Home Aviação de Ataque Índia reabre concorrência de caças para produção de 110 unidades

Índia reabre concorrência de caças para produção de 110 unidades

4680
64
Caça MiG-21 taxia próximo aos Sukhoi Su-30 da IAF

Uma competição global para vender mais de 100 caças à Força Aérea Indiana foi reaberta pela terceira vez em uma década em 6 de abril

A IAF divulgou um pedido de informação (RFI) de 73 páginas a seis empresas para fornecer 110 caças de um e dois assentos por um período máximo de 12 anos.

Enfrentando um prazo de 3 de julho, são esperadas respostas do Boeing F/A-18E/F Block III, Dassault Rafale F3R, Eurofighter Typhoon, Lockheed Martin F-16 Block 70, United Aircraft Corp MiG-35 e Saab Gripen E.

Será uma competição familiar para as seis concorrentes da licitação. Os mesmos concorrentes se enfrentaram em 2009 para o contrato MMRCA (Medium Multi-Role Combat Aircraft) para 126 caças. A Índia selecionou o Rafale, mas cancelou o contrato sete anos depois.

Em vez disso, a IAF concedeu à Dassault um contrato para entregar 36 Rafales em 2016 e lançou uma competição para um contrato para produzir 114 caças monomotores, o que limitou o campo ao F-16 e ao Gripen.

A IAF descartou a disputa há dois meses sob pressão do Congresso indiano para considerar os caças com um e dois motores.

Os concorrentes do MMRCA de 2008 voltam a competir por um grande contrato na Índia em 2018
Concepção dos Super Hornet Block III
Dassault Rafale
Eurofighter Typhoon
Lockheed Martin F-16IN
MiG-35
Saab JAS 39E Gripen

O novo RFI reabre a competição a caças bimotores fabricados nos EUA, Europa Ocidental e Rússia.

O RFI não define padrões para o número de motores no futuro caça da IAF, e referencia repetidamente o termo singular ou plural, “engine/s”, em solicitações de dados sobre o sistema de propulsão.

Cerca de 82 dos 110 caças devem ser aviões de assento único e o restante deve ser de versão de dois lugares, diz o RFI.

Um máximo de cerca de 16 ou 17 unidades podem ser fabricadas fora do país, mas o restante deve ser produzido dentro da Índia por empresas locais ou por uma agência de produção indiana, mostra o documento.

Como esperado, a transferência de tecnologia e o “Made in India” serão prioridades nas avaliações de propostas da IAF. Os licitantes devem descrever em suas respostas ao RFI como usarão empresas indianas como fornecedores de sistemas e produção de aeronaves.

A IAF também planeja julgar os licitantes sobre quanto controle eles podem entregar na integração de armas. “O fornecedor deve fornecer ao usuário a capacidade de atualizar unilateralmente sistemas, armas ou sensores [de origem indiana ou de origem estrangeira]”, mostra o RFI.

FONTE: FlightGlobal

Subscribe
Notify of
guest
64 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo M
Rodrigo M
2 anos atrás

IAF Toda semana uma novidade!

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Rodrigo M
2 anos atrás

Na verdade o que eles fazem é um marketing da sua defesa. Apresentando intenções de compras de enormes pacotes que na verdade não passa de especulação para se manter na mídia armamentista e que não se consolida em quase nada.

Adriano R.A.
Adriano R.A.
Reply to  Rodrigo M
2 anos atrás

Mas essa é só um novo capítulo dessa novela de Bollywood.

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Malucos…

Teorico Silva
Teorico Silva
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Malucos nao sei…. mas aparentam fortemente fumar um charutao cubano de baseado! rs

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Concordo!

Groo_SP
Groo_SP
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Manter a paridade com a China exige isso.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
2 anos atrás

Rapaz, eu sendo a índia, compraria caças Russos ou iria de Gripen!

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
Reply to  DOUGLAS TARGINO
2 anos atrás

Gripen seria bacana. Caças russos só pela comunalidade com os que eles já usam.

Groo_SP
Groo_SP
2 anos atrás

Eu compraria F/A-18E ou F-16 e pressionaria para uma futura venda de F-35.

