Home Aviação de Ataque Saab na FIDAE 2018

Saab na FIDAE 2018

8588
45
Mock-up do Saab JAS 39E Gripen

A Saab exibirá sua ampla gama de produtos e soluções para defesa militar e segurança civil na FIDAE 2018, estande E54. Os visitantes aprenderão sobre o caça Gripen; sistemas de defesa aérea, como o RBS 70 NG; capacidades de vigilância, como o GlobalEye AEW&C; e soluções de sistema de combate naval, como o 9LV CMS, entre outros.

A Saab considera a FIDAE 2018 uma importante oportunidade para unir ideias com aliados regionais e potenciais novos parceiros. À medida que a empresa continua sua expansão sustentada na América Latina, a FIDAE é uma ótima oportunidade para apresentar soluções que atenderão às necessidades e solicitações dos clientes, com um foco especial nas capacidades de uso dual de nosso portfólio de alta tecnologia.

“Acreditamos que a segurança é mais que uma necessidade; é um direito humano. E nosso objetivo é oferecer soluções que apoiem ​​a busca por nações mais seguras para nossos clientes na América Latina e no mundo. As tecnologias líderes da Saab baseiam-se em séculos de experiência e estão sempre na vanguarda ao antecipar as necessidades futuras.

No atual mundo de necessidades em constante mudança, inovamos no fornecimento de recursos altamente confiáveis ​​e eficientes em termos de custo, de uso dual: eles podem ser usados ​​para propósitos militares e civis”, afirma Joakim Schackenborg, chefe da unidade do país no Cone Sul.

Na FIDAE 2018, a Saab apresentará sua ampla gama de produtos e soluções para os domínios aéreo, terrestre e marítimo, incluindo:

Saab GlobalEye

GlobalEye AEW&C: A nova solução Saab Airborne Early Warning & Control. Uma capacidade multi-missão que não apenas fornece vigilância aérea, marítima e terrestre em uma única solução, mas também aumenta significativamente as capacidades dentro de propósitos de uso dual, como vigilância e coordenação da operação aérea contra o tráfico de drogas, durante incêndios florestais ou outras atividades naturais e situações de desastre.

Saab Gripen E

Gripen – o caça inteligente: um conceito único de caça, trazendo um equilíbrio perfeito entre excelente desempenho operacional, soluções de alta tecnologia, custo-benefício e parceria industrial em um sistema de combate inteligente. A réplica em grande escala estará em exibição na área externa da FIDAE, próxima ao Pavilhão E, para que os visitantes possam sentar-se no cockpit do Gripen e experimentar em primeira mão as incríveis capacidades do caça a prova do futuro.

RBS 70 NG

RBS 70 NG: Sistema de mísseis de defesa aérea de curto alcance para fornecer proteção de 250 metros a 9 km para forças terrestres contra ameaças aéreas. O sistema é portátil, fácil de configurar e operar, e fornece cobertura de 24 horas em todos os climas.

Saab MSHORAD

MSHORAD: Uma solução de pacote que inclui o radar Giraffe 1X integrado ao C2 e o RW 70 NG Remote Weapon System (RWS). O Giraffe 3D de curto alcance 1X oferece uma cobertura de vigilância de 360 ​​graus a uma distância de 75 km, gerando dados para um comando C2 e controlando o sistema de comunicação para análise e coordenação de ações. Com uma faixa de interceptação efetiva de 9 km, o RW 70 NG RWS de alta precisão garante cobertura desde o nível do solo até 5 km, lançando mísseis guiados a laser não bloqueáveis ​​com alta probabilidade de impacto.

SAAB 9LV CMS

Sistema de Gerenciamento de Combate 9LV (CMS): Sistema altamente integrado que traz informações dos sensores, armas e comunicações do navio, proporcionando flexibilidade insuperável. O 9LV CMS oferece C4I completo para todos os tipos de plataformas navais, de navios de patrulha a submarinos.

Soluções de Gerenciamento de Tráfego Aéreo (ATM): Uma ampla gama de produtos projetados para otimizar o transporte aéreo, abrangendo gerenciamento de tráfego, monitoramento e outras capacidades centradas em redes. Multilateration e Aerobahn são duas soluções de monitoramento que suportam enormemente o desempenho operacional geral de um aeroporto. O produto Remote Tower da Saab permite que as operadoras aeroportuárias ofereçam serviços de torre de controle em aeroportos regionais, com apenas uma fração do investimento necessário para construir, equipar e operar torres de controle físico tradicionais.

