Home Aviação de Ataque Índia se retira do projeto FGFA, deixando a Rússia sozinha

Índia se retira do projeto FGFA, deixando a Rússia sozinha

7797
125
FGFA, versão indiana do PAK FA (Su-57)

A Índia abandonou seu programa colaborativo de 11 anos com a Rússia dedicado a construir uma aeronave de combate de quinta geração. A decisão tem ramificações para a IAF e para a indústria aeroespacial russa

A Força Aérea da Índia (IAF) suspendeu seu programa colaborativo com a Rússia de aviões de combate de quinta geração (FGFA), depois de 11 anos, após disputas quanto a seu custo de desenvolvimento e capacidades tecnológicas.

Altos funcionários indianos, incluindo o Conselheiro de Segurança Nacional Ajit Doval e o Secretário de Defesa Sanjay Mitra, informaram recentemente a uma delegação ministerial russa em visita de que a Índia estava se retirando do programa, disseram fontes oficiais ao Jane’s em 20 de abril.

Acredita-se que as autoridades indianas afirmaram que a IAF poderia, em uma data posterior, “revisitar” o projeto FGFA ou, alternativamente, adquirir a plataforma totalmente desenvolvida, uma vez que tenha sido introduzida na Força Aérea Russa, mas não aprofundaram a questão.

Autoridades do setor disseram que o projeto FGFA, no qual a estatal indiana Hindustan Aeronautics Limited (HAL) era a principal agência de desenvolvimento, também não foi incluído nas negociações durante a visita da ministra da Defesa Nirmala Sitharaman a Moscou no início de abril.

“O projeto FGFA tornou-se um exemplo de muito pouco avanço, muito atraso”, disse o analista militar e marechal aposentado V K Bhatia. Perseguir isso por mais tempo não teria servido aos interesses da IAF de qualquer forma, uma vez que se esforça para compensar os números de caça que se esgotam rapidamente, acrescentou ele.

A IAF acredita que o caça Sukhoi Su-57 (T-50 PAK-FA), que o Ministério da Defesa da Índia (MoD) designou como Persistente Multi-Role Fighter, não atende aos requisitos de furtividade, aviônicos de combate, radares e sensores. Sete protótipos do FGFA estão atualmente passando por testes de voo na Rússia, mas por enquanto não há nenhuma indicação de quando a plataforma deve entrar em produção em série.

No gráfico abaixo, uma comparação do FGFA/Sukhoi T-50 com outros caças de 5ª Geração

FONTE: Jane’s

125
Deixe um comentário

avatar
44 Comment threads
81 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
56 Comment authors
MadMaxLuís HenriqueFernandesLeo NevesMateus Lobo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dan01
Visitante
Dan01

Pra quem pensava que so faltava uma turbina própria essa declaraçao da IAF veio como um banho de agua gelada.

Bosco
Visitante
Bosco

O quadro comparativo não é honesto pois colocou a versão B (STOVL) junto a caças de operação convencional. A quantidade de combustível interna das versões A e C é superior a 8 t.

RicardoNB
Visitante
RicardoNB

Su-57 perde seu único sócio e o F-35 ganha mais sócios a cada dia. Isso é um tanto revelador. Fato, o F-35 é o maior, mais sólido e adiantando programa para um caça de quinta geração disponível no mercado internacional. Não foi cancelado e vai ser produzido pelas próximas duas a três décadas, para o desespero dos anti.

ODST
Visitante
ODST

RicardoNB Esses “sócios” do F-35 jamais seriam sócios da Rússia, o EUA não deixaria isso acontecer, é uma comparação injusta a sua, pois mesmo que eles quisessem, não possuem liberdade de escolha, ou vai de quinta geração com um projeto do Tio Sam, ou faz um independente, ou fica sem nada, e como a maioria dos aliados da Rússia são países sem grana para um projeto desses os russos acabam tendo que criar quase tudo sozinhos, ao contrário do EUA, que através de sua influência com países ricos, conseguem entubar neles projetos inacabados e cheios de defeito sempre que quiserem… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Pelo visto os indianos são aliados estratégicos de Moscou que estavam sendo ludibriados até caírem em si e se retirarem do programa não é mesmo!?

rustam bogaudinov
Visitante

HMS TIRELESS 21 апреля 2018 года в 7:00. __ E eles participaram deste programa? ou você vai carregar seu delírio de novo? eles investiram apenas US $ 200 milhões para um projeto preliminar e pronto! e eles queriam que os sistemas mais novos para eles nós desenvolvêssemos para nosso próprio dinheiro – isso não acontece assim! Eles acham que os EUA vão lhes dar a tecnologia de produção do F-35? ))))))))))))) __ And they participated in this program? or are you going to carry your delirium again? they invested only $ 200 million for a draft project and that’s it!… Read more »

Gilmar
Visitante
Gilmar

É bem assim, os Indianos investiram pouco neste projeto mas queriam muito na forma de TOT.
O fato é que ninguém transfere tecnologia em uma área tão sensível como esta, e se o fizerem só será às custas de muitos dólares.
Penso que esta manobra dos Indianos não passa de uma forma de chantagem. É uma tentativa de depois retornar e renegociar os termos do contrato com mais concessões por parte do Russos.

