________

COMENTÁRIO EDITADO. VOCÊ ESTÁ ERRADO, NINGUÉM É ADVERTIDO POR OPINIÕES, QUE SÃO LIVRES, TANTO QUE A SUA OPINIÃO ESTÁ PUBLICADA. AS ADVERTÊNCIAS SÃO POR ATITUDES E COMPORTAMENTO, COMO DESRESPEITO E ATAQUES AOS DEMAIS E POR DESOBEDECER AS REGRAS DO BLOG.

Tiago Silva

Sabe o que acho é que quem é melhor ou pior é muito relativo, são aeronaves que podemos chamar de contemporâneas e que levam a bordo uma tecnologia de ponta e isso é inquestionável. Mas sempre parto para o ponto que o grande diferencial são os sensores e armamentos que cada usuário opta para a sua frota e isso sim na minha humilde opinião é um grande diferencial. Era contra o Gripen desde o programa F-X, meu favorito desde o começo sempre foi o F/A-18 E/F Super Hornet mas quando da escolha já no F-X2 veio a aeronave sueca voltei… Read more »

Ronaldo de souza gonçalves

O f-16 é muito bom ,mas melhor que o grispen ai á um exagero,o grispen é um projeto novo,com um grande potencial para modificações,e meloramentos no seu tempo de vida útil.Já o f-16 está no final do projeto.Gostaria de vê-los noa Fab mas na época que foi adquirido pelo chile,A Fab não poderia aceitar as condições imposta pelo EUA,desdentados,foi necessário reformar os f=5.Até gostaria que a Fab compra-se o su-30 em resposta,mas no final deu certo para o Brasil.Estamos bem de grispen.

Ivanmc

“Grispen?”!!!

André Gomide

Deve ser o vírus da Grspen…..kkkkkkk

Top Gun Sea

Esse caça é como o tratorzinho Fusca – compacto, simples, super manobrável e está sempre além do seu tempo ainda mais na versão Viper, mas de tão consolidado, não há mais o que fazer. Ainda não consigo entender como a FAB ficou por décadas sempre ouvindo falar desse caça -seus adjetivos, que o consagrou, tais como: monomotor econômico, veterano em guerras e campeão de vendas em dezenas de países até os dias de hoje. A minha indagação é: qual foi o argumento da FAB que foi mais forte que todo esse histórico positivo do F16 que levou a FAB a… Read more »

Mauricio_Silva

Olá. Acredito que a história da tentativa de aquisição do F-4 “pegou mal” na FAB. Mesmo com a compra do F-5 Tiger II, ficou a sensação de que o Brasil só teria armamentos de “segunda linha” vindo dos EUA. Reforça esta hipótese o fato de se ter tentado vender os F-16 vindos da Holanda, quando do encerramento do processo seletivo do F-X. Porém não estaria disponível o código fonte do sistema de controle do aparelho (dificultando ou mesmo impedindo a integração de novas armas na aeronave) e limitando o uso dos AIM-120 (que poderiam ser adquiridos, mas ficariam “estocados” nos… Read more »

BMIKE

Fusca com painel de vidro e motor turbo e igual a F16V…kkk. Até concordo pela antigüidade dos projetos. Gripen E com meteor F16 ( qualquer um) não tem chances…

Leandro Costa

TOPGUN, bem, os argumentos eram bem simples. Os F-16, na época, não eram tão baratos de se operar e também na época haviam as restrições de venda de armamento por parte dos EUA para que não houvesse o desequilíbrio da balança de poder regional, coisa que a Venezuela simplesmente mandou às favas com a compra dos Sukhoi e seu pacote de armamentos.

De qualquer maneira, quando se tem zero de grana, tudo passa à ser caro. O programa Gripen envolve vantagens muito além daquelas operacionais e por isso foi mais atrativo.

Fernando "Nunão" De Martini

Top Gun Sea, Não tem essa história de argumentos contra o F-16 em si serem impeditivos de interesse da FAB pelo caça. Ele participou de duas concorrências da FAB, F-X e F-X2. A FAB só abriu um programa formal de concorrer para substituição do Mirage III (num primeiro momento, e novos lotes substituiriam depois do F-5) na virada do século. Antes disso, simplesmente não havia dinheiro para caças, pois o disponível estava sendo empregado no programa AMX, primeiro no desenvolvimento, depois na fabricação. Os caças supersônicos ficavam com as sobras, ou seja, verbas suficientes apenas para comprar lotes de Mirage… Read more »