Treinamento e Simulação: Uma oferta que inclui soluções dentro do domínio ao vivo, virtual e construtivo. Tudo combinado com profundo conhecimento em planejamento, integração e execução de soluções de treinamento específicas para missões. A gama de produtos inclui simulação ao vivo de todos os tipos de armas anti-tanque, como dispare e esqueça, “fire lead” e balísticos. O BT 46, por exemplo, que foi selecionado pela maioria dos principais países da OTAN e provou ser superior a todos os outros sistemas no mercado, devido ao seu realismo e precisão. Uma força bem treinada em termos de logística, comunicação e confiança da equipe é fundamental tanto para a segurança quanto para a defesa civil.

A FIDAE 2018 será realizada no Aeroporto Internacional Arturo Benitez Merino, em Santiago, Chile, de 3 a 8 de abril.

DIVULGAÇÃO: Saab

45
Deixe um comentário

avatar
18 Comment threads
27 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
27 Comment authors
Russian BearLeonardo AraujoRinaldo NerySérgio LuísFelipe Morais Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

A Suécia realmente tem um belo pacote de defesa, eles são bons em tudo, e extremamente eficientes, só acho o Gripen muito fraquinho, mas para o Brasil está muito bom, não temos conhecimento para possuir e manter coisa melhor do que isso.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

“Fraquinho” é algo que eu não usaria para definir o Gripen. Mas… cada um com seu cada um…

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Fraquinho?

O Gripen E/F vai ser o caça, em todos os sentidos. Só vai ficar devendo um nível superior “stealth”.

Com o apoio do E-99, armados com Meteor (ou com o I-Derby na pior das hipóteses) vamos ter uma matilha e tanto de predadores rsrs.

Robsonmkt
Visitante

Se você acha ele fraquinho, aqui vai uma comparação entre o Gripen e outros dois caças monoturbina: o F-16 e o F-35, publicada aqui mesmo no Poder aéreo:
http://www.aereo.jor.br/2016/02/04/o-gripen-ng-e-os-seus-velhos-e-novos-concorrentes/

Gustavo
Visitante
Gustavo

pois é, o Gripen é o que há de mais moderno, se utilizado em toda sua capacidade, ele não deixa nada a desejar a boa parte dos caças. Fica bem próximo de seus concorrentes de 2 duas turbinas, principalmente o F-18 SH e Rafale, sendo superior ao F-16 nos blocos mais modernos… De fraco ele não tem nada.

Bardini
Visitante
Bardini

Eu olho pra essa imagem:
http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2018/04/Saab-MSHORAD.jpg
E fico pensando: O que se passou na cabeça daqueles caras da Mac Jee, que não desenvolveram um sistema desses para oferecer ao EB, FAB e CFN, ao invés daquela gambiarra lançadora de foguetes de 70 mm…
.
Poderiam desenvolver um lançador para um blindado 4×4.
Uma versão para operar um míssil VSHORAD, e sob a mesma plataforma, oferece um derivado, para operar um ATGM. É coisa útil, que tem lógica, ao contrário do produto que estão fazendo.

Tomcat3.7
Visitante
Tomcat3.7

Mas na matéria sobre eles diz q estão agora desenvolvendo uma versão com Atgm e uma shorad.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Acho show de bola o sistema montado no chassis UNIMOG, com radar e mísseis em conjunto.

comment image

Deve caber no KC-390.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Talvez porque EB, MB e FAB não demonstrem interesse por um veículo lançador de mísseis antiaéreos.
Talvez porque mísseis antiaéreos sejam mais caros do que foguetes.
Talvez porque seja um produto mais complexo.
Talvez porque a MacJee não tenha parceria com fabricantes de mísseis antiaéreos para oferecê-los.
Talvez porque seja menos difícil vender no mercado internacional um lançador de foguetes do que um lançador de mísseis antiaéreos.

