Home Aviação de Ataque Caça F-35 solta pecinha

Caça F-35 solta pecinha

12027
68
F-35B do USMC decolando de um navio de assalto anfíbio

Fuzileiros navais usam impressora 3D para fazer peça de reposição para caça F-35B

OCEANO PACÍFICO – O Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC) com o Batalhão Logístico de Combate 31 (CLB-31) da 31ª Unidade Expedicionária dos Fuzileiros Navais (31ª MEU), agora é capaz de “’manufatura aditiva’”, também conhecida como impressão 3D.

Este processo inovador usa software de impressão 3D para dividir um modelo digital em camadas que podem ser reproduzidas pela impressora. A impressora constrói o modelo a partir do zero, camada por camada, criando um objeto tangível.

O sargento Adrian Willis do USMC, um técnico de computador e telefone, disse que ficou emocionado ao ser selecionado por seu comando para trabalhar com uma impressora 3D.

Impressão em 3D é o futuro

“Acho que a impressão 3D é definitivamente o futuro – é absolutamente a direção que o Corpo de Fuzileiros Navais precisa seguir”, disse Willis.

O Corpo de Fuzileiros Navais tem tudo a ver com realização de missão e autoconfiança. No campo de treinamento, os recrutas dos Marines são ensinados a ter uma mentalidade de “solucionar”, e a impressão em 3D é o próximo passo para um Marines que se orgulha de sua auto-suficiência.

“Encontrar soluções inovadoras para problemas complexos realmente remonta aos nossos princípios fundamentais como fuzileiros navais”, disse Willis. “Tenho orgulho de fazer parte de um novo programa que pode ser um divisor de águas para o Corpo de Fuzileiros Navais”.

Os fuzileiros navais desdobrados aqui usam sua impressora 3D como alternativa, fonte temporária de peças. Como uma unidade permanentemente desdobrada, é crucial que a 31ª MEU tenha acesso às peças de reposição necessárias para operações sustentadas.

A missão do 31º MEU – deslocar-se a qualquer momento quando a nação precisar – não é propícia a esperar por peças de reposição embarcadas do outro lado do mundo. Portanto, as capacidades de impressão 3D se encaixam no mandato expedicionário da MEU.

Sargento Adrian WillisCorpo do Corpo de Fuzileiros Navais, um técnico de computador e telefone do Combat Logistics Batalion 31, da 31ª Unidade Expedicionária de Fuzileiros Navais, se prepara para imprimir um modelo 3D a bordo do navio de assalto anfíbio multi-missão USS Wasp desdobrado no Oceano Pacífico, 7 de abril de 2018 – Foto: USMC

‘Consertar à Frente’

“Enquanto navegamos, nosso lema é “Consertar à Frente”, disse Daniel Rodriguez, chefe de manutenção do CLB-31. “A impressão em 3D é uma ótima ferramenta para fazer isso acontecer. O CLB-31 agora pode trazer essa capacidade para funcionar exatamente onde é mais necessário – em uma MEU desdobrada em posição avançada”.

Provando este conceito em 16 de abril, o Marine Fighter Attack Squadron 121 voou com sucesso uma aeronave F-35B Lightning II com uma peça que foi fornecida pela impressora 3D do CLB-31. O F-35B tinha um pára-choques de plástico em uma porta de trem de pouso se desgastando durante uma recente missão de treinamento.

Apesar de ser uma peça pequena e simples, o único meio convencional de substituir o pára-choque era encomendar toda a peça da porta – um processo demorado e caro.

Usando um recém-lançado processo da Naval Air Systems Command para peças impressas em 3D, o esquadrão conseguiu imprimir o pára-choque, aprovado para uso e instalado em questão de dias – muito mais rápido do que esperar por uma peça de substituição dos Estados Unidos.

Marine Corps Chief Warrant Officer 2 Daniel Rodriguez, chefe de manutenção do Combat Logistics Batalion 31, da 31ª Unidade Expedicionária de Fuzileiros Navais, segura um pára-choque de plástico impresso em 3D para uma porta de trem de pouso do F-35B Lightning II a bordo do navio de assalto anfíbio multi-missão USS Wasp no Oceano Pacífico, em 19 de abril de 2018. Os fuzileiros navais do CLB-31 agora são capazes de “manufatura aditiva”, também conhecida como impressão 3D, que é a técnica de replicar modelos digitais em 3D como objetos tangíveis. Foto: USMC

‘Meu recurso mais importante é o tempo’

“Como comandante, meu recurso mais importante é o tempo”, disse o tenente-coronel Richard Rusnok, oficial do Corpo de Fuzileiros Navais. “Embora nosso pessoal de suprimentos e logística faça um excelente trabalho nos obtendo peças, ser capaz de fazer rapidamente nossas próprias peças é uma enorme vantagem.”