Antonio
Visitante
Antonio

Primeiro, os indianos devem se localizar para depois almejarem alguma coisa. Estão ‘meio’ perdidos.

Almeida
Visitante
Almeida

Concordo!

Antonio
Visitante
Antonio

Além do mais, cabe à Rússia avaliar essa ‘cooperação’ com a Índia.
Primeiro que a Rússia está reforçando fortemente seus laços políticos e, principalmente, econômicos com a China de onde, certamente, terá muito mais benefícios a longo prazo.
E outra, é que, ao que parece, a contribuição indiana ao projeto foi muito pequena e investiram pouco dinheiro.
Segundo li, as adequações do projeto às pretensões indianas nem eram tão grandes.
Sigam seu caminho e depois comprem de quem oferecer o melhor pacote. Que pode ser até o próprio Su-57.

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Antônio, o crescimento militar chinês é péssimo para a Rússia, basta ver que os chineses tentam produzir tudo internamente e ano após ano os chineses estão ampliando o mercado de exportação de armas…

Antonio
Visitante
Antonio

Ivan BC – O crescimento militar chinês é péssimo, mas o econômico é excepcional para a Rússia. E no final, isso é que pesa.

Mauricio R.
Visitante

Como se Moscou estivesse assim muito radiante, qnto simples existência de J-11, J-15 ou J-16.

André
Visitante
André

Realmente, é excelente para a Russia essa aproximação com a China. Talvez a China aceite a Russia como parceira em seu segundo caça de 5° geração.

Almeida
Visitante
Almeida

Interessante notar, segundo o gráfico, que o J-20 tem velocidade máxima de mach 1.7

Se isso for verdade, diminui muito a capacidade dele mais alardeada por aqui no ocidente, como caça de superioridade aérea. É uma desvantagem significativa em combates BVR.

Hélio
Visitante
Hélio

Será que tem dedo americano aí? Será que a Índia vai de f35?

Almeida
Visitante
Almeida

Pensei a mesma coisa. Serve tanto pra IAF quanto para marinha indiana. E a aproximação com os EUA é clara.

Antonio
Visitante
Antonio

Hélio – Será que tem dedo chinês nisso?

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Antonio, quem decidiu sair do projeto foi a Índia. Se tivesse dedo chinês você acha que os indianos iriam fazer isso? Outra, porque os chineses iriam querer que os indianos saíssem do projeto sendo que os próprios indianos já falaram que o avião não cumpre os requisitos necessários?

Antonio
Visitante
Antonio

Como dito antes, a Rússia está aumentando enormemente sua cooperação, militar, política e econômica com China e, portanto, pode ter influenciado a Rússia a levar em ‘banho-maria’ a participação indiana. Li, em outro site, que os aportes financeiros da Índia no projeto foram de apenas cerca de U$ 300 milhões. Muito pouco.
Além do mais, não consta que a Índia possua grande legado tecnológico em qualquer área, inclusive militar, que possa abalar o projeto russo e nem que dê ‘gabarito’ para ela criticar. Em outras palavras, o que é bom para a Rússia é ótimo para a Índia.

Agnelo
Visitante
Agnelo

A Índia está muito bem em tecnologia, principalmente em informática e telecomunicações. Acredito q não estão ruins não.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Antonio, se a crítica dos indianos fosse o não repasse de tecnologias ou o atraso para entregas apenas de unidades indianas eu concordaria com você. No entanto, os indianos estão reclamando da qualidade da aeronave, ou seja, um problema que afeta também os russos.

Nonato
Visitante
Nonato

Talvez os indianos estejam querendo demais. Exigir dos russos um caça excelente. Nem colocam dinheiro nem têm muito conhecimento para oferecer…

Cbamaral
Visitante
Cbamaral

Su-57 sempre foi meio embusteiro demais.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

kkkkkkkk e tem gente que queria que Brasil entrasse nessa roubada, pior ainda é gente que diz ser superior ao F-22 kkkkk.
Leiam bem isso: A IAF acredita que o caça Sukhoi Su-57 (T-50 PAK-FA), não atende aos requisitos de furtividade, aviônicos de combate, radares e sensores.

Antonio
Visitante
Antonio

A Índia considerar algo não quer dizer grande coisa.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A julgar pelo que conseguimos ver da cortina de fumaça feita pelos russos os indianos certamente estão corretos.

Ao que tudo indica vão de F-35 via FMS

Antonio
Visitante
Antonio

Ao que parece, nem vão de 5G por enquanto.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Também acho Tireless. Inclusive, se não me engano, aqui mesmo no PA já haviam levantado a hipótese de a Índia estar querendo que os EUA fizessem uma proposta do F-35.

Ricardo
Visitante
Ricardo

Não vão por im simples motivo. Restrições que os EUA colocam nos seus caças que para o brasileiro comum é aceitável e justo, mas para os padrões militares indianos é completamente ináceitável!

