Home Aviação de Ataque Caça chinês J-10C entra em serviço

Caça chinês J-10C entra em serviço

12063
81
Caça J-10C

PEQUIM – O novo caça multifunção da China, o J-10C, começou o serviço de combate na segunda-feira, anunciou a Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF).

Equipado com um avançado sistema aviônico e várias armas ar-ar, o caça desenvolvido domesticamente tem capacidade de combate aéreo em alcance médio e próximo e é capaz de atacar com precisão alvos terrestres e marítimos, disse a Força Aérea em um comunicado.

É o caça supersônico de terceira geração da China e fez sua estreia quando o PLA comemorou seu 90º aniversário em julho de 2017 na base de treinamento militar de Zhurihe, na Região Autônoma da Mongólia Interior.

Shen Jinke, porta-voz da Força Aérea do Exército de Libertação Popular, disse que a Força Aérea vai avançar no treinamento e na prontidão para a guerra, e aguçar suas capacidades de defesa e ataque aéreo.

Ele também salvaguardará firmemente a segurança do espaço aéreo da China e os interesses estratégicos nacionais na nova era, disse Shen.

O novo jato é modificado a partir do caça J-10 e ajudará a melhorar as capacidades de combate e prontidão da força aérea, disse Wang Mingzhi, um especialista militar.

A Força Aérea está gradualmente construindo um sistema de combate adaptado à necessidade de guerra aérea informatizada, composta de caças de superioridade aérea, como a série J-11, caças multifuncionais como J-10 e J-16, e caças furtivos de nova geração como o J-20 e bombardeiros de médio e longo alcance como o H-6K, disse Wang.

FONTE: China Daily

SAIBA MAIS:

Subscribe
Notify of
guest
81 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Terceira geração caça novo estranho pensei que seria de quarta.A china sempre pensando em números e não em qualidade.A china deve está pensando em retirar todos os seus mig 21 que ainda tem na segunda linha e deve ter algumas centenas,pois lá esse negocio de reformas não funcionaria.

Luiz Campos
Luiz Campos
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

“Terceira geração na China equivale à quarta geração no ocidente”. É tão bom assim?

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  Luiz Campos
2 anos atrás

Sim e isso é devido a anos de trabalho no aprimoramento do J-10 e os avanços nos mais variados sistemas nos últimos tempo deram a versão “C” um status de equivalência com o F-16 nas suas versões mais avançadas. O processo de evolução do J-10 pode ser comparado com o do F-16 mas com uma diferença de tempo bem grande porque a aeronave dos EUA esta ai desde o final dos anos 70 enquanto o chinês faz poucos anos apesar de ter tido um desenvolvimento em um período médio. Então pelas versões serem sucedidas num espaço curto de tempo causa… Read more »

Gil
Gil
Reply to  Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Te equivocas, eles pensam em quantidade melhorando cada vez mais a qualidade do que tem.

MadMax
MadMax
2 anos atrás

Os números de J-10 atualizados/construídos nessa versão é que serão determinantes no poder aéreo chinês. Não é um super-trunfo mas é uma maquina que impõe respeito e se em números significativos se constituíram numa defesa difícil de ser transposta.

LSA decepcionado
LSA decepcionado
Reply to  MadMax
2 anos atrás

Adoro blá-blá-blá. Confere autoridade a um discurso vazio.

MadMax
MadMax
Reply to  LSA decepcionado
2 anos atrás

Obrigado meu fã, continue adorando.

Coutinho
Coutinho
Reply to  MadMax
2 anos atrás

Hehehehehehe, boa!

Jose de Deus
2 anos atrás

Talvez estas noticias circulando nos quintais vizinhos ajudem os Indianos a se decidirem por um vetor apropriado as necessidades deles, e so ha um com todas as caracteristicas. O Gripen E.

LSA decepcionado
LSA decepcionado
Reply to  Jose de Deus
2 anos atrás

O problema da Índia é mais complicado. Podem comprar o que quiserem, mas terão gente para fazer funcionar e gente para manter funcionando? Para entender a Índia é fácil, basta multiplicar o caos, o nepotismo e a ineficiência brasileiros por 20. A Índia depende de fornecedores externos para armas avançadas e não tem meios para realizar sua manutenção. Será sempre um tigre de papel.