Bardini
Visitante
Bardini

Não sei…
Não consigo enxergar essa demanda por um lançador de foguetes burros de 70 mm… Espero que não entubem as forças com isso.
A Avibras tinha um projeto do tipo e deu em nada.
.
Pra mim, o realmente que precisamos nesse sentido, é do Guarani 6×6 equipado com um morteiro.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Também prefiro que o EB invista no Guarani 6×6 com morteiro de 120mm e não sei se há mercado para esse lançador da MacJee.
Mas, dependendo do valor, o produto pode ser interessante.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Como o EB já opera o RBS 70, seria uma boa para dar a infantaria um suporte contra ameças aéreas, combinando com um CIWS como o Oerlikon Revolver Gun Mk 3 teríamos uma defesa de curto alcance impecável e de alta mobilidade. No caso do CIWS, poderia ser usado o Guarani ou o M113 para integra-lo. Talvez eu esteja sonhando demais no caso do CIWS, mas o uso dos RBS 70 no LMV é bem viável para o EB.

Bardini
Visitante
Bardini

Você descreveu o sistema Skyranger…

Tallguiese
Visitante
Tallguiese

Na Fidae a Orca está no ar. Pelo flight radar

Paulo
Visitante
Paulo

O Gripen ng é um lobo em pele de cordeiro…..não tem um visual agressivo, não tem um visual ameaçador mas deverá ser uma aeronave moderna eficiente e perigosíssima para seus oponentes.

Leonardo Araujo
Visitante
Leonardo Araujo

Fraquinho
São certos comentários sobre um tema que está longe dos olhos difusos e inocentes de pessoas que acreditam que um caça é um suvenier.
O Gripen NG e sem sombra de dúvidas o melhor vetor para nossa nação no atual nível da ameaças e capaz de ir além com aumento do plantel . E cumprirá todas as missões da forca sem a necessidade de termos outra aeronave, o que elevaria os custos e diminuiria capacidade de operacionalizar os esquadrões.

Gcontel
Visitante
Gcontel

Quem escreveu que o Gripen é “fraquinho” realmente não entende nada sobre esse avião

Leonardo Araujo
Visitante
Leonardo Araujo

Concordo plenamente.

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

“… a réplica em grande escala estará em exibição na área externa…” Quase uma década de desenvolvimento e toma-le réplica! Olha, sinceramente…
.
Aos que contestem, aqui mesmo já se tinha notícia da SAAB vendendo o NG em 2009… Brasil-sil-sil-sil!!
.
Sds

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

A Saab tinha a ideia geral de fazer a versão “Next Generation” do Gripen C/D, mas para tornar essa ideia possível, precisava de ao menos um pedido firme com valor considerável para compensar o investimento todo. Enfim o pedido surgiu (meio que tardiamente) e estamos vendo agora o desenrolar do projeto e em meados do ano que vem (se tudo continuar indo bem), já deve estar sendo entregue para inicio de treinamento operacional. Em certo ponto a demora foi positiva pois possibilitou o amadurecimento de tecnologias que estavam em estágio inicial e que amanhã vão fazer a diferença a nosso… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Mais um desinformado falando bobagem sobre o Gripen. Que grande novidade…

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Olha, Bardini, de fato, falo bobagem… sou desinformado e não sei o que posto e penso… Não sei quando se iniciou o FX2, nem da proposta da SAAB, nem tampouco do Gripen NG, quiçá do A/B ou do CD, o qual é derivado… Que se contente com mais uma réplica e que a SAAB a junte com a que apresentou em Brasíliam em 2016…
.
Sds

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

E a SAAB é culpada pela demora na definição do FX2? Já foi explicado que a SAAB estava esperando um cliente firme para tocar o projeto. Teve culpa por não querer arriscar com a grana de seus acionistas. Mas a partir do momento que houve o cliente firme, o projeto seguiu. E posso estar enganado, mas o cronograma está seguindo. A FAB sabia disso desde o início então não tem o que ficar choramingando. Quanto ao gripen A/B, C/D, o que tem? Qual é a sua crítica? Pois até onde sei, foi e é uma aeronave formidável para a Força… Read more »

Robsonmkt
Visitante

Levando-se em consideração que o Gripen E/F é um avião praticamente novo apenas mantendo o design básico do Gripen C/D e que a fabricação do protótipo somente ocorreu após o Brasil anunciar a Saab como ganhadora da disputa em 18 de dezembro de 2013, não está atrasado muito, não.
Segue o link para o cronograma da Saab:

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2017/10/gripen2-1024×1467.jpg

PC de Bordo
Visitante
PC de Bordo

Penso que o Gripen NG irá surpreender muita gente nos exercícios com outros países que participaremos no futuro… Caça ágil, de baixo RCS, com raio de combate de 700 milhas náuticas, 30 minutos “on station”, AESA, grande gama de armamentos… E tudo isso com transferência de tecnologia e baixo custo de manutenção. Acho que a FAB acertou em cheio. Torço muito pelo projeto!

