terça-feira, dezembro 7, 2021

Gripen para o Brasil

Widerøe, da Noruega, realiza primeiro voo comercial com o E190-E2

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

E190-E2 decola para o primeiro voo comercial
E190-E2 decola para o primeiro voo comercial

Bergen, Noruega, 24 de abril de 2018 – A Widerøe, maior companhia aérea regional da Escandinávia, completou nesta manhã o primeiro voo comercial com passageiros de um E190-E2. A aeronave, de prefixo LN-WEA, que operou o voo WF622, partiu do aeroporto de Bergen às 7h56 da manhã e chegou ao aeroporto de Tromsø às 9h39, no horário local. Todos os assentos do voo foram vendidos.

O voo de hoje marca a entrada oficial em serviço do primeiro dos três novos E-Jets E2 que a Embraer desenvolveu para suceder os E-Jets da atual geração. As entregas do E195-E2 estão planejadas para começar em 2019 e do E175-E2, em 2021.

“Este é um dia verdadeiramente histórico para o programa de E-Jets e para a Embraer”, disse John Slattery, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “O primeiro voo comercial é a maior conquista de anos de trabalho e planejamento. Eu sei que os clientes da Widerøe vão adorar voar em um avião tão eficiente.”

Os passageiros da Widerøe experimentaram um voo silencioso e ecologicamente eficiente em uma rota de 1.246 quilômetros. O E190-E2 tem os mais baixos níveis de ruído e emissões externas que qualquer aeronave em sua categoria e consome 17,3% menos combustível do que o E190 da geração atual.

O agradável interior da cabine do E2, completamente redesenhado, apresenta novos tratamentos acústicos, um sistema de ar-condicionado aprimorado e mais silencioso, além de espaço adicional para armazenamento de bagagem. Em algumas condições de voo, os níveis de ruído da cabine do E2 correspondem à metade da principal aeronave concorrente.

As emissões de ruído mais baixas da indústria aeronáutica foram alcançadas por meio de uma combinação de projeto de estrutura de baixo arrasto e ruído, combinado com um excelente desempenho de pista. Esses recursos reduzem o empuxo do motor, tornando o E2 muito mais silencioso durante a aproximação e a decolagem.

“Hoje, estamos comemorando o início de uma nova era para a Widerøe. É o primeiro jato da nossa frota. E sempre teremos a distinção de ser a primeira companhia aérea a voar com a E2. Vemos um futuro brilhante com nossos novos jatos E2”, disse Stein Nilsen, Presidente e CEO da Widerøe, após o pouso da aeronave.

A Widerøe receberá mais dois E190-E2s este ano. A companhia detém ainda direitos de compra para mais 12 jatos E2. O valor total do pedido é de aproximadamente US$ 873 milhões, caso sejam exercidos todos os direitos de compra.

A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais com até 150 assentos. A companhia conta com 100 clientes em todo o mundo operando os jatos das famílias ERJ e de E-Jets. Apenas para o programa de E-Jets, a Embraer registrou mais de 1.800 pedidos firmes e 1.400 entregas, redefinindo o conceito tradicional de aeronaves regionais por meio da operação em uma vasta gama de aplicações de negócios.

E190-E2 com as cores da Wideroe
E190-E2 com as cores da Wideroe

Sobre a Widerøe

A Widerøe é a maior companhia aérea regional da Escandinávia, com três mil funcionários e um faturamento de 3.5 bilhões de coroas norueguesas (NOK). A companhia transporta cerca de 2.8 milhões de passageiros por ano e voa para 46 destinos nacionais e internacionais.

A Widerøe opera mais de 450 voos diários e atende mais que o dobro de aeroportos na Noruega do que qualquer outra companhia aérea. Atualmente, nossa rede consiste em 60% de rotas comerciais e 40% rotas de Obrigações de Serviços Públicos (PSO, em inglês).

Embraer E-Jets
Embraer E-Jets

Sobre os E-Jets E2s

 Os E-Jets E2s representam o melhor da nova tecnologia em uma plataforma comprovada. A aplicação de tecnologias avançadas para motores, asas e aviônicos diferencia os E-Jets E2, oferecendo às companhias aéreas os aviões mais eficientes nesta categoria, ao mesmo tempo em que mantém a comunalidade com os E-Jets atuais.

As melhorias incluem uma nova asa aerodinamicamente avançada, de formato único e com maior alongamento, além de aprimoramentos de sistemas e aviônicos, incluindo a quarta geração de comandos de voo fly-by-wire, e os motores de alto desempenho da Pratt & Whitney PurePowerTM Geared Turbofan (PW1700G no E175-E2, PW1900G no E190-E2 e E195-E2).

Esta combinação resulta na mais eficiente família de corredor único, com redução de dois dígitos no consumo de combustível, emissões, ruído e custos de manutenção, além de aumento de produtividade devido ao menor tempo de inatividade em manutenções agendadas.

Os E-Jets E2 serão capazes de ter custo por assento semelhante ao de aeronaves narrow-body maiores remotorizadas, com um custo por viagem significativamente menor, criando oportunidades de desenvolvimento de novos mercados com risco reduzido e o dimensionamento correto da frota. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019 e, o E175-E2, em 2021.