O VMFA-121 também fez história em março como o primeiro esquadrão F-35B a ser desdobrado em apoio a uma MEU.

Aproveitando ainda mais a capacidade de impressão 3D da MEU, a equipe de eliminação de material explosivo da MEU solicitou uma peça de modificação que atua como lente para uma câmera em um pequeno veículo terrestre não tripulado iRobot 310 – uma parte que não existia na época.

A equipe de impressão 3D do CLB-31 projetou e produziu a peça, que agora está em operação e protege as lentes frágeis do drone.

Os modelos para o pára-choque de plástico e a tampa da lente serão enviados para um banco de dados de impressão 3D do USMC para torná-los acessíveis a qualquer unidade com as mesmas necessidades.

A 31º MEU continua a debater novas oportunidades para sua impressora 3D, como peças de aviação e dispositivos mecânicos que podem ser usados ​​para corrigir problemas do dia-a-dia. Embora apenas nos estágios iniciais de desenvolvimento, disseram as autoridades, a 31º MEU continuará a empurrar o envelope do que a impressão 3D pode fazer no esforço contínuo para tornar a MEU uma unidade mais letal e auto-suficiente.

FONTE: U.S. Department of Defense

68
Deixe um comentário

avatar
34 Comment threads
34 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
44 Comment authors
Matheus FonsecaIvanRinaldo NeryTadeu MendesAlmeida Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ozawa
Visitante
Ozawa

Evolução mesmo será quando fizerem um F-35 pronto, acabado e operacional, completo, por manufatura aditiva. Serão as versões A, B, C, os 3 em D . . .

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Mestre Ozawa, resolveram por uma fração de tempo e preço um problema que iria não apenas custar caro como iria imobilizar um vetor por um tempo considerável. Resta claro haver uma evolução aí.

No mais essa notícia me fez lembrar o filme “O destemido senhor da guerra” onde o Sargento Highway (Clint Eastwood) dizia que o Marine “Improvisa, adapta, supera”. E foi exatamente o que fizeram aqui.

Ps: qual peça do F-35 afinal se soltou?

Ozawa
Visitante
Ozawa

Sim, caro Tireless, foi uma licença folclórica minha. É que a fase atual do Joke Strike Fighter está mais para alvo do que caça . . . Ao menos num cenário de combate retórico . . .

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Não sei se ele anda tão “Joke” assim! Recentemente houve alguns fatos que reforçam a confiança no caça.

Marcos10
Visitante
Marcos10

A peça que soltou (desgastou, quebrou…) foi o pára-choque de plástico de uma porta de trem de pouso. (Daniel Rodriguez, chefe de manutenção, segurança a dita coisa na mão – terceira imagem).

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A peça não se soltou mas sim estava desgastada. São situações completamente distintas.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

É… Esse F-35 definitivamente não foi uma boa escolha para os EUA.

Topol
Visitante
Topol

Será que essa aeronave é mesmo stealth ? Esse F-35 ainda tem que se provar, tenho minhas dúvidas se ele é tudo isso que apregoam por aí… se fosse bom a USAF não estaria se debatendo para reabrir a linha do F-22 nem postergando desesperadamente a vida útil de seus F-15 alguns com mais de 30 anos

Marcos
Visitante
Marcos

Qual foi a pecinha que soltou?

Isso é dor de cotovelo por causa do PAKFA?

MBP77
Visitante
MBP77

Também acho estranho o título do texto, tirando de foco do avanço que a impressão 3D trará à cadeia de suprimentos. Ainda que eu concorde que o programa do F-35 apresente vários problemas em seu desenvolvimento, aqueles só são conhecidos pela imprensa especializada dadas as características inerentes às democracias ocidentais e que possibilitam maior acesso à informação e à existência da própria imprensa especializada independente e multifocal em si. Tais veículos de mídia e seus respectivos debates existem na China e/ou Rússia? Por fim, alguém acredita mesmo que os programas de aeronaves de 5ª geração russo e chinês não sofrem… Read more »

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Desculpe, mas não entendi o título, no texto está: “O F-35B tinha um pára-choques de plástico em uma porta de trem de pouso se desgastando durante uma recente missão de treinamento” não diz que se soltou.