Bruno V. Campestrini
Visitante
Bruno V. Campestrini

Com certeza a Índia – que investiu dinheiro no projeto – dizer que o caça não cumpre esses requisitos significa MUITA coisa. Afinal, uma situação é um concorrente falar mal do avião, agora outra completamente diferente é quando alguém que está dentro do projeto fala mal dele. De fato, a Índia tem todas as informações pertinentes para afirmar que o avião não cumpre com os requisitos de furtividade, radares, aviônica e sensores.

Luiz Konfidera
Visitante
Luiz Konfidera

A opinião de quem que vale? De nós Brasileiros que operamos F5 com mais de 40 anos? Não esqueça que os indianos estão recebendo o moderníssimo e belo Rafale, que está entre os melhores caças de 4 Geração. Os indianos possuem aeronaves de combate Russas e francesas, superiores a tudo que temos aqui e segundo você a opinião dos indianos não importa… No fim das contas, os indianos vão de F35, e o motivo para isso é que, apesar de todos os atrasos e aumento de custos do programa JSF, é ele que oferece menor risco se comparado com o… Read more »

Ricardo
Visitante
Ricardo

Indianos não são brasileiros, eles jamais aceitariam F35 con restrições.

ODST
Visitante
ODST

Não se esqueça que também tinha/tem loucos que queriam/querem o F-35 para o Brasil…. Não sei qual dos dois grupos de loucos é pior…..

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Pior louco é aquele queria Su-35 e PAK FA na FAB! No fim das contas estaremos muito bem com nossos Gripens BR.

Manock
Visitante
Manock

Daqui há pouco a Índia volta ao programa, pra depois sair de novo e voltar no futuro sabe lá se pra sair de novo e assim por diante…

😉

Alex
Visitante
Alex

E bem isso mesmo Manock…. lidar com Indiano e fogo.

Leonardo
Visitante
Leonardo

Já a algum tempo tem havido uma aproximação grande entre a Índia e os EUA, muito provavelmente irão tentar adquirir o F-35.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Se uma indústria aeronáutica sólida e competente como a da Rússia, que nos últimos 70 anos desenvolveu vetores do naipe do Mig-21, Tu-95, Tu-160, Tu-22M, Mig-31 e a família Flanker está tendo problemas no desenvolvimento de um vetor de 5 geração, é tentador imaginar os problemas enfrentados pelos chineses, que até recentemente apenas produziam cópias do Mig-21 e ainda não possuem tecnologia para produzir motores aeronáuticos decentes. Diante desse fato a declaração dos indianos segundo a qual não tem problema algum em detectar o J-20 mostra-se plenamente crível.

Antonio
Visitante
Antonio

A disseminação do conhecimento está muito mais rápido do que antigamente. O que antes levava 70 anos, agora se consegue em um.
Há trinta anos, os chineses estavam comendo arroz puro e hoje já estão construindo trem-bala, aviões, processadores com inteligência artificial e colocando astronautas no espaço.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Argumento pífio o seu! E tanto o conhecimento não se dissemina dessa forma que os chineses até hoje não fazem motor aeronáutico que preste já que segundo fontes russas as pás dos compressores dos turbofans dos chineses simplesmente quebram, justamente pelo fato da tecnologia chinesa ser absolutamente incipiente nesse campo.

Ah! Os chineses apenas conseguiram mandar homens ao espaço porque nos anos 90 compraram diversas naves Soyuz que não haviam sido lançadas

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

As paletas são realmente uma parte que necessita de um bom desenvolvimento no campo da tecnologia dos materiais, pois enfrentam tensões de tração enormes devido a força centrípeta, é uma liga mono-cristalina de titânio, embora pareça simples, é um processo um tanto complicado de se desenvolver.
https://www.youtube.com/watch?v=-6IlDepBqss

Daglian
Visitante
Daglian

Seguindo seu raciocínio, então os russos similarmente também teriam absorvido esse mesmo conhecimento e o SU-57 estaria caminhando como esperado. Não sabemos de problemas no J-20 por censura da China, ainda que eu não esteja dizendo que o caça não cumpre o que promete, mas apenas que com certeza ele passa por dificuldades de maior ou menos grau assim como o F35 e o SU-57. Há limites para a disseminação de conhecimento, e certas capacidades técnicas demandam tempo e estudo para serem dominadas, independente de vontade política e dinheiro. Essa notícia apenas evidencia que o ufanismo de certas pessoas não… Read more »

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

2 coisas são certas. A Índia não se decide. Depois ela volta pra sair denovo.

A Rússia ta ferrada. Não é lá um país com uma economia estável, principalmente com as sanções, será que da pra manter isso ai voando sozinha?

E se a Índia saiu, isso não indica que tem algo super errado com esse caça? Falamos mal do F-35 porque sabemos que é ruim e tem informações mostrando que é ruim em tudo que é canto.