Leonardo Araujo
Visitante
Leonardo Araujo

Concordo plenamente

Humberto
Visitante
Humberto

O Grippen tem muito o que provar ainda antes de ser considerado um grande caça, não é porque a FAB selecionou ele que vira automaticamente em um sucesso. Existem diversos outros caças (apesar de estar em um patamar diferente) que teoricamente são superiores como a familia SU 27 e seus derivados, Typhoon e o Rafale. Mesmo os caças que estão no final da sua vida como o F-16, F-18 não estão tão longe assim do Grippen (temos que lembrar o F-18 G que apesar da sua especialidade é extremamente sofisticado). Na época do FX 2, a minha torcida (vejam bem,… Read more »

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

O Gripen foi projetado exatamente com o objetivo de superar a família do SU 27… Quanto ao Rafale, tirando a capacidade de carga, não há nada que ele faça que o Gripen não faça melhor e custando menos, no cenário de guerra moderno, o compartilhamento de dados e a segurança do processo é fundamental e nisso ele é vetor definitivo da 4ª geração, por isso mesmo pensar em um combate como uma 1×1 é um cenário que dificilmente representa a realidade e mesmo nesse cenário, os únicos que vejo capazes de ter alguma vantagem significativa é o Typhoon graças ao… Read more »

Leonardo Araujo
Visitante
Leonardo Araujo

Nossa aiinda existem rafalistas ressentidos?
Não fiquem tristes não, neste momento pensem no SBR-10 scorpene .
Chega deste chororo.
Quase ninguém fala do poder que o data link exclusivo da SAAB proporciona no TO, vão estudar sobre está característica do Gripen NG e depois comparem com os concorrentes.
Vimos a pouco a a incompatibilidade de comunicação entre o F-22 e o F-35.
O choro e livre

Defensor da Liberdade
Visitante
Defensor da Liberdade

Não sei por que falam tão mal do Gripen, tirando a falta de capacidade stealth, seus sensores e armamentos não devem em nada se comparado aos caças de geração 4++ e 5ª geração. E para surrar as latas velhas que imperam aqui na AL até o F-5 dá um caldo, imagine o Gripen.

Israelmestre
Visitante
Israelmestre

Eu acho, SÓ ACHO, que os novos por aqui, não leem matérias antigas e por isso não sabem o que um Gripen pode fazer! E isso, não é porque o fabricante disse ou etc…e etc…, mas sim, os nossos pilotos experientes que foram lá fora fazer um vôo no estilo dogfight com um Gripen já pronto e voando e CONFESSOU que nunca em sua vida, imaginou em voar em algo assim…. aiai…. vai vendo aí, hein!!!!

Rodolfo Livio
Visitante

Ué, no acordo firmado na compra no NG não ficaria à cargo do Brasil a venda para os mercados AL/Caribe/Africa? Por que ainda cabe à Saab apresentar no stand dela e não no da Embraer? Curiosidade. Mesmo que ainda não exista a linha de produção local as vendas para entregas futuras deveriam estar no nosso colo. Saludos!

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Rodolfo,

Segundo o Diretor de Marketing da SAAB, a EMBRAER e a SAAB serão concorrentes na América Latina. O cliente decidirá.

Abraços

Humberto
Visitante
Humberto

Defensor da Liberdade 3 de Abril de 2018 at 23:36 Ola Defensor, não estou falando mal, estou mais para setar as expectativas, o protótipo mal começou a voar e já é considerado um ótimo caça por alguns. Não é porque é nosso que será o melhor.. Só isto. Concordo em termos sobre as latas velhas, mas existem vetores sim que podem dar muita dor de cabeça. Começando com o SU 30 e os F-16 da Venezuela, os Mig 29 e Mirage 2000 do Peru, mesmo os KFIR da Colombia ou os F-16 do Chile, o F5 não daria caldo algum… Read more »

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Vamos por partes como diria alguém kkk 1 – Boa parte das especificações do Gripen já foram divulgadas é só pesquisar e a versão E/F é uma evolução da C/D, que já nessa versão era considerado um excelente caça, juntando isso, pode-se afirmar com certa segurança o quão bom ela irá ser. 2 – A força aérea venezuelana é só ilusão, tem capacidade operacional quase nula, e falando especificamente dos seus vetores, superestimam demais os SU-30 MKV e os F-16 são das primeiras versões aviônica pré-histórica. 3 – Veja as participações dos Mikes na Red Flag e Cruzex, Mirage 2000c… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

É o que se voa mundo afora, em média. 200:00h/ano seria um bom número.