JT8D
Visitante
JT8D

Acho um absurdo as gororobas que falam sobre impressão 3D, como se fosse uma mágica capaz de materializar uma peça vital de um caça em plena frente de combate. Vejam que a “peça” no caso dessa reportagem era uma minúscula parte de plástico, sem nenhuma complexidade ou requisito de suportar altos esforços mecânicos ou temperaturas elevadas. Um leigo lendo esse tipo de notícia pode até pensar que seria possível produzir por impressão 3D uma palheta de turbina, por exemplo.

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Isso mesmo.
Já vi um simples parafuso de avião de 10cm custar milhares de dólares. Isso pq é feita com uma liga de couro de dragão com barba do Gandalf pra poder aguentar as forças e temperaturas.
Uma peça de plástico comum jamais aguentaria isso.

RicardoNB
Visitante
RicardoNB

Eita, Sputnik está perdendo feio rs…

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Galante, dias atrás eu postei sobre a qualidade de fabricação da Boeing nas linhas do F-15 e F-18. “parafusos faltando, invertidos ou fora de especificação, orifícios grande demais, componentes faltando ou incorretos, instalados na linha de produção”.

É, tanto pelo selo “Made in USA”. Quem sabe o Pentagono não começa a transferir as linhas de produção para a China como as empresas de eletroeletrônicos fizeram décadas atrás…

https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-04-16/boeing-cited-by-pentagon-over-quality-concerns-going-back-years

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz
Mark
Visitante
Mark

Eu já tinha visto o suo de impressão 3D por militares na TV, mas com esse título aí, pensei em um assunto completamente diferente. Foi estilo Sputnik hehehe

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

O título da matéria foi extremamente sensacionalista. Desgaste de peças é algo comum de ocorrer em aeronaves e o fato de os marines estarem conseguindo imprimir uma nova em uma impressora 3D prova que – diferente do que o título faz parecer – este é um acontecimento que não acarreta maiores problemas. Em suma, matéria muito boa, porém com título a nível Sputnik.

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

Se o cheque passado a Lockheed não tivesse sido em branco, talvez o F-35 já estivesse completamente operacional.

Eu nunca vi alguém passar um cheque em branco para um pedreiro construir um casa. O cara vai fazer de tudo para arrastar e enfeitar o negócio pra conseguir o máximo de dinheiro possível.

Lockheed é a mesma coisa, agora o caça solta peça e ao invés da Lockheed pagar pelo erro, quem paga é o governo. Daqui a pouco um F-35 cai, a Lockheed diz que é um problema crítico e pede uns 5 bi pra consertar.

Ivan
Visitante
Ivan

…” quem paga é o governo.”
.
Não.
Governo é apenas o síndico de plantão.
Quem paga é o Tesouro, que é do Estado e abastecido pelo dinheiro dos tributos, ou seja, quem paga é o contribuinte.
Tanto lá como ‘cá’.

Delfim
Visitante
Delfim

Fabricar a peça em vez de encomendar uma original que além de cara, provavelmente quebraria também, é permitido pelo contrato ?
Sim, os Marines tem que se virar, mas business is business.

Washington Menezes
Visitante
Washington Menezes

Só tem um problema, se não for a autorizada a fabricar a peça eles perdem o seguro, este f35 já era não tem reembolso.

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

[Meio-Off]
0 hino carnaval em Veneza tem tem tudo haver com o atual estado do F-35
Um “Bug” aqui um “Bug” lá
Um “Bug” aqui um “Bug” lá
Deve ser por isso que tem gente que defende a MB (já que a FAB escolheu o Gripen E/F) a opera o mesmo (embora o hino é da FAB).
……….
Brincadeiras a parte os EUA tem como visão de que dominar o processo de impressão 3D será uma potencia militar relevante/dominante por isso tem tanta pesquisa na área!!!! Até mini carro em 3D já fabricaram!!!!

edimur
Visitante
edimur

Milagre o BOSCO ainda não se manifestou em defesa kkkk

MGNVS
Visitante
MGNVS

HAHAHAHAHAHA…

MGNVS
Visitante
MGNVS

HAHAHAHAHA…
Agora mesmo vao começar so chiliques so pq o editor fez uma piada com o fato do F-35 soltar “pecinhas” .