No caso dos caças russos e chineses, tem que esperar algo grande acontecer para saber se é ruim ou não. Parece que aconteceu.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Interessantes colocações! O F-35 acaba tornando-se vítima da transparência que é o corolário das democracias como é o caso dos EUA. Por seu turno todas as manchetes acerca do Su-57 e do J-20 são invariavelmente elogiosas dada a censura e o caráter corrupto da mídia sino-russa. E diante desse fato os desavisados imaginar ser esses projetos superiores e sem problemas, algo que a realidade teima em desmentir em eventos como esse.

CignusRJ
Visitante
CignusRJ

Maquiavel já dizia: “O vulgo sempre se deixa levar pelas aparências.”

Adler Medrado
Visitante

O F35 solta pecinha, é uma draga de recursos mas inevitavelmente se consolidará. Justamente por isso, por estar recebendo muito investimento.

Os concorrentes russos e chineses ainda tem que correr muito atrás para chegarem no nível atual dos EUA no desenvolvimento desse tipo de arma.

Nilton Reis
Visitante
Nilton Reis

Vou te fazer um favorzinho:
“O F35 solta pecinha, é uma draga de recursos mas inevitavelmente se consolidará, por estar recebendo muito investimento. ”

Dinheiro. Tá aí a diferença.

Na minha opinião, nem a força aérea russa, nem o governo estão interessados no pakfa. Como já comentei tempos atrás, o pakfa é apenas um demo, para manter a indústria russa minimamente atualizada.
Nesse prisma, totalmente procedente a decisão indiana.

(penso isso contextualizando o pakfa na histórica doutrina defensivista russa. Investir em radares para se obter futuramente um anti stealth é muito mais lógico)

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

O PAK FA não é apenas um mero demonstrador de conceito mas sim o futuro vetor da VKS. Tanto que não apenas um novo motor como também novas armas estão sendo desenvolvidas para o mesmo. Outro forte indício de que se trata de um programa definitivo reside no fato de ele ter recebido uma designação de produção (Su-57) e ter feito uma incursão, ainda que rápida, para a Síria.

Jose De Deus
Visitante

O caso da India neste episodio e só um pouquinho( agigantado) do que é o Brasil, E não é diferente do que já assistimos em vários outros episódios relacionados, como no caso dos Rafales que foram aprovados mas desistiram do projeto em si e compraram um pacote do mesmo. Não tem dedo e nem se quer a unha Americana nisto. O que poderá haver no próximo episódio Indiano em relação a caças furtivos seria a compra de prateleira daqueles primeiros F-35 ( parece que eram umas 200 unidades) que foram aposentados por decisão Americana em não repaginá-los por ficarem muito… Read more »

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Bem… Agora que os EUA estão fechando o cerco à Russia e China, o PA-50 vai enfrentar sérios atrasos… Agora acredito que a Rússia vai ficar um pouco para trás em relação aos caças…

Queiroz
Visitante
Queiroz

A Índia tem uma necessidade para ONTEM de ter uma força aérea digna de enfrentar a China. E não digo pelos conflitos continentais, em terra, Cachemira, região Himalaia… mas Principalmente no Oceano Índico, onde a China vem ostensivamente aumentando sua zona de influência militar. Os Indianos necessitam dentre seu amplo leque de aeronaves, ter vetores verdadeiramente stealths para representar alguma dissuação nesse expansionismo naval chinês. Eles tem a opção já pronta do F-35, inclusive com o Adir atuando a vista de todos, ou investir um caminhão de dinheiro no Su-57 pra esperar quem sabe um dia ele suprir uma necessidade… Read more »

Jose De Deus
Visitante

Queiroz, O problema da Idia não é só dinheiro. Na verdade eles têem tudo o que é de contra e não têem nada para que seja a favor de adquirirem o que realmente necessitam, Mesmo que os Russos dominassem 100% a tal tecnologia e todos os quesitos a que eles buscam, Os Russos não iriam alcançar o final deste projeto com eles uma vez que os investimentos necessários não fluíram com a regularidade desejada. A India pode até necessitar de uma força aérea digna mas não tem nenhuma condição para isto. Só para entendimento, Os Indianos ainda usam locomotivas à… Read more »

Munhoz
Visitante
Munhoz

No caso da Índia eu particularmente acho que ela pode ou ir de F 35 ou entrar junto no futuro caça de 5º Franco /Alemão, no caso da Russia eu acho que uma possível parceria com a China num futuro caça de 5º estaria aberta com a Índia fora, neste caso eu acho que a Russia não perde nada, só ganha, e isso sim poderia preocupar os EUA, pois a China junto com a Russia teriam bem mais chances de se aproximar dos EUA, e uma parceria deste tipo poderia significar uma aproximação geopolítica diferente do que vem ocorrendo até… Read more »

Jose De Deus
Visitante

Acorda Munhoz, A India como várias outras nações ( tbem a nossa) não dinheiro e nem estrutura técnica para comprar e manter aviões de quinta geração. talvez depois da sexta ou da sétima gerações quando estiverem obsoletos e os preços destes forem irrisórios.

Munhoz
Visitante
Munhoz

Índia tem P 8, C 17 acha mesmo que os EUA vão deixar de vender o F 35 ?

Os EUA vão vender para tentar desviar a atenção da China para o mar do sul, acelerando uma corrida entre China e Índia.