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Groo_SP
2 anos atrás

Eles querem código fonte aberto, os EUA nunca fariam isto

Jose De Deus
2 anos atrás

Se realmente se confirmar o interesse pela compra e não somente a necessidade desta compra, a preferência será pelo gripen e com participação da EMBRAER( ou ao menos de seus técnicos) sobre os gripens bi-postos. Se nossas forças se interessassem, a India poderia ser um parceiro no desenvolvimento de novos aparatos, apesar da bagunça organizacional nossas necessidades podem ter diferenças mas nos encontramos em situações iguais quanto aos recursos financeiros destinados a defesa.

Bruno w
2 anos atrás

Será por que o Su35 não esta nessa…
Gripen E , melhor negócio para os Indianos …
Isso se eles não cancelar na semana quem vem…..

Jose De Deus
Reply to  Bruno w
2 anos atrás

Bruno, Parece que a necessidade da India e adquirir um caça para fazer paridade ao JF17 Paquistanês, para fazer o que o interminável Tejas jamais fará. Virá aí o cancelamento do contrato daqueles 120 aviões já encomendados.

Jose De Deus
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

O IRF será para ganhar tempo e jogar confetes para o processo de licitação e a conclusão sobre seu comentário A escolha será o Gripen,(agora que o desenvolvimento do modelo bi-posto está em fase avançada). Sds

Augusto L
Augusto L
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Mas Tejas não o irá substitui-lo ?

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Por isto, que o Typhon, eu acredito que está fora…

Jose de Deus
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Parece que ha uma percentagem de um aparelho para cada grupo de mil habitantes. A coisa por la e bem mais feia que aqui.

Teorico Silva
Teorico Silva
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Galante, sempre leio sobre o “veneravel” MIG-21… Mas ha alguma guerra q ele tenha se sobressaído? Pq sempre q leio, ele “foi alvo” (rs)…

A MIM sempre me pareceu um caça “teorico”: Excelente manobrilidade e grande POTENCIAL de conbate, porem sempre conduzido por pilotos mediocres…

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Galante, sempre leio sobre o “veneravel” MIG-21… Mas ha alguma guerra q ele tenha se sobressaído? Pq sempre q leio, ele “foi alvo” (rs)…

A MIM sempre me pareceu um caça “teorico”: Excelente manobrilidade e grande POTENCIAL de conbate, porem sempre conduzido por pilotos mediocres…

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  jorge Alberto
2 anos atrás

*CoMbate

Perdoem…

Bavaria Lion
Reply to  jorge Alberto
2 anos atrás

Bem, vc pode ver a sessão “operational history” da wiki em inglês.
https://en.wikipedia.org/wiki/Mikoyan-Gurevich_MiG-21

Ele jantou F-4, F-101, F-105, F-102 e EB66 na guerra do vietnam;
F-104, F-86, F-6 e BA na indo-paquistanesa, afora alguns abates no oriente médio.

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  Bavaria Lion
2 anos atrás

Vivendo e aprendendo! Obrigado pela dica Bavaria!

Rui chapéu
Rui chapéu
2 anos atrás

A índia quer um JF-17 pra chamar de seu, já que o Tejas é um fiasco.

smichtt
smichtt
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Galante, poderia, por favor, dizer então qual seria a melhor escolha do ponto de vista estritamente técnico? Obrigado.

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  smichtt
2 anos atrás

Grippen…

Para lhes auxiliar no projeto de Tejas…

Russos nao ajudam (vide experiencia com o PakFa)…

USA… Vide experiencia com o T-50 golden e o F-2 Japones…

Franceses? Nem vou comentar… rs

smichtt
smichtt
Reply to  jorge Alberto
2 anos atrás

Obrigado

Wagner
Wagner
2 anos atrás

India! Taí um lugar mais cabuloso que o Brasilsilsil

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
Reply to  Wagner
2 anos atrás

Realmente ver aquelas crianças vivendo no meio dos esgotos e do lixo, e pior, uma sociedade dividida em castas, onde uns devem prosperar e outros não, pessoas que são julgadas pela sua origem, e não por suas competências.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Defensor da Liberdade
2 anos atrás

Tipo aqui na capital federal né?!