Rindo muito em: 3…2…1…

HAHAHAHA.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Matéria com título forçado para agradar os russófilos, mas ao contrário dessa mentira a matéria sobre o fiasco do su-57 é bem real, imagino a dor do editor ao postar aquela matéria, foi tanto que até inventaram essa : )

Caio
Visitante
Caio

Smoking o pessoal lê o título da matéria e já vem comentar, dá nisso.

Mk48
Visitante
Mk48

Não é isso Joli. Foi apenas para instigar as duas turmas que se engalfinham aqui, os a favor e os contra o F35.

Relax e escolha o seu lado….kkkkkkk.

Mk48
Visitante
Mk48

Desculpe Roberto, não entendi sua postagem. Tem a ver com o que eu escrevi acima ?

Abs.

Lucas Senna
Visitante
Lucas Senna

Algumas pessoas apenas querem ver o mundo pegar fogo kkkkkk

Antonio
Visitante
Antonio

E os indianos acabaram de emitir nota considerando que o F-35 não seria adequado para sua Força Aérea. kkkkkk

Marcos
Visitante
Marcos

E correram do atoleiro que é o projeto do SU57 que até agora só comeu dinheiro, não comprovou ser stealth e nem motor tem… Pelo menos o f35 voa para poder “soltar pecinha”!

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Isso, logicamente, sem falar no J-20 que além de precisar ser mantido em hangares com ar-condicionado não tem motores definitivos (usa os ALF-31 russos) e segundo os mesmos indianos pode ser detectado numa boa..rs!

Mk48
Visitante
Mk48

Exatamente Roberto Santana, kkkkkkkkk

Mk48
Visitante
Mk48

Sim, de fato. Eu acho muito saudável a não unanimidade. O debate e os pontos de vista diferentes, quando colocados de forma civilizada, é muito bom . Ocorre que tem muita gente que não conhece o assunto aviação ( eu por exemplo) e que escreve coisas absurdas , as vezes até agredindo os comentaristas contrários a sua opinião.

Eu opino muito pouco aqui. Minha praia é o blog naval.

Abs.

Luciano
Visitante
Luciano

Exatamente! As pessoas, de maneira geral, nao estão acostumadas a lidar com o contraditório de maneira civilizada e construtiva, especialmente na internet. Se o policiamento dos editores nao fosse constante, isso aqui viraria uma praça de guerra com todo tipo de ofensas por apenas lerem uma postagem de uma postura política diferente. O recurso da ironia de Galante no título foi muito provocativo e interessante! Assim q vi percebi q ia dar pano pra manga!

Nonato
Visitante
Nonato

Essas empresas complicam demais. Eu não dou valor a essas impressoras 3 D. Me parece algo muito artificial. Não precisa ficar colocando “tinta”. Basta ter a forma e o material certo e realizar o processo necessário. Seria possível usinar muitas peças de forma não artificial. Se precisa de aço então que se use aço e não uma tinta que simule aço. Para quem gasta bilhões com isso, essa minifabrica ambulante é café pequeno. Algo muito prático. Todas as especificações inclusive de composição, forma e processo de fabricação desdobrado seja em navios ou em bases no exterior. Até porque nem sempre… Read more »

Nonato
Visitante
Nonato

De repente é um parafuso, um fusível, botão, uma tela de cristal líquido sensível ao toque…
Não, precisa pedir ao fabricante.
Ah, o fusível está faltando. Daqui a seis meses a fábrica manda…
Não digo um motor, talvez um radar inteiro.
Mas muita coisa poderia ser fabricada na hora.
Qual a dificuldade de se fazer um parafuso?
Talvez uma parte móvel da asa, etc?
Não, usa material composto. E daí?
Se souber os ingredientes é só fazer.
Se precisar levar aço a altas temperaturas que seja feito…

Guizmo
Visitante
Guizmo

Fantástico usar a tecnologia 3D para substituir pequenos compenentes, praticamente em tempo real e baixíssimo custo. Deixa a operacionalidade de um vetor, muito maior

Marcos10
Visitante
Marcos10

O futuro é isso ai.
Daqui a pouco farão peças maiores. Surgirão compostos diferentes para uso de impressão, que deixarão o material com características similares ao aço, ao alumínio, borracha, etc.

W.K.
Visitante
W.K.

De fato, já existem impressoras 3d que produzem peças de metal.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Ja estao fazendo no MIT.

Tomcat3.7
Visitante
Tomcat3.7

Agora nem os editores podem fazer uma piadinha q os geração mimimi já chegaram ao site. Kkkkk Trágico!!!
Obs. Nenhum caça é, foi ou será perfeito e livre de problemas, mesmo q insignificantes, no decorrer de sua vida útil assim como qualquer veículo, máquina, equipamento.