Índia já comprou o Rafale é provável uma outra parceria para um caça de 5º.

A Russia a China apanhando para desenvolver um caça de 5º, tinha como único empecilho a parceria da Russia/ Índia para uma parceria Russia / China.

Jose De Deus
Visitante

Creio que a atenção Americana irá se concentrar no Japão para barrar o crescimento das forças Chinesas no Mar do Sul, No momento eles dependem de ver no que se sucederá entre as Coreias,, pois nenhum dos vetores furtivos Americanos são adequados ao sistema defensivo territorial Japonês. Se as Coreias se unirem o Japão terá mais uma potência inimiga às suas costas.

Mark
Visitante
Mark

Só tem dois caças de quinta geração nesse quadro aí, estão ao centro.

ODST
Visitante
ODST

Só que um deles não pode ir para a guerra, a não ser que as condições climáticas estejam perfeitas e a resistencia seja mínima…

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A questão dos raios já foi resolvida há muito, tanto que ele hoje opera em Okinawa,onde o clima é tropical e úmido.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Exatamente

Mark
Visitante
Mark

HMS TIRELESS, não adianta falar. Para os crentes, se não for publicado pela sputnik, não é verdade.

cerberosph
Visitante
cerberosph

A india descobriu o obvio, antes tarde do que nunca ao contrario do Brasil, e viu que a tal de ToT, para ingles, ver não tem vantagem pois não se garante a assimilação e permanência deste aprendizado muito menos nas mãos de quem. No futuro, quando o caça estiver pronto, ela compra mais unidades e mais barato.

cerberosph
Visitante
cerberosph

o site devia permitir a edição dos comentário.
A Índia descobriu o óbvio, antes tarde do que nunca ao contrario do Brasil, e viu que a tal de ToT, para inglês ver, não tem vantagem pois não se garante a assimilação e permanência deste aprendizado e muito menos nas mãos de quem vai permanecer. No futuro, quando o caça estiver pronto, ela compra mais unidades e mais barato.

Bosco
Visitante
Bosco

Avião stealth é igual gravidez…. não existe “meio” grávida. Com a tecnologia AESA ser meio stealth não vale nada.
E já tá chegando a tecnologia AESA de GaN, que irá no minimo duplicar o desempenho dos AESA atuais. A vida não será fácil pra quem não for stealth.

Jose De Deus
Visitante

KKKKKK É Bosco, Já ouviu falar em gravidez psicológica? Pois é, Muitos floristas assim como algumas nações (ex: Irã com o Akaer) acham que é possível e continuam insistindo nisso.

Bosco
Visitante
Bosco

O pessoal pega no pé do F-35 mas fato é que a mesma turma exalta os caças de 4,5ªG do Ocidente por terem RCS “pelado” menor que 1 m², e isso em pleno ano do Senhor de 2018. Em configuração de combate passam de 3 m² Os americanos na década de 80 já voavam o gigantesco bombardeiro B-1B com RCS menor que 1 m² e capaz de levar 30 t internamente. Na década de 60 já tinham o U-2 e SR-71 com RCS menor que 0,1 m². O Su-57 é tão furtivo quanto um Rafale “limpo”, mas tem a vantagem… Read more »

Jose De Deus
Visitante

Bosco, Ao que já entendi nas leituras que fiz, Os Russos não têem a preocupação e nem pressa para desenvolverem o SU-57 como um furtivo legítimo, Na verdade eles estão desenvolvendo um vetor para caçar aviões furtivos. É fácil ver que tal vetor se encaixa perfeitamente no sistema defensivo Russo, assim com o F-22 e o F-35 se encaixam perfeitamente ao sistema defensivo da USAF. O perfil Americano é jogar no ataque, é fácil ver as peças de ataque Americana em toda parte do mundo. O projeto de um caça furtivo para os Indianos teria que ser feito a partir… Read more »

Jose De Deus
Visitante

Errata: Sistema ofensivo Americano.

Alex
Visitante
Alex

Muito bem posto Jose. O Su-57 e um cacador de Stealth, e nao um aviao de ataque como o F-35. Porisso que a enfase foi de diminuir a secao radar de frente ao inves do avaiao como um todo, como no caso do F-22. Doutrina muito diferente do que os EUA, portanto o aviao e diferente, e de fato nao serve para aquilo que a India quer. Nao se encaixa com a doutrina Indiana.

marcelo
Visitante
marcelo

pelo raciocínio de vcs o su 57 e um caçador de Stealth , mais me explique como um caçador de Stealth pode não ser stealth tb ???, ja que pela logica, se o su 57 não for tao stealth quanto o f-22 ou f-35 ele vai ser visto primeiro e consequentemente sera atingido primeiro ???
não entendi essa logica do caçador de stealth que vcs falaram ?????