Jose de Deus
Reply to  LSA decepcionado
2 anos atrás

Calma, Nem e’ tanto assim; A diferenca entre India e Brasil esta’ so’ nos numeros, mas populacional apenas. No mais e’ tudo do mesmo.

Jacinto
Jacinto
2 anos atrás

Salvo engano meu, havia a desconfiança de que Israel (ou empresas israelenses) teria transferido à China tecnologias sensíveis para produzir este caça – dai a sua similaridade com o o Lavi israelense. Os EUA não ficaram lá muito satisfeitos com isso, e o Congresso dos EUA aprovou uma lei que proíbe a venda dos F-22 a nações estrangeiras, incluindo Israel, que até então era um dos poucos países autorizados a receber o F-15.

LSA decepcionado
LSA decepcionado
Reply to  Jacinto
2 anos atrás

Não foi bem assim, só para dizer que não foi nada assim, mas valeu.

Jacinto Fernandes
Jacinto Fernandes
Reply to  LSA decepcionado
2 anos atrás

A Revista “the diplomat”, que é japonesa e tem bastante credibilidade, afirma que foi exatamente assim. É o que consta do artigo “imagine-f-22-raptors-for-export”, que qualquer um pode ler se fizer a busca.

Qual seria a sua versão dos fatos?

Quatzy
Quatzy
2 anos atrás

Brasil com 50 desses faria um grande estrago em combate.

Sky
Sky
Reply to  Quatzy
2 anos atrás

Combate contra quem? 50 desses podem ser muito ou nada.

Leonardo M.
Leonardo M.
Reply to  Quatzy
2 anos atrás

Tava demorando para alguém aparecer com esse comentário

A fáb deveria comprar o J-10, JF-17, F-20, Mirages 2000-5, F-16,F18,Rafales…

JT8D
JT8D
Reply to  Leonardo M.
2 anos atrás

Você esqueceu do F-35

Jose de Deus
Reply to  Leonardo M.
2 anos atrás

Kkkkkk So falta isto para nos igualarmos aos Indianos. Sds

Luiz Campos
Luiz Campos
2 anos atrás

Matéria publica da no aero.jor.br em 26/07/2015.
“A China e o Paquistão realizaram há alguns meses um exercício de combate aéreo chamado “Exercise Eagle”. Todas as informações obtidas sobre o exercício indicam que ocorreram combates simulados entre os caças chineses J-10 e os F-16 paquistaneses. Na maioria das vezes, o J-10 teria sido derrotado pelo F-16”.
Em três anos melhoraram bastante.

LSA decepcionado
LSA decepcionado
Reply to  Luiz Campos
2 anos atrás

Verdade. Além do aprimoramento os chineses contam com quantidade e baixo custo. F-16 são mais caros e importados pelo Paquistão, já os J-10 são em maior quantidade e fabricados localmente com custo bem menor. A vitória dos F-16 acorre em embates mano a mano. Embates de enxame podem ter resultados bastante diferentes.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Luiz Campos
2 anos atrás

Tem alguns pontos a serem considerados: os paquistaneses têm fama de ter excelentes pilotos e versão do J-10 usada provavelmente foi A que comparado com a versão do F-16 utilizada pelo Paquistão, ainda fica aquém.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Luiz Campos
2 anos atrás

Amigo e isso não quer dizer absolutamente NADA. Dá para afirmar que o F-16 Paquistanês é melhor que todos os J-10 Chineses, não! Dá para afirmar o contrário? tb não! Você teve acesso as regras de engajamento? Pode analisar se os pilotos chineses enviados estavam no mesmo patamar de adestramento que os paquistaneses? Tb não! Você teve acesso as matrículas dos aviões paquistaneses e chineses para detalhar quais aeronaves foram usadas e quais versões eram as mesmas, tb não! Então chefe… me desculpe… não é possível concluir nada com propriedade sobre isso, dá apenas para sermos induzidos a acreditar que… Read more »

Tiago Jeronimo ☠ (@TiagoJL)
2 anos atrás

Esse tem AESA?

