Home Aviação Comercial Segunda aeronave MC-21-300 junta-se ao programa de testes de voo

Segunda aeronave MC-21-300 junta-se ao programa de testes de voo

2369
15
AEL Sistemas
MC-21-300
MC-21-300

Em 12 de maio de 2018, o voo inaugural do segundo avião de teste MC-21-300 ocorreu no aeródromo da Irkutsk Aviation Plant, afiliada da Irkut Corporation (membro do UAC). Os resultados dos testes da primeira aeronave de teste foram levados em consideração na produção de uma nova aeronave.

A duração do voo foi de 1 hora e 7 minutos a uma altitude de 3.000 metros a uma velocidade de até 400 km/h.

O programa de voo incluiu o teste da aeronave quanto à estabilidade e capacidade de controle de várias configurações de asa com trem de pouso retraído e de estendido, além de testar o equipamento de bordo.

O avião foi comandado pela tripulação dos pilotos de teste Vasily Sevastyanov e Andrey Voropayev. De acordo com Vasily Sevastyanov, a tarefa de voo foi realizada completamente, o voo ocorreu no modo normal.

O ministro interino da indústria e do comércio da Federação Russa, Denis Manturov, disse: “O voo da segunda aeronave é um evento significativo que garantirá a realização oportuna dos testes de certificação de voo”. O ministro disse que hoje, três aeronaves MC-21-300 estão participando do programa de testes: duas delas voam, uma passa em testes estáticos no TsAGI. “Além disso, a Irkutsk Aviation Plant está construindo mais três aeronaves de teste. Em paralelo com os testes de voo e estáticos, estão sendo realizadas preparações ativas para a implantação da produção em série do novo avião” – disse Manturov.

O presidente da JSC “UAC” e Irkut Corporation Yuri Slyusar disse que a fábrica da Aviastar-SP começou a fabricar painéis para a primeira aeronave a ser entregue ao cliente. “Nos últimos anos, a indústria de aviação russa passou por uma profunda modernização. A mais moderna linha de montagem escalável para os mais novos aviões civis foi comissionada na Irkutsk Aviation Plant. Dentro da UAC, fundamentalmente novas competências foram desenvolvidas no campo da produção de estruturas de materiais compósitos poliméricos. Seu uso generalizado é uma das principais vantagens da aeronave. A nova produção de alta tecnologia irá garantir o desenvolvimento do programa MC-21 e outros projetos de aviação perspectiva “- Yuri Slyusar enfatizou.

A Rostec é o integrador de sistemas de aeronaves MC-21. A Rostec Enterprises produz mais de 50% dos aviônicos do avião, fornecendo titânio para o programa MC-21 e também fornece painéis compostos da unidade traseira. A United Engine Corporation, uma parte da Rostec State Corporation, se tornará um fornecedor de motores PD-14, que, juntamente com os motores Pratt & Whitney PW1400G, serão instalados na aeronave serial MC-21. Em fevereiro de 2018, a Aeroflot Airlines assinou um contrato firme com a empresa de leasing de Serviços de Capital da Avia (subsidiária da Rostec State Corporation) para a entrega de 50 aeronaves MC-21-300.

A primeira aeronave MC-21-300 é submetida a testes de voo no aeródromo do Flight Research Institute n.a. M.M. Gromov (cidade de Zhukovsky, região de Moscou). Os testes confirmam a exatidão das soluções técnicas. Em particular, a aeronave foi testada quanto à estabilidade e controlabilidade, suas características de decolagem e pouso foram determinadas, vários modos de operação da usina foram testados, incluindo partida do motor em voo.

Um grande número de testes no solo é realizado dentro do programa. Em TsAGI realizam-se os testes de força do MC-21. Os testes de caixa de asa composta (concluídos no final de 2017) confirmaram sua força suficiente para operações de voo nos modos de limite. Testes de unidades compostas de mecanização confirmaram sua resistência nas cargas máximas possíveis sob as condições operacionais mais agressivas.

FONTE: UAC

15 COMMENTS

  1. É um bom avião sendo tecnicamente superior ao C919 chinês. Contudo, terá o mercado restrito visto que irá competir com a família A-320 e também com o 737, aeronaves já bem estabelecidas no mercado, com sólida base de clientes e toda uma cadeia logística estabelecida. Venderá bem na Rússia e talvez em algumas antigas repúblicas soviéticas, especialmente na Ásia Central,que ainda sofrem pesada influência russa embora nesses locais Boeing, Airbus e até mesmo a EMBRAER já estejam entrando.

      • Walfrido, em uma edição da revista ASAS, não me recordo qual, tem uma matéria sobre o MC-21 que faz remissão à outra da Flight International.

    • Acho que quando criança, vc deve ter tomado algum susto de um velhinho chinês. Ou, então, comeu pastel de vento e fez mal.
      Brincadeiras à parte, a China e a Rússia terão um enorme mercado a explorar, visto que a Eurásia e Ásia Oriental estão movendo a economia mundial. Espera-se que quase todo o aumento do tráfego aéreo venha de lá, com a China assumindo a liderança já nos próximos dois a três anos. E lá é o quintal deles.
      Enquanto isso Airbus e, principalmente, a Boeing assistem suas encomendas minguarem esse ano, tendo até sido anunciado alguns cancelamentos de pedidos.

  2. Para os desavisados de plantão o MC-21-300 permitirá a companhia aérea depois de comprar aeronave mudar o motor em seu pátio sem qualquer burocracia existentes hoje com a Boeing e Airbus.
    Antes de criticar, leiam mais…

    • Quem está criticando o MC-21? Pessoalmente, como disse, acho um bom projeto. Agora não se pode negar as dificuldades que terá no mercado fora da Rússia.

  3. Não tem pretensão de brigar com as grandes, é projeto doméstico e para Ásia Central. Já está consolidado no mercado Russo. E se bobear pode ir para o Irã.

    • O que já é mais que suficiente, para início de conversa. O mesmo se aplica ao C919. Ambos tem um bom mercado pela frente. Não por isso, que China e Rússia se juntaram no CR929. Lembre-se. Cada um desses vendido é um Boeing ou Airbus a menos.

    • Se não tem componentes norte-americanos poderá ser encomendada pelo Irã para renovação de sua envelhecida frota de aviões comerciais. Os US$ 40 bilhões de encomendas iranianas à Boeing e Airbus foram pro brejo com a última trumpetada. Creio que se conseguirem 50% desta encomenda, pagam o investimento no projeto.

  4. A Aeroflot de 1960 iria adorar.

    Que ninguém se iluda, tem que ser mais econômico que os Airbus e Boeing. Nem os russos estão a fim de gastar dinheiro a toa.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here