Top Gun Sea

Moçada para os dias de hoje é claro que foi sem dúvida a melhor escolha o Gripen, fui a favor do Gripen desde o início. Mas dentre esses 20 anos faltou mais vontade da FAB em ter o F16, fosse no sacrifício, financiamento, FM S, abrisse mão de código fonte, com o tempo os americanos iriam sedendo e ampliando os armamentos. Para época era um caça considerado barato a sua hora de vôo comparado com os bimotores, se não, não haviam tantos países comprando o. Nem que fosse usados e modernizados. Bateram na mesma tecla em comprar mais F5 usados… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

“poucos anos atras a FAB comprou mais F5 Jordanianos ultrapassados e cheios de buracos de balas para serem modernizados e que não seguiu a diante com as modernizações. ” Acho que vc está fazendo confusão. Desconheço buracos de balas nos F-5 ex-Jordânia (não está confundindo com P-3?) e não foi há poucos anos a aquisição, foi há uns 10 anos! Uma coisa é comprar um modelo usado de caça já empregado pela força, com custos e logística conhecidos, com programa de modernização já em andamento. Outra coisa é fazer isso com um avião usado totalmente diferente. No caso do Mirage… Read more »

Gabriel

É um baita dum avião e continuará sendo por um bom tempo ainda

Marcos

Marrocos vem se armando paulatinamente.

A sua última compra foi de 220 tanques M1 ABRAMS (o EDA diz que os EUA alocaram 162 p/ venda)

220 tanques M1 ABRAMS por menos de 387 milhões de dólares…

O que acham dessa foto:comment image

Luiz Floriano Alves

Os americanos quiseram vender ao Brasil uma versão de exportação do F-16, equipado com motores de F-104, potentes, mas anti economicos, armamento padrão. Eram chamados de F-16, Program FX, a turbina era a GE J-79. Com empuxo de 8.494 Kg. permitia ao F-16 alcançar Mach 2,1. Para quem opera um caça com duas turbinas J-85, não seria um mau aparelho, ainda que, inferior aos F-16 normais.

Fernando "Nunão" De Martini

Luiz Floriano,
Ultimamente você tem trazido ao debate algumas informações estranhas, seja no Poder Naval sobre encouraçados, seja agora sobre a versão do F-16 que concorreu no programa F-X. Não foi a versão com J-79, que só foi testada mas ninguém comprou.
Tem matéria aqui no site sobre F-16 com motor J-79, e não tem nada a ver com programa F-X.

Russian Bear

Marrocos só tem o privilégio de adquirir as melhores versões do F-16 pois participa das ações conjuntas contra os moribundos iemenitas e suas ak-47 enferrujadas. Caso contrário ainda estaria operando somente os mais do que obsoletos F-5. Sobre o Brasil, não existe nenhuma chance de operar equipamentos americanos mesmo que de segunda linha, pois segundo o tio Sam, somente quem atende seus interesses mais questionáveis é capaz de receber tal honra.

Luiz Trindade

O lance é o seguinte para quem não lembra: O Brasil ia comprar o Rafale da França em troca de lugar no conselho de segurança da ONU e algumas coizitas a mais que todo mundo sabe mas ninguém tem como provar. O lugar no conselho de segurança melou, o FX-2 congelou até a proposta do ex-presidente Barack Obama do Brasil comprar os F-18 e em compensação da não transferência de tecnologia, um Boeing 747 presidencial usado. Veio o escandalo da espionagem norte-americana e vocês sabem quem (Recuso a escreve o nome) escolheu o Gripen.
Agora o choro é livre!

Fernando "Nunão" De Martini

Falando em Rafale, o Marrocos foi um exemplo das várias concorrências “praticamente ganhas” que o caça francês perdeu por anos a fio, até que finalmente conseguisse, há poucos anos, os contratos do Egito, Índia e Qatar.

Quando colocamos a palavra “desbancaram” num título sobre o F-16 que venceu o Rafale no Marrocos, a torcida pró-Rafale do F-X2 surtou.

http://www.aereo.jor.br/2008/12/01/detalhes-sobre-os-futuros-f-16-marroquinos-que-desbancaram-os-rafales/

Tiago Silva

Caro Luiz, a escolha do Rafale foi algo precipitado pelo então presidente Lula e logo depois a FAB esclareceu que a concorrência ainda não tinha sido finalizada e portanto todos os concorrentes ainda estavam na disputa. Sim tudo indicava que o escolhido seria o F/A-18 E/F Super Hornet e a Boeing ofereceu uma aeronave presidencial nova que tudo indicava ser um 747-8 ou algo similar e para ter mais certeza quanto a isso vou pesquisar sobre esta proposta. Mas ai como todos sabemos veio o escândalo da espionagem por parte do governo dos EUA (o que sinceramente não é novidade… Read more »

Luiz Trindade

Tiago Silva, ninguém esta desmerecendo o Gripen, mas em comparação aos demais caças ele é que menos tem à oferecer em termos de operacionalidade em relação aos outros. Só citando o radar, o Rafale e o F-18 tem muito mais área abrangida do que o Gripen. Mas numa coisa eu concordo contigo, a oportunidade de termos uma aeronave no estado da arte é uma oportunidade sem precedente para aprendermos muita coisa moderna que vem nos vem sendo negado à decadas.