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  Tiago Jeronimo ☠ (@TiagoJL)
2 anos atrás

Sim tem!

J-20
J-20
Reply to  Tiago Jeronimo ☠ (@TiagoJL)
2 anos atrás

Já tinha desde a versão B, mas na versão C, eles colocaram um radar mais confiável.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
2 anos atrás

Alguém sabe da capacidade dos mísseis chineses?

Eles estão próximos aos ocidentais em qualidade? Ou estão defasados?

Delmo Almeida
Delmo Almeida
Reply to  Rui Chapéu
2 anos atrás

Falta informação, mas estão progredindo também em um PG.

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  Rui Chapéu
2 anos atrás

Nem mesmo com relação aos misseis ocidentais podemos ter tanta certeza sobre as informações e mesmo sabendo do histórico de alguns ainda cabe alguma dúvida, mas o que posso dizer é que ninguém coloca os seus produtos com o status de principal se não confiassem.

Mas os PL-10 são citados como equivalentes aos AIM-9X, ASRAAM, A-Darter, IRIS-T,já o PL-12 aos AIM-120 e o PL-21 seria da mesma classe que o europeu METEOR com um alcance > 150km.

A área de desenvolvimento e produção de misseis é outra que a China vem dominando cada vez mais!

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Rui Chapéu
2 anos atrás

Pelo que vi em fóruns paquistaneses, o PL-12 tem um desempenho próximo do AIM-120 C, o que faz dele um bom míssil, mas um pouco distante ainda do Meteor. A China tem planos de também desenvolver mísseis ar-ar com propulsão ramjet, mas não tem nada de concreto por enquanto.

Ivanmc
Ivanmc
2 anos atrás

É um ótimo caça. Bela matéria.

Adriano R.A.
Adriano R.A.
2 anos atrás

E os chineses não vendem esses caças porque?
Não querem ou não conseguem?

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  Adriano R.A.
2 anos atrás

Esta é uma ótima pergunta e dou o meu pitaco que é mais por falta de querer mesmo. Se tem uma coisa que os Chineses são bons é em venderem seu produtos e na área de defesa isso vem acontecendo com uma frequência cada vez maior, e parte destas vendas são para nações que estão dentro do guarda chuva de influência de Pequim o que acaba facilitando e muito nas negociações. Acredito que já passou da hora de ofertarem o J-10 no mercado internacional porque várias nações ficam com opções bem restritas quanto a aquisição de aeronaves ou quaisquer tipos… Read more »

LSA decepcionado
LSA decepcionado
Reply to  Tiago Silva
2 anos atrás

Somente em 2016 os chineses manifestaram interesse em vender o J-10. Como participam de poucas feiras militares e o J-10 não participou de combates reais, a China conta apenas com preço e marketing. Estão engatinhando, mas certamente se tornarão grandes exportadores de aeronaves no futuro.

Jose de Deus
Reply to  Tiago Silva
2 anos atrás

Acho que seu discurso tira as chances opcionais de falarmos mais, divulgarmos mais um produto tbem ja’ e’ nosso, o Gripen E. E ainda digulva as chances de um futuro concorrente. Me desculpe ser chato. Sds

André Bueno
André Bueno
2 anos atrás
Ivanmc
Ivanmc
2 anos atrás

E já foram construídos cerca de 400 caças J-10.

TIGER 777
TIGER 777
Reply to  Ivanmc
2 anos atrás

Caraca, 400 caças, é um número de respeito.

Ivanmc
Ivanmc
Reply to  TIGER 777
2 anos atrás

É isso aí mesmo, TIGER777.

André
André
2 anos atrás

Esse J10 parece um cruzamento de F16 com Rafale. Mas até aí nenhuma surpresa, chinês é especialista em copiar descaradamente o trabalho alheio.