Jose De Deus
Visitante

Marcelo, As táticas de quem está interessado em praticar um ataque necessariamente necessita ser furtiva ao máximo, deve se chegar de assalto e render o oponente com rapidez e sutileza, Mas no caso do defensor, este precisa se mostrar estar pronto, atento e capaz de agir com rapidez e astúcia impedindo a ação do atacante. Razão pela qual todo mundo divulga seus sistemas de defesa e sempre escondem as característica importantes de seus sistemas de ataque. O fato de usar um avião furtivo em uma guerra não significa garantia de vitória mas certamente significa uma intensa necessidade do defensor estar… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Coloquei um comentário equivocadamente lá embaixo.

Groo_SP
Visitante
Groo_SP

Tava pensando nisso, se essa informação da falta de furtividade do Su-57 proceder, pode ficar no Su-35.
Alguma notícia do caça de 5ª geração que a MiG propôs desenvolver com os EAU?

Jose De Deus
Visitante

Groo, O projeto do S-35 é composto por diversas qualidades que são inquestionáveis, sem dúvidas um vetor de muito respeito mas já está no limite das atualizações e integrações de novos sistemas, É interessante ver alguns dos mais modernos portando casulos de sistemas eletrônicos nas pontas das asas. Se foram inseridas alí, certamente foi por falta de espaço interno ou porque teriam que retrofitar todo o avião substituindo sistemas antigos por novos, mas aí poderiam estar removendo características importante e até necessárias ao desempenho da aeronave. Furtivo ou não o SU-57 veio para ficar e tem lugar específico dentro do… Read more »

Groo_SP
Visitante
Groo_SP

Algumas técnicas de guerra eletrônica são maximizadas quando os transmissores estão localizados o mais distantes possíveis entre si, daí colocarem eles nas pontas das asas. O Typhoon e o Growler também utilizam transmissores nas pontas das asas. Não posso afirmar, mas pode ser que o Gripen E também use transmissores nos trilhos dos mísseis nas pontas da asa.

Bruno w
Visitante

Nessa matéria não diz um detalhe que pode está pesando também para a saída dos indianos : Corrupção.. A uns 30 dias li uma matéria de um blog lá na Rússia e dizia o seguinte , “a ministra de defesa indiana iria na Rússia no inicio de abril para assinar um contrato, que estava já tudo acertado só faltava a assinatura..para a aquisição de 112 ou 114 helicóptero ( não me lembro o modelo) , também ia conversar sobre o FGFA” . Em outra matéria tinha ” que a justiça indiana investigava a aquisição pela Índia de um PA Russo”.… Read more »

Bruno w
Visitante

Verdade é que a Índia não conseguira operar uma quantidade grande de F35 caso compre ..única chance para Índia é se juntar com alguem e desenvolver seu 5° geração , por que comprar e operar 5° geração é bem diferente de operar Tejas ou MiG 21…Eles podem meter a mão no bolso ..

Jose De Deus
Visitante

KKKKKKKKK, Mas qual bolso? Como se juntar a alguém em outro projeto? Acabaram de sair de um; e ainda queimaram um bocado de dinheiro nisso. Como vão operar o Tejas se este nem alcançou o desenvolvimento necessário? Precisamos ver as coisas com a mesma seriedade das precariedades que nos assola.

Jose De Deus
Visitante

Off topic : Read more → KC-390: Governo português cancela programa de modernizaçao do C-130 Hércules( saiu no Defesa Aérea & Naval). Será que agora sai o contrato de compra?

Bosco
Visitante
Bosco

Vale salientar que até as velhas e acaloradas discussões acerca da redução do RCS dos caças de 4,5ª G é só um processo de enxugar gelo. No frigir dos ovos um caça pelado com RCS de 0,1 m² fica com RCS de 3 ou 4 m² quando armado e é esse o “valor” que conta.

Jose De Deus
Visitante

Verdade, Aja visito o baixo interesse no F-18 com RCS reduzido. Aquilo é na verdade enfeite para agradar á nós que somos fans destas máquinas maravilhosas. Não é uma solução…

Munhoz
Visitante
Munhoz

Tinha um estudo sobre casulos stealth para o transporte de armas no F 18 E/F, sera que reduziria até que ponto a assinatura, e sera que estes casulos no F 35 aumentariam até que ponto sua assinatura ?

Gabriel
Visitante
Gabriel

Concluindo:
A Rússia e China ainda tem que comer muita poeira para projetar e produzir um vetor 5G “que solte pecinha” (imagina sem soltar).

Plinio Junior
Visitante
Plinio Junior

Esta notícia mostra que o programa Su-57, mantido em total sigilo pelo governo russo, vem tendo dificuldades em atender as demandas de seus usuários, assim como o F-35, não duvido que o J-20 seja isento de problemas. Não duvido da capacidade de russos ou chineses, a grande realidade é que ambos estão atrás dos americanos no que refere-se a vetores de 5G. e tem-se um longo caminho para chegarem ao mesmo patamar ou mesmo superar os americanos nisto…ao menos por enquanto….

Lyw
Visitante
Lyw

A índia vai fazer igual no programa FGFA. Cancelou o programa e depois comprou de prateleira.
Agora suspendeu os investimentos no desenvolvimento da versão local e acredito que vai acabar comprando de prateleira uma versão de exportação qualquer.