Fernando "Nunão" De Martini

“Só citando o radar, o Rafale e o F-18 tem muito mais área abrangida do que o Gripen.”

Errado no caso do Rafale, que tem nariz mais estreito, menos área no radome, e consequentemente radar AESA com menos módulos por simples questão de espaço físico.

Tiago Silva

Entendo caro Luiz que não queremos desmerecer o Gripen e nem nada, mas estava apenas agregando ao debate e fico feliz que a sua resposta seja cordial e respeitosa assim ambos ganhamos e muito num papo saudável.

Quanto ao radar não sei te dizer com uma maior certeza mas vou dar uma aprofundada no tema e numa próxima oportunidade quando de alguma notícia sobre o mesmo ai voltamos a debater.

Grande abraço.

Almeida

Choro livre? Eu sou apenas alegria desde que o Gripen foi anunciado vencedor do FX-2! 😀

Nonato

Interessante.
O Marrocos tem uma posição privilegiadissima.
Não sabia que eram tão bem armados.
Interessante que estão mandando jatos para o Iêmen.
É bem longe.
Esses 5 F16 nem devem fazer muita diferença diante das centenas de caças sauditas.
Mas é uma questão de apoio “psicológico”.

Tamandaré

Nonato, boa noite. Esse armamento marroquino tem explicação; rivalidade histórica com a Argélia (que é inclusive consideravelmente mais armada) e separatismo ao sul (esse território chamado “Saara Ocidental” vem tentando sua independência, apoiado pela Argélia).

É uma história interessante, recomendo que dê uma olhada mais profunda depois! Forte abraço 😉

pgusmao

Será que as células desses F-5 estão boas?? Poderíamos adquirir e pensar em modernizá-las, afinal já temos “experiência” com a situação, com o excelente trabalho feito nos nossos aviões devíamos pensar na ideia.

Fernando "Nunão" De Martini

pgusmao, A FAB não modernizou nem as células de F-5E compradas da Jordânia e que até passaram por trabalhos de revisão no PAMA-SP (só as de F-5F) por falta de dinheiro e necessidade de investir em outras coisas, preferindo nessa realidade das coisas usar as células revisadas como estoque de reposição. Então não faz mais nenhum sentido comprar mais para modernizar. O negócio agora é investir no Gripen, manter o máximo possível de F-5M em operação enquanto isso, tendo partes estruturais e painéis de fuselagem e asas em estoque para ajudar nisso, e seguir a vida. O tempo de comprar… Read more »

Juvenal Santos

Marrocos com mais de 200 M1-Abrahms e o Brasil ainda compra Leo-1, é pra sentar e chorar… Convenhamos que qualquer caça americano é melhor que o Gripen, mas o negócio inclui outras coisas que no final são melhores para o Brasil, então não se trata apenas de um avião, mas de parceria com um país sério e de altíssima civilidade e educação, quem sabe a gente aprende alguma coisa.

Ivan

Olhem o mapa da matéria.
Marrocos está na ‘quina’ superior ocidental da África, do outro lado do Estreito de Gibraltar, juntinho da Europa pela Península Ibérica.
Geograficamente estratégico.
.
Agora lembrem da história.
Quando os EUA foram abrir uma frente contra os nazista para entrar na Europa eles desembarcaram primeiro no… Marrocos.
Historicamente essencial.

Top Gun Sea

Vixi! É o mapento!

Millenium

Olá. A escolha do Gripen foi o que se considera como a mais apropriada para o momento em que houve a concorrencia. Pronto, já aconteceu e é o que teremos. De que adianta ficar agumentando sobre tal escolha? Não é um jogo de super trunfo. O Gripen será uma excelente aeronave. Essa última (?) versão do F-16 também é excelente. O Brasil estará bem servido e é isso que conta. Agora, no calor da discussão, qual a probabilidade dessas duas aeronaves se enfrentarem? Hoje, só no joguinho mesmo.

Marcos

Nos exercícios aéreos. Vai ser muito bom se a FAB gravar um dogfight entre o Gripen e um F-16 do Chile ou um SU-30 da Venezuela.