Jacinto Fernandes
Jacinto Fernandes
Reply to  André
2 anos atrás

Compare com o IAI Lavi…

André
André
Reply to  Jacinto Fernandes
2 anos atrás

Agora tudo se encaixa. Israel fez engenharia reversa em seis F16 e Dasaut Mirage. Depois, simplesmente a China desenvolveu o híbrido “não autorizado”

AL
AL
Reply to  André
2 anos atrás

Vdd Jacinto Fernandes. Cara de um, focinho do outro. André, tá mais para cruzamento de F-16 com Gripen. Ficaria Chengdu Aircraft Industry JAS J-10 Fighting Falcon, hehehehehe

J-20
J-20
Reply to  André
2 anos atrás

Comentários desse tipo não adicionam nada, então é melhor nem comentar.
Sobre o formato do J-10, os chineses realmente compraram os estudos dos israelenses na aerodinâmica do LAVI, o que não pode ser considerado uma cópia descarada, uma vez que eles compraram todos os estudos.
O que pode ser considerado cópia descarada é o J-15, pois eles pegaram o protótipo T-10k-3 da Ucrânia à preço de banana e fizeram o J-15 sem consultar os russos, uma vez que os chineses teoricamente não tem 100% dos direitos do Su-27 e nenhum do Su-33

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  André
2 anos atrás

Pode ser, mas é preciso muita competência para mandar um homem ao espaço somente copiando o trabalho alheio, inclusive porque não tem muito onde copiar.
O desenvolvimento tecnológico chines está acelerando em diversos campos, pois eles não se limitam a copiar. Copiam, aprendendo como se faz e aprimoram.

André
André
Reply to  EduardoSP
2 anos atrás

Concordo contigo. Eles copiam com o objetivo de assimilar a capacidade de produção já existente. Até aí, tudo bem, pois já diz o ditado: nada se cria, tudo se copia.
A grande questão é: cópia não autorizada é política de Estado. Uma espécie de pirataria estatal, onde tudo que interesse ao Estado chinês pode ser apropriado, inclusive a propriedade intelectual fora das fronteiras chinesas.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
2 anos atrás

y nuestros hermanos, no podrían adquirir esos aviones si los chinos ofrecieran?

JT8D
JT8D
Reply to  Karl Bonfim
2 anos atrás

El problema es la plata. Nada que no sea gratis les interesa

André Bueno
André Bueno
Reply to  JT8D
2 anos atrás

E Macri é alinhado com o Ocidente, não creio que cogitaria seriamente uma compra de aeronaves russas ou chinesas.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  André Bueno
2 anos atrás

Os argentinos tem sérios problemas com navios pesqueiros chineses invadindo suas águas, por isso acho que os chineses não são muito bem vistos por lá.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Karl Bonfim
2 anos atrás

Creo que la mejor opción para Argentina es una solución rusa o china, MIG-35 o JF-17 Block II. Así queda libre de embargos políticos e pueden contar con buen equipo.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Alex Nogueira
2 anos atrás

Mismo con dinero en las manos, creo los chinas no venderían el J-10C, ni la version J-10A creo…

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Alex Nogueira
2 anos atrás

Pero o JF-17……

Aos hermanos, los Thunder estariam de ótimo tamanho no momento. Seria algo novo e bom até que possam comprar algo ainda melhor. Detalhe, os chinas aceitam commodities como forma de pagamento.

Minha opinião.

Alessandro
Alessandro
2 anos atrás

bom para os chineses que será um caça 100% chinês, mas ainda sim o Gripen E será melhor que ele em questão de suíte e armamentos.

Jose de Deus
Reply to  Alessandro
2 anos atrás

Concordo e assino seu comenta’ario.

Pangloss
Pangloss
Reply to  Alessandro
2 anos atrás

100% chinês? E os motores, são chineses?

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Pangloss
2 anos atrás

Pois é, não dizem que a China compra motores da Rússia, alguém tem alguma informação, sobre a capacidade autóctone de produção de motores ??

Jacinto
Jacinto
Reply to  Tiger 777
2 anos atrás

Os chineses já produzem motores: WS-10 (várias versões), WS-15 e outros.
Tem lá seus problemas: ao que parece eles não conseguem alcançar os mesmos índices de eficiência (ou seja, produzem menos potência e de forma mais lenta) e são mais delicados do que os motores ocidentais ou russos, exigindo mais manutenção. Acredita-se que os problema na motorização de aeronaves da China tenham relação com a parte industrial: os chineses ainda não dominam técnicas industrias relacionados a alguns materiais compostos e cerâmicos… mas estão evoluindo e muito rapidamente.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Pangloss
2 anos atrás

Acredito que sim.