Walfrido Strobel
Visitante

Decisão inteligente.

Karl Bonfim
Visitante
Karl Bonfim

Tudo conspira para que o F35 A, B e C seja adquirido pela Índia!

Bruno w
Visitante

Segundo os Indianos não teria como operar o F35 com a logística que eles tem disponível , tipo petroleiros ,hangares apropriados etc…e também eles não concorda com o controle dos americanos dum tal código fonte…a não se que os americanos faça algo de “compadre” com eles…

João Borges Queiroz Júnior
Visitante
João Borges Queiroz Júnior

Considerando que a Índia quer:
1. Transferência de tecnologia;
2. Fabricação local e Offsets; e
3. Que o fabricante se responsabilize pela qualidade dos aparelhos fabricados localmente (o que, inclusive, resultou no fracasso do MMRCA com o Rafale),

Qual outro vetor de 5ª geração atenderia a esses requisitos?

Gilmar
Visitante
Gilmar

E querem tudo isto a preço de banana.

Nonato
Visitante
Nonato

Mas eles estavam participando do desenvolvimento do SU 57?
Ou entrariam agora numa “tropicalizacao” do SU 57 com requisitos específicos tipo o Brasil com o gripen F?

rustam bogaudinov
Visitante

If so, then to God that they are gone! If they were telling the truth, they did not participate in it! author of the article Ukrainian Rabin Johnson raises many questions

Se sim, então para Deus que eles se foram! Se eles estavam dizendo a verdade, eles não participaram! + autor do artigo ucraniano Rabin Johnson levanta muitas questões

rustam bogaudinov
Visitante

Since 2012, the development of FGFA has actually been in a “dangling” position due to problems with mutual financing and technology transfer by the Russian side. At the beginning of 2016, there were reports of agreement reached by both parties to continue work on the joint development and production of FGFA, with the assumption of allocating $ 3.7 billion to each of the parties for R & D (including $ 1 billion in the first year) . However, a formal agreement on this has not yet been signed. As one can judge, after encountering technical and financial difficulties in implementing… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Jose, O Ivan (o Antigo) considera que a utilização primária do Su-57 é atacar os HVA (high value asset), que são os AWACS e os aviões tanque. Você já considera que seja um caçador de stealths. Todas as notícias dão conta de que ele será compatível com um amplo arsenal ar-sup, contradizendo os dois. Eu não acho que , em se confirmando um RCS frontal maior que 0,1 m² que ele possa se arvorar em ser um “caçador de stealths”. Hoje, há dúvidas se os dois “radares” banda L são mesmo radares ou se são dispositivos de detecção de RF… Read more »

Jose De Deus
Visitante

É mais do certo que o Ivan(o Antigo) decifrou a visão dos Russos de prever a lógica Americana em desenvolver e integrar todos os seus meios num sistema de ataque e defesa totalmente furtivo e já num futuro muito próximo(agora). Se o avião Russo tiver as características e as possibilidades de atacar os AWACS e os reabastecedores furtivos deste sistema, então eles vencerão o combate pois dependendo de outros fatores o ataque teria que ser abortado. Bonito isto mas para alcançar estes objetivos dependem de diversos fatores em si. O próprio desenvolvimento do projeto demonstra isto, pois muita coisa mudou… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Os radares PESA modernos também possuem modo LPI.

LPI não é algo inerente aos radares AESA.
Não é algo que os módulos fazem.

É apenas a capacidade de mudar a frequência a cada interrupção, de modo que a energia média em cada frequência permaneça em níveis baixos.

Utilizar um modo LPI, com certeza, REDUZIRÁ as capacidades do radar.
Ou seja, você vai operar de forma mais discreta, porém terá um raio de detecção menor.
E isso acontece tanto para PESA como para AESA.

Bosco
Visitante
Bosco

Nunca li nada a respeito de radares PESA operarem no modo LPI. Valeu! De qualquer modo, ainda assim fica complicado para um “semi-stealth” ser um “matador de stealths”. Fazendo um exercício de imaginação podemos supor que um caça stealth (VLO) esteja operando com seu radar no modo LPI para reduzir as chances de ser detectado. Vamos supor também que o caça semi-stealth (nível LO) esteja igualmente operando seu radar no modo LPI. Vamos supor também que ambos os radares tenha o mesmo desempenho. Por exemplo, o radar do F-22 é tido como sendo capaz de detectar no modo “busca de… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

E tinha um bocado de gente que defendia que o Brasil entrasse nesse barco aí…

Jose De Deus
Visitante

Exatamente isto Bardini, Muitos imaginam que é somente comprar um determinado número de aviões armados que estaremos seguros, Mas com tanta tecnologia à disposição de qualquer um, ter aviões pode não dizer nada. Uma nação precisa estar ciente de suas posições como ator político, diplomático e financeiro, conhecer bem os amigos e os inimigos, estabelecer as metas de prazos e planos de investimentos para a construção e manutenção de um sistema seguro e confiável de segurança. Podemos citar como exemplo o Japão que apesar de contar com planejamento e um alto investimento financeiro em defesa esta passando por momentos de… Read more »