Embraer E-Jet

Sobre a Embraer

Empresa global com sede no Brasil, a Embraer atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

- Advertisement -

23 Comments

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edison Castro Durval

“Este é um dia verdadeiramente histórico para o programa de E-Jets e para a Embraer”

A Boeing agradece!!!

Antonio Palhares

A maior besteira que este país de faz de conta vai fazer será vender a Embraer.
Maria vai ganhar o quê com isso ?

HMS TIRELESS

Estou começando a achar que esse negócio,felizmente, está indo para o vinagre….

Jr

Mais ele já esta quase fechado, aliás você viu que o acionistas da Embraer passaram a Bradar e a Neiva da EDS para a Embraer? Assim a Bradar e a Neiva vão ficar com a Boeing e não com a EDS no caso do negócio for realmente fechado. Eu não sei, mas tem algo cheirando muito mal, alguma coisa por trás nessa insistência da Boeing em comprar a Embraer, mesmo com todos esses obstáculos colocados pelo MD, e o pior é que pessoas da alta cúpula da Embraer estão mais parecendo garotos de recado da Boeing do que qualquer outra… Read more »

Alisson Mariano

Olá, Jr. Não sou favor do negócio com a Boeing nos moldes que vem sendo anunciado. Mas, de onde vc tirou que a Bradar e a Neiva vão pra Boeing? O que vem sendo divulgado é que não vai ocorrer a venda da Embraer e sim a formação de uma nova empresa que ficará com a aviação comercial (pelo que foi divulgado, a Embraer vai ficar com um percentual ridículo dessa nova empresa)… Sendo a Bradar e a Neiva integradas à Embraer (que não vai ser vendida) essas duas subsidiárias não seriam repassadas para a Boeing. Pelo menos é assim… Read more »

Antonio Palhares

Caro Tireless.
Assim espero.

LucianoSR71

Tem um vídeo no Youtube c/ a decolagem dessa aeronave já na Europa, filmado de dentro da cabine de passageiros. Quando ele taxia ouve-se um nível de ruído muito baixo ( dá p/ escutar pessoas conversando normalmente ), ele se encaminha p/ a pista de decolagem e o som dos motores permanece aparentemente inalterado e de repente vc percebe que ele decolou, é bem interessante:
https://www.youtube.com/watch?v=T8Dz9Bxvc_w&t=5s

André Bueno

Já voei em E-195 e foi muito silencioso o voo.

LucianoSR71

Não tive esse prazer, então comparando c/ o som desse vídeo, o que achou, reduziu mesmo no E2?

Eduardo

Também já voei em E-195 pela Azul, comparando com esse vídeo o que chama a atenção é na hora da decolagem. No E-195 se nota claramente o aumento do ruído dos motores.

LucianoSR71

Foi isso que destaquei, foi o que mais impressionou, parece que ainda está taxiando.

Nonato

Orgulho de ser brasileiro? Sim.
Orgulho do avião?
Se querem passar para uma empresa americana, não há motivo para ter orgulho dele…

ANDERSON DIAS

O Brasil é Agro, Agro é o Brasil eterno produtor de alimentos e matéria prima

Jr

Sim, até a China vir aqui e começar a comprar as nossas terras que nem estão fazendo lá nos EUA

André Bueno

Não sou engenheiro ou administrador mas em minha opinião um grande problema da Embraer é capitalização. Se ela conseguisse um bom acordo e de longo prazo com bancos, daqui e/ou de fora, seria muitíssimo mais fácil concorrer no mercado. Tal capital serviria tanto para financiamento dos produtos quanto para expandir centro de manutenção e apoio mundo afora. Isso parece óbvio ou é bobagem? O produto atualmente é fantástico, o que faltaria é o que mencionei.

JT8D

O único problema da Embraer é estar no Brasil. Se ela fosse coreana estaria concorrendo com a Boeing, e não sendo comprada

Jorge Nakata

É verdade, agora só falta a Coreia do Sul começar a fabricar aviões e se tornar a terceira fabricante mundial de aviões comerciais, feito isso, a Coreia do Sul passa a concorrer com a Boeing. Você tem toda razão.

JT8D

Você não entendeu. E eu não vou ecplicar

Dan01

Jorge Nakata
Acho que ele esta sendo sarcástico porque sempre aparece alguém com essa de que o problema da embraer é o Brasil, mesmo ela tendo nascido e crescido aqui.

JT8D

Posso estar enganado, mad enquanto esse negócio com a Boeing estiver pendente, dificilmente a Embraer fará uma grande venda

Ozawa

É mais fácil pronunciar “Widerøe” que entender a venda da Embraer . . .

Matheus L. J. Cortez

Concordo plenamente.

Augusto L

Grande erro da Embraer foi fazer o E2 ter versoes de acima de 124 assentos, como o C-Series.
Tomara que com a fusão com a Boeing eles criem essa versão pra ontem.
As versões mais alongadas dos C-Series são perfeitos para vôos point-to-point, vão destrocar o 737 maxx 7,8 e 9 no mercado.

Últimas Notícias

Desaer apresenta o ATL-300, turboélice para 40 passageiros

A nova fabricante brasileira Desaer apresentou nesta terça-feira (7) na 6º edição da Mostra BID Brasil o novo modelo...
- Advertisement -
- Advertisement -