Marcelo-SP
Visitante
Marcelo-SP

Uau! Que avião horrível, cujas peças desgastam-se!!! Bom é avião russo e chinês, que não solta peça e nem desgaste sofre… Um processo que tende a revolucionar a logística e a manutenção das forças militares acabou menor na matéria, para que se pagasse o tributo ao ressentimento dos russófilos com o post sobre a desistência dos indianos do PAK-FA. No Brasil é assim: para dizer algo desabonador do PT, o jornalista tem que dar uma paulada no PSDB; críticas à esquerda devem ser “equilibradas” com outras à direita; cutucou os russos, tem que malhar os americanos na sequência. Tudo em… Read more »

Celso
Visitante
Celso

O assunto aqui de maior importancia mesmo, seria sobre a impressao 3D e suas palicacoes tecnicas. Nao vou adentrar no assunto, mas com certeza q inumeras publicacoes tecnicas ja disponiveis poderiam dar mais e melhores detalhes. Qto a soltar ou nao pecinhas…..facam-me um favor, muita baboseira e comparacoes tolas. Na industria automobilistica, certos componentes em carater provisorio e de testes podem e sao usados rapidamente atraves de execucao em 3D. \mas se sao totalmente prontas acredito que nao (acabamento). Enfim, ai esta um otimo assunto para se exclarecer e aprendizado do que sera o futuro proximo. Sds

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Mesmo dando problemas e soltando pecinhas o F-35 está aí. Tem vitrine e voa, o que é o mais importante.
O Joint Strike Fighter é um projeto complexo, mas tem compradores e será utilizado ao máximo por esses, até para compensar o investimento e sanar o máximo de problemas, os quais uma aeronave de alta complexidade tem, opinião minha. Apesar de tudo, sem ideologias furadas, eu admiro esse caça.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

Excelente comentário Ivan!

Ivanmc
Visitante
Ivanmc

Valeu.

Russian Bear
Visitante
Russian Bear

O F-35 só será utilizado em teatros onde não há a força aérea ou sistemas de defesa de última geração. Jogar bombas em toyotas e t-55 é fácil, agora quero ver enfrentar os Su-35, J-20, PAK FA e os sistemas S-300 e S-400. Parabéns a trilogia pela imparcialidade das matérias. O tio Sam já tem sua hegemonia questionada.

Mark
Visitante
Mark

Meu bom deus o.O

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

O F-35 não apenas enfrenta todos esses sistemas que você citou como tem uma enorme chance de vencer viu meu caro Russian Bear, especialmente o Su-35, o PAK FA e o J-20…

Delfim
Visitante
Delfim

Um caça com quase 200 protótipos solta pecinha e o povo “aiiinnn… normal…”
Se fosse o F-39E que soltasse pecinha iam fazer um chilique… comprou no papel… só anão compra… não é americano… ou francês…

Bispo
Visitante
Bispo

Hummm… finalmente descobri porque o Pentágono torrou bilhões com o F35… lobby das fabricantes de impressoras 3D…rs

Marcos
Visitante
Marcos

É muito interessante que atualmente as impressoras 3D se replicam, grande parte de uma nova impressora 3D é impressa em outra impressora 3D.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Quando via a manchete da notícia achava que dessa vez todos os F-35 seriam sucateados e que a linha do TOMCAT seria reaberta.

Chamada: “Aqui e Agora!!”

Obs.: Li a matéria e mais uma vez fiquei impressionado como os Americanos estão na liderança de inúmeros processos. Não é a toa que Russos e Chineses estão bem preocupados com Eles.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Essa matéria ainda vai acabar sendo postada no Sputnik. E o mais legal vai ser o “crédito” ao final da matéria: FONTE: http://www.aereo.jor.br/2018/04/21/caca-f-35-solta-pecinha/#comment-444587

Almeida
Visitante
Almeida

Clckbait feio, hein editores? O título da matéria não tem a ver com o conteúdo. Assim terei que concordar com as críticas de que o blog está de perseguição com o F-35…

Almeida
Visitante
Almeida

Concordo, isso aqui era um site de notícias, está virando tablóide sensacionalista.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Putz! Magoaram os F35zetes…

Matheus Fonseca
Visitante

“Agora todas as peças se encaixam”

Aliás quando iniciei a leitura da matéria, fiquei imaginando o tempo todo um modelo da Mattel.