Defensor da Liberdade
Visitante
Defensor da Liberdade

Duvido o Gripen ter dificuldades com esses caças velhos que imperam na AL. Maioria deles devem estar defasados uns 20 anos em relação ao Gripen. E olhe que eu estou colocando em comparação apenas os atributos das aeronaves, se formos somar as experiências dos pilotos, aí é que a distância entre o Brasil e o resto iria aumentar. Pode apostar que qualquer força aérea da AL cairia feito mosca diante dos nossos Gripens.

Adriano A.R.
Visitante
Adriano A.R.

Lá vou eu ser chato…. o Gripen não é inteligente… inteligentes são as pessoas que o desenvolveram.
Os marketeiros não se emendam…

angelo
Visitante

Tallguiese 3 de Abril de 2018 at 19:03

Na Fidae a Orca está no ar. Pelo flight radar

A orca acabou de decolar novamente!

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

A fila anda…..e a forma de combate tambem… . Foguetes 70 mm guiados, podem puxar 5 g´s de curva….suficiente para começar a se pensar neles com capacidade residual anti aerea contra helis ou aeronaves lentas… . O proprio RBS 70 não deixa de ser uma especialidade neste foco especifico. Desde o inicio, um missil de até 9km de alcance para defesa anti aerea. Como é guiado a laser, pode enquadrar alvos de superficie tambem. . Então, foguetes 70 mm com kits de guiagem começam a percorrer o mesmo caminho e começando a confluir para as mesmas possibilidades de benefícios…cada um… Read more »

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezados,

Como é desejo da FAB, será necessária a obtenção de novos lotes do Gripen. Será importante também para baratear os custos de produção pela EMBRAER e dar competitividade ao Gripen “brasileiro”.

Pela entrevista concedida pelo Diretor de Marketing da SAAB, o Gripen produzido na Suécia concorrerá com o Gripen produzido no Brasil, na América Latina. O cliente decidirá pela origem do Gripen.

Assim, teremos que ter preço competitivo.

Abraços

Lewandowski
Visitante
Lewandowski

Opa! Interessante essa informação… dois países oferecendo o mesmo produto… é aí que o Brasil peca… deveríamos ser mais ativos na AL. Talvez não seja possível um preço mais competitivo devido a escala de produção, por exemplo, mas teríamos a vantagem da diplomacia, hegemonia, coisa que o Brasil não impôs na região, infelizmente…
.
Sds

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Nisso eu concordo. Difícil vender gripen por aqui. Na América do Norte e central não tem demanda. África, África do Sul não consegue manter nem seus C/D. Nigéria, além da questão econômica e da grande possibilidade de sofrer vetos dos fabricantes de equipamentos do caça, estaria mais próximo de algo russo ou chinês. Egito tem comprado da França e Rússia. O restante não tem grana. Na Europa não dá para concorrer com os suecos. Sobra Oriente médio e Ásia. Oriente médio, difícil concorrer com a influência americana, francesa e, agora, russa. Fora que a maioria desses países já têm comprado… Read more »

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Acho pertinente essa dúvida!
Se for constatado o pagamento de propina na compra do Gripen o contrato assinado será cancelado?

Russian Bear
Visitante
Russian Bear

A Suécia está de parabéns por desenvolver sozinha seus equipamentos de defesa no estado mais elevado da arte. Um país com este know-how já deveria ter ganho muito mais mercados ao redor do globo. A pergunta que fica é, ou seus equipamentos quando comparados aos russos e ocidentais acaba sendo inferior no preço ou na qualidade, ou simplesmente ela perde no fator lobby? Atualmente ela em um eventual conflito com a Rússia, oferecer certa resistência. Algo muito superior aos seus vizinhos nórdicos mal equipados; que precisam de bases alemãs e inglesas para contrabalancear as forças.