Home Aviação de Ataque Vídeo: Saab True Collaboration – 4º episódio

Vídeo: Saab True Collaboration – 4º episódio

1436
4

Como acontece a troca de conhecimento entre a Saab e a Indústria Aeronáutica Brasileira? Por meio da cooperação industrial, um processo complexo, que envolve não somente aspectos técnicos, mas também uma profunda interação entre as partes, e com um objetivo em comum: fazer com que o Brasil seja capaz de desenvolver, montar e manter uma aeronave supersônica – o Gripen – aqui no Brasil.

A enorme competência da Embraer, adquirida ao longo dos últimos anos, e sua posição no mercado internacional neste setor, fez da empresa o parceiro ideal para desenvolver e montar o Gripen aqui no Brasil.

Outra empresa brasileira de alta tecnologia envolvida no programa Gripen da FAB é a Akaer. Entre o projeto e o desenvolvimento de peças estruturais e o cálculo dessas peças, a Akaer já realizou mais de meio milhão de horas de trabalho, o que representa um salto de anos em termos de operabilidade.

Já a AEL, é a fornecedora de importantes equipamentos da cabine do caça Gripen, desenvolvendo três sistemas distintos: o Wide Area Display (WAD), o Head Up Display (HUD) e o capacete Targo (Helmet Mounted Display – HMD).

Entre outubro de 2015 e 2024, mais de 350 engenheiros e técnicos brasileiros das empresas parceiras da Saab irão à Suécia para participar de cursos e treinamentos presenciais, o que representará uma década de aprendizado e parceria intensa.

Assista aos outros vídeos da série clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
2 anos atrás

Haverá algun outro país a mais, além de Brasil e Suécia, participando projeto?

tomcat3.7
tomcat3.7
2 anos atrás

Vamo que vamo!!!

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

As coisas estão caminhando muito bem.

Ozawa
Ozawa
2 anos atrás

A FAB tem que erguer seu sabre alado mais uma vez diante desse projeto. Ontem, Lula e seus asseclas, sob a mesquinhez de seus egos políticos, tentaram, primeiro engavetar esse projeto e após substituí-lo, mas felizmente tiveram que ceder pela reação correta da FAB. Hoje, Temer e seus asseclas, sob a mesquinhez de seus interesses econômicos, querem entregar o projeto em franco andamento para mãos alheias ao seu desenvolvimento.