Almeida

Só se gravar a tela panorâmica do Gripen, com os dados do E-99 fundidos, e o Meteor simulado abatendo eles antes que os mesmos enxerguem o Gripen. 😉

Leonardo Araújo

Não dá para comparar o F16V com o Gripen NG.
A concepção de construção proporciona ao Gripen NG um desenvolvimento infinitamente superior ao F-16 V.
Engraçado que muitos que preferem o F-16 em detrimento do Gripen, são os mesmos que atacam o fato do Gripen ser monomotor. Agora tem o mito que o Gripen tem dificuldade no pouso põr ser um delta. Era só o que faltava, a Saab está em pleno desenvolvimento da versão Sea Gripen e vem negó falar estas asneirás aqui

Wellington Góes

Oi?!?! Com certeza a comparação é infrutífera…….. para o Gripen NG. Até porque o F-16V existe de fato e está operacional.

Sea Gripen está sendo desenvolvido? Aonde? Quem está bancando? Acho que perdi alguma coisa.

Wellington Góes

Amigos, a escolha do Marrocos por mais F-16, em especial ao ‘V’, é mais do que lógica. O que não tem lógica é querem empurrar o Gripen E nesse debate.

Leonardo Araújo

Acho que vou ficou dislumbtado com a aparição do F16 no Indiana Jones e tantoa outros filmes que wntra como protagonista e salvador do herói caçador de tesouro. F16 já era. Produto ultrapassado e está em fase terminal de desenvolvimento. Não se faça de rogado, e deixe sua paixão de lado. Se assistiu a última palestra da Saad em Estolcomo viu que o Sea Gripen está sendo desenvolvido, isso é a palavra do diretor do projeto Gripen NO. Agora se você tem um cargo acima dele na Saad seria muito interessante você se apresentar devidamente aqui no portal para podermos… Read more »

Wellington Góes

Ai jisus!!! rsrsrs

Menos, Leonardo, bem menos!!! 😉

Leonardo Araújo

Engraçado é o pessoal sempre reclamar das compras de vetores ultrapassados pela FAB.
Quando ela segue no runo da inovação o povo mete o pau te.

Até mais Presidente

Luiz Floriano Alves

Nunão A informação do programa de F-16 para exportação é muinto anterior ao programa F-X. Foram publicados anuncios em revistas sobre o F-16 na versão citada com o claro propósito de angariar clientes na America Latina. Na publicação Top Gun, da Editora Globo (direitos de publicação de 1991), pag.6, cita as versões do F-16. Onde se le que a versão F-16/79A, era destinada a exportação e equipada com o motor GE J-79, peso vazio de 7.639 Kg. combustivel interno inalterado e velocidade de Mach 2,1. Talvez uma tentativa de aproveitar os estoques de J-79 em uma versão que, aparentemente não… Read more »

Walfrido Strobel

Realmente foi bem antes do F-X, esta era a versão F-16/79 de exportação que foi descartada ainda no Gov. Reagan, foi demonstrada e oferecida a vários países.
. http://www.f-16.net/g3/f-16-photos/album11/album22/aaa

Fernando "Nunão" De Martini

Luiz Floriano,
Dessa versão do F-16 e quando foi pensada eu sei.
E tem até matéria aqui no site a respeito.
O que questionei foi você ter colocado o programa F-X no meio da história, ou fui eu que entendi errado o que você escreveu:
“Eram chamados de F-16, Program FX, a turbina era a GE J-79”
Se entendi errado, me desculpe, mas como vários comentaristas estavam falando do programa F-X do Brasil, imaginei que seria isso.

De fato, fui eu que entendi errado por estar discutindo na mesma hora o programa F-X com outros comentaristas. Perdão.

Luiz Floriano Alves

Nunão

Fico agradecido por tua atenção. Mas não acho que devas pedir perdão. Aqui, ao se debater informações tão amplas e variadas fica dificil se situar no tempo e no espaço. Tive a oportunidade de aprofundar a pesquisa e saber que apenas o protótipo foi concluido. Os paises que testaram o aparelho não gostaram e o projeto morreu na casca quando foi levantado o embargo a armamentos modernos pelo governo mericano. Abço.

Carlos Alberto Soares

A melhor compra para os Marroqui.

España ficará assistindo ? Ou nada haver ?

Luiz Floriano Alves

Em outa publicação dão conta de que a Suécia prepara-se para uma guerra. Será que não vão requisitar da SAAB os Gripens que estão em fabricação, inclusve a nossa encomenda? Por estas e por outras que a linha de montagem e o incentivo a nacionalizção de componentes devem ser incrementadas e acelerados. Enquanto não tivermos motores e eletronica nacionais, não poderemos dizer que “fabricamos” o avião. As “biombo factories” não deixam sementes ou tecnologia atual ao completarem suas encomendas.

- Advertisement -

Combates Aéreos

EUA querem saber se Paquistão usou jato F-16 para derrubar MiG-21 indiano sobre a Caxemira

A demanda segue o alívio de tensão na região disputada da Caxemira Os Estados Unidos estão tentando descobrir se o...
- Advertisement -
- Advertisement -