Em 2011 um J-10B voou com WS-10A. Motor chinês.
Foram fabricados “POUCAS CENTENAS” de J-10A e B e sem exportações, por causa da demora do desenvolvimento de motores chineses.

Agora em 2018, 7 anos depois, é bem provável que os chineses conseguiram atingir um nível ‘maduro’ em seus motores.
E a versão C, ao que tudo indica, utilizará um WS-10 melhorado.

Prevejo um aumento na produção e início de EXPORTAÇÕES.
Uma vez que com motor RUSSO, as exportações eram bem mais complicadas.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Os chineses ainda não produzem motores confiáveis. Sucessivos lotes dos motores WS-10 foram devolvidos pelo PLAAF por problemas de qualidade e ainda são comprados algo em torno de 100 motores ALF-31 da Rússia todos os anos.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Alessandro
2 anos atrás

Ufanismo tem limites, sabia?!

marcus
marcus
2 anos atrás

Algumas fontes fidedignas informam que ele já derrubou dois Ovnis.

JT8D
JT8D
Reply to  marcus
2 anos atrás

Depois de um violento dogfight

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 anos atrás

Off Topic:

F-22 desliza de barriga na pista depois que piloto comandou retração do trem de pouso prematuramente. O último que se acidentou de forma semelhante levou 5 anos e 35 milhões para retornar à linha de voo:
https://www.flightglobal.com/news/articles/f-22-raptor-skids-across-runway-at-navys-top-gun-sc-447789/

Luís Henrique
Luís Henrique
2 anos atrás

O J-10A seria equivalente à um F-16 C. Ambos com radar mecânico. O J-10B com radar AESA introduzido em 2008. ANTES que qualquer caça europeu e russo. O J-10B também conta com IRST e entrada de ar furtiva DSI. E várias outras melhorias. Agora eles estão introduzindo o J-10C. Provavelmente melhoraram o radar AESA. O motor deverá ser o chinês WS-10 aperfeiçoado. Dentre outras melhorias, ainda a serem reveladas. Em combates estilo dog fight, o J-10 é tido como superior ao J-11 e Su-30. Agora, na versão C, com novos armamentos, é osso duro de roer. Não é uma porcaria… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Não se trata de ser preconceituoso mas sim do óbvio ou seja, os sistemas de armas chineses ainda não se equiparam aos produzidos nos EUA.

Ademais a informação de que os chineses introduziram um radar AESA antes de europeus e russos me parece bem pouco crível, até porque em 2008 a variante AESA do RBE-2 já estava em sua fase final de provas.

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Podem não se equiparar mas fazem frente, e por este motivo vem sendo dada uma especial atenção aos avanços do poderio chinês nos últimos anos.

Quanto ao radar AESA tudo cabe dúvidas mas o desenvolvimento é uma competição contínua, e só para constar nem russos,nem norte-americanos e nem chineses, a primeira aeronave com radares deste tipo de série foram os F-2 do Japão!

Agora quem sabe vamos ver se rolam uma exportação!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Existe sim muito preconceito com Rússia e mais ainda com a China.
Não estou me referindo especificamente às suas opiniões, mas é evidente que o preconceito existe.

Pessoas duvidam das capacidades sem nem ao menos se informar.

Quando alguém apresenta um dado divulgado, DUVIDAM e falam que é tudo mentira.

Já se for sobre equipamentos europeus e principalmente dos Estados Unidos da América, ai qualquer dado é crível e realista.
E até as deficiências divulgadas, muitas vezes, são encaradas por muitos como ‘formas de conseguirem mais dinheiro para a Defesa’.

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Concordo!