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
Reply to  Gabriel
2 anos atrás

Acredite, na Índia é muito pior, e outra no Brasil todos nós sabemos que o problema é político, mas na Índia é um problema cultural mesmo, está no sangue das pessoas graças ao sistema de castas que só foi abolido no papel.

filipe
filipe
2 anos atrás

Os Indianos estão querendo o F-35 , e ele não vai participar nessa corrida…

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Deviam ir de JF-17 que pra substituir Mig-21 tá ótimo.
Mas que zona que é a IAF, cada semana uma proposta pra compra de aeronaves ou mudança de planos.rs
Agora se for pelo custo benefício já deu Gripen.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat3.7
2 anos atrás

O JF-17 é co-produzido pelo Paquistão, o maior inimigo da ĺndia….

Tomcat3.7
Tomcat3.7
Reply to  Marcelo
2 anos atrás

Então o negócio é Gripen ou F-16.

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

Alexandre Galante 7 de Abril de 2018 at 16:29 : por acaso dessa salada aí quais estão operando Galante ?

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
2 anos atrás

O Diretor de material aeronáutico dessa Força Aérea deve ser um gênio da logística, por reunir uma vasta quantidade itens das mais diversas procedências.

Adalberto Crivella
Adalberto Crivella
Reply to  Alexandre Esteves
2 anos atrás

Oooou… ha um diretor p cada esquadrao ne?…

Augusto
Augusto
2 anos atrás

Que bagunça esses indianos criam…

Russian Bear
Russian Bear
2 anos atrás

Com certeza vai dar MiG-35. Os clientes pagam duas vezes menos pela manutenção do caça russo MiG-35 do que pela do avião francês Rafale, ou o Inglês Eurofighter. O custo de uma hora de voo operacional do caça russo MiG-35 é de 16-20 mil dólares [50-64 mil R$], enquanto o do Rafale é de 30-40 mil dólares [90-127 mil R$] o que é quase o dobro. O Mig-35 possui radar AESA e mísseis homologados bem superiores ao meteor e ao AIM-120. Além do que a Rússia tem um plus, juntamente com os caças podem vir alguém sistemas S-400.

Bruno Vinícius Campestrini
Bruno Vinícius Campestrini
Reply to  Russian Bear
2 anos atrás

Qual seria esse míssil homologado no MiG-35 superior ao Meteor e o AIM-120D? Porque até onde eu sei o míssil russo que chega mais perto desses dois é o R-77-1, todavia, ele ainda é – mesmo que por uma margem pequena – inferior aos dois ocidentais.

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Russian Bear
2 anos atrás

Prove então que os mísseis ar ar russos, são superiores aos ocidentais.

Mara Shara
Mara Shara
2 anos atrás

Sempre muito confusas essas concorrências indianas…

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

quando a IAF fala que vai comprar caças, ninguém mais sabe se é de programa novo, programa existente ou se inventaram alguma coisa entre esses dois anteriores. hahaha

Gabriel
Gabriel
2 anos atrás

Eu ficaria entre o MIG-35 e o F-18 SH
Dada a condição geopolítica do sudeste asiático( Competição com a expansão chinesa) e o preço optaria pelo F-18 SH também conhecido como Vespão

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Gabriel
2 anos atrás

Mas é os EUA, se não abrirem o código fonte, pra integração de qualquer míssil, não leva.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Tiger 777
2 anos atrás

A Boing ofereceu essa opção ao Brasil se não engano creio que o mesmo será ofertado a Índia, se levarmos isso em consideração, Typhoon e F-16 estarão fora da short-list, minha previsão é que a disputa acabe entre F-18 e Gripen mesmo, a Saab tem mais a oferecer pelo lado comercial e é mais barato de adquirir e manter, poder ser usado nos PA indianos, e pode salvar o Tejas, em termos técnicos se a versão ofertada for do f-18 for a block III, temos um empate técnico pra mim, com o Gripen se destacando mais em manobrabilidade e o… Read more »

Flight
Flight
2 anos atrás

Estão aprendendo com a Argentina ou a Argentina estão aprendendo com eles?…

Mara Shara
Mara Shara
Reply to  Flight
2 anos atrás

Acho q o intercambio eh forte… a diferença eh q um tem$ e o outro nao…

João Luiz Passos
João Luiz Passos
2 anos atrás

Faço uma análise de um ângulo diferente: qual a vantagem para os governos venderem suas máquinas a instável IAF? Os EUA da era Trump com sua retórica nacionalista (sem entrar no mérito se é bom ou ruim), poderia se interessar, justamente para contrabalançar China e Rússia, mas, limitar a produção a apenas 16/17 caças nos EUA e abertura de código fonte? Difícil… Para o Typhoon seria a oportunidade para deslanchar em vendas e baratear os custos, mas, código aberto com tantos equipamentos americanos envolvidos, não irá ser desta vez… Existe uma boa chance para o Rafale, já que abertura dos… Read more »