Jose De Deus
Visitante

Ainda à tempo, Não ajudará muito comprarmos mais de uma centena de Gripen E se não investirmos na compra dos demais equipamentos para construirmos a rede de comunicação e integração dos vetores com os AWACS, com os satélites, com as bases os centros de comando. O Gripen pode até ser um pernas curtas, mas com sistema integrado, bases posicionadas em uma boa distribuição territorial e uma logística consistente, Eles pode até mesmo segurar ataques por vetores furtivos com muito sucesso.

rustam bogaudinov
Visitante

Bardini 22 de Abril de 2018 at 17:00
E tinha um bocado de gente que defendia que o Brasil entrasse nesse barco aí…
___

Does Brazil have money? or do you want to get everything for free? at the expense of the Russians?

___

Brasil tem dinheiro? ou você quer ter tudo de graça? às custas dos russos? 🙂

Jose De Deus
Visitante

Rustam, O Brasil assim como a India, podem até ter todo o dinheiro necessário para adquirir alguns material bélico no mercado, mas ainda não têem políticas e nem filosofia de investimento em defesa, Não investem em um sistema, compram algumas peças que acham interessantes, uteis á determinada necessidade. Portanto, muito material bélico que serve aos Indianos poderá ser util aos Brasileiros. O sistema de defesa Russo é fabuloso, mas é uma imensa e onerosa diversidade para atores como Brasil, India e afins. Sds

rustam bogaudinov
Visitante

Jose De Deus 22 de Abril de 2018 at 18:33 __ I wrote the following: – Indian claims are ridiculous against the backdrop of the fact that they are now on the Su-35c began to look, where there is no unobtrusiveness. Actually, the reasons for the Indian refusal are stated in the article – “there is no money” for them. They hoped that the Russians would essentially make the PAK FA at their own expense, and the Indians would come to the ready, and as a result they would only slightly finish the plane in the spirit of the ICI.… Read more »

Cesar A. Ferreira
Visitante
Cesar A. Ferreira

Faltou dinheiro, mas cedo, ou tarde, o orçamento indiano teria que se mostrar finito…

Nonato
Visitante
Nonato

Rustam, em outro comentário questionei o que seria exatamente esse FGFA. O su 57 já está quase pronto. Qual é a lógica desse outro programa? Seria o aperfeiçoamento do su 57? Como assim? Mais furtivo? Melhorar desempenho? Radar melhor? Você também falou sobre o Brasil não ter dinheiro, o que em parte é verdade. Mas me parece que a Rússia também não tem, mas tem a defesa como prioridade é consegue desenvolver muita coisa com pouco dinheiro, diferente da indústria ocidental onde qualquer avião, míssil, navio custa bilhões. Na China, parece que a mão de obra é barata, aço também,… Read more »

Leo Neves
Visitante
Leo Neves

A Rússia sozinha ou não no projeto o Su-57 continua uma bela aeronave.
https://youtu.be/FMzFtcTLFSQ

Fernandes
Visitante
Fernandes

Acredito que a aproximação Rússia-China, aliada a recursos limitados, eliminou as chances do SU-57 na India. Qual a vantagem de ter um caça igual ao aquele que seu potencial inimigo tem, e em maior quantidade que a sua? A reaproximação Rússia-China para fazer frente aos EUA parece ser uma realidade nos últimos tempos e é de se esperar que continue aumentando no futuro. A India vai continuar em sua política errática até aparecer algo de prateleira que a atenda melhor. Poderia ser o F-35, mas como querem dois motores e por sua posição geográfica, acredito que tem grandes chances de… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Deixando as torcidas de lado. Vamos analisar pela lógica: Se os caças de 5a geração russo e chinês (Su-57 e J-20), fossem tão ruins como alguns consideram. Possuíssem RCS equivalente aos caças de 4a geração, etc. O Japão consideraria um caça híbrido entre F-35 e F-22 ou estaria satisfeito apenas com o F-35 e F-15? Os EUA considerariam entre retomar a produção dos F-22 ou partir para um sucessor do F-22 ou estariam satisfeitos apenas com os F-35? A verdade é a seguinte: O F-35 é um produto excelente, porém foi desenvolvido com FOCO em missões de ataque. Justamente porque… Read more »

Groo_SP
Visitante
Groo_SP

As informações são conflitantes. A Boeing afirma que consegue reduzir o RCS frontal de um F-15 para os níveis do F-35 mas consegue reduzir o F/A-18E apenas marginalmente. A Índia reclama do RCS do Su-57. O F-15 levaria armas nos tanque conformais, o F/A-18E em pods furtivos e o Su-57 em baias internas. A única maneira da Boeing não estar mentindo sobre o F-15SE e F/A-18E é se estiverem considerando o RCS global deste último, ou seja o RCS frontal, lateral e traseiro. O design do Su-57, aparentemente, parece otimizado para a redução do RCS frontal. A furtividade é obtida… Read more »

MadMax
Visitante
MadMax

A 5° geração é pra quem pode $ não é pra quem quer. A índia deve ter visto o quão salgado é pulou fora.