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Duas publicações especializadas em aeronaves militares chinesas ja disseram que o J-10B usava radar PESA e o J-10C usa o AESA. Aqui está uma fonte: http://sinodefence.com/chengdu-j-10bc . Vou reproduzir o que postei aqui em 2017: “Segundo várias fontes o J-10B ja usa um radar AESA, algumas fontes até elogiam o fato de terem passado da tecnologia antiga para a AESA sem passar pela PESA. Mas existem controvérsias devido ao fato de terem divulgado em detalhes o radar do J-10A e até hoje não divulgarem nem o modelo deste radar AESA do J-10B. . Duas publicações especializadas em aeronaves chinesas, a… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Ok. Obrigado pelas informações. Não tinha este conhecimento. Sempre li que o J-10B já possuía radar AESA. De qualquer forma, o J-10C com AESA voou pela primeira vez em 2013. E foi introduzido em 2016. Ainda assim, a Rússia não possui caça operacional com radar AESA. O Eurofighter também não tem AESA até hoje. E o Gripen também não. Ou seja, além do Japão com o F-2 e dos americanos, apenas a França conseguiu colocar em serviço um caça com radar AESA antes dos chineses. E POUCO tempo antes. Já, sobre caças de 5a geração, a China foi o SEGUNDO… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Eu sinceramente duvido que o J-20 seja um caça de 5ª geração crível. Inclusive há muitas matérias não apenas aqui no Aereo como também em outros sites visto que existiriam não apenas problemas com relação aos motores (ainda usam o ALF-31 russo) como também do desempenho e da própria furtividade do aparelho. Pessoalmente falando eu prefiro apostar no Su-57 a apostar no J-20. E ambos são inferiores ao F-22 que entrou em serviço em 2005. Quanto aos radares AESA cumpre lembrar que os russos já possuem diversos modelos prontos e testados, o mesmo quanto aos Israelenses cujo radar El/M-2052 já… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  HMS TIRELESS
2 anos atrás

Também existem muitas matérias falando sobre VÁRIOS problemas nos F-35 americanos.
Assim como, os F-22, considerado o melhor caça da galáxia, também apresentou vários problemas.
E ninguém duvida que ambos sejam caças da 5a geração.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Nada a ver….. Entenda de uma vez! Caças de 5ª geração são aqueles que representam uma revolução não apenas na questão do RCS como também de sensores, propulsão, etc. Os problemas do F-35 deveram-se e devem-se justamente aos avanços contidos no caça, da mesma forma que ocorreram os problemas no F-22. Por outro lado o J-20 não apenas tem a sua furtividade questionada ( isso foi matéria aqui do aéreo) como sequer possui motores condizentes com o desempenho que se espera de um aparelho de 5ª geração visto que ainda usa o ALF-31 russo. Aliás, segundo consta os chineses não… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Excelentes colocações Walfrido!

Willhorv
Willhorv
2 anos atrás

O que se deve entender disto é, a China fabrica em casa hj caças polivalentes j10 e j17, de superioridade aérea j11 e estão chegando os stealth j20, em quantidades suficientes para pagar seu desenvolvimento (vide versões do j10 com uns 400 produzidos) e em condições de exportá-los, com aviônica sofisticada, motorização em evolução a partir dos modelos russos e armamento com um salto tecnológico impressionante. Mesmo salto em toda a marinha e exército! Estamos falando por exemplo da construção de um 3 PA de classe equivalente ao Nimitz com catapultas magnéticas. Qual cenário devemos prever? Por mais que sejamos… Read more »

_RR_
_RR_
2 anos atrás

Muito interessantes as alterações realizadas até aqui. Não há dúvidas de que as inovações introduzidas refinaram a máquina a ponto de criar algo único. Digno de nota o sistema de regulação de fluxo na tomada de ar; algo genuinamente chinês.

Muito interessante também notar o uso generalizado da configuração em delta com canard por nossos tempos. Desempenho a alta velocidade alinhado e grande maneabilidade a velocidade sub-sônica. É provavelmente a melhor configuração onde se procura uma aeronave de combate compacta alinhada a capacidade de carga.

J-20
J-20
Reply to  _RR_
2 anos atrás

Antes o delta era muito inviável, pois sua estrutura era muito instável e exigia um trabalho gigantesco do piloto para controlar a aeronave. O uso mais difundido do delta, principalmente do delta-canard , só foi possível com a introdução dos sistemas FBW. Com isso, eles puderam focar na manobrabilidade pura nos deltas, sem correr o risco deles caírem. Atualmente, os caças mais ágeis tanto em velocidade supersônica quanto subsônica são os delta-canards.