Corsario137
Corsario137
2 anos atrás

Isso ai é igual jogo do bicho. Pode dar qualquer coisa: avestruz, burro ou macaco. Como disse o Galante, são muitos os interesses. Eu apostaria minhas fichas num dos vetores norte americanos. O novo desenho geopolítico mundial aliado as tensões entre as superpotências sugere isso. A India reabre essa concorrência num momento em que a China, seu principal adversário, retoma com mais vigor a aliança político-militar com a Rússia. Isso tem um triplo sentido: 1. A Índia pressiona a Rússia, visto que os indianos são os maiores compradores da indústria militar russa. A grosso modo: vocês querem se aliar aos… Read more »

OSEIAS
OSEIAS
2 anos atrás

e começou a corrida para feijoada de legumes

Mark
Mark
2 anos atrás

Não comprando MIGs já estaria de bom tamanho.

Tico
2 anos atrás

O que a Suécia a França, Inglaterra ou Rússia tem a ofertar a Índia que os EUA não possa superar com folga? Num simples jogo de suposições, num risco de arranca rabo com a China, a Índia precisaria dos melhores equipamentos a seu favor, e pelo que consta o F-18 SH BIII, não deverá ficar devendo em nada a nenhum dos concorrentes aí da lista, além de já ser um excelente caça naval, ele também cumpre com excelência seu papel de caça baseado em terra, some-se a isto o fato de poder ser adquirido também para sua marinha, a Índia… Read more »

RL
RL
2 anos atrás

Por questões de logística e racionalização de recursos, além de comunalidade entre versões aérea e naval, iria de Rafale.
Atende tanto a força aérea quanto naval e por este motivo ão vejo lógica em ter uma aeronave multirole diferente que não seja o Rafale.

No futuro um 5G… Talvez o próximo caça europeu ou mesmo o Su-57 que já está em andamento com a Rússia, pois se não me engano este TB terá uma versão embarcada.

Apenas dois tipos de aeronaves.

Ao contrário do cenário de hoje que sinceramente não sei quantos modelos existem. Uma salada de asas.

Humberto
Humberto
2 anos atrás

Eu entendo que a India necessita de um caça que possa ser adquirido em grande quantidade, que esteja entre o Tejas e os caça do andar de cima (Rafale e Su 30). Creio que o sonho de consumo deles seria que o Tejas fosse este caça MAS. No meu achismo, creio que a briga ficaria entre o F-16, MIG35 e correndo por fora o Grippen. Caças como o F-18, Typhoon ou Rafale fiquem de fora mais pelo custo do que outro motivo qualquer. Dinheiro é curto. Quanto a diversidade concordo que deve ser um pesadelo MAS Qatar também não foge… Read more »

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Numa encomenda de 110 aeronaves, cada nove milhões de diferença de preço por caça vira um bilhão no total.
Cada bilhão vira mais armas, horas de voo, treinamentos.
Mas sem descuidar da qualidade.
Assim, aposto no F-39, F-16, MiG-35, F-18, Rafale e Tiphoon, nesta ordem.
Eu colocaria o Rafale na frente do F-18 por uniformização, mas os hindus adoram um karma logístico.

Robson
2 anos atrás

Gripen, SU 30 e Rafales… Os rafales também podem operar noa porta aviões da marinha… Só esses 3…. Com esses ai podem chamar chinas e paquistaneses pra porrada sem medo…..

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Mono, o melhor é F 16
Bi, F 18
Baixo custo ?

Não tem, tem caro e muito caro !

http://www.aereo.jor.br/2010/07/18/um-motor-sera-suficiente/

Marcelo
Marcelo
2 anos atrás

Caramba ÍNDIA, compre qualquer coisa, mas compre ..!!

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
2 anos atrás

Não aposto em nenhum… Vindo da Índia qualquer um desses pode vencer essa concorrência…